A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Brasília, 08 de novembro de 2011. 2 2 SUMÁRIO 1.SINGREH – estrutura 2.Atribuições dos entes - legislação Conselhos (Nacional & Estaduais) Comitês de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Brasília, 08 de novembro de 2011. 2 2 SUMÁRIO 1.SINGREH – estrutura 2.Atribuições dos entes - legislação Conselhos (Nacional & Estaduais) Comitês de."— Transcrição da apresentação:

1 1 Brasília, 08 de novembro de 2011

2 2 2 SUMÁRIO 1.SINGREH – estrutura 2.Atribuições dos entes - legislação Conselhos (Nacional & Estaduais) Comitês de Bacia Agências de Água Órgãos Gestores de Recursos Hídricos 3. Relações Internas ao Sistema de Gestão da Bacia 4. Pacto Político & Contratualização de Resultados

3 3 3

4 4 SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS - SINGREH Em nível federal, os órgãos integrantes do SINGREH são: o Conselho Nacional de Recursos Hídricos - CNRH, a Secretaria de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente – SRH/MMA, a Agência Nacional e Águas - ANA. Nos Estados, os órgãos equivalentes, também integrantes do SINGREH, são: os respectivos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos, as Secretarias Estaduais de Recursos Hídricos (por vezes, integradas a outras Secretarias, como a de Meio Ambiente), Órgãos gestores de recursos hídricos. os Comitês de Bacia Hidrográfica e as Agências de Água.

5 5 I - coordenar a gestão integrada das águas; II - arbitrar administrativamente os conflitos relacionados com os recursos hídricos; III - implementar a Política Nacional de Recursos Hídricos; IV - planejar, regular e controlar o uso, a preservação e a recuperação dos recursos hídricos; V - promover a cobrança pelo uso de recursos hídricos. SINGREH - Objetivos

6 6 SINGREH & SEGREHs Princípio: o compartilhamento de poder e de responsabilidades entre as instâncias (âmbito) e os diversos segmentos (atores).

7 7

8 8 Órgão máximo do SINGREH * : regulamenta e define a Política Nacional de Recursos Hídricos. É um parlamento das águas presidido pelo ministro do MMA e tem a SRHU como Secretaria-Executiva (suporte técnico, financeiro e administrativo); Composto por um plenário de 57 membros**, representantes de Governo, Setores Usuários e Sociedade Civil Organizada. Agente integrador e articulador das políticas públicas que apresentam interfaces com a gestão de recursos hídricos CNRH - Conselho Nacional de Recursos Hídricos ** Representantes do Poder Executivo Federal: metade mais um. *CNRH: regulamentado pelo Decreto n. º 2.612/98

9 9 I - promover a articulação do planejamento de recursos hídricos com os planejamentos nacional, regional, estaduais e dos setores usuários; II - arbitrar, em última instância administrativa, os conflitos existentes entre Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos; III - deliberar sobre os projetos de aproveitamento de recursos hídricos cujas repercussões extrapolem o âmbito dos Estados em que serão implantados; IV - deliberar sobre as questões que lhe tenham sido encaminhadas pelos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos ou pelos Comitês de Bacia Hidrográfica; VII - aprovar propostas de instituição dos Comitês de Bacia Hidrográfica e estabelecer critérios gerais para a elaboração de seus regimentos; VIII - (VETADO) aprovar o Plano Nacional de Recursos Hídricos e encaminhá-lo ao Presidente da República, para envio, na forma de projeto de lei, ao Congresso Nacional; IX - acompanhar a execução do Plano Nacional de Recursos Hídricos e determinar as providências necessárias ao cumprimento de suas metas; X - estabelecer critérios gerais para a outorga de direitos de uso de recursos hídricos e para a cobrança por seu uso.

10 10 LEI Nº 9984/97 – CRIA A ANA E DÁ SUAS COMPETÊNCIAS ART. 3º - Fica criada a ANA … com a finalidade de implementar, em sua esfera de atribuições, a Política Nacional de Recursos Hídricos, integrando o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. ART. 4º - I – supervisionar, controlar e avaliar as ações e atividades decorrentes do cumprimento da legislação federal pertinente a recursos hídricos; IV – outorgar… V – fiscalizar… VII – estimular e apoiar iniciativas voltadas para a criação de Comitês de Bacia Hidrográfica XVI – prestar apoio aos Estados na criação de órgãos gestores de recursos hídricos AGÊNCIA N. DE ÁGUAS-ANA

