A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REFLECTIR SOBRE AS TIC NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Praia e Mindelo, 25 e 26 de Outubro de 2010 Cristina Paulo Programa CVE-077 Lux-Dev - Cooperação do Luxemburgo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REFLECTIR SOBRE AS TIC NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Praia e Mindelo, 25 e 26 de Outubro de 2010 Cristina Paulo Programa CVE-077 Lux-Dev - Cooperação do Luxemburgo."— Transcrição da apresentação:

1 REFLECTIR SOBRE AS TIC NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Praia e Mindelo, 25 e 26 de Outubro de 2010 Cristina Paulo Programa CVE-077 Lux-Dev - Cooperação do Luxemburgo 1

2 Conceito de Formação a Distância (FaD ou E-learning) Por definição a educação/ formação a distância é um processo educativo em que a aprendizagem é realizada com uma separação física (geográfica) e/ou temporal entre os formandos e formadores. Esta separação pressupõe que o processo comunicacional que induz à aprendizagem utilize um conjunto de recursos tecnológicos diversificados (que ultrapassam a mera exposição oral). 2

3 Pressupostos relevantes A formação a distância,… permite que a aprendizagem se desenvolva sem a presença de um formador; pode ser garantida a educação massiva sem ser descurado o apoio individualizado na aprendizagem; poderão ser proporcionadas, aos adultos, novas oportunidades de estudo e aprendizagem, contemplando as limitações ocupacionais e familiares destes; poder-se-à adaptar a formação aos níveis actuais de conhecimento dos formandos, sem exigir qualificações formais de base; consiste num ensino válido para indivíduos com uma capacidade de auto-controlo e motivação que lhes permita assegurar comportamentos de auto aprendizagem; permite garantir um sistema de ensino/aprendizagem eficaz através da integração de tecnologias multimédia com métodos pedagógicos adequados; facilita a organização de um tipo de ensino flexível capaz de responder às exigências da sociedade actual e a necessidades educacionais da população trabalhadora. 3

4 Três tipos de E-learning Rápido –desenvolvido para responder necessidades urgentes no ambiente empresarial, ou como parte de programas continuados. São criados em poucos dias ou semanas, com foco em conhecimento ou ação imediato. Produzidos inhouse com orçamento baixo e o conteúdo é desenvolvido por SMEs que utilizam PPT ou templates de autoria. Tradicional – Focado em competências específicas Freqüentemente fazem parte de um plano de formação anual para desenvolver competências dentro de uma organização. As vezes são desenvolvidos como resultado de uma análise de necessidades de formação Pode ser desenvolvidos como componentes de um programa de certificação. Tipicamente desenvolvidosem 3-11 semanas por uma equipe de EAD. Pode ser terciarizado ou feito inhouse, de acordo com o orçamento. Estratégico – Desenvolvido em conjunto com uma estratégia de mudança ou desenvolvimento organizacional. Tipicamente, acontece em períodos que variam de 3 meses até alguns anos. Os componentes de aprendizagem são produzidos ao longo do processo de desenvolvimento organizacional. Frequentemente a produção é externa e realizada por uma equipe interdisciplinar. A maioria são blended. (Mistura formação na sala de aula com workshops, programas instructor- led, áudio/vídeo conferência e outro apoio dos media). 4

5 O acesso e equipamento Acesso Depende dos conteúdos e metodologia Acesso à omnipresente Internet ou Extranet Acesso a Intranet Recursos locais (CDROM ou DVD) Tanto mais rápido e fiável melhor (PC + acesso) Equipamento Depende dos conteúdos (multimédia) Computador multimédia Monitor de elevada resolução e qualidade de cor Leitor CD ROM ou DVD Modem (RDIS / Cabo / ADSL) Colunas de som Microfone Depende da função e da metodologia Escritor de CD ROM / DVD Câmara de vídeo / webcam 5

6 Meios / Suportes De entre os meios/suportes destacam-se: os materiais em texto (para leitura linear ou não-linear que podem ser impressos), os produtos áudio e vídeo, as transmissões e comunicação áudio e vídeo, todo o vasto potencial de utilizações que os meios informáticos e telemáticos nos oferecem actualmente, como, por exemplo, os existentes e acessíveis na Internet. 6

