A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Da alfabetização cartográfica à leitura crítica e ao mapeamento consciente – unid-2 Representando a terra: como cartografar o planeta? Seção 3 PROJEÇÕES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Da alfabetização cartográfica à leitura crítica e ao mapeamento consciente – unid-2 Representando a terra: como cartografar o planeta? Seção 3 PROJEÇÕES."— Transcrição da apresentação:

1 Da alfabetização cartográfica à leitura crítica e ao mapeamento consciente – unid-2 Representando a terra: como cartografar o planeta? Seção 3 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

2 Problematização: Qual a importância e o significado das projeções cartográficas para o estudo geográfico Quais as novas metodologias para o ensino de projeção cartográfica.

3 Conceito: São métodos utilizados para representar a superfície de uma esfera (ou de um elipsóide), no todo ou em parte, sobre uma superfície plana. O processo consiste em transferir pontos da superfície da esfera (ou elipsóide) para um plano, ou para uma superfície desenvolvível em um plano, tal como um cilindro ou um cone.

4 São bastante úteis para a compreensão do espaço geográfico e para as diversas ações humanas Ex: navegação marítima e aérea Estratégia comercial de grandes empresas Instrumento ideológico, de manipulação e poder. Importância

5 Projeções e Ideologia

6 Manipulação através das projeções e mapas Adaptação das projeções aos interesses individuais, do Estado e do mercado; Manipulação de escalas; Aumento excessivo ou deslocamento dos sinais; Utilização da topografia, empregando cores com forte poder emotivo. Exemplo: Guerras de religião na Europa no século XVII; Guerra Fria no século XX; Geopolítica nazista. A representação por mapas sempre acarretará deformações na forma, na superfície ou na distância dos elementos apresentados.

7 Ao analisar os planisférios de Mercator e de Peters, fica claro como os mapas são eficazes instrumentos para consolidação de ideologias. PROJEÇÃO DE MERCATOR – GERARD MERCATOR ( ) Contexto histórico: expansão marítimo-comercial européia; Reforça a ideia de superioridade do continente europeu (países do norte); Priorizou a representação da forma e dos contornos das massas continentais, levando em consideração a utilização de seus mapas pelos navegadores. Manipulação através das projeções e mapas

8 PROJEÇÃO DE PETERS – ARNO PETERS ( ) Contexto histórico: pós segunda-guerra mundial e descolonização (África e Ásia); Enormes diferenças socioeconômicas entre os países; Tese: exploração dos países do hemisfério sul pelo hemisfério norte levou os primeiros a uma situação de pobreza, dependência e submissão; Peters considerava que os mapas eram uma manifestação simbólica desta submissão. Manipulação através das projeções e mapas

9 Defendia que todos os países deveriam ser retratados no mapa-mundi de forma fiel à sua área o que colocaria em maior destaque os países subdesenvolvidos; Elaborou um novo planisfério em que a superfície dos países aparece com suas medidas proporcionais, embora com as formas distorcidas; Peters tentava acabar com a ideia de superioridade dos países do norte que o planisfério de Mercator permitia; Ainda mantinha a Europa no centro e na parte superior do mapa. Projeção de Peters

10 Classificação das Projeções Cartográficas

11

12 Mais indicada para a região intertropical do globo; 1. A linha do Equador é a única coordenada que mantém a dimensão original; 2. Os pólos são superdimensionados ou não aparecem; 3. Os paralelos e os meridianos cruzam-se formando ângulos retos; 4. Os paralelos e meridianos foram projetados a partir do centro da esfera;

13 5. Os países situados ao longo e nas proximidades da linha do equador apresentam pequenas deformidades; 6. Áreas com mesma latitude em hemisférios opostos apresentam o mesmo grau de deformação. 7. Possibilita a representação total da Terra, sendo muito utilizada para elaborar planisférios e para a navegação. 8. Os paralelos e meridianos ficam retos e perpendiculares; 9. Como o cilindro é tangente à linha do equador, ele toca unicamente essa linha, assinalando os únicos lugares que conservam suas dimensões originais, portanto a partir desse ponto iniciam-se as deformidades;

14

15 1.Indicada para as regiões temperadas do globo; 2. Apresentam paralelos semicirculares e meridianos radiais, isto é, retas que se originam de um mesmo ponto; 3. Contém como única linha que contém grandezas reais o paralelo de tangência;

16 1.Mais indicada para as regiões polares; 2. Contém paralelos projetados em círculos concêntricos e meridianos projetados em linhas retas; 3. As linhas e proporções se deformam à medida que se afastam do ponto de tangência. 4. O pólo é projetado no centro do plano; 5. As regiões polares e as áreas circunvizinhas são representadas com pequenas deformidades.

17

18

19

20 Outros tipos de projeção

21

22

23 APLICANDO NA PRÁTICA

24 Distribuir aos alunos planisférios na projeção de Peters e peça que localizem o meridiano de 90° leste. Com uma tesoura, recortem o mapa no sentido desse meridiano. O passo seguinte é colar com fita adesiva as duas partes, invertendo suas posições. Em seguida, peça que invertam suas posições. Pergunte que países ficaram no centro e quais os possíveis usos desse mapa. Atividade 1 – Pag 46 – questão B

25 Projeção cilíndrica, azimutal e cônica com o uso de garrafa pet. Atividade 2


Carregar ppt "Da alfabetização cartográfica à leitura crítica e ao mapeamento consciente – unid-2 Representando a terra: como cartografar o planeta? Seção 3 PROJEÇÕES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google