A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Christien Lana Racid5.3.1 Técnica de BD – Modelagem (3) UNIPAC 2º SEMESTRE 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Christien Lana Racid5.3.1 Técnica de BD – Modelagem (3) UNIPAC 2º SEMESTRE 2007."— Transcrição da apresentação:

1 Christien Lana Racid5.3.1 Técnica de BD – Modelagem (3) UNIPAC 2º SEMESTRE 2007

2 Christien Lana Racid5.3.2 Nossa empresa vende produtos para todo o país e está dividida em quatro regiões de vendas: Norte, Sul, Leste e Oeste. Cada região é divida em distritos, cada distrito é dividido em territórios e cada território está separado em áreas de vendas. Nós temos vendedores que são responsáveis por uma ou mais áreas e possuem uma cota de venda específica. Também temos gerentes que são responsáveis por um ou mais distritos e pelos territórios dentro deles. Os diretores de vendas são responsáveis por uma ou mais regiões. As responsabilidades de nossos empregados não são sobrepostas. Às vezes alguns de nossos empregados estão em missões especiais, e nesses casos, eles ficam dispensados de suas responsabilidades de vendas e administrativas. Exemplo 2 - Construção de um Modelo Entidade Relacionamento a partir de uma Contextualização

3 Christien Lana Racid5.3.3 Nossa empresa vende produtos para todo o país e está dividida em quatro regiões de vendas: Norte, Sul, Leste e Oeste. Cada região é divida em distritos, cada distrito é dividido em territórios e cada território está separado em áreas de vendas. Nós temos vendedores que são responsáveis por uma ou mais áreas e possuem uma cota de venda específica. Também temos gerentes que são responsáveis por um ou mais distritos e pelos territórios dentro deles. Os diretores de vendas são responsáveis por uma ou mais regiões. As responsabilidades de nossos empregados não são sobrepostas. Às vezes alguns de nossos empregados estão em missões especiais, e nesses casos, eles ficam dispensados de suas responsabilidades de vendas e administrativas. Exemplo 2 - Construção de um Modelo Entidade Relacionamento a partir de uma Contextualização

4 Christien Lana Racid5.3.4 AREA #* codigo * nome TERRITORIO #* codigo * nome DISTRITO #* codigo * nome REGIAO #* codigo * nome Dentro de Formada por Formado por VENDEDOR #* codigo * nome * cota Representada por Responsável por GERENTE #* codigo * nome DIRETOR #* codigo * nome Representada por Responsável por Exemplo 2 - Construção de um Modelo Entidade Relacionamento a partir de uma Contextualização (Continuação)

5 Christien Lana Racid5.3.5 Nossa empresa aluga pequenos caminhões e utilitários. Nós possuímos 347 escritórios em todo o território nacional e a nossa frota é de veículos. Cada escritório tem um nome próprio e um código numérico com 3 dígitos, pode possuir vários veículos sob sua responsabilidade, mas cada veículo deve pertencer a apenas um único escritório. A empresa trabalha com cinco tipos diferentes de veículos: caminhões pequenos, médios e grandes, e utilitários cabine simples e dupla. Cada tipo possui código próprio e nós precisamos manter informações sobre a data da última manutenção e a data do vencimento do registro para todos os veículos. Para os caminhões precisamos saber a leitura do odômetro, a capacidade do tanque e se possui rádio ou não. A nossa empresa aluga veículos para pessoas físicas ou para outras empresas, e para cada veículo alugado é efetuado um contrato. Das empresas locatárias precisamos armazenar apenas o nome e o endereço. Das pessoas físicas precisamos armazenar o nome, endereço, telefone e o N° da habilitação. Cada contrato de aluguel é identificado pelo número do escritório de origem mais um número de identificação do contrato, e nós precisamos armazenar também a data do aluguel, a duração provável, o escritório de retirada, o escritório para entrega, o depósito efetuado e as taxas diárias e por quilômetro. Exemplo 3 - Construção de um Modelo Entidade Relacionamento a partir de uma Contextualização

