A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LÍNGUA PORTUGUESA Ensino Fundamental, 6º Ano

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LÍNGUA PORTUGUESA Ensino Fundamental, 6º Ano"— Transcrição da apresentação:

1 LÍNGUA PORTUGUESA Ensino Fundamental, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica

2 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aula 1 Gêneros textuais São textos produzidos dentro de um contexto cultural e com função comunicativa. Isso significa que, a cada vez produzo um texto, seleciono um gênero em função daquilo que desejo comunicar, do efeito que desejo produzir em meu interlocutor e da ação que desejo realizar no meio em que me inscrevo. Exemplos: conto de fadas, fábula, lenda, biografia, novela, conto, crônica, adivinha, piada, carta, bilhete, convite, reportagem, notícia, horóscopo, receita culinária, bula de remédio, lista de compras, cardápio de restaurante, diário, piada, , postal, dentre outros.

3 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. A carta pessoal A carta pessoal é um texto utilizado para comunicação com amigos, parentes, namorado(a). É elaborada por um remetente e enviada a um destinatário. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carta

4 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 1 Esta atividade ajudará os alunos a compreenderem melhor a função social da carta. Para tanto, o professor poderá seguir o roteiro abaixo. 1. Perguntas para discussão: Vocês já escreveram cartas? Foi uma tarefa fácil ou difícil? Por quê? Vocês gostam de receber carta? Hoje não é muito comum receber cartas pessoais pelo correio. Por quê? 2. Dando prosseguimento, o professor fará a exibição do filme Central do Brasil. Contudo, se preferir, poderá mostrar apenas alguns trechos em que a personagem Dora escreve as cartas.

5 Vamos assistir ao filme Central do Brasil?
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Vamos assistir ao filme Central do Brasil? Questões para discussão: - No filme, Fernanda Montenegro interpreta Dora. O que ela faz na estação Central do Brasil? - Quais os temas abordados nas cartas ditadas pelos personagens no filme? - É preciso saber ler e escrever para conseguir produzir uma carta? Fonte:

6 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aula 2 ATIVIDADE 2 Como os adolescentes, geralmente, gostam de música, nada melhor para incentivá-los a estudarem as características de um tipo de carta bem interessante: a “carta de amor”. Após ouvirem as músicas, o professor poderá indagar: Vocês gostaram das músicas? Por quê? O que vocês pensam sobre cartas de amor? Obs.: Todos os alunos deverão receber cópias das letras das músicas.

7 Vamos ouvir estas músicas?
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Vamos ouvir estas músicas? Escreva uma carta meu amor Roberto Carlos A Carta Renato Russo e Erasmo Carlos Fonte: Fontes: httpwww.vagalume.com.br/renato-russo:///a-carta.html

8 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 3 O professor deverá formar grupos de 3 ou 4 alunos e entregar-lhes dois exemplos de cartas pessoais. Roteiro: 1. Um aluno lê a carta em voz alta para os outros componentes. 2. O grupo deverá, na segunda leitura, retirar do texto os elementos característicos da carta. 3. Um aluno ficará responsável por anotar no caderno (resumidamente) os elementos encontrados. 4. Após concluírem a tarefa solicitada, o professor solicitará que um representante de cada grupo apresente os elementos da carta à turma. 5. No final, o professor sistematiza o resumo da aula.

9 CARTA 1 CARTA 2 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. CARTA 1 CARTA 2 Recife, 24 de maio de 2015. Pedro, meu grande amor. Toda vez que penso em ti, eu te vejo como um presente que Deus enviou para preencher o espaço vazio que havia no meu coração. É difícil explicar, mas quando estou ao teu lado, eu sinto que sou a pessoa mais feliz e especial desse mundo. Saiba que eu te amo muito e não há ninguém tão especial quanto você em minha vida! Beijos! Ana Maria Recife, 3 de janeiro de 2015. Caro amigo, Ontem foi um dia mágico. Você esteve comigo por muitas horas, dando-me o maior presente que eu poderia sonhar. Estar com você e receber a tua atenção me fez feliz demais. Obrigado por todo o apoio, pela compreensão, pelo carinho. A mim, não me importam suas falhas, mas todas as suas tentativas de acerto, sua consideração e sua preocupação com o nosso bem estar. Quero que você saiba que eu nunca mais desgrudarei de você! Com carinho, Felipe Fonte: Textos criados para esta aula.

