A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Pascal. ÍNDICE 01 - Introdução ao curso 02 - O que é um programa? 03 - Instalando o ambiente 04 - Saída 05 - Variáveis 06 - Entrada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Pascal. ÍNDICE 01 - Introdução ao curso 02 - O que é um programa? 03 - Instalando o ambiente 04 - Saída 05 - Variáveis 06 - Entrada."— Transcrição da apresentação:

1 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Pascal

2 ÍNDICE 01 - Introdução ao curso 02 - O que é um programa? 03 - Instalando o ambiente 04 - Saída 05 - Variáveis 06 - Entrada 07 - Manipulação de números 08 - Manipulação de textos 09 - Estruturas condicionais 10 - Estruturas de repetição 11 - Vetores 12 - Matrizes 13 - Procedimentos 14 - Funções 15 - Recursividade 16 - Registros 17 - Manipulação de arquivos

3 INTRODUÇÃO AO CURSO Com muito orgulho o Computação Depressão inicia seu primeiro curso: Lógica de Programação. O curso será lançado simultaneamente para aprendizado nas linguagens C e Pascal. Todos os vídeos serão lançados no Youtube e dispostos no site. Também haverá um fórum para se tirar dúvidas das aulas do curso. Cursos: Fórum: Bons estudos!

4 SOBRE A LINGUAGEM PASCAL Criada pelo suíço Niklaus Wirth em Recebeu este nome em homenagem ao matemático Blaise Pascal. Utilizada no ensino de programação. Com o Object Pascal, ou Delphi, emprega muitos em empresas de desenvolvimento de sistemas. Facilitadora no aprendizado da sintaxe da linguagem SQL, utilizada em bancos de dados. É uma linguagem de alto nível e não é case sensitive. Linguagem que impõe restrições, minimizando a chance de erros.

5 PALAVRAS RESERVADAS absolute abstract alias and array as asm assembler begin case cdecl class const constructor cppdecl default destructor dispinterface dispose div do downto else end except exit export exports external false far far16 file finalization finally for forward function goto if implementation in index inherited initialization inline interface is label library local mod name near new nil nostackframe not object of oldfpccall on operator or out override packed pascal private procedure program property protected public published raise read record register reintroduce repeat resourcestring safecall self set shl shr softfloat stdcall string then threadvar to true try type unit until uses var virtual while with write xor

6 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Estruturas de repetição, ou também chamadas de laços, são formas que temos para repetir um determinado conjunto de operações em nosso programa. Existem dois tipos de estruturas de repetição: Determinadas Indeterminadas Estruturas de repetição determinadas possuem uma quantidade predefinidas de vezes para serem executadas. Estruturas de repetição indeterminadas ficam em constante execução enquanto uma condição for satisfeita, podendo parar a qualquer momento, ou nunca parar, resultando num loop infinito.

7 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO DETERMINADAS Em Pascal, utilizamos a estrutura FOR-TO-DO para realizarmos nossas estruturas de repetição determinadas. Estrutura: | for variável := valor_início to valor_fim do [...]; Legenda: variável: variável que terá seu valor atualizado a cada repetição. valor_início: valor inicial dessa variável. valor_fim: valor final dessa variável. [...]: conjunto de operações que serão executadas.

8 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO DETERMINADAS Exemplo: | num: integer; | for num := 1 to 5 do [...]; Explicação: Este bloco repetirá 5 vezes. Como sabemos disso? Ele será repetido desde o valor 1 até o valor 5. Entre o 1 e 5 temos 5 números: 1, 2, 3, 4 e 5. Portanto, ele será repetido 5 vezes, e a variável NUM receberá estes valores a cada repetição. Ou seja, ela é incrementada em 1 a cada repetição.

9 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO DETERMINADAS Exemplo: | num: integer; | for num := 1 to 5 do writeln(num); Explicação: O bloco a ser executado não muda. Durante 5 vezes ele executará a função WRITELN, com a variável NUM como parâmetro. Ou seja, será impresso na tela , em cada linha.

10 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO DETERMINADAS Exemplo: | num: integer; | for num := 5 downto 1 do [...] ; Explicação: Assim como podemos fazer um laço incrementando o valor da variável, podemos fazer uma espécie de contagem regressiva, decrementando o valor da variável. Para isso, utilizamos DOWNTO no lugar de TO.

11 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO DETERMINADAS Exemplo: | num: integer; | for num := 5 downto 1 do writeln(num); Explicação: Dessa vez, será impresso na tela , em cada linha.

12 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO INDETERMINADAS Em Pascal, utilizamos as estruturas WHILE-DO e REPEAT-UNTIL para realizarmos nossas estruturas de repetição indeterminadas. Estruturas: | while (condição) do [...]; | repeat [...] until (condição); Legenda: condição: condição(ões) que deverá(ão) ser(em) satisfeita(s) para que se permaneça no laço. [...]: conjunto de operações que serão executadas.


Carregar ppt "LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Pascal. ÍNDICE 01 - Introdução ao curso 02 - O que é um programa? 03 - Instalando o ambiente 04 - Saída 05 - Variáveis 06 - Entrada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google