A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENEM A Prova de Redação Professor Especialista Volney Ribeiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENEM A Prova de Redação Professor Especialista Volney Ribeiro."— Transcrição da apresentação:

1 ENEM A Prova de Redação Professor Especialista Volney Ribeiro

2 O Enem é um exame individual, de caráter voluntário, oferecido anualmente aos estudantes que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. Seu objetivo principal é possibilitar uma referência para autoavaliação, a partir das competências e habilidades que estruturam o Exame. O Enem é um exame individual, de caráter voluntário, oferecido anualmente aos estudantes que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. Seu objetivo principal é possibilitar uma referência para autoavaliação, a partir das competências e habilidades que estruturam o Exame.competências e habilidadescompetências e habilidades O QUE É O ENEM?

3 A PROVA PARTE OBJETIVA EREDAÇÃO

4

5 A REDAÇÃO NO ENEM

6 TEXTO DISSERTATIVO- ARGUMENTATIVO

7 1.Leitura e compreensão da proposta 02. Levantamento inicial de ideias 03. Seleção de ideias 04. Organização de ideias PRODUÇÃO DAS IDEIAS

8 05. Observação da tipologia textual ou do gênero textual 06. Rascunho 07. Revisão * Rever o que será avaliado/cobrado de acordo com cada competência

9 PRODUÇÃO DAS IDEIAS 08. Rascunho-Revisão / Revisão-Rascunho 09. Passar a limpo * Cópia fiel do rascunho revisado. * Jamais altere algo na folha oficial da redação sem antes fazê-lo na etapa Elaboração do título *O título deve ser urna frase curta, condizente com a essência do tema. * Somente se a proposta exigir. (Atualmente, o ENEm não exige título

10 TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO É a exposição de opiniões a respeito de um determinado assunto. Dissertar é discutir ideias, analisá-las e apresentar provas que justifiquem e convençam o leitor da validade do ponto de vista de quem as defende.

11 Dissertar é, pois, analisar de maneira crítica situações diversas, questionando a realidade e apresentando nosso posicionamento (impessoal) diante dela.

12 A dissertação, por isso, pressupõe: - exame crítico do assunto sobre o qual se vai escrever; - raciocínio lógico; - clareza, coerência e objetividade na exposição.

13 ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO INTRODUÇÃO - DESENVOLVIMENTO - CONCLUSÃO INTRODUÇÃO É a apresentação do assunto + a TESE. O parágrafo introdutório caracteriza-se por apresentar o assunto sobre qual se discorrerá (declaração afirmativa ou negativa)+ a TESE (ideia central do texto a ser defendida com argumentos no desenvolvimento).

14 Exemplo de Introdução TEMA: DENÚNCIAS, ESCÂNDALOS, CASOS ILÍCITOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CORRUPÇÃO E IMPUNIDADE... ISSO É O QUE OCORRE NO BRASIL HOJE. Nunca foi tão importante no país uma cruzada pela moralidade. As denúncias que se sucedem, os escândalos que se multiplicam, os casos ilícitos que ocorrem em diversos níveis da administração pública exibem, de forma veemente, a profunda crise moral por que passa o País.

15 DESENVOLVIMENTO É a análise crítica da ideia central. Pode ocupar vários parágrafos em que se expõem juízos, raciocínios, provas, exemplos, testemunhos históricos e justificativas que argumentem a ideia central proposta no primeiro parágrafo.

16 Para desenvolver o assunto de uma dissertação, podemos utilizar os seguintes recursos: a) citações b) dados estatísticos c) justificativas d) exemplos concretos e) comparações e contrastes f) Causas e consequências g) Aspectos positivos e negativos

17 Exemplo de Desenvolvimento O povo se afasta cada vez mais dos políticos, como se estes fossem símbolos de todos os males. As instituições normativas, que fundamentam o sistema democrático, caem em descrédito. Os governantes, eleitos pela expressão do voto, também engrossam a caldeira da descrença e, frágeis, acabam comprometendo seus programas de gestão. Para complicar, ainda estamos no meio de uma recessão que tem jogado milhares de trabalhadores na rua, ampliando os bolsões de insatisfação e amargura.