11 11 ARBITRAR em primeira instância os conflitos relacionados aos recursos hídricos promovendo o debate aberto e público APROVAR o Plano de Recursos Hídricos da bacia; (inc III, Art 38, Lei 9.433/97) ACOMPANHAR A EXECUÇÃO do Plano de Recursos Hídricos da bacia e sugerir as providências necessárias ao cumprimento de suas metas; ESTABELECER os mecanismos de cobrança pelo uso da água e sugerir valores a serem cobrados PROPOR AO CNRH OU AOS CONSELHOS ESTADUAIS as acumulações, derivações, captações e lançamentos de pouca expressão para isenção da outorga, DE ACORDO COM O DOMÍNIO DAS ÁGUAS ESTABELECER os critérios e promover o rateio de custo das obras de uso múltiplo, de interesse comum ou coletivo (inc IX, Art 38, Lei 9.433/97) PROMOVER a integração das políticas locais de saneamento básico, de uso, ocupação e conservação do solo e de meio ambiente com as políticas federal e estaduais de recursos hídricos APROVAR as propostas da Agência de Água, que lhe forem submetidas; (Res. CNRH , Ins.III, Art 7) - BASE DO SINGREH -

12 12 Piranhas Açu São Francisco Verde Grande Doce Paraíba do Sul PCJ Paranapanema (em fase final de criação) Grande (em fase de instalação) Paranaíba Pomba-Muriaé Comitês de Bacias Interestaduais Instalados (8) Em instalação (2) COMITÊS DE BACIA Comitês de Bacias Estaduais Instalados (160)

13 13 - EM RIOS DO DOMÍNIO DA UNIÃO - Comitê de Bacia Comitê de Bacia Usuários =40% Entidades civis >20% Representantes: União Estados e DF <40% Municípios

14 14 COMITÊ DE INTEGRAÇÃO - Plano integrado da Bacia - Conflito que envolva mais de uma unidade estadual - Diretrizes gerais para a cobrança pelo uso - Diretrizes gerais para prioridades de uso e marco regulatório - Plenário com representantes dos comitês afluentes - Encontro dos comitês da bacia COMITÊS AFLUENTES - Planos das bacias afluentes - Conflito de uso na sua área de atuação - Valores para a cobrança pelo uso na sua área - Prioridades de uso na sua área de atuação / u. insig. -Eleição dos representantes do Plenário do Comitê de Integração Comitê de Integração X CBHs Afluentes

15 15

16 16 AGÊNCIAS DE ÁGUA Lei n° 9.433/1997 (União) – LEI DAS ÁGUAS Art. 41. As Agências de Água exercerão a função de secretaria executiva do respectivo ou respectivos Comitês de Bacia Hidrográfica. Art. 42. As Agências de Água terão a mesma área de atuação de um ou mais Comitês de Bacia Hidrográfica. Parágrafo único. A criação das Agências de Água será autorizada pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos ou pelos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos, mediante solicitação de um ou mais Comitês de Bacia Hidrográfica. Art. 43. A criação de uma Agência de Água é condicionada ao atendimento dos seguintes requisitos: I - prévia existência do respectivo ou respectivos Comitês de Bacia Hidrográfica; II - viabilidade financeira assegurada pela cobrança do uso dos recursos hídricos em sua área de atuação.

17 17 Características financeiras - é sustentada pelos recursos da cobrança - gerencia os recursos de todos os domínios (ideal) - tudo o que adquire é público - utiliza procedimentos únicos para a aplicação dos recursos (ideal) - utiliza de procedimentos únicos para as compras (ideal) - prestação de contas padronizada, para todos os entes (União e Estados) (ideal) AGÊNCIAS DE ÁGUA - PREMISSAS

18 18 Características técnicas - elabora ou contrata todos os trabalhos técnicos - exerce progressivamente todas as atribuições legais - diretoria escolhida por sua capacidade técnica e executiva - empregados contratados por processo seletivo / concurso - sede única para os trabalhos técnicos - elaboração e acompanhamento da execução dos Planos AGÊNCIAS DE ÁGUA - PREMISSAS

19 19 Características administrativas e gerenciais - atua visando o alcance de resultados – relação contratual - comitê diz o que fazer através de instrumentos de contratação: - contrato de gestão ou acordo de resultados - plano de aplicação anual ou plurianual - diretoria diz como fazer (autonomia na execução) - diretoria (ou entidade) pode/deve ser trocada em função dos resultados alcançados - comitê acompanha e avalia o alcance das metas e a lisura dos processos envolvidos (controle social) AGÊNCIAS DE ÁGUA - PREMISSAS

