A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GRUPO INTERDISCIPLINAR DE GESTÃO E EMPREENDIMENTO - GIGEMP – RJ - BR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GRUPO INTERDISCIPLINAR DE GESTÃO E EMPREENDIMENTO - GIGEMP – RJ - BR."— Transcrição da apresentação:

1 GRUPO INTERDISCIPLINAR DE GESTÃO E EMPREENDIMENTO - GIGEMP – RJ - BR

2 PETROBRÁS

3

4

5 Petrobras mantém contato com organizações nacionais e internacionais responsáveis pela vigilância, assistência e pesquisa sobre o vírus HIV. * tfca: número de acidentados por 1 milhão de homens-horas de exposição ao risco ** taf: número de fatalidades por 100 milhões de homens-horas de exposição ao risc

6 PETROBRÁS TAXA DE FREQUÊNCIA DE ACIDENTADOS COM AFASTAMENTO (TFCA) *ANO2004,2005,2006,2007,2008 * tfca: número de acidentados por 1 milhão de homens-horas de exposição ao risco

7 PETROBRÁS FATALIDADES:ANO2004,2005,2006,, Total TAXA DE ACIDENTADOS FATAIS (TAF) **ANO2004,2005,2006,2007,2008 ** taf: número de acidentados por 100 milhões de homens-horas de exposição ao risco

8 PETROBRÁS PERCENTUAL DE TEMPO PERDIDO (PTP)ANO2004,2005,2006,2007,2008, PTP2,572,482,062,192,31 * tfca: número de acidentados por 1 milhão de homens-horas de exposição ao risco ** taf: número de fatalidades por 100 milhões de homens-horas de exposição ao risco

9 PETROBRÁS INDICADORES DE SEGURANÇA E SAÚDE O Sistema Corporativo de Registro de Acidentes (Sisin) monitora as operações da companhia por meio de um sistema que integra todas as informações da área de segurança. Por meio do Sisin são consolidados os indicadores para os acidentes com lesão de empregados e contratados e gerados relatórios para acompanhamento e controle de acidentes, ocorrências anormais e custos envolvidos. Os padrões de segurança adotados pela Petrobras até mesmo ultrapassam, em alguns casos, exigências da legislação brasileira. Visando a atingir padrões de segurança que coloquem a companhia no mesmo nível das melhores empresas do mundo do setor de óleo e gás, foi estabelecido, por exemplo, um limite máximo admissível de 0,5% para a Taxa de Frequência de Acidentados com Afastamento (TFCA) para 2010, incluindo empregados próprios e de empresas prestadoras de serviços, o que representa um nível de excelência internacional

10 Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro

11

12

13 CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL EM TÉCNICAS DE VACINAÇÃO Coordenação Geral : Prof.MSc. Manoel Pedro Côrtes COORDENAÇÃO TÉCNICA ENF. NATASHA ESTÉFANE COTGNOLA RODRIGUEZ

14 delegis/anvisa/2011/res0059_09_1 1_2011.html Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária delegis/anvisa/2011/res0059_09_1 1_2011.html

15 RESOLUÇÃO - RDC Nº 59, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2011 Art. 3º As vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil a partir de fevereiro de 2012 deverão conter, obrigatoriamente, três tipos de cepas de vírus em combinação, e deverão estar dentro das seguintes especificações: I - um vírus similar ao vírus influenza A/California/7/2009 (H1N1); II - um vírus similar ao vírus influenza A/Perth/16/2009 (H3N2); e III - um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/ 60/2008

16 Pandemic Influenza Vaccine

17 Agora, é sobre a vacina: segundo as pessoas que estão trabalhando arduamente para impedir este genocídio em massa do planeta, ela tem mercúrio e óleo de esqualeno, que são altamente tóxicos. É verdade que a vacina contra a gripe H1N1 contém mercúrio, mas ele não é o metilmercúrio, o mercúrio assassino é sim: "...o etilmercúrio, um conservante que mantém a vacina própria para uso depois que o frasco foi aberto. Toda vacina que vem em frascos de múltiplas doses tem esse conservante.

