A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Apostila de nivelamento de Língua Portuguesa INSTITUTO CENECISTA DE ENSINO SUPERIOR DE SANTO ÂNGELO- IESA Autorizado pela portaria.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Apostila de nivelamento de Língua Portuguesa INSTITUTO CENECISTA DE ENSINO SUPERIOR DE SANTO ÂNGELO- IESA Autorizado pela portaria."— Transcrição da apresentação:

1 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Apostila de nivelamento de Língua Portuguesa INSTITUTO CENECISTA DE ENSINO SUPERIOR DE SANTO ÂNGELO- IESA Autorizado pela portaria nº 215 de 06/03/1998 Reconhecido pela portaria nº 686 de 08/03/2002 PROFESSORA- MARISE SCHADECK 2011 Aprender é descobritur aquilo que você já sabe. Fazer é demonstrar que você o sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você. Nós todos somos aprendizes, fazedores, professores" (BACK, Richard) 1

2 Encontros vocálicos A língua portuguesa apresenta três tipos de fonemas: vogais, semivogais e consoantes. Desses três fonemas, dois são formadores dos encontros vocálicos: as vogais e semivogais. Então, vamos definir o que é vogal e semivogal. Vogal – é o fonema sonoro que chega livremente ao meio exterior sem fazer ruído. É o elemento básico para a formação da sílaba. Exemplo: Pedido retiro V v v v v v Semivogal – consideramos semivogais o i e o u, átonos, quando se unem a uma vogal, formando uma sílaba. Exemplo: peixe, ameixa. Vsv vsv Observação: O i e o u serão classificados como vogal se for à base da sílaba, se estiverem unidos a uma vogal será semivogal. Exemplo: Mi to, pei xe, saudade, puma. V v vsv vsv v Então, podemos definir encontro vocálico da seguinte maneira: a sequência de sons vocálicos (vogal/semivogal) um imediatamente após o outro em uma palavra. Classificamos esses encontros em: Ditongo- Tritongo-Hiato DITONGO É uma vogal e uma semivogal juntas na mesma sílaba. O ditongo é classificado em: Ditongo crescente-Ditongo decrescente-Ditongo oral-Ditongo nasal DITONGO CRESCENTE É formado por semivogal + vogal. Exemplo: Quarto prêmio DITONGO DECRESCENTE É formado por vogal + semivogal. Exemplo:Feixe mão frouxo DITONGO ORAL Pronunciado totalmente pela boca. Exemplo:Feixe véu prêmio Professora Marise Schadeck Saiba que: - Na terminação -em em palavras como ninguém, também, porém e na terminação -am em palavras como amaram, falaram ocorrem diton gos nasais decrescentes. - É tradicional considerar hiato o encontro entre uma semivogal e uma vogal ou entre uma vogal e uma semivogal que pertencem a sílabas diferentes, como em ge-lei-a, io-iô. 2

3 Professora Marise Schadeck DITONGO NASAL Pronunciado parte pelo nariz e parte pela boca. Exemplo: Anão portão Observação: Não aparece escrita a semivogal no ditongo em ( i) e am (ãu). Exemplo: Amém (am i) importam (importãu) Abaixo a relação dos ditongos decrescente e crescente: DITONGO DECRESCENTE ÃE - mãe AI – sair ÃI – câimbra ÃO – anão AU – grau ÉI – anéis EI – feixe I – entrem ÉU – fogaréu EU – teu IU – aboliu ÕE – põe, pulmões ÓI – destrói OI – coice, foice OU – pouco, touro UI – ruiva I – muita DITONGOS CRESCENTES EA – área EO – páreo IA – sorria IE – espécie IO – curiosa OA – perdoa UA – água UÃ – quando EU – tênue U - aguenta UI – tranquilo UO – ingênuo TRITONGO É o encontro vocálico formado por semivogal + vogal + semivogal formando uma só sílaba. Existem dois tipos de tritongo: tritongo oral -tritongo nasal TRITONGO ORAL Pronunciado totalmente pela boca. Exemplo: Uruguai quaisquer TRITONGO NASAL Pronunciado em parte pelo nariz. Exemplo: Saguão quão HIATO É o encontro de duas vogais pronunciadas em sílabas diferentes. Exemplo: Juízo – ju – í – zo -Cooperativa – co – o – pe – ra – ti – va Saída – sa - í – da Observação: As palavras como veia, saia, praia, etc, podemos ver um hiato (vei-a, sai-a, prai-a) ou dois ditongos (vei-ia, sai-ia, prai-ia). Veja mais em: m.br/vestibular/dicas deportugues/noticia.j sf;jsessionid= D22DEA4D2D0B0C 463F jbosstos h1?id= m.br/vestibular/dicas deportugues/noticia.j sf;jsessionid= D22DEA4D2D0B0C 463F jbosstos h1?id= Encontro consonantal: É a sequência de duas ou mais consoantes, sem vogal intermediária, que não sejam dígrafo. Esse encontro pode ocorrer na mesma sílaba ou não (carpete, bíblia).São: gn, mn, pn, ps, pt e tm. No início da sílaba são inseparáveis, no meio criam uma pronúncia mais difícil (pneu/advogado). No uso coloquial, há uma tendência a destruir esse encontro, inserindo a vogal i depois da consoante surda.Quando x corresponde a cs (táxi, falamos "tácsi"), há um encontro consonantal fonético. 3

4 Professora Marise Schadeck Atividades 1. Assinale a alternativa cujos vocábulos contenham os seguintes tipos de encontros vocálicos: tritongo, ditongo nasal decrescente e ditongo oral crescente: a) veio - cantam - água; b) averiguei - ninguém - gratuito; c) verifiquei - mamão – vitória; d) enxaguem - muito - quase; e) saguão - quando - oblíquo. 2.Na frase nossa verdadeira imagem não é construída de favores, há: a) um ditongo oral, um ditongo nasal e um hiato; b) um ditongo oral, um tritongo e dois hiatos; c) um ditongo oral e dois ditongos nasais, e um hiato; d) dois ditongos orais, e dois ditongos nasais; e) um ditongo oral, dois ditongos nasais e um hiato. 3.Na frase o esqueleto quebrou o esquema, temos: a) três hiatos; b) dois dígrafos e um ditongo; c) três dígrafos e um ditongo; d) um dígrafo e um ditongo; e) um dígrafo, um ditongo e um hiato. 4.Em o inquérito sumiu de repente temos: a) três dígrafos e um ditongo crescente; b) dois dígrafos, um ditongo decrescente e um encontro consonantal; c) três dígrafos e um ditongo decrescente; d) um dígrafo, dois ditongos decrescentes e um encontro consonantal; e) um hiato, um dígrafo, um ditongo decrescente e um consonantal. 5.A palavra Fluorescência apresenta; respectivamente: a) 01 encontro consonantal, 01 ditongo crescente, 01 ditongo crescente, 01 dígrafo; b) 01 dígrafo, 01 encontro consonantal, 01 ditongo decrescente, 01 ditongo crescente; c) 01 encontro consonantal, 01 ditongo decrescente, 01 dígrafo, 01 ditongo crescente; d) 01 encontro consonantal, 01 ditongo crescente, 02 dígrafos; 01 ditongo crescente; e) 02 encontros consonantais, 01 hiato, 02 ditongos crescentes; 01 ditongo decrescente Para relembrar: Dígrafo O dígrafo é o grupo de duas letras que representa um único fonema. São dígrafos da língua portuguesa: lh, nh, ch, rr, ss, qu (seguidos de e ou i), gu (seguidos de e ou i), sc, sç, xc e xs. Os encontros gu e qu se forem usados com trema ou acento, não serão dígrafos, uma vez que o u será pronunciado. Além desses, existem também os dígrafos vocálicos formados pelas vogais nasais: am, an, em, en, im, in, om, on, um e um. 4

5 Professora Marise Schadeck Ortografia A ortografia é a parte da língua responsável pela grafia correta das palavras. Essa grafia baseia-se no padrão culto da língua. Quanto à grafia correta em língua portuguesa, devem-se observar as seguintes regras: O fonema s: Escreve-se com S e não com C/Ç: as palavras substantivadas derivadas de verbos com radicais em nd, rg, rt, pel, corr e sent. Exemplos: pretender - pretensão / expandir - expansão / ascender - ascensão / inverter - inversão / aspergir aspersão / submergir - submersão / divertir - diversão / impelir - impulsivo / compelir - compulsório / repelir - repulsa / recorrer - recurso / discorrer - discurso / sentir - sensível / consentir - consensual Escreve-se com SS e não com C e Ç: os nomes derivados dos verbos cujos radicais terminem em gred, ced, prim ou com verbos terminados por tir ou meter Exemplos: agredir - agressivo / imprimir - impressão / admitir - admissão / ceder - cessão / exceder - excesso / percutir - percussão / regredir - regressão / oprimir - opressão / comprometer - compromisso / submeter - submissão quando o prefixo termina com vogal que se junta com a palavra iniciada por s Exemplos: a + simétrico - assimétrico / re + surgir - ressurgir no pretérito imperfeito simples do subjuntivo Exemplos: ficasse, falasse Escreve-se com C ou Ç e não com S e SS: os vocábulos de origem árabe: Exemplos: cetim, açucena, açúcar os vocábulos de origem tupi, africana ou exótica Exemplos: cipó, Juçara, caçula, cachaça, cacique os sufixos aça, aço, ação, çar, ecer, iça, nça, uça, uçu. Exemplos: barcaça, ricaço, aguçar, empalidecer, carniça, caniço, esperança, carapuça, dentuço nomes derivados do verbo ter. Exemplos: abster - abstenção / deter - detenção / ater - atenção / reter - retenção após ditongos Exemplos: foice, coice, traição palavras derivadas de outras terminadas em te, to(r) Exemplos: marte - marciano / infrator - infração / absorto - absorção O fonema z: Escreve-se com S e não com Z: os sufixos: ês, esa, esia, e isa, quando o radical é substantivo, ou em gentílicos e títulos nobiliárquicos. Exemplos: freguês, freguesa, freguesia, poetisa, baronesa, princesa, etc. os sufixos gregos: ase, ese, ise e ose. Exemplos: catequese, metamorfose. as formas verbais pôr e querer. Exemplos: pôs, pus, quisera, quis, quiseste. nomes derivados de verbos com radicais terminados em d. Exemplos: aludir - alusão / decidir - decisão / empreender - empresa / difundir - difusão os diminutivos cujos radicais terminam com s Exemplos: Luís - Luisinho / Rosa - Rosinha / lápis - lapisinho após ditongos Exemplos: coisa, pausa, pouso em verbos derivados de nomes cujo radical termina com s. Exemplos: anális(e) + ar - analisar / pesquis(a) + ar – pesquisar 5