7 Conteúdos Formativos - Learning Objects (LO) são objectos de aprendizagem. Os objectos de aprendizagem que tenham o mesmo modelo de objecto podem ser agrupados para constituir um novo objecto e eventualmente um curso. 7

8 Conteúdos Multimédia x Formato tradicional - Um meio não substitui o outro. Pelo contrário, complementam- se. - Os conteúdos em flash são apelativos, mas são mais exigentes em termos tecnológicos. -Os conteúdos em papel permitem uma leitura mais cuidadosa. - Normalmente utilizam-se conteúdos multimédia (Flash + Vídeo) nos módulos formativos e ficheiros em PDF ou E-BOOK na mediateca virtual. - Na mediateca virtual podem ser ainda disponibilizados pequenos vídeos em.mov,.avi ou.rm ilustrativos do assunto em causa. 8

9 E-learning pode ser… 9

10 10

11 E-learning pode ser… 11

12 E-learning pode ser… 12

13 Regimes de formação O e-learning permite realizar cursos em quatro regimes distintos: - Auto-estudo on-line - Tutoria on-line - Acompanhamento de acções presenciais - Misto (presencial e a distância) 13

14 Dimensões do e-learning O rítmo de estudo depende de cada aluno (self-paced) / Estudo dirigido por um instrutor (instructor-led) Assíncrona / Síncrona Individual / Colaborativa 14

15 3 Estratégias para EAD Offline Sala de aula/auditório Aprendizagem Colaborativa Tutoriais presenciais Livros/CD-Roms/Vídeos, Programas por emissão (TV/Rádio) Online Apresentações (ex: Breeze Meeting) Aprendizagem Colaborativa Distribuída Tutoriais (ao vivo ou simulações) Conteúdo didático Acesso ao WWW e Bases de dados Blended 15

16 Regime misto (ou Blended learning) - Este é, a nosso ver, o melhor regime formativo a nível pedagógico; - A prática demonstra que nos cursos com uma sessão presencial no início, outra no meio e outra no fim, os formandos obtêm um melhor aproveitamento; - As sessões presenciais intercaladas permitem estimular o formando e detectar situações particulares que necessitem ser trabalhadas. 16

17 Acompanhamento de cursos presenciais Entre as diversas vantagens que o e-learning oferece neste regime de formação, destacamos: - Possibilidade de rever a matéria dada em sala de aula; - Possibilidade de tirar dúvidas com o formador e com os outros formandos; - Possibilidade de, em caso de ter faltado, fazer o download dos materiais que o formador distribuiu em sala; - Integração com SmartBoards; - etc. 17

18 Turma x Curso Disponível o Ano Inteiro Os cursos em regime de auto-estudo podem estar disponíveis o ano inteiro. Normalmente este é o regime utilizado nas intranets da grandes empresas e na Banca para proporcionar uma formação constante e ao ritmo dos seus empregados. Os cursos em regime de tutoria ou misto normalmente têm uma data de início e de término, constituindo uma turma. 18

19 Comunicação (online e offline) Síncrona: Comunicação que acontece ao mesmo tempo. Assíncrona: Comunicação que acontece em momentos diferentes. 19

20 Vantagens e Desvantagens VantagensDesvantagens Comunicação Assíncrona ( , forum etc.) Flexível (tempo e lugar) Não-ameaçador Tempo para reflexão Menos Pressão para as pessoas tímidas ou inexperientes Tecnologia mais simples e barata Falta de proximidade Não tão emocionante Menos Interativa Falta feedback imediato Comunicação Síncrona (Chat, Videoconf., etc.) Proximidade Emocionante Respostas Instantâneas Mais interativa Feedback imediato Tem que acontecer com horário marcado (flexibilidade apenas de lugar) Expõe as pessoas tímidas ou menos experientes Tecnologia mais cara e complexa 20

21 Principais Plataformas de EAD Plataformas Síncronas (em simultâneo): - CENTRAONE - Teleformar VCS - LiveLearn - Macromedia Breeze 21

22 Principais Plataformas Assíncronas: - Teleformar.net - Formare - WebCT - BlackBoard - AEP e-cursos - IntraLearn (*) estas plataformas incluem algumas ferramentas de comunicação síncrona, como o chat... 22

