A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXERCÍCIOS Capítulo 1 Conceitos Fundamentais 1. (TJ/MA/2005 – ESAG) A guarda de documentos em mobiliário ou equipamentos próprios em área que lhes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXERCÍCIOS Capítulo 1 Conceitos Fundamentais 1. (TJ/MA/2005 – ESAG) A guarda de documentos em mobiliário ou equipamentos próprios em área que lhes."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 EXERCÍCIOS

4 Capítulo 1 Conceitos Fundamentais

5 1. (TJ/MA/2005 – ESAG) A guarda de documentos em mobiliário ou equipamentos próprios em área que lhes são destinados denomina-se: a) acondicionamento. b) acesso. c) acumulação. d) armazenamento.

6 1. (TJ/MA/2005 – ESAG) A guarda de documentos em mobiliário ou equipamentos próprios em área que lhes são destinados denomina-se: a) acondicionamento. b) acesso. c) acumulação. d) armazenamento.

7 2. (TJ/MA/2005 – ESAG) Ao conjunto de documentos de um arquivo denominamos de: a) armazenamento. b) acondicionamento. c) acervo. d) acumulação.

8 2. (TJ/MA/2005 – ESAG) Ao conjunto de documentos de um arquivo denominamos de: a) armazenamento. b) acondicionamento. c) acervo. d) acumulação.

9 3. (MULTIRIO/2005 – João Goulart) A alternativa que melhor conceitua uma unidade de arquivo é: a) menor conjunto de documentos reunidos de acordo com um critério de arranjo preestabelecido. b) conjunto de documentos da mesma espécie, disposto numa determinada ordem ou designação. c) documento anexado a outro por assunto, com referência a pessoas diferentes. d) conjunto de informação e despachos originados por um requerimento.

10 3. (MULTIRIO/2005 – João Goulart) A alternativa que melhor conceitua uma unidade de arquivo é: a) menor conjunto de documentos reunidos de acordo com um critério de arranjo preestabelecido. b) conjunto de documentos da mesma espécie, disposto numa determinada ordem ou designação. c) documento anexado a outro por assunto, com referência a pessoas diferentes. d) conjunto de informação e despachos originados por um requerimento.

11 4. (FURNAS/2005 – José Pelúcio Ferreira) O conjunto de documentos reunidos por processo de acumulação ao longo das atividades de pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, e conservados em decorrência de seu valor, denomina-se: a) inventário. b) arquivo. c) depósito. d) arranjo. e) maço.

12 4. (FURNAS/2005 – José Pelúcio Ferreira) O conjunto de documentos reunidos por processo de acumulação ao longo das atividades de pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, e conservados em decorrência de seu valor, denomina-se: a) inventário. b) arquivo. c) depósito. d) arranjo. e) maço.

13 5. (Polícia Federal/2004 – UNB/CESPE) Marque certo (C) ou errado (E). O arquivista responsável pelo gerenciamento das informações deverá identificar as similaridades e as antinomias existentes nos acervos arquivísticos que os distinguem dos acervos biblioteconômicos e museológicos. Nesse contexto, julgue os itens subseqüentes. 1. Em relação ao tipo de suporte, os acervos arquivísticos assemelham-se aos biblioteconômicos pelo fato de apresentarem documentos manuscritos, impressos, audiovisuais e exemplares múltiplos. 2. O objetivo do arquivo é provar e testemunhar. 3. Os documentos de arquivo são produzidos para atender as finalidades administrativas, jurídicas, funcionais e legais. 4. Em relação ao tipo de conjunto, os documentos arquivísticos são reunidos pelo conteúdo. 5. O crescimento do acervo arquivístico resulta da acumulação dos documentos no âmbito da instituição.

14 5. (Polícia Federal/2004 – UNB/CESPE) Marque certo (C) ou errado (E). O arquivista responsável pelo gerenciamento das informações deverá identificar as similaridades e as antinomias existentes nos acervos arquivísticos que os distinguem dos acervos biblioteconômicos e museológicos. Nesse contexto, julgue os itens subseqüentes. 1. Em relação ao tipo de suporte, os acervos arquivísticos assemelham-se aos biblioteconômicos pelo fato de apresentarem documentos manuscritos, impressos, audiovisuais e exemplares múltiplos. E 2. O objetivo do arquivo é provar e testemunhar. 3. Os documentos de arquivo são produzidos para atender as finalidades administrativas, jurídicas, funcionais e legais. 4. Em relação ao tipo de conjunto, os documentos arquivísticos são reunidos pelo conteúdo. 5. O crescimento do acervo arquivístico resulta da acumulação dos documentos no âmbito da instituição.

15 5. (Polícia Federal/2004 – UNB/CESPE) Marque certo (C) ou errado (E). O arquivista responsável pelo gerenciamento das informações deverá identificar as similaridades e as antinomias existentes nos acervos arquivísticos que os distinguem dos acervos biblioteconômicos e museológicos. Nesse contexto, julgue os itens subseqüentes. 1. Em relação ao tipo de suporte, os acervos arquivísticos assemelham-se aos biblioteconômicos pelo fato de apresentarem documentos manuscritos, impressos, audiovisuais e exemplares múltiplos. E 2. O objetivo do arquivo é provar e testemunhar. C 3. Os documentos de arquivo são produzidos para atender as finalidades administrativas, jurídicas, funcionais e legais. 4. Em relação ao tipo de conjunto, os documentos arquivísticos são reunidos pelo conteúdo. 5. O crescimento do acervo arquivístico resulta da acumulação dos documentos no âmbito da instituição.

16 5. (Polícia Federal/2004 – UNB/CESPE) Marque certo (C) ou errado (E). O arquivista responsável pelo gerenciamento das informações deverá identificar as similaridades e as antinomias existentes nos acervos arquivísticos que os distinguem dos acervos biblioteconômicos e museológicos. Nesse contexto, julgue os itens subseqüentes. 1. Em relação ao tipo de suporte, os acervos arquivísticos assemelham-se aos biblioteconômicos pelo fato de apresentarem documentos manuscritos, impressos, audiovisuais e exemplares múltiplos. E 2. O objetivo do arquivo é provar e testemunhar. C 3. Os documentos de arquivo são produzidos para atender as finalidades administrativas, jurídicas, funcionais e legais. C 4. Em relação ao tipo de conjunto, os documentos arquivísticos são reunidos pelo conteúdo. 5. O crescimento do acervo arquivístico resulta da acumulação dos documentos no âmbito da instituição.

17 5. (Polícia Federal/2004 – UNB/CESPE) Marque certo (C) ou errado (E). O arquivista responsável pelo gerenciamento das informações deverá identificar as similaridades e as antinomias existentes nos acervos arquivísticos que os distinguem dos acervos biblioteconômicos e museológicos. Nesse contexto, julgue os itens subseqüentes. 1. Em relação ao tipo de suporte, os acervos arquivísticos assemelham-se aos biblioteconômicos pelo fato de apresentarem documentos manuscritos, impressos, audiovisuais e exemplares múltiplos. E 2. O objetivo do arquivo é provar e testemunhar. C 3. Os documentos de arquivo são produzidos para atender as finalidades administrativas, jurídicas, funcionais e legais. C 4. Em relação ao tipo de conjunto, os documentos arquivísticos são reunidos pelo conteúdo. E 5. O crescimento do acervo arquivístico resulta da acumulação dos documentos no âmbito da instituição.

18 5. (Polícia Federal/2004 – UNB/CESPE) Marque certo (C) ou errado (E). O arquivista responsável pelo gerenciamento das informações deverá identificar as similaridades e as antinomias existentes nos acervos arquivísticos que os distinguem dos acervos biblioteconômicos e museológicos. Nesse contexto, julgue os itens subseqüentes. 1. Em relação ao tipo de suporte, os acervos arquivísticos assemelham-se aos biblioteconômicos pelo fato de apresentarem documentos manuscritos, impressos, audiovisuais e exemplares múltiplos. E 2. O objetivo do arquivo é provar e testemunhar. C 3. Os documentos de arquivo são produzidos para atender as finalidades administrativas, jurídicas, funcionais e legais. C 4. Em relação ao tipo de conjunto, os documentos arquivísticos são reunidos pelo conteúdo. E 5. O crescimento do acervo arquivístico resulta da acumulação dos documentos no âmbito da instituição. C

19 6. (MPU/2004 – ESAF) Considerando a polissemia do termo arquivo, assinale qual das assertivas abaixo não corresponde a uma de suas definições. a) conjunto de documentos colecionados por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, ao longo de sua existência. b) acumulação ordenada de documentos criados por uma instituição ou pessoa no curso de sua atividade e preservados para a consecução de seus objetivos políticos, legais e culturais. c) documentos produzidos ou usados no curso de um ato administrativo ou executivo de que são parte constituinte. d) entidade administrativa responsável pela custódia, pelo tratamento documental e pela utilização dos arquivos. e) edifício onde são guardados os arquivos.

20 6. (MPU/2004 – ESAF) Considerando a polissemia do termo arquivo, assinale qual das assertivas abaixo não corresponde a uma de suas definições. a) conjunto de documentos colecionados por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, ao longo de sua existência. b) acumulação ordenada de documentos criados por uma instituição ou pessoa no curso de sua atividade e preservados para a consecução de seus objetivos políticos, legais e culturais. c) documentos produzidos ou usados no curso de um ato administrativo ou executivo de que são parte constituinte. d) entidade administrativa responsável pela custódia, pelo tratamento documental e pela utilização dos arquivos. e) edifício onde são guardados os arquivos.

21 Capítulo 2 Teoria das 3 idades/Ciclo Vital dos Documentos/Estágios de Evolução dos Arquivos

22 1. (TER/PB/2007 – FCC) O valor mediato, quando atribuído aos documentos de arquivo, equivale ao valor: a) primário. b) fiscal. c) legal. d) probatório. e) secundário.

23 1. (TER/PB/2007 – FCC) O valor mediato, quando atribuído aos documentos de arquivo, equivale ao valor: a) primário. b) fiscal. c) legal. d) probatório. e) secundário.

24 2. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) São considerados documentos intermediários: a) aqueles em curso ou que, mesmo sem movimentação, constituam objeto de consultas freqüentes. b) os de valor histórico, probatório e informativo que devem ser preservados definitivamente. c) os produzidos ou recebidos por pessoas físicas ou jurídicas. d) os de interesse público ou social. e) aqueles que, por razões de interesse administrativo, aguardam sua eliminação ou recolhimento para guarda permanente.

25 2. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) São considerados documentos intermediários: a) aqueles em curso ou que, mesmo sem movimentação, constituam objeto de consultas freqüentes. b) os de valor histórico, probatório e informativo que devem ser preservados definitivamente. c) os produzidos ou recebidos por pessoas físicas ou jurídicas. d) os de interesse público ou social. e) aqueles que, por razões de interesse administrativo, aguardam sua eliminação ou recolhimento para guarda permanente.

26 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O ciclo vital dos documentos compreende as idades: a) temporária, intermediária, permanente. b) corrente, intermediária, permanente. c) administrativa, temporária, permanente. d) administrativa, intermediária, permanente. e) corrente, temporária, permanente.

27 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O ciclo vital dos documentos compreende as idades: a) temporária, intermediária, permanente. b) corrente, intermediária, permanente. c) administrativa, temporária, permanente. d) administrativa, intermediária, permanente. e) corrente, temporária, permanente.

28 4. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A passagem dos documentos correntes para os arquivos intermediários denomina-se: a) recolhimento. b) arranjo. c) transferência. d) destinação. e) arquivamento.

29 4. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A passagem dos documentos correntes para os arquivos intermediários denomina-se: a) recolhimento. b) arranjo. c) transferência. d) destinação. e) arquivamento.

30 5. (TER/SP/2006 – FCC) Os documentos de arquivo de uma instituição são produzidos com um determinado objetivo e, para tanto, tramitam. Ao tramitarem, os documentos circulam de uma instituição para outra, ou de um setor para outro da mesma instituição, até serem arquivados. Essa descrição refere-se a um arquivo em sua fase: a) pública. b) administrativa. c) permanente. d) corrente. e) privada.

31 5. (TER/SP/2006 – FCC) Os documentos de arquivo de uma instituição são produzidos com um determinado objetivo e, para tanto, tramitam. Ao tramitarem, os documentos circulam de uma instituição para outra, ou de um setor para outro da mesma instituição, até serem arquivados. Essa descrição refere-se a um arquivo em sua fase: a) pública. b) administrativa. c) permanente. d) corrente. e) privada.

32 6. (BNDES/2006 – Cesgranrio) A teoria arquivística apresenta as três idades dos arquivos como estágios de sua evolução. A idade em que são arquivados os documentos que perderam todo o valor de natureza administrativa é a: a) permanente. b) corrente. c) especializada. d) empresarial. e) pública.

33 6. (BNDES/2006 – Cesgranrio) A teoria arquivística apresenta as três idades dos arquivos como estágios de sua evolução. A idade em que são arquivados os documentos que perderam todo o valor de natureza administrativa é a: a) permanente. b) corrente. c) especializada. d) empresarial. e) pública.

34 7. (Agência Nacional de Petróleo/2005 – Cesgranrio) Assinale a afirmativa correta a respeito dos tipos de arquivo: a) Os chamados arquivos de primeira idade constituem-se de documentos que deixaram de ser consultados. b) Denomina-se arquivo em depósito o conjunto de documentos colocados sob a guarda de um arquivo permanente, embora não pertençam a seu acervo. c) O conjunto de documentos produzidos ou recebidos por instituições governamentais e empresas em geral é chamado arquivo público. d) Arquivos intermediários são aqueles constituídos de documentos de uso freqüente mas que não são conservados nas repartições que os receberam ou produziram.

35 7. (Agência Nacional de Petróleo/2005 – Cesgranrio) Assinale a afirmativa correta a respeito dos tipos de arquivo: a) Os chamados arquivos de primeira idade constituem-se de documentos que deixaram de ser consultados. b) Denomina-se arquivo em depósito o conjunto de documentos colocados sob a guarda de um arquivo permanente, embora não pertençam a seu acervo. c) O conjunto de documentos produzidos ou recebidos por instituições governamentais e empresas em geral é chamado arquivo público. d) Arquivos intermediários são aqueles constituídos de documentos de uso freqüente mas que não são conservados nas repartições que os receberam ou produziram.

