A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

3º ENCONTRO. Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos. Martin Luther King.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "3º ENCONTRO. Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos. Martin Luther King."— Transcrição da apresentação:

1 3º ENCONTRO

2 Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos. Martin Luther King

3

4 1. GN 4: CAIM e ABEL Irmãos e adversários. A escolha de Deus. A escolha de Caim. Consequência da escolha...

5 1. GN 4: CAIM e ABEL A) IRMÃOS E ADVERSÁRIOS (Gn 4,1) O Homem se uniu a Eva e ela concebeu e deu à luz C AIM : Conquistei um homem com a ajuda do SENHOR. Homem (adam) homem (ish). C AIM (qaim) conquistei (qanah). O centro é Caim, se explica seu nome; É o primogênito; Deve fazer as suas escolhas.

6 1. GN 4: CAIM e ABEL A) IRMÃOS E ADVERSÁRIOS (Gn 4,2a) Tornou a dar à luz e teve A BEL, irmão de Caim. Abel (hebel) indica o sopro, a vaidade. Não se explica o nome, é o irmão de Caim. 7x irmão. (Ecle 1,2) Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades, tudo é vaidade! 38x para indicar a inconsistência, a fragilidade.

7 1. GN 4: CAIM e ABEL A) IRMÃOS E ADVERSÁRIOS (Gn 4,2b) A BEL era pastor de ovelhas e C AIM cultivava a terra. Irmãos indicam os dois grandes grupos: Abel = pastor nômade, Caim = agricultor sedentário. Caim vem do Homem (adam) e cultiva a terra (adamah).

8 1. GN 4: CAIM e ABEL B) ESCOLHA DE DEUS (Gn 4,3-5a) C AIM ofereceu ao SENHOR frutos do solo como oferta. A BEL ofereceu os primeiros cordeirinhos e a gordura das ovelhas. O SENHOR olhou para A BEL e sua oferta, mas olhou menos C AIM com sua oferta. Prática religiosa da oferta: dar ao Senhor as primícias para receber a bênção. Deus olha a pessoa e depois a oferta: (+) olhou mais (-) olhou menos

9 1. GN 4: CAIM e ABEL B) ESCOLHA DE DEUS (Gn 4,5b) C AIM ficou irritado e com o rosto abatido. Porque Deus faz distinção? Deus escolhe os pequeninos... (Dt 7,7) O SENHOR vos escolheu, não por serdes mais numerosos, na verdade sois o menor de todos os povos. Caim não preparou bem a sua oferta... (Hb 11,4) Pela fé, Abel ofereceu a Deus um sacrifício melhor que o de Caim, pois Deus atestou o valor de suas oferendas.

10 1. GN 4: CAIM e ABEL B) ESCOLHA DE DEUS (Gn 4,6-7a) Então o SENHOR perguntou a C AIM : Por que andas irritado e com o rosto abatido? Não é verdade que, se fizeres o bem, andarás de cabeça erguida? Caim não aceita a escolha de Deus! fazer o bem = não indica tanto fazer bem feita a oferta, mas carregar o bem dentro de si.

11 1. GN 4: CAIM e ABEL C) ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,7b) E se fizeres o mal, não estará o pecado espreitando-te à porta? Pecado = animal abaixado à porta, pronto para atacar quem passa des- percebido, quem é frágil. Teologia Concupiscência. CIC §1264 Certas consequências temporais do pecado permanecem: sofrimentos, doença, morte, fragilidades, assim como a propensão ao pecado, que a Tradição chama de concupiscência ou "incentivo do pecado" (fomes peccati").

12 1. GN 4: CAIM e ABEL C) ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,7c) A ti vai seu desejo, mas tu deves dominá-lo. Caim tem o desejo do bem, mas deve demons- trar, deve dominar (mashal) si mesmo, esta inclinação ao mal que traz consigo. Não é impossível! Deve tentar... (Pv 16,32) É melhor o paciente que o valente; quem domina a si mesmo vale mais que o conquistador de cidades.

13 1. GN 4: CAIM e ABEL C) ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,8) C AIM disse a seu irmão A BEL : Vamos ao campo! Mas, quando estavam no campo, C AIM atirou-se sobre seu irmão A BEL e o matou. Caim não conversa com o irmão, mas faz a sua escolha, assim como o homem e a mulher: uma escolha de morte! Vamos ao campo = território agrícola. 2º Pecado Original: fratricídio.

