A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EJRos Assessoria Técnica Ltda Tornando sua empresa mais competitiva Everton José De Ros Engenheiro Eletricista (UFRGS), Pós Graduado em Manipuladores Robóticos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EJRos Assessoria Técnica Ltda Tornando sua empresa mais competitiva Everton José De Ros Engenheiro Eletricista (UFRGS), Pós Graduado em Manipuladores Robóticos."— Transcrição da apresentação:

1 EJRos Assessoria Técnica Ltda Tornando sua empresa mais competitiva Everton José De Ros Engenheiro Eletricista (UFRGS), Pós Graduado em Manipuladores Robóticos (Mihajlo Pupin Institut – Yugoslávia), Pós Graduado em Comandos Lógicos (Omron Institut – Japão), MBA em Gestão Empresarial (FGV), Professor de Estratégia Empresarial para Pós Graduação em Administração da Fundação Getúlio Vargas, Auditor Líder do Bureau Veritas Certification, Consultor Empresarial e Diretor Executivo da EJRos Assessoria Técnica.

2 PLANEJAMENTO DA ORGANIZAÇÃO: UMA GESTÃO POR RESULTADOS Sua empresa está preparada para o futuro? SIMPUBLI Nova Prata / RS 07 de Novembro de 2008

3 Reflexão Inicial (1) A melhor forma de prever o futuro é construí-lo. Peter Druker

4 Reflexão Inicial (2) Uma empresa deve ser organizada a partir das suas estratégias... EJRos Brasil

5 OBJETIVOS DE TODA EMPRESA 1 – Rentabilidade 2 – Crescimento Sustentado

6 Modelo de Organização Empresarial Gestão por Resultados

7 FUTURO (VISÃO) PRESENTE (MISSÃO) Planejamento Estratégico Sistema de Gestão Gerenciamento de Marketing e Vendas INDOOROUTDOOR Experiência EJRos

8 Organização - Dois Momentos: Futuro Visão do Negócio Ferramenta: Planejamento Estratégico Presente Missão do Negócio Ferramentas: Sistema de Gestão Gerenciamento de M&V

9 1 – Importância, Definições e Fundamentos 2 – Gerenciando a Estratégia 3 – Mapa Estratégico, Indicadores e Planos de Ação PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Planejamento Estratégico

10 Mas porquê planejar? Perda de controle pelos governos Crescente interdependência global Ser humano desafiando de maneira insólita a natureza Crescente fragilidade dos mercados Rápido avanço tecnológico Rápido declínio nos custos da tecnologia Novas determinantes de valor e menor importância dos processos de medida tradicionais Ascensão e queda da nova economia Formação dos blocos comerciais e guerras comerciais declaradas

11 Estratégica Terminologia oriunda da área MILITAR; Em grego antigo, significa A ARTE DO GENERAL ou aquilo que deve ser feito para vencer a batalha; Generais tem a missão de comandar exércitos, isto é, de vencer os desafios utilizando de forma apropriada os recursos disponíveis, conquistando territórios para suas guardiões. TERMOSignificado STRATÓSExército Acampado STRATÉIACampanha Militar STRATEGÉOLiderar como um General STRATEGÓSComandante de Exército STRATEGÍAQualidade e Habilidades de um General

12 Definição de Planejamento Estratégico (PE) Onde estamos? Onde Queremos Chegar? (Objetivos) Caminhos (Estratégias) Metodologia adotada de forma a se estabelecer um plano de ações permitindo que estratégias (caminhos ou projetos) possam ser estabelecidas e acompanhadas afim de serem atingidos determinados objetivos.

13 Modelo Estratégico Objetivos Estratégicos Expansão Ambiente Empresarial Recursos Empresariais Estratégico s Valores e preferências dos Decisores Expectativas Sociais e Comunitárias Controle e Reavaliação Diversifi- cação Controle e Reavaliação Estratégia Corporativa

14 Estrutura do Ciclo de Planejamento Estratégico e a Formulação da Estratégia Competitiva 1. Definição de Negócio 2. Declaração de Visão, Missão e Valores 3. Análise Ambiental e Elaboração de Cenários 3a. Análise do Ambiente Interno: Pontos Fortes e Pontos Fracos (Cadeia de Valor) 3b. Análise do Ambiente Externo: Ameaças e Oportunidades (5 Forças de Porter) 4. Formulação de Objetivos e Metas 5. Definição das Estratégias Empresariais Formulação da Estratégia Competitiva 6. Implantação: Planos de Ação, Projetos e Feedback (BSC)

15 Fases de um PE 1. Entendimento da Filosofia da Empresa 2. Análise e Síntese das Ações Estratégicas 3. Ação e Controle Definição do Negócio, da Visão, da Missão, dos Princípios; Entendimento das habilidades pessoais necessárias. Estabelecimento dos Cenários, Análise do Ambiente Interno, Análise do Ambiente Externo; Formulação de Objetivos e da Estratégia Competitiva; Planos de Ação. Implantação dos Planos de Ação e Projetos; Geração das diretrizes para o processo orçamentário e controle das atividades da empresa; Implantação do Balanced Scorecard.