6 Professora Marise Schadeck Escreve-se com Z e não com S: os sufixos ez e eza das palavras derivadas de adjetivo Exemplos: macio - maciez / rico - riqueza os sufixos izar (desde que o radical da palavra de origem não termine com s) Exemplos: final - finalizar / concreto - concretizar como consoante de ligação se o radical não terminar com s. Exemplos: pé + inho - pezinho / café + al - cafezal lápis + inho – lapisinho Escreve-se com G e não com J: as palavras de origem grega ou árabe Exemplos: tigela, girafa, gesso. estrangeirismo, cuja letra G é originária. Exemplos: sargento, gim. as terminações: agem, igem, ugem, ege, oge (com poucas exceções) Exemplos: imagem, vertigem, penugem, bege, foge. Observação Exceção: pajem as terminações: ágio, égio, ígio, ógio, ugio. Exemplos: sufrágio, sortilégio, litígio, relógio, refúgio. os verbos terminados em ger e gir. Exemplos: eleger, mugir. depois da letra "r" com poucas exceções. Exemplos: emergir, surgir. depois da letra a, desde que não seja radical terminado com j. Exemplos: ágil, agente. Escreve-se com J e não com G: as palavras de origem latinas Exemplos: jeito, majestade, hoje. as palavras de origem árabe, africana ou exótica. Exemplos: alforje, jibóia, manjerona. as palavras terminada com aje. Exemplos: laje, ultraje Escreve-se com X e não com CH: as palavras de origem tupi, africana ou exótica. Exemplo: abacaxi, muxoxo, xucro. as palavras de origem inglesa (sh) e espanhola (J). Exemplos: xampu, lagartixa. depois de ditongo. Exemplos: frouxo, feixe. depois de en. Exemplos: enxurrada, enxoval Observação: Exceção: quando a palavra de origem não derive de outra iniciada com ch - Cheio - (enchente) Escreve-se com CH e não com X: as palavras de origem estrangeira Exemplos: chave, chumbo, chassi, mochila, espadachim, chope, sanduíche, salsicha. As letras e e i: os ditongos nasais são escritos com e: mãe, põem. Com i, só o ditongo interno cãibra. os verbos que apresentam infinitivo em -oar, -uar são escritos com e: caçoe, tumultue. Escrevemos com i, os verbos com infinitivo em -air, -oer e -uir: trai, dói, possui. atenção para as palavras que mudam de sentido quando substituímos a grafia e pela grafia i: área (superfície), ária (melodia) / delatar (denunciar), dilatar (expandir)/emergir (vir à tona), imergir (mergulhar) / peão (de estância, que anda a pé), pião (brinquedo). Leia: 6

7 Professora Marise Schadeck ATIVIDADES 1. Indique a única sequência em que todas as palavras estão grafadas corretamente: a) fanatizar - analizar - frizar. b) fanatisar - paralizar - frisar. c) banalizar - analisar - paralisar. d) realisar - analisar - paralizar. e) utilizar - canalisar - vasamento. 2. Marque a opção cm que todas as palavras estão grafadas corretamente: a) enxotar - trouxa - chícara. b) berinjela - jiló - gipe. c) passos - discussão - arremesso. d) certeza - empresa - defeza. e) nervoso - desafio - atravez. 3. A alternativa que apresenta erro(s) de ortografia é: a) O experto disse que fora óleo em excesso. b) O assessor chegou à exaustão. c) A fartura e a escassez são problemáticas. d) Assintosamente apareceu enxarcado na sala. e) Aceso o fogo, uma labareda ascendeu ao céu. 4. Assinale a opção cm que a palavra está incorretamente grafada: a) duquesa. b) magestade. c) gorjeta. d) francês.e) estupidez. 5. Dos pares de palavras abaixo, aquele em que a segunda não se escreve com a mesma letra sublinhada na primeira é: a) vez / reve___ar. b) propôs / pu__ eram. c) atrás / retra __ ado. d) cafezinho/ blu __ inha. e) esvaziar / e___ tender. 6. Indique o item em que todas as palavras devem ser preenchidas com x: a) pran__a / en__er / __adrez. b) fei__e / pi__ar / bre__a. c) __utar / frou__o / mo__ila. d) fle__a / en__arcar / li__ar. e) me__erico / en__ame / bru__a. 7. Todas as palavras estão com a grafia correta, exceto: a)dejeto. b) ogeriza. c) vadear. d) iminente.e) vadiar 8. A alternativa que apresenta palavra grafada incorretamente é: a) fixação - rendição - paralisação. b) exceção - discussão - concessão. c) seção - admissão - distensão. d) presunção - compreensão - submissão. e) cessão - cassação - excurção. 9. Assinale a alternativa em que todas as palavras estão grafadas corretamente: a) analizar - economizar - civilizar. b) receoso - prazeirosamente - silvícola. c) tábua - previlégio - marquês. d) pretencioso - hérnia - majestade. e) flecha - jeito - ojeriza. 7

8 Professora Marise Schadeck ALGUNS PRONOMES PRONOMES PESSOAIS Os pronomes pessoais retos desempenham, normalmente, função de sujeito; enquanto os oblíquos, geralmente, de complemento. Obs.: os pron. oblíquos tônicos devem vir regidos de preposição. Em comigo, contigo, conosco e convosco, a preposição com já é parte integrante do pronome. Emprego você hoje é usado no lugar das 2 as pessoas (tu/vós), levando o verbo para a 3ª pessoa as formas de tratamento serão precedidas de Vossa, quando nos dirigirmos diretamente à pessoa e de Sua, quando fizermos referência a ela. Troca-se na abreviatura o V. pelo S. quando precedidos de preposição, os pron. retos (exceto eu e tu) passam a funcionar como oblíquos os pron. acompanhados das palavras só ou todos assumem a forma reta (Estava só ele no banco / Encontramos todos eles ali) as formas oblíquas o, a, os, as não vêm precedidas de preposição; enquanto lhe e lhes vêm regidos das preposições a ou para (não expressas) eu e tu não podem vir precedidos de preposição, exceto se funcionarem como sujeito de um verbo no infinitivo (Isto é para eu fazer ? para mim fazer) me, te, se, nos, vos - podem ter valor reflexivo se, nos, vos - podem ter valor reflexivo e recíproco si e consigo - têm valor exclusivamente reflexivo conosco e convosco devem aparecer na sua forma analítica (com nós e com vós) quando vierem com modificadores (todos, outros, mesmos, próprios ou um numeral) o, a, os e as viram lo(a/s), quando associados a verbos terminados em r, s ou z e viram no(a/s), se a terminação verbal for em ditongo nasal os pron. pess. retos podem desempenhar função de sujeito, predicativo do sujeito ou vocativo, este último com tu e vós (Nós temos uma proposta / Eu sou eu e pronto / Ó, tu, Senhor Jesus) plural de modéstia - uso do "nós" em lugar do "eu", para evitar tom impositivo ou pessoal num sujeito composto é de bom tom colocar o pron. de 1ª pess. por último (José, Maria e eu fomos ao teatro). Porém se for algo desagradável ou que implique responsabilidade, usa-se inicialmente a 1ª pess. (Eu, José e Maria fomos os autores do erro) não se pode contrair as preposições de e em com pronomes que sejam sujeitos (Em vez de ele continuar, desistiu ? Vi as bolsas dele bem aqui) os pronomes átonos podem assumir valor possessivo (Levaram-me o dinheiro) ( Pesavam-lhe os olhos), enquanto alguns átonos são partes integrantes de verbos como suicidar-se, apiedar-se, condoer-se, ufanar-se, queixar-se, vangloriar-se. Já os pronomes oblíquos podem ser usados como expressão expletiva (Não me venha com essa). Pronomes Pessoais númeropessoapronomes retospronomes oblíquos tônicosátonos singular 1a. 2a. 3a. eu tu ele, ela mim, comigo ti, contigo ele, ela, si, consigo me te se, o, a, lhe plural 1a. 2a. 3a. nós vós eles, elas nós, conosco vós, convosco eles, elas, si, consigo nos vos se, os, as, lhes 8

9 Professora Marise Schadeck ATIVIDADES 1.Assinale a opção que apresenta o emprego correto do pronome, de acordo com a norma culta: a) O diretor mandou eu entrar na sala. b) Preciso falar consigo o mais rápido possível. c) Cumprimentei-lhe assim que cheguei. d) Ele só sabe elogiar a si mesmo. e) Após a prova, os candidatos conversaram entre eles. 2. Assinale a opção em que houve erro no emprego do pronome pessoal em relação ao uso culto da língua: a) Ele entregou um texto para mim corrigir. b) Para mim, a leitura está fácil. c) Isto é para eu fazer agora. d) Não saia sem mim. e) Entre mim e ele há uma grande diferença. 3. Colocação incorreta: a) Preciso que venhas ver-me. d) Sempre negaram-me tudo. b) Procure não desapontá-lo. e) As espécies se atraem. c) O certo é fazê-los sair. 4. Assinale a frase em que a colocação do pronome pessoal oblíquo não obedece às normas do português padrão: 1. Essas vitórias pouco importam; alcançaram-nas os que tinham mais dinheiro. 2. Entregaram-me a encomenda ontem, resta agora a vocês oferecerem-na ao chefe. 3. Ele me evitava constantemente!... Ter-lhe-iam falado a meu respeito? 4. Estamos nos sentido desolados: temos prevenido-o várias vezes e ele não nos escuta. 5. O Presidente cumprimentou o Vice dizendo: - Fostes incumbido de difícil missão, mas cumpriste-la com denodo e eficiência. 5.Complete com eu ou mim: - eles chegaram antes de ____. - há algum trabalho para _____ fazer? - há algum trabalho para _____ ? - ele pediu para _____ elaborar alguns exercícios; - para _____, viajar de trem é uma aventura deliciosa; a) mim – mim – mim – mim – mim; b) mim – eu – eu – eu – mim; c) eu – eu – mim –mim – eu; d) eu – mim –eu – mim – eu; e) mim – eu – mim – eu – mim. 9

