A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PARTE I - CONTEXTUALIZAÇÃO 1.As transformações tecnológicas. 2.O Processo de Globalização.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PARTE I - CONTEXTUALIZAÇÃO 1.As transformações tecnológicas. 2.O Processo de Globalização."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 PARTE I - CONTEXTUALIZAÇÃO 1.As transformações tecnológicas. 2.O Processo de Globalização.

4 CONTEXTUALIZAÇÃO As transformações tecnológicas As transformações tecnológicas 1268 – Roger Bacon inventou as primeiras lentes de cristal para corrigir distorções da vista; A invenção da imprensa por Gutenberg foi uma das invenções mais poderosas, a imprensa permitiu que o conhecimento fosse divulgado em todos os níveis da sociedade;

5 CONTEXTUALIZAÇÃO As transformações tecnológicas 1736 – James Watt inventou o motor a vapor e entre 1765 e 1776 transformou-o em um provedor econômico de energia, dando inicio à Revolução Industrial; 1776 – Aperfeiçoamento do motor a vapor por James Watt;

6 CONTEXTUALIZAÇÃO As transformações tecnológicas Alexander Graham Bell, inventou o telefone iniciando uma das maiores revoluções no setor econômico da era industrial, percussor da revolução nas telecomunicações – Thomas Alva Edison, inventou a evolucionária lâmpada elétrica de filamento ( uma simples inovação hoje onipresente que mudou os rumos do desenvolvimento da humanidade);

7 CONTEXTUALIZAÇÃO As transformações tecnológicas 1906 – Em outubro, o brasileiro Santos Dumont faz seu primeiro voo em um aparelho mais pesado que o ar, inventa o meio de transporte que revolucionou o mundo moderno O AVIÃO – É construído do primeiro computador com 1,5 de altura e 24m de comprimento denominado ENIAC – a televisão invade os lares;

8 CONTEXTUALIZAÇÃO As transformações tecnológicas 1957 – A antiga União Soviética lança o Sputnik1 – Primeiro Satélite Artificial; 1969 – É criado um sistema de comunicação por computador ligado em uma rede denominada Web Wilde Word, que revolucionou o mundo – a Internet – Steven Jobs e Stephen Wozniak apresentam o primeiro computador pessoas, chamado Apple – Microcomputador.

9 CONTEXTUALIZAÇÃO E,...ainda estamos claramente no meio dessas transformações, se a história servir de guia, ela não estará concluída até Ninguém nascido em 1990 poderá imaginar o mundo em que seus avós seus avós ou seus pais nasceram. DRUCKER,1994.

10 CONTEXTUALIZAÇÃO O PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO O processo de GLOBALIZAÇÃO e de PROSPECÇÃO DE TENDÊNCIAS nasceu com a necessidade de troca de produtos, conhecimento de novos mundos e troca de informações.

11 CONTEXTUALIZAÇÃO O PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO Chama-se globalização, ou mundialização, o crescimento da interdependência de todos os povos e países da superfície terrestre. Alguns falam em aldeia global, pois parece que o planeta está ficando menor e todos se conhecem (assistem a programas semelhantes na TV, ficam sabendo no mesmo dia o que ocorre no mundo inteiro).

12 CONTEXTUALIZAÇÃO O PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO Em 1865 a notícia da morte de Abraham Lincoln levou 13 dias para atravessar o Atlântico e chegar à Europa.

