A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Informação e Documentação em Museus Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Informação e Documentação em Museus Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília."— Transcrição da apresentação:

1 Informação e Documentação em Museus Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília

2 INFORMAÇÃO MUSEOLÓGICA

3 Informação Museológica O objeto museológico é um documento portador de informação.

4 Informação Museológica Informação do Objeto está relacionada a características físicas tais como: composição, material, técnica, morfologia, etc. Entretanto é fundamental levar em conta além dos contornos sintáticos, também a dimensão semântica do objeto de museu.

5 Informação Museológica Esta faceta da análise da informação do objeto remete ao processo interpretativo que, na percepção dos teóricos, pode considerar dois tipos de significados: o principal, que diz respeito à funcionalidade e uso; o secundário, referente à agregação de valores simbólicos.

6 Informação Museológica A devida relevância dada aos aspectos semânticos no processamento técnico do objeto musealizado é que vai garantir que a informação, no âmbito do museu, possa assumir o papel de elemento estrutural capaz de dar acesso à possibilidade de construção e interpretação do conhecimento.

7 DOCUMENTAÇÃO EM MUSEUS

8 Documentação em Museus Apesar do caráter fundamental das ações de documentação, no Brasil a situação ainda é precária no que se refere à definição de práticas de organização e automação de acervos. "A situação da documentação e informação em museus, no Brasil, tem características próprias de um país no qual a memória, patrimônio, identidade cultural e preservação se inserem de forma muito frágil nas políticas públicas culturais. (Lena Vânia Pinheiro)

9 Documentação em Museus Tal precariedade dificulta as iniciativas de museologia brasileira voltadas a trabalhar com eficiência o potencial informacional contido nos museus.

10 Documentação em Museus Em outros países a realidade é um pouco diferente, uma vez que há uma efervescência de atividades documentais/informacionais refletida na preocupação com a criação de efetivos sistemas de informação.

11 Documentação em Museus Se o museu não dispuser de uma estrutura conceitual mínima para que desenvolva sua linguagem documental básica e, nem tampouco, seja capaz de organizar um sistema de recuperação de informação, ele estará alheio às nuances culturais da sociedade a qual serve e representa.

12 Documentação em Museus Tal desestruturação informacional no museu constitui uma barreira para a percepção e análise do objeto/informação em sua dimensão semântica, além de representar ao mesmo tempo, obstáculo à produção de conhecimento de forma relevante e participativa.

13 Documentação em Museus A ausência de uma metodologia museológica bem definida é decisiva para a desestruturação da informação no âmbito dos museus.

14 Documentação em Museus Os insuficientes recursos empreendidos com a informação/documentação é consequência do não conhecimento do potencial do museu como um sistema de informação, também no que se refere à questão da transferência e disseminação da informação.

15 Documentação em Museus O museu que não se organiza em torno da estrutura de um sistema informacional, que contemple de maneira enfática as questões referentes à recuperação e difusão da informação com vistas à construção de conhecimento, se mantém ao largo da realidade social em que está inserido, além de contribuírem ainda, para delinear práticas regulares de exclusão.

16 Documentação em Museus É fundamental que as pessoas envolvidas com as atividades em museus estejam conscientes do potencial informacional com o qual estão lidando, pois é certo que: Sem conhecer o poder e a força da informação que está nas suas coleções e reservas técnicas, os museus acabam por minimizar sua presença e atuação.

17 Documentação em Museus Faz-se fundamental que os esforços em se pensar, propor e agir no museu procurem construir estruturas de saber na linha de uma teoria e uma prática que visam decodificar a informação potencialmente contida no objeto.


Carregar ppt "Informação e Documentação em Museus Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google