A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dificuldades de Aprendizagem Profª Esp. Dinamara Selbach Turma 401N.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dificuldades de Aprendizagem Profª Esp. Dinamara Selbach Turma 401N."— Transcrição da apresentação:

1 Dificuldades de Aprendizagem Profª Esp. Dinamara Selbach Turma 401N

2 O QUE É NORMAL? O QUE É PROBLEMA? E O QUE É DISTÚRBIO? (No desenvolvimetno de crianças de zero a cinco anos) Existe uma grande confusão entre o que é problema e o que é distúrbio e, em meio aos dois, afinal, o que é normal. Para elucidar um pouco o assunto, veremos, a seguir, algumas características do considerado normal, problemático ou tendendo ao distúrbio.

3 NORMALPROBLEMÁTICODISTÚRBIO 1. No recém-nascido e até os seis meses de vida, o normal é que ele tenha domínio dos reflexos, chore ao sentir algum desconforto, reaja aos estímulos, como som, luz, carinho, etc. Consiga sugar durante a amamentação, tenha uma boa digestão, bom funcionamento intestinal e durma de forma tranquila. Estas são as principais características do bebê considerado normal. 1. Torna-se problemático quando o bebê apresenta dificuldades para alimentar-se e/ou apresenta constantes vômitos e/ou diarreias. Quando tem dificuldadades no sono, excesso de sucção, choro e irritabilidade excessivos e sem motivo aparente. 1. O problemático torna-se em distúrbio quando o bebê mostra- se apático ou indiferente, chora muito e de forma monótona, grita sem motivo, não suga, nem reage a qualquer estímulo.

4 2. Dos seis aos 24 meses, o desenvolvimento normal inclui maior estabilidade fisiológica, mais paciência e tolerância e certo controle dos instintos e da atividade motora, o que faz com que a criança consiga brincar bastante, distraindo-se com brinquedos por períodos longos sem tornar-se irritadiça ou chorona. Nesta fase, demonstra uma forte ligação com a mãe, distinguindo-a dos demais parentes e sabendo separar quem é conhecido e quem é desconhecido. Inicia sua fase de imitação e desenvolvimento da linguagem que, aos 18 meses, já tem um bom número de palavras utilizadas, ainda que simples ou até monossilábicas. 2. O problemático começa quando demonstra irritação, raiva ou chora em excesso e continuamente, torna-se totalmente intolerante por qualquer motivo, tem dificuldades no controle de evacuações, alimentação e sono. Tem tiques e/ou balança-se muito quando contrariada, chupa constantemente o dedo e/ou objetos diversos. 2. O distúrbio é considerado quando a criança apresenta crises temperamentais frequentes, perde o fôlego c om facilidade, apresenta convulsões, demonstra isolamento e/ou apatia, inclusive sem grandes ligações com a mãe. Passa maior parte do tempo chupando o dedo e/ou objetos e balançando-se e/ou batendo a cabeça em algum objeto (berço, paredes, etc).

5 3. No período entre os dois e cinco anos, a criança desenvolve bem a fala, conseguindo expressar-se com frases completas. Consegue autonomia nas funções corporais completas. Consegue autonomia nas funções corporais (comer, beber, evacuar) e identifica-se com pais, irmãos, amigos, colegas. Demonstra coordenação em exercícios que envolvem pulos, corridas, etc. Já consegue fazer pinturas, desenhos, recortes e pequenos trabalhos manuais. Ainda demonstra dependência materna e medo de separar-se da mãe, mas também presta atenção às outras pessoas que a rodeiam. Torna-se mais sociável, curiosa, inclusive quanto à sexualidade e pergunta muito para satisfazer sua extrema curiosidade. 3. Torna-se problemático demonstra pouca ou nenhuma coordenação motora, problemas na linguagem, gagueira, troca excessiva de letras. Demonstra dificuldades para dormir, fazer sua higiene pessoal, insiste em usar chupeta e/ou recusa-se a largar a mamadeira, preferindo-a a outros alimentos. Está sempre irritada, tem frequentes crises temperamentais, mostra-se impossibilitada de separar-se da mãe e, se o faz, entra em pânico, mostra medo excessivo de estranhos e desinteresse por crianças da mesma idade. 3. O distúrbio ocorre quando a criança demonstra hiperatividade ou passividade extrema, muita sonolência, fala pouco ou não fala, não se expressa, não reage às pessoas, nem responde às perguntas, não controla fezes e urina, masturba-se com muita frequência ou nunca se masturba, demonstra comportamento destrutivo, como cortar, rasgar, queimar brinquedos e objetos diversos, age de forma cruel com animais ou irmãos mais novos, parecendo sentir prazer nisto.