36 8. (Secretaria de Administração do estado de Tocantins/2004 – Cesgranrio) Assinale a afirmativa INCORRETA a respeito dos arquivos. a) Existem três tipos de arquivos: de primeira idade ou corrente, de segunda idade ou intermediário e de terceira idade ou permanente. b) Os documentos e papéis que são consultados com menos freqüência devem ser arquivados em separado daqueles de uso contínuo. c) Os documentos em curso ou de uso freqüente devem ser conservados na sede das empresas que os produziram ou em dependências próximas. d) De acordo com a freqüência de consulta, existem tipos diferentes de arquivos, e para cada um deles há uma forma distinta de organizar, conservar e tratar os documentos. e) Devem ser destruídos todos os documentos que têm apenas valor histórico ou que passaram a ser considerados inúteis ou imprestáveis.

37 8. (Secretaria de Administração do estado de Tocantins/2004 – Cesgranrio) Assinale a afirmativa INCORRETA a respeito dos arquivos. a) Existem três tipos de arquivos: de primeira idade ou corrente, de segunda idade ou intermediário e de terceira idade ou permanente. b) Os documentos e papéis que são consultados com menos freqüência devem ser arquivados em separado daqueles de uso contínuo. c) Os documentos em curso ou de uso freqüente devem ser conservados na sede das empresas que os produziram ou em dependências próximas. d) De acordo com a freqüência de consulta, existem tipos diferentes de arquivos, e para cada um deles há uma forma distinta de organizar, conservar e tratar os documentos. e) Devem ser destruídos todos os documentos que têm apenas valor histórico ou que passaram a ser considerados inúteis ou imprestáveis.

38 9. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Constituídos de documentos em curso como plano de partida ou prosseguimento de planos para fins de controle ou tomada de decisões das administrações são os arquivos: a) correntes. b) intermediários. c) permanentes. d) sigilosos. e) secretos.

39 9. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Constituídos de documentos em curso como plano de partida ou prosseguimento de planos para fins de controle ou tomada de decisões das administrações são os arquivos: a) correntes. b) intermediários. c) permanentes. d) sigilosos. e) secretos.

40 10. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Assegurar a preservação dos documentos que não mais são utilizados pela administração e que devem ser mantidos, visando a um processo de triagem que estabelecerá a eliminação ou o arquivamento definitivo é a função principal do arquivo: a) onomástico. b) permanente. c) especializado. d) intermediário. e) estratégico.

41 10. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Assegurar a preservação dos documentos que não mais são utilizados pela administração e que devem ser mantidos, visando a um processo de triagem que estabelecerá a eliminação ou o arquivamento definitivo é a função principal do arquivo: a) onomástico. b) permanente. c) especializado. d) intermediário. e) estratégico.

42 11. (BNDES/2004 – Cesgranrio) Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada afirmação sobre arquivos apresentada abaixo: ( ) Cada empresa deve adotar a metodologia de arquivamento que atenda às suas necessidades específicas. ( ) Os arquivos podem passar por três estágios de evolução, que não são complementares. ( ) A maneira de conservar e organizar os documentos deve mudar de acordo com a idade do arquivo. ( ) Embora o termo arquivo seja usado em referência a qualquer uma das três idades, os arquivos propriamente ditos são os de terceira idade. A ordem correta é: a) V – V – F – V. b) V – V – F – F. c) V – F – V – V. d) F – F – V – F. e) F – V – F – V.

43 11. (BNDES/2004 – Cesgranrio) Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada afirmação sobre arquivos apresentada abaixo: ( V ) Cada empresa deve adotar a metodologia de arquivamento que atenda às suas necessidades específicas. ( F) Os arquivos podem passar por três estágios de evolução, que não são complementares. ( V ) A maneira de conservar e organizar os documentos deve mudar de acordo com a idade do arquivo. ( V ) Embora o termo arquivo seja usado em referência a qualquer uma das três idades, os arquivos propriamente ditos são os de terceira idade. A ordem correta é: a) V – V – F – V. b) V – V – F – F. c) V – F – V – V. d) F – F – V – F. e) F – V – F – V.

44 12. (BNDES/2004 – Cesgranrio) Assinale a afirmativa correta a respeito de arquivos intermediários: a) Devem necessariamente ser conservados próximos aos escritórios. b) Devem disponibilizar seus documentos para consultas freqüentes. c) São também chamados de limbo, purgatório ou arquivo morto. d) Guardam documentos oficiais ou de valor histórico em caráter permanente. e) Reúnem documentos que precisam estar acessíveis, apesar de menos consultados.

45 12. (BNDES/2004 – Cesgranrio) Assinale a afirmativa correta a respeito de arquivos intermediários: a) Devem necessariamente ser conservados próximos aos escritórios. b) Devem disponibilizar seus documentos para consultas freqüentes. c) São também chamados de limbo, purgatório ou arquivo morto. d) Guardam documentos oficiais ou de valor histórico em caráter permanente. e) Reúnem documentos que precisam estar acessíveis, apesar de menos consultados.

46 13. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) As atas das sessões ordinárias dos Conselhos Superiores da universidade federal, dos anos de 1973 a 1985, formam um conjunto documental que deve ser organizado e armazenado adequadamente no arquivo: a) especial. b) especializado. c) permanente. d) corrente. e) jurídico.

47 13. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) As atas das sessões ordinárias dos Conselhos Superiores da universidade federal, dos anos de 1973 a 1985, formam um conjunto documental que deve ser organizado e armazenado adequadamente no arquivo: a) especial. b) especializado. c) permanente. d) corrente. e) jurídico.

48 14. (MPU/2004 – ESAF) Os documentos de segunda idade são aqueles: a) que retratam a origem da entidade, o seu procedimento e o seu funcionamento. b) que se conservam junto aos órgãos produtores em razão da frequência com que são consultados. c) que aguardam em depósito de armazenamento temporário sua destinação final. d) que exigem medidas especiais de proteção quanto à sua guarda e acesso ao público. e) reunidos de acordo com um critério de arranjo preestabelecido.

49 14. (MPU/2004 – ESAF) Os documentos de segunda idade são aqueles: a) que retratam a origem da entidade, o seu procedimento e o seu funcionamento. b) que se conservam junto aos órgãos produtores em razão da frequência com que são consultados. c) que aguardam em depósito de armazenamento temporário sua destinação final. d) que exigem medidas especiais de proteção quanto à sua guarda e acesso ao público. e) reunidos de acordo com um critério de arranjo preestabelecido.

50 Capítulo 3 Classificação dos Arquivos e dos Documentos

51 1. (TER/PB/2007 FCC) Desclassificação ocorre quando um documento é: a) liberado de restrições de acesso. b) colocado na pasta Diversos ou Miscelânea. c) misturado a outros, durante o arranjo. d) ordenado por assunto.

52 1. (TER/PB/2007 FCC) Desclassificação ocorre quando um documento é: a) liberado de restrições de acesso. b) colocado na pasta Diversos ou Miscelânea. c) misturado a outros, durante o arranjo. d) ordenado por assunto.

53 2. (MPU/2007 – FCC) O contrato de aluguel, como documento, é exemplo de: a) gênero. b) tipo. c) formato. d) espécie. e) forma.

54 2. (MPU/2007 – FCC) O contrato de aluguel, como documento, é exemplo de: a) gênero. b) tipo. c) formato. d) espécie. e) forma.

55 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Quanto ao gênero, os documentos de arquivo podem ser: a) manuscritos – datilografados – impressos – informáticos. b) textuais – cartográficos – gráficos – impressos. c) escritos ou textuais – cartográficos – iconográficos – filmográficos – sonoros – micrográficos – informáticos. d) públicos e privados. e) particular – oficial – público – coletivo.

56 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Quanto ao gênero, os documentos de arquivo podem ser: a) manuscritos – datilografados – impressos – informáticos. b) textuais – cartográficos – gráficos – impressos. c) escritos ou textuais – cartográficos – iconográficos – filmográficos – sonoros – micrográficos – informáticos. d) públicos e privados. e) particular – oficial – público – coletivo.

57 4. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Os documentos de arquivo podem ser caracterizados segundo seu aspecto formal e definidos em razão da natureza dos atos que lhes deram origem, bem quanto à forma de registro dos atos. Estas características sinalizam: a) o gênero. b) a organicidade. c) a espécie. d) o tipo. e) a unicidade.

58 4. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Os documentos de arquivo podem ser caracterizados segundo seu aspecto formal e definidos em razão da natureza dos atos que lhes deram origem, bem quanto à forma de registro dos atos. Estas características sinalizam: a) o gênero. b) a organicidade. c) a espécie. d) o tipo. e) a unicidade.

59 5. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Quanto à entidade produtora, os arquivos se classificam em: a) públicos e privados. b) históricos e probatórios. c) comerciais e institucionais. d) públicos e comerciais. e) privados e institucionais

60 5. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Quanto à entidade produtora, os arquivos se classificam em: a) públicos e privados. b) históricos e probatórios. c) comerciais e institucionais. d) públicos e comerciais. e) privados e institucionais

61 6. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Dados ou informações cujo conhecimento irrestrito ou divulgação possam acarretar qualquer risco à segurança da sociedade e do Estado, bem como aqueles necessários ao resguardo da inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das pessoas são considerados originalmente: a) ostensivos. b) sigilosos. c) reservados. d) confidenciais. e) secretos.

62 6. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Dados ou informações cujo conhecimento irrestrito ou divulgação possam acarretar qualquer risco à segurança da sociedade e do Estado, bem como aqueles necessários ao resguardo da inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das pessoas são considerados originalmente: a) ostensivos. b) sigilosos. c) reservados. d) confidenciais. e) secretos.

63 7. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Os prazos de classificação segundo o grau de sigilo poderão, de acordo com a legislação em vigor, ser prorrogados da seguinte forma: a) duas vezes, por igual período. b) quantas vezes forem necessárias, por igual período. c) uma vez, por igual período. d) indefinidamente. e) três vezes, por igual período.

64 7. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Os prazos de classificação segundo o grau de sigilo poderão, de acordo com a legislação em vigor, ser prorrogados da seguinte forma: a) duas vezes, por igual período. b) quantas vezes forem necessárias, por igual período. c) uma vez, por igual período. d) indefinidamente. e) três vezes, por igual período.

65 8. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) São considerados arquivos especiais aqueles que: a) têm sob sua custódia os documentos resultantes da experiência humana num campo específico. b) têm sob sua custódia os documentos resultantes da política arquivística. c) têm sob sua guarda documentos em diferentes tipos de suportes. d) têm sob sua guarda documentos resultantes do processo de avaliação. e) têm sob sua custódia documentos resultantes do processo de classificação.

66 8. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) São considerados arquivos especiais aqueles que: a) têm sob sua custódia os documentos resultantes da experiência humana num campo específico. b) têm sob sua custódia os documentos resultantes da política arquivística. c) têm sob sua guarda documentos em diferentes tipos de suportes. d) têm sob sua guarda documentos resultantes do processo de avaliação. e) têm sob sua custódia documentos resultantes do processo de classificação.

67 9. Quanto ao grau de sigilo, os documentos públicos podem ser: a) ultra-secretos, históricos, oficiais e reservados. b) históricos, oficiais, confidenciais e reservados. c) ultra-secretos, secretos e reservados. d) oficiais, históricos, secretos e reservados. e) secretos, históricos, confidenciais e reservados.

68 9. Quanto ao grau de sigilo, os documentos públicos podem ser: a) ultra-secretos, históricos, oficiais e reservados. b) históricos, oficiais, confidenciais e reservados. c) ultra-secretos, secretos e reservados. d) oficiais, históricos, secretos e reservados. e) secretos, históricos, confidenciais e reservados.

69 10. (Ministério da Saúde/2005 – NCE/UFRJ) A definição técnica de espécie é a configuração que assume um documento de acordo com: a) o sistema de signos utilizados na comunicação. b) a atividade que o gerou. c) o material sobre o qual as informações são geradas. d) a disposição e a natureza das informações. e) a preparação e transmissão das informações.

70 10. (Ministério da Saúde/2005 – NCE/UFRJ) A definição técnica de espécie é a configuração que assume um documento de acordo com: a) o sistema de signos utilizados na comunicação. b) a atividade que o gerou. c) o material sobre o qual as informações são geradas. d) a disposição e a natureza das informações. e) a preparação e transmissão das informações.

71 11. (MULTIRIO/2005 – João Goulart) Partituras, desenhos e cartazes são classificados como documentos do seguinte gênero: a) audiovisual. b) ideográfico. c) iconográfico. d) simbológico.

72 11. (MULTIRIO/2005 – João Goulart) Partituras, desenhos e cartazes são classificados como documentos do seguinte gênero: a) audiovisual. b) ideográfico. c) iconográfico. d) simbológico.

73 12. De acordo com a nova legislação dos arquivos públicos, os documentos considerados secretos têm os seguintes prazos, em anos, de sigilo e de prorrogação: a) 50 por mais 20. b) 30 por mais 30. c) 25 por mais 10. d) 20 por mais 05. e) 15 por mais 15.

74 12. De acordo com a nova legislação dos arquivos públicos, os documentos considerados secretos têm os seguintes prazos, em anos, de sigilo e de prorrogação: a) 50 por mais 20. b) 30 por mais 30. c) 25 por mais 10. d) 20 por mais 05. e) 15 por mais 15.

75 Nas questões 13 a 15, o leitor deve julgar os itens relacionados a elas (certo ou errado). 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) – Documentos do gênero cartográfico incluem: 1. litogravuras. 2. cartazes. 3. perfis. 4. plantas. 5. desenhos.

76 Nas questões 13 a 15, o leitor deve julgar os itens relacionados a elas (certo ou errado). 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) – Documentos do gênero cartográfico incluem: 1. litogravuras. E 2. cartazes. 3. perfis. 4. plantas. 5. desenhos.

