A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULA PRÁTICA Arthur Aguiar Cirurgião Pediátrico 14.05.2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULA PRÁTICA Arthur Aguiar Cirurgião Pediátrico 14.05.2011."— Transcrição da apresentação:

1 AULA PRÁTICA Arthur Aguiar Cirurgião Pediátrico

2 Objetivos Classificações dos fios cirúrgicos Principais fios cirúrgicos, características, utilização Nó cirúrgico, ponto cirúrgico, sutura cirúrgica Tipos de sutura e utilizações Retirada de sutura

3 Síntese cirúrgica Conceito Conceito Objetivos Objetivos Facilitar o processo de cicatrização Facilitar o processo de cicatrização Contiguidade Contiguidade Continuidade Continuidade

4 Fios cirúrgicos Características do fio ideal Resistência à tração e torção Resistência à tração e torção Calibre fino e regulado Calibre fino e regulado Mole, flexível e pouco elástico Mole, flexível e pouco elástico Reação tecidual Reação tecidual Esterilização Esterilização custo custo

5 Classificação dos fios cirúrgicos Quanto à estrutura Monofilamentar Monofilamentar Nylon Nylon Aço inoxidável Aço inoxidável Polipropileno Polipropileno Polidioxanone Polidioxanone

6 Classificação do fio Quanto à estrutura Quanto à estrutura Multifilamentar Multifilamentar Categute simples e cromado Categute simples e cromado Algodão Algodão Seda Seda Nylon Nylon Dacrón Dacrón Ácido poliglicólico Ácido poliglicólico Poliglactin revestido Poliglactin revestido

7 Classificação do fio

8 Quanto à absorção Absorvíveis Absorvíveis Categute simples/ cromado Categute simples/ cromado Ácido poliglicólico (Dexon) Ácido poliglicólico (Dexon) Ácido poligaláctico (Vicryl) Ácido poligaláctico (Vicryl) Polidioxanona (Maxon, PDS) Polidioxanona (Maxon, PDS)

9 Classificação do fio Quanto à absorção Inabsorvíveis Inabsorvíveis Seda Seda Algodão Algodão Poliéster Poliéster Nylon Nylon Polipropileno (Prolene) Polipropileno (Prolene)

10 Classificação do fio Quanto à origem Origem animal Origem animal Categute simples/cromado Categute simples/cromado Origem orgânica Origem orgânica seda seda Origem vegetal Origem vegetal algodão algodão Origem sintética Origem sintética Nylon Nylon Polipropileno Polipropileno Poliéster Poliéster Origem metálica Origem metálica Prata Prata Cobre Cobre Aço Aço Clips de Michel Clips de Michel

11 Classificação do fio Quanto à presença de agulhas Agulhados Agulhados Não agulhados Não agulhados Quanto à reação tissular Desprezível Desprezível Mínima Mínima Muito baixa Muito baixa Moderada Moderada

12 Classificação do fio Quanto à memória Desprezível Desprezível Baixa Baixa Moderada Moderada Alta Alta Bastante alta Bastante alta

13 Classificação do fio Quanto ao calibre Maior diâmetro Menor diâmetro Maior diâmetro Menor diâmetro 3-2–1–0–2.0–3.0–4.0–5.0–6.0–7.0–8.0– 9.0–10.0–11.0–12.0

14 Categute Biológico Biológico Submucosa do int. Submucosa do int. delgado de ovelhas ou delgado de ovelhas ou serosa de bovinos polifilamentado polifilamentado Simples: Simples: absorção mais rápida – 5 a 10 dias absorção mais rápida – 5 a 10 dias Perde tensão em 1 a 2 semanas Perde tensão em 1 a 2 semanas Cromado: Cromado: tratamento com bicromato de potássio tratamento com bicromato de potássio absorção mais lenta – 20 dias absorção mais lenta – 20 dias Força tênsil aumentada – 2 a 3 sem Força tênsil aumentada – 2 a 3 sem