10 Professora Marise Schadeck Pronomes de Tratamento São pronomes empregados no trato com as pessoas, familiarmente ou respeitosamente. Embora o pronome de tratamento se dirija à segunda pessoa, toda a concordância deve ser feita com a terceira pessoa. Usa-se Vossa, quando conversamos com a pessoa, e Sua, quando falamos da pessoa. Vossa Senhoria deveria preocupar-se com suas responsabilidades e não com as dele. Sua Excelência, o Prefeito, que se encontra ausente. Eis uma pequena lista de pronomes de tratamento: AUTORIDADES DE ESTADO Civis Pronome de tratamento – Abreviatura - Usado para 1 - Vossa Excelência - V. Ex.a - Presidente da República, Senadores da República, Ministro de Estado, Governadores, Deputados Federais e Estaduais, Prefeitos, Embaixadores, Vereadores, Cônsules, Chefes das Casas Civis e Casas Militares. 2 - Vossa Magnificência - V. M. - Reitores de Universidade 3 - Vossa Senhoria - V. S.a - Diretores de Autarquias Federais, Estaduais e Municipais Judiciárias Pronome de tratamento – Abreviatura - Usado para 1 - Vossa Excelência - V. Ex.a - Desembargador da Justiça, curador, promotor 2 - Meritíssimo Juiz - M. - Juiz, Juízes de Direito 3 - Vossa Senhoria - V. S.a - Diretores de Autarquias Federais, Estaduais e Municipais Militares Pronome de tratamento – Abreviatura - Usado para 1 - Vossa Excelência - V. Ex.a - Oficiais generais (até coronéis) 2 - Vossa Senhoria - V. S.a - Outras patentes militares 3 - Vossa Senhoria - V. S.a - Diretores de Autarquias Federais, Estaduais e Municipais AUTORIDADES ECLESIÁSTICAS Pronome de tratamento – Abreviatura - Usado para 1 - Vossa Santidade - V. S. - Papa 2 - Vossa Eminência Reverendíssima - V. Em.a Revm.a - Cardeais, arcebispos e bispos 3 - Vossa Reverendíssima - V. Revma - Abades, superiores de conventos, outras autoridades eclesiásticas e sacerdotes em geral AUTORIDADES MONÁRQUICAS Pronome de tratamento – Abreviatura - Usado para 1 - Vossa Majestade - V. M. - Reis e Imperadores 2 - Vossa Alteza - V. A. - Príncipe, Arquiduques e Duques 3 - Vossa Reverendíssima - V. Revma - Abades, superiores de conventos, outras autoridades eclesiásticas e sacerdotes em geral OUTRAS AUTORIDADES Pronome de tratamento – Abreviatura - Usado para 1 - Vossa Senhoria - V. S.a - Dom 2 - Doutor - Dr. - Doutor 3 – Comendador - Com. - Comendador 4 – Professor - Prof. - Professor 10

11 Professora Marise Schadeck ATIVIDADES DE PRONOMES DE TRATAMENTO 1. Vossa Excelência _____ arrependerá de ter traído ______ povo! a) vos – vosso; b) se – vosso; c) vos – seu; d) se – seu; e) te – teu. 2.O pronome de tratamento usado para Reitores é: a) Vossa Excelência; b) Vossa Magnificência; c) Vossa Eminência; d) Vossa Reverendíssima; e) N. R. A. 3.Reescreva os períodos abaixo, corrigindo-os: Espero que V. Exa. e vossa distinta consorte nos honrem com vossa visita. ________________________________________________________________ Vossa Majestade, Senhor Rei, sois generoso e bom para com o vosso povo." ________________________________________________________________ 4.Numa das frases, está usado indevidamente um pronome de tratamento. Assinale-a: a) Os Reitores das Universidades recebem o título de Vossa Magnificência. b) Senhor Deputado, peço a Vossa Excelência que conclua a sua oração. c) Sua Eminência, o Papa Paulo VI, assistiu à solenidade. d) Procurei a chefe da repartição, mas Sua Senhoria se recusou a ouvir minhas explicações. Pronome de tratamento é pronome de terceira pessoa. Todos os elementos devem concordar com a terceira pessoa, portanto. Por exemplo: Quando V. Senhoria desejar que o (e não "vos") auxilie, basta chamar pelo interfone que está sobre sua (e não "vossa") mesa. 08/06/rapidinha-15-pronome-de- tratamento.html 11

12 Professora Marise Schadeck Pronome Relativo Retoma um termo expresso anteriormente (antecedente). São eles que, quem e onde - invariáveis; além de o qual (a/s), cujo (a/s) e quanto (a/s). Emprego quem será precedido de preposição se estiver relacionado a pessoas ou seres personificados quem = relativo indefinido quando é empregado sem antecedente claro, não vindo precedido de preposição cujo (a/s) é empregado para dar a idéia de posse e não concorda com o antecedente e sim com seu conseqüente quanto (a/s) normalmente tem por antecedente os pronomes indefinidos tudo, tanto (a/s) Pronome Indefinido Referem-se à 3ª pessoa do discurso quando considerada de modo vago, impreciso ou genérico. Podem fazer referência a pessoas, coisas e lugares. Alguns também podem dar idéia de conjunto ou quantidade indeterminada. Pronomes indefinidos São eles: alguém, ninguém, tudo, nada, algo, cada, outrem, mais, menos, demais, algum, alguns, alguma, algumas, nenhum, nenhuns, nenhuma, nenhumas, todo, todos, toda, todas, muito, muitos, muita, muitas, bastante, bastantes, pouco, poucos, pouca, poucas, certo, certos, certa, certas, tanto, tantos, tanta, tantas, quanto, quantos, quanta, quantas, um, uns, uma, umas, qualquer, quaisquer, (além das locuções pronominais indefinidas): cada um, cada qual, quem quer que, todo aquele que, tudo o mais... algum, após o substantivo a que se refere, assume valor negativo (= nenhum) (Computador algum resolverá o problema) cada deve ser sempre seguido de um substantivo ou numeral (Elas receberam 3 balas cada uma) certo é indefinido se vier antes do nome a que estiver se referindo. Caso contrário é adjetivo (Certas pessoas deveriam ter seus lugares certos). bastante pode vir como adjetivo também, se estiver determinando algum substantivo 12

13 Professora Marise Schadeck o pronome outrem equivale a "qualquer pessoa" o pronome nada, colocado junto a verbos ou adjetivos, pode equivaler a advérbio (Ele não está nada contente hoje) o pronome outro (a/s) ganha valor adjetivo se equivaler a diferente" (Ela voltou outra das férias) existem algumas locuções pronominais indefinidas - quem quer que seja, seja quem for, cada um etc. Pronome Interrogativo Usados na formulação de uma pergunta direta ou indireta. Referem-se à 3ª pessoa do discurso. Na verdade, são os pronomes indefinidos que, quem, qual (a/s) e quanto (a/s) em frases interrogativas. (Quantos livros você tem? / Não sei quem lhe contou) Advérbios Pode modificar um verbo, um adjetivo, outro advérbio ou uma frase inteira. Classificam-se de acordo com as circunstâncias que expressam: lugar: longe, junto, acima, atrás, alhures... tempo: breve, cedo, já, dentro, ainda... modo: bem, mal, melhor, pior, devagar, a maioria dos adv. com sufixo -mente negação: não, tampouco, absolutamente... dúvida: quiçá, talvez, provavelmente, possivelmente... intensidade: muito, pouco, bastante, mais, demais, tão... afirmação: sim, certamente, realmente, efetivamente... Obs.: as palavras onde (de lugar), como (de modo), por que (de causa) e quando (de tempo), usadas em frases interrogativas diretas ou indiretas, são classificadas como advérbios interrogativos. São locuções adverbiais: à direita, à frente, à vontade, de cor, em vão, por acaso, frente a frente, de maneira alguma, de manhã, de repente, de vez em quando, em breve, etc. São classificadas, também, em função da circunstância que expressam Preposições Palavra invariável que liga dois termos entre si, estabelecendo relação de subordinação (regente - regido). Divide-se em: essenciais (maioria das vezes são preposições): a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás acidentais (podem exercer função de preposição): afora, conforme, consoante, durante, exceto, salvo, segundo, senão etc. Preposições essenciais regem pron. obl. tônicos; enquanto preposições acidentais regem as formas retas dos pron. pessoais. (Falei sobre ti/Todos, exceto eu, vieram) São locuções prepositivas: abaixo de, acerca de, a fim de, além de, ao lado de, apesar de, através de, de acordo com, em vez de, junto de, perto de etc. Obs.: a última palavra da loc. prepositiva é sempre uma preposição, enquanto a última palavra de uma loc. adverbial nunca é preposição Emprego combinação: preposição + outra palavra sem perda fonética (ao/aos) contração: preposição + outra palavra com perda fonética (na/àquela) não se deve contrair de se o termo seguinte for sujeito (Está na hora de ele falar) 13

14 Professora Marise Schadeck Conjunções Palavra que liga orações, estabelecendo entre elas alguma relação (subordinação ou coordenação). As conjunções classificam-se em: Coordenativas: ligam duas orações independentes (coordenadas), ou dois termos que exercem a mesma função sintática dentro da oração. Apresentam 5 tipos: aditivas (adição) - e, nem, mas também, mas ainda etc. adversativas (adversidade, oposição) - mas, porém, todavia, contudo etc. alternativas (alternância, exclusão, escolha) - ou, ou... ou, ora... ora, quer... quer etc. conclusivas (conclusão) - logo, portanto, pois (depois do verbo) etc. explicativas (justificação) - pois (antes do verbo), porque, que etc. Subordinativas: ligam duas orações dependentes, subordinando uma à outra. Apresentam 10 tipos. causais - porque, visto que, já que, uma vez que etc. comparativas - como, que (precedido de mais ou menos) etc. condicionais - se, caso, contanto que, desde que etc. consecutivas (conseqüência, resultado, efeito) - que (precedido de tal, tanto, tão etc. - indicadores de intensidade), de modo que, de maneira que etc. conformativas (conformidade, adequação) - conforme, segundo, consoante, como etc. concessiva - embora, se bem que, ainda que, mesmo que etc. temporais - quando, enquanto, logo, desde que etc. finais - a fim de que, para que, que etc. proporcionais - à medida que, à proporção que, ao passo que etc. integrantes - que, se As conjunções integrantes introduzem as orações subordinadas substantivas, enquanto as demais iniciam orações subordinadas adverbiais. Muitas vezes a função de interligar orações é desempenhada por locuções conjuntivas. Interjeições Expressa estados emocionais do falante, variando de acordo com o contexto emocional. Podem expressar: alegria: ah!, oh!, oba! etc. advertência: cuidado!, atenção etc. afugentamento: fora!, rua!, passa!, xô! etc. alívio: ufa!, arre! animação: coragem!, avante!, eia! aplauso: bravo!, bis!, mais um! etc. chamamento: alô!, olá!, psit! etc. desejo: oxalá!, tomara! etc. dor: ai!, ui! etc. espanto: puxa!, oh!, chi!, ué! etc. impaciência: hum!, hem! etc. silêncio: silêncio!, psiu!, quieto! São locuções interjeitivas: puxa vida!, não diga!, que horror!, graças a Deus!, ora bolas!, cruz credo! etc. Saiba que: As interjeições são palavras invariáveis, isto é, não sofrem variação em gênero, número e grau como os nomes, nem de número, pessoa, tempo, modo, aspecto e voz como os verbos. No entanto, em uso específico, algumas interjeições sofrem variação em grau. Deve-se ter claro, neste caso, que não se trata de um processo natural dessa classe de palavra, mas tão só uma variação que a linguagem afetiva permite. Exemplos: oizinho, bravíssimo, até loguinho. hp 14