77 Nas questões 13 a 15, o leitor deve julgar os itens relacionados a elas (certo ou errado). 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) – Documentos do gênero cartográfico incluem: 1. litogravuras. E 2. cartazes. E 3. perfis. 4. plantas. 5. desenhos.

78 Nas questões 13 a 15, o leitor deve julgar os itens relacionados a elas (certo ou errado). 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) – Documentos do gênero cartográfico incluem: 1. litogravuras. E 2. cartazes. E 3. perfis. C 4. plantas. 5. desenhos.

79 Nas questões 13 a 15, o leitor deve julgar os itens relacionados a elas (certo ou errado). 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) – Documentos do gênero cartográfico incluem: 1. litogravuras. E 2. cartazes. E 3. perfis. C 4. plantas. C 5. desenhos.

80 Nas questões 13 a 15, o leitor deve julgar os itens relacionados a elas (certo ou errado). 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) – Documentos do gênero cartográfico incluem: 1. litogravuras. E 2. cartazes. E 3. perfis. C 4. plantas. C 5. desenhos. E

81 14. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Quanto à características dos arquivos setoriais, é correto afirmar que eles: 1. devem se localizar junto aos órgãos produtoras. 2. permitem realizar a distribuição interna de documentos na instituição. 3. são, essencialmente, arquivos correntes. 4. podem descartar documentos. 5. realizam recolhimentos periódicos de documentos ao arquivo central.

82 14. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Quanto à características dos arquivos setoriais, é correto afirmar que eles: 1. devem se localizar junto aos órgãos produtoras.C 2. permitem realizar a distribuição interna de documentos na instituição. 3. são, essencialmente, arquivos correntes. 4. podem descartar documentos. 5. realizam recolhimentos periódicos de documentos ao arquivo central.

83 14. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Quanto à características dos arquivos setoriais, é correto afirmar que eles: 1. devem se localizar junto aos órgãos produtoras.C 2. permitem realizar a distribuição interna de documentos na instituição. E 3. são, essencialmente, arquivos correntes. 4. podem descartar documentos. 5. realizam recolhimentos periódicos de documentos ao arquivo central.

84 14. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Quanto à características dos arquivos setoriais, é correto afirmar que eles: 1. devem se localizar junto aos órgãos produtoras.C 2. permitem realizar a distribuição interna de documentos na instituição. E 3. são, essencialmente, arquivos correntes. C 4. podem descartar documentos. 5. realizam recolhimentos periódicos de documentos ao arquivo central.

85 14. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Quanto à características dos arquivos setoriais, é correto afirmar que eles: 1. devem se localizar junto aos órgãos produtoras.C 2. permitem realizar a distribuição interna de documentos na instituição. E 3. são, essencialmente, arquivos correntes. C 4. podem descartar documentos. C 5. realizam recolhimentos periódicos de documentos ao arquivo central.

86 14. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Quanto à características dos arquivos setoriais, é correto afirmar que eles: 1. devem se localizar junto aos órgãos produtoras.C 2. permitem realizar a distribuição interna de documentos na instituição. E 3. são, essencialmente, arquivos correntes. C 4. podem descartar documentos. C 5. realizam recolhimentos periódicos de documentos ao arquivo central. E

87 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Consubstanciam-se como especializados os arquivos: 1. médicos. 2. de engenharia. 3. audiovisuais. 4. iconográficos. 5. de grandes dimensões.

88 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Consubstanciam-se como especializados os arquivos: 1. médicos. C 2. de engenharia. 3. audiovisuais. 4. iconográficos. 5. de grandes dimensões.

89 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Consubstanciam-se como especializados os arquivos: 1. médicos. C 2. de engenharia. C 3. audiovisuais. 4. iconográficos. 5. de grandes dimensões.

90 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Consubstanciam-se como especializados os arquivos: 1. médicos. C 2. de engenharia. C 3. audiovisuais. E 4. iconográficos. 5. de grandes dimensões.

91 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Consubstanciam-se como especializados os arquivos: 1. médicos. C 2. de engenharia. C 3. audiovisuais. E 4. iconográficos. E 5. de grandes dimensões.

92 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Consubstanciam-se como especializados os arquivos: 1. médicos. C 2. de engenharia. C 3. audiovisuais. E 4. iconográficos. E 5. de grandes dimensões. E

93 16. (BNDES/2002 – VUNESP) A classificação dos documentos de arquivo em textual, audiovisual, cartográfico ou iconográfico implica definição: a) da espécie documental. b) da forma do documento. c) do formato do documento. d) do gênero documental. e) do tipo documental.

94 16. (BNDES/2002 – VUNESP) A classificação dos documentos de arquivo em textual, audiovisual, cartográfico ou iconográfico implica definição: a) da espécie documental. b) da forma do documento. c) do formato do documento. d) do gênero documental. e) do tipo documental.

95 17. (BNDES/2002 – VUNESP) Quanto à natureza do assunto, os documentos podem ser classificados em: a) públicos e privados. b) ostensivos ou sigilosos. c) correntes e permanentes. d) tipológicos diplomáticos. e) administrativos e históricos.

96 17. (BNDES/2002 – VUNESP) Quanto à natureza do assunto, os documentos podem ser classificados em: a) públicos e privados. b) ostensivos ou sigilosos. c) correntes e permanentes. d) tipológicos diplomáticos. e) administrativos e históricos.

97 Capítulo 4 Organização e Administração de Arquivos/Correspondências/Atividades dos Arquivos Correntes

98 1. (TSE/2007 – UNB/CESPE) As atividades típicas do protocolo não incluem o (a): a) recebimento de correspondência. b) abertura de processo. c) distribuição de documentos. d) preparação de instrumentos de descrição.

99 1. (TSE/2007 – UNB/CESPE) As atividades típicas do protocolo não incluem o (a): a) recebimento de correspondência. b) abertura de processo. c) distribuição de documentos. d) preparação de instrumentos de descrição.

100 2. (MPU/2007 – FCC) São rotinas dos serviços de protocolo: a) recebimento de correspondência e elaboração de inventários topográficos da documentação. b) autuação de processos e reprodução do material a ser descartado. c) coordenação de equipes de avaliação e elaboração de tabelas de temporalidade. d) ações de conservação preventiva e montagem de guia do acervo. e) distribuição de correspondência e controle de tramitação dos documentos.

101 2. (MPU/2007 – FCC) São rotinas dos serviços de protocolo: a) recebimento de correspondência e elaboração de inventários topográficos da documentação. b) autuação de processos e reprodução do material a ser descartado. c) coordenação de equipes de avaliação e elaboração de tabelas de temporalidade. d) ações de conservação preventiva e montagem de guia do acervo. e) distribuição de correspondência e controle de tramitação dos documentos.

102 3. (BNDES/ Cesgranrio) O arquivista desenvolve as atividades de separar os documentos recebidos em oficial ostensivo ou sigiloso e particular, além de analisar e determinar o assunto do documento, atribuindo-lhe um código numérico de referência e assim por diante. Essas atividades são próprias de: a) protocolo. b) arranjo. c) descrição. d) arquivo. e) destinação.

103 3. (BNDES/ Cesgranrio) O arquivista desenvolve as atividades de separar os documentos recebidos em oficial ostensivo ou sigiloso e particular, além de analisar e determinar o assunto do documento, atribuindo-lhe um código numérico de referência e assim por diante. Essas atividades são próprias de: a) protocolo. b) arranjo. c) descrição. d) arquivo. e) destinação.

104 4. (BNDES/ Cesgranrio) O setor que funciona como um centro de distribuição e redistribuição de documentos é conhecido como setor de: a) arquivo e microfilmagem. b) registro e movimentação. c) transferência e recolhimento. d) destinação e custódia. e) codificação e transposição.

105 4. (BNDES/ Cesgranrio) O setor que funciona como um centro de distribuição e redistribuição de documentos é conhecido como setor de: a) arquivo e microfilmagem. b) registro e movimentação. c) transferência e recolhimento. d) destinação e custódia. e) codificação e transposição.

106 5. (BNDES/ Cesgranrio) A secretaria da Diretoria retira uma pasta do arquivo para prestar informações ao Diretor Administrativo da empresa. Passados quatro dias, o chefe do Departamento de Pessoal solicita a mesma pasta. O técnico administrativo verifica que a pasta ainda não fora devolvida, pois no lugar de arquivamento da pasta havia uma ficha com informações sobre o empréstimo. Essa ficha, que ainda é muito utilizada nos arquivos, é a guia: a) física. b) especial. c) subsidiária. d) dentro. e) fora.

107 5. (BNDES/ Cesgranrio) A secretaria da Diretoria retira uma pasta do arquivo para prestar informações ao Diretor Administrativo da empresa. Passados quatro dias, o chefe do Departamento de Pessoal solicita a mesma pasta. O técnico administrativo verifica que a pasta ainda não fora devolvida, pois no lugar de arquivamento da pasta havia uma ficha com informações sobre o empréstimo. Essa ficha, que ainda é muito utilizada nos arquivos, é a guia: a) física. b) especial. c) subsidiária. d) dentro. e) fora.

108 6. (FURNAS/2005 – José Pelúcio Ferreira) A saliência que fica na parte superior da guia é denominada: a) guia divisória. b) projeção. c) notação. d) jaqueta. e) ilhó.

109 6. (FURNAS/2005 – José Pelúcio Ferreira) A saliência que fica na parte superior da guia é denominada: a) guia divisória. b) projeção. c) notação. d) jaqueta. e) ilhó.

110 7. (TRE/PA/2005 – UNB/CESPE) Quanto ao gerenciamento da informação, assinale a opção em que todas as atividades apresentadas, referentes a documentos e processos, são de responsabilidade do setor de protocolo: a) autuação, encaminhamento e arquivamento. b) recebimento, classificação, controle da tramitação e expedição. c) classificação, descrição, arquivamento e expedição. d) registro, classificação, destinação e avaliação. e) autuação, registro, organização e descrição.

111 7. (TRE/PA/2005 – UNB/CESPE) Quanto ao gerenciamento da informação, assinale a opção em que todas as atividades apresentadas, referentes a documentos e processos, são de responsabilidade do setor de protocolo: a) autuação, encaminhamento e arquivamento. b) recebimento, classificação, controle da tramitação e expedição. c) classificação, descrição, arquivamento e expedição. d) registro, classificação, destinação e avaliação. e) autuação, registro, organização e descrição.

112 8. (Conselho Regional de Contabilidade/2005 – IDORT – RJ) O registro e o controle dos documentos devem ser realizados por meio de: a) requerimento. b) memorando. c) carta. d) protocolo. e) ofício.

113 8. (Conselho Regional de Contabilidade/2005 – IDORT – RJ) O registro e o controle dos documentos devem ser realizados por meio de: a) requerimento. b) memorando. c) carta. d) protocolo. e) ofício.

114 9. (TJ/MA/2005 – ESAG) São considerados acessórios de um arquivo: a) sistema alfanumérico. b) arquivo rotativo. c) fichários. d) guias.

115 9. (TJ/MA/2005 – ESAG) São considerados acessórios de um arquivo: a) sistema alfanumérico. b) arquivo rotativo. c) fichários. d) guias.

116 10. (TJ/MA/2005 – ESAG) O sistema de vigilância contínua que visa fornecer um controle eficaz de informações e providências a serem tomadas em datas determinadas é conhecido como: a) follow-up. b) alfanumérico. c) variadex. d) alfabético.

117 10. (TJ/MA/2005 – ESAG) O sistema de vigilância contínua que visa fornecer um controle eficaz de informações e providências a serem tomadas em datas determinadas é conhecido como: a) follow-up. b) alfanumérico. c) variadex. d) alfabético.

118 11. (TJ/MA/2005 – ESAG) O registro no protocolo da saída da correspondência e demais documentos é o procedimento relativo à fase de: a) recepção de correspondência. b) expedição de correspondência. c) arquivamento de correspondência. d) recebimento de correspondência.

119 11. (TJ/MA/2005 – ESAG) O registro no protocolo da saída da correspondência e demais documentos é o procedimento relativo à fase de: a) recepção de correspondência. b) expedição de correspondência. c) arquivamento de correspondência. d) recebimento de correspondência.

120 12. (MPU/2004 – ESAF) Entre as atividades apresentadas a seguir, assinale aquela que não corresponde a uma atividade desenvolvida nos serviços de protocolo: a) registro. b) avaliação. c) autuação. d) expedição. e) recebimento.

121 12. (MPU/2004 – ESAF) Entre as atividades apresentadas a seguir, assinale aquela que não corresponde a uma atividade desenvolvida nos serviços de protocolo: a) registro. b) avaliação. c) autuação. d) expedição. e) recebimento.

122 13. (TRT/17R/2004 – FCC) Por diagnóstico de arquivos entende-se: a) o recolhimento da massa documental acumulada. b) a elaboração de planos de destinação de documentos. c) a execução das determinações das tabelas de temporalidade. d) a aplicação das normas ISAD(G). e) a análise das informações básicas sobre arquivos.

123 13. (TRT/17R/2004 – FCC) Por diagnóstico de arquivos entende-se: a) o recolhimento da massa documental acumulada. b) a elaboração de planos de destinação de documentos. c) a execução das determinações das tabelas de temporalidade. d) a aplicação das normas ISAD(G). e) a análise das informações básicas sobre arquivos.

124 14. (TRT/17R/2004 – FCC) Ao setor de protocolo cabe, entre outras atribuições, receber os documentos e promover: a) sua destinação e transferência. b) seu registro e movimentação. c) sua redação e classificação. d) seu recolhimento e arquivamento. e) sua certificação e encaminhamento.

125 14. (TRT/17R/2004 – FCC) Ao setor de protocolo cabe, entre outras atribuições, receber os documentos e promover: a) sua destinação e transferência. b) seu registro e movimentação. c) sua redação e classificação. d) seu recolhimento e arquivamento. e) sua certificação e encaminhamento.