13 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1997 a notícia da queda da Bolsa de Valores de Hong Kong levou 13 segundos para cair feito um raio sobre São Paulo, Nova York, Tel Aviv, Buenos Aires e Frankfurt. Eis o efeito da globalização Rossi, Clóvis. Editorial-Folha de São Paulo. O PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO

14 CONTEXTUALIZAÇÃO A abertura da economia e a Globalização são processos irreversíveis, que nos atingem no dia-a-dia das formas mais variadas e temos de aprender a conviver com isso. O PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO

15 E O MUNDO NUNCA MAIS SERÁ O MESMO... CONTEXTUALIZAÇÃO

16 PARTE II – A ERA DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO 1. Sociedade da informação 2. Sociedade do conhecimento

17 Sociedade da Informação Informação e conhecimento são, essencialmente, criações humanas e nunca seremos capazes de administra-los se não levarmos em conta que as pessoas desempenham, neste caso, um papel fundamental. (Davenport & Prusar, 1992)

18 Sociedade da Informação CONCEITO DE INFORMAÇÃO Informação é todo dado acerca de um determinado assunto, de interesse de uma ou mais pessoas, que possa ser interpretado ou tenha significado para o receptor. Fonte: Aurélio, 1998

19 Sociedade da Informação Informação é um dado ou um conjunto de dados que transformados, auxiliam na redução de incertezas, ou seja, é o conhecimento que propicia a tomada de decisão. CONCEITO DE INFORMAÇÃO

20 Sociedade da Informação 1ª ONDA: Agrícola aa. – Família, terra 2ª ONDA: Industrial 120aa. – Capital $ - Hardware 3ª ONDA: Informática 30aa Informação, Ideias Criativas - Software 4ª ONDA: Gestão de pessoas 20aa. - Humanware 5ª ONDA: Conhecimento, Inteligência Desenvolvimento Tecnológico – Ondas evolutivas de ALVIN TOLFER

21 Sociedade da Informação A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO é um produto das grandes transformações ocorridas no século e que evoluíram significativamente para o século XXI com o crescimento e o fortalecimento das redes de telecomunicações, computadores pessoais. Vivemos numa sociedade virtual com informações em tempo real.

22 Sociedade do Conhecimento CONCEITO DE CONHECIMENTO Discernimento, critério, apreciação; Consciência de si mesmo; acordo; A apropriação do objeto pelo pensamento, como quer que se conceba essa apropriação: como definição, como percepção clara, apreensão completa, análise, etc. Fonte: Aurélio Séc.XXI – eletrônico.

23 Sociedade do Conhecimento CONCEITO DE CONHECIMENTO Argumentos e explicações que interpretam um conjunto de informações. Trata-se de conceitos e raciocínios lógicos essencialmente abstratos que interligam e dão significado a fatos concretos. Envolve hipóteses, teses, teorias e leis.

24 Sociedade do Conhecimento CONCEITO DE CONHECIMENTO O processo de construção de conhecimento envolve dados, que representam a "matéria-prima" bruta, a partir da qual as operações lógicas criam informações e, finalmente, estas últimas são interpretadas para gerar conhecimento.

25 PARTE III – INTELIGÊNCIA COMPETITIVA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA 1.Conceitos 2.Inteligência Competitiva no ambiente dos negócios 3.O Sistema de Inteligência competitiva 4.Transformando informação em inteligência para negócios - As principais técnicas de Inteligência Competitiva

26 Inteligência Competitiva Definição de Inteligência 1.Faculdade de aprender, apreender ou compreender; percepção, apreensão, intelecto, intelectualidade. 2. Qualidade ou capacidade de compreender e adaptar-se facilmente; capacidade, penetração, agudeza, perspicácia. 3. Maneira de entender ou interpretar; interpretação Fonte: Aurélio Séc.XXI – eletrônico.

27 Definição de Inteligência Inteligência é o processo de coleta, análise e disseminação éticas de informação acurada, relevante, específica, atualizada visionária e viável relacionadas ao ambiente de negócios, da concorrência e da empresa. ( Society of Competitive Inteligence Professionals-SCIP) Inteligência Competitiva

28 DEFINIÇÕES Inteligência Competitiva A Inteligência Competitiva pode ser entendida como o conjunto de ações sistematizadas de busca, análise e disseminação, com vistas a exploração das informações úteis aos tomadores de decisão das organizações. (MARTINET, 1998).

