A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

© L.A.Bertolo, professor,2010 2- 1 IMES-Catanduva Irwin/McGraw-Hill Capítulo 2 Administração Financeira & Análise de Investimentos Demonstrações Financeiras,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "© L.A.Bertolo, professor,2010 2- 1 IMES-Catanduva Irwin/McGraw-Hill Capítulo 2 Administração Financeira & Análise de Investimentos Demonstrações Financeiras,"— Transcrição da apresentação:

1 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Irwin/McGraw-Hill Capítulo 2 Administração Financeira & Análise de Investimentos Demonstrações Financeiras, Impostos e Fluxo de Caixa Departamento de Ciências Contábeis slides por Luiz A. Bertolo IMES-Catanduva © L.A.Bertolo, professor.,2010

2 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Tópicos Cobertos O Balanço Patrimonial A Demonstração de Resultados A Demonstração de Fluxos de Caixa Impostos

3 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Contabilidade e Finanças: Os contadores preparam uma porção de informações, tais como O Balanço Patrimonial A Demonstração de Resultados Eles têm seus próprios modos de fazer as coisas. Entretanto, precisamos destilar os ítens que precisamos para as finanças: O Capital de Giro Líquido … e Fluxo de Caixa Financeiro (o mais importante!)

4 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O Balanço Patrimonial Definição Demonstração Financeira que mostra o valor dos ativos e passivos da empresa num instante particular de tempo (de uma perspectiva contábil).

5 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O Balanço Patrimonial Os Principais Ítens do Balanço Patrimonial Ativos Circulantes Caixa & Títulos a Receber Inventários + Ativos Permanentes Ativos Tangíveis Ativos Intangíveis

6 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O Balanço Patrimonial Os Principais Ítens do Balanço Patrimonial Ativos Circulantes Caixa & Títulos a receber Inventários + Ativos Permanentes Ativos Tangíveis Ativos Intangíveis Passivos Circulantes Dívidas de curto-prazos + Dívidas de longo-prazos + Patrimônio Líquido =

7 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial Os ativos estão listados na ordem de liquidez Facilidade de conversão em dinheiro Sem perda significativa de valor Identidade do Balanço Patrimonial Ativos = Passivos + Patrimônio Líquido dos Acionistas

8 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial Um ativo permanente (ou fixo) pode ser classificado em: Tangível – caminhão, computador, fábricas, etc. Intangível – Marcas, patentes, etc. Um ativo circulante geralmente tem vida menor que 1 ano. Por exemplo, o estoque e contas a receber.

9 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial A diferença entre o valor total dos ativos (circulante e permanente) e o valor total do passivo (circulante e de longo prazo) é chamada de patrimônio líquido (ou capital dos acionistas, ou capital próprio) Resumindo, temos:

10 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial

11 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial O Balanço FECHA quando o lado esquerdo for igual ao lado direito. Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido O Capital de Giro Líquido é a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante da empresa

12 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial EXEMPLO 1 A empresa Bert´s Citrus possui um ativo circulante de $ 100, um ativo permanente líquido de $ 500, dívidas a curto-prazo de $ 70 e dívidas de longo prazo de $ 200. (valores expressos e milhões de $) a.Como fica o seu balanço patrimonial? b.Qual é o seu patrimônio líquido? c.Qual é o seu capital de giro líquido?

13 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial EXEMPLO 1 A empresa Bert´s Citrus possui um ativo circulante de $ 100, um ativo permanente líquido de $ 500, dívidas a curto-prazo de $ 70 e dívidas de longo prazo de $ 200. (valores expressos e milhões de $) a. Como fica o seu balanço patrimonial? b. Qual é o seu patrimônio líquido? c. Qual é o seu capital de giro líquido? Solução a. b. O patrimônio líquido será de $ 330 milhões. c. É a diferença entre o Ativo Circulante e o Passivo Circulante: CGL = $ $ 70 = $ 30 milhões.