15 Categute Vantagens Manuseio Manuseio Absorvível Absorvível Desvantagens Permeável Permeável Reação tecidual Reação tecidual Infecção Infecção Alergênico Alergênico

16 Categute Indicações Suturas gastrintestinais Suturas gastrintestinais Amarraduras de vasos na tela subcutânea Amarraduras de vasos na tela subcutânea Suturas no peritônio Suturas no peritônio Cirurgias ginecológicas Cirurgias ginecológicas Bexiga Bexiga Contra indicação Suturas superficiais Suturas superficiais Aponeurose Aponeurose

17 Ácido poliglicólico (Dexon) Vantagens Sintético Sintético multifilamentado multifilamentado Absorvível – 60 a 90 dias Absorvível – 60 a 90 dias Reação inflamatória Reação inflamatória Resistente Resistente

18 Ácido poliglicólico (Dexon) Desvantagens Perda da tensão efetiva de seus nós em torno de 3 semanas Perda da tensão efetiva de seus nós em torno de 3 semanas custo custo Infecção Infecção

19 Ácido poliglicólico (Dexon) Indicações Peritônio Peritônio Músculos Músculos Subcutâneo Subcutâneo Chuleio intradérmico Chuleio intradérmico Laqueadura vascular Laqueadura vascular Não indicado - aponeurose Não indicado - aponeurose

20 Ácido poligaláctico (Vicryl) Sintético Sintético Semelhante ao ác. Semelhante ao ác. Poliglicólico Poliglicólico Absorvido em 60 dias Absorvido em 60 diasIndicações Cirurgias gastrintestinais, urológicas, ginecológicas, oftalmológicas, aproximação de tec. Subcutâneo, pele Cirurgias gastrintestinais, urológicas, ginecológicas, oftalmológicas, aproximação de tec. Subcutâneo, pele Ponto intradérmico (3.0) Ponto intradérmico (3.0)

21 Polidioxanona (PDS) Sintético Sintético Monofilamentado Monofilamentado Absorção lenta – 90 a 180 dias Absorção lenta – 90 a 180 dias Manutenção da resistência tênsil por longo período Manutenção da resistência tênsil por longo períodoIndicações Sutura de tendões, capsulas articulares e fechamento da parede abdominal Sutura de tendões, capsulas articulares e fechamento da parede abdominal

22 Seda Filamento protéico obtido do bicho-da-seda Filamento protéico obtido do bicho-da-seda Multifilamentado Multifilamentado Fibras retorcidas ou trançadas Fibras retorcidas ou trançadas Inabsorvível porém biodegradável Inabsorvível porém biodegradável

23 Seda Vantagens Ñ irritante Ñ irritante Barato Barato fácil manuseio fácil manuseio Nó firme Nó firme Cicatrização Cicatrização Desvantagens Infecção Infecção reação tecidual - corpo estranho reação tecidual - corpo estranho

24 Seda Utilização Fechamento de parede Fechamento de parede Hemostasia de vasos Hemostasia de vasos Cirurgias gastrointestinais Cirurgias gastrointestinais Cirurgias Oftálmicas Cirurgias Oftálmicas Cirurgias torácicas Cirurgias torácicas Cirurgias ortopédicas Cirurgias ortopédicas

25 Algodão Vantagens Barato Barato Maleável Maleável nós firmes nós firmes Resistente ResistenteUtilização Cirurgias gerais Cirurgias gerais Desvantagens Infecção Infecção Reação tecidual – granuloma de corpo estranho Reação tecidual – granuloma de corpo estranho

26 Poliéster Sintético Sintético Multifilamentado Multifilamentado Resistência e durabilidade Resistência e durabilidade reação tecidual reação tecidual resposta inflamatória resposta inflamatóriaIndicações Aponeuroses, tendões, vasos Aponeuroses, tendões, vasos Contra indicações Infecção no local da sutura Infecção no local da sutura