6 Christien Lana Racid5.3.6 CONTRATO #* num * data * duracao * entrega * deposito * tx_dia o tx_km ESCRITORIO #* num * nome * endereco PESSOA #* habilitacao * nome * endereco o telefone EMPRESA #* num * nome * endereco VEICULO #* id_num * reg_num * data ult. manut. * data venc. reg. CAMINHÃO * odometro * radio * tanque TIPO #* num * desc. para Parte de Alugado via Originado de A origem de Encaminhado para O receptor de Responsável porPertence a Se enquadrar englobar Parte de * * Obs.: significa que CONTRATO recebe a chave primária de ESCRITÓRIO Exemplo 3 - Construção de um Modelo Entidade Relacionamento a partir de uma Contextualização (Continuação)

7 Christien Lana Racid5.3.7 Relacionamentos de Muitos-para-Muitos (N:M) Durante a Modelagem Conceitual podem surgir relacionamentos do tipo de muitos-para-muitos, que devem ser resolvidos antes do Projeto Lógico. TITULO #* codigo * nome FORNECEDOR #* numero * nome Fornecido porO fornecedor de Este Problema é solucionado, criando-se uma Entidade de Interseção. TITULO #* codigo * nome FORNECEDOR #* numero * nome ITEM * preco Disponível como Referente a Fornecedor de Referente a

8 Christien Lana Racid5.3.8 Resolvendo Relacionamentos de Muitos-para-Muitos Identificando o Problema TITULO #* codigo * nome FORNECEDOR #* codigo * nome Fornecido por Fornecedor de Algumas informações específicas podem não ser fornecidas pelo modelo. Qual o fornecedor de determinado título? Alguns atributos parecem pertencer ao relacionamento e não às entidades. Um atributo preço seria colocado em TITULO ou em FORNECEDOR? Nesses casos deve ser criada uma Entidade de interseção.

9 Christien Lana Racid5.3.9 Entidades de Interseção ITEM * preco TÍTULO #* codigo * nome FORNECEDOR #* codigo * nome Relacionado em Refere-se a A entidade de interseção fica com o lado muitos dos relacionamentos. Os relacionamentos são sempre obrigatórios a partir da interseção. Ocasionalmente pode não haver atributos para a entidade de interseção. Nesses casos ela será uma referência cruzada das ocorrências das outras entidades. Esta é uma exceção à regra de que toda entidade deve possuir atributos. Ao final da fase de análise de seu desenvolvimento, todos os relacionamentos muitos-para-muitos deverão estar resolvidos

10 Christien Lana Racid Identificadores Únicos ITEM #* codigo * preço TITULO #* codigo * nome FORNECEDOR #* codigo * nome Relacionado em Referir-se a ITEM * preco TITULO #* codigo * nome FORNECEDOR #* codigo * nome Relacionado em Referir-se a OU O identificador único de uma entidade de interseção é freqüentemente composto pelos relacionamentos com as entidades geradoras. Se os relacionamentos não forem adequados ou suficientes para identificar unicamente uma instância, podem ser incluídos um ou mais atributos necessários.

11 Christien Lana Racid Resumo O desenvolvimento de Sistemas de Banco de Dados envolve a utilização de Métodos, Técnicas e Ferramentas. O Modelo Conceitual é elaborado sob o ponto de vista do Negócio e o Projeto Lógico sob o ponto de vista do Sistema. O Modelo Conceitual deve ser independente de HW e de SW. A Técnica de Modelagem Conceitual para Aplicativos de BD Relacionais utiliza o Modelo Entidade Relacionamento - MER. Uma Entidade é algo significativo para o Negócio, que possua Atributos e sobre o qual se necessite armazenar e recuperar alguma informação. O Relacionamento é uma Associação entre Entidades. Relacionamentos de muitos-para-muitos devem ser resolvidos e simplificados, isto é, substituídos.


Carregar ppt "Christien Lana Racid5.3.1 Técnica de BD – Modelagem (3) UNIPAC 2º SEMESTRE 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google