10 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Resumo: A carta é um gênero textual que visa à comunicação escrita e pode ser de diversos tipos: carta pessoal ou familiar, carta comercial, carta de apresentação, etc. Através da carta o que se pretende é estabelecer um diálogo entre o remetente e o destinatário. A carta é constituída por uma ou mais folhas de papel fechadas em um envelope, que é selado e enviado ao destinatário da mensagem através do serviço dos Correios. Atualmente a carta vem sendo substituída pelo , que é a forma de correio eletrônico mais difundida no mundo, mas ainda há muitas pessoas que sentem prazer em trocar correspondências do jeito tradicional.

11 Indicação do local e da data
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Quanto à estrutura, o gênero textual carta apresenta: Indicação do local e da data Essas referências ficam no início da carta, em geral à esquerda. Geralmente é acompanhado de uma saudação ou de um termo de cortesia como Prezado, Caro, mas pode-se empregar somente o nome do destinatário, ou outro termo mais coloquial seguido do nome. Após o vocativo pode-se colocar vírgula, dois-pontos ou ainda não haver pontuação. Vocativo

12 Despedida e assinatura
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Refere-se à introdução e ao desenvolvimento da carta. Texto A despedida varia de acordo com o grau de intimidade entre as pessoas, por isso pode ser formal ou informal, cerimoniosa ou afetuosa. Por sua vez, a a assinatura contém apenas o nome do remetente. Despedida e assinatura

13 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aula 3 ATIVIDADE 4 O professor poderá iniciar a aula com uma roda de conversa sobre a aula anterior. Logo após, apresentará outros dois modelos de cartas: Carta de solicitação de emprego e Carta de reclamação. O professor poderá levantar as seguintes questões: 1. Há diferenças entre estas cartas e as cartas pessoais que vimos antes? 2. Que diferenças são essas?

14 Carta de solicitação de emprego
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Carta de solicitação de emprego (localidade), (dia) de (mês) de (ano). À _____________ (nome da empresa) Ref.: Candidatura à Vaga de Emprego Eu, (nome), (nacionalidade), (estado civil), (profissão), residente e domiciliado à (endereço), venho por meio desta apresentar minha candidatura à vaga de (especificar a vaga almejada), anexando nesta oportunidade meu Curriculum Vitae. Sou uma pessoa responsável, com boa formação acadêmica, prezando sempre pela organização e eficiência nas atividades que desempenho. Estou à disposição para qualquer contato e solicitação para entrevista. Os meios de contato (telefone, ) seguem abaixo. Atenciosamente, (assinatura) (nome)  

15 Carta de reclamação À ________________________ Nome da Empresa
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Carta de reclamação   À ________________________ Nome da Empresa No que diz respeito ao pedido nº (informar), realizado em (informar a data), venho manifestar meu descontentamento, pois a entrega estava prevista para, no máximo, até o dia (informar). Dessa forma, venho solicitar o cancelamento imediato do pedido, devido o descumprimento do prazo de entrega, de modo que requeiro a restituição dos valores pagos. Aguardo resposta. (localidade), (dia) de (mês) de (ano). Seu nome (assinar acima) Seu CPF Seu endereço Seu telefone

16 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 5 Propor aos alunos a produção de um dos modelos das cartas apresentadas. Dicas para os alunos revisarem o texto escrito: 1. O texto escrito é formal ou informal? 2. Coloquei todos os elementos de uma carta? 3. Utilizei os termos de forma expressiva, adequando-os à situação de comunicação? 4. Cometi erros ortográficos? Quais? Caso necessário, os alunos deverão reescrever a carta, atentando para todos os problemas que perceberam no corpo do texto.

