A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profa. Graça Porto Química Professora: Graça Porto Quibio WWW.. COM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profa. Graça Porto Química Professora: Graça Porto Quibio WWW.. COM."— Transcrição da apresentação:

1

2 Profa. Graça Porto Química Professora: Graça Porto Quibio COM

3 Profa. Graça Porto O Que é Química? Química é uma Ciência Experimental que estuda a estrutura, composição e a transformação da matéria. Profa. Graça Porto

4 O Método Científico LEIS EXPERIMENTAIS TEORIAS & MODELOS HIPÓTESES OBSERVAÇÕES EXPERIÊNCIAS CIÊNCIA: é o conjunto de atividades que visam observar, experimentar, explicar e relacionar os fenômenos da natureza, criando leis, teorias e modelos cada vez mais gerais, que nos permitam prever e controlar os fenômenos futuros. Tecnologia: é a ciência aplicada Profa. Graça Porto

5 ESTRUTURA DA MATÉRIA A matéria é formada por moléculas, que por sua vez são formadas por partículas minúsculas chamadas de átomos. Profa. Graça Porto

6 Elementos Químicos Átomos NomeSímboloNatureza FerroFeFe 3 O 4 CálcioCaCaCO 3 PrataAg (Argentum)Ag OxigênioOO2O2

7 Profa. Graça Porto Átomos & Moléculas H + H H H H H H + H + O O Átomos Moléculas

8 Profa. Graça Porto SimplesComposta Substância Pura HomogêneaHeterogênea Mistura Sistemas Materiais

9 Profa. Graça Porto Substâncias Puras SIMPLES COMPOSTA

10 Profa. Graça Porto MISTURAS HETEROGÊNEAHOMOGÊNEA solução ÁGUA + AREIAAR

11 Profa. Graça Porto CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA SISTEMAS HOMOGÊNEOS SISTEMAS HETEROGÊNEOS SUBSTÂNCIAS PURAS MISTURAS DE UMA FASE MISTURAS DE MAIS DE UMA FASE SUBSTÂNCIAS EM MUDANÇA DE ESTADO

12 Profa. Graça Porto OUTROS CONCEITOS ATOMICIDADE VARIEDADE ALOTRÓPICA FENÔMENOS (Transformações): QUÍMICOS E FÍSICOS

13 Profa. Graça Porto ATOMICIDADE AtomicidadeSubstâncias MonoatômicaHe, Ne, Ar, Kr DiatômicaH 2, N 2, HCl, CO TetratômicaP 4 (fósforo branco) IndeterminadaP (verm), C (graf), metais Atomicidade se refere ao número de átomos que compõem uma substância

14 Profa. Graça Porto VARIEDADE ALOTRÓPICA C (grafite) C (diamante) estrutura amorfa estrutura cristalina Variação na arrumação dos átomos Variação na atomicidade O 2 (Oxigênio) O 3 (Ozônio)

15 Profa. Graça Porto FENÔMENO QUÍMICO Combustão do álcool etílico H 3 C- CH 2 - OH + 3O 2 2CO 2 + 3H 2 O Reagentes Produtos O fenômeno químico transforma a natureza íntima da matéria.

16 Profa. Graça Porto FENÔMENO FÍSICO SÓLIDO LÍQUIDO GASOSO SUBLIMAÇÃO FUSÃO CONDENSAÇÃO VAPORIZAÇÃO SOLIDIFICAÇÃO Estados físicos da matéria O fenômeno físico não altera a natureza da matéria

17 Profa. Graça Porto EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1.Considere os sistemas a seguir, em que os átomos são representados por esferas: Determine onde encontramos: a) Substância pura; b) Mistura; c) Somente substância simples; d) Somente substância composta. Considere apenas o sistema III, determine: a) O número de átomos presentes; b) O número de elementos químicos; c) O número de moléculas; d) O número de substâncias; e) O número de substâncias binárias; f) O número de substâncias diatômicas. I II III IV

18 Profa. Graça Porto 2. Considere o sistema representado abaixo. Pode-se descrever o sistema em questão como constituido por: a)Três fases e um componente. b)Duas fases e dois componentes. c)Três fases e dois componentes. d)Três fases e três componentes.