27 Nylon Vantagens Mono/multifilamentar Mono/multifilamentar resistência resistência Flexível Flexível reação tecidual reação tecidual Não irritante Não irritante Desvantagens elasticidade elasticidade Difícil manuseio Difícil manuseio Perde resistência Perde resistência Não produz nó firme Não produz nó firme

28 Nylon Não absorvível porém biodegradável Não absorvível porém biodegradávelUtilização Usado em todos os tecidos – praticamente inerte Usado em todos os tecidos – praticamente inerte Preferidos para suturas de pele Preferidos para suturas de pele Fechar paredes Fechar paredes

29 Polipropileno (Prolene) Sintético Sintético Monofilamentado Monofilamentado Produz reação tecidual Produz reação tecidual resistência – vários anos resistência – vários anos Facilmente removível Facilmente removívelUtilização Sutura vascular Sutura vascular Sutura intradérmica Sutura intradérmica Fechamento de aponeurose Fechamento de aponeurose

30 Aço Vantagens Resistência Resistência Inerte aos tecidos Inerte aos tecidos Maleável Maleável Grande força tensional Grande força tensional Infecção Infecção Esterilização Esterilização Desvantagens Difícil manuseio Difícil manuseio Elasticidade Elasticidade Nós volumosos Nós volumosos Opaco ao RX Opaco ao RX Uso limitado Uso limitado

31 Aço Utilização Finos – cir. Plástica Finos – cir. Plástica Médio – parede Médio – parede Grosso – o sso Grosso – o sso

32 Origem metálica Prata - clips de neurocirurgias e cirurgias vasculares. Prata - clips de neurocirurgias e cirurgias vasculares. Cobre – cirurgias bucomaxilofaciais. Cobre – cirurgias bucomaxilofaciais. Aço vitálico – osteossínteses. Aço vitálico – osteossínteses. Agrafes ou clips de Michel – aproximação de bordas de pele. Agrafes ou clips de Michel – aproximação de bordas de pele.

33 Nós e suturas Nó cirúrgico É o entrelaçamento ordenado feito com as extremidades livres do fio cirúrgico É o entrelaçamento ordenado feito com as extremidades livres do fio cirúrgico Objetivos do nó cirúrgico Fácil execução Fácil execução Perfeito ajuste das bordas da ferida Perfeito ajuste das bordas da ferida Evitar afrouxamento Evitar afrouxamento

34 Nós e suturas Ponto cirúrgico É o segmento de fio cirúrgico compreendido entre uma ou duas passagens deste no tecido. É o segmento de fio cirúrgico compreendido entre uma ou duas passagens deste no tecido. Distância entre dois locais consecutivos Distância entre dois locais consecutivos É a unidade de síntese É a unidade de síntese

35 Nós e suturas Sutura cirúrgica Ponto ou conjunto de pontos aplicados nos tecidos com o objetivo de união, fixação e sustentação Ponto ou conjunto de pontos aplicados nos tecidos com o objetivo de união, fixação e sustentação A importância da sutura cirúrgica diminui com o progredir da cicatrização A importância da sutura cirúrgica diminui com o progredir da cicatrização

36 Nós cirurgicos Compostos por 3 seminós 1°- Contenção 2º- Fixação 3°- Segurança

37 Tipos de suturas Sutura em pontos separados Vantagens Afrouxamento de um nó não interfere no restante da sutura Afrouxamento de um nó não interfere no restante da sutura quantidade de corpo estranho na ferida quantidade de corpo estranho na ferida isquemia da ferida isquemia da feridaDesvantagem Mais trabalhosa e mais demorada Mais trabalhosa e mais demorada

38 Tipos de suturas Sutura em pontos separados 1) Ponto simples 2) Ponto simples com nó para o interior da ferida 3) Ponto em U horizontal 4) Ponto em U vertical 5) Ponto em X horizontal 6) Ponto em X horizontal com nó para o interior da ferida 7) Ponto recorrente 8) Ponto helicoidal duplo