14 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Balanço Patrimonial

15 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O Balanço Patrimonial da U.S. Composite Corporation (em $ milhões) 20X2 and 20X1 Balanço Patrimonial U.S. COMPOSITE CORPORATION Passivo (Dívidas) Ativos20X220X1E Patrimônio Líquido dos Acionistas20X220X1 Ativos Circulantes:Passivo Circulante: Caixa e equivalentes$140$107 Contas a pagar$213$197 Contas a Receber Títulos a pagar5053 Inventários Despesas Acumuladas Outros5850 Total do passivo circulante$486$455 Total dos Ativos Circulantes$761$707 Exigível a longo prazo: Ativos Fixos: Impostos Diferidos$117$104 Propriedade, fábricas, e equipamentos$1.423$1.274 Dívidas de longo prazo Menos depreciação acumulada Total dos passivos de longo prazo$588$562 Prop.Líquida, fábricas e equipamentos Ativos intangíveis e outros Patrimônio Líquido dos Acionistas Total dos Ativos Fixos$1.118$1.035 Ações Preferenciais$39 Ações Ordinárias ($1 por ação)5532 Excedente de Capital Lucros Retidos Acumulados Menos Ações do Tesouro Total do Patrimônio Líquido$805$725 Total dos Ativos$1.879$1.742Total dos Passivos e do P L dos Ac.$1,879$1,742 Os ativos estão listados em ordem de liquidez (o tanto de tempo que normalmente levaria uma empresa com operações em andamento para convertê-lo em caixa. Claramente, caixa é muito mais líquido do que propriedade, fábrica e equipamentos.

16 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O Balanço Patrimonial da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 e 20X1 Balanço Patrimonial U.S. COMPOSITE CORPORATION Passivos (Dívidas) Ativos20X220X1e Patrimônio Líquido dos Acionistas20X220X1 Ativos Circulantes:Passivos Circulantes: Caixa e equivalentes$140$107 Contas a pagar$213$197 Contas a receber Títulos a pagar5053 Inventários Despesas acumuladas Outros5850 Passivos circulantes totais $486$455 Ativos circulantes totais$761$707 Dívidas de Longo Prazo: Ativos Fixos: Impostos Diferidos$117$104 Propriedades, fábricas e equipamentos$1,423$1,274 Dívidas de Longo Prazo Menos depreciação acumulada Total do Passivo de Longo Prazo$588$562 Propriedade, fábricas e equipamentos Líquido Ativos Intangíveis e Outros245221Patrimônio Liq. Dos Acionistas: Total dos Ativos Fixos$1,118$1,035 Ações Preferenciais$39 Ações Ordinárias ($1 por ação)5532 Excedente de Capital Lucros Retidos Acumulados Menos Ações do Tesouro Total do P L$805$725 Total dos Ativos$1,879$1,742Total do Passivo e do P L dos Acion.$1,879$1,742 Aqui nós vemos o CGL crescer para $275 milhões em 20X2 a partir de $252 milhões em 20X1. Este aumento de $23 milhões é um investimento da empresa. $23 milhões $275m = $761m- $486m $252m = $707- $455

17 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXERCÍCIOS 1. Elaboração de um balanço – A Green Day, Inc. tem um ativo circulante de $ 2.500, um ativo permanente líquido de $ 6.350, um passivo circulante de $ e um exigível a longo-prazo de $ Qual é o valor do patrimônio líquido da empresa? Quanto é o seu capital de giro líquido? 2. Construa um balanço para a Sofia´s sofá com os dados fornecidos a seguir. Qual é o patrimônio líquido? Saldo de Caixa = $ Contas a receber = $ Estoque de sofás = $ Contas a pagar = $ Loja e Propriedade = $ Dívida de Longo-Prazo =