20 20 Relação com os comitês - executa as ações da secretaria-executiva do comitê - executa ações de secretaria-executiva de todos os comitês, com eventuais sedes em unidades de gestão - diretoria aprovada pelo conselho de administração – critérios técnicos - não tem empregado ou dirigente vinculado aos comitês - apóia o planejamento estratégico dos comitês e a sua implementação (as demandas em geral se refletem na estrutura operacional, onde o limite é o custo e a capacidade de gerenciar) AGÊNCIAS DE ÁGUA - PREMISSAS

21 21 DESAFIOS DAS AGÊNCIAS SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA Valor da cobrança pelo uso (PPU) aderente ao Plano/passivos Custeio < que 7,5% do valor arrecadado ATUAÇÃO EM TODA BACIA Secretaria Executiva dos Comitês Agente técnico da Bacia (ênfase no apoio aos municípios) Implementar o Plano R.H. a partir de diretrizes (critérios) dos CBHs (forte interferência política na priorização das ações/obras) AUTONOMIA ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA Flexibilidade administrativa Garantia do fluxo financeiro

22 22

23 23 Compete ao Secretário: I – encaminhar às Câmaras Técnicas, para análise e parecer, assuntos de sua competência; II - adotar providências administrativas necessárias ao andamento dos processos; III – propor ao Plenário, ao final de cada ano, o calendário de reuniões para o ano subseqüente (em articulação com CBHs) ; IV - organizar a pauta das reuniões do Comitê com aprovação do Presidente; V - secretariar as reuniões do Plenário prestando as informações solicitadas, ou que julgar convenientes, sobre os processos ou matérias em pauta; COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - COMPETÊNCIAS -

24 24 Compete ao Secretário: VI - assessorar o Presidente; VII - expedir as certidões requeridas ao Comitê, após autorização da Presidência; VIII - coordenar a elaboração das atas das reuniões e do Relatório Anual das Atividades do Comitê; IX - exercer outras atribuições determinadas pelo Presidente ou pelo Plenário, necessárias ao desenvolvimento das atividades do Comitê. Frente a esses encargos, reitera-se que são requisitos interessantes para o Secretário, a proximidade física e a confiança do Presidente do Comitê. COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - COMPETÊNCIAS -

25 25 Além das competências previstas no art. 44 ( Lei ), também são atribuições da Secretaria Executiva: (1 de 3) I - criar rotina de fluxo de documentos e publicações, organizar a tramitação de documentos expedidos e recebidos e dar os encaminhamentos devidos (Expediente); II - catalogar, arquivar e criar rotinas de disponibilização do acervo documental (Arquivo); III - dar forma a toda documentação anterior e posterior às reuniões do Comitê, inclusive quanto aos aspectos que visem à elaboração de minutas de deliberações, moções, atas, listas de presença, enfim, toda documentação que venha a ser objeto de apreciação e deliberação por parte do Comitê (Elaboração de documentos) ; CBH & AGÊNCIA DE ÁGUA - COMPETÊNCIAS

26 26 Além das competências previstas no art. 44 (Lei 9433), também são atribuições da Secretaria Executiva: (2 de 3) IV - promover a convocação das reuniões plenárias, das Câmaras Técnicas e dos Grupos de Trabalho do Comitê; V - organizar a Ordem do Dia, secretariar, assessorar e lavrar as atas das reuniões plenárias, de câmaras técnicas e de grupos de trabalho do Comitê; VI - acompanhar e fiscalizar os programas, projetos e obras hierarquizadas e em andamento; VII - executar as medidas necessárias para o processo eleitoral dos membros do Comitê; COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - COMPETÊNCIAS -

27 27 São atribuições da Secretaria Executiva: (3 de 3) VIII - providenciar as medidas necessárias ao funcionamento do Comitê e dar encaminhamento às suas deliberações, sugestões e propostas, além das decisões tomadas pelo Plenário, sob a forma de deliberação ou de moção, providenciando suas publicações, se necessário, e arquivamento nos respectivos processos; IX - providenciar a publicação dos atos e deliberações no Diário Oficial da União; X - elaborar a minuta do Plano de Trabalho Anual para planejar a execução e acompanhamento do Plano da Bacia. COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - COMPETÊNCIAS -

28 28

29 29 PACTO PARA A GESTÃO INTEGRADA DAS ÁGUAS DA BACIA Estados / Comitê Integração + CBHs Afluentes / ANA OBJETIVOS PACTUADORES 1.Definir marcos para a gestão na Bacia 2.Estabelecer responsabilidades e compromissos entre os comitês e entre os Estados e a ANA 3.Criar sistemática de acompanhamento contínuo das metas PACTO PARA A GESTÃO DAS ÁGUA 1.Institucional (comitê de integração e agência) 2.Instrumental (pontos de controle, plano, monitoramento, regulação, sistema de informações e cobrança) 3.Investimentos (recursos financeiros e integração da aplicação de recursos) 4.Comunicação e mobilização social

