A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Abril, 2013 Perspectivas Econômicas – Seminário Guarani Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Abril, 2013 Perspectivas Econômicas – Seminário Guarani Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco."— Transcrição da apresentação:

1 Abril, 2013 Perspectivas Econômicas – Seminário Guarani Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco

2 2 Agenda Economia Global Crescimento divergente entre as economias avançadas. Crescimento divergente entre as economias avançadas. Brasil Taxa de câmbio deve se manter estável em torno de R$ 2.00 e taxas de juros devem subir, mas pouco. Política fiscal para segurar inflação e juros. Crescimento decepcionou em Fundamentos apontam para recuperação moderada. Inflação subjacente pior. Riscos menores no cenário internacional, mas volatilidade ainda é um fator importante. Riscos menores no cenário internacional, mas volatilidade ainda é um fator importante.

3 3 PIB mundial (crescimento anual) Mundo: perspectivas melhores de crescimento Fonte: Itaú Unibanco e FMI 3% 5%

4 4 PIB real Índice, 2007 = 100 Desempenho heterogêneo Fonte: Itaú Unibanco, BEA, Eurostat projeção Dívida privada vs. dívida pública Dívida privada (ex-bancos) Dívida pública Mundo EUA Japão

5 5 Riscos menores, mas ainda há volatilidade Fonte: Bloomberg e Itaú Unibanco Títulos de 10 anos, Espanha e Itália média móvel de 5 dias, % ao ano OMT

6 6 PIB trimestral com ajuste sazonal Produção industrial variação anual China: soft landing Fonte: NBS e Itaú

7 7 Mundo: o que esperamos no curto prazo? Fonte: Haver, CEIC, Bloomberg e Itaú Unibanco Mundo EUA Zona do Euro Japão China

8 8 Commodities: manutenção de preços em patamar alto Fonte: Itaú Unibanco Índice Itaú de Commodities

9 9 Peru México PIB - % 6.2 PIB - % PEN / USD (dez) MXN / USD (dez) Taxa de Juros - (dez) - % 4.25 Taxa de Juros - (dez) - % IPC - % 2.5 IPC - % Colômbia Chile PIB - % PIB - % COP / USD (dez) 1800 CLP / USD (dez) 460 Taxa de Juros - (dez) - % Taxa de Juros - (dez) - % 5.00 IPC - % IPC - % Argentina PIB - % 2.0 ARS / USD (dez) BADLAR - (dez) - % IPC - % (Estimativas Privadas) América Latina: crescimento robusto em vários países; Argentina pior Fonte: Itaú Unibanco

10 10 Crescimento decepcionou no Brasil Expectativas de crescimento (%) em 2012 Fonte: : Latin Focus Consensus Forecasts Expectativas de crescimento (%) em 2013

11 11 O que esperamos para o Brasil no curto prazo Fonte: Itaú Unibanco e BCB Atividade econômica PIB % Inflação IPCA % Política monetária Taxa SELIC % Fiscal Superávit primário Balança de pagamentos Câmbio (dez) Conta corrente

12 12 Retomada moderada em 2013 Fonte: BCB e Itaú Unibanco Variação do PIB ante o trimestre anterior (com ajuste sazonal) Contribuição da agropecuária no PIB = 0.5%

13 13 Sinais mistos para frente Investimento em alta no primeiro trimestre, mas crescimento não é disseminado. Investimento em alta no primeiro trimestre, mas crescimento não é disseminado. Fonte: Itaú Unibanco, IBGE Proxy Formação bruta de capital fixo 15% 10% 5% 0% -5% -10% -15% Investimento – crescimento no trimestre com ajuste sazonal Conjunto amplo de dados - difusão

14 14 Mercado de trabalho segue apertado Fonte: IBGE e Itaú Unibanco Taxa de desemprego %, com ajuste sazonal Salário médio real índice com ajuste sazonal(2003=100)

15 15 Fonte: Itaú Unibanco, IBGE Demografia e composição do crescimento explicam mercado de trabalho apertado População economicamente ativa taxa de crescimento PIB - Indústria vs. serviços Crescimento médio anualizado, 2010T2-2012T4 Ocupação por setor Média de 2012