18 Exemplo de Desenvolvimento Não é de estranhar que parcelas imensas do eleitorado, em protesto contra o que veem e sentem, procurem manifestar sua posição com o voto nulo, a abstenção ou o voto em branco. É preciso convir que nenhuma democracia floresce dessa maneira. A atitude de inércia e apatia dos homens que têm responsabilidade pública os condenará ao castigo da história. É preciso e possível fazer-se algo, de imediato, que possa reacender a esperança.

19 CONCLUSÃO É o ponto de chegada da discussão, a parte final do texto em que se condensa o conteúdo desenvolvido, reafirma-se o posicionamento exposto na tese ou lança- se perspectiva sobre o assunto. Um meio adequado de bem concluir é aquele em que sintetizamos o assunto nos termos em que foi proposto ou questionado na etapa introdutória.

20 Exemplo de Conclusão O Brasil dos grandes valores, das grandes idéias, da fé e da crença, da esperança e do futuro necessita urgentemente da ação solidária, tanto das autoridades quanto do cidadão comum, para instaurar uma nova ordem na ética e na moral.

21 Características de um boa dissertação Um texto não é um mero aglomerado de frases ou parágrafos avulsos. Um bom texto constitui-se de uma sequência de ideias argumentadas e harmonizadas entre si destinadas a um interlocutor real ou virtual.

22 Para se redigir um texto dissertativo, são indispensáveis: O texto deve desenvolver-se em torno de um assunto. As ideias que lhe são pertinentes devem suceder-se em ordem sequente e lógica, completando e enriquecendo a ideia- núcleo expressa na tese. Não deve haver redundância nem pormenores desnecessários. UNIDADE:

23 A doação de esmolas A esmola vicia. Por causa dela, muitas pessoas não se dispõem a trabalhar. Essas pessoas sabem que sempre haverá alguém que lhes dê algum dinheiro, ou um pouco de comida. Tais são as reflexões que ouvimos frequentemente sobre o assunto. É certo que, no momento em que recebe uma esmola, a pessoa excluída de processo social injusto pode comer alguma coisa. É verdade ainda que, na situação atual, negar algum dinheiro ou comida é um ato de insensibilidade, pois se sabe que nossos governantes não garantem a todos os direitos mais básicos. Portanto, é compreensível que tantos defendam a doação de esmolas.

24 A doação de esmolas No entanto, não é com ajuda temporária que se vai resolver o problema do indigente. Antes de mais nada, ao receber uma esmola, o necessitado passa a depender da vontade de quem dá ou administra, em vez de ter garantido o direito de prover, sozinho, suas necessidades básicas. Além disso, a administração da esmola não tem critérios objetivos: dá-se a quem se vê, a quem está mais perto, nem sempre a quem mais necessita. Dessa forma, vê-se que a esmola só serve para deixar em paz a consciência de quem a dá. É preciso que sejam criados programas sociais que garantam a cada cidadão o direito de ter um emprego e ganhar um salário que lhe possibilite viver com dignidade e ter sua cidadania resguardada.

25 Deve haver associação e correlação das ideias na construção dos períodos e na passagem de um parágrafo a outro. Os elementos de ligação são indispensáveis para entrosar orações, períodos e parágrafos. COERÊNCIA:

26 Vocabulário preciso e coerente às ideias expostas O aprimoramento da linguagem é fundamental para adequar idéias e palavras. É obrigatório o uso da língua padrão culta. São inimigos da clareza: letra ilegível, ideias desordenadas, períodos longos, vocabulário rebuscado e impreciso, períodos incompletos ou mal redigidos.) CLAREZA DE IDEIAS:

27 Exemplo de falta de clareza ou obscuridade Foi evitada uma efusão de sangue inútil (Em vez de efusão inútil de sangue). A água do rio era límpida, possibilitando a visão dos peixes.

28 Exame e discussão crítica do assunto, por meio de argumentos convincentes, gerados pelo acervo de conhecimento pessoais. É um processo de análise e síntese. CRITICIDADE:

29 Distribuição organizada do conteúdo pelos parágrafos e uma clara articulação entre as partes por meio do uso apropriado de recursos coesivos como a pronominalização, a elipse, a sinonímia, os conectivos. COESÃO:

30 Consiste em apresentar os aspectos, fatos ou opiniões de modo pessoal, sem imitação de processos ou particularidades alheios. Na originalidade, está a criatividade. Pode revelar-se tanto nas idéias como nas expressões. Ideias originais são ideias próprias. ORIGINALIDADE:

31 Originalidade Em um processo de seleção da Volkswagen, os candidatos deveriam responder a seguinte pergunta: "Você tem experiência?". A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. CONFIRA na íntegra.