29 DEFINIÇÕES Inteligência Competitiva é um processo sistemático de coleta e análise de informações sobre a atividade dos concorrentes e tendências gerais do ambiente econômico, social, tecnológico, científico, mercadológico e regulatório, para ajudar na conquista dos objetivos institucionais na empresa pública ou privada (NIC/UnB, 1999). Inteligência Competitiva

30 DEFINIÇÕES Inteligência Competitiva é um processo informacional proativo que conduz à melhor tomada de decisão, seja ela estratégica ou operacional. É um processo sistemático que visa descobrir as forças que regem os negócios, reduzir o risco e conduzir o tomador de decisão a agir antecipadamente, bem como proteger o conhecimento gerado. (ABRAIC, 2003). Inteligência Competitiva

31 Inteligência Competitiva no Ambiente dos Negócios Dados Informação Conhecimento Inteligência Organiza Analisa Decide

32 Inteligência Competitiva no Ambiente dos Negócios ColetaformataSelecionaOrganizaavalia Transforma Em Informação Transforma em conhecimento Dissemina Distribui Inteligência competitiva Produz dado Armazena Ambiente Interno

33 Inteligência Competitiva no Ambiente dos Negócios Gestão do Conhecimento Inteligência Competitiva Gestão da Informação Gestão da Informação e do conhecimento e o processo de Inteligência Competitiva

34 Inteligência Competitiva O SISTEMA DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Identifica necessidades; Cria base de dados de conhecimento; Transforma informações em inteligência; Apoia decisões estratégicas.

35 O PROCESSO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA EMPRESA Identificar a necessidade de Informação Mapear os ambientes interno e externo Pesquisar material sobre o assunto Definir Estratégias de coleta/busca Identificar analistas/experts Definir Métodos de Análise Criar bases de dados referenciais sobre o assunto Armazenar nos repositórios adequados

36 Inteligência Competitiva VANTAGENS COMPETITIVAS Empresa Poder Vantagem Competitiva Flexibilidade Velocidade Redes de Informação Disseminação Informação Configuração plástica Feed Foward Feed back

37 INTELIGÊNCIA COMPETITIVA TRANSFORMANDO INFORMAÇÃO EM INTELIGÊNCIA Gestão da Informação Gestão do Conhecimento Inteligência Competitiva Planejamento Estratégico Decisão Estratégica

38 As principais técnicas de Inteligência Competitiva 1. Análise de Cenários 2. O modelo das 5 forças 3. Matriz SWOT 4. Benchmarking 5. Balanced Scorecard

39 1.Análise de Cenário Apresentar uma imagem positiva de futuros prováveis, em horizonte de tempos diversos; Descrever diferentes tipos de mundo e não apenas os diferentes eventos do mundo;

40 1.Análise de Cenário Analisar as principais forças de desenvolvimento futuro e estabelecer relações entre elas; Focar os fatores de risco. Definir metas, coletar informações, desenvolver teorias, identificar hipóteses, refinar, refinar, refinar....

41 Análise de Risco O risco é um evento ou uma condição incerta que, se ocorrer, terá um efeito positivo ou negativo sobre pelo menos um objetivo do projeto, como tempo, custo, âmbito ou qualidade; O risco envolve duas característica: Incerteza Impacto

42 Análise de Risco Como analisamos os Riscos? O que pode ocorrer de errado ? Quais são as causas básicas dos eventos indesejados ? Quais são as frequências de ocorrência dos acidentes ? Quais são as consequências ? Os riscos são toleráveis ?