17 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aula 4 ATIVIDADE 6 Professor, inicie a aula com a rodinha de conversa para falar sobre o tema que será estudado. Pergunte aos alunos se já receberam ou enviaram convites em alguma ocasião. Faça uma lista na lousa com os tipos de convites que os alunos citarem. Peça que os alunos observem o convite de aniversário de Adriana. Faça juntamente com eles a interpretação oral do convite e questione-os: 1. Quem mandou o convite? 2. Quem é o (a) aniversariante? 3. Qual é o local, a data e a hora desse evento?

18 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Convite É a solicitação da presença ou participação de alguém em algo (convocação). Geralmente, ele é colocado dentro de um envelope e pode ser entregue de várias formas: pessoalmente, pelo correio, através da internet, etc. Fonte:

19 A estrutura de um convite
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. A estrutura de um convite O vocativo – É a pessoa a quem nos dirigimos para enviar o convite. Neste caso, devemos ficar atentos ao pronome de tratamento que usaremos. Como por exemplo, no caso de uma pessoa mais íntima, é permitido o uso de uma linguagem mais informal. Mas, quando tratar-se de alguém que não temos muita convivência, ou uma autoridade, o pronome deverá adequar-se à situação de uso. Em seguida, informa-se todos os elementos necessários à compreensão do leitor, como o local, seguido do endereço completo, data, hora do evento, e, em alguns casos, determina-se o traje específico, como é o caso de festas juninas, festas à fantasia, de formatura e ocasiões mais especiais. Por último vem a despedida, seguida da assinatura de quem enviou o convite.

20 4. Você toma cuidado para não sujar o ambiente?
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aprofundando a reflexão: 1. Como você reage ao receber um convite: agradece à pessoa que lhe convidou ou demonstra pouco interesse? 2. Caso não possa ir à festa, você telefona previamente agradecendo o convite e explicando a razão do não comparecimento? 3. Durante a festa, você espera a autorização para comer os doces ou pega-os na hora que lhe der vontade? 4. Você toma cuidado para não sujar o ambiente?

21 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 7 Para enriquecer este estudo, os alunos deverão trazer na próxima aula alguns convites para montagem de um mural. Os alunos deverão produzir coletivamente um convite para a comunidade escolar visitar o mural. Nesse momento, o professor irá registrar na lousa as sugestões da turma para a montagem do convite. Se necessário, deverá orientá-los na estruturação do mesmo. Depois, dividirá a turma em grupos: uns escreverão os convites, outros os ilustrarão e os demais passarão nas outras turmas convidando para a exposição. A sala de aula deverá ser arrumada para receber os convidados. Os alunos farão a explicação sobre os convites que trouxeram e suas características. O professor deve ficar atento à participação dos mesmos e estimulá-los durante as apresentações.

22 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aula 5 ATIVIDADE 8 O professor deverá iniciar a aula apresentando alguns postais diversos e fazendo questionamentos, como: O que vocês veem nestas imagens? Como chamamos estas imagens? Após ouvir as respostas dos alunos, o professor falará a respeito dos elementos que constituem um cartão postal (fotografia, legenda, mensagem, destinatário). O professor também poderá solicitar a turma que desenhe algumas imagens no formato de um cartão postal. Após esta etapa, os alunos poderão escrever uma mensagem e destinar o postal para alguém da sala.

23 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Postal O cartão-postal, bilhete-postal ou simplesmente postal, é uma simplificação da carta. Trata-se de um pequeno retângulo de papelão fino, geralmente enviado pelo Correio (sem envelope), tendo uma das faces destinada ao endereço do destinatário, selo, mensagem do remetente e na outra alguma imagem. Fonte; https://conteudorelevante.wordpress.com/2008/08/08/cartoes-postais-01/

24 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 9 Aula 6 Para ativar o conhecimento prévio dos alunos a respeito do gênero diário, o professor deverá perguntar-lhes: 1. O que é um diário pessoal? 2. Quem tem hábito de registrar as experiências do cotidiano em um diário? 3. Escrever um diário está “fora de moda”? Por quê? 4. Pode-se dizer que um blog é um versão moderna do diário? Por quê? No final da aula, o professor poderá também apresentar aos alunos a seguinte proposta de produção de texto: 1. Inspirado em algum dia de sua vida, cada aluno deverá escrever uma página do que poderá ser o seu diário pessoal.