126 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Julgue os itens abaixo (certo ou errado). As etapas de trabalho a serem desenvolvidas, visando a organização e administração de arquivos, incluem o(a): 1. planejamento. 2. descrição de acervos. 3. implantação e acompanhamento. 4. levantamento de dados. 5. elaboração de instrumentos de pesquisa.

127 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Julgue os itens abaixo (certo ou errado). As etapas de trabalho a serem desenvolvidas, visando a organização e administração de arquivos, incluem o(a): 1. planejamento. C 2. descrição de acervos. 3. implantação e acompanhamento. 4. levantamento de dados. 5. elaboração de instrumentos de pesquisa.

128 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Julgue os itens abaixo (certo ou errado). As etapas de trabalho a serem desenvolvidas, visando a organização e administração de arquivos, incluem o(a): 1. planejamento. C 2. descrição de acervos. E 3. implantação e acompanhamento. 4. levantamento de dados. 5. elaboração de instrumentos de pesquisa.

129 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Julgue os itens abaixo (certo ou errado). As etapas de trabalho a serem desenvolvidas, visando a organização e administração de arquivos, incluem o(a): 1. planejamento. C 2. descrição de acervos. E 3. implantação e acompanhamento. C 4. levantamento de dados. 5. elaboração de instrumentos de pesquisa.

130 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Julgue os itens abaixo (certo ou errado). As etapas de trabalho a serem desenvolvidas, visando a organização e administração de arquivos, incluem o(a): 1. planejamento. C 2. descrição de acervos. E 3. implantação e acompanhamento. C 4. levantamento de dados. C 5. elaboração de instrumentos de pesquisa.

131 15. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) Julgue os itens abaixo (certo ou errado). As etapas de trabalho a serem desenvolvidas, visando a organização e administração de arquivos, incluem o(a): 1. planejamento. C 2. descrição de acervos. E 3. implantação e acompanhamento. C 4. levantamento de dados. C 5. elaboração de instrumentos de pesquisa.E

132 Capítulo 5 Métodos de Arquivamento

133 Exercício Método Alfabético ORDENAÇÃO

134 ( ) Renata Peres de Morais ( ) O Popular ( ) 17º Campeonato de Futsal ( ) Marechal Alberto Castelo Branco ( ) Ricardo dAlmeida ( ) Jerônimo Carlos São Cristóvão ( ) Bill Clinton ( ) Liu Chi Watanabe ( ) The New York Times ( ) Segundo Simpósio de Identificação Militar ( ) Carrefour S/A ( ) Federico Garcia Lorca ( ) Roberto Augusto de Santa Cruz ( ) A. Carlos Silva ( ) Papelaria Brasil ( ) Paulo Cândido Neto ( ) Antônio Carlos Silva ( ) Professor Weber Artiaga Sousa ( ) Coronel Paulo Édison Vieira Júnior ( ) XXI Encontro de Professores de Física ( ) Raquel Peres de Morais

135 ( ) Renata Peres de Morais – Morais, Renata Peres de ( ) O Popular – Popular (O) ( ) 17º Campeonato de Futsal – Campeonato de Futsal (17º) ( ) Marechal Alberto Castelo Branco – Castelo Branco, Alberto (Marechal) ( ) Ricardo dAlmeida – Almeida, Ricardo d ( ) Jerônimo Carlos São Cristóvão – São Cristóvão, Jerônimo Carlos ( ) Bill Clinton – Clinton, Bill ( ) Liu Chi Watanabe – Liu Chi Watanabe ( ) The New York Times – New York Times (The) ( ) Segundo Simpósio de Identificação Militar-Simpósio de... (Segundo) ( ) Carrefour S/A Carrefour S/A ( ) Federico Garcia Lorca – Garcia Lorca, Federico ( ) Roberto Augusto de Santa Cruz – Santa Cruz, Roberto Augusto de ( ) A. Carlos Silva – Silva, A. Carlos ( ) Papelaria Brasil – Papelaria Brasil ( ) Paulo Cândido Neto – Cândido Neto, Paulo ( ) Antônio Carlos Silva – Silva, Antônio Carlos ( ) Professor Weber Artiaga Sousa – Sousa, Weber Artiaga (Professor) ( ) Coronel Paulo Édison Vieira Júnior – Vieira Júnior, Paulo Édison (Coronel) ( ) XXI Encontro de Professores de Física – Encontro de Professores... (XXI) ( ) Raquel Peres de Morais – Morais, Raquel Peres de

136 (11) Renata Peres de Morais – Morais, Renata Peres de (14) O Popular – Popular (O) ( 2) 17º Campeonato de Futsal – Campeonato de Futsal (17º) ( 5) Marechal Alberto Castelo Branco – Castelo Branco, Alberto (Marechal) ( 1) Ricardo dAlmeida – Almeida, Ricardo d (16) Jerônimo Carlos São Cristóvão – São Cristóvão, Jerônimo Carlos ( 6) Bill Clinton – Clinton, Bill ( 9) Liu Chi Watanabe – Liu Chi Watanabe (12) The New York Times – New York Times (The) (19) Segundo Simpósio de Identificação Militar-Simpósio de... (Segundo) ( 4) Carrefour S/A Carrefour S/A ( 8) Federico Garcia Lorca – Garcia Lorca, Federico (15) Roberto Augusto de Santa Cruz – Santa Cruz, Roberto Augusto de (17) A. Carlos Silva – Silva, A. Carlos (13) Papelaria Brasil – Papelaria Brasil ( 3) Paulo Cândido Neto – Cândido Neto, Paulo (18) Antônio Carlos Silva – Silva, Antônio Carlos (20) Professor Weber Artiaga Sousa – Sousa, Weber Artiaga (Professor) (21) Coronel Paulo Édison Vieira Júnior – Vieira Júnior, Paulo Édison (Coronel) ( 7) XXI Encontro de Professores de Física – Encontro de Professores... (XXI) (10) Raquel Peres de Morais – Morais, Raquel Peres de

137 1. (TRE/PB/2007 – FCC) Ao classificar suas atividades rotineiras, uma instituição utiliza o seguinte esquema: COMUNICAÇÕES Correios Internet Rádio Telex MATERIAL Aquisição Baixa ORÇAMENTO Despesa Receita PESSOAL Admissão Dispensa Férias Gratificações Licenças

138 Trata-se do método: a) enciclopédico. b) dicionário. c) unitermo. d) duplex. e) dígito-terminal

139 Trata-se do método: a) enciclopédico. b) dicionário. c) unitermo. d) duplex. e) dígito-terminal

140 2. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Um técnico administrativo é convidado a organizar o arquivo jurídico do Banco de Desenvolvimento Pecuário de sua cidade. Ao chegar à instituição, observa que o acervo é composto, exclusivamente, por processos, aproximadamente Sabendo que o documento arquivístico é único e que as formas de acesso são diversas, ele deve optar pelo método de arquivamento mais adequado para esses documentos, que é o método: a) enciclopédico b) numérico c) variadex d) ideográfico e) Dicionário

141 2. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Um técnico administrativo é convidado a organizar o arquivo jurídico do Banco de Desenvolvimento Pecuário de sua cidade. Ao chegar à instituição, observa que o acervo é composto, exclusivamente, por processos, aproximadamente Sabendo que o documento arquivístico é único e que as formas de acesso são diversas, ele deve optar pelo método de arquivamento mais adequado para esses documentos, que é o método: a) enciclopédico b) numérico c) variadex d) ideográfico e) Dicionário

142 3. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Quando se organiza um arquivo utilizando-se o método numérico simples, a preocupação inicial recai somente na atribuição de números a cada novo cliente ou correspondente, obedecendo apenas à ordem de entrada ou registro, como apresentado a seguir: 1-Alba Santos Silva; 2- Bárbara Assunção; 3-Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social; 4-Alcedo Costa; 5-Ricardo Alves e 6-Banco do Brasil. Como se observa, essa é a ordem em que os documentos encontram-se no arquivo. No entanto, para a efetiva recuperação dos documentos, é necessário elaborar o índice alfabético remissivo, que terá a seguinte seqüência: a) 6, 5, 4, 3, 2, 1. b) 5, 2, 6, 3, 4, 1. c) 3, 6, 4, 5, 2, 1. d) 1, 4, 6, 2, 3, 5. e) 1, 2, 3, 4, 5, 6.

143 3. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Quando se organiza um arquivo utilizando-se o método numérico simples, a preocupação inicial recai somente na atribuição de números a cada novo cliente ou correspondente, obedecendo apenas à ordem de entrada ou registro, como apresentado a seguir: 1-Alba Santos Silva; 2- Bárbara Assunção; 3-Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social; 4-Alcedo Costa; 5-Ricardo Alves e 6-Banco do Brasil. Como se observa, essa é a ordem em que os documentos encontram-se no arquivo. No entanto, para a efetiva recuperação dos documentos, é necessário elaborar o índice alfabético remissivo, que terá a seguinte seqüência: a) 6, 5, 4, 3, 2, 1. b) 5, 2, 6, 3, 4, 1. c) 3, 6, 4, 5, 2, 1. d) 1, 4, 6, 2, 3, 5. e) 1, 2, 3, 4, 5, 6.

144 4. (BNDES/2006 – Cesgranrio) A empresa Dantas & Dantas está iniciando as suas atividades e conta com um número reduzido de pessoas para a organização de seu arquivo que utiliza, como elemento principal, o nome de seus clientes, obedecendo às regras de alfabetação. Assim, para arquivar corretamente os nomes: 1 – Pedro Paulo Santana; 2 – Paulina Santo Cristo; 3 – Robson Santos Ltda; e 4 – Joaquim Vasconcelos Sobrinho, tem-se a seguinte ordem: a) 1, 2, 3, 4. b) 1, 3, 2, 4. c) 2, 4, 1, 3. d) 3, 1, 2, 4. e) 4, 3, 2, 1.

145 4. (BNDES/2006 – Cesgranrio) A empresa Dantas & Dantas está iniciando as suas atividades e conta com um número reduzido de pessoas para a organização de seu arquivo que utiliza, como elemento principal, o nome de seus clientes, obedecendo às regras de alfabetação. Assim, para arquivar corretamente os nomes: 1 – Pedro Paulo Santana; 2 – Paulina Santo Cristo; 3 – Robson Santos Ltda; e 4 – Joaquim Vasconcelos Sobrinho, tem-se a seguinte ordem: a) 1, 2, 3, 4. b) 1, 3, 2, 4. c) 2, 4, 1, 3. d) 3, 1, 2, 4. e) 4, 3, 2, 1.

146 5. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Existem critérios para que os documentos sejam organizados pelo método geográfico. A literatura apresenta, pelo menos, duas modalidades para essa ordenação. Se, em um arquivo, a opção é pela modalidade (estado, cidade, correspondente), a organização dos correspondentes 1 – Luiz Carlos Abrantes, de Itu, São Paulo; 2 – Antônio Carlos Ambroté, de Ribeirão Preto, São Paulo; 3 – Moysés da Costa, de São Paulo, São Paulo; 4 – Cláudio Ribeiro, de São Luís, Maranhão; 5 – Alda Barreto, de Codó, Maranhão, deve ser a seguinte: a) 1, 2, 3, 4, 5. b) 3, 5, 1, 2, 4. c) 4, 5, 3, 1, 2. d) 5, 2, 3, 1, 4. e) 5, 4, 3, 2, 1.

147 5. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Existem critérios para que os documentos sejam organizados pelo método geográfico. A literatura apresenta, pelo menos, duas modalidades para essa ordenação. Se, em um arquivo, a opção é pela modalidade (estado, cidade, correspondente), a organização dos correspondentes 1 – Luiz Carlos Abrantes, de Itu, São Paulo; 2 – Antônio Carlos Ambroté, de Ribeirão Preto, São Paulo; 3 – Moysés da Costa, de São Paulo, São Paulo; 4 – Cláudio Ribeiro, de São Luís, Maranhão; 5 – Alda Barreto, de Codó, Maranhão, deve ser a seguinte: a) 1, 2, 3, 4, 5. b) 3, 5, 1, 2, 4. c) 4, 5, 3, 1, 2. d) 5, 2, 3, 1, 4. e) 5, 4, 3, 2, 1.

148 6. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Um arquivo apresenta o esquema principal a seguir: Pessoal: Admissão – Demissão – Folha de Pagamento – Promoção – Recrutamento – Seleção. Esse esquema denota uma classificação por: a) assunto. b) espécie. c) natureza. d) tipologia. e) estágio.

149 6. (BNDES/2006 – Cesgranrio) Um arquivo apresenta o esquema principal a seguir: Pessoal: Admissão – Demissão – Folha de Pagamento – Promoção – Recrutamento – Seleção. Esse esquema denota uma classificação por: a) assunto. b) espécie. c) natureza. d) tipologia. e) estágio.

150 7. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Na arquivística, o código de classificação baseado no sistema concebido por Melvil Dewey é expressado por uma representação numérica do tipo: a) b) c) XY.211. d) e)

151 7. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Na arquivística, o código de classificação baseado no sistema concebido por Melvil Dewey é expressado por uma representação numérica do tipo: a) b) c) XY.211. d) e)

152 8. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O método de arquivamento ideográfico alfabético pode ser de dois tipos: a) enciclopédico e dicionário. b) enciclopédico e composto. c) dicionário e cronológico. d) duplex e decimal. e) simples e decimal.

153 8. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O método de arquivamento ideográfico alfabético pode ser de dois tipos: a) enciclopédico e dicionário. b) enciclopédico e composto. c) dicionário e cronológico. d) duplex e decimal. e) simples e decimal.

154 9. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Na alfabetação, os nomes estrangeiros são considerados pelo último sobrenome, salvo no caso dos nomes: a) americanos e ingleses. b) espanhóis e orientais. c) portugueses e brasileiros. d) gregos e italianos. e) alemães e holandeses.

155 9. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) Na alfabetação, os nomes estrangeiros são considerados pelo último sobrenome, salvo no caso dos nomes: a) americanos e ingleses. b) espanhóis e orientais. c) portugueses e brasileiros. d) gregos e italianos. e) alemães e holandeses.