23 Principais Plataformas Assíncronas: Muitas instituições utilizam a Moodle como ambiente para cursos integralmente on line, enquanto que outras a utilizam como meio complementar de ensino/aprendizagem em cursos presenciais (blended learning). Muitos utilizadores utilizam os módulos de actividade da Moodle (como o Forum, Wiki, Database, etc) para costruir comunidades de aprendizagem, enquanto que outros preferem utilizar esta plataforma como instrumento de distribuição de conteúdos (como por exemplo no caso do exemplo pacote SCORM) e avaliar a aprendizagem através de quiz e testes. A Moodle é concebida de forma modular e por isso é possível por exemplo utilizar diversas linguas, instalar temas gráficos distintos daqueles pré-definidos ou criar novas funcionalidades, não previstas na versão inicial. 23

24 Plataformas – moodle Moodle: 24

25 Algumas vantagens E-learning Flexibilidade: Os conteúdos estão permanentemente disponíveis e acessíveis Acessibilidade: O aluno, imóvel ou em movimento (fala-se já do mobile-learning ou m- learning), pode aceder a vários tipos de informação. Centralidade no aluno: O ambiente de aprendizagem centra-se no aluno. Convergente com as necessidades dos alunos: O ensino orienta-se para as necessidades do aluno. Racionalização de recursos: Há redução e racionalização dos recursos Melhor integração de alunos com dificuldades: ao ser mais aberto e universal, o eL consegue integrar mais cabalmente alunos com dificuldades de aprendizagem Interactividade: A interactividade está assegurada. 25

26 … de acordo com as preferências dos indivíduos Como modalidade de ensino o e-learning oferece aos formandos uma elevada flexibilidade em termos de espaço, tempo e ritmo de aprendizagem, respeitando-se as necessidades e preferências de cada indivíduo, levando simultaneamente a um aumento das literacias de cada formando para a procura e realização de actividades de aprendizagem pelos seus próprios meios. Aprender a aprender, com autonomia e iniciativa, são pressupostos e competências que este tipo de estratégias educativas, por um lado, exigem e, por outro, fomentam nos que nela participam. 26

27 Alguns constrangimentos E-learning Falta de contacto humano Grande investimento inicial Problemas técnicos (alojamento, acesso, manutenção…) Conteúdos (desenvolvimento, disponibilização) Falta de formação de professores e alunos Custos e tempo exigido ao E-formador Optimização das plataformas Certificação e standards Avaliação e confidencialidade: Uma das maiores questões que se levantam no quadro da certificação da formação a distância é a da avaliação, se esta não for presencial. 27

28 Criação de conteúdos Distribuição de conteúdos Gestão de conteúdos Inter actividade Distância Tecnologia E-learning Tecnológica Pedagógi ca AS DIMENSÕES DO E-LEARNING 28

29 O Formador e o e-Learning (1) Em ambiente virtual, através da utilização das TIC, é possível a criação de conteúdos perfeitamente autonomizados, que permitem ao formando estudar: em ambiente síncrono ou assíncrono de forma individual ao seu próprio ritmo no tempo que considera útil O e-learning incentiva o formando a controlar e assumir a responsabilidade pelo processo e pelo resultado da sua própria aprendizagem. Por isso, talvez não seja a metodologia ideal para TODOS os formandos… 29

30 O Formador e o e-Learning (2) O formador passa a ter um papel diferente do formador em formação convencional. Exercitando a mediação pedagógica através dos diferentes meios e ferramentas de informação e comunicação, ele consegue ultrapassar algumas barreiras de tempo e espaço próprias do contexto presencial. O formador dispõe de uma maior liberdade e de mais tempo para dedicar à criação de novas formas de aprender, produção de novos recursos e melhoria de conteúdos, o que pode permitir fornecer alternativas válidas para um maior número de formandos. Mas será que TODOS os formadores podem ser e- formadores? 30

31 O Formador e o e-Learning (3) Formador e formandos podem comunicar de forma mais eficiente, mais completa e sob formas múltiplas susceptíveis de melhorar o processo de desenvolvimento de competências e garantindo a realização de objectivos de forma mais consistente e com maior longevidade: Diversidade de metodologias Variedade de ferramentas e instrumentos (multimédia) Enriquecimento dos conteúdos e multiplicação das fontes / recursos Diminuição da duração do ciclo formativo 31