25 Características do diário pessoal
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Características do diário pessoal O autor dirige-se a um confidente, sendo frequente o emprego do vocativo “Querido diário” ou até a criação de um nome específico para o saudar. Os registros são ordenados por ordem cronológica de ocorrência, ou seja, para cada dia há um registro. A data é considerada como um elemento essencial. A assinatura também é muito importante, pois tem a função de evidenciar o autor (a) do texto.

26 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Diário Espécie de caderno ou livro onde são registrados acontecimentos cotidianos (ficcionais ou verídicos) escritos a partir de uma visão pessoal. Vale salientar que o diário também pode ser usado como algo público ou comunitário. Fonte:

27 Questões para discussão:
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 10 Questões para discussão: Obs.: O professor entrega uma cópia do texto seguinte aos alunos e propõe que eles discutam as questões: a) Que texto é esse? b) Como ele se organiza? c) Para Clarissa, o diário é uma espécie de diálogo íntimo. Que frase do texto traz essa informação? d) O diário ameniza a solidão de Clarissa. Qual frase do texto justifica essa afirmação. e) Explique a frase do final do texto: “Mas o que eu sinto, não devo mentir. Pelo menos para mim mesma...”.

28 Leitura: Uma página de diário
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Leitura: Uma página de diário Clarissa abre o seu diário de capa verde e escreve: Quero escrever neste diário tudo o que penso tudo o que sinto. Mas a gente nunca escreve tudo o que pensa, tudo o que sente. Por que será que só somos sinceros pensando? Preciso ter um diário porque não tenho com quem conversar. As minhas colegas do Elementar não gostam de mim. (Não sei por quê!) a única que me procura é a Dolores. No diário é como se eu estivesse conversando comigo mesma. Assim tenho a impressão de que estou menos só. Que é que tenho para contar? O dia está lindo. Estamos no outono. No pátio de minha casa tem uma paineira florida. Bonito! Uma professora formada dizendo: “tem uma paineira”. O direito é “há uma paineira”. Mas fica tão pedante... Por que será que a gente nunca escreve como fala? Bom, mas a verdade é que ninguém vai ler o meu diário.

29 Mas o que eu sinto, não devo mentir. Pelo menos para mim mesma...
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. E se eu morrer? Se eu morrer, depois da missa de sétimo dia mamãe toda de preto vem chorando reunir as minhas coisas. Encontra este livro, abre. Lê e fica sabendo todos os meus segredos. Não. Preciso destruir este diário antes de morrer. O pior é que a gente nunca sabe quando vem a hora da morte. Mas eu ia dizendo que no nosso pátio tem uma paineira florida. De manhã os passarinhos fazem uma gritaria doida dentro dela. Se eu soubesse pintar, eu pintaria a nossa paineira. Hoje, entrando na sala de visitas, senti a mesma coisa que sentia quando era guria. Quando olhei para o retrato do meu bisavô senti um medo esquisito, uma impressão de o retrato ia sair correndo atrás de mim. Bobagem! Um retrato não pode se mexer. Se os outros soubessem do meu medo, na certa riam de mim. Mas o que eu sinto, não devo mentir. Pelo menos para mim mesma... (VERÍSSIMO, Érico. Clarissa. 50. ed. São Paulo: Globo, 1999).

30 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Aula 7 ATIVIDADE 11 Professor, pergunte aos seus alunos se eles sabem conceituar e exemplificar o gênero crônica. Com essa proposta, pretende-se ter acesso ao conhecimento prévio dos alunos e introduzir o assunto da aula. Enquanto ouve as hipóteses dos alunos, registre na lousa a fala deles. Continue a aula com a leitura da crônica “A Bola”, de Luiz Fernando Veríssimo, e promova a reflexão sobre as principais características desse tipo de texto narrativo. Para sintetizar o que foi visto, sugerimos outra crônica maravilhosa do mesmo autor, onde ele fala justamente sobre o que é uma crônica e faz a comparação dela com o ovo.