6 Todas essas características juntas assinalam o normal e o problemático. Apresentando uma ou duas características do problemático, não há motivo para pânico, pois pode ser apenas uma característica da personalidade do bebê, mesmo assim, consulte um pediatra para avaliar seu desenvolvimento. Aliás, o acompanhamento pediátrico é essencial mesmo em bebês considerados com desenvolvimento normal.

7 No caso da criança apresentar uma ou mais características do distúrbio, já é motivo para atenção especial a esta criança e, certamente, o pediatra irá avaliar suas características e encaminhá-la, se necessário, a outros profissionais. Se reunir todos os sintomas de distúrbio, deverá certamente ser encaminhada ao psiquiatra.

8 De uma forma simples, podemos compreender isso tudo, a partir do ESQUEMA, abaixo: DIFICULDADES DIFICULDADES PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM DEFICIÊNCIA (Todos temos em algum momento) (Intelectiva, Visual, Física, Auditiva) TRANSTORNOS (Chamados também de (Chamados também de distúrbios – neurológico) distúrbios – neurológico)

9 O Q U E É A P R E N D I Z A G E M? É a capacidade e a possibilidade que as pessoas têm para perceber, conhecer, compreender e reter na memória as informações obtidas. É este o cortejo que leva à ampliação e ao enriquecimento das experiências anteriormente vividas; trata-se de um processo complexo que possibilita a criação e o desenvolvimento de novos conhecimentos. É por meio do aprendizado que se modifica o comportamento intelectual e social dos indivíduos. Portanto, o aprendizado é um processo fundamental na vida do ser humano.

10 Q U A I S A S E S T R U T U R A S Q U E E S T Ã O E N V O L V I D A S N O P R O C E S S O D E A P R E N D I Z A D O?

11 O aprendizado necessita de estruturas cerebrais íntegras, devidamente maturadas, isto é, mielinizadas, para que as funções específicas sejam elaboradas de modo adequado e eficiente. Q U A I S A S E S T R U T U R A S Q U E E S T Ã O E N V O L V I D A S N O P R O C E S S O D E A P R E N D I Z A D O?

12 O Q U E S I G N I F I C A A D I F I C U L D A D E E S P E C Í F I C A D O A P R E N D I Z A D O? Trata-se do quadro clínico que é diagnosticado em um número pequeno de crianças que apresenta progressos limitados no aprendizado escolar, apesar de terem as condições necessárias para um bom rendimento no aprendizado, como: Não apresentar deficiências auditivas e visuais; Receber estímulos adequados para aprender e estudar; Apresentar inteligência suficiente para um desempenho escolar melhor que o demonstrado;

13 Frequentar escola com todas as possibilidades de oferecer bom nível de ensino; Estar motivado para o aprendizado.

14 O Q U E É D I S T Ú R B I O D O A P R E N D I Z A D O E S C O L A R? Considera-se distúrbio do aprendizado escolar como sendo um processo que interfere ou impede a evolução adequada da criança nas diversas atividades escolares. Por conta dessa dificuldade, o aluno mantém-se defasado, se compará-lo com os outros colegas do seu grupo. Deve- se salientar que o comprometimento do aprendizado pode estar

15 O Q U E É D E F I C I Ê N C I A N O A P R E N_ D I Z A D O E S C O L A R? De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), em qualquer país, em tempo de paz, a população de indivíduos deficientes é de 10%, distribuídos pelos cinco tipos: fisica, mental, visual e auditiva. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), em qualquer país, em tempo de paz, a população de indivíduos deficientes é de 10%, distribuídos pelos cinco tipos: fisica, mental, visual e auditiva.

16 1 – FAGALI, E.Q (Org.). Múltiplas faces do Aprender: novos paradigmas da pós- modernidade. São Paulo: Unidas, TOPCZEWSKI, Abram. Aprendizagem e suas desabilidades: como lidar? São Paulo: Casa do Psicólogo, OLIVIER, Lou de. Distúrbios de Aprendizagem e de Comportamento. Rio de Janeiro: WAK Editora, 4ª edição, 2008.

17


Carregar ppt "Dificuldades de Aprendizagem Profª Esp. Dinamara Selbach Turma 401N."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google