A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Outubro, 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Outubro, 2013."— Transcrição da apresentação:

1 Outubro, 2013

2 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua administração a respeito de seu plano de negócios. Afirmações prospectivas incluem, entre outras, todas as afirmações que denotam previsão, projeção, indicam ou implicam resultados, performance ou realizações futuras, podendo conter palavras como "acreditar", "prever", "esperar“, "contemplar", "provavelmente resultará" ou outras palavras ou expressões de acepção semelhante. Tais afirmações estão sujeitas a uma série de expressivos riscos, incertezas e premissas. Advertimos que diversos fatores importantes podem fazer com que os resultados reais divirjam de maneira relevante dos planos, objetivos, expectativas, estimativas e intenções expressos nesta apresentação. Em nenhuma hipótese a Companhia ou suas subsidiárias, seus conselheiros, diretores, representantes ou empregados serão responsáveis perante quaisquer terceiros (inclusive investidores) por decisões ou atos de investimento ou negócios tomados com base nas informações e afirmações constantes desta apresentação, e tampouco por danos consequentes, indiretos ou semelhantes. A Companhia não tem intenção de fornecer aos eventuais detentores de ações uma revisão das afirmações prospectivas ou análise das diferenças entre as afirmações prospectivas e os resultados reais. Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendo ser reproduzidos ou divulgados no todo ou em parte sem a sua prévia anuência por escrito.

3 1 Tese de Investimento

4 Tese de Investimento Uma da maiores geradoras privadas de energia no Brasil A ENEVA atualmente opera 1,8 GW (2,9 GW em 2014) em térmicas a carvão e gás natural Plataforma integrada de energia, com acesso privilegiado a recursos naturais Única geradora privada de energia no Brasil com acesso a gás onshore Geração de valor no curto prazo - Reorganizar a estrutura corporativa e lidar com os desafios de dívida de curto prazo - Papel mais forte da E.ON, trazendo conhecimento técnico e disciplina de custos à ENEVA Portfólio greenfield competitivo Projetos licenciados de geração de energia a carvão, a gás e eólica 4

5 Estrutura Societária da ENEVA
Visão Geral da ENEVA Uma geradora térmica brasileira com ativos a combustíveis fósseis (gás natural e carvão) Descrição da Companhia Mapa de Atuação PPAs de longo prazo, protegidos da inflação, somam 2,9 GW 1,8 GW em operação 1,1 GW em construção PPAs de longo prazo garantem R$1,4 bilhão em pagamentos anuais ajustados pelo IPCA PPAs proporcionam hedge contra exposição ao preço de commodities Ativos integrados de E&P de gás fornecem 8,4 M m³/dia para as plantas da ENEVA Competitivo portfólio de projetos greenfield a carvão, a gás e eólicos Parnaíba I ENEVA 70% / Petra 30% Gás Natural MW Amapari Energia ENEVA 51% / Eletronorte 49% Diesel - 23 MW Itaqui ENEVA 100% Carvão MW Blocos Exploratórios de Gás Natural Produção contratada de 8,4 M m3/dia Pecém I ENEVA 50% / EDP 50% Carvão MW Pecém II Carvão MW Parnaíba II Gás Natural MW Parnaíba III Gás Natural MW Parnaíba IV Gás Natural - 56 MW Estrutura Societária da ENEVA Free Float (38,2%) Bloco Controlador Other BNDES Eike Batista 27,9% 10,3% 23,9% 37,9% 50% MPX / E.ON Partipações Joint Venture 50% 5