31 Luiz Fernando Veríssimo
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. A Bola Luiz Fernando Veríssimo O pai deu uma bola de presente ao filho. Lembrando o prazer que sentira ao ganhar a sua primeira bola do pai. Uma número 5 sem tento oficial de couro. Agora não era mais de couro, era de plástico. Mas era uma bola. O garoto agradeceu, desembrulhou a bola e disse "Legal!". Ou o que os garotos dizem hoje em dia quando gostam do presente ou não querem magoar o velho. Depois começou a girar a bola, à procura de alguma coisa. - Como é que liga? - perguntou. - Como, como é que liga? Não se liga. O garoto procurou dentro do papel de embrulho. - Não tem manual de instrução? O pai começou a desanimar e a pensar que os tempos são outros. Que os tempos são decididamente outros. - Não precisa manual de instrução. - O que é que ela faz? - Ela não faz nada. Você é que faz coisas com ela. - O quê?

32 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. - Controla, chuta... - Ah, então é uma bola? - Claro que é uma bola. - Uma bola, bola. Uma bola mesmo. - Você pensou que fosse o quê? - Nada, não. O garoto agradeceu, disse "Legal" de novo, e dali a pouco o pai o encontrou na frente da tevê, com a bola nova do lado, manejando os controles de um videogame. Algo chamado Monster Baú, em que times de monstrinhos disputavam a posse de uma bola em forma de blip eletrônico na tela ao mesmo tempo que tentavam se destruir mutuamente. O garoto era bom no jogo. Tinha coordenação e raciocínio rápido. Estava ganhando da máquina. O pai pegou a bola nova e ensaiou algumas embaixadas. Conseguiu equilibrar a bola no peito do pé, como antigamente, e chamou o garoto. - Filho, olha. O garoto disse "Legal" mas não desviou os olhos da tela. O pai segurou a bola com as mãos e a cheirou, tentando recapturar mentalmente o cheiro de couro. A bola cheirava a nada. Talvez um manual de instrução fosse uma boa ideia, pensou. Mas em inglês, para a garotada se interessar. Fonte:

33 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Crônica e Ovo A discussão sobre o que é, exatamente, crônica é quase tão antiga quanto àquela sobre a genealogia da galinha. Se um texto é crônica, conto ou outra coisa interessa aos estudiosos da literatura assim como se o que nasceu primeiro foi o ovo ou a galinha a zoólogos, geneticistas, historiadores, e (suponho) o galo, mas não deve preocupar nem o produtor nem o consumidor. Nem a mim nem a você. Eu me coloco na posição da galinha. Sem piadas, por favor. Duvido que a galinha tenha uma teoria sobre o ovo, ou, na hora de botá-lo qualquer tipo de hesitação filosófica. Se tivesse, provavelmente não botaria o ovo: É da sua natureza botar ovos, ela jamais se pergunta, “Meu Deus, o que eu estou fazendo?”. Da mesma forma que o escritor diante do papel branco (ou, hoje em dia, na frente da tela do computador) não pode ficar se policiando para só “botar” textos que se enquadrem em alguma definição técnica de “crônica”. O que aparecer é crônica.

34 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Há uma diferença entre o cronista e a galinha, além das óbvias (a galinha é menor e mais nervosa). Por uma questão funcional, o ovo tem sempre o mesmo formato, coincidentemente oval. O cronista também precisa respeitar certas convenções e limites: mas está livre para produzir seus ovos em qualquer formato. Existem textos classificados como contos, paródias, outros que são puros exercícios de estilo ou simples anedotas e até alguns que se submetem ao conceito acadêmico de crônica. Ao contrário da galinha, podemos decidir se o ovo do dia será listrado, fosforescente ou quadrado. Você, que é o consumidor do ovo e do texto, só tem que saboreá-lo e decidir se é bom ou ruim, não se é crônica ou não é. Os textos estão na mesa: fritos, estrelados, quentes, mexidos... Você só precisa de um bom apetite. Fonte:

