A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Diálogo. Entre quem e para quê? Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010 Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Diálogo. Entre quem e para quê? Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010 Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010."— Transcrição da apresentação:

1 Diálogo. Entre quem e para quê? Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010 Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010 1

2 A escolha do tema (Introdução) 3 Definição de conceitos: Diálogo4 A importância do diálogo na Filosofia5 Síntese do acto comunicativo: Diálogo6 Cultura/Interculturalidade7 Interculturalidade8 Interculturalidade (continuação)9 A inexistência de diálogo: consequências10 A inexistência de diálogo (continuação)11 Globalização: factor de união12 Globalização (continuação)13 Conclusão 14 Bibliografia 16 2

3 A escolha deste tema não foi nada fácil, pois o mesmo pode ser abordado de múltiplas facetas. Optámos pelos subtemas Interculturalidade e Globalização, porque nos parecem ser dois conceitos que reflectem e sintetizam o mundo actual. O Diálogo entre todos e a interculturalidade, quando operacionalizados, conduz-nos a um conceito global que é a Globalização. Estes dois conceitos complementam-se e interagem, também, na Filosofia. 3

4 Diálogo Diálogo é um modo de comunicação estabelecida entre duas ou mais pessoas. Formas de diálogo: Entendimento através de palavras; Entendimento através de gestos; Colóquio; Sinais de fumo; Código Morse; (…) 4

5 Na Filosofia, o Diálogo é encarado como uma forma de procurar a verdade através de perguntas e respostas. Só o ser humano consegue dialogar, o que faz do Diálogo uma característica própria e única do Homem. A partir dele, trocamos ideias e formamos, também, algumas ideias. O Diálogo permite-nos alargar os horizontes da exigência do nosso pensamento, pois para se responder e argumentar é preciso raciocinar. É o próprio caminho da filosofia pois, segundo Platão, o pensamento é o diálogo da alma consigo mesma. Actualmente, os filósofos atribuem uma importância crucial ao diálogo porque a partir dele constrói-se um mundo verdadeiramente humano, isto é, um mundo comum mas repleto de diferenças. 5

6 O acto comunicativo não é um mero acrescento às restantes características do Humano. Comunicar é então uma coordenada fundamental de todos os sistemas ou subsistemas. A comunicação está presente em todos os organismos, dos mais simples aos mais complexos. 6

7 Cultura Ao falarmos de sociedade referimo-nos a um conjunto de pessoas que se relacionam entre si e que, de uma forma mais ou menos organizada, cooperam umas com as outras. O modo de vida próprio de uma sociedade é o que se pode designar por cultura, a qual se manifesta por formas específicas e divergentes. E.B.Tylor define-a como: Um todo complexo que inclui os conhecimentos, as crenças, a arte, a moral, as leis, os costumes e todas as outras disposições e hábitos adquiridos pelo homem enquanto membro de uma sociedade 7 Interculturalidade

8 A comunicação intercultural é um conjunto de processos de comunicação entre representantes de cultura diferentes. No entanto, também pode estar relacionada com a comunicação entre homens e mulheres da mesma nação ou cultura, mas de diferentes grupos sociais ou etários. A diversidade cultural entendida como a existência não de uma cultura mas de várias culturas que variam no tempo e no espaço, leva- nos a verificar diferentes modos de (com)viver e que resulta na pluralidade. O Diálogo entre povos de diferentes culturas possibilita o enriquecimento mútuo de todos. O interculturalismo propõe, assim, que se aprenda a conviver num mundo pluralista e se respeite e defenda a humanidade no seu conjunto. 8

9 A Filosofia intercultural procura, então, criar um espaço compartilhado e pluridiscursivo, onde se torne possível a compreensão global da questão da identidade de uma Filosofia e a identidade cultural de uma comunidade Humana. Procura a universalidade. 9

10 A falta de comunicação conduz-nos a situações que se poderiam evitar, tais como, a xenofobia, o racismo, a discriminação sexual, racial, etc. Por vezes, ouvimos notícias sobre uma guerra civil num determinado país; sabemos que há salários distintos dados a trabalhadores de raça, estatuto e sexo diferentes…Tudo isto deriva da falta de Diálogo entre todas as estruturas; Só o Diálogo pode acautelar os interesses de todos e não apenas de alguns. Num Diálogo é importante ouvir, entender, explicar e, o mais importante, respeitar a opinião de todos. Se conseguirmos fazer tudo isto poderemos viver em sociedade ! 10