39 Ponto simples

40 U horizontal – Wolf U vertical - Donatti

41 Donatti

42 ponto em X

43 Tipos de suturas Sutura contínua 1) Chuleio simples 2) Chuleio ancorado 3) Sutura em barra grega 4) Sutura intratecidual, em barra grega 5) Sutura em pontos recorrentes

44 Sutura contínua simples ou sutura de Kurschner

45 Sutura ancorada de Ford, Retrógrada, festonada ou de Reverdin

46 Sutura em barra grega

47 Sutura intradérmica

48 Sutura em bolsa

49 Suturas da pele Fios inabsorvíveis reação tecidual cicatrizes estéticas Fios inabsorvíveis reação tecidual cicatrizes estéticas Nylon, poliéster Nylon, poliéster Pontos separados Pontos separados Pontos intradérmicos Pontos intradérmicos – fios inabsorvíveis ou absorvível tipo poliglicólico Aproximação com tiras de esparadrapo microporado Aproximação com tiras de esparadrapo microporado

50 Sutura de tela subcutânea Evitar formação de espaço morto e conseq coleções serosas e hemáticas Evitar formação de espaço morto e conseq coleções serosas e hemáticas Pontos separados Pontos separados Fio absorvível Fio absorvível Categute ou poliglicólico Categute ou poliglicólico

51 Sutura de aponeurose Pontos separados Pontos separados Fio inabsorvível Fio inabsorvível Nylon, poliéster, algodão ou seda Nylon, poliéster, algodão ou seda Sutura contínua – facilita eventrações Sutura contínua – facilita eventrações

52 Sutura muscular Quando a aponeurose que recebe o músculo é delicada Quando a aponeurose que recebe o músculo é delicada Fios absorvíveis Fios absorvíveis Evitar pontos isquemiantes Evitar pontos isquemiantes

53 Sutura de vasos e nervos Pontos separados ou contínuos Pontos separados ou contínuos Sempre com fios inabsorvíveis Sempre com fios inabsorvíveis Nylon ou poliéster Nylon ou poliéster

54 Sutura do tudo digestivo Anastomoses gastrintestinais Lembert (1825): sutura serosa-serosa Halsted (1887): inclusão da submucosa + sutura em um plano Posteriormente: anastomose intestinal em 2 planos Gambee (1951): Bons resultados com anastomoses intestinais em 1 plano Recentemente: estudos clínicos e esperimentais confirmam este estudo

55 Anastomoses gastrintestinais Disposição das bocas Término-terminal Término-terminal Término-lateral Término-lateral Látero-lateral Látero-lateral

56 Enteroentero- anastomose término-terminal em dois planos Fechamento da brecha mesenterial

57 Enteroentero- anastomose látero-lateral em dois planos

58 Sutura através de grampeadores Grampos metálicos Grampos metálicos Técnica adequada, rápida, segura Técnica adequada, rápida, segura Pequena reação tecidual Pequena reação tecidual

59 Retirada dos fio de sutura cutânea Devem ser mantidos enquanto úteis Devem ser mantidos enquanto úteis Retirar o mais breve possível – resistência da cicatriz Retirar o mais breve possível – resistência da cicatriz Incisões pequenas (4cm) – 4° a 5° dias Incisões pequenas (4cm) – 4° a 5° dias Incisões extensas – 7° a 8° dias Incisões extensas – 7° a 8° dias Experiência do cirurgião Experiência do cirurgião

60 Retirada dos fio de sutura cutânea Avaliação Aspecto da cicatriz Aspecto da cicatriz Local da ferida – tensão? Local da ferida – tensão? Direção da cicatriz – linhas de força Direção da cicatriz – linhas de força Condições que interferem na cicatrização Condições que interferem na cicatrização Tipo de tecido e capacidade de adquirir resistência tênsil ao processo de cicatrização Tipo de tecido e capacidade de adquirir resistência tênsil ao processo de cicatrização Tensão a que o tecido será submetido Tensão a que o tecido será submetido


Carregar ppt "AULA PRÁTICA Arthur Aguiar Cirurgião Pediátrico 14.05.2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google