15 Professora Marise Schadeck 1 Preencha com o pronome relativo adequado: 01. Vi a moça (… ) tu gostas. 02. Vi o país (… ) tu vais. 03. Vi o país (… ) tu vens. 04. Vi o país (… ) tu moras. 05. O modo (… ) agiu foi sincero. 06. Tenho tudo (… ) quero. 07. Vi a moça (… ) tu amas. 08. Eis o livro (… ) leitura gostei. 09. Falou tudo ( …) quis. 10. Ela viu a mãe do aluno (… ) ela gosta. 2.Completa os provérbios com pronomes indefinidos 1 - O que podes fazer só, não esperes por Nem o que luz é ouro. 3 - Casa onde não há pão, ralham e tem razão. 4 - O Sol, quando nasce, é para Quem é amigo de , não é de tem que lhe baste querem chegar a velho, mas só querem que lhe chamem. 3.Ligue os elementos, da coluna da direita, aos correspondentes na coluna da esquerda. Que Quantas Qual Quem Quais Quantos Que Qual Quem O que me empresta um lápis? amigas convidaste para o teu aniversário? queres comer ao lanche? horas são? são as tuas preferências musicais? dos exercícios queres realizar em primeiro lugar? te ajudou a trazer as compras para casa? dos filmes preferes ver no cinema? queres fazer no próximo sábado? anos tens? 4.Assinale a frase em que meio funciona como advérbio: a) Só quero meio quilo. b) Achei-o meio triste. c) Descobri o meio de acertar. d) Parou no meio da rua. e) Comprou um metro e meio. 5. Só não há advérbio em: a) Não o quero. b) Ali está o material. c) Tudo está correto. d) Talvez ele fale. e) Já cheguei. 6. Qual das frases abaixo possui advérbio de modo? a) Realmente ela errou. b) Antigamente era mais pacato o mundo. c) Lá está teu primo. d) Ela fala bem. e) Estava bem cansado. ATIVIDADES 15

16 Professora Marise Schadeck 7. Classifique a locução adverbial que aparece em "Machucou-se com a lâmina". a) modo b) instrumento c) causa d) concessão e) fim 8. Indique a alternativa gramaticalmente incorreta: a) A casa onde moro é excelente. b) Disseram-me por que chegaram tarde. c) Aonde está o livro? d) É bom o colégio donde saímos. e) O sítio aonde vais é pequeno. 9. Ele ficou em casa. A palavra em é: a) conjunção b) pronome indefinido c) artigo definido d) advérbio de lugar e) preposição 10. Morfologicamente, a expressão sublinhada na frase abaixo é classificada como locução: "Estava à toa na vida..." a) adjetiva b) adverbial c) prepositiva d) conjuntiva e) substantiva 11. No trecho: O Rio não se industrializou, deixou explodir a questão social, fermentada por mais de dois milhões de favelados, e inchou, à exaustão, uma máquina administrativa que não funciona..., a preposição a (que está contraída com o artigo a) traduz uma relação de: a) fim b) causa c) concessão d) limite e) modo 12. Assinale a alternativa em que a norma culta não aceita a contração da preposição de: a) Aos prantos, despedi-me dela. b) Está na hora da criança dormir. c) Falava das colegas em público. d) Retirei os livros das prateleiras para limpá-los. e) O local da chacina estava interditado. 13. Assinale a alternativa em que a preposição destacada estabeleça o mesmo tipo de relação que na frase matriz: Criaram-se a pão e água. a) Desejo todo o bem a você. b) A julgar por esses dados, tudo está perdido. c) Feriram-me a pauladas. d) Andou a colher alguns frutos do mar. e) Ao entardecer, estarei aí. 14. Assinale a opção em que a preposição com traduz uma relação de instrumento: a) "Teria sorte nos outros lugares, com gente estranha." b) "Com o meu avô cada vez mais perto de mim, o Santa Rosa seria um inferno." c) "Não fumava, e nenhum livro com força de me prender." d) "Trancava-me no quarto fugindo do aperreio, matando-as com jornais." e) "Andavam por cima do papel estendido com outras já pregadas no breu." 15. "O policial recebeu o ladrão a bala. Foi necessário apenas um disparo; o assaltante recebeu a bala na cabeça e morreu na hora.".No texto, os vocábulos em destaque são respectivamente: a) preposição e artigo b) preposição e preposição c) artigo e artigo d) artigo e preposição e) artigo e pronome indefinido 16

17 Professora Marise Schadeck 16.Em "Escrever é alguma coisa extremamente forte, mas que pode me trair e me abandonar.", a palavra grifada pode ser classificada como: a) conjunção aditiva. b) conjunção aditiva. c) conjunção alternativa. d) conjunção adversativa. e) conjunção alternativa. 17.Em:... ouviam-se amplos bocejos, fortes como o marulhar das ondas... a partícula como expressa uma ideia de: a) causa b) explicação c) conclusão d) Proporção e) comparação 18.Assinale a sequência de conjunções que estabelecem, entre as orações de cada item, uma correta relação de sentido. 1. Correu demais,... caiu. 2. Dormiu mal,... os sonhos não o deixaram em paz. 3. A matéria perece,... a alma é imortal. 4. Leu o livro,... é capaz de descrever as personagens com detalhes. 5. Guarde seus pertences,... podem servir mais tarde. a) porque, todavia, portanto, logo, entretanto b) por isso, porque, mas, portanto, que c) logo, porém, pois, porque, mas d) porém, pois, logo, todavia, porque e) entretanto, que, porque, pois, portanto 19. Grife a conjunções e classifique-as: Visto que não me entregaste o trabalho, vou avaliá-lo negativamente. Viajei até ao Norte, porém não consegui observar todas as paisagens. – Juro que não repito aquele feito se tu fizeres a tua parte. – Mal cheguei à festa, vi a tua amiga Mariana. – Já vos foram fornecidos os exercícios, portanto trabalhem bem. – Traz-me as tuas revistas ou terei que comprar outras. Seja pelo melhor, seja pelo pior, vou emigrar para Londres. – Embora não aprecie filmes de terror, penso que irei ver o que está no cinema. – No futuro, quero ser um grande profissional como tu és no presente. – Dei o meu melhor para tu puderes viver em boas condições. – 20. Complete os espaços com conjunções: 1. Os novos candidatos seriam admitidos ( ) tivessem encaminhado, em tempo hábil, os documentos exigidos para a inscrição. 2. O novo carro passou por todos os testes, em vários departamentos especializados, ( ) estabelecem as normas de qualidade. 3. ( ) seja complexa e trabalhosa a pesquisa, não desanimaremos. 4. ( ) temos tempo, façamos o bem. 5. Não pudemos concluir nenhum acordo, ( ) os demais herdeiros pretendiam ludibriar-nos. 6. ( ) os problemas se agravaram, recorremos aos serviços de um perito que nos ajudasse. 7. ( ) as vendas aumentavam, o otimismo tomava conta dos criadores do novo esquema de promoção. 8. ( ) ainda não se delineou nenhum plano concreto, convém aguardar por algum tempo. 9. Os acontecimentos se agravaram ( ) perdemos a perspectiva de julgá-los com segurança. 10. ( ) a Diretoria da empresa tenha outros planos a nosso respeito, tudo leva a crer que seremos transferidos para Manaus. 17

18 Professora Marise Schadeck NUMERAL Numeral é uma das palavras que se relaciona diretamente ao substantivo, dando a ideia de número.substantivo Exemplos: - Andei por duas quadras. - Fui a segunda colocada no concurso. - Comi um quarto da pizza. - Tenho triplo da idade de meu filho. Classificação do numeral: cardinal, ordinal, multiplicativo e fracionário. CARDINAL Indica quantidade, serve para fazer a contagem. ORDINAL Expressa ordem. MULTIPLICATIVO Indica multiplicação. FRACIONÁRIO Expressa divisão, fração e partes. COLETIVO Indica um conjunto. Exemplo: centena, dúzia, dezena, década e milheiro. *Observação: zero e ambos são considerados como numerais. Diferença entre um artigo e o um numeral, um artigo indica indefinição do substantivo e o um numeral indica quantidade do substantivo. Flexão dos numerais: Alguns variam em gênero e número. Dois – duas segundo – segunda Com funções adjetivas são variáveis. - Ficou em coma por tomar doses triplas de veneno. Números fracionários. É meio-dia e meia (hora). Fonte:http://www.infoescola.com/portugues/numeral/ Veja também em:http://www.algosobre.com.br/gra matica/numeral.html 18

19 Professora Marise Schadeck CardinaisOrdinaisMultiplicativos Fracion á rios umprimeiro-- doissegundodobro, duplomeio trêsterceiro triplo, tr í pliceter ç o quatroquarto qu á druplo quarto cincoquinto qu í ntuplo quinto seissextosêxtuplosexto sete s é timos é tuplos é timo oitooitavo ó ctuplo oitavo novenononônuplonono dez d é cimod é cuplod é cimo onze d é cimo primeiro -onze avos doze d é cimo segundo -doze avos treze d é cimo terceiro -treze avos catorze d é cimo quarto -catorze avos quinze d é cimo quinto -quinze avos dezesseis d é cimo sexto -dezesseis avos dezessete d é cimo s é timo -dezessete avos dezoito d é cimo oitavo -dezoito avos dezenove d é cimo nono -dezenove avos vinte vig é simo -vinte avos trinta trig é simo -trinta avos quarenta quadrag é simo -quarenta avos cinquenta quinquag é simo -cinquenta avos sessenta sexag é simo -sessenta avos setenta septuag é simo -setenta avos oitenta octog é simo -oitenta avos noventa nonag é simo -noventa avos cem cent é simo cêntuplo cent é simo duzentos ducent é simo - trezentos trecent é simo - quatrocentos quadringent é simo - quinhentos q ü ingent é simo - seiscentos sexcent é simo - setecentos septingent é simo - oitocentos octingent é simo - novecentos nongent é simo ou noningent é simo - nongent é simo mil mil é simo - milhão milion é simo - bilhão bilion é simo 19