14 1. GN 4: CAIM e ABEL C) ESCOLHA DE CAIM PECADO ORIGINAL CIC §397 O homem, tentado pelo Diabo, deixou morrer em seu coração a confiança em seu Criador e, abusando de sua liberdade, desobedeceu ao mandamento de Deus. Foi nisto que consistiu o primeiro pecado do homem. Todo pecado, daí em diante, é uma desobediência a Deus e uma falta de confiança em sua bondade.

15 1. GN 4: CAIM e ABEL C) ESCOLHA DE CAIM PECADO ORIGINAL CIC §402 Todos os homens estão implicados no pecado de Adão. São Paulo o afirma: (Rm 5,19) Pela desobediência de um só homem, todos se tornaram pecadores. (Rm 5,12) Como por meio de um só homem o pecado entrou no mundo e, pelo pecado, a morte, assim a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram...

16 1. GN 4: CAIM e ABEL C) ESCOLHA DE CAIM PECADO ORIGINAL CIC §402 Sobre a universalidade do pecado e da morte, Paulo opõe a universalidade da salvação em Cristo: (Rm 5,18) Assim como da falta de um só resultou a condenação de todos os homens, do mesmo modo, da obra de justiça de um só (Cristo), resultou para todos os homens justificação que traz a vida.

17 1. GN 4: CAIM e ABEL D) CONSEQUÊNCIA DA ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,9) O SENHOR perguntou a C AIM : Onde está teu irmão A BEL ? Ele respondeu: Não sei. Acaso sou o guarda do meu irmão? Como no paraíso terrestre, Deus inicia o diálogo com uma pergunta: (Gn 3,9) O SENHOR Deus perguntou ao homem: Onde estás? Caim responde com outra pergunta...

18 1. GN 4: CAIM e ABEL D) CONSEQUÊNCIA DA ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,10) O SENHOR perguntou: Que fizeste? Da terra está clamando por mim a voz do sangue do teu irmão! Sangue (dam) clama da terra (adamah). Ouvir o grito como no Egito. Fratricídio começa uma onda de assassinatos, o mal se instaura num efeito dominó.

19 1. GN 4: CAIM e ABEL D) CONSEQUÊNCIA DA ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,11-12) Serás amaldiçoado pela própria terra que engoliu o sangue de teu irmão que tu derramaste. Quando cultivares a terra, ela te negará seus frutos e tu virás a ser um fugitivo, vagueando sobre a terra. Sentenças contra Homem – mulher – serpente: Serpente amaldiçoada; homem/mulher não. Agora o filho do homem é amaldiçoado pelo seu pecado, pelo assassinato do irmão. Caim não será mais agricultor sedentário, mas deverá fugir, vaguear pela terra (fuga do Egito)

20 1. GN 4: CAIM e ABEL D) CONSEQUÊNCIA DA ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,13-14) C AIM disse ao SENHOR: Meu castigo é grande demais, quando estiver fugindo e vagueando pela terra; quem me encontrar vai matar-me. Quem me encontrar: outras pessoas? Aparece já uma civilização bem desenvolvida: Agricultores e Pastores, Sacrifícios apresentados a Deus, Existência de outras populações.

21 1. GN 4: CAIM e ABEL D) CONSEQUÊNCIA DA ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,15) Mas o SENHOR lhe disse: Se matarem C AIM, ele será vingado 7 vezes. O SENHOR pôs então um sinal em C AIM, para que ninguém o matasse. Mesmo com o pecado, a misericórdia de Deus se manifesta com um sinal de salvação. Irmandade é difícil, mas não é impossível!

22 1. GN 4: CAIM e ABEL D) CONSEQUÊNCIA DA ESCOLHA DE CAIM (Gn 4,16) C AIM afastou-se da presença do SENHOR e foi habitar na região de Nod, a leste de Éden. Nod = vagar, fugir, andar sem nenhuma meta.

23 1. GN 4: CAIM e ABEL E) CONCLUSÃO Ensinamentos desta passagem: A revolta do homem contra Deus conduz à revolta do homem contra o seu próximo. Deus é justo em punir o pecado, mas misericor- dioso no aplicar a pena. O pecado pode ser dominado pelo homem. Sempre teremos na humanidade este conflito entre o Justo (Abel) e o Injusto (Caim).