30 30 GESTÃO POR BACIA HIDROGRÁFICA COMITÊ - Parlamento gestor das águas Plano da Bacia Enquadramento Valores e mecanismos da cobrança AGÊNCIA Agência - Órgão executivo VINCULADO aos Comitês Secretaria executiva dos Comitês Aplicação dos Recursos Elaboração do Plano ÓRGÃO OUTORGANTE – PÚBLICO Outorga e fiscalização dos usos das águas Arrecadação dos valores da cobrança Sistema de Informações

31 31 CONTRATO DE GESTÃO Como funciona? … da teoria à prática! CNRH: delega o exercício de funções de competência das Agências Água às Entidades Delegatárias ANA: define – em comum acordo – os termos do contrato e do Programa Trabalho (indic., metas e prazos) E. Delegatária (Agência de Água) -– executa Comitê – signatário (testemunha) e maior interessado! I - Acompanhar a Diretoria da ED na execução do Contrato de Gestão quanto aos aspectos técnicos, operacionais e em reuniões com a CACG e a CAvCG II - Ficar encarregado pela análise das documentações para o cumprimento do Contrato de Gestão, a serem enviados pela Diretoria da ED e, de apresentar ao Comitê a situação do andamento quanto ao atendimento das metas previstas do referido contrato III - Recomendar à Diretoria do Comitê, através do(a) Secretário(a) alterações e ajustes no respectivo instrumento de contratação, nos procedimentos e documentos de apoio nos contratos e normas específicas da ED quando se fizer necessário. Plano de Aplicação: é um instrumento normativo do Comitê de Bacia que permite a definição estruturada das ações (Plano de Rec.Hídricos) a serem implementadas a partir dos recursos auferidos com a cobrança pelo uso dos recursos hídricos e as condições a serem observadas para a sua utilização. Plano de Aplicação (PA) – destina-se a embasar tecnicamente o processo de escolha, acompanhamento e aferição dos resultados das ações, devendo ser estruturado segundo 4 componentes: 1) Diretrizes de Aplicação (i. trechos críticos; ii. programas e subprogramas; e iii. orçamento); 2) Manual de Procedimentos Operacionais (recepção e análise, hierarquização, seleção, contratação, acompanhamento da execução, condições para o cancelamento da execução e para aferição de resultados); 3) Chamamento Público (Edital); e 4) Deliberação PA.

32 32 AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS - ANA

33 33 COMITÊ POLÍTICO DELIBERATIVO AGÊNCIA DE BACIA TÉCNICO EXECUTIVO ORGÃO GESTOR (ESTADO) IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA Legislação Contrato Gestão Plano Bacia R$ (Contratante) Resultado (Contratado) Deliberação Resultado COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - REFLEXÕES ACERCA DOS PAPÉIS -

34 34 COMITÊ POLÍTICO DELIBERATIVO AGÊNCIA DE BACIA TÉCNICO EXECUTIVO ORGÃO GESTOR (ESTADO) IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA Comissão de Acompanhame nto do Contrato de Gestão Secretário Diretor Executivo ou Diretor Institucional (quando delegado) Diretor Executivo ou Diretor Institucional (quando delegado) COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - REFLEXÕES ACERCA DOS PAPÉIS -

35 35 COMITÊ Política e Deliberativa Técnica e Executiva AGÊNCI A Plano de Bacia Missão da AGEVAP Prestar apoio técnico e operacional à gestão integrada de recursos hídricos, planejando, executando e acompanhando ações, de acordo com Planos de Recursos Hídricos. Missão CBH (exemplo) Promover a gestão descentralizada e participativa, onde as discussões visam aperfeiçoar a gestão da água e promover políticas e ações em prol do uso racional dos recursos hídricos. Visa também promover a articulação entre os diferentes segmentos da bacia hidrográfica (indivíduos, grupos, entidades públicas e privadas e coletividades que, em nome próprio ou no de terceiros, utilizam os recursos hídricos), visando o aproveitamento sustentado dos recursos naturais, a recuperação ambiental e a geração de emprego e renda. Osman Sugiro alguns pontos: - o mais importante neste dia é definir claramente, baseado na lei, qual o papel e competência de cada entidade. No slide há dois exemplos de missão que deixa claro o papel de cada um, além de reforçar que o plano de bacia deve ser o norteador para a gestão. - destacar que os membros do CBH tem dificuldade (o que é natural) em saber qual é a sua competência, principalmente após a implantação de uma agência. - falar da experiência do CEIVAP, quando da implantação da agência alguns membros acreditavam que o comitê ia acabar. -OBS: não sei em que momento, mas sugiro registrar que o tomador do recurso da cobrança (na sua maioria prefeituras) também é membro do CBH, logo influencia nas decisões sobre o processo de aplicação de recursos (ex: prazo para assinar contrato, etc). COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - REFLEXÕES ACERCA DOS PAPÉIS -