156 10. (INPI/2006 – UNB/CESPE – com adaptações) Método alfabético é um método de arquivamento direto de documentos cujo principal elemento é o nome. A esse respeito e considerando as regras pertinentes, julgue as propostas de alfabetação apresentadas nos itens a seguir: I – Cabral, Pedro Álvares Colombo, Cristóvão Ferreira, J. Ferreira, José Neto, Afonso de Almeida II – Almeida, Benedito de Souza Almeida, Carolina de Assis Castelo Branco, José Humberto Gonçalves, Hamilton Lima, Augusto de Oliveira III – Alencastro, Pedro Ferreira d Barbosa, Pedro Paulo Garcia, José Antônio Lima Martins, Diogo César de Almeida Tiago, Carlos Alberto de São IV – Carvalho, Maria Aparecida de Fagundes, Vicente da Silva Magalhães, Gilberto Villa-Lobos, Heitor de Jesus Ximenes, Paulo Barbosa V – Campos, Professor Carlos Castro Campos, Professor Diogo de Lima Rangel, Coordenados Felipe Bernardes Rangel, Professor Eduardo de Almeida Reis, Professor Luiz Augusto da Silva

157 Estão corretos os itens: a) I e III b) I e V c) II e III d) II e IV e) IV e V

158 Estão corretos os itens: a) I e III b) I e V c) II e III d) II e IV e) IV e V

159 11. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Os métodos de arquivamento pertencem a dois sistemas básicos de acesso, que são: a) direto e indireto b) objetivo e subjetivo c) público e privado d) secreto e público e) ostensivo e sigiloso

160 11. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Os métodos de arquivamento pertencem a dois sistemas básicos de acesso, que são: a) direto e indireto b) objetivo e subjetivo c) público e privado d) secreto e público e) ostensivo e sigiloso

161 12. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Obedecendo às regras de alfabetação (letra por letra), a ordem de arquivamento dos nomes abaixo é: 1 – Maria Alvinegra. 2 – Maria Benedita. 3 – Maria Bravata. 4 – Marianna Mesquatra. 5 – Mariene Ferreira. a) 1, 2, 3, 4 e 5. b) 1, 2, 3, 5 e 4. c) 1, 3, 5, 2 e 4. d) 2, 1, 5, 4 e 3. e) 5, 1, 2, 3 e 4.

162 12. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Obedecendo às regras de alfabetação (letra por letra), a ordem de arquivamento dos nomes abaixo é: 1 – Maria Alvinegra. 2 – Maria Benedita. 3 – Maria Bravata. 4 – Marianna Mesquatra. 5 – Mariene Ferreira. a) 1, 2, 3, 4 e 5. b) 1, 2, 3, 5 e 4. c) 1, 3, 5, 2 e 4. d) 2, 1, 5, 4 e 3. e) 5, 1, 2, 3 e 4.

163 13. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Considere a organização dos documentos abaixo, através do método geográfico que tem a cidade como referência: 1 – Campos / Rio de Janeiro / Francisco Alvarenga. 2 – Itaboraí / Rio de Janeiro / Antônio Marcos. 3 – Manaus / Amazonas / J. M. Pacheco. 4 – Rio Bonito / Rio de Janeiro / Nicea Lúcia. 5 – São Paulo / São Paulo / Bárbara Santos e Silva. A ordem correta é: a) 1, 2, 3, 4 e 5. b) 2, 3, 4, 5 e 1. c) 4, 3, 2, 5 e 1. d) 5, 3, 1, 4 e 2. e) 5, 3, 2, 1 e 4.

164 13. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Considere a organização dos documentos abaixo, através do método geográfico que tem a cidade como referência: 1 – Campos / Rio de Janeiro / Francisco Alvarenga. 2 – Itaboraí / Rio de Janeiro / Antônio Marcos. 3 – Manaus / Amazonas / J. M. Pacheco. 4 – Rio Bonito / Rio de Janeiro / Nicea Lúcia. 5 – São Paulo / São Paulo / Bárbara Santos e Silva. A ordem correta é: a) 1, 2, 3, 4 e 5. b) 2, 3, 4, 5 e 1. c) 4, 3, 2, 5 e 1. d) 5, 3, 1, 4 e 2. e) 5, 3, 2, 1 e 4.

165 14. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Os erros de arquivamento oriundos do cansaço visual e das diferentes formas gráficas são predominantes no método: a) numérico. b) alfa numérico. c) alfabético. d) ideográfico numérico. e) assunto;.

166 14. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Os erros de arquivamento oriundos do cansaço visual e das diferentes formas gráficas são predominantes no método: a) numérico. b) alfa numérico. c) alfabético. d) ideográfico numérico. e) assunto;.

167 15. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) A ordenação numérica pressupõe um índice alfabético denominado: a) ideográfico. b) remissivo. c) assistemático. d) equivalente. e) classificatório.

168 15. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) A ordenação numérica pressupõe um índice alfabético denominado: a) ideográfico. b) remissivo. c) assistemático. d) equivalente. e) classificatório.

169 16. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) O sistema mais adequado ao tratamento de processos é o: a) dígito-terminal. b) geográfico. c) alfabético. d) unitermo. e) numérico.

170 16. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) O sistema mais adequado ao tratamento de processos é o: a) dígito-terminal. b) geográfico. c) alfabético. d) unitermo. e) numérico.

171 17. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) Considerando o arquivamento geográfico, por Estado, a alternativa que virá primeiro no método de alfabetação: a) Amazonas – Manaus – A. Barros. b) Paraná – Curitiba – Adão Barros. c) Paraná – Apucarana – Abdul Barros. d) Paraná – Arapongas – Alfredo Barros. e) Amazonas – Itacoatiara – Alberto Barros.

172 17. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) Considerando o arquivamento geográfico, por Estado, a alternativa que virá primeiro no método de alfabetação: a) Amazonas – Manaus – A. Barros. b) Paraná – Curitiba – Adão Barros. c) Paraná – Apucarana – Abdul Barros. d) Paraná – Arapongas – Alfredo Barros. e) Amazonas – Itacoatiara – Alberto Barros.

173 18. (Ministério da Saúde/2005 – NCE/UFRJ) No método alfabético de arquivamento utiliza-se como elemento principal: a) o número. b) a data. c) o tema. d) a classe. e) o nome.

174 18. (Ministério da Saúde/2005 – NCE/UFRJ) No método alfabético de arquivamento utiliza-se como elemento principal: a) o número. b) a data. c) o tema. d) a classe. e) o nome.

175 19. (MULTIRIO/2005 – João Goulart) É importante que o assistente técnico administrativo conheça as regras básicas para distribuição das pastas num arquivo alfabético. A fatura da empresa Rafaella Duarte & Cia deverá ser arquivada como: a) Cia, Rafaella Duarte &. b) Duarte & Cia, Rafaella. c) Duarte, Rafaella & Cia. d) Rafaella Duarte & Cia.

176 19. (MULTIRIO/2005 – João Goulart) É importante que o assistente técnico administrativo conheça as regras básicas para distribuição das pastas num arquivo alfabético. A fatura da empresa Rafaella Duarte & Cia deverá ser arquivada como: a) Cia, Rafaella Duarte &. b) Duarte & Cia, Rafaella. c) Duarte, Rafaella & Cia. d) Rafaella Duarte & Cia.

177 20. (Agência Nacional de Petróleo – ANP/2005 – Cesgranrio) Indique a opção em que o nome está registrado INCORRETAMENTEpara arquivamento, segundo as regras de alfabetação: a) Santa Cruz, Sérgio (Ministro). b) Etchevarren Diaz, Estebán de. c) Andrade Jr., Ricardo da Silva. d) Mac Enroe, Francis Joseph. e) Santo, Leontina de Monte.

178 20. (Agência Nacional de Petróleo – ANP/2005 – Cesgranrio) Indique a opção em que o nome está registrado INCORRETAMENTEpara arquivamento, segundo as regras de alfabetação: a) Santa Cruz, Sérgio (Ministro). b) Etchevarren Diaz, Estebán de. c) Andrade Jr., Ricardo da Silva. d) Mac Enroe, Francis Joseph. e) Santo, Leontina de Monte.

179 21. (Infraero/1997 – UNB/CESPE) Considere os seguintes nomes de firmas, empresas e instituições: I. EMBRATEL. II. A COLEGIAL. III. COMPANHIA PROGRESSO LTDA. IV. BARBOSA LIMA & CIA. V. THE LIBRARY OF CONGRESS. VI. FUNDAÇÃO CIDADE DA PAZ. Em arquivística, a ordenação alfabética correta desses nomes é: a) IV, III, II, I, VI, V. b) II, IV, III, I, VI, V. c) II, III, IV, I, V, VI. d) IV, II, III, I, VI, V. e) III, II, IV, I, VI, V.

180 21. (Infraero/1997 – UNB/CESPE) Considere os seguintes nomes de firmas, empresas e instituições: I. EMBRATEL. II. A COLEGIAL. III. COMPANHIA PROGRESSO LTDA. IV. BARBOSA LIMA & CIA. V. THE LIBRARY OF CONGRESS. VI. FUNDAÇÃO CIDADE DA PAZ. Em arquivística, a ordenação alfabética correta desses nomes é: a) IV, III, II, I, VI, V. b) II, IV, III, I, VI, V. c) II, III, IV, I, V, VI. d) IV, II, III, I, VI, V. e) III, II, IV, I, VI, V.

181 22. (Eletrobrás – NCE/UFRJ – com adaptações) Os métodos de arquivamento são responsáveis pela(o): a) plano de armazenagem dos documentos. b) notação dos documentos. c) palavra-chave dos documentos. d) ordenação dos documentos. e) plano de destinação dos documentos.

182 22. (Eletrobrás – NCE/UFRJ – com adaptações) Os métodos de arquivamento são responsáveis pela(o): a) plano de armazenagem dos documentos. b) notação dos documentos. c) palavra-chave dos documentos. d) ordenação dos documentos. e) plano de destinação dos documentos.

183 Capítulo 6 Lei nº 8.159, de 08/01/1991 Gestão de Documentos Avaliação e Destinação Tabela de Temporalidade

184 l. (TSE/2007 – UNB/CESPE) O instrumento de destinação que determina prazos e condições de guarda é o (a): a) plano de classificação. b) listagem de eliminação. c) tabela de temporalidade. d) plano de preservação.

185 l. (TSE/2007 – UNB/CESPE) O instrumento de destinação que determina prazos e condições de guarda é o (a): a) plano de classificação. b) listagem de eliminação. c) tabela de temporalidade. d) plano de preservação.

186 2. (TRE/PB/2007 – FCC) Desde o momento em que são criados até sua destinação final, os documentos de arquivo cumprem ciclo de vida em que a passagem de uma etapa ou condição para outra: a) obedece a normas emanadas dos serviços de protocolo. b) está prescrita nas guias de recolhimento. c) resulta do processo de avaliação. d) corresponde a períodos qüinqüenais e decenais de temporalidade. e) vem indicada nos planos de arquivamento e classificação.

187 2. (TRE/PB/2007 – FCC) Desde o momento em que são criados até sua destinação final, os documentos de arquivo cumprem ciclo de vida em que a passagem de uma etapa ou condição para outra: a) obedece a normas emanadas dos serviços de protocolo. b) está prescrita nas guias de recolhimento. c) resulta do processo de avaliação. d) corresponde a períodos qüinqüenais e decenais de temporalidade. e) vem indicada nos planos de arquivamento e classificação.

188 3. (TRE/PB/2007 – FCC) De acordo com a Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991 (Lei de Arquivos): a) os documentos cuja divulgação ponha em risco a segurança da sociedade e do Estado ficarão sob sigilo por um prazo máximo de 100 (cem) anos, a contar da data de sua produção. b) o acesso a documentos sigilosos referentes à honra e à imagem das pessoas será restrito por um prazo máximo e improrrogável de 30 (trinta) anos. c) cabe ao Poder Legislativo determinar a exibição reservada de qualquer documento sigiloso. d) o hábeas data é prerrogativa dos titulares de cargos públicos, nos organismos de governo federal, estadual e municipal. e) ficará sujeito à responsabilidade penal, civil e administrativa aquele que desfigurar ou destruir documentos de valor permanente.

189 3. (TRE/PB/2007 – FCC) De acordo com a Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991 (Lei de Arquivos): a) os documentos cuja divulgação ponha em risco a segurança da sociedade e do Estado ficarão sob sigilo por um prazo máximo de 100 (cem) anos, a contar da data de sua produção. b) o acesso a documentos sigilosos referentes à honra e à imagem das pessoas será restrito por um prazo máximo e improrrogável de 30 (trinta) anos. c) cabe ao Poder Legislativo determinar a exibição reservada de qualquer documento sigiloso. d) o hábeas data é prerrogativa dos titulares de cargos públicos, nos organismos de governo federal, estadual e municipal. e) ficará sujeito à responsabilidade penal, civil e administrativa aquele que desfigurar ou destruir documentos de valor permanente.

190 4. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) As três fases básicas da gestão de documentos são: a) recepção, avaliação e arranjo. b) produção, utilização e destinação. c) classificação, organização e eliminação. d) formatação, adaptação e recuperação. e) coordenação, disseminação e centralização.

191 4. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) As três fases básicas da gestão de documentos são: a) recepção, avaliação e arranjo. b) produção, utilização e destinação. c) classificação, organização e eliminação. d) formatação, adaptação e recuperação. e) coordenação, disseminação e centralização.

192 Especificação dos DocumentosDatasQuantidades Convites caixas Notas de remessa de material caixas Quadros de horários caixas Requisição de xérox caixas Recortes de jornais caixas 5. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) Observe o documento abaixo: Trata-se de uma lista de: a) eliminação. b) destinação. c) avaliação. d) seleção. e) conservação.

193 Especificação dos DocumentosDatasQuantidades Convites caixas Notas de remessa de material caixas Quadros de horários caixas Requisição de xérox caixas Recortes de jornais caixas 5. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) Observe o documento abaixo: Trata-se de uma lista de: a) eliminação. b) destinação. c) avaliação. d) seleção. e) conservação.