24

25 1. GN 4: CAIM e ABEL Irmãos e adversários. A escolha de Deus. A escolha de Caim. Consequência da escolha...

26

27 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO Visão cosmogônica. Presença do dilúvio em outras culturas. Algumas perguntas. Leitura do Texto. Dois dilúvios?

28 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO A) VISÃO COSMOGÔNICA

29 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO B) DILÚVIO EM OUTRAS CULTURAS Nas mais variadas culturas, em todos os continentes, existirem tradições que aludem à ocorrência de um dilúvio global.

30 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO B) DILÚVIO EM OUTRAS CULTURAS Tradição judaico-cristã: narra a história do dilúvio com a Arca de Noé. Também as tradições americanas, asiáticas, sumérias, assírias, armênias, egípcias e persas, entre outras, relatam inundações e chuvas torrenciais. Divindade decide eliminar da Terra a humanidade corrupta e escolhe um homem bom para construir uma arca/barco para sobreviver.

31 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO B) DILÚVIO EM OUTRAS CULTURAS Dilúvio Sumério GILGAMESH (1.300 a.C.) Gilgamesh era o rei da cidade de Uruk que viaja em busca da imortalidade, nesta busca encontra as duas únicas pessoas imortais: Utanapistim e sua esposa; pois o homem foi dizimado por incomodar aos deuses. Utanapistim explica: Eu percebi que havia grande silêncio, não havia um só ser humano vivo além de nós, no barco. Ao barro, ao lodo haviam retornado. A água se estendia plana como um telhado, então eu da janela chorei, pois as águas haviam encoberto o mundo todo. Em vão procurei por terra, somente consegui descobrir uma montanha, o Monte Nisir, onde encalhamos e ali ficamos por sete dias, retidos. Resolvi soltar uma pomba, que voou para longe, não encontrando local para pouso retornou (…) Então soltei um corvo, este voou para longe encontrou alimento e não retornou.

32 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO B) DILÚVIO EM OUTRAS CULTURAS Dilúvio Grego DEUCALIÃO Um grande dilúvio foi produzido por Poseidon, que por ordem de Zeus havia decidido pôr fim à existência humana. Os humanos haviam aceitado o fogo roubado por Prometeu do Monte Olimpo; assim Prometeu diz a seu filho Deucalião que cons- truísse uma arca e nela introduzisse uma casal de cada animal.

33 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO B) DILÚVIO EM OUTRAS CULTURAS Hipótese Histórica Mar Negro: o Dilúvio seria um mito derivado de uma fantástica catástrofe natural, ocorrida por volta do ano a.C. o degelo ao final da última glaciação provocou a migração de diversos grupos (dito universal). Mesopotâmia: uma grande inundação causada pelos rios Tigre e Eufrates, por uma elevação anormal do nível d'água, causando devastação por toda a região em algum momento.

34 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO C) ALGUMAS PERGUNTAS Qual a diferença entre o dilúvio bíblico e o dilúvio de outras culturas? CAUSA DO DILÚVIO: os deuses estariam cansados do barulho ou de algum roupo por parte dos humanos, seria uma vingança divina. Na Bíblia, pelo contrário, o motivo é o pecado do homem e Deus quer re-criar a humanidade através de uma nova aliança.

35 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO C) ALGUMAS PERGUNTAS É um fato histórico ou simbólico? O que os animais comeram, Deus os nutria? Ainda poderiam existir os restos da arca? Existe água suficiente no Planeta para ultrapassar o Monte Everest com mt?

36

37 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO (Gn 5,28-32) Lamec tinha 182 anos quando gerou um filho, a quem deu o nome de Noé, dizendo: Este nos consolará do trabalho e do cansaço de nossas mãos, causados pela terra que o SENHOR amaldiçoou. Depois de gerar Noé, Lamec viveu mais 595 anos e gerou filhos e filhas. Ao todo, Lamec viveu 777 anos e depois morreu. Noé tinha 500 anos quando gerou Sem, Cam e Jafé. Noé/consolar x;në (noah) mx;n: (naham) Idade avançada como sinal de importância: Número indica qualidade e não só quantidade, Pessoa é vista como em uma pintura (1º plano).