18 Pandemic Influenza Vaccine É o mesmo doutor Renato Grinbaum que comenta sobre o óleo de esqualeno contido na vacina: "... é uma substância natural produzida por plantas, animais e até seres humanos. Todas as pessoas já têm esqualeno em seu organismo: ele é produzido pelo fígado e se espalha pelo sistema circulatório. O esqualeno é adicionado para melhorar a eficácia de diversas vacinas experimentais

19 VACINA CONTRA GRIPE A vacina contra os vírus da gripe ou influenza é composta de vírus inativados, (cepas A/Sydney/5/97(H3N2), A/Beijing/262/95(H1N1) e B/Beijing/184/93 (a mais usada é a B/Harbin/7/94) purificados e cultivados em células de ovo de galinha. Cada vacina contém 15 µg de hemaglutininas de cada cepa viral, timerosal, solução salina e traços de neomicina ou gentamicina. Deve ser conservada em geladeira entre +2 e +8ºC, não devendo ser congelada.

20 VACINA CONTRA GRIPE Os anticorpos formam-se cerca de 10 a 15 dias após a vacinação e raramente duram mais que 12 meses. Estudos referentes à eficácia da vacina em idosos e publicados nos últimos 20 anos, revelaram os seguintes resultados: 56% de redução das doenças respiratórias, 53% de redução de pneumonias, 50% de eficácia para evitar hospitalização e 68% de eficácia para evitar a morte.

21 VACINA CONTRA GRIPE Deverão ser vacinadas todas as pessoas com 65 ou mais anos de idade, com uma dose anual de 0,5 ml, pela via subcutânea ou intramuscular, de preferência no outono, ou seja nos meses de abril ou maio. Os reforços devem ser anuais, uma vez que a mutação viral é muito freqüente. A vacina está contra-indicada para os indivíduos que desenvolveram anafilaxia às doses anteriores, indivíduos alérgicos ao ovo de galinha e para os portadores de imunodeficiência ou neoplasias malígnas.

22 VACINA CONTRA GRIPE As manifestações locais da vacina são: dor, edema, eritema e enduração. Entre as manifestações sistêmicas incluem-se a febre, mal estar e mialgia. Esta vacina pode ser aplicada junto com outros imunobiológicos, embora deva ser adiada a vacinação durante a evolução de doenças febris agudas graves.

23 VACINA CONTRA GRIPE A proteção está relacionada apenas às cepas de vírus influenza que compõem a vacina ou cepas que apresentem analogia antigênica. Infecções respiratórias provocadas por outros agentes infecciosos, mesmo com sintomas semelhantes à gripe, não serão evitados pela vacina.

24 VACINA CONTRA GRIPE

25

26

27

28

29 Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro

30 Polemicas e Controvérsias Quanto às 8 RAZÕES PQ VC Ñ DEVERIA TOMAR A VACINA H1N1.. A vacina H1N1 contém mercúrio -... Já comentado.. Ela contém esqualeno,... Já comentado.. Ela contém células de câncer de animal que pode provocar câncer nas pessoas! É verdade que laboratórios passaram a testar o uso de cães para fabricar a vacina em lugar dos tradicionais ovos de galinha. Com a nova tecnologia, vacinas seriam preparadas mais rapidamente. Daí a dizer que a vacina contém células cancerosas de animais é uma longa história.. Até o governo federal não está confiante quanto à segurança da vacina H1N1 é por isso que foi dada às indústrias farmacêuticas imunidade contra ações judiciais..

31 Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro

32 Feedback da FIOCRUZ 12 abr (4 dias atrás) para mim Boa tarde Prof. Cortes, Me informei junto ao CRIE do nosso Instituto e ainda não recebemos a vacina contra gripe neste ano. A entrega está programada para fim de maio e por isso ainda não temos nem bula nem os possíveis fabricantes. Porém, pela a RDC 59 de 9 de novembro de 2011, a ANVISA determinou que a vacina deste ano deve conter tres cepas de virus: " As vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil a partir de fevereiro de 2012 deverão conter, obrigatoriamente, três tipos de cepas de vírus em combinação, e deverão estar dentro das seguintes especificações: I - um vírus similar ao vírus influenza A/California/7/2009 (H1N1);II - um vírus similar ao vírus influenza A/Perth/16/2009(H3N2); eIII - um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008". Conversando com a enfermeira responsável pelo nosso CRIE, ela me informou que talvez os postos de saúde recebam a vacina antes que nós e portanto poderiam lhe fornecer os possíveis fabricantes e bula. Para saber estas informações o contato é SMS-RJ: fone Espero ter ajudado, Att