32 INTERVENIENTES NUM PROCESSO TÍPICO DE EAD - Administradores - Coordenadores - Formadores - Formandos Plataforma Sala de Formação Virtual Coordenação Sala dos Formadores Administração 32

33 INTERVENIENTES NUM PROCESSO TÍPICO DE EAD ADMINISTRADOR PARAMETRIZA OPÇÕES DE SEGURANÇA, PRIVACIDADE, ACESSO E PERFORMANCE PARAMETRIZA OPÇÕES DE SEGURANÇA, PRIVACIDADE, ACESSO E PERFORMANCE IDENTIFICA E IMPLEMENTA POLITICAS EFICAZES DE GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DE DISCIPLINAS/CURSOS, PERFIS DE UTILIZADORES E AS SUAS PERMISSÕES/ATRIBUIÇÕES IDENTIFICA E IMPLEMENTA POLITICAS EFICAZES DE GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DE DISCIPLINAS/CURSOS, PERFIS DE UTILIZADORES E AS SUAS PERMISSÕES/ATRIBUIÇÕES INSTALA E CONFIGURA MÓDULOS, BLOCOS, FILTROS… INSTALA E CONFIGURA MÓDULOS, BLOCOS, FILTROS… GERE, INSTALA E CONFIGURA FERRAMENTAS DE APOIO. GERE, INSTALA E CONFIGURA FERRAMENTAS DE APOIO. 33

34 INTERVENIENTES NUM PROCESSO TÍPICO DE EAD COORDENADOR CRIA E CONFIGURA CURSOS CRIA E CONFIGURA CURSOS CRIA E MOSTRA DIRECTÓRIOS DE FICHEIROS CRIA E MOSTRA DIRECTÓRIOS DE FICHEIROS CRIA RECURSOS E ACTIVIDADES CRIA RECURSOS E ACTIVIDADES GERE FORMADORES DE UM CURSO, GRUPOS E UTILIZADORES GERE FORMADORES DE UM CURSO, GRUPOS E UTILIZADORES CRIA AS FUNÇÕES PARA AVALIAÇÃO CRIA AS FUNÇÕES PARA AVALIAÇÃO GERE EVENTOS GERE EVENTOS 34

35 INTERVENIENTES NUM PROCESSO TÍPICO DE EAD E-FORMADOR PREPARA, DESENVOLVE E AVALIA ACÇÕES DE FORMAÇÃO A DISTÂNCIA EM DIFERENTES AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM ONLINE OU OFFLINE, SÍNCRONOS E ASSÍNCRONOS 35

36 E-FORMADOR : PERFIL DE ACTIVIDADES 36 Planeamento e Organização da FaD Desenvolvimento, acompanhamento e avaliação da FaD Desenvolvimento e participação em Comunidades de Práticas

37 37 ACTIVIDADES No Domínio do Planeamento e Organização da Formação: AP1 Desenvolver e/ou adaptar conteúdos curriculares e programas à modalidade de intervenção formativa a distância e ao eLearning como metodologia de formação e de aprendizagens em contextos informais AP2 Planear, organizar desenvolver e adequar conteúdos e documentação de suporte às actividades de aprendizagens, planos de sessão e de tutoria, na modalidade intervenção formativa a distância e no eLearning em formação e em situações informais de aprendizagens, respeitando as normas internacionais como por exemplo as SCORM AP3 Seleccionar metodologias e desenvolver as técnicas e instrumentos adequados à avaliação das aprendizagens na formação a distância e em eLearning

38 38 No domínio do desenvolvimento, acompanhamento e avaliação da formação AD1 Utilizar pedagogicamente novas Tecnologias de Informação e Comunicação, gerir e exercer tutorias em sessões de modo síncrono e assíncrono, nos diferentes ambientes online para a formação a distância e elearning AD2 Aplicar os métodos e as técnicas pedagógicas bem como as didácticas específicas, em situações de aprendizagens na modalidade de intervenção formativa a distância AD3 Interagir e estabelecer a relação pedagógica a distância com os formandos e equipa técnico-pedagógico, em ambientes virtuais de aprendizagens e eLearning AD4 Promover ambientes colaborativos de aprendizagens em formação a distância e a e-cooperação entre os formandos e os formandos e a equipa pedagógica AD5 Avaliar aprendizagens tendo em conta as especificidades da modalidade de intervenção formativa a distância AD6 Avaliar a formação tendo em conta as especificidades da modalidade de intervenção formativa a distancia