38

39 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO (Gn 6,1-4) Quando o ser humano começou a pro criar-se sobre o solo da terra e gerou filhas, os filhos de Deus viram que as filhas dos humanos eram bonitas e escolheram as que lhes agradassem como mulheres para si. E o SENHOR disse: Meu espírito não animará o ser humano para sempre. Sendo apenas carne, não viverá mais do que 120 anos. Havia então gigantes na terra, mesmo depois que os filhos de Deus se uniram às filhas dos humanos e lhes geraram filhos. São eles os heróis renomados dos tempos antigos. Filhos de Deus = anjos Gigantes/heróis = vestígios de mitologia

40 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO (Nm 13,32-33) Mas os homens que haviam subido com Caleb disseram: Não podemos enfrentar esse povo, porque é mais forte do que nós. E puseram-se a fazer comentários negativos diante dos israelitas sobre a terra (prometida) que haviam explorado, dizendo: A terra que fomos reconhecer é uma terra que devora os seus habitantes, e todos os homens que aí vimos são gigantes. Gigantes/heróis = vestígios de mitologia. Respeito aos textos mais antigos que são conservados quando todos eles são unidos para formar o Pentateuco.

41 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO (Gn 6,5-6) O SENHOR viu o quanto havia crescido a maldade das pessoas e como todos os projetos de seus corações tendiam unicamente para o mal. Então o SENHOR arrependeu-se de ter feito o ser humano na terra e ficou com o coração magoado. Maldade no coração (interior): o mal deve ser exterminado o homem também!

42 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO Deus se arrepende? (Nm 23,19) Deus não é homem para que minta, nem criatura humana para que se arrependa. Diz alguma coisa e não a faz, promete algo e não o cumpre? (1Sm 15,10-11) A palavra do SENHOR veio então a Samuel: Arrependo-me de ter feito a Saul rei. Ele afastou-se de mim e não executou as minhas ordens. Samuel entristeceu-se. Arrependimento = dor profunda diante de um pecado tão grande e enraizado no homem. ANTROPOMORFISMO

43 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO (Gn 6,7) O SENHOR disse: Vou exterminar da face da terra o ser humano que criei e, com ele, os animais, o que se move pelo chão e até as aves do céu, pois estou arrependido de os ter feito. Noé, porém, encontrou GRAÇA aos olhos do SENHOR. Deus está com sentimentos humanos... A criação sofre pelo pecado do homem: Animais, plantas, tudo é afetado! Mas... Noé encontra a Graça de Deus, ele será agraciado pela sua vida correta.

44 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO D) INTRODUÇÃO AO TEXTO (Gn 6,9.12) Esta é a história de Noé: Noé era homem justo e íntegro entre os contemporâneos e sempre andava com Deus. Mas a terra se perverteu diante de Deus e encheu-se de violência. Noé era: Justo = conceito de caráter cultual, Íntegro = conceito de caráter social.

45 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO E) CONSTRUÇÃO DA ARCA (Gn 6,14-15) Constrói para ti uma arca de madeira resinosa, divide-a em compartimentos e calafeta-a com piche por dentro e por fora. A arca terá as seguintes dimensões: 300 cúbitos comprimento [150 mt], 50 cúbitos largura [25 mt] e 30 cúbitos de altura [15 mt]. Arca (tebah): mesma palavra utilizada para indicar o cesto onde Moisés foi colocado: Noé salva a humanidade com a arca; Moisés é salvo pela arca para salvar depois o povo. Cúbito = 54 cm.

46

47 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO F) SIGNIFICADO DO DILÚVIO A narração do dilúvio é concêntrica: (7,4.10) 7 dias de espera (7,10) 7 dias de espera (7,12) 40 dias de dilúvio (7,24) 150 dias de dilúvio (8,3) 150 dias de dilúvio (8,6) 40 dias de dilúvio (8,10) 7 dias de espera (8,12) 7 dias de espera

48 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO F) SIGNIFICADO DO DILÚVIO Dilúvio = retorno ao caos primitivo (abismo, água, escuridão), quando Deus não mantém a criação, o caos retorna. (Gn 8,1) Então Deus se lembrou de Noé e de todos os animais selvagens e domésticos que estavam com ele na arca. Fez soprar um vento sobre a terra, e as águas começaram a baixar. Soprou um vento = Espírito pairava... (Gn 8,20) Então Noé construiu um altar ao SENHOR, tomou animais e aves de todas as espécies puras e ofereceu holocaustos sobre o altar.

