A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Flávia Addor MEDCIN Instituto da Pele 2008

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Flávia Addor MEDCIN Instituto da Pele 2008"— Transcrição da apresentação:

1 Flávia Addor MEDCIN Instituto da Pele 2008
Cosmetovigilância nas empresas conhecer o mercado é desafio e oportunidade Flávia Addor MEDCIN Instituto da Pele 2008

2

3 Propaganda Embalagem Proposta

4 Uso: cor, cheiro, viscosidade, facilidade de aplicação, fixação, intensidade...
Propaganda Embalagem Proposta

5 Uso: cor, cheiro, viscosidade, facilidade de aplicação, fixação, intensidade...
Beleza Elegância Realce Moda Sedução... Propaganda Embalagem Proposta

6 experiência cosmética
Uso: cor, cheiro, viscosidade, facilidade de aplicação, fixação, intensidade... Beleza Elegância Realce Moda Sedução... Propaganda Embalagem Proposta experiência cosmética

7 REAÇÃO ADVERSA Todo efeito inesperado e indesejável à utilização do produto, independentemente do tempo de aplicação e intensidade

8 EVENTO INDESEJADO Todo evento resultante de uma interação do consumidor com o produto que venha a ser nociva, independentemente de sua utilização em condições normais, orientadas pelo fabricante. Exemplos: Machucar-se com a embalagem Uso inadequado (ingestão)

9 REAÇÕES ADVERSAS EVENTOS INDESEJADOS

10 uso inadequado sensibilização anterior outra causa de reação outra doença cutânea

11

12 CRISE

13 REPERCUSSÕES Silêncio ressentido... SAC: “Queixa cidadã”
Queixa propriamente dita Desgaste ou não... Solicitações ou não... Ameaças ou não...

14 REPERCUSSÕES PROCON MÍDIA NOTIVISA Silêncio ressentido... SAC:
“Queixa cidadã” Queixa propriamente dita Desgaste ou não... Solicitações ou não... Ameaças ou não... PROCON MÍDIA NOTIVISA

15 CONSUMIDOR x EMPRESA

16 EMPRESA CONSUMIDOR

17 Reações adversas a produtos sempre existirão; a diferença está na condução do consumidor com reação adversa

18 Cosmetovigilância: Exercício que trata desde a tática da coleta de informações até a análise dos dados de mercado com tomadas de decisões

19 Resolução- RDC Nº 332, de 1º de dezembro de 2005
estabelece a necessidade de organização de um sistema de cosmetovigilância interno, cujas informações deverão integrar o dossiê de segurança de cada produto comercializado, mesmo os importados.

20 COSMETOVIGILÂNCIA: atribuições
Monitorar comportamento do produto no pós venda: Atender de forma adequada o consumidor com RA Tomar medidas adequadas em caso de desvio quanti ou quali do produto ou algo relacionado a ele; Manter uma documentação adequada em caso de fiscalização ou problemas legais Usar informações de pós venda para aperfeiçoar o produto ou futuros lançamentos

21 EXERCÍCIO DA COSMETOVIGILÂNCIA
1. Atendimento adequado ao consumidor SAC: Treinamento Questionários adequados Análise das queixas Condutas padronizadas Eventos fora do padrão:Suporte técnico para orientações e pareceres MEDCIN Instituto da Pele

22 Atendimento qualificado permite:
Agilidade: reduz desgaste com consumidor Efetividade: Inibe má fé

23 Reconhecer problemas rapidamente:
2.Tomar medidas adequadas em caso de desvio quantitativo ou qualitativos Reconhecer problemas rapidamente: Quantitativas: Estabelecer margens aceitáveis para cada produto Tabulação das RAs (mensal, semanal) Reações:Estabelecimento de nexo causal Qualitativas: Medidas individuais de acordo com o caso

24 Estabelecimento do nexo de causa
Interpretação do caso e sua documentação Documentação: relatório de cosmetovigilância

25 História e docs fornecidos:
Identificação: Produto reclamado: História e docs fornecidos: Hipótese(s) diagnostica(s): Relação de nexo: Comprovada Provável Dificilmente relacionada Não comprovada Conduta recomendada:

26 Estabelecimento do nexo de causa:
Para o consumidor: A reação realmente foi causada pelo produto? Para a empresa: Avaliação quantitativa: Número de reações causada pelo produto está dentro do esperado? Avaliação qualitativa: Reação intensa? Desgaste intenso do consumidor?

27 Conhecimento do perfil de reações e do seu nexo causal permitem...
Preservar a IMAGEM DE MARCA perante ao consumidor Provar a QUALIDADE do produto perante a autoridade sanitária

28 EXERCÍCIO DA COSMETOVIGILÂNCIA
3.ações de acordo com análise técnica das informações externas +informações internas (dossiê de segurança) “Não vamos tomar nenhuma atitude porquê está dentro do esperado” “Vamos mudar o texto de rotulagem” “Vamos reduzir o ingrediente X” “Vamos tirar o produto do mercado” MEDCIN Instituto da Pele

29 EXERCÍCIO DA COSMETOVIGILÂNCIA
Acompanhar as ações para verificação da sua efetividade. Próprio SAC é a principal fonte de informação Distribuidores e força de vendas MEDCIN Instituto da Pele

30 EXERCÍCIO DA COSMETOVIGILÂNCIA
4.Criar um banco de dados sobre o comportamento do produto no mercado PARA CADA PRODUTO: Número de reações/número de vendas Nexo causal positivo/número de reações Condutas tomadas ou não: justificativas MEDCIN Instituto da Pele

31 Manual próprio de procedimentos Sintonizado com:
Manter uma documentação adequada em caso de fiscalização ou problemas legais Manual próprio de procedimentos Sintonizado com: perfil do porfolio canal de vendas consumidor

32 PASSOS: Capacitação do SAC
Estabelecimento de uma POLÍTICA DE COSMETOVIGILANCIA De acordo com o perfil da empresa, suas estratégias, portfolio, canal de vendas... Procedimentos para: Gestão de rotina Gestão de crises Confecção periódica de RELATÓRIOS DE COSMETOVIGILÂNCIA

33 OBRIGADA flavia@medcinonline.com.br


Carregar ppt "Flávia Addor MEDCIN Instituto da Pele 2008"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google