A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EPISTEMOLOGIA A filosofia investiga a ciência. REFLEXÃO CRÍTICA SOBRE OS FUNDAMENTOS (PRINCÍPIOS E MÉTODOS) DO SABER CIENTÍFICO Estudo do método científico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EPISTEMOLOGIA A filosofia investiga a ciência. REFLEXÃO CRÍTICA SOBRE OS FUNDAMENTOS (PRINCÍPIOS E MÉTODOS) DO SABER CIENTÍFICO Estudo do método científico."— Transcrição da apresentação:

1 EPISTEMOLOGIA A filosofia investiga a ciência

2 REFLEXÃO CRÍTICA SOBRE OS FUNDAMENTOS (PRINCÍPIOS E MÉTODOS) DO SABER CIENTÍFICO Estudo do método científico (indução, dedução ou analogia) Classificação da ciência – Sociais – Naturais – Humanas – Exatas Natureza das teorias e a capacidade de explicar a realidade Status da ciência (função) e utilização (pragmática) na sociedade

3 FILOSOFIA DA CIÊNCIA A filosofia destacou-se no início no século XIX – a partir de uma polêmica entre os pensadores ingleses William Whewell ( ) e John Stuart Mill ( ). As principais contribuições iniciais para a crítica da ciência foram dadas pelo físico e filósofo austríaco Ernst Mach ( ), pelo físico e filósofo francês Pierre Duhem ( ) e pelos pensadores do Círculo de Viena. Caminhos da ciência: - Filo Pré-socrática: Busca pela Phisys - arché (princípio de todas as coisas da natureza). - unidade à multiplicidade OBJETIVOS - permanência e transitoriedade - compreender o que é universal em relação aos objetos e fenômenos investigados

4 A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA FOI IMPULSIONADA POR GALILEU NO SÉCULO XVII O que mudou foi o entendimento do que é ciência e as condições em que se dá o PROCESSO DE CONHECER CONCEITO MODERNO DE CIÊNCIA: - Aristóteles – conhecer é conhecer as causas (material, formal, eficiente e final) – metafísica; - Galileu – procedimento específico e experimental e quantitativo UNIDADE E TRANSITORIEDADE INDUÇÃO PERMANÊNCIA E TRANSITORIEDADE

5 DESTRUIÇÃO DA IDEIA DE COSMO – HIERARQUIZADO, DOTADO DE CENTRO E ILIMITADO NO ESPAÇO Ruptura com o contemplativo – metafísica Compreende o universo como geométrico A ciência moderna é: operativa – intervém na natureza – positivista A filosofia de Kant reflete essa nova relação do homem com a natureza quando ele afirma: A física e a química, no século XVII, e, posteriormente, as ciências biológicas desenvolveram-se no interior dessa nova concepção de ciência.

6 EPISTEMOLOGIA CONTEMPORÂNEA Questiona e reavalia os métodos (critérios) de verdade e validade científica; CÍRCULO DE VIENA (1920)- físicos, matemáticos, sociólogos - Criam o neopositivismo – empirismo lógico: - exigência de clareza Verificação - precisão Empírica - lógica indutiva

7 K ARL POPPER ( ) CRITÉRIO DA REFUTABILIDADE (falseabilidade da ciência) - Critica a veracidade de uma pesquisa científica A verdade de uma pesquisa se mantém até o momento em que é refutada. Até que seja demonstrada sua falsidade. Nenhuma teoria pode ser verificada indutivamente. Há a transitoriedade da validade de uma teoria Não podemos provar a verdade da existência de algo, somente a partir de PROVAS. SOMENTE A FALSIDADE PODE SER PROVADA.

8 K ARL P OPPER

9 GASTON BACHELARD ( ): RUPTURAS EPISTEMOLÓGICAS Estudo da história da ciência: serve de instrumento de análise da própria racionalidade. A ciência é parte de um processo histórico – caráter social A CIÊNCIA PROGRIDE quando há uma ruptura epistemológica – SUPERAÇÃO DE OBSTÁCULOS - Hábitos socio-culturais – é um entrave para o avanço do conhecimento: O conhecimento comum lida com um mundo dado, constituído por fenômenos, o conhecimento científico trabalha em um mundo recomeçado, estruturado em uma fenomenotécnica.

10 D O CONHECIMENTO COMUM AO CONHECIMENTO CIENTÍFICO A ciência caminha por SALTOS – recusa de pressupostos e métodos; A partir do presente, questionar os valores do passado e suas interpretações, não vendo o passado como preparação para o presente. IMAGINAÇÃO E CRIATIVIDADE

11 THOMAS KUHN ( ): PARADIGMAS E REVOLUÇÕES CIENTÍFICAS PARADIGMA: é o que os membros de uma comunidade científica compartilham e, reciprocamente, uma comunidade científica consiste em homens que compartilham um paradigma A história é uma sucessão de paradigmas. Paradigma é o momento, a ideia, a diversão, o método, modelos...

12 REVOLUÇÃO CIENTÍFICA A ciência se desenvolve durante um certo tempo a partir de uma aceitação de tese, pressupostos e categorias. Depois abre caminho para outras teses, um novo tipo de desenvolvimento científico. CIÊNCIA NORMAL: é aquela que se desenvolve dentro de certo paradigma, acumulando dados e instrumentos em seu interior. CIÊNCIA EXTRAORDINÁRIA (anormal): é aquela que surge nos momentos de crise de um paradigma. Surge nova ciência questionando os fundamentos e pressupostos da ciência anterior e propondo um novo paradigma.

13 PARADIGMAS

14 A EPISTEMOLOGIA COMPREENDE A ATIVIDADE CIENTÍFICA COMO UM PROCEDIMENTO QUE ADMITE FALHAS A ciência se torna mítica (inexplicável) quando ela está distante da realidade. As observações que levam ao conhecimento científico nascem de problemas com os quais o senso comum lida, a ciência nada mais é que o senso comum refinado e disciplinado. (Gunnar Myrdal )

15 M AS... Mas também devemos considerar que o comportamento científico se distingue do senso comum por não se manter preso às primeiras observações, indo além do observável ao promover a elaboração de teorias que, por vezes, atingem tal complexidade que fogem ao entendimento comum.


Carregar ppt "EPISTEMOLOGIA A filosofia investiga a ciência. REFLEXÃO CRÍTICA SOBRE OS FUNDAMENTOS (PRINCÍPIOS E MÉTODOS) DO SABER CIENTÍFICO Estudo do método científico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google