A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Formação continuada 4º Encontro SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GUANAMBI DEPARTAMENTO DE ENSINO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Formação continuada 4º Encontro SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GUANAMBI DEPARTAMENTO DE ENSINO."— Transcrição da apresentação:

1 PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Formação continuada 4º Encontro SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GUANAMBI DEPARTAMENTO DE ENSINO

2 AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

3 Acionando conhecimentos prévios

4 Avaliar é??? “A avaliação é essencial à educação. Inerente e indissociável enquanto concebida como problematização, questionamento, reflexão sobre a ação”. “A avaliação é reflexão transformada em ação. Ação essa, que nos impulsiona para novas reflexões. Reflexão permanente do educador sobre a realidade, e acompanhamento, passo a passo do educando, na sua trajetória de construção de conhecimento”. Jussara Hoffmann

5 Vasconcellos O Para Vasconcellos (1995) “a avaliação é, na prática, um entulho contra o qual se esboroam muitos esforços para pôr um pouco de dignidade no processo escolar”. Diante dessa colocação, é significativa a percepção de uma avaliação pautada numa perspectiva transformadora, tendo como pano de fundo resgatar seu papel no contexto escolar. O

6 Perrenoud “ A avaliação da aprendizagem, no novo paradigma, é um processo mediador na construção do currículo e se encontra intimamente relacionada à gestão da aprendizagem dos alunos”.

7 Luckesi “Avaliar é o ato de diagnosticar uma experiência, tendo em vista reorientá-la para produzir o melhor resultado possível; por isso, não é classificatória, nem seletiva, ao contrário, é diagnóstica e inclusiva”.

8 Kraeme Para Kraemer (2006), avaliação vem do latim, e significa valor ou mérito ao objeto em pesquisa, junção do ato de avaliar ao de medir os conhecimentos adquiridos pelo individuo. É um instrumento valioso e indispensável no sistema escolar, podendo descrever os conhecimentos, atitudes ou aptidões que os alunos apropriaram. Sendo assim a avaliação revela os objetivos de ensino já atingidos num determinado ponto de percurso e também as dificuldades no processo de ensino aprendizagem.

9 Sant’Anna A valiação é Um processo pelo qual se procura identificar, aferir, investigar e analisar as modificações do comportamento e rendimento do aluno, do educador, do sistema, confirmando se a construção do conhecimento se processou, seja este teórico (mental) ou prático. (SANT’ANNA, 1998, p.29, 30). Partindo desse pressuposto, avaliação não consiste em só avaliar o aluno, mas o contexto escolar na sua totalidade, permitindo fazer um diagnóstico para sanar as dificuldades do processo de aprendizagem, no sentido teórico e prático.

10 FUNCÕES DA AVALIAÇÃO A avaliação nos diferentes espaços de produção do conhecimento, ocorre no decorrer de todo processo ensino aprendizagem. Dessa forma, pode-se falar em três modalidades de avaliação: diagnóstica, formativa e somativa.

11 Kraemer (2006) Avaliação Diagnóstica é baseada em averiguar a aprendizagem dos conteúdos propostos e os conteúdos anteriores que servem como base para criar um diagnóstico das dificuldades futuras, permitindo então resolver situações presentes. Nesse olhar, percebeu-se que o papel da avaliação diagnóstica, objetiva investigar os conhecimentos anteriormente adquiridos pelo educando, propiciando assim, assimilar conteúdos presentes que são partilhados no processo ensino aprendizagem.

12 Wachowicz e Romanowski destacam que: O A AVALIAÇÃO SOMATIVA manifesta-se nas propostas de abordagem tradicional, em que a condução do ensino está centrada no professor, baseia-se na verificação do desempenho dos alunos perante os objetivos de ensino estabelecidos no planejamento. Para examinar os resultados obtidos, são utilizados teste e provas, verificando quais objetivos foram atingidos considerando-se o padrão de aprendizagem desejável e, principalmente, fazendo o registro quantitativo do percentual deles. (WACHOWICZ e RAMANOWSKI, 2003, p. 124,125). O As autoras afirmam com propriedade que a avaliação somativa atrela-se diretamente a função classificatória, tendo como propósito verificar se os objetivos elencados no planejamento foram alcançados.