11 A Declaração Universal dos Direitos do Homem consagra a ideia da igualdade de todos os seres humanos, independentemente, da sua raça, religião ou nacionalidade, etc. Contudo alguns homens foram excluídos desta ideia por serem considerados primitivos e foram impedidos de beneficiar da condição de cidadão. A discriminação entre os seres humanos com base em raça, cor ou origem étnica é uma ofensa à dignidade humana e será condenada como uma negação dos princípios da carta das Nações Unidas, como uma violação dos Direitos Humanos e liberdades fundamentais proclamadas na Declaração Universal dos Direitos Humanos, como um obstáculo para relações amigáveis e pacíficas entre as Nações, e como um facto capaz de perturbar a paz e a segurança entre os povos. 11

12 Definir o termo globalização é uma tarefa algo difícil, visto que falamos de um conceito que sendo muito abrangente é também pouco concreto. Em termos gerais, podemos considerar que a globalização é um processo económico e social que estabelece uma integração entre os países e as populações do mundo, através do qual se trocam ideias, tradições, costumes, etc. É um fenómeno observado na necessidade de formar uma Aldeia Global que permite maiores ganhos para os mercados internos, que já estão saturados. Na verdade as sociedades do Mundo iniciaram o processo de Globalização, desde o início da História. 12

13 As principais características da Globalização são o carácter homogéneo dos centros urbanos, a revolução tecnológica nas comunicações, a expansão das corporações para regiões fora dos seus núcleos geopolíticos, entre outros. Factores que contribuem para a globalização: Maior uso das novas tecnologias; Crescimento do número de migrações; Desenvolvimento das empresas multinacionais; Maior fluxo de capitais pelo planeta; Maior integração cultural pelas sociedades; 13

14 A realização deste trabalho permitiu-nos conhecer de forma mais aprofundada conceitos já nossos conhecidos e com os quais lidamos diariamente. Apesar de vivermos numa Aldeia Global, de haver inúmeras manifestações e movimentos que tentam promover o Diálogo entre todos, constatamos que ainda há muitos entraves a uma convivência verdadeiramente universal. Se prestarmos atenção ao nosso quotidiano, encontramos muitas situações geradas pela falta de Diálogo e que conduzem a situações de discriminação preocupantes. Na imprensa, surgem muitas notícias de grupos radicais que manifestam e expõem, abertamente a sua xenofobia. 14

15 Concluímos, então, que a falta de Diálogo é um obstáculo à Interculturalidade e que, em consequência, a Globalização não se realiza plenamente. Do ponto de vista cultural a partilha de informação foi melhorada, no entanto, a Aldeia Global teve um impacto negativo pois verifica-se que tal poderá levar a uma massificação e estandardização, e a um mundo cada vez uniformizado. As tecnologias pelo mundo estão mal divididas. Existem zonas onde ainda não chegaram,outras onde só as pessoas de maior importância lhe têm acesso e outras ainda onde embora existindo, grande parte da população não tem conhecimento disso. Em síntese, a globalização tanto pode promover os Homens, a sua dominação, o esgotamento da diferença e a uniformalização cultural, como aproximar os Homens e as culturas entre si. 15

16 A arte de argumentar, de Anthony Weston; Diálogo (filosofia). In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, Guia de estudo: Filosofia 10ºano, Porto Editora 16

17 17 Trabalho de Filosofia 10º ano, elaborado por: Mariana Silva, nº13 Bernardo Beja, nº5 Rui Pedro, nº 23 Pedro Coelho, nº18 Trabalho de Filosofia 10º ano, elaborado por: Mariana Silva, nº13 Bernardo Beja, nº5 Rui Pedro, nº 23 Pedro Coelho, nº18 no âmbito da comemoração do Dia Internacional da Filosofia – 19 Novembro no âmbito da comemoração do Dia Internacional da Filosofia – 19 Novembro 2009.


Carregar ppt "Diálogo. Entre quem e para quê? Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010 Escola Secundária com 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho 2009/2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google