32 Exemplo de originalidade REDAÇÃO VENCEDORA "Já fiz cosquinha na minha irmã só pra ela parar de chorar, já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo. Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista. Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora. Já passei trote por telefone. Já tomei banho de chuva e acabei me viciando. Já roubei beijo. Já confundi sentimentos.

33 Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido. Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro, já me cortei fazendo a barba apressado, já chorei ouvindo música no ônibus. Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer. Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas, já subi em árvore pra roubar fruta, já caí da escada de bunda.

34 Já fiz juras eternas, já escrevi no muro da escola, já chorei sentado no chão do banheiro, já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante. Já corri pra não deixar alguém chorando, já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só. Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado, já me joguei na piscina sem vontade de voltar, já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios, já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar. Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.

35 Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. Já apostei em correr descalço na rua, já gritei de felicidade, já roubei rosas num enorme jardim. Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade. Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol, já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão. Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção,guardados num baú,chamado coração."

36 E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita:"Qual sua experiência?". Essa pergunta ecoa no meu cérebro: experiência...experiência... Será que ser "plantador de sorrisos" é uma boa experiência? Não! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos! Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta: Experiência? Quem a tem, se a todo momento tudo se renova?"

37 ARGUMENTOS DISSERTATIVOS Argumentar é convencer ou tentar convencer alguém a respeito da veracidade das ideias que estamos veiculando. É o procedimento usado para convencer o leitor de que nossa posição é a correta e para levá-lo a dar sua adesão às teses defendidas pelo texto.

38 Como se faz uma boa argumentação? 1 o – é preciso ter bem claro o que queremos dizer – delimitar bem o assunto; 2 o – formular idéias – também claras – sobre o assunto delimitado; 3 o – estruturar essas idéias com frases bem formuladas; 4 o – tentar provar cada idéia – argumento – por meio da evidência do raciocínio e das provas.

39 RECURSOS LINGUÍSTICOS USADOS PARA CONFIRMAR A VALIDADE DAS IDEIAS Argumentos de autoridade: citar autores renomados dá credibilidade sobre um ponto de vista. Argumentos baseados no consenso: citar proposições aceitas como verdadeiras, numa certa época.

40 Argumentos baseados em provas concretas: apoiar as posições pessoais em fatos. Comprová-las por dados pertinentes e adequados. Argumentos com base nas relações de causa e consequência. Argumentos baseados em exemplos.

41 Argumentos baseados em semelhanças; aproximar dois elementos com base na semelhança entre eles. Argumentos baseados em oposição: apontar oposições entre ideias e fatos.

42 LEMBRETES QUE PODEM MELHORAR SEU TEXTO 1. antes de começar a escrever, faça um esquema de seu texto, dividindo em parágrafos as idéias que pretende expor. Isso evita repetição ou esquecimento de alguma idéia; 2. Cheque se os pontos de vista que você vai defender não são contraditórios em relação à tese. Elabore as relações de causa e consequência ou os pólos positivos e negativos do tema;

43 3. Não tenha preguiça de refazer seu texto várias vezes. É a melhor maneira de se chegar a um bom resultado. Procure redigir em aproximadamente uma hora; 4. Enquanto escreve em casa, tenha sempre à mão um dicionário para checar a grafia das palavras e descobrir sinônimos que evitem a repetição; 5. Não fuja do tema proposto;

44 6. Escreva o que você pensa sobre o tema dado e não o que você acredita que o corretor do texto gostaria que fosse escrito. Jamais analise os temas propostos movido por emoções exageradas; 7. Não escreva sobre o que você não conhece, nem utilize sua redação para fins doutrinários; 8. Use a linguagem padrão em seu nível culto;

45 9. Empregue a linguagem denotativa; 10. Não empregue palavras cujo significado seja desconhecido para você; 11. Evite lugar-comum: frases feitas e expressões cristalizadas, como a pureza das crianças, a sabedoria dos velhos, etc. evite também gírias e a palavra coisa (procure o vocábulo adequado a cada ideia); não use etc.; não abrevie palavras;