13 Na visão de Blaya Avaliação Formativa é: A forma de avaliação em que a preocupação central reside em coletar dados para reorientação do processo de ensino-aprendizagem. Trata-se de uma "bússola orientadora" do processo de ensino-aprendizagem. A avaliação formativa não deve assim exprimir-se através de uma nota, mas sim por meio de comentários. (BLAYA, 2007). Nesta perspectiva a autora mostra a importância da avaliação formativa, sendo um instrumento de coleta de dados, podendo assim reorganizar o processo de ensino e aprendizagem.

14 AVALIAÇÃO FORMATIVA O Os professores definem os objetivos com clareza ; O Os professores definem com clareza os critérios de correção; O Existe a preocupação em utilizar instrumentos diversificados em situações diversificadas; O Os resultados das avaliações servem de retroalimentação para o planejamento pedagógico; O Tem como foco a aprendizagem significativa; O Trata-se de um estudo de meta-avaliação

15 AVALIAÇÃO FORMATIVA O Principais características: O 1 – Avaliação com o propósito de servir à aprendizagem; O 2 – A avaliação como um processo contínuo, gradual, cumulativo e evolutivo, para saber até que ponto o aluno está atingindo os objetivos propostos; a importância do retorno constante, informando ao aluno seu rendimento;

16 AVALIAÇÃO FORMATIVA O 3 – Entendimento de que a avaliação é parte integrante do processo ensino/ aprendizagem; O 4 – Respeito às diferenças intelectuais dos alunos; O 5 – Importância da definição clara dos objetivos e critérios de correção de cada avaliação.

17 Avaliação Tradicional O Ênfase nos resultados; O Preocupação com o produto; O Classificatória; O O erro era visto como pecado, por isso devia ser punido; O Se constituía como fim/enfatiza a quantificação; O É quantitativa (baseia-se em número limitado de parâmetros, descritos em número; O Utilizava poucos instrumentos de avaliação (ênfase na prova) O É unilateral (com o foco só no aluno)

18 Avaliação Progressista/Mediadora O Diagnóstica (toda vez que se avalia se faz um diagnóstico) O O Ênfase no processo (não só no produto) O O erro é visto como tentativa de acerto (construção do conhecimento) O Se constitui como meio/enfatiza a descrição O É qualitativa (apóia-se em uma quantidade rica e detalhada de informações sobre o objeto a ser avaliado; é a dimensão do conhecimento do aluno; O Diversifica os instrumentos; O É no mínimo, bilateral (aluno e professor

19 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO È o detalhamento de um conteúdo nas mais variadas possibilidades de seu uso. → Só poderá ser verificado a partir de uma prática, cuja utilização do mesmo é imprescindível. → Quanto mais detalhado, maior a possibilidade do professor detectar a necessidade do aluno. BOZZA(2003)

20 O CONTEÚDO: SINAS DE PONTUAÇÃO Destaca sem confundir com acentuação, os sinais de pontuação no texto estudado; → Em leituras coletivas, procura respeitar o ritmo e o tom dados pelos sinais de pontuação; → Utiliza os sinais de pontuação em suas produções escritas. BOZZA(2003)

21 INSTRUMENTOS

22 COMO ELABORAR OS INSTRUMENTOS E ESTABELECER CRITÉRIOS?

23 EXEMPLO

24

25

26

27

28

29

30 PARA CASA… Pensando a AVALIAÇÃO como parte integrante do processo ensino-aprendizagem, posicione-se a respeito de como ela deve ser vivenciada na Rede Municipal de Ensino de Guanambi, considerando os seguintes aspectos: Concepção; Importância; Tipos; Instrumentos; Critérios.


Carregar ppt "PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Formação continuada 4º Encontro SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GUANAMBI DEPARTAMENTO DE ENSINO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google