49 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO F) SIGNIFICADO DO DILÚVIO (Gn 8,21-22) O SENHOR aspirou o agradável odor e disse consigo mesmo: Nunca mais tornarei a amaldiçoar a terra por causa do gênero humano, por serem más desde a infância as inclinações do coração humano; nunca mais tornarei a castigar todos os seres vivos como acabei de fazer. Enquanto a terra durar, plantio e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite jamais hão de cessar. O homem obtém o perdão pelo sacrifício. Deus quer manter uma boa relação com o homem, o qual deve manifestar esta vontade em meio às suas inclinações negativas.

50 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO G) ALIANÇA COM DEUS (Gn 9,1-7) Deus abençoou Noé e seus filhos, dizendo-lhes: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra... Tudo o que vive e se move vos servirá de alimento. Entrego-vos tudo, como já vos dei os vegetais. Da mesma forma pedirei contas do vosso sangue, que é a vossa VIDA, a qualquer animal. E da VIDA do homem pedirei contas a seu irmão. Quem derramar sangue humano, por mãos humanas terá seu sangue derramado, porque Deus fez o ser humano à sua imagem. Deus re-propõe a aliança com Adão BÊNÇÃO. Vida (nefesh) = natureza humana, intimidade com Deus graças à uma re-criação.

51 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO G) ALIANÇA COM DEUS (Gn 9,11-14) Estabeleço convosco a minha Aliança: não acontecerá novamente que toda a carne seja exterminada pelas águas de um dilúvio. Eis o sinal da Aliança que estabeleço entre mim e vós e todos os seres vivos: ponho meu arco nas nuvens, como sinal de Aliança entre mim e a terra. Quando eu cobrir de nuvens a terra, aparecerá o arco-íris. Arco-íris liga o céu e a terra como sinal da aliança (berit) entre Deus e o homem. Outras alianças: Abraão, Jacó, Moisés... Deus se recorda || Homem se recorda.

52

53 2. GN 6-9: NOÉ E O DILÚVIO Visão cosmogônica. Presença do dilúvio em outras culturas. Algumas perguntas. Leitura do Texto. Dois dilúvios?

54

55

56 3. GN 11: TORRE DE BABEL Diferença entre Deus homem. A cidade, a torre e a dispersão. Zigurate.

57 3. GN 11: TORRE DE BABEL A) DIFERENÇA ENTRE DEUS HOMEM HOMEMDEUS Vão para um único lugar: SenaarDiperde por toda a terra Uma torre que sobe até o céuDesce para ver a torre dos homens Unidos por uma única línguaDivididos em várias línguas Desejam fazer um nomeBabel é o único nome citado Iniciam a construção da torreEvita a construção da torre Babel não é um castigo divino, mas o fruto do pecado do homem!

58 3. GN 11: TORRE DE BABEL A) INTRODUÇÃO (Gn 10,1.5) Eis os descendentes dos filhos de Noé: Sem, Cam e Jafé. Eles tiveram filhos depois do dilúvio. Destes se separaram as populações das ilhas, cada qual segundo seu país, língua, família e nação. Após o dilúvio, a humanidade começa a re- popular a terra com diferenças de línguas, mas temos um passo para trás... (Gn 11,1-2) A terra inteira tinha uma só língua e usava as mesmas palavras. Ao migrarem do oriente, os homens acharam uma planície na terra de Senaar, e ali se estabeleceram. Homens divididos e com várias línguas, agora estão unidos e com uma única língua?!?

59 3. GN 11: TORRE DE BABEL B) UMA SÓ LÍNGUA E MESMAS PALAVRAS? (Gn 11,1) A terra inteira tinha uma só língua e usava as mesmas palavras. uma só língua (śapah) = único lábio, limite, fronteira Babilônia dominava o mundo. mesmas palavras (dabar) = palavras únicas, sem diálogo ou conversa Babilônia tirânica. É um passo para trás querer que todos falem a mesma língua, usem a mesma palavra. TIRANIA = não respeitar os limites, a cultura...

