A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORÇAMENTO EMPRESARIAL

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORÇAMENTO EMPRESARIAL"— Transcrição da apresentação:

1 ORÇAMENTO EMPRESARIAL
Prof. Leopoldino

2 OBJETIVOS DE APRENDIZADO
Ao final dessa disciplina, o aluno deve estar apto a: Identificar e compreender a importância do Orçamento para a tomada de decisão Identificar, calcular e compreender os Orçamentos Estático e Flexível e suas respectivas variações mediante comentários críticos Identificar a importância do Planejamento e Controle Resultados para a tomada de decisão Elaborar e compreender todas as fases de um Orçamento Empresarial Integrado Industrial

3 REFERÊNCIAS PARA ESTUDO
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2000. HORNGREN, Charles T. , FOSTER, George , DATAR, Srikant M. Contabilidade de Custos. 9ª ed. Rio de Janeiro: LTC, HORNGREN, Charles T. Introdução à Contabilidade Gerencial. 5ª ed. Rio de Janeiro: PHB, 1985. WELSCH, Glenn A. Orçamento Empresarial. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 1996. Estudos de Casos Exercícios e exemplos trabalhados durante o Curso Material Instrucional: slides/transparências Seus apontamentos de sala de aula

4 ORÇAMENTO ORÇAMENTO  Planejamento e Controle
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS ADMINISTRADORES ou das áreas sob a sua responsabilidade Projeções operacionais e financeiras, constituindo um dos principais componentes de controle gerencial “ Poucos planos empresariais fracassam, mas muitos dos que fracassam, falharam por falta de planejamento.” Eliseu Martins

5 ORÇAMENTO Conceito É a expressão quantitativa de um plano de ação futuro da administração para um determinado período. Pode-se abranger aspectos financeiros e não-financeiros desses planos e funciona como um projeto para a empresa seguir no período vindouro É uma atividade econômico-financeira que parte da determinação e da análise dos eventos relevantes do passado e das condições empresariais presentes, para realizar uma projeção das responsabilidades futuras de desempenho da empresa como um todo

6 ORÇAMENTO Ciclo Orçamentário
Planejamento do Desempenho  Metas a serem alcançadas Determinação de um padrão (referência) para realização da análise REAL x ORÇADO Análise das variações dos planos, seguida, se necessário, das respectivas ações corretivas Replanejamento, levando em consideração o feedback e a mudança das condições

7 ORÇAMENTO Orçamento Empresarial Vantagens do Orçamento
Impelem ao planejamento, incluindo a implementação de planos Fornecem critérios de desempenho Promovem a comunicação e a coordenação dentro da organização Planejamento Curto Prazo Orçamento Curto Prazo ANÁLISE ESTRATÉGICA Planejamento Longo Prazo Orçamento Longo Prazo

8 ORÇAMENTO Orçamento Empresarial
Coordenação  É o entrosamento e o balanceamento de todos os fatores de produção ou serviço de todos os departamentos e unidades de negócio, de modo que a empresa possa atingir seus objetivos Comunicação  É tornar esses objetivos compreendidos e aceitos por todos Orçamento Contínuo  É aquele que está sempre disponível para um período futuro especificado, pela adição de um mês, trimestre ou ano, à medida que esse período se encerra

9 ORÇAMENTO Orçamento Empresarial
Um programa amplo de Planejamento e Controle de Resultados na indústria envolve os seguintes elementos: Avaliação do efeito em potencial de todas as variáveis relevantes para a empresa Especificação dos objetivos gerais da empresa pela administração Estabelecimento de objetivos específicos para a empresa Formulação e avaliação das estratégias da empresa Preparação das premissas de planejamento Preparação e avaliação dos planos de projetos Preparação e aprovação de um plano de resultados a longo prazo Preparação e aprovação de um plano de resultados a curto prazo Realização de análises suplementares Execução de planos Elaboração, disseminação e utilização de relatórios de desempenho Implantação de medidas de acompanhamento.

10 COMPONENTES DO ORÇAMENTO GERAL
Orçamento Empresarial ORÇAMENTO COMPONENTES DO ORÇAMENTO GERAL

11 ORÇAMENTO Orçamento Empresarial
Etapas para Elaboração de Orçamento Operacional / Financeiro: Orçamento de Receita Orçamento de Produção Orçamento do Uso e da Aquisição de Materiais Orçamento de Mão-de-Obra Direta Orçamento dos Custos Indiretos de Fabricação Orçamento do Estoque Final Orçamento do Custos dos Produtos Vendidos Orçamento das Despesas Orçamento da Demonstração de Resultado do Exercício Orçamento de Caixa (Disponibilidades) Orçamento do Balanço Patrimonial