194 6. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) As rotinas correspondentes à recepção, leitura e identificação do assunto principal de acordo com o seu conteúdo, origem e função, são rotinas correspondentes às operações de: a) levantamento. b) ordenação. c) arranjo. d) classificação. e) descrição.

195 6. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) As rotinas correspondentes à recepção, leitura e identificação do assunto principal de acordo com o seu conteúdo, origem e função, são rotinas correspondentes às operações de: a) levantamento. b) ordenação. c) arranjo. d) classificação. e) descrição.

196 7. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O processo que constitui o elemento vital de um programa de gestão de documentos é denominado: a) avaliação. b) classificação. c) ordenação. d) arranjo. e) descrição.

197 7. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O processo que constitui o elemento vital de um programa de gestão de documentos é denominado: a) avaliação. b) classificação. c) ordenação. d) arranjo. e) descrição.

198 8. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A aplicação dos critérios de avaliação efetiva-se na idade: a) permanente. b) intermediária. c) administrativa. d) organizacional. e) corrente.

199 8. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A aplicação dos critérios de avaliação efetiva-se na idade: a) permanente. b) intermediária. c) administrativa. d) organizacional. e) corrente.

200 9. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O órgão que tem por finalidade definir a política nacional de arquivos públicos e privados e exercer orientação normativa, visando à gestão documental e à proteção especial dos documentos de arquivo é: a) Arquivo Nacional. b) SINAR – Sistema Nacional de Arquivos. c) Casa Civil da presidência da República. d) CONARQ – Conselho Nacional de Arquivos. e) Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

201 9. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) O órgão que tem por finalidade definir a política nacional de arquivos públicos e privados e exercer orientação normativa, visando à gestão documental e à proteção especial dos documentos de arquivo é: a) Arquivo Nacional. b) SINAR – Sistema Nacional de Arquivos. c) Casa Civil da presidência da República. d) CONARQ – Conselho Nacional de Arquivos. e) Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

202 10. (Ministério da Cultura/2006 – Getúlio Vargas) O art. 26 da Lei nº 8.159/1991 determina que o órgão central do sistema nacional de arquivos é: a) o Arquivo Nacional. b) o Gabinete Civil da Presidência da República. c) o Sistema Nacional de Arquivos – SINAR. d) o Conselho Nacional de Arquivos – CONARQ. e) o Ministério da Justiça.

203 10. (Ministério da Cultura/2006 – Getúlio Vargas) O art. 26 da Lei nº 8.159/1991 determina que o órgão central do sistema nacional de arquivos é: a) o Arquivo Nacional. b) o Gabinete Civil da Presidência da República. c) o Sistema Nacional de Arquivos – SINAR. d) o Conselho Nacional de Arquivos – CONARQ. e) o Ministério da Justiça.

204 11. (Ministério da Saúde/2005 – NCE/UFRJ) Os documentos públicos são identificados como: a) primários e secundários. b) correntes, intermediários e permanentes. c) correntes, secundários e permanentes. d) primários e correntes. e) secundários e permanentes.

205 11. (Ministério da Saúde/2005 – NCE/UFRJ) Os documentos públicos são identificados como: a) primários e secundários. b) correntes, intermediários e permanentes. c) correntes, secundários e permanentes. d) primários e correntes. e) secundários e permanentes.

206 12. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) Na avaliação de documentos, deve-se levar em consideração, primeiramente, o seguinte valor: a) classificatório. b) metodológico. c) informativo. d) probatório. e) secundário.

207 12. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) Na avaliação de documentos, deve-se levar em consideração, primeiramente, o seguinte valor: a) classificatório. b) metodológico. c) informativo. d) probatório. e) secundário.

208 13. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Estabelecer os prazos de vida do documento dentro da instituição, de acordo com os valores informativos e probatórios, é atividade da comissão de: a) avaliação de documentos. b) incineração de documentos. c) restauração de documentos. d) movimentação de documentos. e) preservação de documentos.

209 13. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Estabelecer os prazos de vida do documento dentro da instituição, de acordo com os valores informativos e probatórios, é atividade da comissão de: a) avaliação de documentos. b) incineração de documentos. c) restauração de documentos. d) movimentação de documentos. e) preservação de documentos.

210 14. (MPU/2004 – ESAF) Assinale a opção que não se caracteriza como atividade de gestão de documentos: a) inspeção. b) avaliação. c) destinação. d) descrição. e) eliminação.

211 14. (MPU/2004 – ESAF) Assinale a opção que não se caracteriza como atividade de gestão de documentos: a) inspeção. b) avaliação. c) destinação. d) descrição. e) eliminação.

212 15. (ANEEL/2004 – ESAF) O instrumento de destinação que determina prazos para transferência, recolhimento, eliminação e mudança de suporte de documentos chama- se: a) plano de classificação. b) inventário. c) listagem de eliminação. d) tabela de temporalidade. e) termo de recolhimento.

213 15. (ANEEL/2004 – ESAF) O instrumento de destinação que determina prazos para transferência, recolhimento, eliminação e mudança de suporte de documentos chama- se: a) plano de classificação. b) inventário. c) listagem de eliminação. d) tabela de temporalidade. e) termo de recolhimento.

214 16. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) A legislação determina que ficará sujeito à responsabilidade penal, civil e administrativa, na forma da legislação em vigor, aquele que desfigurar ou destruir documentos de valor...: a) permanente. b) especializado. c) intermediário> d) terciário. e) corrente.

215 16. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) A legislação determina que ficará sujeito à responsabilidade penal, civil e administrativa, na forma da legislação em vigor, aquele que desfigurar ou destruir documentos de valor...: a) permanente. b) especializado. c) intermediário> d) terciário. e) corrente.

216 17. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Implementar a política nacional de arquivos públicos e privados, visando à gestão, à preservação e ao aceso aos documentos de arquivo é finalidade do: a) CONAR. b) SINAR. c) ARCAR. d) UNESCO. e) AAB.

217 17. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Implementar a política nacional de arquivos públicos e privados, visando à gestão, à preservação e ao aceso aos documentos de arquivo é finalidade do: a) CONAR. b) SINAR. c) ARCAR. d) UNESCO. e) AAB.

218 18. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) São inalienáveis e imprescritíveis os documentos de valor: a) primário. b) permanente. c) especial. d) intermediário. e) corrente.

219 18. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) São inalienáveis e imprescritíveis os documentos de valor: a) primário. b) permanente. c) especial. d) intermediário. e) corrente.

220 19. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) O acesso aos documentos sigilosos referentes à honra e à imagem das pessoas será restrito por um prazo máximo de: a) 100 anos. b) 150 anos. c) 30 anos. d) 200 anos. e) 300 anos.

221 19. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) O acesso aos documentos sigilosos referentes à honra e à imagem das pessoas será restrito por um prazo máximo de: a) 100 anos. b) 150 anos. c) 30 anos. d) 200 anos. e) 300 anos.

222 20. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Órgão vinculado ao Arquivo Nacional que define a política nacional de arquivos é o: a) SINARQ b) ABARQ c) REBARQ d) COLMARQ e) CONARQ

223 20. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Órgão vinculado ao Arquivo Nacional que define a política nacional de arquivos é o: a) SINARQ b) ABARQ c) REBARQ d) COLMARQ e) CONARQ

224 21. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Gerir e recolher os documentos produzidos e recebidos pelo Poder Executivo Federal, bem como preservar e facultar o acesso aos documentos é competência do: a) Arquivo Estadual. b) Arquivo Municipal. c) Arquivo Nacional d) Arquivo Histórico. e) Arquivo judiciário.

225 21. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Gerir e recolher os documentos produzidos e recebidos pelo Poder Executivo Federal, bem como preservar e facultar o acesso aos documentos é competência do: a) Arquivo Estadual. b) Arquivo Municipal. c) Arquivo Nacional d) Arquivo Histórico. e) Arquivo judiciário.

226 22. (BNDES/2002 – VUNESP) É prática corriqueira, nas instituições brasileiras, a formação de grandes depósitos de massa documental acumulada, vulgarmente denominada de arquivo morto. Tais documentos: a) deveriam ser incinerados uma vez por ano, evitando o acúmulo. b) deveriam ser avaliados, preservando-se os papéis permanentes. c) representam documentos sem nenhum valor jurídico ou histórico. d) deveriam ser encaminhados ao Arquivo Nacional para realizar sua seleção. e) deveriam ser recolhidos ao arquivo intermediário.

227 22. (BNDES/2002 – VUNESP) É prática corriqueira, nas instituições brasileiras, a formação de grandes depósitos de massa documental acumulada, vulgarmente denominada de arquivo morto. Tais documentos: a) deveriam ser incinerados uma vez por ano, evitando o acúmulo. b) deveriam ser avaliados, preservando-se os papéis permanentes. c) representam documentos sem nenhum valor jurídico ou histórico. d) deveriam ser encaminhados ao Arquivo Nacional para realizar sua seleção. e) deveriam ser recolhidos ao arquivo intermediário.

228 Capítulo 7 Arquivos Permanentes / Conservação e Restauração de Documentos

229 PRESERVAÇÃO, CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE DOCUMENTOS

230 1. (TSE/2007 – UNB/CESPE) A conservação compreende os cuidados prestados aos documentos e ao seu local de armazenamento. As principais operações de conservação são: a) higienização, exaustão, congelamento e preservação. b) umidificação, limpeza, calefação e restauração. c) laminação, refrigeração, evaporação e encapsulamento. d) desinfestação, limpeza, alisamento e restauração.

231 1. (TSE/2007 – UNB/CESPE) A conservação compreende os cuidados prestados aos documentos e ao seu local de armazenamento. As principais operações de conservação são: a) higienização, exaustão, congelamento e preservação. b) umidificação, limpeza, calefação e restauração. c) laminação, refrigeração, evaporação e encapsulamento. d) desinfestação, limpeza, alisamento e restauração.

232 2. (Ministério da Cultura/2006 – Getúlio Vargas) O princípio da proveniência é a base teórica que rege todas as intervenções arquivísticas, devendo ser observado na organização dos arquivos: a) permanente, apenas. b) intermediários, apenas. c) correntes, apenas. d) intermediários e permanentes, apenas. e) correntes, intermediários e permanentes.

233 2. (Ministério da Cultura/2006 – Getúlio Vargas) O princípio da proveniência é a base teórica que rege todas as intervenções arquivísticas, devendo ser observado na organização dos arquivos: a) permanente, apenas. b) intermediários, apenas. c) correntes, apenas. d) intermediários e permanentes, apenas. e) correntes, intermediários e permanentes.

234 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A elaboração criteriosa e precisa dos instrumentos de pesquisa é tarefa primordial do arquivista. Para a produção de tais instrumentos, o arquivista recorre à descrição, que é uma tarefa típica: a) dos arquivos públicos. b) dos arquivos permanentes. c) dos correntes. d) dos arquivos privados. e) dos arquivos intermediários.

235 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A elaboração criteriosa e precisa dos instrumentos de pesquisa é tarefa primordial do arquivista. Para a produção de tais instrumentos, o arquivista recorre à descrição, que é uma tarefa típica: a) dos arquivos públicos. b) dos arquivos permanentes. c) dos correntes. d) dos arquivos privados. e) dos arquivos intermediários.

236 4. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) As principais atividades no arquivo permanente são: a) a classificação e o arranjo dos fundos. b) a avaliação e a classificação dos fundos. c) a seleção e a classificação dos fundos. d) o arranjo e a descrição dos fundos. e) a classificação e a descrição dos fundos.

237 4. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) As principais atividades no arquivo permanente são: a) a classificação e o arranjo dos fundos. b) a avaliação e a classificação dos fundos. c) a seleção e a classificação dos fundos. d) o arranjo e a descrição dos fundos. e) a classificação e a descrição dos fundos.

238 5. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A obra destinada à orientação dos usuários no conhecimento e na utilização dos fundos que integram o acervo de um arquivo permanente é denominada: a) repertório. b) guia. c) catálogo. d) inventário. e) índice.

239 5. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) A obra destinada à orientação dos usuários no conhecimento e na utilização dos fundos que integram o acervo de um arquivo permanente é denominada: a) repertório. b) guia. c) catálogo. d) inventário. e) índice.

240 6. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) A atividade de sintetizar e sistematizar os elementos formais e o conteúdo textual dos documentos recolhidos para uma determinada instituição arquivística denomina-se: a) plano de classificação. b) descrição. c) tabela de avaliação. d) tabela de temporalidade. e) edição de fontes.

241 6. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) A atividade de sintetizar e sistematizar os elementos formais e o conteúdo textual dos documentos recolhidos para uma determinada instituição arquivística denomina-se: a) plano de classificação. b) descrição. c) tabela de avaliação. d) tabela de temporalidade. e) edição de fontes.

242 7. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) O instrumento de pesquisa que tem por finalidade fornecer uma visão do conjunto dos serviços de uma instituição arquivística, de modo a permitir aos usuários saber quais são seus recursos e a natureza dos fundos que estão sob sua guarda, entre outras informações denomina-se, segundo a terminologia da área: a) guia de fonte. b) edição de fontes. c) fonte. d) índice. e) guia.

243 7. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) O instrumento de pesquisa que tem por finalidade fornecer uma visão do conjunto dos serviços de uma instituição arquivística, de modo a permitir aos usuários saber quais são seus recursos e a natureza dos fundos que estão sob sua guarda, entre outras informações denomina-se, segundo a terminologia da área: a) guia de fonte. b) edição de fontes. c) fonte. d) índice. e) guia.

244 8. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) O objetivo final da descrição arquivística é o: a) arranjo. b) acesso. c) registro. d) trâmite. e) recolhimento.

245 8. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) O objetivo final da descrição arquivística é o: a) arranjo. b) acesso. c) registro. d) trâmite. e) recolhimento.