33 Gripe Aviária: fórum reacende debate para sensibilizar governo

34 Histórico – Mestre em ecologia e gestor deste sistema de detecção elaborado para o Brasil, Joel Meyer, filho do diretor do Imecc, lembra que o vírus H5N1 apareceu e começou a causar problemas em 2003, na China, e já se espalhou por boa parte da Ásia, por quase todos os países da Europa e chegou inclusive a alguns países da África. Durante algum tempo, as autoridades não levaram muito a sério o papel das aves migratórias na dispersão do vírus. Até que a FAO e a OIE (Organização Mundial para a Saúde Animal), este ano, promoveram uma convenção com pesquisadores do mundo inteiro, concluindo que essas aves realmente representam o principal vetor de macrodispersão do vírus H5N1, informa. Outras formas de transmissão do vírus seriam o transporte de aves vivas – como no contrabando de animais silvestres – e a sua presença na bagagem de viajantes. Mas, para esses casos, já existe o detector de material biológico em aeroportos e fronteiras. Difícil é controlar a movimentação das aves migratórias, para elas não há fronteiras, acrescenta J. Meyer.

35 Gripe Aviária: fórum reacende debate para sensibilizar governo O mapa da FAO, segundo Joel Meyer, mostra claramente que as aves migratórias cobrem praticamente todo o globo, ou seja, que todos os países correm o risco de receber a influenza aviária. Acontece que este mapa é um pouco eurocêntrico. Ele não leva em consideração uma rota muito importante, formada por mais de 60 espécies de aves com área de vida ao redor da Antártica, que por sua vez conecta os continentes da Oceania, África e América do Sul.

36 Gripe Aviária: fórum reacende debate para sensibilizar governo Algumas espécies têm área de vida que chega à Europa e Ásia, e voltam para se reproduzir em ilhas sub-antárticas, explica. Para algumas dessas ilhas próximas à América do Sul, entre agosto e novembro, descem espécies vindas de diversos pontos do globo, e muitas depois voam para o Brasil. Ao traçarmos esta nova rota ao redor da Antártica, que se liga às demais rotas das aves migratórias, mostramos que o vírus pode chegar não apenas pelo Norte, mas também pelo Sul

37 Gripe Aviária: fórum reacende debate para sensibilizar governo

38 Os Institutos de Matemática e de Biologia da Unicamp, a Unisinos e a Embrapa Meio Ambiente estão aptos há meses a colocar em prática o Sistema de detecção extracontinental de influenza aviária, que visa a entrada do vírus H5N1 – causador da situação calamitosa na Ásia e Europa – e de outros vírus menos letais pela rota da Antártica, trazidos por aves migratórias. No intuito de sensibilizar o governo federal a dar o sinal verde para o início das operações, a Unicamp vai sediar um fórum internacional neste dia 16, com convites aos ministérios da Saúde, Agricultura, Meio Ambiente e ao CNPq, a secretarias e órgãos estaduais da região Sul e a representantes do setor de produção avícola, bem como a autoridades da Argentina, Chile e Uruguai, países igualmente interessados em conter a influenza aviária

39 Gripe Aviária: fórum reacende debate para sensibilizar governo Desde a reunião técnica de março na Unicamp, com matemáticos, biólogos, veterinários e ornitólogos – e detalhada pelo Jornal da Unicamp na edição 317 –, o programa de detecção do vírus da influenza aviária passou por aprimoramentos. Mas João Meyer relembra os pontos essenciais do plano, começando pela coleta de amostras das espécies de aves migratórias que chegam ao Brasil pela rota da Antártica. Esse material vai ser inativado, a fim de tornar um possível vírus inerte, antes do transporte para análise em Campinas. Esta análise deverá ficar por conta do Lanagro [Laboratório Nacional de Agrope-cuária], órgão do governo, e servirá para identificar a existência ou não do vírus H5N1 e de outros como o Newcastle, diz o professor.

40 Gripe Aviária: fórum reacende debate para sensibilizar governo Os pesquisadores da Unisinos, chefiados pelo professor Martin Sander, já implantaram anéis ou microchips em cerca de 20 mil aves no continente antártico, sendo que espécies por eles anilhadas já foram encontradas em quase todo o litoral brasileiro. Havendo algum vírus nas amostras, os ornitólogos saberão a espécie e os pontos que freqüenta em nosso território. Por exemplo: se no começo do ano a ave faz a primeira pousada no litoral gaúcho, pode-se prever que em maio estará no litoral do Espírito Santo. O modelo matemático permite antever aonde as tarefas de prevenção e contenção do vírus devem ser centralizadas. Assim, o governo poderá estabelecer estratégias, ações ou políticas de contingenciamento, como vacinar todas as aves em determinado raio, explica João Meyer.