43 2. O modelo das 5 forças FORNECEDORES Concorrentes RIVALIDADE CLIENTES SUBSTITUTOS NOVOS ENTRANTES Ameaça de Substitutos Poder de Negociação dos Clientes Ameaça de Novos Concorrentes Poder de Negociação dos Fornecedores Quadro Demonstrativo das 5 Forças de Michael Porter

44 3. Matriz SWOT ESTRATÉGIAS Potencialidades ESTRATÉGIAS Fragilidades ESTRATÉGIAS Oportunidades ESTRATÉGIAS Ameaças FORÇASFRAQUEZAS AMEAÇAS OPORTUNIDADES

45 4. Benchmarking SELEÇÃO DE OPORTUNIDADES comparar avaliar identificar incorporar comparar Promover mudanças Buscar excelência

46 4. Benchmarking Planejamento Análise Desenvolvimento Melhoria Revisão

47 4. Benchmarking Empresa GestãoFunçãoProcessos Melhores práticas Aplicação

48 5. BALANCED SCORECARD FERRAMENTA ESTRATÉGICA Missão Objetivos Estratégia Balanced Scorecard Medidas de Desempenho

49 5. BALANCED SCORECARD FERRAMENTA ESTRATÉGICA

50 5. BALANCED SCORECARD Iniciativa de Negócios Ações e Oportunidades Acompanhar Desempenho Operacionais Iniciativa de Negócios Metas Individuais Desenv. Pessoal Avaliação de Desempenho Individual Recompensa Organizacionais Feedback Estratégico Avaliação Estratégica Balanced Scorecard

51 5. BALANCED SCORECARD Clientes Missão Visão Metas Estratégia Mapa Estratégico Objetivos Indicadores Alvos Iniciativas PERSPECTIVAS ÁREAS de FOCO

52 5. BALANCED SCORECARD Resultados Indicadores Plano Estratégico Orçamento Estratégico Saídas Indicadores Planejamento Orçamento Missão Atividade Iniciativas

53 PARTE IV – DIFUNDINDO A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA 1. Fontes de Informação em Inteligência Competitiva 2. O processo de coleta e disseminação 3. Mudanças e Transformações no Mercado de Trabalho 4. O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva

54 INTELIGÊNCIA COMPETITIVA TIPOLOGIA DA INFORMAÇÃO Primária : original, direto da fonte (autor) que a produziu; Secundária : aquela que já passou por algum tipo de Transformação. Ex. resumo, abstract, sinopse. Terceária : coletânea de outras publicações, referências bibliográficas, bibliografia.

55 1. FONTES DE INFORMAÇÃO Formais: patentes, diretórios, bases de dados, internet, clipping, livros, publicações em geral; Informais : clientes, fornecedores, concorrentes, feiras e Exposições, missões e viagens de estudos, congressos, Seminários, clubes, candidatos a empregos, estudantes, estagiários, prestadores de serviços, redes pessoais.

56 2. O PROCESSO DE COLETA DA INFORMAÇÃO INFORMAL: entrevistas, pesquisas, observação, engenharia reversa, benchmarking, intranet, etc. FORMAL: livros, revistas, internet, bases de dados, Publicações especializadas, patentes etc.

57 2. O PROCESSO DE DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO Boletins de notícias, Perfis de oportunidades, Resultado de pesquisas e diagnósticos; Briefings; Intranet.

58 3.Mudanças e Transformações no Mercado de Trabalho INFOEMPRESÁRIO: Palavra nova para descrever uma nova geração de empresários. Pessoa coleta, organiza e dissemina informações, como empreendimento comercial ou como serviço de valor.

59 4. O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva CARACTERÍSTICAS Agilidade/Velocidade; Criatividade; Conectividade; Interatividade; Flexibilidade;

60 O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva COMPETÊNCIAS Interpessoal Técnica Estratégica Ética

61 O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva MUDANÇAS Usar a Lógica Preservar a segurança Operar com números e palavras Trabalhar Usar a intuição Experimentar/explorar Trabalhar com música e artes Colaborar/contribuir

62 O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva PERFIL Empregado Corporativo Gerente Grupo Estável Mão-de-obra Empreendedor Cooperativo Líder Equipes multifuncionais Cérebro-de-obra

63 O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva Principais Funções do Analista de I.C. Identificar necessidade de informações; Definir fontes de dados; Coletar informações; Selecionar/filtrar;

64 O profissional da Informação no Trabalho de inteligência Competitiva Principais Funções do Analista de I.C. Validar; Armazenar e recuperar; Adquirir e/ou desenvolver fontes de dados/informações; Tratar; Avaliar.