20 Professora Marise Schadeck ATIVIDADES 1.Em todas as frases abaixo,os numerais foram corretamente empregados,exceto em: a)O artigo vinte e cinco deste código foi revogado. b)Seu depoimento foi transcrito na página duzentos e vinte e dois. c)Ainda o capítulo sétimo desta obra. d)Este terremoto ocorreu no século dez antes de Cristo. 2.Em todas as frases abaixo,a palavra grifada é um numeral,exceto em: a)Ele só leu um livro este semestre. b)Não é preciso mais que uma pessoa para fazer este serviço. c)Ontem à tarde,um rapaz procurou por você? d)Você quer uma ou mais caixas deste produto? 3.O ordinal quadragésimo oitavo corresponde a: a)480 b)448 c)48 4.Marque o emprego incorreto do numeral: a) século III (três) b) página 102 (cento e dois) c) 80º (octogésimo) d) capítulo XI (onze) e) X tomo (décimo) 5.Indique o item em que os numerais estão corretamente empregados: a) Ao Papa Paulo seis sucedeu João Paulo primeiro. b) após o parágrafo nono, virá o parágrafo décimo. c) depois do capítulo sexto, li o capítulo décimo primeiro. d) antes do artigo dez vem o artigo nono. e) o artigo vigésimo segundo foi revogado. 6. O ordinal nongentésimo quinquagésimo corresponde a: a)95 b)950 c) Assinale os itens em que a correspondência cardinal/ordinal está incorreta;em seguida,faça a devida correção. a)907=nongentésimo sétimo b)650=seiscentésimo quingentésimo c)84=octingentésimo quadragésimo d)321=trigésimo vigésimo primeiro e)750=setingentésimo qüinquagésimo 20

21 Professora Marise Schadeck ASPECTOS SEMÂNTICOS SIGNIFICANTE – é a forma, a parte completa da palavra, suas letras e seus fonemas. Ex: Rasguei a manga da camisa / Adoro sorvete de manga. As duas palavras grifadas têm o mesmo significante, porém dois significados perfeitamente distintos. SIGNIFICADO – é o conteúdo, a parte abstrata. É a idéia, o conceito transmitido pela palavra. Ex: Ele ficou pálido ao receber a notícia / Ele ficou lívido ao receber a notícia. As duas palavras grifadas têm o mesmo significado, porém dois significantes diferentes. O significado pode ter origem na monossemia ou na polissemia. 1- Polissemia: é o fato de ter um vocábulo mais de uma significação. Exemplo: manga= manga de paletó Fruto 2-Homonímia: -mesma pronúncia, mas sentidos diferentes; -podem ter ou não a mesma grafia; -os que pronunciam da mesma maneira são homófonos; -os que grafam igualmente dizem-se homógrafos. OBS: Homônimos perfeitos: são palavras iguais na pronúncia e na escrita. Ex: cura (verbo) e cura (substantivo) / verão (verbo) e verão (substantivo) / cedo (verbo) e cedo (advérbio). Exemplos: lima: fruto lima: ferramenta coser: costurar cozer: cozinhar espiar: olhar expiar: pagar uma pena seção, secção: divisão, repartição sessão: reunião cessão: ato de ceder 3- Sinonímia: é o fato de haver mais de um vocábulo com a mesma ou quase a mesma significação (sinônimos). Exemplo: casa, lar, morada, residência, mansão 4- Antonímia: é o fato de haver vocábulos com sentidos opostos (antônimos). Exemplos: vida/morte crente/descrente 5- Paronímia: é o fato de haver vocábulos parecidos na forma e diferentes no sentido. iminente: pendente, próximo para acontecer eminente: ilustre ratificar: confirmar retificar: corrigir descrição: ato de descrever discrição: qualidade de quem é discreto tráfego: trânsito tráfico: comércio infringir: transgredir, violentar infligir: aplicar pena, castigo intimorato: destemido, intrépido intemerato: puro, imaculado proscrever: proibir prescrever: aconselhar deferir: atender diferir: retardar mandado: ordem judicial mandato: procuração emigrante: aquele que deixou um país imigrante: aquele que entrou num país incipiente: principiante insipiente: ignorante censo: recenseamento senso: juízo 21

22 Professora Marise Schadeck Lista de Homônimos e Parônimos Acender - pôr fogo a Ascender - elevar-se, subir Acento - inflexão de voz, tom de voz, acento Assento - base, lugar de sentar-se Acessório - pertences de qualquer instrumento ou máquina; Assessório - diz respeito a assistente, adjunto ou assessor Aço - ferro temperado Asso - do v. assar Anticéptico - contrário ao cepticismo Antisséptico - contrário ao pútrido; desinfetante Asar - guarnecer de asas Azar - má sorte, ocasionar Brocha - tipo de prego Broxa - tipo de pincel Caçado - apanhado na caça Cassado - anulado Cardeal - principal; prelado; ave; planta; ponto (cardeal) Cardial - relativo à cárdia Cartucho - carga de arma de fogo Cartuxo - frade de Cartuxa Cédula - documento Sédula - feminino de sédulo (cuidadoso) Cegar - tornar ou ficar cego Segar - ceifar Cela - aposento de religiosos; pequeno quarto de dormir Sela - arreio de cavalgadura Censo - recenseamento Senso - juízo Censual - relativo a censo Sensual - relativo aos sentidos Cerra - do verbo cerrar (fechar) Serra - instrumento cortante; montanha; do v. serrar (cortar) Cerração - nevoeiro denso Serração - ato de serrar Cerrado - denso; terreno murado; part. do v. cerrar (fechado) Serrado - particípio de serrar (cortar) Cessão - ato de ceder Sessão - tempo que dura uma assembléia Secção ou seção - corte, divisão Cevar - nutrir, saciar Sevar - ralar Chá - infusão de folhas para bebidas Xá - título do soberano da Pérsia Cheque - ordem de pagamento Xeque - perigo; lance de jogo de xadrez; chefe de tribo árabe Cinta - tira de pano Sinta - do v. sentir Círio - vela de cera Sírio - relativo à Síria; natural desta Cível - relativo ao Direito Civil Civil - polido; referente às relações dos cidadãos entre si Comprimento - extensão Cumprimento - ato de cumprir, Concelho - município Conselho - parecer Concerto - sessão musical; harmonia Conserto - remendo, reparação Concílio - assembléia de prelados católicos Consílio - conselho Conjetura - suposição Conjuntura - momento Coringa - pequena vela triangular usada à proa das canoas Curinga - carta de baralho Corisa - inseto Coriza - secreção das fossas nasais Coser - costurar Cozer - cozinhar Decente - decoroso Descente - que desce Deferir - atender, conceder Diferir - posicionar-se contrariamente; adiar (um compromisso marcado) Descargo - alívio Desencargo - desobrigação de um encargo Desconcertado - descomposto; disparato Desconsertado - desarranjado Descrição - ato de descrever Discrição - qualidade de discreto Descriminar - inocentar Discriminar - distinguir, diferenciar Despensa - copa Dispensa - ato de dispensar Concerto - sessão musical; harmonia Conserto - remendo, reparação Concílio - assembléia de prelados católicos Consílio - conselho Conjetura - suposição Conjuntura - momento Coringa - pequena vela triangular usada à proa das canoas Curinga - carta de baralho Corisa - inseto Coriza - secreção das fossas nasais Coser - costurar Cozer - cozinhar Decente - decoroso Descente - que desce Deferir - atender, conceder Diferir - posicionar-se contrariamente; adiar (um compromisso marcado) Descargo - alívio Desencargo - desobrigação de um encargo Desconcertado - descomposto; disparato Desconsertado - desarranjado Descrição - ato de descrever Discrição - qualidade de discreto Descriminar - inocentar Discriminar - distinguir, diferenciar 22

23 Professora Marise Schadeck Despensa - copa Dispensa - ato de dispensar Despercebido - não notado Desapercebido - desprevenido Édito - ordem judicial Edito - decreto, lei (do executivo ou legislativo) Elidir - eliminar Ilidir - refutar Emergir - sair de onde estava mergulhado Imergir - mergulhar Emerso - que emergiu Imerso - mergulhado Emigração - ato de emigrar Imigração - ato de imigrar Eminente - excelente Iminente - sobranceiro; que está por acontecer Emissão - ato de emitir, pôr em circulação Imissão - ato de imitir, fazer entrar Empossar - dar posse Empoçar - formar poça Espectador - o que observa um ato Expectador - o que tem expectativa Espedir - despedir; estar moribundo Expedir - enviar Esperto - inteligente, vivo Experto - perito ("expert") Espiar - espreitar Expiar - sofrer pena ou castigo Esplanada - terreno plano Explanada (o) - part. do v. explanar Estasiado - ressequido Extasiado - arrebatado Estático - firme Extático - absorto Esterno - osso dianteiro do peito Externo - que está por fora Estirpe - raiz, linhagem Extirpe - flexão do v. extirpar Estofar - cobrir de estofo Estufar - meter em estufa Estrato - filas de nuvens Extrato - coisa que se extraiu de outra Estremado - demarcado Extremado - extraordinário Flagrante - evidente Fragrante - perfumado Fluir - correr Fruir - desfrutar Fuzil - arma de fogo Fusível - peça de instalação elétrica Gás - fluido aeriforme Gaz - medida de extensão Incidente - acessório, episódio Acidente - desastre; relevo geográfico Infligir - aplicar castigo ou pena Infringir - transgredir Incipiente - que está em começo, iniciante Insipiente - ignorante Intenção - propósito Intensão - intensidade; força Intercessão - ato de interceder Interseção - ato de cortar Laço - nó que se desata facilmente Lasso - fatigado Maça - clava; pilão Massa - mistura Maçudo - maçador; monótono Massudo - que tem aspecto de massa Mandado - ordem judicial Mandato - período de permanência em cargo Mesinha - diminutivo de mesa Mezinha - medicamento Óleo - líquido combustível Ólio - espécie de aranha grande Paço - palácio real ou episcopal Passo - marcha Peão - indivíduo que anda a pé; peça de xadrez Pião - brinquedo Pleito - disputa Preito - homenagem Presar - aprisionar Prezar - estimar muito Proeminente - saliente no aspecto físico Preeminente - nobre, distinto Ratificar - confirmar Retificar - corrigir Recreação - recreio Recriação - ato de recriar Recrear - proporcionar recreio Recriar - criar de novo Ruço - grave, insustentável Russo - da Rússia Serva - criada, escreva Cerva - fêmea do cervo Sesta - hora do descanso Sexta - redução de sexta-feira; hora canônica; intervalo musical Tacha - tipo de prego; defeito; mancha moral Taxa - imposto Tachar - censurar, notar defeito em; pôr prego em Taxar - determinar a taxa de Tráfego - trânsito Tráfico - negócio ilícito Viagem - jornada Viajem - do verbo viajar Vultoso - volumoso Vultuoso - inchado 23

