A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Intertextualidade e Interdiscursividade Prof. Édson Carlos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Intertextualidade e Interdiscursividade Prof. Édson Carlos."— Transcrição da apresentação:

1 Intertextualidade e Interdiscursividade Prof. Édson Carlos

2 Nível Discursivo Quem discursa faz uma série de opções de acordo com os efeitos de sentido que deseja produzir. Os efeitos mais comuns são: Efeito de distanciamento; Efeito de aproximação; Efeito de realidade.

3 Efeito de distanciamento Recursos que dão objetividade e neutralidade ao texto; Uso da 3ª pessoa; Exemplos: Médicos operam tenor. Câncer mata Covas.

4 Efeito de aproximação O uso de primeira ou segunda pessoas deixa o texto mais subjetivo; Exemplos: SEXO 5 maneiras de atiçar o seu desejo. Rapidinho... (Revista Claudia) Diálogo com o leitor, uso do possessivo, diminutivo, tom coloquial, intimidade.

5 Efeito de aproximação A subjetividade de um texto também ocorre quando ADJETIVOS, VERBOS, SUBSTANTIVOS E ADVÉRBIOS expressam julgamento de valor. Exemplo: Câncer mata o grande Covas.

6 Efeito de realidade Estratégias da enunciação para criar efeito de realidade: - Projetar pessoa – tempo – espaço; - Uso do discurso direto; Exemplo: Quando o enterro passou os homens que se achavam no café tiraram o chapéu maquinalmente (Manuel Bandeira)

7 A troca da pessoa Outro recurso lingüístico que cria diversos efeitos de sentido. Dizem que o Pelé é isso e aquilo; vejam bem, eu... Terceira do singular no lugar da primeira do singular = distanciamento

8 A troca da pessoa A utilização da terceira pessoa no lugar da primeira ou segunda também pode ocorrer para evidenciar o papel social. O patrão pode confiar em mim. O coronel está elegante. Vais sair? Seu pai se mata de trabalhar para isso?

9 A troca da pessoa Também pode haver efeito de aproximação: Eu faço arte e ainda dou risada? Eu sou pobre, não tenho assistência médica decente, como muito mal. Que futuro tenho? Então, como vamos de namoro?

10 A troca do espaço Os pronomes demonstrativos também são suscetíveis a uma troca: - Esta mulher não me sai da cabeça...quando irei reencontrá-la? A mulher não está próxima do enunciador, todavia está presente em sua mente, em virtude de muito amá-la.

11 A troca do tempo É o emprego metafórico dos tempos verbais. Termina amanhã o prazo de entrega do imposto de renda. Termina= presente Amanhã= futuro

12 Marcadores temporais Discussão filosófica, lingüística e até mitológica. Santo Agostinho discute o não ser do tempo: o passado não existe, porque não é mais; o futuro, porque ainda não é; para o filósofo só o presente pode ser medido. Tempo na enunciação é sempre um presente. O que pode haver é anteriorirdade, concomitância ou posterioridade.

13 Marcadores espaciais Bachelard relacionou o espaço com os estados da alma: o porão estaria ligado à morte, à irracionalidade; o telhado à liberdade, à racionalidade. O espaço cria uma ambientação e na psicologia humana. Um ambiente fechado pode suscitar, por exemplo, angústia, medo ou também segurança, conforto.

14 Marcadores espaciais O espaço articula-se em oposições do tipo: Fechado X aberto Fixo X móvel Interior X exterior

15 Texto temático e texto figurativo Temático: mais abstrato, de função interpretativa. Ex: dissertações, textos mais conceituais. Figurativo: mais concreto, de função representativa. Ex: narrativa. Exemplo: A cigarra e a formiga

16 Interdiscursividade Todo texto traz um discurso, uma visão de mundo (ou ideologia). Todo discurso reproduz um discurso que já existe, ao mesmo tempo em que se opõe a outro que também já existe. Há interdiscursividade entre textos escritos, música, pintura.

17 Exemplo de interdiscursividade

18

19 *MAIS FÁCIL DE TER, SÓ DENGUE. (Anúncio do carro Audi A3 2002). Aqui a intenção é veicular o duplo sentido do verbo ter (possuir / ser contagiado) em uma peça de extremo mau-gosto, mas eficiente lingüisticamente.

20 Intertextualidade O fenômeno de um texto remeter a outro. Não é plágio. Paródia: humor.

21 Exemplo de Intertextualidade Na Literatura: Oh! Que saudade que tenho/ da aurora da minha vida,/ da minha infância querida/ que os anos não trazem mais Que amor, que sonhos, que flores/ Naquelas tardes fagueiras/ À sombra das bananeiras/ Debaixo dos laranjais! (Casimiro de Abreu)

22 Exemplo de Intertextualidade Na Literatura: Oh! Que saudade que tenho/ da aurora da minha vida,/ da minha infância querida/ que os anos não trazem mais Naquele quintal de terra/ da rua São Antônio/ Debaixo da bananeira/ Sem nenhum laranjais! (Oswald de Andrade)

23 Exemplo de Intertextualidade

24

25

26

27 Tipos de argumento Conhecê-los permite identificar melhor as estratégias persuasivas utilizadas nos mais variados textos: I - O anterior sobre o posterior: x é anterior a y, logo x é melhor do que y, ou x tem mais direito que y.

28 Exemplo:

29 Tipos de argumento II – O posterior sobre o anterior: x é posterior a y, logo x é melhor que y.

30 III – O durável sobre o efêmero: x dura mais que y, logo x é melhor que y.

31 IV – O efêmero sobre o durável: x é mais rápido que y, logo x é melhor que y. V - Argumento de qualidade: x é superior a y, porque possui mais qualidades que y.

32 VI - Argumento de quantidade: x é superior a y, porque x possui mais do que y.

33 VII – O existente sobre aquilo que é possível: x é certo, y é um risco. VIII - Argumento de direção: para atingir y é preciso passar por x. IX - Argumento baseado na competência lingüística: refere-se à habilidade com que o enunciador utiliza a linguagem.

34 X - Argumento baseado em provas concretas: apresentação de estatísticas, cifras, documentos, fatos históricos e do cotidiano. XI - Argumento de autoridade: citar uma autoridade sobre o assunto do qual se fala.

35 Argumento de consenso: a comunidade científica coloca como inquestionável. Argumento baseado no raciocínio lógico: uso de silogismos, causa e efeito.


Carregar ppt "Intertextualidade e Interdiscursividade Prof. Édson Carlos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google