19 Profa. Graça Porto 3. Os diferentes tipos de matéria podem ser classificados em dois grupos: Substâncias puras e misturas. As substâncias puras podem ser simples e compostas. Considerando esse modo de classificação, pode-se afirmar: (01) O ar atmosférico é uma substância pura. (02) A água é uma substância simples. (04) O sangue é uma mistura. (08) Uma solução de açúcar é uma mistura (16) O oxigênio e o ozônio são substâncias distintas, embora constituídas por átomos de um mesmo elemento. (32) A matéria que contém três tipos de moléculas é uma substância composta. (64) A matéria que contém apenas um tipo de molécula é uma substância simples, mesmo que cada molécula seja formada por dois átomos diferentes.

20 Profa. Graça Porto 4. Observe os seguintes fatos: I – Uma pedra de naftalina deixada no armário. II – Uma vasilha com água deixada no freezer. III – Uma vasilha com água deixada no fogo. IV – O derretimento de um pedaço de chumbo quando aquecido. Nestes fatos estão relacionados corretamente os seguintes fenômenos: a) I – sublimação, II – solidificação, III – vaporização, IV – fusão. b) I – sublimação, II – solidificação, III – fusão, IV –vaporização. c) I – fusão, II – sublimação, III –vaporização, IV – solidificação. d) I – vaporização, II- solidificação, III – fusão, IV – sublimação. e) I – vaporização, II – sublimação, II –fusão, IV – solidificação.

21 Profa. Graça Porto 5. Qual dos fenômenos a seguir não envolve reações químicas? a)Fusão de gelo. b)Digestão de alimentos. c)Combustão. d)Queima de vela. e)Explosão de dinamite.

22 Profa. Graça Porto PROPRIEDADES DA MATÉRIA PROPRIEDADES GERAIS PROPRIEDADES FUNCIONAIS PROPRIEDADES ESPECÍFICAS:

23 Profa. Graça Porto PROPRIEDADES GERAIS Massa Volume Inércia impenetrabilidade Dureza As propriedades gerais são comuns a todos os materiais.

24 Profa. Graça Porto PROPRIEDADES FUNCIONAIS Hidrocarbonetos são inflamáveis. Os ácidos têm sabor azedo. Os sais fundidos conduzem corrente elétrica. As propriedades funcionais são aquelas apresentadas por um grupo de substâncias, chamado função química.

25 Profa. Graça Porto PROPRIEDADES ESPECÍFICAS Ponto de Fusão / Solidificação Ponto de Ebulição / Liquefação Densidade ou Massa Específica Coeficiente de Solubilidade As propriedades específicas caracterizam cada tipo de substância.

26 Profa. Graça Porto Ponto de Fusão / Solidificação Ponto de Fusão é a temperatura em que uma substância muda do estado sólido para o estado líquido. Ponto de Solidificação corresponde ao processo inverso, embora as temperaturas sejam equivalentes. Obs. O PF e o PS são obtidos em uma dada pressão, quando esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica

27 Profa. Graça Porto Ponto de Ebulição / Liquefação Ponto de Ebulição é a temperatura em que uma substância muda do estado líquido para o estado gasoso. Ponto de liquefação corresponde ao processo inverso, embora as temperaturas sejam equivalentes. Obs. O PE e o PL são obtidos em uma dada pressão, quando esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica

28 Profa. Graça Porto Curva de Aquecimento da água S L L e G G T°C tempo S e L

29 Profa. Graça Porto Curva de Resfriamento da água S L L e G G T°C tempo S e L

30 Profa. Graça Porto Curvas de Misturas Comuns AquecimentoResfriamento

31 Profa. Graça Porto Curvas de Misturas Eutéticas Resfriamento PS Aquecimento PF

32 Profa. Graça Porto Curvas de Misturas Azeotrópicas Aquecimento PE Resfriamento PL

33 Profa. Graça Porto Influência da Pressão Quanto maior a pressão maior o Ponto de Ebulição P T >T >P

34 Profa. Graça Porto Influência da Altitude Quanto maior a Altitude menor o Ponto de Ebulição > A < P < T A P T

35 Profa. Graça Porto Densidade Densidade é a relação da massa pelo volume de uma substância a uma dada Temperatura e Pressão: d = m / V

36 Profa. Graça Porto Influência da Temperatura T V1V1 >T V2V2 > T > V < densidade

37 Profa. Graça Porto > P < V > densidade Influência da Pressão P >P

38 Profa. Graça Porto A DENSIDADE é maior quanto maior o estado de agregação da matéria Influência do Estado Físico da Substância sólido > líquido > gasoso Aumento do volume

39 Profa. Graça Porto Exceções a Regra Água líquida é mais densa que o gelo. Prata, Ferro e Bismuto, todos diminuem de volume quando fundidos, portanto fase líquida mais densa.