24 Professora Marise Schadeck ATIVIDADES 1.Indique o item em que o antônimo da palavra ou expressão em destaque está corretamente apontado. a) duradouro sucesso - efêmero b) fama em ascendência - excelsa c) elegante região - carente d) sala lotada - desabitada 2. A palavra tráfico não dever ser confundida com tráfego, seu parônimo. Em que item a seguir o par de vocábulos é exemplo de homonímia e não de paronímia? a) estrato / extrato b) flagrante / fragrante c) eminente / iminente d) inflação / infração e) cavaleiro / cavalheiro 3. Assinale a alternativa correta, considerando que à direita de cada palavra há um sinônimo. a) emergir = vir à tona; imergir = mergulhar b) emigrar = entrar (no país); imigrar = sair (do país) c) delatar = expandir; dilatar = denunciar d) deferir = diferenciar; diferir = conceder e) dispensa = cômodo; despensa = desobrigação 4. Indique a letra na qual as palavras completam, corretamente, os espaços das frases abaixo. Quem possui deficiência auditiva não consegue ______ os sons com nitidez. Hoje são muitos os governos que passaram a combater o ______ de entorpecentes com rigor. O diretor do presídio ______ pesado castigo aos prisioneiros revoltosos. a) discriminar - tráfico - infligiu b) discriminar - tráfico - infringiu c) descriminar - tráfego - infringiu d) descriminar - tráfego - infligiu e) descriminar - tráfico - infringiu 5. No ______ do violoncelista ______ havia muitas pessoas, pois era uma ______ beneficente. a) conserto - eminente - sessão b) concerto - iminente - seção c) conserto - iminente - seção d) concerto - eminente – sessão 6.Marque a frase em que deve ser empregada a primeira das duas palavras que aparecem entre parênteses: a) Essas hipóteses _________ das circunstâncias (emergem - imergem) b) Nunca o encontro na _________ em que trabalha (sessão - seção); c) Já era decorrido um _______ que ela havia partido, (lustre - lustro); d) O prazo já estava _______ (prescrito - proscrito); e) O fato passou completamente ________ (desapercebido- despercebido). 24

25 Professora Marise Schadeck 7. Marque a frase que se completa com o segundo elemento do parênteses: a) A recessão econômica do país faz com que muitos _________ (emigrem - imigrem); b) Antes de ser promulgada, a Constituição já pedia muitos ________ (consertos - concertos); c) A ditadura _________ muitos políticos de oposição; (caçou - cassou); d) Ao sair do barco, o assaltante foi preso em___________ (flagrante - fragrante); e) O juiz _________ expulsou o atleta violento (incontinenti- incontinente). 8. Marque a alternativa que se completa corretamente com o segundo elemento do parênteses: a) O sapato velho foi restaurado com a aplicação de algumas ________ (tachas-taxas); b) Sílvio _________ na floresta para caçar macacos (imergiu-emergiu); c) Para impedir a corrente de ar, Luís _______ a porta (cerrou-serrou); d) Bonifácio ________ pelo buraco da fechadura (expiava-espiava); e) Quando foi realizado o último ________ ? (censosenso). 9. Marque a alternativa que se completa com o primeiro elemento do parênteses: a) A polícia federal combate o _________ de cocaína (tráfego-tráfico); b) No Brasil é vedada a ________ racial; embora haja quem a pratique (discriminação-descriminação); c) Você precisa melhorar seu __________ de humor (censo-senso); d) O presidente _________ antecipou a queda do muro de Berlim (ruço-russo); e) O balão, tremelizindo _________ para o céu estrelado (acendeu-ascendeu). 10.Em o prefeito deferiu o requerimento do contribuinte, o termo grifado poderia perfeitamente ser substituído por: a) apreciou; b) arquivou; c) despachou favoravelmente;d) invalidou; e) despachou negativamente. 11.As ideias liberais saíram incólumes, ainda que se pensasse que seriam dilapidadas, completamente. Os termos grifados são antônimos, respectivamente de: a) arrasadas - dilaceradas;b) intactas - arrasadas; c) intactas - dilaceradas; d) depauperadas - prestigiadas; e) N.R.A. 12.Complete as lacunas com a expressão correta (entre parênteses): O _______ (cervo - servo) prendia-se nos arbustos, fugindo dos _______ (cartuchos - cartuxos) que pipocavam por toda a _______ (área - aria); a) cervo – cartuxos – área; b) servo – cartuchos – aria; c) cervo – cartuchos – área; d) servo – cartuchos – área; e) servo – cartuchos – aria. 25

26 Professora Marise Schadeck ALGUNS ASPECTOS SINTÁTICOS Adjunto Adnominal É o termo que especifica ou delimita o significado de um substantivo. Pode ser expresso por: adjetivo: Catedral de Curitiba vai ter vigilância eletrônica. locução adjetiva: Bolsas de estudo para cursos a distância. Ele é especialista em economia do império. artigo: A genética supera os preconceitos. pronome adjetivo: A tristeza tem seus significados. numeral: Um balão pode voar até sete mil metros de altura. oração: As florestas acreanas, / que concentram uma das maiores quantidades de recursos biológicos do planeta, / estão sendo alvo da biopirataria internacional. Nesse caso, a oração será classificada como oração subordinada adjetiva. Diferença entre complemento nominal e adjunto adnominal (na forma de locução adjetiva). 1. Se a locução vier associada a adjetivo ou advérbio, ela será sempre complemento nominal, uma vez que o adjunto só modifica o substantivo. Sua pesquisa é útil a todos. adj. CN Poucos deputados manifestaram-se contrariamente à aprovação do projeto de lei de aposentadoria. adv. CN 2. Se a locução vier associada a um substantivo, poderá exercer a função de complemento nominal ou adjunto adnominal. Será adjunto adnominal se o substantivo a que se refere for concreto ou se essa locução puder ser transformada em adjetivo: Vaso de porcelana. Livro de geografia. Caneta do José. Ondas do mar. ( = marítimas )subst. concreto e adj. adn. e adj. Se a locução referir-se a um substantivo abstrato, será: - adjunto adnominal – se indicar o agente da ação expressa pelo nome; - complemento nominal – se for o paciente da ação. Em suma, se a locução tiver valor de sujeito, será adjunto adnominal; se equivaler a objeto, será complemento nominal. Amor de pai.Amor ao pai. - No 1º caso, a expressão de pai funciona como adjunto adnominal, pois pai é agente de amar (o pai ama; pai = sujeito). Portanto o adjunto adnominal pode ser agente da ação expressa pelo nome. - Na 2ª situação, a expressão ao pai exerce a função sintática de complemento nominal, pois pai é paciente de amar (ama o pai; o pai = objeto direto). Outro exemplo: A invasão da Bélgica pelas tropas alemãs ocorreu em A locução da Bélgica exerce a função sintática de complemento nominal, pois é paciente da ação de invadir. Já a expressão pelas tropas alemãs funciona como adjunto adnominal, uma vez que é agente da ação de invadir. 26

27 Diferença entre adjunto adnominal e predicativo do objeto. Professora Marise Schadeck Vi um filme excelente.Considero o filme excelente. adj. adnominal pred. do objeto Passando essas duas frases para a voz passiva, notaremos que o adjunto adnominal continuará exercendo a mesma função ao passo que o predicativo do objeto passará a exercer a função de predicativo do sujeito: Um filme excelente foi visto por mim.O filme é considerado excelente por mim. adj. adnominal pred. do sujeito B. Adjunto Adverbial É o termo da oração que indica uma circunstância do fato expresso pelo verbo ou intensifica o sentido do verbo, do adjetivo e do advérbio. O adjunto adverbial exerce, portanto, a função de modificador e de intensificador. Vão viajar amanhã. modificador Viajam muito. intensificador Estão muito ansiosos. intensificador Redigem muito bem. intensificador Classificação dos adjuntos adverbiais Eis alguns tipos de adjuntos adverbiais: causa: As crianças gritavam de dor. companhia: Só saía com os pais. condição: A adoção de um adolescente só é feita com o seu consentimento. dúvida: Talvez ela se digne a falar comigo. finalidade: Haviam deixado um espaço para a colocação da mesa. instrumento: Batia com a caneta sobre o livro. intensidade: A mulher se diverte muito no trabalho. lugar: Sou um lírio na correnteza. meio: Passei a tentar levar o barco pelo leme. modo: Volta pacientemente ao ponto de partida para recomeçar. negação: O suposto mar não passaria de um deserto gelado. tempo: A gente não devia crescer nunca. O adjunto adverbial pode ser expresso por: advérbio. Entrar ilegalmente nos Estados Unidos pelo México é uma empreitada de alto risco. locução adverbial. Nos anos 30, muitos países europeus já tinham aprovado leis de higiene racial. oração. Quando o Dr. Renato ouvia falar em operação de risco, ele pensava em cirurgia. Nesse caso, a oração será classificada como oração subordinada adverbial. pronome oblíquo (comigo, contigo, conosco, convosco). Fique comigo. O mesmo adjunto adverbial pode expressar mais de uma circunstância: -Moramos longíssimo daqui. -lugar e intensidade -Jamais voltarei a esta cidade. -tempo e negação -Saiu da sala devagarzinho. - modo e intensidade 27