41 Errar na aplicação de uma vacina, quais as consequências? A aplicação da vacina da febre amarela, pelo que eu sei, é subcutânea. O que pode acontecer se ela for aplicada intramuscular?

42 Errar na aplicação de uma vacina, quais as consequências? A vacina contra a febre amarela preferivelmente deve ser aplicada por via subcutânea, a aplicação por via intramuscular pode ser usada também, mas não é a preferencial. A resposta imunológica não será afetada. A aplicação intramuscular pode causar hematomas no local de aplicação, é improvável que cause necrose muscular. Não é necessário uma nova aplicação, apenas o reforço após 10 anos. Se a pessoa tiver alergia a OVO pode ocorrer choque anafilático tanto na aplicação intramuscular quanto na aplicação subcutânea. Se desejar mais informações pode e deve consultar um especialista. Tenha um Boa Sorte.

43 Errar na aplicação de uma vacina, quais as consequências? Via de administração:A VACINA CONTRA FEBRE AMARELA (VÍRUS ATENUADOS) deve ser administrada preferencialmente por via subcutânea. A administração por via intramuscular pode ser praticada de acordo com as recomendações oficiais aplicáveis. Não deve ser administrada por via intramuscular em pessoas que sofrem de distúrbios do sistema sangüíneo como a hemofilia, a trombocitopenia (diminuição dos fatores de coagulação) ou em pessoas tratadas com anticoagulantes, pois a injeção por via intramuscular pode causar hematomas no local da aplicação. No caso de administração por via intramuscular, os locais de aplicação recomendados são a região ântero-lateral da coxa nos lactentes e nas crianças pequenas e no músculo deltóide nas crianças mais velhas e nos adultos

44 Vacinas em Crianças Procedimentos

45 Vacina é Algo Sério! sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 Duas novas imunizações injetáveis – antipoliomielite e pentavalente. O Governo Federal do Brasil introduzirá duas novas imunizações injetáveis – antipoliomielite e pentavalente. Atualmente, o esquema vacinal infantil conta com a vacina antipólio administrada via oral (também conhecida como gotinha), e com a tetravalente, que confere imunidade contra quatro doenças, a saber: difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus influenzae B, administrada via intramuscular

46 Vacina é Algo Sério! A introdução das novas vacinas representa mais um dos avanços do Programa Nacional de Imunização (PNI), pois a vacina contra a poliomielite será feita com o vírus inativado e será aplicada em crianças que estão no início do calendário de vacinação, o que reduz riscos de possível contágio pela doença. Já a pentavalente, amplia a cobertura vacinal com a aplicação da vacina contra Hepatite B na mesma dose, o que diminui o número de aplicações a que a criança se submete.

47 Vacina é Algo Sério! Segundo Jarbas Barbosa, Secretário de Vigilância em Saúde, as doses injetáveis não irão abolir as gotinhas, mas, será adotada a vacinação combinada como uma fase de transição, ou seja, as duas vacinas estarão no calendário de forma sequencial, sendo a injetável aplicada aos dois e aos quatro meses de idade, e os reforços aos seis e 15 meses serão administrados por dose oral. OBS: Fique atento ao novo calendário

48 Vacina é Algo Sério! VACINA DA GRIPE INTRAMUSCULAR A vacina da gripe é reformulada anualmente de acordo com a recomendação da Organização Mundial de Saúde devido às constantes variações do vírus influenza. A vacinação deve ser realizada anualmente, de preferência no período que antecede a maior circulação do vírus influenza. A vacina é recomendada a partir de seis meses de idade e é administrada por via intramuscular. VACINA DA GRIPE INTRAMUSCULAR A vacina da gripe é reformulada anualmente de acordo com a recomendação da Organização Mundial de Saúde devido às constantes variações do vírus influenza. A vacinação deve ser realizada anualmente, de preferência no período que antecede a maior circulação do vírus influenza. A vacina é recomendada a partir de seis meses de idade e é administrada por via intramuscular.