40 Profa. Graça Porto Transformação de Unidades T Kg g mg X 10 3 X 10 3 X 10 3 KL L mL µL X 10 3 X 10 3 X 10 3 m 3 dm 3 cm 3 mm 3 Unidade de massa Unidade de Volume

41 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: 1)Dada a tabela: PFPE Clorofórmio– 63°C61°C Fenol 43°C182°C Cloro– 101°C– 34,5°C Determine o estado físico de cada substância nas condições ambientes ( 25°C e 1 atm). Clorofórmio Fenol Cloro

42 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: 2) Com relação ao gráfico, indique as proposições verdadeiras: (01) O gráfico representa o aquecimento de substância pura. (02) O ponto de fusão da substância é 85°C. (04) O ponto de solidificação da substância é 20°C. (08) Na temperatura ambiente (25°C) a substância é sólida. (16) Entre 35 e 50 minutos (intervalo DE) a substância forma um sistema bifásico. (32) Se o gráfico dado mostrasse apenas o intervalo AD, referente ao aquecimento de um sólido, nada poderíamos afirmar sobre a pureza do mesmo tempo (min) T°C

43 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: tempo (min) T1T1 B T°C T2T2 A (01) Se a amostra A e B forem idênticas, então a pressão é diferente para cada experiência. (02) Se a pressão é a mesma, então A e B poderão ser amostras idênticas em quantidades diferentes. (04) A e B são substâncias puras. (08) A e B podem ser misturas. (16) Se A e B são amostras idênticas, A foi realizada numa pressão maior que B. (32) Se A e B são amostras idênticas, A foi realizada numa altitude menor que B. (64) B pode ser uma substância pura e A, ser uma mistura azeotrópica. 3) O gráfico está representando a ebulição de duas amostras, iguais ou diferentes, em experiências distintas realizadas cada uma a pressão constante. As quais foram realizadas em sistemas abertos.

44 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: 4) Responda a essa questão considerando três frascos contendo massas iguais de líquidos diferentes, A, B e C, cujos valores de densidade em g/mL são respectivamente: 0,8; 1,0; 1,2. I II III A alternativa que indica cada frasco com seu respectivo líquido é: a)I – A, II – B, III – C. b)I – A, II – C, III – B. c)I – B, II – C, III – A. d)I – B, II – A, III – C. e)I – C, II – B, III – A.

45 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: 5) (UFMG) As figuras abaixo representam densímetros como os usados em postos de gasolina. O primeiro contém etanol puro (d = 0,8g/cm 3 ). Dos dois restantes, um está cheio de etanol e água e o outro gasolina (d = 0,7g/cm 3 ), não estão necessariamente nessa ordem. Com base nessas informações, pode-se afirmar corretamente que: a)A densidade da bola preta é maior que 1g/cm 3 b)A densidade da bola branca é menor que 0,8 g/cm 3. c)A mistura no densímetro II, tem densidade menor que 0,8g/cm 3. d)A mistura no densímetro III, contém água. e)As duas bolas apresentam densidade menores que 0,7g/cm 3. I II III

46 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: 6) Uma torneira defeituosa goteja a cada 36 segundos. Sabendo-se que cada gota de água pesa 0,25g, quanto tempo levará para encher uma lata de 0,01 m3 m3 ?

47 Profa. Graça Porto Coeficiente de Solubilidade - CS Em geral é considerada como sendo a massa em gramas possível de ser solubilizada em 100 g de água, em uma dada Temperatura e pressão. Obs. Quando a temperatura / pressão não são indicadas, considera-se a temperatura de 25°C e pressão de 1 atm.

48 Profa. Graça Porto 1L de água a 0°C 357 g de NaCl SOLUÇÕES Misturas Homogêneas CS do NaCl a 0°C = 35,7 g / 100g de H 2 O CS do NaCl a 25°C = 42,0 g / 100g de H 2 O 200 g de NaCl400 g de NaCl SaturadaSaturada com corpo de fundo insaturada

49 Profa. Graça Porto SOLUÇÃO SUPERSATURADA 1L de água a 0°C 1L de água a 25°C 1L de água a 0°C 400 g de NaCl Supersaturada A concentração na solução final está acima do CS do NaCl a 0°C.