6 2 Visão Geral

7 História da Companhia 2,9 GW em PPAs de longo prazo com proteção à inflação desenvolvidos desde 2007 Capacidade operacional alcança 1,8 GW com o início da operação comercial das UTEs Itaqui e Parnaíba I E.ON eleva sua participação para 36% por um valor total de R$1,4 Bi e passa a integrar o grupo de controle Mudança de nome para ENEVA IPO capta US$1,1Bi Venda de MW no leilão A-5 Aquisição de participação em 7 blocos exploratórios onshore na Bacia do Parnaíba 2012 2013 Parceria com a E.ON, incluindo o investimento de R$1,0 Bi e a criação de uma joint venture Aquisição de projeto greenfield eólico (Ventos) Início da operação comercial da UTE Pecém I – Primeira geradora de larga escala da ENEVA Venda de 365 MW no leilão A-5 7

8 Ativos Operacionais 1,8 GW em operação em plantas térmicas a carvão e gás UTE Itaqui UTE Pecém I Parnaíba I OCGT Combustível: Carvão Participação da ENEVA: 100% Capacidade Instalada: 360 MW Energia Vendida: 315 MW Receita Fixa¹: R$299,8 M/ano Início da Operação: Fev, 13 Combustível: Carvão Participação da ENEVA: 50% Capacidade Instalada: 720 MW Energia Vendida: 615 MW Receita Fixa¹: R$567,2 M/ano Início da Operação: Mai, 13 Combustível: Gás Natural Participação da ENEVA: 70% Capacidade Instalada: 676 MW Energia Vendida: 450 MW Receita Fixa¹: R$421,2 M/ano Início da Operação: Abr, 13 Observação: 1) Receita fixa indexada à índice inflacionário - IPCA (Data-base: Nov, 2012) 8

9 Plantas com DCO nos próximos meses
Adicionalmente 1,1 GW entrará em operação UTE Pecém II Parnaíba III OCGT UTE Parnaíba IV Parnaíba II CCGT Combustível: Carvão Participação da ENEVA: 100% Capacidade Instalada: 365 MW Energia Vendida: 276 MW Receita Fixa¹: R$269.2 M/ano Início da Operação: 4T13 (Standby) Combustível: Gás Natural Participação da ENEVA: 70% Capacidade Instalada: 176 MW Energia Vendida: 98 MW Receita Fixa¹: R$93.5 M/ano Início da Operação: 4T13 Combustível: Gás Natural Participação da ENEVA: 70% Capacidade Instalada: 56 MW Energia Vendida: 46 MW (Mercado Livre) Receita Fixa¹: R$54.0 M/ano Início da Operação: 4T13 Combustível: Gás Natural Participação da ENEVA: 100% Capacidade Instalada: 517 MW Energia Vendida: 450 MW Receita Fixa¹: R$353.1 M/ano Início da Operação: 1S14 Observação: 1) Receita fixa indexada a índice inflacionário - IPCA (Data base: Nov, 2012) 9

10 Estrutura Societária da OGXM
E&P de Gás Natural Integrada Forte competitividade na geração a gás Pontos Principais Mapa de Atuação Todas as plantas a gás do Parnaíba são abastecidas pela OGX Maranhão (OGXM), detentora e operadora de 8 blocos exploratórios onshore ENEVA possui participação de 33,3% na OGX Maranhão Declaração de comercialidade para 3 campos de gás: Gavião Real, Gavião Branco e Gavião Azul Fornecimento assegurado de 8,4 M m³/dia de gás ENEVA é uma potencial compradora como detentora de direito de preferência em uma possível venda da participação da OGX na OGX Maranhão PN-T-48 PN-T-49 PN-T-50 PN-T-68 PN-T-67 Estrutura Societária da OGXM PN-T-84 33,3% OGX Maranhão 66,6% Blocos 1-7 Bloco 8 50% 30% 70% Imetame, DELP, Orteng PN-T-85 PN-T-102 10