246 9. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) Podemos afirmar que o processo de descrição documental consiste em: a) analisar os documentos desde a fase corrente e utilizar instrumentos que controlem a passagem para as fases posteriores. b) compor instrumentos que orientem quanto ao tempo de manutenção dos documentos nos arquivos permanentes. c) coletar informações necessárias à definição de políticas de preservação e conservação de documentos históricos. d) elaborar instrumentos de pesquisa que permitam identificar, localizar, rastrear e, por fim, utilizar dados. e) elaborar instrumentos que descrevem o trâmite dos documentos dentro da instituição e sua destinação final.

247 9. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) Podemos afirmar que o processo de descrição documental consiste em: a) analisar os documentos desde a fase corrente e utilizar instrumentos que controlem a passagem para as fases posteriores. b) compor instrumentos que orientem quanto ao tempo de manutenção dos documentos nos arquivos permanentes. c) coletar informações necessárias à definição de políticas de preservação e conservação de documentos históricos. d) elaborar instrumentos de pesquisa que permitam identificar, localizar, rastrear e, por fim, utilizar dados. e) elaborar instrumentos que descrevem o trâmite dos documentos dentro da instituição e sua destinação final.

248 10. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) A única possibilidade de se ter acesso às informações contidas nos documentos do arquivo permanente é através de um instrumento de pesquisa. Assinale a opção que apresenta unicamente exemplos destes instrumentos: a) guia, inventário e revistas semanais. b) catálogo seletivo, índice e publicações vespertinas. c) inventário analítico, índice e guia. d) dicionário de verbetes, guia e catálogo. e) livro de ouro, inventário sumário e quadro de arranjo.

249 10. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) A única possibilidade de se ter acesso às informações contidas nos documentos do arquivo permanente é através de um instrumento de pesquisa. Assinale a opção que apresenta unicamente exemplos destes instrumentos: a) guia, inventário e revistas semanais. b) catálogo seletivo, índice e publicações vespertinas. c) inventário analítico, índice e guia. d) dicionário de verbetes, guia e catálogo. e) livro de ouro, inventário sumário e quadro de arranjo.

250 11. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) O instrumento de pesquisa que possui uma relação metódica de documentos pertencentes a um ou mais fundos, que são descritos de forma sumária ou detalhada, denomina-se: a) guia. b) índice. c) catálogo. d) indexação. e) repertório.

251 11. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) O instrumento de pesquisa que possui uma relação metódica de documentos pertencentes a um ou mais fundos, que são descritos de forma sumária ou detalhada, denomina-se: a) guia. b) índice. c) catálogo. d) indexação. e) repertório.

252 12. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) A descrição é uma tarefa típica dos arquivos classificados como: a) administrativos. b) intermediários. c) permanentes. d) correntes. e) setoriais.

253 12. (Furnas/2005 – José Pelúcio Ferreira) A descrição é uma tarefa típica dos arquivos classificados como: a) administrativos. b) intermediários. c) permanentes. d) correntes. e) setoriais.

254 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) A preservação de documentos pressupõe a adoção de determinadas medidas buscando a integridade dos suportes documentais e do teor informacional dos documentos. Julgue os itens (certo ou errado) a seguir, que se referem às medidas preventivas adotadas nos acervos arquivísticos. 1. A luminosidade natural deve ser evitada, porque afeta a conservação os documentos, podendo provocar o enfraquecimento do papel. 2. A reprodução de documentos deve ser evitada. 3. Ao manusear os negativos e as fotografias, é recomendável que o profissional use luvas de algodão. 4. A higienização dos documentos deve ser realizada somente na fase permanente.

255 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) A preservação de documentos pressupõe a adoção de determinadas medidas buscando a integridade dos suportes documentais e do teor informacional dos documentos. Julgue os itens (certo ou errado) a seguir, que se referem às medidas preventivas adotadas nos acervos arquivísticos. 1. A luminosidade natural deve ser evitada, porque afeta a conservação os documentos, podendo provocar o enfraquecimento do papel. C 2. A reprodução de documentos deve ser evitada. 3. Ao manusear os negativos e as fotografias, é recomendável que o profissional use luvas de algodão. 4. A higienização dos documentos deve ser realizada somente na fase permanente.

256 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) A preservação de documentos pressupõe a adoção de determinadas medidas buscando a integridade dos suportes documentais e do teor informacional dos documentos. Julgue os itens (certo ou errado) a seguir, que se referem às medidas preventivas adotadas nos acervos arquivísticos. 1. A luminosidade natural deve ser evitada, porque afeta a conservação os documentos, podendo provocar o enfraquecimento do papel. C 2. A reprodução de documentos deve ser evitada. C 3. Ao manusear os negativos e as fotografias, é recomendável que o profissional use luvas de algodão. 4. A higienização dos documentos deve ser realizada somente na fase permanente.

257 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) A preservação de documentos pressupõe a adoção de determinadas medidas buscando a integridade dos suportes documentais e do teor informacional dos documentos. Julgue os itens (certo ou errado) a seguir, que se referem às medidas preventivas adotadas nos acervos arquivísticos. 1. A luminosidade natural deve ser evitada, porque afeta a conservação os documentos, podendo provocar o enfraquecimento do papel. C 2. A reprodução de documentos deve ser evitada. C 3. Ao manusear os negativos e as fotografias, é recomendável que o profissional use luvas de algodão. C 4. A higienização dos documentos deve ser realizada somente na fase permanente.

258 13. (CREA/DF/2003 – UNB/CESPE) A preservação de documentos pressupõe a adoção de determinadas medidas buscando a integridade dos suportes documentais e do teor informacional dos documentos. Julgue os itens (certo ou errado) a seguir, que se referem às medidas preventivas adotadas nos acervos arquivísticos. 1. A luminosidade natural deve ser evitada, porque afeta a conservação os documentos, podendo provocar o enfraquecimento do papel. C 2. A reprodução de documentos deve ser evitada. C 3. Ao manusear os negativos e as fotografias, é recomendável que o profissional use luvas de algodão. C 4. A higienização dos documentos deve ser realizada somente na fase permanente. E

259 14. (Eletrobrás/NCE/UFRJ – com adaptações) O procedimento arquivístico destinado a assegurar as atividades de acondicionamento, armazenamento, conservação e restauração de documentos denomina-se: a) preservação. b) descrição. c) conservação. d) restauração. e) avaliação.

260 14. (Eletrobrás/NCE/UFRJ – com adaptações) O procedimento arquivístico destinado a assegurar as atividades de acondicionamento, armazenamento, conservação e restauração de documentos denomina-se: a) preservação. b) descrição. c) conservação. d) restauração. e) avaliação.

261 Capítulo 8 Microfilmagem / Novas Tecnologias

262 1. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Para que os documentos de um acervo arquivístico possam ser microfilmados, é necessário que, além de estarem higienizados: a) possuam as mesmas dimensões; b) possuam um mesmo assunto; c) estejam devidamente organizados; d) estejam fora de uso corrente; e) não possuam mais valor de uso.

263 1. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Para que os documentos de um acervo arquivístico possam ser microfilmados, é necessário que, além de estarem higienizados: a) possuam as mesmas dimensões; b) possuam um mesmo assunto; c) estejam devidamente organizados; d) estejam fora de uso corrente; e) não possuam mais valor de uso.

264 2. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Os documentos arquivísticos são ou podem ser microfilmados por uma série de motivos. Observe os itens abaixo: I – segurança. II – complementação de acervos. III – facilidade de aceso e leitura. IV – baixo custo de seu processo. V – sua validade jurídica. Fazem parte desses motivos somente os itens: a) I, II, e III. b) I, II e V. c) I, III e V. d) II, III e V. e) III, IV e V.

265 2. (Arquivo Nacional/2006 – NCE/UFRJ) Os documentos arquivísticos são ou podem ser microfilmados por uma série de motivos. Observe os itens abaixo: I – segurança. II – complementação de acervos. III – facilidade de aceso e leitura. IV – baixo custo de seu processo. V – sua validade jurídica. Fazem parte desses motivos somente os itens: a) I, II, e III. b) I, II e V. c) I, III e V. d) II, III e V. e) III, IV e V.

266 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) De acordo com a Lei que regula a microfilmagem de documentos oficiais ficou estabelecido que os documentos microfilmados poderão, a critério da autoridade competente, ser eliminados, exceto aqueles que tenham valor: a) probatório. b) legal. c) fiscal. d) histórico. e) administrativo.

267 3. (Fiocruz/2006 – José Pelúcio Ferreira) De acordo com a Lei que regula a microfilmagem de documentos oficiais ficou estabelecido que os documentos microfilmados poderão, a critério da autoridade competente, ser eliminados, exceto aqueles que tenham valor: a) probatório. b) legal. c) fiscal. d) histórico. e) administrativo.

268 4. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) Os dados que descrevem o sistema operacional, o programa que gera os documentos, a localização física dos documentos no sistema eletrônico... MacNeil (2000:96 apud Rondinelli). O texto acima focaliza a categoria de: a) infodados. b) metadados. c) arquidados. d) contextodados. e) organodados.

269 4. (BNDES/2006 – Cesgranrio – com adaptações) Os dados que descrevem o sistema operacional, o programa que gera os documentos, a localização física dos documentos no sistema eletrônico... MacNeil (2000:96 apud Rondinelli). O texto acima focaliza a categoria de: a) infodados. b) metadados. c) arquidados. d) contextodados. e) organodados.

270 5. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Documento elaborado por meio de um computador, sendo seu autor identificável por meio de um código, chave e outros procedimentos técnicos e conservados, na maioria, em memórias eletrônicas de massa, é o documento: a) sistemático. b) mutável. c) sonoro. d) imagnético. e) eletrônico.

271 5. (UFRJ/2004 – NCE/UFRJ) Documento elaborado por meio de um computador, sendo seu autor identificável por meio de um código, chave e outros procedimentos técnicos e conservados, na maioria, em memórias eletrônicas de massa, é o documento: a) sistemático. b) mutável. c) sonoro. d) imagnético. e) eletrônico.

272 6. (MPU/2004 – ESAF) De acordo com a legislação vigente, na microfilmagem de documentos cada série será sempre precedida de imagem de abertura, com os seguintes elementos: I. registro da empresa no Ministério da Indústria e do Comércio. II. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados. III. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. IV. informações sobre o estado de conservação dos documentos originais. O número de itens certos é igual a: a) 0. b) 1. c) 2. d) 3. e) 4.

273 6. (MPU/2004 – ESAF) De acordo com a legislação vigente, na microfilmagem de documentos cada série será sempre precedida de imagem de abertura, com os seguintes elementos: I. registro da empresa no Ministério da Indústria e do Comércio. II. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados. III. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. IV. informações sobre o estado de conservação dos documentos originais. O número de itens certos é igual a: a) 0. b) 1. c) 2. d) 3. e) 4.

274 7. (CREA/DF/2003 – UnB/CESPE) Julgue (certo ou errado) as assertivas. De acordo com a legislação que regulamenta a microfilmagem de documentos oficiais, os elementos que constarão na imagem de abertura que precede as séries dos documentos microfilmados incluem: 1. local da microfilmagem. 2. data da microfilmagem. 3. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. 4. registro no Ministério da Justiça e no Arquivo Nacional. 5. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados.

275 7. (CREA/DF/2003 – UnB/CESPE) Julgue (certo ou errado) as assertivas. De acordo com a legislação que regulamenta a microfilmagem de documentos oficiais, os elementos que constarão na imagem de abertura que precede as séries dos documentos microfilmados incluem: 1. local da microfilmagem. C 2. data da microfilmagem. 3. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. 4. registro no Ministério da Justiça e no Arquivo Nacional. 5. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados.

276 7. (CREA/DF/2003 – UnB/CESPE) Julgue (certo ou errado) as assertivas. De acordo com a legislação que regulamenta a microfilmagem de documentos oficiais, os elementos que constarão na imagem de abertura que precede as séries dos documentos microfilmados incluem: 1. local da microfilmagem. C 2. data da microfilmagem. C 3. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. 4. registro no Ministério da Justiça e no Arquivo Nacional. 5. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados.

277 7. (CREA/DF/2003 – UnB/CESPE) Julgue (certo ou errado) as assertivas. De acordo com a legislação que regulamenta a microfilmagem de documentos oficiais, os elementos que constarão na imagem de abertura que precede as séries dos documentos microfilmados incluem: 1. local da microfilmagem. C 2. data da microfilmagem. C 3. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. C 4. registro no Ministério da Justiça e no Arquivo Nacional. 5. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados.

278 7. (CREA/DF/2003 – UnB/CESPE) Julgue (certo ou errado) as assertivas. De acordo com a legislação que regulamenta a microfilmagem de documentos oficiais, os elementos que constarão na imagem de abertura que precede as séries dos documentos microfilmados incluem: 1. local da microfilmagem. C 2. data da microfilmagem. C 3. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. C 4. registro no Ministério da Justiça e no Arquivo Nacional. E 5. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados.

279 7. (CREA/DF/2003 – UnB/CESPE) Julgue (certo ou errado) as assertivas. De acordo com a legislação que regulamenta a microfilmagem de documentos oficiais, os elementos que constarão na imagem de abertura que precede as séries dos documentos microfilmados incluem: 1. local da microfilmagem. C 2. data da microfilmagem. C 3. identificação do equipamento utilizado, da unidade filmada e do grau de redução. C 4. registro no Ministério da Justiça e no Arquivo Nacional. E 5. ordenação, identificação e resumo da série de documentos a serem microfilmados. C

280 8. (Eletronuclear/2003 – Cesgranrio – com adaptações) As opções abaixo trazem vantagens da microfilmagem de documentos, salvo uma. Assinale-a. a) redução do volume de papéis e documentos. b) facilidade de consulta a documentos arquivados. c) economia em termos de espaço para o tamanho dos arquivos. d) segurança na conservação dos documentos vitais da empresa. e) estabelecimento de um programa criterioso de seleção do acervo.

281 8. (Eletronuclear/2003 – Cesgranrio – com adaptações) As opções abaixo trazem vantagens da microfilmagem de documentos, salvo uma. Assinale-a. a) redução do volume de papéis e documentos. b) facilidade de consulta a documentos arquivados. c) economia em termos de espaço para o tamanho dos arquivos. d) segurança na conservação dos documentos vitais da empresa. e) estabelecimento de um programa criterioso de seleção do acervo.