46 12. Evite repetir palavras, use sinônimos. Há repetições que enfatizam. Mas, fora o caso intencional da ênfase, repetir revela pobreza de vocabulário ou desleixo; 13. Evite expressões do tipo belo, bom, mau, incrível, péssimo, triste, pobre, - são juízos de valor sem carga informativa, imprecisos e subjetivos;

47 14. Não encha lingüiça! Cada palavra deve ser fundamental e informativa na redação. À falta de idéias, não fique repetindo a mesma coisa com palavras diferentes. Isso é redundância, é prolixidade, é terrível defeito! É preferível poucas linhas bem redigidas a muitas mal escritas. Faça um trabalho honesto;

48 15. Não aumento o tamanho da letra para dar a impressão de que escreveu bastante. Isso indispõe o avaliador; 16. Letra estilo bicho-de-pé, não pode (só se vê a linha de tão pequena). ( avaliador não vai colocar lente de aumento só para corrigir a sua redação;

49 17. Não repita ideias, tentando explicá-las. Se você escrever com clareza, uma só vez basta; 18. Não se desculpe dizendo que não escreveu mais porque o tempo foi pouco;

50 19. Cuidado com o uso inadequado das conjunções. Elas podem estabelecer relações que não existem entre as frases e tornar o texto sem nexo; 20. Se usar uma pergunta na tese, responda-a ao longo do texto. Evite interrogações na argumentação e na conclusão. Para aprofundar seus argumentos, suas afirmações, use exemplos: fatos notórios ou históricos, conhecimentos geográficos, cifras aproximadas e informações adquiridas por meio de leitura, estudo e aquisições culturais (bagagem cultural);

51 21. Pensamento novo, período novo. É comum, entre os que iniciam, misturar no mesmo período idéias que não se completam; 22. Tome cuidado com os períodos muito longos: resultam confusos e são propícios a períodos incompletos; 23. Não empregue a primeira pessoa do singular; 24. Atenção à falta de paralelismo;

52 26. Faça parágrafos a, mais ou menos, dois centímetros da margem; 27. Atinja a margem direita e esquerda sem ultrapassá-las; 28. Faça letra legível; se escrever em letra de forma, procure distinguir as maiúsculas das minúsculas; 25. Centralize o título (se a proposta o exigir);

53 30. Rascunhe suas ideias antes de passá-las para a folha definitiva; 31. Não exceda o limite máximo de linhas; nem fique aquém do limite mínimo; 29. Não borre, não rabisque, nem rasure o texto definitivo;

54 f) coerência com o tema proposto. e) tese, argumentação e conclusão; d) uso da terceira pessoa do singular, mais partícula se; ou, primeira pessoa do plural; c) domínio do léxico e da estrutura da língua; b) elaboração crítica, coerência e clareza; a) concatenação de idéias (parágrafos e frases interligados coerentemente); 32. Com os temas dissertativos, o texto deve apresentar:

55 33. Texto dissertativo não deve apresentar: a) interrogações na argumentação ou na conclusão (só o título e a introdução podem apresentar interrogação – quando exigido); b) uso da primeira pessoa do singular, salvo exigências feitas pela banca; c) conversa com o leitor; d) fuga ao tema ou à modalidade (dissertação) solicitada;

56 e) título inadequado; f) uso indevido de clichês, frases prontas e chavões, palavrões, gírias; g) abordagem subjetiva e emocional do tema; h) superficialidade, julgamentos gratuitos e infundados; i) linguagem inadequada (coloquial); j) diálogo, nem personagens.

57 34. Na conclusão é possível: a) retomar a tese, reafirmando-a; b) retomar a tese, oferecendo soluções viáveis para os problemas abordados na argumentação.

58 ATENÇÃO: Respeite os limites indicados na prova: evite escrever demais; você corre o risco de entediar o corretor e cometer erros. No vestibular, comece pelo rascunho, depois responda às questões da prova. Conclua essa etapa, retome seu rascunho. Releia-o, faça as alterações necessárias e passe o texto a limpo.

59 Quer passar, quer passar, o vai te ensinar!


Carregar ppt "ENEM A Prova de Redação Professor Especialista Volney Ribeiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google