65 CÓDIGO DE ÉTICA - ABRAIC 1. Exercer a profissão com zelo, diligência e honestidade. 2. Preservar sua dignidade, prerrogativas e independência profissional. 3. Esforçar-se continuamente para aumentar o reconhecimento e o respeito à profissão. 4. Cumprir as leis aplicáveis, tanto no País quanto no exterior.

66 CÓDIGO DE ÉTICA- ABRAIC 5. Manter sigilo sobre o que souber, em função de sua atividade profissional. 6. Evitar envolver-se em conflitos de interesse no cumprimento de seus deveres. 7. Assegurar as condições mínimas para o desempenho ético-profissional. 8. Emitir opinião, dar parecer e sugerir medidas somente depois de estar seguro das informações produzidas e da confiabilidade dos dados obtidos.

67 CÓDIGO DE ÉTICA- ABRAIC 5. Manter sigilo sobre o que souber, em função de sua atividade profissional. 6. Evitar envolver-se em conflitos de interesse no cumprimento de seus deveres. 7. Assegurar as condições mínimas para o desempenho ético-profissional. 8. Emitir opinião, dar parecer e sugerir medidas somente depois de estar seguro das informações produzidas e da confiabilidade dos dados obtidos.

68 A competitividade de uma empresa está relacionada com a capacidade que a organização tem de formular e implementar estratégias que lhe permitam conservar uma posição sustentável no mercado Vantagem competitiva decorre da capacidade da empresa gerar valor para seus clientes através de seus produtos Organizações modernas precisam avaliar continuamente as informações vindas do ambiente empresarial para aproveitar as oportunidades que lhes são colocadas e contornarem ameaças identificadas Queremos transformar informações em conhecimento empresarial Competição

69 As organizações procuram manter informações pertinentes a suas estratégias dentro de suas companhias. No entanto, boa parte das informações vindas do ambiente empresarial é ou torna-se pública Fuga de informações: Informações consideradas sigilosas escapam para o ambiente através das interações da empresa ou de seus funcionários com outros elementos do mercado. Inteligência Competitiva trata da coleta e análise destas informações. O ambiente onde estas informações podem ser encontradas é bastante complexo.

70 AMBIENTE Econômico Legal Tecnológico Sociocultural Político Governamental... MERCADO Consumidores Intermediários Concorrentes Fornecedores... EMPRESA Produção Finanças Comercial Recursos Humanos Marketing Direção Donos ou acionistas... Complexidade do Ambiente Empresarial

71 Conhecimento Conjunto de conceitos, noções, ideias, mecanismos e conexões/associações, utilizado na abordagem da realidade, definido e construído a partir dos produtos gerados pela inteligência. Inteligência Apreensão, compreensão, adaptação e/ou percepção da realidade, suportada por processamento de informação; Informação Qualquer construção derivada da composição de dados, que seja significativa no reconhecimento, compreensão e/ou modelagem da realidade; Dados Qualquer elemento (aspecto, fato, medida etc.) representativo, disponível e coletável na realidade; fatos no estado bruto, conforme Platão; Definições sobre Informação

72 SABEDORIA SÍNTESE CONHECIMENTO CONVICÇÃO INTELIGÊNCIA INFERÊNCIA INFORMAÇÕES CONTEXTO DADOS Aumento de Valor Dimensão do Volume = = = = Valor da Informação

73


Carregar ppt "PARTE I - CONTEXTUALIZAÇÃO 1.As transformações tecnológicas. 2.O Processo de Globalização."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google