39 39 No domínio do desenvolvimento e participação em comunidades de práticas AR1 e-cooperar e e-colaborar com os outros formadores e tutores da equipa técnico-pedagógica e outros nacionais e transnacionais

40 40 SABER O/A e- Formador/a, no quadro de uma política de Aprendizagem a Longo da Vida, deve conhecer e dominar: No domínio do planeamento e organização da formação: SP1 Princípios, modelos e metodologias de educação/formação a distância e eLearning em contextos formais e informais de aprendizagens SP2 Utilização e gestão pedagógica de ambientes virtuais de aprendizagens/online e plataformas tecnológicas SP3 Princípios, Métodos e Técnicas de planeamento na formação a distância, em ambientes online e outros SP4 Técnicas de planificação de sessões síncronas e assíncronas SP5 Técnicas de planificação de tutorias na intervenção formativa a distância SP6 Metodologias, Técnicas e Instrumentos de Avaliação das Aprendizagens em ambientes virtuais e a distância SP7 Noções de língua inglesa na utilização de vocabulário técnico específico SP8 Utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação SP9 Princípios éticos e normativos de utilização de e-conteúdos

41 41 No domínio do desenvolvimento, acompanhamento e avaliação da formação: SD1 Processos de comunicação síncrona e assíncrona em ambientes virtuais na formação a distância e no eLearning em situações formais e informais de aprendizagens SD2 Técnicas de motivação dos formandos em situação de aprendizagem em ambiente colaborativo SD3 Exercício da Tutoria na modalidade de intervenção formativa a distância e em ambientes de trabalho em rede SD4 Conteúdos e recursos técnico-pedagógicos adequados ao auto- estudo e a formação a distância e eLearning SD5 Formas de e e-colaboração e e-cooperaçao entre os profissionais da Educação/Formação e as Entidades Formativas SD6 Especificidades técnico-pedagógicas e didácticas da modalidade de intervenção formativa a distância SD7 Métodos e Técnicas de avaliação das aprendizagens na formação a distância SD8 Princípios e métodos de avaliação da formação a distância SD9 Princípios de qualidade aplicados à modalidade de intervenção formativa a distancia

42 42 No domínio do desenvolvimento e participação em comunidades de práticas SR1 Conhecimento das formas de e e- colaboração e e-cooperação entre os profissionais da Educação/Formação e as Entidades Formativas

43 43 SABERES FAZER O/A Formar/a, no quadro de uma política de Aprendizagem a Longo da Vida, deve ser capaz de: No domínio do planeamento e organização da formação: SFP1 Utilizar ambientes virtuais de aprendizagens online para a educação/formação SFP2 Aplicar modelos e metodologias na concepção de cursos a distância e elearning em ambientes virtuais de aprendizagens /online SFP3 Aplicar os princípios e as técnicas de planeamento de cursos de formação a distância em ambientes virtuais de aprendizagens /online SFP4 Aplicar as técnicas de planificação de sessões síncronas e assíncronas e de tutorias SFP5 Aplicar princípios pedagógicos, técnicas de concepção de recursos técnico - pedagógicos para formação a distância, elearning e em auto-estudo em ambientes virtuais de aprendizagem, respeitando as normas internacionais que regem a actividade, como por exemplo as SCORM SFP6 Adequar e seleccionar recursos técnico-pedagógicos para formação a distância e elearning em ambientes virtuais de aprendizagens online;