28 Professora Marise Schadeck Aposto É o termo da oração que se anexa a um substantivo ou a um pronome, esclarecendo-o, desenvolvendo-o ou resumindo-o. Jorge, o cozinheiro, lembrou que peixe cru é muito nutritivo. - O aposto o cozinheiro está anexado ao substantivo Jorge. Nós, os artistas, adoramos ser estraçalhados. - O aposto os artistas refere-se ao pronome Nós. o aposto vem separado dos demais termos da oração por vírgula, dois-pontos ou travessão: A happy hour – o agradável bate-papo do fim de tarde – pode esconder um perigo: o abuso de álcool. o aposto pode anteceder o nome a que se refere: Pioneiros do estudo da radioatividade, Marie e Pierre Curie ganharam o prêmio Nobel de física de o aposto pode ser representado por uma oração denominada oração subordinada substantiva apositiva: Então aconteceu o inesperado: elegeu-se para prefeito. a oração apositiva elegeu-se para prefeito explica o termo inesperado. 1. Tipos de Aposto: enumerativo – é o aposto que enumera idéias que vêm resumidas num termo antecedente: Debaixo de um juazeiro grande, todo um bando de retirantes se arranchara: uma velha, dois homens, uma mulher nova, algumas crianças. recapitulativo – resume termos que o antecedem. Geralmente expressa-se através de um pronome indefinido: Dinheiro, amor, férias, nada a seduzia. especificador – é um nome próprio de pessoa ou lugar que restringe o significado de um nome comum. O substantivo comum que se antecede esse aposto deve denotar a espécie a que pertence o ser designado pelo nome próprio. - O presidente Vargas cometeu suicídio. - O escritor Euclides da Cunha relatou a Guerra de Canudos em seu livro Os sertões. - A cidade de São Paulo é a campeã brasileira em poluiçãp ambiental. -Em 1969, o embaixador norte-americano Charles Elbric foi seqüestrado por militantes de esquerda. Diferença entre adjunto adnominal e aposto: Não se deve confundir o aposto especificador com o adjunto adnominal. Compare: A cidade de Recife continua linda aposto especificador (é possível estabelecer a igualdade Recife = cidade). O clima de Recife é bastante quente adjunto adnominal (não é possível estabelecer a igualdade Recife = clima). Faço aniversário no mês de junho aposto especificador (é possível estabelecer a igualdade mês = junho). As festas de junho são muito populares na região do nordeste adjunto adnominal (não é possível estabelecer a igualdade festas = junho). 28

29 Professora Marise Schadeck Vocativo É um termo classificado à parte, pois não pertence nem ao sujeito nem ao predicado. É o termo utilizado para chamar, interpelar algo ou alguém. Geralmente é separado por vírgula dos outros termos da oração e pode vir precedido de interjeições como: ó!, olá!, eh!, ei! Bem-vindo, presidente! Adeus, ano-velho. Traga-me, vinho, o amor e a juventude. O vocativo pode aparecer no início, no meio ou no final da oração: - Joana, leia o poema. - Leia, Joana, o poema. - Leia o poema, Joana. O vocativo pode vir separado da oração quando ocorre mudança do interlocutor: - Roberto. - O quê ? - Venha almoçar. O termo Roberto, que é o vocativo, vem separado da oração Venha almoçar, o que demonstra que se trata de um termo isolado, não pertence à estrutura da oração. Observações 1) Os apostos, em geral, destacam-se por pausas, indicadas na escrita, por vírgulas, dois pontos ou travessões. Não havendo pausa, não haverá vírgulas. Por Exemplo: Acabo de ler o romance A moreninha. 2) Às vezes, o aposto pode vir precedido de expressões explicativas do tipo: a saber, isto é, por exemplo, etc. Por Exemplo: Alguns alunos, a saber, Marcos, Rafael e Bianca não entraram na sala de aula após o recreio. 3) O aposto pode aparecer antes do termo a que se refere. Por Exemplo: Código universal, a música não tem fronteiras. 4) O aposto que se refere ao objeto indireto, complemento nominal ou adjunto adverbial pode aparecer precedido de preposição. Por Exemplo: Estava deslumbrada com tudo: com a aprovação, com o ingresso na universidade, com as felicitações. 29

30 Professora Marise Schadeck EXERCÍCIOS 1.Use a vírgula para separar o vocativo e o aposto nas frases: a) Sou tua mãe Miro ! b) Aquele velho português pai dos sócios da firma pensou que Mirinho fosse seu neto. c) Este menino meu pai não é seu neto. d) CES escola onde estudo aceita alunos maiores de 14 anos. 2.Indique a função sintática dos termos assinalados, colocando: ( 1 ) aposto, ( 2 ) vocativo. ( ) Aonde vais, meu mestre, a estas horas? ( ) Ofereci lhe tudo: dinheiro, afeto e prestígio. ( ) Carlinhos, você é ainda um menino. ( ) 0 comandante Paulo embarcou para a Europa. ( ) Deseja alguma coisa, senhor? ( ) Automóveis, iates, apartamentos, tudo foi vendido no leilão. ( ) Haverá, no domingo, campeonato de remo na Lagoa Rodrigo Freitas. 3.Identifique os apostos. a) O primeiro presidente brasileiro, marechal Deodoro da Fonseca, usava imponente barba. b) Conheci a praia de Itapuã e a lagoa do Abaeté. c) Mulheres, dinheiro, ambição, tudo é ilusão. d) Caxias, o Patrono do Exército Brasileiro, venceu o exército paraguaio em Itororó. e) Santos Dumont, o Pai da Aviação, é conhecido mundialmente. f) Araçatuba, cidade paulista, possui milhares de bicicleta. g) A mata atlântica, a segunda floresta mais devastada do mundo, revela novidades que surpreendem até os cientistas. h) O rio Tietê é belo em sua nascente. i) O ouro, os diamantes e as pérolas, tudo é terra e da terra. j) A noz, o burro, o sino e o preguiçoso, nenhum faz o seu ofício sem pancadas. k) O seu tio Manuel chegará hoje ao Brasil. l) Vênus, uma bela mulher de bom gênio, era a deusa do amor; Juno, uma víbora, a deusa do casamento. 4.Assinale a alternativa em que o termo grifado é adjunto adnominal: a) Sua falta aos encontros sufocava o nosso amor. b) Ela é uma fera maluca. c) Ela é maluca por lambada nacional. d) Não tenho medo da louca. e) O amor de Deus é o primeiro mandamento. 5.Assinalar a oração que começa com um adjunto adverbial de tempo: a) Com certeza havia um erro no papel do branco. b) No dia seguinte Fabiano voltou à cidade. c) Na porta, (…) enganchou as rosetas das esporas… d) Não deviam tratá-lo assim. e) O que havia era safadeza. 30

31 Professora Marise Schadeck Problemas Gerais da Língua Culta Emprego de algumas palavras e expressões semelhantes: 1. Que e Quê: *Que é pronome, conjunção, advérbio ou partícula expletiva. *Quê é um substantivo (com o sentido de "alguma coisa"), interjeição (indicando surpresa, espanto) ou pronome em final de frase (imediatamente antes de ponto final, de interrogação ou de exclamação) Ex. Que você pretende, tratando-me dessa maneira? Você pretende o quê? Quê!? Quase me esqueço do nosso encontro. 2. Mas e Mais: * Mas é uma conjunção adversativa, de mesmo valor que "porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto". * Mais é um advérbio de intensidade, mas também pode dar idéia de adição, acréscimo; tem sentido oposto a menos. Ex. Eu iria ao cinema, mas (porém) não tenho dinheiro. Ela é a mais (menos) bonita da escola. 3. Onde, Aonde e Donde: * Onde significa "em que lugar". * Aonde significa "a que lugar". * Donde significa "de que lugar". Ex. Onde (em que lugar) você colocou minha carteira? Aonde (a que lugar) você vai, menina? Donde (de que lugar) tu vieste? 4. Mal e Mau * Mal é advérbio, antônimo de "bem". * Mau é adjetivo, antônimo de "bom" Ex. Ele é um homem mau (não é bom); só pratica o mal (e não o bem). * Mal também é substantivo, podendo significar "doença, moléstia, aquilo que é prejudicial ou nocivo". Ex. O mal da sociedade moderna é a violência urbana. 5. A par e Ao par: * A par é usado, no sentido de "estar bem informado", "ter conhecimento". * Ao par só é usado para indicar equivalência entre valores cambiais. Ex. Estou a par de todos os acontecimentos. O real está ao par do dólar. 6. Ao encontro de e De encontro a: * Ao encontro de indica "ser favorável a", "ter posição convergente" ou "aproximar-se de". * De encontro a indica oposição, choque, colisão. Ex. Suas idéias vêm ao encontro das minhas, mas suas ações vão de encontro ao nosso acordo. (Suas idéias são tais quais as minhas, mas suas ações são contrárias ao nosso acordo). 7. Há e A na expressão de tempo: * Há é usado para indicar tempo decorrido. * A é usado para indicar tempo futuro. Ex. Ele partiu há duas semanas. Estamos a dois dias das eleições. 31

32 Professora Marise Schadeck 8. Acerca de, A cerca de e Há cerca de: * Acerca de é locução prepositiva equivalente a "sobre, a respeito de". * A cerca de indica aproximação. * Há cerca de indica tempo decorrido. Ex. Estávamos falando acerca de política. Moro a cerca de 2 Km daqui. Estamos rompidos há cerca de dois meses. 9. Afim e A fim de: * Afim é adjetivo equivalente a "igual, semelhante". * A fim de é locução prepositiva que indica finalidade. Ex. Nós temos vontades afins. Ela veio a fim de estudar seriamente. 10. Senão e Se não: * Senão significa "caso contrário, a não ser". * Se não ocorre em orações subordinadas adverbiais condicionais; equivale a "caso não". Ex. Nada fazia senão reclamar. Estude bastante, senão não sairá sábado à noite. Se não estudar, não sairá sábado à noite. 11. Nós viemos e Nós vimos: * Nós viemos é o verbo vir no pretérito perfeito do indicativo, ou seja, no passado. * Nós vimos é o verbo vir no presente do indicativo. Ex. Ontem, nós viemos procurá-lo, mas você não estava. Nós vimos aqui, agora, para conversar sobre nossos problemas. 12. Torcer por e Torcer para: * Torcer por, pois o verbo torcer exige esta preposição. * Torcer para é usado, quando houver indicação de finalidade, equivalente a "para que", "a fim de que". Ex. Torço pelo Santos. Torço para que o Santos seja o campeão. 13. Desencargo e Descargo: * Desencargo significa "desobrigação de um encargo, de um trabalho, de uma responsabilidade". * Descargo significa "alívio". Ex. Filho que se forma é mais um desencargo de família para o pai. Devolvi o dinheiro por descargo de consciência. 14. Sentar-se na mesa e Sentar-se à mesa: * Sentar-se na mesa significa sentar-se sobre a mesa. * Sentar-se à mesa significa sentar-se defronte à mesa. O mesmo ocorre com "estar ao computador, ao telefone, ao portão, à janela... Ex. Sentei-me ao computador para trabalhar. Sentei-me na mesa, pois não encontrei cadeira alguma. 15. Tilintar e tiritar * Tilintar significa "soar". * Tiritar significa "tremer de frio ou de medo". Ex. A campainha tilintava sem parar. O rapaz tiritava de frio. 32