12 Orçamento Empresarial

13 FUNÇÃO ADMINISTRATIVA DA EMPRESA
PLANEJAMENTO GESTÃO EMPRESARIAL ORGANIZAÇÃO CONTROLE COORDENAÇÃO COMANDO

14 A FUNÇÃO PLANEJAMENTO “O planejamento consiste em estabelecer com antecedência as ações a serem executadas dentro de cenários e condições preestabelecidos, estimando os recursos a serem utilizados e atribuindo as responsabilidades, para atingir os objetivos fixados” (HOJI, 2000, p. 359)

15 PLANEJAMENTO FINANCEIRO
“é o processo de estimar a quantia necessária de financiamento para continuar as operações de uma companhia e de decidir quando e como a necessidade de fundos seria financiada.” (Groppelli & Nikbakht)

16 Finalidade do Planejamento Financeiro:
Desenvolver processos, mecanismos e atitudes que tornem possível: Avaliar as implicações futuras de decisões presentes, em função dos objetivos da organização; A tomada de decisões no futuro, de modo mais rápido e eficiente.

17 Premissas para o Planejamento Financeiro
Fixação de objetivos gerais da empresa (estratégicos). Determinação dos objetivos de cada setor da empresa, em função dos objetivos gerais (ou estratégicos). Estabelecimento de um sistema de informações, que permita avaliar a execução dos planos em confronto com as previsões.

18 NÍVEIS DE DECISÃO E TIPOS DE PLANEJAMENTO
Estratégico Decisões Estratégicas ESTRATÉGICO Decisões Táticas Planejamento Tático TÁTICO Decisões Operacionais Planejamento Operacional OPERACIONAL

19 EXEMPLOS DOS TIPOS DE PLANEJAMENTO
NÍVEL T I P O Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Tático Planejamento De Mercado Financeiro De Produção RH. Organizac. Operacional Plano de lançamento de novos produtos Plano de promoção Plano de vendas Plano de Pesquisas de Mercado Plano de investimento em AP Plano de Fluxo de Caixa Demonstrações Contábeis Projetadas Plano de capacidade de produção Plano de controle da qualidade Plano de estoques Plano de utilização da MOB. Plano de recrutamento e seleção Plano de treinamento Plano de cargos e sal. Plano de sucessões Plano de diretor de sistemas Plano de estrutura organizacional Plano de rotinas adm. Plano de informações gerenciais

20 Planejamento Financeiro de Longo Prazo (Estratégico):
Em geral, cobrem um período de 2 a 10 anos. Normalmente não são explícitos em números. Planos financeiros integrados ao processo de produção e marketing para orientar a empresa a alcançar seus objetivos estratégicos. Empresas que estão sujeitas a elevados graus de incerteza operacional adotam horizontes mais curtos (risco operacional).

21 Planejamento Financeiro de Curto Prazo:
Representa a expressão formal, em termos quantitativos, das metas empresariais para um período específico (normalmente 1 ano). Na prática é o Orçamento Empresarial, composto por: Orçamento de Vendas Orçamento de produção Orçamento dos custos de produção Orçamento das despesas operacionais Orçamento de investimentos Orçamento de caixa

22 Sistema Orçamentário (fonte: Sobanski, 1994, p.19)

23 SISTEMA ORÇAMENTÁRIO Definição de Moreira:
conjunto de planos e políticas que, formalmente estabelecidos em valores financeiros, permite à administração conhecer os resultados operacionais da empresa e executar os acompanhamentos para que esses resultados sejam alcançados e os possíveis desvios analisados, avaliados e corrigidos.

24 Vantagens do Sistema Orçamentário
Introduz o hábito do exame prévio e minucioso de informações antes da TD. Contribui para TD mais rápidas e acertadas (eficiência e efetividade). Estimula a participação de todos os membros da administração na fixação dos objetivos. Exige quantificação das previsões. Facilita a delegação de poderes. Exige informações contábeis confiáveis. Permite identificar áreas eficientes e deficientes. Permite a utilização eficaz dos recursos disponíveis.

25 Limitações do Sistema Orçamentário
Baseia-se em estimativas. Deve ser continuamente monitorado e adaptado às circunstâncias. Nem todas as empresas possuem recursos para implementar um sistema adequado. Atrasos na emissão dos dados comprometem as ações corretivas. As dificuldades de ajustes geram desconfianças em relação ao resultado projetado. É apenas uma ferramenta de apoio a decisão, não podendo tomar o lugar da administração.

26 FUNÇÃO CONTROLE Compreende a aferição do desempenho (em relação a um padrão) e a correção dos desvios que assegure a consecução de objetivos, de acordo com o plano da empresa.