44 44 No domínio do desenvolvimento, acompanhamento e avaliação da formação: SFD1Utilizar metodologias e técnicas de animação e mediação do processo de ensino/aprendizagem a distância SFD2Aplicar as técnicas de motivação, no exercício da formação a distância, de tutorias e monitorização nas estratégias pedagógicas e de aprendizagens em ambientes virtuais e auto-estudo SFD3Utilizar metodologias e técnicas de animação e mediação do processo de ensino/aprendizagem a distância SFD4Utilizar os recursos técnico-pedagógicos e os espaços de aprendizagem eficazmente, em função das aprendizagens SFD5Utilizar as Tecnologias de Informação e Comunicação enquanto recurso fundamental de ensino/aprendizagens mediatizada, a distância e em eLearning SFD6Determinar critérios de avaliação das aprendizagens e implementar os métodos as técnicas e os instrumentos adequadas à intervenção formativa a distância SFD7Aplicar métodos e técnicas de elaboração de instrumentos de acompanhamento, avaliação da formação a distância em ambientes virtuais online SFD8Aplicar métodos e técnicas de acompanhamento, avaliação das aprendizagens e da formação a distância em ambiente online

45 45 No domínio do desenvolvimento, acompanhamento e avaliação da formação: SFD1Utilizar metodologias e técnicas de animação e mediação do processo de ensino/aprendizagem a distância SFD2Aplicar as técnicas de motivação, no exercício da formação a distância, de tutorias e monitorização nas estratégias pedagógicas e de aprendizagens em ambientes virtuais e auto-estudo SFD3Utilizar metodologias e técnicas de animação e mediação do processo de ensino/aprendizagem a distância SFD4Utilizar os recursos técnico-pedagógicos e os espaços de aprendizagem eficazmente, em função das aprendizagens SFD5Utilizar as Tecnologias de Informação e Comunicação enquanto recurso fundamental de ensino/aprendizagens mediatizada, a distância e em eLearning SFD6Determinar critérios de avaliação das aprendizagens e implementar os métodos as técnicas e os instrumentos adequadas à intervenção formativa a distância SFD7Aplicar métodos e técnicas de elaboração de instrumentos de acompanhamento, avaliação da formação a distância em ambientes virtuais online SFD8Aplicar métodos e técnicas de acompanhamento, avaliação das aprendizagens e da formação a distância em ambiente online

46 46 No domínio do desenvolvimento e participação em comunidades de prática SFR1Desenvolver práticas de e -cooperação e e-colaboração com os parceiros nas actividades de formação desenvolvidas, nomeadamente conceptores, formadores e tutores de ensino e formação na modalidade de intervenção a distância, nomeadamente em Redes e de Prática

47 47 SABERES SER O eFormador/a/Formador/a de eLearning deve demonstrar competências comportamentais ao nível de: As inerentes ao perfil de formador

48 MOTIVAÇÃO DOS FORMANDOS Um dos principais factores de fracasso na formação a distância é a perda da motivação dos formandos. - É importante que o formador entre com alguma frequência na plataforma para responder às solicitações dos formandos. É imprescindível que o formador acompanhe o progresso dos formandos. - Liberdade, mas com responsabilidade. Os formandos têm mais tempo para desenvolver as actividades do que numa formação presencial, mas mesmo assim existem timings que têm de ser respeitados. 48

49 CONTEÚDOS X ACTIVIDADES Em todos os regimes, dois dos aspectos fulcrais para o sucesso da formação são: - Os conteúdos - As actividades desenvolvidas. Ambos os aspectos visam aumentar a motivação do formando. 49

50 ACTIVIDADES PROPOSTAS PELO FORMADOR - As actividades podem ser individuais ou de grupo. - No caso das actividades de grupo, os formandos de cada equipa podem conversar entre si e trocar ficheiros. - Os formandos de cada equipa não conseguem visualizar os trabalhos das outras equipas. O formador pode visualizar/entrar em qualquer equipa. - No final cada equipa pode publicar o seu trabalho. 50

51 ACTIVIDADES PROPOSTAS PELO FORMADOR Sessão presencial (sala de aula) Auto-estudo dirigido (pp, documentos na biblioteca virtual) Auto-estudo (pp, sites, documentos, etc) Trabalho de Grupo virtual (Vídeo, Chat, e- mail, Forum) Trabalho publicado on line Reflexão/avaliação Final 51

52 Alguns exemplos de casos de sucesso Profiforma Formação Pedagógica De Formadores Formajuda Formação Pedagógica de Formadores Univ. Lusiada Mestrado em Gestão Escolar 52

53 NO AMBITO DO PROGRAMA CVE-077 INSTALAÇÃO PILOTO DA PLATAFORMA MOODLE NO MJEDRH, MED e IEFP FORMAÇÃO DE ADMINISTRADORES, COORDENADORES E E-FORMADORES DINAMIZAÇÃO DE UMA COMUNIDADE DE PRÁTICAS 53