49 Vacina é Algo Sério! Vacina contra a Gripe Intramuscular Quem pode se vacinar Vacina Intramuscular Quem pode se vacinar ??????? Quem pode se vacinar

50 IMPORTÂNCIA DO DESCARPACK

51

52

53 IMPORTÂNCIA DO DESCARPACK E OS PÉRFUROS CORTANTES

54

55 Quem pode se vacinar ? Quem pode se vacinar Indivíduos a partir de 6 meses de idade podem se vacinar com a vacina intramuscular. Caso estejam gripados ou resfriados, é recomendado aguardar uma melhora para que nenhum sintoma da gripe seja confundido com reação da vacina. Esta vacina não deve ser utilizada em mulheres grávidas sem orientação médica

56 O Profissional de Enfermagem Partindo do princípio de que o cuidar do corpo humano exige, necessariamente, um olhar para a dimensão total do ser, inclusive de sua essência existencial, conseguimos visualizar a importância e necessidade do profissional de Enfermagem dentro do contexto da saúde. A Enfermagem é uma profissão que tem mostrado compromisso com a coletividade e a saúde do ser humano, participando com dignidade, competência, humildade e responsabilidade dos processos a ela relacionados.

57 O Profissional de Enfermagem

58 O Profissional Enfermeiro Partindo do princípio de que o cuidar do corpo humano exige, necessariamente, um olhar para a dimensão total do ser, inclusive de sua essência existencial, conseguimos visualizar a importância e necessidade do profissional de Enfermagem dentro do contexto da saúde. A Enfermagem é uma profissão que tem mostrado compromisso com a coletividade e a saúde do ser humano, participando com dignidade, competência, humildade e responsabilidade dos processos a ela relacionados.

59 O Profissional de Enfermagem Trabalha atuando na proteção e no processo de recuperação da saúde com a ética legal. Suas ações são no sentido de satisfazer as necessidades referentes à saúde da população. O Enfermeiro mais do que mero coadjuvante, é agente ativo e indispensável no processo de cura. O enfermeiro já foi visto como um profissional que fazia parte da equipe de um hospital apenas para cuidar do paciente, e é claro que essa é uma função básica do profissional. Contudo, abriram-se outros campos de trabalho, especialmente com a criação do SUS e com o Programa Saúde da Família. Hoje, são mais de cinco mil equipes no Brasil e um dos integrantes da equipe é o enfermeiro, de presença obrigatória. Isso criou um campo bastante amplo e levou, também, a uma nova forma de entender o papel desse profissional. O enfermeiro de agora é alguém que, além da assistência ou o do cuidado direto ao paciente, exerce coordenação de equipes, porque tem uma visão ampla da área da saúde, está preparado para discutir quais são os determinantes e os condicionantes ligados à questão de adoecer e morrer da população brasileira. O enfermeiro não lida só com a assistência a partir da doença, lida, também, com a promoção da saúde.

60 COREN SP : HÁ LEGISLAÇÃO QUE OBRIGUE O USO DE UNIFORME E SAPATOS ESPECÍFICOS PELO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM? Não. A obrigatoriedade do uso de uniformes está incluída entre as condutas e posturas profissionais de competência da Instituição e do Enfermeiro Responsável Técnico, que o definem por meio de Regimento Disciplinar Interno. Devendo, a Instituição, respeitar o que determina a NR-32, como, por exemplo, vedar o uso de adornos e calçados abertos pelos funcionários. Esta mesma norma determina que a vestimenta de trabalho deve ser adequada e em condições de conforto para todos os trabalhadores com possibilidade de exposição a agentes biológicos.

61 O USO DE UNIFORME E SAPATOS ESPECÍFICOS PELO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM

62

63 Caminhos da Enfermagem ACORDEM!!!!!

64 Gesto Vacinal 2012

65 ANVISA

66 ANVISA Associação Nacional de Vigilância Sanitária - Resolução de Diretoria Colegiada RDC - Nº 59, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2011

67 RESOLUÇÃO - RDC Nº 59, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil no ano de RESOLUÇÃO - RDC Nº 59, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil no ano de A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o inciso IV do art. 11 do Regulamento aprovado pelo Decreto nº 3.029, de 16 de abril de 1999, e tendo em vista o disposto no inciso V e nos §§ 1º e 3º do art. 54 do Regimento Interno aprovado nos termos do Anexo I da Portaria nº 354 da ANVISA, de 11 de agosto de 2006, republicada no DOU de 21 de agosto de 2006, em reunião realizada em 8 de novembro de 2011, adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretora-Presidente Substituta, determino a sua publicação:

68 RESOLUÇÃO - RDC Nº 59, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil no ano de Art. 1º As vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil no ano de 2012 somente poderão ser produzidas, comercializadas ou utilizadas se atenderem às determinações e composições estabelecidas nesta Resolução.