27 ATIVIDADES DA FUNÇÃO CONTROLE
Medir o realizado Comparar o realizado com o planejado Analisar os desvios significativos Adotar medidas corretivas Avaliar a efetividade das providências tomadas Registrar essas informações, para aperfeiçoar o processo de planejamento.

28 SISTEMA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE
PLANO ESTRATÉGICO Componentes Físicos PLANO OPERACIONAL PLANEJAMENTO Componentes Financeiros ORÇAMENTO EXECUÇÃO RESULTADOS OBTIDOS CONTROLE ANÁLISE DOS DESVIOS MEDIDAS CORRETIVAS

29 Princípios Fundamentais do Planejamento e Controle Orçamentário
Orçamento Envolvimento administrativo. Adaptação organizacional. Orientação para objetivos. Comunicação integral. Expectativas realistas. Contabilidade por áreas de responsabilidade. Oportunidade. Aplicação flexível. Reconhecimento do esforço individual e do grupo. Acompanhamento.

30 Para Prever é necessário dados...
Dados externos: referem-se à economia Crescimento da população Comportamento do PIB (crescimento ou retração), Políticas econômicas Comércio com exterior Mercado concorrente (produtos substitutos) Mercado consumidor Dados internos: referem-se à empresa Informações contábeis Estatísticas internas Capacidade produtiva e produtividade Políticas de preços Perspectivas de investimentos internos

31 Os dados internos e externos...
Inseridos em modelos e técnicas de previsão proporcionam a possibilidade de previsão das vendas, da receita e da produção. A partir do nível de produção, estima-se os recursos necessários (gastos – despesas, custos, investimentos, desembolsos). Então pode-se projetar a variação do patrimônio da empresa.

32 Esquema GASTOS ENVOLVIDOS (recursos) MUTAÇÃO DADOS PATRIMONIAL
EXTERNOS MUTAÇÃO PATRIMONIAL NÍVEL DE PRODUÇÃO PREVISÃO DE VENDAS ATIVO PASSIVO PATRIM. LÍQUIDO DADOS INTERNOS TÉCNICAS DE PREVISÃO Quantitativas Qualitativas

33 ALGUMAS TÉCNICAS DE PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA
Quantitativas Média simples Média móvel (com ajuste de TxCxS) Regressão linear Qualitativas Pesquisa de Mercado Projeção de cenários Painel de consenso Brainstorming Analogia Teoria da catástrofe

34 Exemplo da Técnica de Regressão Linear
TAREFA: a partir de uma série temporal aleatória, de no mínimo 10 dados, desenhe a linha de tendência e a fórmula da reta de tendência. Utilize uma planilha eletrônica.

35 ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL
Orçamento Empresarial ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL Orçamento Estático  Também conhecido como Orçamento Geral, é aquele preparado apenas para um nível de atividade, como por exemplo, volume de vendas EFETIVO ORÇAMENTO ESTÁTICO VARIAÇÃO Unidades 7.000 9.000 2.000 D Vendas D Custos Variáveis ( ) ( ) F Margem de Contribuição 55.500 82.800 D Custos Fixos (70.300) (70.000) 300 D Lucro (Prej) Operacional (14.800) 12.800 D

36 ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL
Orçamento Empresarial ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL Orçamento Flexível  Também conhecido como Orçamento Variável, é aquele preparado não apenas para um nível de atividade e, sim, para uma faixa de atividade. Serve de base dinâmica de comparação porque são automaticamente relacionados com as variações de volume FÓRMULA DO ORÇAMENTO DIVERSOS NÍVEIS DE ATIVIDADE Unidades - 7.000 8.000 9.000 Vendas 24,00 Custos Variáveis 14,80 ( ) ( ) ( ) Margem de Contribuição 9,20 64.400 73.600 82.800 Custos Fixos (70.000) Lucro (Prej) Operacional (5.600) 3.600 12.800

37 ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL
Orçamento Empresarial ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL O método do Orçamento Flexível permite que se diga o seguinte: “Escolha qualquer nível de atividade, que eu farei um orçamento ajustado a este volume.” Variação de Comercialização (VC)  representa as variações em relação a uma meta de receita VC = MCu Orçada x ( unidades realmente vendidas – unidades previstas no Orçamento Geral)

38 ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL
Orçamento Empresarial ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL Efetivo Variação Orçam.Flex. Prod.Efetiva Comerc. Orçam. Estático Unidades 7.000 - 2.000 D 9.000 Vendas D Custos Variáveis ( ) 8.900 D ( ) ( F) ( ) Margem de Contribuição 55.500 64.400 D 82.800 Custos Fixos (70.300) 300 D (70.000) Lucro (Prej) Operac (14.800) 9.200 D (5.600) 12.800

