A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NEUROCIÊNCIASEPSICONEUROIMUNOLOGIA III CONGRESSO PAULISTA DE PSICOSSOMÁTICA SÃO PAULO, SP - 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NEUROCIÊNCIASEPSICONEUROIMUNOLOGIA III CONGRESSO PAULISTA DE PSICOSSOMÁTICA SÃO PAULO, SP - 2006."— Transcrição da apresentação:

1 NEUROCIÊNCIASEPSICONEUROIMUNOLOGIA III CONGRESSO PAULISTA DE PSICOSSOMÁTICA SÃO PAULO, SP

2 AS QUATRO ETAPAS DO PROCESSO CIENTÍFICO: 1. Observação Usualmente feita durante um experimento destinado a testar uma teoria.

3 AS QUATRO ETAPAS DO PROCESSO CIENTÍFICO: 2. Replicação É essencial que uma observação seja replicada antes de ser aceita como um fato.

4 AS QUATRO ETAPAS DO PROCESSO CIENTÍFICO: 3. Interpretação: Uma vez que se crê que uma observação é correta ela é interpretada, o que depende do estado do conhecimento no momento da observação e das noções prévias do observador.

5 AS QUATRO ETAPAS DO PROCESSO CIENTÍFICO: 4. Verificação: A observação é suficientemente forte quando é constatada por qualquer cientista que siga o protocolo inicial, fazendo com que ela seja aceita como um fato.

6 NÍVEIS DE ANÁLISE EM NEUROCIÊNCIAS 1. MOLECULAR 2. CELULAR 3. SISTÊMICA 4. COMPORTAMENTAL 5. COGNITIVA

7 NÍVEIS DE ANÁLISE EM NEUROCIÊNCIAS 1. MOLECULAR De como as moléculas participam de mecanismos cruciais: Comunicação interneuronal Controle de influxos e efluxos celulares Crescimento neuronal Memória

8 NÍVEIS DE ANÁLISE EM NEUROCIÊNCIAS 2. CELULAR De como as moléculas agem em conjunto para proporcionar aos neurônios suas propriedades especiais: Quais os tipos diferentes de neurônios Como diferem funcionalmente Como se influenciam reciprocamente Como se estabelecem as redes Como conseguem processar dados

9 NÍVEIS DE ANÁLISE EM NEUROCIÊNCIAS 3. SISTÊMICA De como diferentes circuitos: Analisam informação sensorial Analisam informação sensorial Formam percepções do mundo externo Tomam decisões Executam tarefas

10 NÍVEIS DE ANÁLISE EM NEUROCIÊNCIAS 4. COMPORTAMENTAL De como diferentes sistemas trabalham em conjunto para produzir comportamentos integrados: Sistemas de memória Sistemas de memória Resposta dos sistemas às drogas Ação de sistemas na regulação do estado de ânimo e do comportamento

11 NÍVEIS DE ANÁLISE EM NEUROCIÊNCIAS 5. COGNITIVA De como a atividade cerebral cria a mente. A compreensão dos mecanismos neurais responsáveis pelos níveis mais elevados da atividade mental humana: Auto-consciência Auto-consciência Imagens mentais Linguagem

12 A PSICONEUROIMUNOLOGIA ESTÁ SENDO ASSENTADA EM SÓLIDAS BASES RESULTANTES DA APLICAÇÃO DO PROCESSO CIENTÍFICO.

13 PSICONEUROIMUNOLOGIA Inervação dos órgãos do sistema imunológico: Medula óssea TimoBaço Nódulos linfáticos Outras acumulações linfóides

14 PSICONEUROIMUNOLOGIA Mecanismos de controle através da sinalização química a partir de terminações nervosas: Fluxo sanguíneo Pressão de perfusão Volume sanguíneo Migração celular Maturação celular Liberação de substâncias: sinalização retrógrada para o SNC

15 PSICONEUROIMUNOLOGIA Influências do SNC sobre o sistema imunológico: Hipotálamo Sistema Límbico Tronco cerebral Córtex cerebral

16 PSICONEUROIMUNOLOGIA Influências do sistema imunológico sobre o SNC Intensidade de disparo neuronal Metabolismo central Efeitos neuroendócrinos Efeitos imunológicos sobre o comportamento

17 Dadas as íntimas relações existentes entre o Sistema Nervoso, Sistema Endócrino e Sistema Imunológico, não há como desconsiderar a participação dos hormônios neste complexo. PSICONEUROENDOCRINOIMUNOLOGIA Seria o nome mais adequado para esta área do conhecimento.