69 Resolução de Diretoria Colegiada Art. 2º É vedada a utilização de quaisquer outras cepas de vírus em vacinas influenza no Brasil, e aquelas atualmente comercializadas ou fabricadas fora destas determinações deverão ser retiradas do mercado.

70 Resolução de Diretoria Colegiada Art. 3º As vacinas influenza a serem utilizadas no Brasil a partir de fevereiro de 2012 deverão conter, obrigatoriamente, três tipos de cepas de vírus em combinação, e deverão estar dentro das seguintes especificações: I - um vírus similar ao vírus influenza A/California/7/2009 (H1N1); II - um vírus similar ao vírus influenza A/Perth/16/2009 (H3N2); e III - um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/ 60/2008

71 Resolução de Diretoria Colegiada Art. 4º Considerando que as cepas recomendadas para o ano de 2012 são as mesmas recomendadas para o ano de 2011, as empresas que tiveram a alteração pós-registro "PRODUTO BIOLÓGICO Atualização de cepa de produção de vacina contra a gripe,"aprovada no ano de 2011 estão dispensadas de nova avaliação da Anvisa para o ano de 2012.

72 Resolução de Diretoria Colegiada Art. 5º O descumprimento das disposições contidas nesta Resolução constitui infração sanitária, nos termos da Lei n , de20 de agosto de 1977, sem prejuízo das responsabilidades civil, administrativa e penal cabíveis.

73 Resolução de Diretoria Colegiada Art. 6º Esta Resolução da Diretoria Colegiada entra em vigor na data de sua publicação. MARIA CECÍLIA MARTINS BRITO Fonte: Anvisa -2012

74 CaminhosdaEnfermagem

75 O RIO DE JANEIRO

76

77 Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro AGRADECEMOS : A Confiança da empresa Petrobrás,que pelo terceiro ano consecutivo permite nos convidando a prestarmos serviços em mais um Gesto Vacinal. Agradecemos também, a Equipe de Vacinadores do GIGEMP, que também pelo 3º ano consecutivo,nos é parceira neste evento junto a Empresa Petrobrás.

78 GRUPO INTERDISCIPLINAR DE GESTÃO E EMPREENDIMENTO - GIGEMP – RJ - BR Responsabilidade Social é Nosso Lema Enf. Natasha Estéfane Cotgnola Rodriguez Prof..MSc Manoel Pedro Côrtes

79 ANEXOS 1)ENDEREÇOS: LOCAIS POSSÍVEIS 2)CONTRATOS: MODELOS 2.1) P/ENFERMEIROS E 2.2)TÉCNICOS ASSINATURA NO DIA DA PALESTRA DA PETROBRÁS 3) PAGAMENTO: APÓS A PETROBRÁS EFETIVAR PAGAMENTO JUNTO A CRUZ VERMELHA BRASILEIRA – FERJ 4) MODELO DE CONTROLE: Acompanhamento realizado diariamente para PAGAMENTO em 2011.

80 ANEXO 2.1 MODELO DE CONTRATO P/ENFERMEIROS GESTO VACINAL 2012 Contrato de Prestação de Serviços Pela presente fica estabelecido o contrato de prestação de serviços de vacinação no Projeto intitulado: Gesto Vacinal entre a Petrobras e a Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro. O ENFERMEIRO(A) RECEBERÁ A QUANTIA DE R$ 120,00 (cento e vinte reais) POR DIA DE ATUAÇÃO NO GESTO VACINAL DA VACINA H1N1, perfazendo-se no máximo 10 dias caso atue integralmente, isto ao "Término do Evento", nos locais pré estabelecidos pela Petrobrás e acordado pelos mesmos profissionais, nesta data, do corrente ano,após reunião na sede da Petrobrás à Rua Gal. Canabarro nº 500, no bairro do Maracanã, nesta cidade. OBS: Inclua-se neste. Acréscimo de R$ 20,00 pertinentes a passagem e refeição no período em questão. Para tanto firma-se o presente contrato; (Prestador do Serviço Autônomo), Enfermeiro(a) COREN Nº e (Pela Contratante), Cruz Vermelha Brasileira - Filial do Estado do Rio de Janeiro, O Presidente, Luis Alberto Lemos Sampaio. Rio de Janeiro, de março de 2012 MPC/mpc