282 Questões de concursos 1. (Cespe/SECAD-TO) Os documentos podem servir de prova de transações realizadas.

283 1. (Cespe/SECAD-TO) Os documentos podem servir de prova de transações realizadas. CERTO

284 2. (Cespe/MDIC) O conjunto de documentos mantidos sob a guarda de um arquivo é denominado acervo.

285 CERTO

286 3. (Cespe/FUNDAC-PB) Um arquivo tem como função principal tornar disponível as informações contidas no acervo documental.

287 CERTO

288 4. (Cespe/SECAD-TO) A principal finalidade dos arquivos é servir à administração, constituindo-se, com o decorrer do tempo, em base para o conhecimento da história.

289 CERTO

290 5. (Cespe/MPE/RR) Uma coleção de manuscritos históricos reunidos por uma pessoa pode ser considerada arquivo.

291 ERRADO

292 6. (Cespe/MPE/RR) O arquivo é produzido com objetivos culturais.

293 ERRADO

294 7. (Cespe/MPE/RR) Os documentos nos arquivos existem em numerosos exemplares.

295 ERRADO

296 8. (Cespe/MPE/RR) Um arquivo é formado por documentos produzidos e/ou recebidos a partir das atividades desenvolvidas por uma instituição pública ou privada.

297 CERTO

298 9. (Cespe/MPE/RR) Os documentos de um arquivo são colecionados de fontes diversas, adquiridos por compra ou doação.

299 ERRADO

300 10. (Cespe/MPE/AM) As coleções de documentos de outras instituições adquiridas por órgãos públicos, por instituições de caráter público e por entidades privadas são consideradas arquivo.

301 ERRADO

302 11. (Cespe/TJDFT) Quanto à natureza dos documentos, denomina-se arquivo especial o tipo de arquivo que guarda documentos com formas físicas variadas e que necessitam de armazenamento, registro, acondicionamento e conservação sob condições especiais.

303 CERTO

304 12. (Cespe/DFTrans) A unidade de arquivo destinada a receber documentos do arquivo corrente de diversas unidades vinculadas à mesma instituição é classificada como arquivo setorial.

305 ERRADO

306 13. (Cespe/Pref. Mun. Vitória-ES) Os arquivos correntes podem ser sistematizados de maneira centralizada ou descentralizada.

307 CERTO

308 14. (Cespe/Pref. Mun. Vitória-ES) Os documentos do gênero iconográfico são aqueles que contêm imagens estáticas.

309 CERTO

310 15. (Cespe/TSE) Prevalece, na fase corrente, o valor secundário dos documentos, pela importância administrativa que eles têm.

311 ERRADO

312 16. (Cespe/Pref. Rio Branco-AC) Os documentos que não possuem valor primário, mesmo que tenham valor secundário, podem ser eliminados.

313 ERRADO

314 17. (Cespe/TSE/Analista Judiciário) Em relação aos arquivos correntes, é correto afirmar que os documentos têm valor secundário.

315 ERRADO

316 18. (Cespe/INPI) No arquivo permanente são mantidos os documentos que perderam seu valor de natureza administrativa e histórica.

317 ERRADO

318 19. (Cespe/MI) A tabela de temporalidade é um instrumento de destinação que determina prazos de guarda e de destinação final para os documentos de arquivo.

319 CERTO

320 20. (Cespe/MI) Todos os documentos produzidos ou recebidos pelo órgão público devem ser registrados pelo protocolo, inclusive os confidenciais e os particulares.

321 ERRADO

322 21. De acordo com a sua função, as guias podem ser classificadas de primária, secundária, subsidiária e especial. O que irá indicar a classificação da guia é sua: a) Notação. b) Posição. c) Projeção. d) Avaliação. e) Situação.

323 21. De acordo com a sua função, as guias podem ser classificadas de primária, secundária, subsidiária e especial. O que irá indicar a classificação da guia é sua: a) Notação. b) Posição. c) Projeção. d) Avaliação. e) Situação.

324 22. Acerca do método de arquivamento variadex, assinale a opção incorreta: a) É um método padronizado. b) Trabalha com 5 cores distintas. c) É um excelente auxiliar mneumônico. d) As cores são cambiáveis em função de nossas necessidades. e) Tal método é variante do numérico.

325 22. Acerca do método de arquivamento variadex, assinale a opção incorreta: a) É um método padronizado. b) Trabalha com 5 cores distintas. c) É um excelente auxiliar mneumônico. d) As cores são cambiáveis em função de nossas necessidades. e) Tal método é variante do numérico.

326 23. Disco flexível (disquete) e disco rígido (winchester) são exemplos de suporte: a) Informático. b) Sonoro. c) Micrográfico. d) Iconográfico.

327 23. Disco flexível (disquete) e disco rígido (winchester) são exemplos de suporte: a) Informático. b) Sonoro. c) Micrográfico. d) Iconográfico.

328 24. O arquivamento é composto de uma sequência de etapas, exceto: a) Arquivamento. b) Análise. c) Inspeção. d) Restauração. e) Ordenação.

329 24. O arquivamento é composto de uma sequência de etapas, exceto: a) Arquivamento. b) Análise. c) Inspeção. d) Restauração. e) Ordenação.

330 25. São considerados acessórios de um arquivo: a) Fichas. b) Follow-up. c) Arquivo de aço. d) Arquivos deslizantes.

331 25. São considerados acessórios de um arquivo: a) Fichas. b) Follow-up. c) Arquivo de aço. d) Arquivos deslizantes.

332 26. Podemos associar a documentos de arquivo, exceto: a) Acumulação. b) Produção. c) Unidades isoladas. d) Recepção. e) Conjunto.

333 26. Podemos associar a documentos de arquivo, exceto: a) Acumulação. b) Produção. c) Unidades isoladas. d) Recepção. e) Conjunto.

334 27. Entre as opções abaixo, assinale aquela que não é considerada um instrumento de pesquisa: a) Catálogo. b) Inventário. c) Catálogo seletivo. d) Lista de eliminação. e) Repertório.

335 27. Entre as opções abaixo, assinale aquela que não é considerada um instrumento de pesquisa: a) Catálogo. b) Inventário. c) Catálogo seletivo. d) Lista de eliminação. e) Repertório.

336 28. O termo salvaguarda está ligado a que tipo de documento? a) Ostensivo. b) Sigiloso. c) Especializado. d) Ordinário. e) Técnico.

337 28. O termo salvaguarda está ligado a que tipo de documento? a) Ostensivo. b) Sigiloso. c) Especializado. d) Ordinário. e) Técnico.

338 29. São objetivos da avaliação, exceto: a) Redução do espaço físico. b) Redução da massa documental dos arquivos. c) Rapidez na recuperação da informação. d) Melhor aproveitamento dos recursos humanos e materiais. e) Preservar a documentação de valor permanente.

339 29. São objetivos da avaliação, exceto: a) Redução do espaço físico. b) Redução da massa documental dos arquivos. c) Rapidez na recuperação da informação. d) Melhor aproveitamento dos recursos humanos e materiais. e) Preservar a documentação de valor permanente.

340 30. Os arquivos têm formação progressiva, natural e orgânica. Tal afirmação refere-se ao princípio do(a): a) Cumulatividade. b) Unicidade. c) Respeito à ordem original. d) Proveniência. e) Respeito aos fundos.

341 30. Os arquivos têm formação progressiva, natural e orgânica. Tal afirmação refere-se ao princípio do(a): a) Cumulatividade. b) Unicidade. c) Respeito à ordem original. d) Proveniência. e) Respeito aos fundos.

342 O arquivo é a guarda sistemática de informações que servirão de base para pesquisas futuras. A esse respeito, julgue os itens que se seguem. O arquivo é a guarda sistemática de informações que servirão de base para pesquisas futuras. A esse respeito, julgue os itens que se seguem.

343 1. Os arquivos recebem várias classificações conforme o estágio, a fase de evolução ou a idade dos documentos sob sua guarda. No caso de documentos consultados frequentemente, a guarda deve estar sob responsabilidade do arquivo intermediário.

344 1. Os arquivos recebem várias classificações conforme o estágio, a fase de evolução ou a idade dos documentos sob sua guarda. No caso de documentos consultados frequentemente, a guarda deve estar sob responsabilidade do arquivo intermediário. ERRADO

345 2. A descentralização dos serviços de arquivo caracteriza-se pela manutenção, em mais de uma unidade organizacional, das atividades de guarda de documentos, de controle, de coordenação, de orientação e normativas. 2. A descentralização dos serviços de arquivo caracteriza-se pela manutenção, em mais de uma unidade organizacional, das atividades de guarda de documentos, de controle, de coordenação, de orientação e normativas.

346 2. A descentralização dos serviços de arquivo caracteriza-se pela manutenção, em mais de uma unidade organizacional, das atividades de guarda de documentos, de controle, de coordenação, de orientação e normativas. CERTO

347 3. Quanto à natureza dos documentos, denomina- se arquivo especial o tipo de arquivo que guarda documentos com formas físicas variadas e que necessitam de armazenamento, registro, acondicionamento e conservação sob condições especiais.

348 3. Quanto à natureza dos documentos, denomina- se arquivo especial o tipo de arquivo que guarda documentos com formas físicas variadas e que necessitam de armazenamento, registro, acondicionamento e conservação sob condições especiais. CERTO

349 4. Para a correta conservação do acervo documental em papel, a unidade de guarda dos documentos deve ser instalada em ambiente sem luz solar direta e isento de umidade.

350 4. Para a correta conservação do acervo documental em papel, a unidade de guarda dos documentos deve ser instalada em ambiente sem luz solar direta e isento de umidade. CERTO

351 5. Reservado, confidencial, secreto e ultra- secreto são graus de sigilo aplicados a documentos que necessitam de medidas de guarda e divulgação.

352 5. Reservado, confidencial, secreto e ultra- secreto são graus de sigilo aplicados a documentos que necessitam de medidas de guarda e divulgação. CERTO

353 6. Com base nas regras de alfabetação, os nomes a seguir estão corretamente apresentados. Araújo, José Cardoso da Silva (Desembargador) Barbosa Neto, Pedro Paulo Fundação Getúlio Vargas Lao Xing Xiang Vale Verde, Ricardo Pereira do

354 6. Com base nas regras de alfabetação, os nomes a seguir estão corretamente apresentados. Araújo, José Cardoso da Silva (Desembargador) Barbosa Neto, Pedro Paulo Fundação Getúlio Vargas Lao Xing Xiang Vale Verde, Ricardo Pereira do CERTO

355 Considere que, em cada um dos itens de 08 a 10, é apresentada uma lista com nomes de autores de documentos a serem arquivadas. Considerando as regras de alfabetação para arquivamento de documentos cujo principal elemento seja o nome, julgue se a lista apresentada em cada um desses itens respeita a aplicação correta das referidas regras. Considere que, em cada um dos itens de 08 a 10, é apresentada uma lista com nomes de autores de documentos a serem arquivadas. Considerando as regras de alfabetação para arquivamento de documentos cujo principal elemento seja o nome, julgue se a lista apresentada em cada um desses itens respeita a aplicação correta das referidas regras.

356 8. Júnior, Thiago Pereira de Moura Lima, Pedro Augusto Morais Neto, Alfonso Henrique Bernardes Oliveira, Manoel Carlos de Ribeiro, Gustavo Silva

357 8. Júnior, Thiago Pereira de Moura Lima, Pedro Augusto Morais Neto, Alfonso Henrique Bernardes Oliveira, Manoel Carlos de Ribeiro, Gustavo Silva ERRADO

358 9. Alencastro, Marcelo Pereira d Brito, Pedro Paulo de Castelo Branco, Antônio Barbosa Moreira, Artur de Azevedo São Tiago, Vicente de Paula de

359 9. Alencastro, Marcelo Pereira d Brito, Pedro Paulo de Castelo Branco, Antônio Barbosa Moreira, Artur de Azevedo São Tiago, Vicente de Paula de CERTO

360 10. Bernardes, Ministro Marcus Afonsus Fagundes, Demóstenes Farias Fagundes, Desembargador Carlos Tadeu Hansen, Pedro Henrique de Almeida Queiroz, Juiz Amadeu Antônio de Souza

361 10. Bernardes, Ministro Marcus Afonsus Fagundes, Demóstenes Farias Fagundes, Desembargador Carlos Tadeu Hansen, Pedro Henrique de Almeida Queiroz, Juiz Amadeu Antônio de Souza ERRADO

362 Acerca das técnicas de arquivamento e protocolo, julgue os itens seguintes. Acerca das técnicas de arquivamento e protocolo, julgue os itens seguintes.

363 11. Na expedição e tramitação de documentos sigilosos, a unidade de arquivo e protocolo deve observar o acondicionamento desses documentos em envelopes duplos e indicar o grau de sigilo no envelope externo.

364 11. Na expedição e tramitação de documentos sigilosos, a unidade de arquivo e protocolo deve observar o acondicionamento desses documentos em envelopes duplos e indicar o grau de sigilo no envelope externo. ERRADO

365 12. Desclassificação é o fato pelo qual a autoridade competente estabelece o grau de sigilo de determinado documento. 12. Desclassificação é o fato pelo qual a autoridade competente estabelece o grau de sigilo de determinado documento.

366 12. Desclassificação é o fato pelo qual a autoridade competente estabelece o grau de sigilo de determinado documento. ERRADO

367 A avaliação documental é uma função típica adotada mundialmente no tratamento técnico de acervos arquivísticos. Em relação a essa função, julgue os itens que se seguem. A avaliação documental é uma função típica adotada mundialmente no tratamento técnico de acervos arquivísticos. Em relação a essa função, julgue os itens que se seguem.


Carregar ppt "EXERCÍCIOS Capítulo 1 Conceitos Fundamentais 1. (TJ/MA/2005 – ESAG) A guarda de documentos em mobiliário ou equipamentos próprios em área que lhes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google