16 16 Fonte: Itaú Unibanco, IBGE Inflação preocupa no curto prazo: o impacto dos bens industriais IPCA – industrais vs. serviços MM12M, com ajuste sazonal IPCA – índice de difusão MM3M, com ajuste sazonal Serviços Industriais

17 17 IPCA – variação % Fonte: IBGE e Itaú Unibanco Desonerações contribuem para aliviar a inflação no curto prazo. Desonerações contribuem para aliviar a inflação no curto prazo. IPCA deve recuar no segundo semestre

18 18 Fonte: Itaú Unibanco, Ministério da Fazenda Desonerações quadruplicam em 2013 Renúncias tributárias (i.e., reduções de impostos) anunciadas recentemente – R$ bilhões Últimas desonerações anunciadas: Cesta básica: R$ 7 bilhões (2014). Folha de pagamentos para mais 14 setores: R$ 6 bilhões (2014). IPI de automóveis: R$ 2 bilhões (2013). 0.3% do PIB 1.3% do PIB 1.7% do PIB Já anunciadoEsperado

19 19 Postura fiscal mais expansionista Fonte: Itaú Unibanco, BCB Superávit primário vs. estrutural (% PIB)

20 20 Fonte: BCB e Itaú Unibanco Variação intradiária da taxa de câmbio banda percebida Real vs. moedas – Exportadores de commodities* cesta de moedas = real em out 2009 *México, Chile, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Noruega e Canadá Política cambial preocupada com inflação

21 21 Selic: esperamos aumento de 1 p.p., ou menos Fonte: Itaú Unibanco, Bloomberg Taxa Selic - % ao ano Na semana passada, o Copom decidiu subir os juros em 0.25 p.p.. Esperamos que o ciclo de alta seja de no máximo 1.00 p.p., enquanto o mercado precifica aumento em cerca de 2.00 p.p.. Itaú Unibanco Taxa implícita na curva de juros

22 22 Desafios: custos com mão de obra são relativamente elevados Fonte: Haver Analytics, U.S. Bureau of Labor Statistics, Itaú Unibanco Custo total por hora trabalhada em 2011 ($) – setor manufatureiro Elevação do custo unitário do trabalho em dólares (2005 – 2010)

23 23 Fonte: World Economic Forum e Banco Mundial Desafios: infraestrutura e produtividade Ranking de infraestrutura (World Economic Forum, ) Ranking de facilidade para se fazer negócios (Banco Mundial, 2012)

24 24 Desafios: menor contribuição do trabalho, é necessário investir mais Fonte: IBGE, Itaú Unibanco e U.S. Bureau of Labor Statistics Contribuição decrescente do trabalho Crescimento do PIB Contribuição da força de trabalho diminui. Crescimento depende de aumentos nos investimentos e na produtividade. Contribuição da força de trabalho diminui. Crescimento depende de aumentos nos investimentos e na produtividade. PIB cresce cerca de 3,5 a 4,0% ao longo da década. PIB cresce cerca de 3,5 a 4,0% ao longo da década.

25 25 Desafios: poupança brasileira precisa crescer para permitir aumento do investimento Poupança Doméstica (% em 2011) Fonte: FMI, IBGE e Itaú Unibanco Taxa de investimento

26 26 Desafios: previdência Fonte: FMI, IBGE e Itaú Unibanco 0% 2% 4% 6% 8% 10% 12% 14% 16% 18% 20% 5%10% 15% 20%25%30% Pessoas acima de 65 anos (% total) México Brasil Polônia Itália EUA Japão Colômbia Gastos com seguridade social (% PIB) Gastos públicos com seguridade social

27 27 Conclusão Crescimento divergente entre as economias avançadas. Recuperação deve continuar em ritmo moderado. PIB do 1º trimestre deve ser melhor. Taxa de câmbio deve se manter estável em torno de R$ 2.00 e taxas de juros deve ser elevada em no máximo 1.00 p.p. Inflação subjacente piorou. Política fiscal para segurar inflação e juros.

28 28 Cenário de longo prazo Fonte: Itaú Unibanco


Carregar ppt "Abril, 2013 Perspectivas Econômicas – Seminário Guarani Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google