81 ANEXO 2.2 MODELO DE CONTRATO P/ TÉCNICOS(AS) DE ENFERMAGEM GESTO VACINAL 2012 Contrato de Prestação de Serviços Pela presente fica estabelecido o contrato de prestação de serviços de vacinação no Projeto intitulado: Gesto Vacinal entre a Petrobras e a Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro. O TÉCNICO (A) DE ENFERMAGEM RECEBERÁ A QUANTIA DE R$ 80,00 (oitenta reais) POR DIA DE ATUAÇÃO NO GESTO VACINAL DA VACINA H1N1, perfazendo-se no máximo 10 dias caso atue integralmente, isto ao "Término do Evento", nos locais pré estabelecidos pela Petrobrás e acordado pelos mesmos profissionais, nesta data, do corrente ano,após reunião na sede da Petrobrás à Rua Gal. Canabarro nº 500, no bairro do Maracanã, nesta cidade. OBS: Inclua-se neste. Acréscimo de R$ 20,00 pertinentes a passagem e refeição no período em questão. Para tanto firma-se o presente contrato; (Prestador do Serviço Autônomo), Enfermeiro(a) COREN Nº e (Pela Contratante), Cruz Vermelha Brasileira - Filial do Estado do Rio de Janeiro, O Presidente, Luis Alberto Lemos Sampaio. Rio de Janeiro, de março de 2012 MPC/mpc

82 ANEXO 1 LISTA DE ENDEREÇOS EDISE - Av. República do Chile, 65 - Centro, Rio de Janeiro, RJ EDIHB - Rua General Canabarro, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ OURO NEGRO - Rua Morais e Silva, 40 - Maracanã, Rio de Janeiro, RJ CITYTOWER - Rua da Carioca, 10 - Centro, Rio de Janeiro, RJ METROPOLITAN - Av. República do Chile, Centro, Rio de Janeiro, RJ TELEPORTO - Av. Presidente Vargas, Cidade Nova, Rio de Janeiro, RJ TORRE DO ALMIRANTE / CASTELO OFFICE - Av. Almirante Barroso, 81 - Centro, Rio de Janeiro, RJ RIO BRANCO 1 - Av. Rio Branco 1 - Centro, Rio de Janeiro, RJ BANCO DO BRASIL - Rua Lélio Gama Centro, Rio de Janeiro, RJ SULACAP - Rua da Alfândega, 41 - Centro, Rio de Janeiro, RJ VENTURA - Av. República do Chile, Centro, Rio de Janeiro, RJ CIDADE NOVA - Rua Júlio do Carmo Estácio, Rio de Janeiro, RJ COMPERJ - Av. Gleba Vargem Grande, Lote Sambaetiba, Itaboraí, RJ Obs: FAVOR ENVIAR OS DADOS DO TÉCNICO DE ENFERMAGEM QUE VAI ATUAR NO COMPERJ

83 xxxxxxxxx xxxxxx 2ª FEIRA3ª FEIRA4ª FEIRA5ª FEIRA6ª FEIRA FREQUE NCIA xxxxxxxxx xxxxxx ok xxxxxxxxx xxxxxx ok xxxxxxxxx xxxxxx ok xxxxxxxxx xxxxxx ok Total à Pagar R$ LISTA DE ENFERMEIROS DO GESTO VACINAL PETROBRAS Enf. Elizângela Gentiluce – Período de 03 à 06 de maio - 1ª Semana Coren: PR É DIO: PETROBR Á S EDISE Av. Rep ú blica do Chile,65

84 xxxxxxxxxx xxxxx 2ª FEIRA3ª FEIRA4ª FEIRA5ª FEIRA6ª FEIRA FREQUE NCIA xxxxxxxxxx xxxxx OK xxxxxxxxxx xxxxx OK xxxxxxxxxx xxxxx OK xxxxxxxxxx xxxxx OK xxxxxxxxxx xxxxx 0K Total à Pagar LISTA DE ENFERMEIROS DO GESTO VACINAL PETROBRAS Enf. Elizângela Gentiluce – Período de 09 à 13 de maio - 2ª Semana Coren: FONTE: PETROBRÁS / GIGEMP ANO:2011