11 Evolução da Capacidade Contratada
E&P de Gás Natural Integrada Campanha Exploratória Evolução da Capacidade Contratada (Milhões m³/dia) 22 poços de exploração tiveram indicação de gás (de 33 poços perfurados) Declaração de comercialidade para 3 campos de gás: Gavião Real Gavião Azul Gavião Branco Gavião Real está produzindo desde Janeiro de 2013: Poços produtores: 9 de 2 clusters Produção diária: 4,5 M m³/dia Conectados a uma UTG – Unidade de Tratamento de Gás, com capacidade de 6,0 M m³/dia (hoje) Todo o gás dedicado às UTEs da ENEVA no Parnaíba Planos para avaliação de desenvolvimento de 6 novas descobertas Planta Parnaíba II Parnaíba III Parnaíba IV Poços 9 13 16 19 + + + Próximos Eventos 4T13 (Início): Instalação de novo flare e conexão de 3 poços produtores 4T13 (Fim) / 1T14: Conexão de 3 poços produtores 2014 / 2015: Conexão de 3 poços produtores e expansão da UTG para 8,4 M m³/dia Desenvolvimento da produção de Gavião Branco e submissão do plano de avaliação para novas descobertas para ANP (Mar, 2014) 11

12 3 Geração de Valor no Curto Prazo

13 Receita Líquida (R$ Milhões) e Capacidade Instalada (MW)
Plano de Melhoria Operacional Resultados do 1S13 mostram necessidade de melhoria operacional 1T13 EBITDA Consolidado (R$ Milhões) EBITDA 1S13 negativamente impactado por: Prejuízo líquido na compra de energia devido ao atraso do início de operações Custos de indisponibilidade decorrentes de paradas para manutenção Custos de startup relacionados com consumo mais elevado de diesel Receita Líquida (R$ Milhões) e Capacidade Instalada (MW) 2T13 EBITDA Consolidado (R$ Milhões) +28% +102% Custos por indisponibilidade aumentaram no 2T13 devido principalmente aos preços spot de energia mais elevados e ao início das operações de mais 229 MW Observação: Os números consolidados não incluem Pecém I, conforme regra do IFRS 13

14 Plano de Melhoria Operacional
A E.ON já está contribuindo para melhor da eficiência das plantas UTE Itaqui Parnaíba I OCGT Plano de Melhoria Operacional Processos principais e Tecnologias Otimização do planejamento de manutenção Melhoria do controle do consumo de combustíveis Estabelecer KPI/métricas operacionais claras Estrutura gerencial Incentivar corretos comportamento / sistematizar KPI Visualizar e localizar melhorias Arranjo organizacional efetivo e definição de funções claras/robustas Alinhamento de ideias e Capacidades Manter comportamento de melhoria contínua Alavancar-se na experiência técnica da E.ON 14

15 Perfil da Dívida Bruta Consolidada (2T13)
Alongamento do Endividamento Perfil da Dívida Bruta Consolidada (2T13) (R$ milhões) Dívida de Curto Prazo (R$ milhões) 2.651 Total: R$5.733 M Projeto Holding 1.121 1.530 Pago através do aumento de capital Debenture de LP na Holding/Projetos Dívida de curto prazo (2T13) 100 1.430 R$1.121 milhões em projetos: R$845,2 milhões referentes a empréstimos-ponte para as usinas Parnaíba I & II a serem pagos com desembolso de financiamento de longo prazo R$276,2 milhões referentes a parcelas exercíveis no curto prazo das dívidas de project finance das usinas Pecém II, Itaqui e Parnaíba I A holding da ENEVA planeja eliminar empréstimos entre suas subsidiárias por meio da emissão de debêntures de infraestrutura incentivadas de longo prazo nos projetos com o objetivo de pagar empréstimos existentes A dívida de curto prazo remanescente na holding deverá ser substituída por debênture de longo prazo 15