33 Professora Marise Schadeck 16. Ao invés de e Em vez de: * Ao invés de indica "oposição, situação contrária". * Em vez de indica "substituição, simples troca". Ex. Em vez de ir ao cinema, fui ao teatro. Descemos, ao invés de subir. 17. Estadia e Estada: * Estadia é usado para veículos em geral. * Estada é usado para pessoas. Ex. Foi curta minha estada na cidade. Paguei a estadia de meu automóvel. 18. A domicílio e Em domicílio: * A domicílio só se usa quando dá idéia de movimento. * Em domicílio se usa sem idéia de movimento. Ex. Enviarei a domicílio seus documentos. Fazemos entregas em domicílio Levaram a domicílio as compras. Damos aulas particulares em domicílio. 19. Estágio e Estádio * Estágio é preparação (profissional, escolar...). * Estádio significa "época, fase, período". Ex. Estou no primeiro ano de estágio na empresa. Naquela época o país passava por um estádio de euforia. 20. Perca e Perda: * Perca é verbo. * Perda é substantivo. Ex. Não perca a paciência, pois essa perda de gols não se repetirá, disse o jogador ao técnico. 21. Despercebido e Desapercebido: * Despercebido significa "sem atenção". * Desapercebido significa "desprovido, desprevenido". Ex. O fato passou-me totalmente despercebido. Ele estava desapercebido de dinheiro. 22. Escutar e Ouvir: * Escutar significa "estar atento para ouvir". * Ouvir significa "perceber pelo sentido da audição". Ex. Escutou a tarde toda, as reclamações da esposa. Ao ouvir aquele som estranho, saiu em disparada. 23. Olhar e Ver: * Olhar significa "estar atento para ver". * Ver significa "perceber pela visão". Ex. Quando olhou para o lado, nada viu, pois ele saíra de lá. 24. Haja vista e Hajam vista * Haja vista pode-se usar, havendo ou não a preposição a à frente, estando o substantivo posterior no singular ou no plural. * Hajam vista pode-se usar, quando não houver a preposição a à frente e quando o substantivo posterior estiver no plural. Ex. Haja vista aos problemas. Haja vista os problemas. Hajam vista os problemas. 33

34 Professora Marise Schadeck ATIVIDADES 1.Erros gramaticais e ortográficos devem, por princípio, ser evitados. Alguns, no entanto, como ocorrem com maior frequência, merecem atenção redobrada. ASSINALE SOMENTE UMA OPÇÃO: 1.( ) "Fazem" cinco anos. ( ) Faz cinco anos.( ) Faziam dois séculos. 2.( ) "Existe" muitas esperanças. ( ) Existem muitas esperanças. 3.( ) Para "mim" fazer.( )Para eu fazer. ( ) Para mim dizer. 4.( ) Entre mim e você.( ) Entre "eu" e você. 5.( ) "Há" dez anos "atrás". ( )Há dez anos ou dez anos atrás. 6.( )"Venda à prazo". ( ) Salto à (moda de) Luís XV. 7.( )"Porque" você foi? ( ) Por que você foi?. 8.( ) Vai assistir "o" jogo hoje. ( ) Vai assistir ao jogo. 9.( ) Preferia ir "do que" ficar.( ) Preferia ir a ficar. 10.( ) O resultado do jogo, não o abateu. ( ) O resultado do jogo não o abateu. 11.( ) Não há regra sem "excessão". ( )Não há regra sem "exceção. 12.( ) Comprei-o para você. ( ) Comprei "ele" para você. 13.( ) Nunca o vi.. ( ) Nunca "lhe" vi.. 14.( ) "Aluga-se" casas. ( )Alugam-se casas. 15.( )Chegou "em" São Paulo. ( )Chegou a São Paulo. 16.( )Atraso implicará "em" punição.( )Atraso implicará punição. 17.( ) O ingresso é "gratuíto". ( )O ingresso é "gratuito". 18.( ) Vendeu "uma" grama de ouro. ( )Vendeu um grama de ouro., 19.( ) Soube que os homens "feriram-se".( ) Soube que os homens se feriram.. 20.( ) O peixe tem "espinho". ( )O peixe tem espinha. 21.( ) Ela era "meia" louca. ( ) Ela era meio louca. 22.( ) A corrida custa 5 "real". ( )A corrida custa 5 reais. 23.( ) Ele foi um dos que "chegou" antes. ( ) Ele foi um dos que chegaram antes. 24 ( ) Tinha "chego" atrasado.( ) Tinha chegado atrasado.. 25.( )Ficou contente "por causa que" ninguém se feriu. ( ) Ficou contente porque ninguém se feriu. 26.( )O time empatou "em" 2 a 2. ( )O time empatou por 2 a ( ) Vou sair "essa" noite. ( )Vou sair esta noite. 28.( )Comeu frango "ao invés de" peixe.( ) Comeu frango em vez de peixe. 29.( )Se eu "ver" você por aí... ( ) Se eu vir você por ai ( )Disse o que "quiz". ( ). Disse o que quis. 31.( ) Comprou uma TV "em cores". ( )Comprou uma TV a cores. 32.( ) - O fato passou "desapercebido".( ) O fato passou despercebido. 33.( )Haja vista seu empenho..( )"Haja visto" seu empenho ( ) A meu ver.( ) Ao meu ver. 2.Complete as lacunas usando adequadamente (mas / mais / mal / mau): Pedro e João ____ entraram em casa, perceberam que as coisas não iam bem,pois sua irmã caçula escolhera um ____ momento para comunicar aos pais que iria viajar nas férias; _____ seus, dois irmãos deixaram os pais _____ sossegados quando disseram que a jovem iria com os primos e a tia. a) mau - mal - mais - mas;b) mal - mal - mais - mais;c) mal - mau - mas - mais; d) mal - mau -mas - mas; e) mau - mau - mas - mais. 34

35 Professora Marise Schadeck A importância da língua portuguesa e suas implicações são evidentes, mormente, na vida profissional. Basta refletir acerca da principal razão de eliminação de candidatos à vagas de emprego em determinados setores. A linguagem é o cartão de visita. Ao ouvir alguém por cinco minutos, já temos a ideia formada da formação da pessoa que está falando. Quanto ao profissional A capacidade de comunicação, seja ela por domínio da linguagem falada, escrita ou corporal, sempre nos traz consequências positivas. O profissional que sabe se comunicar, sempre se diferencia. Quem domina a norma culta da língua, e é apto a escrever e falar corretamente, está sempre à frente, diferencia-se da maioria, que incorre em erros banais e basilares. Segundo Paulo Nathanel Pereira de Souza, presidente do Conselho da Administração do CIEE, "Saber escrever bem é transmitir ideias consistentes com a agilidade que os meios de hoje impõem. Saber escrever bem é ser um artista das palavras. E todos nós, empresas e profissionais, precisamos redescobrir urgentemente a eficiência dessa arte". A maioria dos brasileiros - e digo maioria, sem exagero -, não tem capacidade de expressar-se. Faltam competências fundamentais, como; concatenar as idéias, aplicar a coesão e coerência em um texto, dissertar com introdução, argumentação e conclusão, bem como o domínio da ortografia. A falta de capacidade de escrever, falar e ler corretamente decorre, por vezes, da falta do hábito de ler, pois quem lê com freqüência escreve melhor, tem melhor raciocínio, melhor interpretação e melhor organização de ideias. Para verificarmos este problema é suficiente entregarmos uma proposta de redação a um aluno que recentemente concluiu o ensino médio em determinadas escolas. Isto se torna mais trágico, quando o fazemos com alguns intitulados universitários. Em uma reunião na empresa ou em uma apresentação destacam-se os que sabem defender seus argumentos de forma clara, convencer o auditório de forma válida, expor e fundamentar suas ideias de modo conciso e claro. Para tanto, é necessário o domínio das expressões. Ao enviar um , elaborar um memorando, dirigir uma carta a um cliente, colaboradores ou superiores hierárquicos, o profissional revela a sua personalidade, demonstra a sua formação e grau de inteligência. Não é possível entendermos por apto e qualificado, um profissional que não é capaz de escrever um texto corretamente. Também não é possível aceitarmos a idéia de que tal profissional gere uma boa imagem a empresa, se este não sabe falar de forma correta. Para exemplificarmos, basta lembrarmos da sensação ruim e imagem negativa que formamos da empresa, quando somos atendidos por um profissional que diz coisas como: "vamos estar verificando", ou "vamos estar retornando". Isso, sem mencionar outros erros mais absurdos e grotescos, como o "mim fazer"; "mim ver" etc. Destarte, infere-se que o investimento em profissionais qualificados e aptos a falar a própria língua é indispensável a uma empresa que deseja ter uma imagem positiva perante seus clientes. Fonte: Adriano Martins Pinheiro Disponível em:http://www.artigonal.com/recursos-humanos-artigos/a-importancia-da- lingua-portuguesa-e-suas-implicacoes html A Importância Da Língua Portuguesa E Suas Implicações 35

36 Professora Marise Schadeck Elabore um texto abordando a sua escolha profissional pelo curso de Ciências Contábeis

37 Professora Marise Schadeck Empreendedorismo Saiba o que é empreendedorismo, características do empreendedor, importância, conceito Empreendedorismo: fator importante para o desenvolvimento de um país Conceito Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto (técnico, científico, empresarial). Tem origem no termo empreender que significa realizar, fazer ou executar. O empreendedor é aquele que apresenta determinadas habilidades e competência para criar, abrir e gerir um negócio, gerando resultados positivos. Podemos citar como características do empreendedor: - Criatividade - Capacidade de organização e planejamento - Responsabilidade - Capacidade de liderança - Habilidade para trabalhar em equipe - Gosto pela área em que atua - Visão de futuro e coragem para assumir riscos - Interesse em buscar novas informações, soluções e inovações para o seu negócio - Persistência (não desistir nas primeiras dificuldades encontradas) - Saber ouvir as pessoas - Facilidade de comunicação e expressão O empreendedorismo é essencial para a geração de riquezas dentro de um país, promovendo o crescimento econômico e melhorando as condições de vida da população. É também um fator importantíssimo na geração de empregos e renda. Fonte: Leia:http://www.cienciascontabeisiesa.blogspot.com/ 37


Carregar ppt "CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Apostila de nivelamento de Língua Portuguesa INSTITUTO CENECISTA DE ENSINO SUPERIOR DE SANTO ÂNGELO- IESA Autorizado pela portaria."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google