16 NegócioMissãoVisãoPrincípiosFCSs FASE 1 – FILOSOFIA DA EMPRESA: FUDAMENTOS DO PE

17 Qual é o Negócio? Conseqüências práticas: Conseqüências práticas: Preço Preço Embalagem Embalagem Localização Localização Atendimento Atendimento Horário de Funcionamento Horário de Funcionamento SUCESSO ! Kopenhagen 1928 Visão Míope > Chocolate Visão Estratégica > Presentes

18 Exemplos de Negócios Nike Nike Mont Blanc Mont Blanc Fedex Fedex BMW BMW Harley-Davidson Harley-Davidson C&A C&A Fuji Fuji Amil Amil Revista Exame Revista Exame Marcopolo Marcopolo GM GM Honda Honda Revlon Revlon Avon Avon Ferrovias Americanas Ferrovias Americanas Atitude Prazer de Escrever Paz de Espírito Prazer de Dirigir Estilo de Vida Moda Imagens e Informação Saúde Idéias Soluções e Serviços Para Transporte Coletivo Pessoas em movimento Transporte Beleza e Esperança Beleza Transporte

19 Qual é nossa Missão? 3M Resolver problemas insolvíveis de maneira inovadora Resolver problemas insolvíveis de maneira inovadoraHewlett-Packard Realizar contribuições tecnológicas para o avanço e o bem-estar da humanidade Realizar contribuições tecnológicas para o avanço e o bem-estar da humanidadeMerck Preservar e melhorar a vida do ser humano Preservar e melhorar a vida do ser humanoNike Experimentar a emoção da competição, vencendo e esmagando os competidores Experimentar a emoção da competição, vencendo e esmagando os competidoresSony Experimentar a diversão da inovação e aplicar a tecnologia para o benefício e prazer das pessoas Experimentar a diversão da inovação e aplicar a tecnologia para o benefício e prazer das pessoasDisney Fazer as pessoas felizes Fazer as pessoas felizes

20 Qual é a nossa Visão? PetrobrasPerdigãoCoca-ColaBrahma China In Box AmexBradescoItaúDisneyFolha O Globo United/TAMAudiFIAT Tornar-se uma empresa de energia de classe mundial A Marca mais gostosa deste e do novo milênio Matando a sede do mundo Ser reconhecida como a melhor e maior empresa da América Latina Ser o melhor delivery de comida chinesa do mundo Ser o melhor cartão de crédito do mundo Sempre a frente Líder em performance, sólido, confiável, destacando-se pelo uso do marketing, da tecnologia e por equipes capacitadas.Cliente..cliente Criar um mundo onde todos possam ser crianças.... Sonho Fazer da Folha o principal jornal do Brasil Buscar a liderança nos mercados onde atua tendo como fronteira o país inteiro Ser a melhor empresa aérea do mundo/Brasil O carro do ano e do próximo século O carro do hoje, amanhã e sempre

21 Quais são nossos Princípios? Merck Responsabilidade Social Responsabilidade Social Excelência Excelência Inovação baseada na ciência Inovação baseada na ciência Honestidade e integridade Honestidade e integridade Lucro, mas com trabalhos que beneficiem a humanidade Lucro, mas com trabalhos que beneficiem a humanidadeSony Elevação da cultura e do status nacional do Japão Elevação da cultura e do status nacional do Japão Ser um pioneiro, não um seguidor, fazendo o impossível Ser um pioneiro, não um seguidor, fazendo o impossível Encorajar a habilidade individual e a criatividade Encorajar a habilidade individual e a criatividadeDisney Não ser cínico Não ser cínico Divulgação dos valores do American Way of Life Divulgação dos valores do American Way of Life Criatividade, sonhos e imaginação Criatividade, sonhos e imaginação Atenção fanática aos detalhes e a consistência no atendimento Atenção fanática aos detalhes e a consistência no atendimento Preservação e controle da magia Disney Preservação e controle da magia Disney

22 Definição de Fatores Críticos de Sucesso Atividades-chave do negócio de uma empresa que precisam ser muito bem realizadas, bem operacionalizadas para que a empresa possa atingir seus objetivos. OS FCSs são fundamentais para o sucesso do negócio, já que são os fatores que fazem a diferença e são efetivamente percebidos pelo cliente / mercado de atuação.