35 Crônica Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Crônica É um texto curto, breve, simples, de interlocução direta com o leitor, com marcas bem típicas da oralidade. Quando predominantemente narrativa, possui trama, quase sempre pouco definida, sem conflitos densos e personagens de pouca densidade psicológica. Os motivos, na maior parte, extrai do cotidiano imediato. Além do tipo narrativo, também pode ser do tipo argumentativo ou expositivo, como textos de opinião sobre temas diversos de diversas áreas. Conforme a esfera social que retrata, recebe o nome de crônica literária, policial, esportiva, política, jornalística, etc. COSTA, Sérgio Roberto. Dicionário de gêneros textuais. Belo Horizonte: Autêntica: 2008.

36 Características da crônica:
Língua Portuguesa, 6º Ano Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Características da crônica: Texto narrativo curto e com poucas personagens; As personagens não têm aprofundamento psicológico e são apresentadas em traços rápidos; O cronista explora temas do cotidiano; O enredo apresenta poucos fatos e eles acontecem em um curto espaço de tempo; O texto apresenta visão particular (subjetiva) do autor sobre os fatos que acontecem no cotidiano e pode ser escrito em primeira ou terceira pessoa do discurso. O autor procura dar um "tom" específico para sua crônica: humorístico, crítico, satírico, irônico, reflexivo ou de protesto.

37 Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. ATIVIDADE 12 Aula 8 Professor, após se familiarizarem com as características do gênero em tela, os alunos devem ser estimulados a produzir uma crônica. Esse trabalho pode ser feito individualmente, em duplas, em grupos ou de forma coletiva, dependendo da habilidade de escrita dos alunos. Para isso, o professor pode sugerir que os alunos escolham um fato cotidiano qualquer. Ele também pode levar jornais para a sala de aula e pedir que os estudantes selecionem uma notícia para fazer sua crônica a partir dela. Durante a atividade, os alunos devem ser constantemente lembrados das características da crônica. Quando os textos tiverem sido produzidos, deve ser feita a correção dos mesmos e os alunos devem ser convidados a reescreverem suas crônicas, fazendo a correção dos erros encontrados.

38 Referências Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Referências ABAURRE, M. L. Produção de texto: interlocução e gêneros. São Paulo: Moderna, 2007. COSTA, S. R. Dicionário de gêneros textuais. Belo Horizonte: Autêntica: 2008. MARCUSCHI, L.A Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A.P., MACHADO, A.R. e BEZERRA, M.A. Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005, p SARMENTO, L. L. Oficina de redação. São Paulo: Moderna, 2006. VERÍSSIMO, Érico. Clarissa. 50. ed. São Paulo: Globo, 1999. VERÍSSIMO, Luis Fernando. A Bola. Disponível em: < Acesso em: 02/06/2015. __________. Crônica e Ovo. Disponível em: <http://proflucimarlinguaportuguesa.blogspot.com.br/p/tudo-sobre redacao.html>. Acesso em: 02/06/2015.

39 Tabela de Imagens Língua Portuguesa, 6º Ano
Gêneros textuais: carta, convite, postal, diário e crônica. Tabela de Imagens Slide Autoria / Licença Fontes Data do Acesso  3 Wikipedia/Imagem: Carta. https://pt.wikipedia.org/wiki/Carta 26/06/2015  5 Home do filme Central do Brasil (Walter Salles, 1998). 26/06/2015 7 Vagalume/Imagens: Roberto Carlos, Renato Russo e Erasmo Carlos. 18 Somos perfeitas/ Imagem: Convite. 23 Conteudo relevante/ Imagem: cartão postal. https://conteudorelevante.wordpress.com/2008/08/08/cartoes-postais-01/ 30/06/2015 26 Cromimi/Imagem: Diário.


Carregar ppt "LÍNGUA PORTUGUESA Ensino Fundamental, 6º Ano"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google