A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENSINO RELIGIOSO: Desafios e Perspectivas. Por quê? Como? O quê? Para quê? Outra vez? ENSINO RELIGIOSO?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENSINO RELIGIOSO: Desafios e Perspectivas. Por quê? Como? O quê? Para quê? Outra vez? ENSINO RELIGIOSO?"— Transcrição da apresentação:

1 ENSINO RELIGIOSO: Desafios e Perspectivas

2 Por quê? Como? O quê? Para quê? Outra vez? ENSINO RELIGIOSO?

3 O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA DO PASSADO - Disciplina que visava catequizar os educandos, enfocando somente uma verdade; - Um dos meios de Evangelização do Cristianismo no Brasil; - AULA DE RELIGIÃO.

4 PERÍODO: 1549 a Padres Jesuítas e a fundação dos primeiros colégios; - Até 1889, o catolicismo era a religião oficial do Império; - Com a República, tentou-se implantar um ensino laico, mas o Ensino Religioso continuava com princípios católicos; - LDBEN nº. 4024/61, o Ensino Religioso era de caráter confessional.

5 METODOLOGIA - Trabalho com Texto Sagrado (Bíblia); - Memorização; - Preparação para os sacramentos da Igreja; - Trabalhos bíblicos (teatro, gincana, dinâmicas, celebrações, reflexões...)

6 O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA de ontem - A partir da década de 1970, a disciplina recebeu um caráter ecumênico buscando tornar as pessoas mais religiosas; - Ensino de gestos concretos, vivência de valores e de atitudes positivas de vida; - AULA DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA.

7 PERÍODO (1971 a 1996) - Lei de LDBEN Nº. 5692/71; - Novas experiências foram construídas na perspectiva de desenvolver um trabalho ecumênico, voltado para a religiosidade; - Concebido como uma atividade pastoral.

8 METODOLOGIA - Aula de ética e valores; - Dinâmicas; - Celebrações; - Gestos concretos; - Vivência de valores.

9 - Art. 5º - sobre direitos e deveres individuais e coletivos: É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias. Constituição Federal (1988)

10 Art. 210: § 1º - O ensino religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental.

11 DIVERSIDADE CULTURAL-RELIGIOSA

12 SOCIEDADE PLURALISTA ESCOLA

13 DIFERENTES IDENTIDADES NO MESMO ESPAÇO

14 NOVAS EXPERIÊNCIAS A partir dos anos 90, emerge um movimento de repensar o Ensino Religioso: - A partir da escola; - Acolhendo a diversidade religiosa brasileira; - Necessidade de (re)leitura da influência do religioso no cotidiano e na sociedade;

15 UNESCO: PILARES DA EDUCAÇÃO - Aprender a conhecer; - Aprender a fazer; - Aprender a viver juntos - conviver; - Aprender a ser.

16 LDBEN 9.394/96: LDBEN 9.394/96: Art. 02 A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

17 O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA pública de hoje - Art. 33 da LDB nº 9.394/1996 em sua redação alterada pela Lei nº /97: O ensino religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural e religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo.

18 ENSINO RELIGIOSO : ESTUDO DO FENÔMENO RELIGIOSO SUBSTRATO presente em todas as CULTURAS

19 FENÔMENO RELIGIOSO Algo que se manifesta na experiência humana, resultado do processo de busca que o humano realiza na procura de sentido para a vida.

20 Proporcionar o conhecimento dos elementos básicos que compõem o fenômeno religioso, a partir das experiências religiosas percebidas/vivenciadas no contexto dos educandos. OBJETIVOS DO ENSINO RELIGIOSO:

21 OBJETIVOS DO ENSINO RELIGIOSO Analisar o papel das tradições religiosas na estruturação e manutenção das diferentes culturas e manifestações sócio-culturais;

22 OBJETIVOS DO ENSINO RELIGIOSO Disponibilizar esclarecimentos sobre o direito à diferença, valorizando a diversidade cultural presente na sociedade, a fim de auxiliar na constituição de relações respeitosas entre culturas e tradições religiosas, no constante propósito de promoção dos direitos humanos.

23 CONTEÚDOS CONTEÚDOS Eixos – PCNER: - Culturas e Tradições Religiosas - Textos Sagrados - Teologias - Ritos - Ethos Matrizes Religiosas: - Indígena; - Africana; - Oriental; - Ocidental/Semita.

24 AÇÃO TRANSFORMADORA - Conhecimento e respeito da diversidade cultural religiosa; - Reconhecimento da importância de todas as tradições religiosas nas culturas humanas; - Auxílio para a construção do projeto de vida dos educandos (respostas aos questionamentos existenciais mais profundos); - Valorização das identidades pessoais/sociais;

25 Diversidade Cultural no Cotidiano da Escola IDENTIDADES ESCOLAEDUCADORESEDUCANDOS RESPEITO às DIFERENÇAS VALORIZAÇÃO DAS IDENTIDADES

26 Desafios e Perspectivas

27 Estado e muitos municípios não ofertam o Ensino Religioso no horário normal dos educandos, ou oferecem outras disciplinas/projetos no lugar deste; Carência de profissionais licenciados em Ensino Religioso em todas as Redes de Ensino;

28 Excesso de complementação de carga- horária em Ensino Religioso por licenciados de outras áreas do conhecimento; Compreensão do Ensino Religioso como área do conhecimento e direito do cidadão; Cumprimento do prescrito na legislação; Interferências políticas partidárias e religiosas.

29 O que eu, professor(a), gestor(a), posso (devo) fazer ?!?!? Conhecer a situação do Ensino Religioso em minha rede de ensino; Efetivar a legislação nacional e estadual implementando o Ensino Religioso no currículo das escolas; Garantir o direito do aluno em ter Ensino Religioso em todo o Ensino Fundamental com profissional habilitado;

30 Instituições Parceiras na Implementação do Ensino Religioso

31 FONAPER O Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso - FONAPER é uma associação civil de direito privado, de âmbito nacional, sem vínculo político-partidário, confessional e sindical, que congrega pessoas identificadas com o Ensino Religioso, sem discriminação de qualquer natureza. Criado em 1995, vem desde então buscando acompanhar, organizar e subsidiar o esforço de professores, associações e pesquisadores no sentido de efetivar o Ensino Religioso como componente curricular. Contatos: ou

32 Prof. Elcio Cecchetti Coordenador do FONAPER


Carregar ppt "ENSINO RELIGIOSO: Desafios e Perspectivas. Por quê? Como? O quê? Para quê? Outra vez? ENSINO RELIGIOSO?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google