50 Profa. Graça Porto CURVAS DE SOLUBILIDADE CS (g/100g de água) Comportamento normal Comportamento anormal CS 1 T1T1 T°C

51 Profa. Graça Porto Exercícios de fixação: 1)A 18°C a solubilidade de uma substância X é de 60g/100mL de água. Nessa temperatura 150g de X foram misturados em 200mL de água. O sistema obtido é: a) Heterogêneo com uma fase. b) Homogêneo com duas fases. c) Uma solução aquosa com corpo de fundo. d) Heterogêneo com três substâncias. e) Apenas uma solução aquosa.

52 Profa. Graça Porto 2) 160g de uma solução saturada de sacarose (C 12 H 22 O 11 ) a 30°C é resfriada a 0°C. Qual a massa de açúcar cristalizada? Dados: Temperatura °C CS da sacarose (g/ 100g de água) 0°180 30°220 Exercícios de fixação:

53 Profa. Graça Porto Para responder às questões 3) e 4) considere o gráfico e as informações apresentadas: CS do KNO 3 (g/100g de água) Temperatura °C °C Solução aquosa de KNO 3 100g de KNO 3 100g de água Exercícios de fixação:

54 Profa. Graça Porto 3) Essa mistura heterogênea, inicialmente a 20°C, é aquecida até 60°C. Dessa forma: a) A solução aquosa torna-se insaturada. b) A solução aquosa torna-se saturada e restam 5g de corpo de fundo. c) A solução aquosa continua saturada, sem corpo de fundo. d) A solução aquosa continua saturada e restam 20g de corpo de fundo. e) A massa de KNO 3 dissolvida triplica. Exercícios de fixação:

55 Profa. Graça Porto 4) Uma maneira conveniente para se recuperar todo o KNO 3 do sistema e obter o sal sólido e puro é: a) Evaporar toda água, por aquecimento. b) Agitar a mistura e depois filtrá-la. c) Decantar a solução sobrenadante. d) Resfriar a mistura a 0°C. e) Aquecer a mistura a 40°C Exercícios de fixação:

56 Profa. Graça Porto Definição: processos de separação de uma mistura nos seus constituintes. Classificação dos processos: Mecânicos: separações que não envolvem transformações físicas ou químicas. Físicos: processos que envolvem mudanças de estados físicos das substâncias. Normalmente indicados nas separações de misturas homogêneas. ANÁLISE IMEDIATA

57 Profa. Graça Porto Misturas Heterogêneas: Sólido/sólido Sólido/líquido Sólido/gás Líquido/líquido Misturas Homogêneas: sólido/sólido sólido/líquido líquido/líquido líquido/gás gás/gás ANÁLISE IMEDIATA

58 Profa. Graça Porto Sistemas Sólido/sólido: Catação Peneiração ou Tamisação Ventilação Levigação Separação Magnética Dissolução Fracionada Flotação Fusão Fracionada Separação de Misturas Heterogêneas

59 Profa. Graça Porto Sistemas Sólido/líquido: Filtração Decantação Centrifugação Cristalização Fracionada Sistemas Sólido/gás: Filtração Decantação Câmara de Poeira Separação de Misturas Heterogêneas Sistemas Líquido/líquido: Decantação

60 Profa. Graça Porto Separação de Misturas Homogêneas Sistemas Sólido/sólido: Fusão Fracionada Sistemas Sólido/líquido: Evaporação Destilação Simples Sistemas Líquido/líquido: Destilação Fracionada Sistemas Líquido/gás: Aquecimento Despressurização Sistemas gás/gás: Liquefação Fracionada

61 Profa. Graça Porto Materiais comuns de Laboratório Tubo de Ensaio Béquer Erlenmeyer Balão de Fundo Chato Balão Volumétrico Balão de Destilação Condensador Funil de Decantação Funil de Filtração Funil Liso Funil de Büchner Kitassato Proveta Pipeta Volumétrica Pipeta Graduada

62 Profa. Graça Porto Materiais comuns de Laboratório Bureta Dessecador Vidro de Relógio Almofariz e Pistilo Cápsula de Evaporação Cadinho de Porcelana Cadinho de Platina Piscete Espátula Suporte de Ferro Garras Tripé de Ferro Tela de Amianto Bastão de Vidro Frasco de Reagente


Carregar ppt "Profa. Graça Porto Química Professora: Graça Porto Quibio WWW.. COM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google