23 Formulação e gerenciamento da Estratégia Empresarial FASE 2 - Gerenciando a Estratégia

24 Ameaças: São forças, variáveis ou situações externas, adversas a empresa, criando obstáculos ao seu desempenho e não controladas pela organização. Devem ser neutralizadas para evitar resultados inapropriados. Oportunidades: São forças, variáveis ou situações externas, favoráveis a empresa, podendo melhorar seu desempenho e não controladas pela organização. Devem ser aproveitadas para consolidar resultados apropriados. Cenários Externos (Determinam a Lucratividade do Ramo)

25 Pontos Fracos: São características ou situações inadequadas da empresa e que lhe proporcionam uma desvantagem no ambiente empresarial no qual está inserida. É uma variável controlável. É quando a empresa é inferior se comparada à concorrência. Limita a empresa diante de oportunidades e ameaças. Pontos Fortes: São características ou situações que diferenciam a empresa e que lhe proporcionam uma vantagem no ambiente empresarial no qual está inserida. É uma variável controlável. É quando a empresa é superior se comparada à concorrência. Favorece a empresa perante ameaças e oportunidades. Cenários Internos (Determinam a Competitividade do Negócio)

26 Mas como criar objetivos e estratégias (projetos estratégicos) para uma empresa ? Através da Matriz SWOT

27 Planilha utilizada para detectar potencialidades, debilidades, pontos de defesa e vulnerabilidades a partir dos cenários traçados. Da matriz de SWOT podemos traçar os objetivos e montar quais serão as estratégias utilizadas para atingi-los. S = Strenghts (Forças) W = Weakness (Fraquezas) O = Opportunities (Oportunidades) T = Threats (Ameaças) Matriz SWOT (ou FOFA)

28 OportunidadesAmeaças Pontos Fortes POTENCIALIDADESPONTOS DE DEFESA Pontos Fracos DEBILIDADESVULNERABILIDADE Matriz SWOT

29 Relembrando: Onde estamos? Onde Queremos Chegar? (Objetivos) Caminhos (Estratégias)

30 Tipos de Estratégias A base estratégica (Estratégias Competitivas) podem ser baseadas em quatro posicionamentos estratégicos (distintos e excludentes): alvo estreito alvo amplo Escopo Competitivo custo mais baixo diferenciação Liderança de Custo Diferenciação Foco em diferenciação Foco em custo

31 FASE 3 – Mapas Estratégicos e a Visão do Balanced Scorecard (BSC) Gestão e Comunicação das Estratégias

32 Perspectiva Financeira Objetivo: Rentabilidade Objetivo: Crescimento Melhorar a estrutura de custos Aumentar a utilização dos ativos Expandir oportunidades de receita Aumentar o valor para os clientes Perspectiva do Cliente PreçoQualidade Disponibilidade Seleção Funcionalidade ServiçosParceriasMarca RelacionamentoImagem Perspectiva Interna Processos de Gestão Operacional Processos que produzem e fornecem produtos e serviços Processos de Gestão de Clientes Processos que aumentam o valor para o cliente Processos de Inovação Processos que criam novos produtos E serviços Processos Regulatórios e Sociais Processos que melhoram as comunidades e o meio ambiente Perspectiva de Aprendizado e Crescimento Capital Humano Capital da informação Capital organizacional Habilidades Treinamento Conhecimento Sistemas Bancos de Dados Redes Cultura e Liderança Alinhamento Trabalho em Equipe

33 Acompanhamento do PE O Planejamento Estratégico é elaborado apenas 1 vez... Após isto, o mesmo deve ser revisado periodicamente (semestralmente, anualmente) para adequação e adaptação às novas realidades. O que deve ser acompanhado mensalmente, através de análises críticas, é a execução dos planos de ação através da avaliação dos indicadores criados. Deve-se gerar ata de análise de indicadores e para registrar toda correção de desvios e realinhamento de estratégias.

34 SISTEMAS DE GESTÃO Sistema de Gestão

35 Organograma Vertical - Visão departamental – Foco na organização DIRETOR Assistente de Marketing GERENTE COMERCIAL/MARKETI NG GERENTE INDUSTRIAL (RD) Assistente de Vendas Expedidor Coordenador de Produ ç ão - Corte / Conforma ç ão / Rebarba ç ão Coordenador de Produ ç ão – Limpeza de Pe ç as / Montagem Comprador Auxiliar de Almoxarifad o Motorista Projetist a de Produto s Auxiliar de Produ ç ão Alimentado r Pe ç as T ú nel de Lavagem Auxiliar de Limpeza de Pe ç as Avaliador da Qualidade Montador Embalador Torneiro Ferramenteir o Estagi á rio Torneiro de Produ ç ão Operador de M á quina Preparador de M á quina Auxiliar de Produ ç ão Auxiliar de Expedi ç ão ASSESSORIA JUR Í DICA Coordenador de Recursos Humanos Encarregad o de TI Assisten te Financei ro / Cont á bil Assisten te Fiscal / Cont á bil Telefonista Auxiliar de Limpeza SA C Analista da Qualida de Terceiros Promotor as GERENTE ADM/FIN Terceiros ASSESSORIA DA QUALIDADE ASSESSORIA DE DESIGNERS Representant es Assessoria de Imprensa Coordenadora Administrativa de Vendas T é cnico Imp./Exp. Analista de M é todos e Process os T é cnico Operacional Eletrodom é stico s Almoxarife Auxiliar de Produ ç ã o Montado r