54 COMPETÊNCIAS TIC BÁSICAS PARA ACEDER À FORMAÇÃO UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GESTÃO DE FICHEIROS COMO O WINDOWS EXPLORER UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GESTÃO DE FICHEIROS COMO O WINDOWS EXPLORER NAVEGAR E PESQUISAR INFORMAÇÃO NA INTERNET; EFECTUAR UPLOAD E DOWNLOAD DE FICHEIROS NAVEGAR E PESQUISAR INFORMAÇÃO NA INTERNET; EFECTUAR UPLOAD E DOWNLOAD DE FICHEIROS COMPREENDER A TERMINOLOGIA UTILIZADA NA NOMEAÇÃO DE FICHEIROS MAIS COMUNS E SUAS EXTENSÕES COMPREENDER A TERMINOLOGIA UTILIZADA NA NOMEAÇÃO DE FICHEIROS MAIS COMUNS E SUAS EXTENSÕES CRIAR E GERIR DOCUMENTOS CRIAR E GERIR DOCUMENTOS COPIAR E COLAR DE UMA APLICAÇÃO PARA OUTRA, UTILIZANDO O CLIPBOARD COPIAR E COLAR DE UMA APLICAÇÃO PARA OUTRA, UTILIZANDO O CLIPBOARD DOWNLOAD E INSTALAÇÃO DE PLUG-INS DA INTERNET DOWNLOAD E INSTALAÇÃO DE PLUG-INS DA INTERNET ENVIAR E RECEBER MENSAGENS DE CORREIO ELECTRÓNICO ENVIAR E RECEBER MENSAGENS DE CORREIO ELECTRÓNICO ALTERNAR ENTRE DOIS PROGRAMAS QUE ESTEJAM ABERTOS NO PC OU ENTRE JANELAS MANIPULANDO INFORMAÇÃO ENTRE APLICAÇÕES ALTERNAR ENTRE DOIS PROGRAMAS QUE ESTEJAM ABERTOS NO PC OU ENTRE JANELAS MANIPULANDO INFORMAÇÃO ENTRE APLICAÇÕES 54

55 COMPETÊNCIAS PESSOAIS SUGERIDAS PARA ACEDER À FORMAÇÃO ATITUDE POSITIVA PARA COM A TECNOLOGIA E ESPÍRITO ABERTO EM RELAÇÃO AO E-LEARNING E FORMAÇÃO ON-LINE EM GERAL ATITUDE POSITIVA PARA COM A TECNOLOGIA E ESPÍRITO ABERTO EM RELAÇÃO AO E-LEARNING E FORMAÇÃO ON-LINE EM GERAL DISPOSIÇÃO PARA PARTILHAR A SUA EXPERIÊNCIA COM OUTROS FORMANDOS DISPOSIÇÃO PARA PARTILHAR A SUA EXPERIÊNCIA COM OUTROS FORMANDOS RACIOCÍNIO ANALÍTICO E CRÍTICO, PARA A RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES- PROBLEMA RACIOCÍNIO ANALÍTICO E CRÍTICO, PARA A RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES- PROBLEMA ATITUDE EXPLORATÓRIA E PARTICIPATIVA PARA EXPERIMENTAR AS FUNCIONALIDADES E COLOCAR QUESTÕES ATITUDE EXPLORATÓRIA E PARTICIPATIVA PARA EXPERIMENTAR AS FUNCIONALIDADES E COLOCAR QUESTÕES RESILIÊNCIA RESILIÊNCIA NÍVEL ADEQUADO DE MOTIVAÇÃO E INTERESSE PELA FORMAÇÃO A DISTÂNCIA. NÍVEL ADEQUADO DE MOTIVAÇÃO E INTERESSE PELA FORMAÇÃO A DISTÂNCIA. 55

56 OBRIGADA PELA VOSSA ATENÇÃO! CRISTINA PAULO 56


Carregar ppt "REFLECTIR SOBRE AS TIC NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Praia e Mindelo, 25 e 26 de Outubro de 2010 Cristina Paulo Programa CVE-077 Lux-Dev - Cooperação do Luxemburgo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google