36 36 Estrutura – COMITÊ Assembléia Geral do CBH (60 membros) Presidente Vice-Presidente Secretário Câmara Técnica (19 membros) Coord. CT Grupo de Trabalho (de 5 a 12 membros) Coord. GT Secretaria Executiva do CBH (ENTIDADE DELEGATÁRIA) Grupo de Trabalho (de 5 a 12 membros) Coord. GT Osman Sugiro alguns pontos: -Destacar a complexidade da comunicação interna no CBH. - lembrar que o CBH é composto por pessoas de várioas segmentos, com formações diferentes, etc - lembrar do número de pessoas que compõem o cbh - a importância de criação de fluxo de comunicação. (ex: secretário com coord....) - no final lembrar que a secretaria executiva é exercida por outra entidade independente que exerce a função de agência. Isto torta a comunicação mais complexa. - destacar a CTC não deve pautar o CBH. Deve ser exatamente o inverso.

37 37 Assembléia Geral do CBH (60 membros) Presidente Vice-Presidente Secretário Câmara Técnica (19 membros) Coord. CT Grupo de Trabalho (de 5 a 12 membros) Coord. GT Secretaria Executiva do CBH Grupo de Trabalho (de 5 a 12 membros) Coord. GT Assembléia Geral da AGEVAP (nº ilimitado) Conselho de Administração (05 membros – não CBH) Conselho Fiscal (03 membros) Diretoria Executiva Diretor Executivo (representante legal) ENTIDADE DELEGATÁRIACOMITÊ Gerência Proj. e Gestão (2 gerentes) Gerência Adm. Fianc. (2 gerentes) Gerência Núcleo de Comitê (1 gerente) Diretor Institucional Diretor de Recursos Hidricos Diretor Adm. Financ. Osman Sugiro alguns pontos: - neste slide mostrar o número estimado de pessoas envolvidas - ressaltar a importância de cada instituição ter uma pessoa responsável pela relação entre as duas - problemas que ocorrem: presidente de CBH e secretário demanda para a agência. CT demanda para a agência. Membros do CBH demanda para a agência. As demanda entram na agência via funcionários se o CBH não funcionar adquadamente influenciará diretamente na agência (lembrar da função política e deliberativa do CBH e técnica e executiva da agência - destacar que os membros do CA da AGEVAP não podem ser membros do CEIVAP. Posição definida em 2007 após o planejamento estratégico. Naquela época havia uma confusão sobre o papel de cada isntituição. - dar destaque que na intercessão entre o quadrilátero azul e o verde é onde se da a funação de secretaria executiva da agência. - reforçar que o CBH não deve interferir na operacionalização das demandas e a agência não deve atuar politicamente. COMITÊ & AGÊNCIA DE ÁGUA - REFLEXÕES ACERCA DOS PAPÉIS -

38 38 AGÊNCIA DE ÁGUA Assembléia Geral (nº ilimitado) Conselho de Administração (05 membros) Conselho Fiscal (03 membros) Diretoria Executiva (04 membros) Equipe (37 colaboradores) Assessorias: Jurídica Contábil Comunicação Informática CBH Guandu UD 06 Seropédica CBH Médio PS UD 01 Volta Redonda CBH Piabanha UD 02 Petrópolis CBH Rio 2 Rios UD 03 Nova Friburgo CBH Baixo PS UD 04 Campos CBH Baixo PS UD 04 Italva CEIVAP Sede Resende

39 39 Assembléia Geral (nº ilimitado) Conselho de Administração (05 membros) Conselho Fiscal (03 membros) Diretoria Executiva Equipe Núcleo de Apoio aos Comitês Associação privada sem fins econômicos Assessorias: Jurídica Contábil Comunicação Informática AGÊNCIA DE ÁGUA


Carregar ppt "1 Brasília, 08 de novembro de 2011. 2 2 SUMÁRIO 1.SINGREH – estrutura 2.Atribuições dos entes - legislação Conselhos (Nacional & Estaduais) Comitês de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google