A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Romualdo Caetano Catequista. Em nome do Pai......

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Romualdo Caetano Catequista. Em nome do Pai......"— Transcrição da apresentação:

1 Romualdo Caetano Catequista

2 Em nome do Pai......

3 Pai Nosso que estais no céu, Santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O Pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossa ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mais livrai-nos do mal, Amém.

4 Salmo 51 Salmo 51 Leitor: Tem piedade de mim, ó Deus, por teu amor! Por tua grande compaixão, apaga a minha culpa. Todos: Lava-me da minha injustiça e purificai-me do meu pecado! PALAVRA DE DEUS Aclamação à Palavra de Deus Escuta Israel, javé teu Deus vai falar(bis) Fala Senhor Javé, Israel quer te escutar(bis)

5 Na Bíblia: Romualdo Caetano Catequista

6

7

8 Romualdo Caetano Catequista UM TEMPO PARA A ORAÇÃO! O tempo é um presente de Deus! Quem nos chamou à vida, também nos deu o tempo como «espaço» para realizá-la. O tempo, para cada um de nós, é a nossa própria existência, pois é nele que temos consciência do nosso ser, estar, pensar e agir. O tempo é muito importante! Sem ele não existimos!

9 Neste dia fazemos memória da entrada de Jesus em Jerusalém montado num jumento e acolhido pelo povo com ramos (cf. Mc 11, 1-11). Esta é a recordação da última semana da vida histórica de Jesus. A comunidade cristã celebra a decisão de Jesus morrer pela Salvação. Ele sabia que ir a Jerusalém representava abraçar uma conseqüência fatal: ser condenado à morte.

10

11 Jesus Celebra a Páscoa com seus discípulos. É a sua última ceia: não há cordeiro, lava os pés dos discípulos e institui o sacerdócio e a Eucaristia (cf. Jo 13, 1-11; Mc 14, 22-25; Lc, 21, 14-20). Hoje nas catedrais (sede das dioceses) se celebra a missa do Crisma (ou missa dos santos óleos) presidida pelo bispo. É a comemoração da instituição do Sacerdócio. Nessa missa os sacerdotes renovam as promessas sacerdotais. À noite acontece a Missa da Ceia do Senhor nas paróquias. A Igreja com o rito do lava-pés renova o compromisso de ser servidora da humanidade. Jesus, instituindo a Eucaristia concretiza seu desejo de estar sempre presente entre nós em forma de pão. Quem ama, alimenta.

12 SEXTA-FEIRA SANTA: Jesus é apressadamente julgado e condenado a ser crucificado (cf. Mc 14, ,1-15; Mt 27, 11-57). Celebramos hoje a Paixão e morte do Senhor. Paixão quer dizer um profundo Amor que o motiva a encarar a morte com alegria pela nossa Salvação. Jesus é vítima: do fanatismo religioso, da arrogância e indiferença política (César = Deus), da Ignorância popular... (é trocado por Barrabás!). À tarde há a adoração do Cristo na Cruz: adora-se o Crucificado, mas considera- se pedagogicamente a cruz como instrumento (caminho) de passagem para a glória. Deus é sempre Deus merecedor do nosso louvor, confiança, adoração... a Cruz é símbolo daquilo que deve ser enfrentado com sabedoria, firmeza e ser superado para podermos chegar à glória (alegria, conquista, mérito...).

13 SÁBADO SANTO: Jesus, sepultado, repousa fica no túmulo (cf. Mt 27, 57-66; Mc 15, 42-47). É um dia se silêncio, meditação e oração. Hoje é um dia de expectativa, por isso durante o dia não há missa. À noite há a celebração da Vigília Pascal que é a mais importante celebração do Ano Litúrgico. Nela se concentra a reflexão dos principais eventos da história da nossa fé: a criação, Abraão, Êxodo, os Profetas.... tudo aponta para o Messias, Jesus Cristo. A experiência da Páscoa (quer dizer passagem) é a nossa grande expectativa (da terra para o Céu).

14 DOMINGO DA PÁSCOA DO SENHOR: O Sepulcro é encontrado vazio: Jesus Ressuscitou... espalhou-se, então um movimento de grande dinamismo (todos correm!), ressurgiu a esperança, voltam a sonhar com alegria (cf. Jo 20, 1-18; Lc 24,1- 12). A nossa fé cristã se fundamenta na experiência da Ressurreição de Jesus Cristo. Se Cristo não ressuscitou, então a pregação sobre a Esperança da nossa Ressurreição é vazia e nossa fé é ilusória, diz Paulo (1 Cor 15,14-17). Celebrar a páscoa é renovar o compromisso de viver com alegria, com entusiasmo, promovendo a vida e combatendo tudo aquilo que gera a morte.

15


Carregar ppt "Romualdo Caetano Catequista. Em nome do Pai......"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google