39 ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL
Orçamento Empresarial ORÇAMENTOS ESTÁTICO E FLEXÍVEL Custo Real OF ajust.Vol.Real OF ajust.Vol.Pad. QR x PR QR x PP QP x PP Variação de Preço Variação de Eficiência Variação do Orçamento Flexível

40 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Orçamentos globais e para fins administrativos e Controle Orçamentário Definição  Enfoque sistemático e formal à execução das responsabilidades de planejamento, coordenação e controle da administração REALISMO, FLEXIBILIDADE e ATENÇÃO permanente às funções de planejamento e controle da administração Não representa uma técnica contábil, mas sim um sistema administrativo

41 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Dimensões Temporais Decisões afetam o futuro, como por exemplo, antecipação ou não de decisões emanadas por um Gerente de Vendas Decisões de última hora padecem de falta de estudos, análises, avaliações e consultas preliminares em termos adequados

42 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Dimensões Estruturais Centros de Responsabilidades (subunidades administrativas – Divisões, Departamentos, Fábricas ou Regiões) Centros de Custos  Gestor é responsável pelos Custos Centros de Lucros  Gestor é responsável pelos Lucros Centros de Investimentos  Gestor é responsável pelos Investimentos Centros de Receitas  Gestor é responsável pelas Receitas

43 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS ALTA ADMINISTRAÇÃO Estabelece objetivos gerais, hipóteses (premissas) de planejamento e diretrizes De acordo com as diretrizes globais, elabora o seu próprio segmento dos planos globais de resultados SUBUNIDADES O administrador de cada subunidade apresenta a sua proposta à ALTA ADMINISTRAÇÃO para análise crítica, avaliação e alterações, quando necessário Os planos aprovados de cada subunidade são consolidados em planos de resultados para toda a empresa

44 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Planejamento Estratégico
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Nível Decisorial Planejamento Estratégico Nível Intermediário Planos Táticos Nível Operacional Planos Operacionais

45 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SISTEMA DE PLANEJAMENTO PLANOS TÁTICOS PLANOS OPERACIONAIS ORÇAMENTO

46 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Aspectos Comportamentais A motivação dos funcionários combate às resistências na introdução do planejamento e controle de resultados Quebra de Paradigmas Orientação para objetivos Trabalho sobre pressão = administração eficaz ? Não confundir orçamento com exercício mecânico A importância do processo de comunicação no planejamento e controle de resultados

47 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Funções O planejamento é um processo contínuo e não uma atividade estacional Funções Administrativas Planejamento Organização Direção de pessoal Controle Coordenação

48 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Funções Operacionais Produção / Industrial Marketing Recursos Humanos Material Contábil Financeira

49 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS HIERARQUIA DE OBJETIVOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS HIERARQUIA DE OBJETIVOS OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS ESTRATÉGIA PLANEJAMENTO DETALHADO PLANOS FORMAIS DE RESULTADO

50 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Função de Controle envolve as seguintes atividades: Medidas de Desempenho em oposição aos objetivos, planos e padrões predeterminados Comunicação por meio de relatórios dos resultados do processo de mensuração aos indivíduos e grupos apropriados Análise das diferenças em relação aos objetivos, planos, políticas e padrões para determinar possíveis causas Consideração de alternativas de ação para corrigir as deficiências observadas Escolha e adoção da alternativa mais promissora Acompanhamento para se avaliar a eficácia da ação corretiva e feedback de informações ao processo de planejamento para melhorar os ciclos subseqüentes de planejamento e controle

51 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Análise do Ambiente Macroeconômico AMBIENTE EXTERNO AMBIENTE INTERNO

52 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Vantagens Desenvolvimento da sofisticação da administração em seu uso Elaboração de um plano (orçamento) realista de vendas Estabelecimento de objetivos e padrões realistas Comunicação adequada de atitudes, políticas e diretrizes pelos níveis administrativos superiores Obtenção de flexibilidade administrativa no uso do sistema Atualização do sistema de acordo com o dinamismo do meio em que a administração atua

53 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS
Orçamento Empresarial PLANEJAMENTO E CONTROLE DE RESULTADOS Limitações O plano de resultados baseia-se em estimativas A execução de um plano de resultados não é automática O plano de resultados não deve tomar o lugar da administração

54 RELATÓRIO DE DESEMPENHO PARA CONTROLE ADMINISTRATIVO
Orçamento Empresarial RELATÓRIO DE DESEMPENHO PARA CONTROLE ADMINISTRATIVO Os relatórios de desempenho devem mostrar que as operações reais estão sendo desenvolvidas de modo a atingir os objetivos da empresa  Os relatórios de desempenho devem: - Cobrir todos os aspectos significativos das operações - Ser compatível com a estrutura de responsabilidades administrativas - Usar o princípio de administração por exceção 


Carregar ppt "ORÇAMENTO EMPRESARIAL"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google