36 A primeira atividade é identificar os processos dentro da empresa, caracterizando atuações, objetivos e os gestores responsáveis por cada um deles. Organograma Horizontal – Visão por processos – Foco no cliente e nos resultados

37 Após identificados os processos e suas interrelações, deve ser determinada uma sistemática de documentação que garanta a execução das atividades de forma apropriada e padronizada. Procedimentos Normas e Regulamentos Externos Instruções de Trabalho Dados Informatizados Registros Nível Estratégico Nível Tático Nível Operacional Manual do SG

38 Medir Para garantir Controle Melhoria Contínua Para obter Alinhamento com o Planejamento Estratégico

39 INTERNOS: > Organização e Limpeza; > Esclarecer Objetivos; > Definir papéis e responsabilidades; > Desenvolver ações; > Melhorar o desempenho organizacional; > Promover o Crescimento; > Prevenir falhas e interrupções indevidas nos processos. EXTERNOS: > Reconhecimento; > Capacitação; > Satisfação dos clientes ; > Melhorias Contínuas; > Fidelização; > Facilidades de Crédito. BENEFÍCIOS DE UM SG

40 GESTÃO À VISTA

41 GERENCIAMENTO DE MARKETING E VENDAS Gerenciamento de Marketing e Vendas

42 QUEBRA DE PARADIGMA: As empresas precisam mudar seu conceito de FOCO NA VENDA DO PRODUTO / SERVIÇO para CRIAR CLIENTES MOTIVADOS A COMPRAR MEUS PRODUTOS / SERVIÇOS

43 GERENCIAMENTO DE MARKETING E VENDAS 1 - A&S 3 - Ação 2 - P 4 - M&C 4 - Mensuração e Controle Eficácia da campanha Qualidade ROI 4 - Mensuração e Controle Eficácia da campanha Qualidade ROI 2 - Planificação A oferta, as argumentações, a campanha, a mídia, os recursos Uma receita específica para cada cliente 2 - Planificação A oferta, as argumentações, a campanha, a mídia, os recursos Uma receita específica para cada cliente 3 - Ação Visitas, Telemarketing, Mailing, Eventos,.... Toda empresa deve entender dos clientes (ex. Sistema de Cores) 3 - Ação Visitas, Telemarketing, Mailing, Eventos,.... Toda empresa deve entender dos clientes (ex. Sistema de Cores) 1 – Análise e Segmentação Quantidade de clientes Perfis Potenciais Oportunidades Segmentação

44 FINALIZANDO......

45 OCULTAR INFORMAÇÕES FAZER SOMENTE CRÍTICAS DESTRUTIVAS NÃO COLABORAR NÃO ACEITAR E NÃO APRENDER DAR INFORMAÇÕES ERRADAS NÃO CUMPRIR PRAZOS Estratégias representam mudanças Mudanças provocam resistências

46 As novas responsabilidades dos executivos Definir a identidade da empresa, que realce seu propósito Definir a identidade da empresa, que realce seu propósito Encorajar a iniciativa a fim de encontrar as nascentes de criatividade da organização Encorajar a iniciativa a fim de encontrar as nascentes de criatividade da organização Ir em busca da integridade, que cria confiança e serve de base para o controle organizacional Ir em busca da integridade, que cria confiança e serve de base para o controle organizacional Estabelecer a Visão Estabelecer a Missão Quebrar Paradigmas Lidar com a resistência à mudança Questionar o processo Incentivar o pensamento diferente Utilizar sempre a Franqueza e a Sinceridade Comunicação e Feedback Negociação Como lidar com estas responsabilidades?

47 ADMINISTRADOR HABILIDADE CONCEITUAL HABILIDADE HUMANA HABILIDADE TÉCNICA CAPACIDADE DE NEGOCIAÇÃO Habilidades Atuais do Administrador

48 OBRIGADO! Esta apresentação está disponível no site área de downloads.


Carregar ppt "EJRos Assessoria Técnica Ltda Tornando sua empresa mais competitiva Everton José De Ros Engenheiro Eletricista (UFRGS), Pós Graduado em Manipuladores Robóticos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google