60 3. GN 11: TORRE DE BABEL B) UMA SÓ LÍNGUA E MESMAS PALAVRAS? (Gn 11,2) Ao migrarem do oriente, os homens acharam uma planície na terra de Senaar, e ali se estabeleceram. Migrarem = pode se referir aos movimentos migratórios impostos pelos babilônicos em suas conquistas.

61 3. GN 11: TORRE DE BABEL B) UMA SÓ LÍNGUA E MESMAS PALAVRAS? (Gn 11,2) Ao migrarem do oriente, os homens acharam uma planície na terra de Senaar, e ali se estabeleceram. Senaar = planície entre os rios Tigre e Eufrates. (Dn 1,2) No 3º ano do reinado de Joaquim em Judá, Nabucodonosor, rei da Babilônia, chegou a Jerusalém e pôs cerco à cidade. Ele levou tudo para a terra de Senaar e guardou os objetos no tesouro do seu templo.

62 3. GN 11: TORRE DE BABEL C) CIDADE OU TORRE? (Gn 11,3-4) Disseram uns aos outros: Vamos fazer tijolos e cozê-los ao fogo. Utilizaram tijolos como pedras e betume como argamassa. E disseram: Vamos construir para nós uma cidade e uma torre que chegue até o céu. Assim nos faremos um nome. Do contrário, seremos dispersados por toda a superfície da terra. cidade (hir) e torre (migdal) = construir uma cidade com uma torre, ou seja uma cidade com muros, uma cidade fortificada.

63 3. GN 11: TORRE DE BABEL C) CIDADE OU TORRE? (Gn 11,5-6) Então o SENHOR desceu para ver a cidade e a torre que os homens estavam construindo. E o SENHOR disse: Eles formam um só povo e todos falam a mesma língua. Isto é apenas o começo de seus empreendimentos. Agora, nada os impedirá de fazer o que propuserem. Deus se preocupa com os homens, mas porque decide de destruir o projeto humano? A escolha é errada! Mais um Pecado Original: Adão/Eva, Caim/Abel, Dilúvio, Torre de Babel...

64 3. GN 11: TORRE DE BABEL D) DISPERSÃO (Gn 11,7-8) V AMOS DESCER ali e confundir a língua deles, de modo que não se entendam uns aos outros. E o SENHOR os dispersou daquele lugar por toda a superfície da terra, e eles pararam de construir a cidade. V AMOS DESCER = façamos o homem... Mais um Pecado Original: Adão/Eva, Caim/Abel, Dilúvio, Torre de Babel... Construir a cidade (torre): agora o caminho para a unidade deve ser feito através do diálogo, cada um respeitando o outro.

65 3. GN 11: TORRE DE BABEL D) DISPERSÃO (Gn 11,9) Por isso a cidade recebeu o nome de BABEL (Confusão), porque foi lá que o SENHOR confundiu a língua de todo mundo, e de lá dispersou os seres humanos por toda a terra. BABEL = confusão (BaLaL) BABILU = porta do céu. (Jr 51-53) Ainda que a BABILÔNIA suba até o céu, que ponha sua fortaleza nas alturas, lá hão de chegar, mandados por mim, os que vão destruí-la.

66 3. GN 11: TORRE DE BABEL E) BABILÔNIA

67 3. GN 11: TORRE DE BABEL E) BABILÔNIA ZIGURATE Zigurate zaqaru construir no alto. Templos criados pelos sumérios e comum para os babilônios e assírios, eram construídos na forma de pirâmides terraplanadas com vários andares. O acesso ao templo, situado no topo do zigurate, se fazia por uma série de rampas e a função era levar o templo/sacerdote mais próximo aos céus, sendo uma ponte entre os dois mundos. Marduk era a principal divindade da Babilônia.

68 3. GN 11: TORRE DE BABEL E) BABILÔNIA ZIGURATE

69

70 3. GN 11: TORRE DE BABEL Diferença entre Deus homem. A cidade, a torre e a dispersão. Zigurate.

71 AMANHÃ Ex 01-06


Carregar ppt "3º ENCONTRO. Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos. Martin Luther King."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google