18 ESTRESSE

19 NC CPR HC AMG CEA BLA BNST NS RD NPV NAq NSO NVM NTS B HF SSHC 5HT ADRNADR SR NTBM PAG ACTH CRH PRL 5HT CORT V CRH TSH GH ADR

20 Sujeito 1 - Curvas de tempo e resposta das variações hormonais ao estresse psicológico. C-teste, p<0,05 - U-teste, p<0,05. Cavini-Ferreira, R – IP/NeC/USP

21 Sujeito 5 - Curvas escalonadas de tempo e resposta das variações hormonais ao estresse psicológico. C-teste, p<0,05 U-teste, p<0,05 Cavini-Ferreira, R – IP/NeC/USP

22 Estudos em animais de laboratório demonstram que a simples percepção do estresse modifica a temperatura corporal e a atividade das células NK. A psicoterapia pode se tornar mais eficaz se algum aspecto deste conhecimento for incluído no desenho do tratamento, particularmente via condicionamento de respostas imunológicas. Hiramoto et al. - Psychoneuroendocrine immunology: perception of stress can alter body temperature and natural killer cell activity. - Int J Neurosci. 98(1-2):95-129, 2005

23 O estresse crônico tem sido associado com a supressão da função imunológica. Em contraste, estressores psicológicos agudos e exercícios físicos aumentam transitoriamente as respostas imunológicas. Estes efeitos do estresse sobre a imunidade parecem ser mediados via fatores endócrinos, já que hormônios, neurotransmissores e neuropeptídeos podem interagir com componentes celulares do sistema imunológico. Schedlowski, M.; Schmidt, R.E. - Stress and the immune system. Naturwissenschaften - May;83(5):214-20, 1966

24 A exposição ao trauma pode resultar em desregulação imunológica e crescentes evidências sugerem que existem alterações imunológicas associadas ao Transtorno do Estresse Pós Traumático (TEPT). Wong, C.M. - Post-traumatic stress disorder: advances in psychoneuroimmunology. - Psychiatr Clin North Am. – June, 25(2):369-83, 2002 Os níveis médios de IFN- γ estão mais elevados em mulheres vítimas de abuso e com sintomas de TEPT. Woods, A.B. et al - The mediation effect of posttraumatic stress disorder symptoms on the relationship of intimate partner violence and IFN-gamma levels. - Am J Community Psychol Sep;36(1-2):159-75

25 IL-1, TNF-α e INF-γ agem como neuromoduladores, provocando respostas compatíveis com o que se observa na depressão: 1. Alterações comportamentais 2. Alterações neuroendócrinas (eixo HPA) 3. Alterações neuroquímicas (redução de TRP) Schiepers, O. et al. - Cytokines and major depression - Prog. Neuropsychopharmacol. Biol. Psychiat. 29(2):201–217, 2005

26 Os Sistemas Nervoso, Endócrino e Imunológico estão intimamente associados. O ambiente social e o estresse influenciam o indivíduo e podem causar doenças, frequentemente imunosupressão. A psicoterapia pode despertar o sistema imunológico. Estudos sobre o condicionamento do sistema imunológico e a influência do relaxamento são extremamente importantes nos processos de adaptação às doenças. Mausch, K. - Psychological interventions and their immune consequences - Psychosomatic Medicine 64:15-28, 2002

27 ATIVIDADES MENTAIS SUPERIORES

28 Uma recente revisão sobre saúde e religião demonstrou relação consistente entre a religiosidade e saúde física e mental, a despeito de que seus mecanismos sejam ainda pobremente compreendidos. Uma maneira de isto acontecer é através de mecanismos hormonais e imunológicos, ou seja, através de fatores psiconeuroimunoendócrinos. Koenig, H.G. - Psychoneuroimmunology and the Faith Factor - J Gend Specif Med. Jul-Aug - 3(5):37-44, 2006.


Carregar ppt "NEUROCIÊNCIASEPSICONEUROIMUNOLOGIA III CONGRESSO PAULISTA DE PSICOSSOMÁTICA SÃO PAULO, SP - 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google