85 RECOMENDAÇÕES DA PETROBRÁS Perguntas frequentes: Por que as pessoas devem ser vacinadas todo ano? A proteção da vacina inicia-se em torno de duas semanas após sua aplicação e tem efeito até os quatro meses seguintes. Depois deste período, há uma queda da proteção, que pode variar de pessoa para pessoa. Além disso, devido a alterações que ocorrem no vírus, é preciso preparar uma nova vacina a cada temporada de gripe. Por isso, torna-se necessário tomar a vacina antigripal anualmente. Quem pode tomar a vacina? A aplicação pode ser feita em pessoas a partir dos 6 meses de idade. Gestantes podem ser vacinadas? Gestantes a partir do segundo trimestre podem tomar a vacina, desde que apresentem prescrição médica. Pessoas que tiveram dengue ou febre amarela podem ser vacinadas? Sim, pessoas que tiveram dengue e febre amarela podem ser vacinadas, mas aquelas que estão com estas doenças não podem tomar a vacina. Quais são as contraindicações? Pessoas com alergia a ovo, que já tiveram reação alérgica a este tipo de vacina ou em estado febril (temperatura acima de 37,5º C) não podem ser vacinadas..

86 RECOMENDAÇÕES DA PETROBRÁS Quais as possíveis reações adversas? São reações leves, como dor e vermelhidão no local da aplicação nas primeiras 72 horas. Qual o custo da vacina? No caso dos empregados e contratados, a Petrobras arcará com o custo. No caso dos aposentados, pensionistas e dependentes, será debitado o valor de custo da vacina (R$ 16,55) no contracheque. O empregado que se vacinar fora da Petrobras poderá obter reembolso? Não será possível obter reembolso, caso o empregado prefira se vacinar fora da Petrobras. Quais os documentos necessários para se vacinar num dos postos montados pela Petrobras? - Empregados e aposentados: apresentar o crachá. - Contratados: apresentar o crachá e o CPF. - Dependentes maiores de 8 anos e pensionistas: apresentar carteirinha da AMS e documento de identidade. Obs: - Dependentes menores de 8 anos: apresentar carteirinha da AMS, documento de identidade, carteira de vacinação e prescrição médica da vacina antigripal ou comprovante de que já tomou esta vacina no ano anterior. Sem esta prescrição ou comprovante a vacina não poderá ser aplicada na criança.

87 ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS Serviços de Enfermeiro e Técnico de Enfermagem para atuar na Campanha de Vacinação Antigripal Objeto

88 1 – OBJETO Serviços de Enfermeiro e Técnico de Enfermagem para atuar na Campanha de Vacinação Antigripal – LOCAIS PARA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS 2.1 – Os serviços deverão ser executados nos edifícios apoiados pela Regional Sudeste dos Serviços Compartilhados no Rio de Janeiro:. EDISE – Edifício Sede da Petrobras - Centro - RJ EDIHB – Edifício Horta Barbosa - Maracanã - RJ CASTELO – Edifício Castelo Office - Centro - RJ DICIN – Edifício Cidade Nova - Cidade Nova - RJ DIVEN – Edifício Ventura - Centro - RJ METROPOLITAN – Edifício Metropolitan - Centro - RJ CITY TOWER – Edifício City Tower - Centro - RJ SULACAP – Edifício Sulacap - Centro - RJ TELEPORTO – Edifício Teleporto - Cidade Nova - RJ RB1 – Edifício RB1 - Centro – RJ COMPERJ – Itaboraí – RJ SEDAN – Edifício Banco do Brasil – Centro - RJ

89 3 – DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS CONTRATADOS 3.1 – Deverão ser realizados serviços de aplicação de vacina, conforme as especificações da mesma, registro da aplicação em formulário próprio e orientação aos usuários em relação às dúvidas que porventura surgirem. 3.2 – A aplicação das vacinas deverá ser realizada por profissionais habilitados para essa atividade, conforme as normas técnicas da ANVISA e a Lei do Exercício Profissional de Enfermagem nº 7498/ – A CONTRATADA deverá responder por todas as informações, esclarecimentos de dúvidas e orientações sobre eventuais efeitos adversos da vacina a todos os vacinados durante a campanha.

90 Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado do Rio de Janeiro


Carregar ppt "GRUPO INTERDISCIPLINAR DE GESTÃO E EMPREENDIMENTO - GIGEMP – RJ - BR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google