16 Questões Regulatórias
Principais pleitos junto a ANEEL Concedidos Adiamento do início de PPAs (economia de R$720 milhões¹) Alteração no critério de ressarcimento da compra de energia para atender obrigações contratuais (R$220 milhões¹ reembolsados) Adiamento do início do PPA de Pecém II até a conclusão da linha de transmissão pela Chesf/TDG Em discussão Critério dos custos com aquisição de energia Custos incorridos antes do startup Res. ANEEL 165 Min = [110% PLD, CVU, α ICB, PPA] ICB Custo para o sistema na época do leilão ICB Online (+R$150 milhões¹) Custo corrente (online) para o sistema Questões Operacionais Os PPAs do Mercado Regulado (Pecém I, Itaqui e Pecém II) preveem revisão anual da garantia física baseada em uma média móvel de 60 meses da disponibilidade da planta Se indisponibilidade efetiva > Indisponibilidade declarada  Garantia física é reduzida Critério ADOMP: A indisponibilidade da planta é medida hora a hora Se indisponibilidade efetiva > Indisponibilidade declarada  A planta é liquidada (spot – custo variável) pela diferença ENEVA está questionando o critério ADOMP, tendo em vista que vai contra o PPA (reembolso potencial de R$269 milhões¹) Custos incorridos após o startup Observação: 1) Data-base: Agosto, 2013 16

17 Programa de Redução de Custos
A ENEVA vem trabalhando em um Plano de Médio Prazo , a ser aprovado pelo Conselho de Administração no fim de outubro, com o objetivo de alcançar uma redução significativa de custos na holding e no nível de projetos por meio de: Estrutura organizacional mais enxuta Redução de pessoal Diminuição dos serviços terceirizados Redução de custos fixos no nível de projetos 17

18 4 Mercado de Energia Brasileiro e Portfólio Greenfield

19 Capacidade de Geração do Brasil: 131 GW Reservatórios Sudeste
Matriz Energética Brasileira O Brasil é altamente dependente da geração hídrica, cujos reservatórios tem sido rapidamente consumidos Capacidade de Geração do Brasil: 131 GW Divisão por fonte Reservatórios Sudeste ~70% da capacidade total de armazenamento Estação Seca Fonte: ANEEL 19

20 Confiança do Sistema Elétrico
Novas usinas termelétricas são necessárias para garantir fornecimento seguro de energia A capacidade de armazenamento de água estagnou, levando a uma diminuição da autonomia do sistema O crescimento econômico aumentará a demanda de energia, levando a um déficit de abastecimento em 2016 Autonomia atual do reservatório: ~6 meses Autonomia = Capacidade de Armazenamento / (Carga – Geração Térmica) 2016 em diante: Necessidade de nova geração ~8 GW médios necessários até 2020 Fonte: ONS 20

21 Portfólio Greenfield Atraentes projetos greenfield licenciados em diversos estágios de desenvolvimento Desequilíbrio entre oferta e demanda de energia Matriz concentrada na geração hidrelétrica Preços spot em altas históricas Demanda por geração de base Oportunidades para crescimento da ENEVA 2 3 4 5 1 Complexo Parnaíba Integrado à produção de gás natural Localizado em região com benefícios fiscais Complexo Ventos Localizado em uma das melhores regiões de geração eólica do Brasil Fator de capacidade atrativo Conexão com a rede básica a 30km Direitos fundiários assegurados Açu (Carvão + Gás) Localizado em um porto com licença para construir um terminal de regaseificação Localizado a 150km das acumulações de gás natural descobertas na Bacia de Campos Com licença ambiental para ambas operações com carvão e gás Sul & Seival Integrado à Mina de Seival (reservas provadas: 152 M t) Baixos custos operacionais Solar Tauá 1 MW Complexo Ventos 600 MW Complexo Parnaíba 2.166 MW Açu 2.100 MW – Carvão 3.300 MW – Gás natural Mina de Seival Licença emitida 152 M t de reservas provadas Sul 727 MW Seival 600 MW 21

22 5 Apêndice | Imagens

23 UTEs Pecém I e II 23

24 UTE Itaqui 24

25 UTEs Parnaíba I e II 25

26 Gás Natural: E&P na Bacia do Parnaíba
26

27 Obrigado.


Carregar ppt "Outubro, 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google