18 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva LIQUIDEZ Liquidez refere-se à velocidade e a facilidade com a qual um ativo pode ser convertido em caixa. Ouro é um ativo relativamente líquido; uma instalação fabril não o é. Na realidade, a liquidez possui duas dimensões: facilidade de conversão versus perda de valor. Qualquer ativo pode ser convertido em caixa rapidamente, desde que se reduza suficientemente o preço. Um ativo de alta liquidez, portanto, é aquele que pode ser vendido rapidamente sem perda significativa de valor. Um ativo ilíquido é aquele que não pode ser convertido em caixa rapidamente, sem que haja redução substancial do preço. A liquidez tem valor. Quanto mais líquido o negócio, menor é a possibilidade que venha a se encontrar em uma situação de insolvência (isto é, dificuldade de pagar dívidas ou comprar ativos necessários). Infelizmente, os ativos líquidos geralmente são menos rentáveis. Por exemplo, o saldo de caixa é o mais líquido dos ativos, mas algumas vezes ele não gera retorno algum, pois apenas está lá, parado. Existe, portanto, uma escolha entre as vantagens da liquidez e a perda de lucros potenciais.

19 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva CAPITAL DE TERCEIROS VERSUS CAPITAL PRÓPRIO Uma empresa que toma dinheiro emprestado geralmente dá preferência ao fluxo de caixa a ser pago aos credores. Os acionistas possuem direito apenas ao valor residual, a porção que restou após os pagamentos aos credores. O valor desse resíduo consiste no patrimônio líquido da empresa. Patrimônio Líquido = Ativo – Exigível Total Isso é verdade em termos contábeis, pois o patrimônio líquido é definido como sendo essa parcela residual. O mais importante, no entanto, é que isso também é verdadeiro em termos econômicos: se a empresa vende seus ativos e paga suas dívidas, todo o caixa fica à disposição dos acionistas. A utilização de dívidas na estrutura de capital da empresa é denominada endividamento. Quanto mais dívida (como porcentagem do ativo), maior o grau de endividamento. Conforme será discutido posteriormente, a dívida funciona como uma alavanca, no sentido em que utiliza-la pode aumentar tanto ganhos como perdas. Portanto, a alavancagem financeira aumenta o potencial de remuneração para os acionistas, mas ao mesmo tempo aumenta o potencial de situações de insolvência e falência.

20 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs. Valor Contábil Valores Contábeis são determinados pelo GAAP = Generally Accepted Accounting Principles = Princípios de Contabilidade Geralmente Aceitos Valores de Mercado são determinados pelos valores correntes Os Valores de Mercado do Patrimônio Líquido e dos Ativos são geralmente maiores do que seus Valores Contábeis.

21 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs. Valor Contábil Exemplo De acordo com o GAAP, sua empresa tem um patrimônio líquido que vale $6 bilhões, débitos que valem $4 bilhões, ativos que valem $10 bilhões. Os valores de mercado das 100 milhões de ações de sua empresa a $75 por ação e a dívida de $4 bilhões. Q: Qual é o valor de mercado dos seus ativos?

22 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs. Valor Contábil Exemplo De acordo com o GAAP, sua empresa tem um patrimônio líquido que vale $6 bilhões, débitos que valem $4 bilhões, ativos que valem $10 bilhões. Os valores de mercado das 100 milhões de ações de sua empresa a $75 por ação e a dívida de $4 bilhões. Q: Qual é o valor de mercado dos seus ativos? R: Como (Ativos=Passivos + Patrimônio Líquido), seus ativos devem ter um valor de mercado de $11,5 bilhões.

23 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs. Valor Contábil Exemplo (continuação) Valor Contábil do Balanço Patrimonial Ativos = $10 bil Dívidas = $4 bil Patrimônio Líquido = $6 bil

24 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs. Valor Contábil Exemplo (continuação) Valor Contábil do Balanço Patrimonial Ativos = $10 bil Dívidas = $4 bil Patrimônio Líquido = $6 bil Valor de Mercado do Balanço Patrimonial Ativos = $11,5 bil Dívidas = $4 bil Patrimônio Líquido = $7,5 bil

25 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs Valor Contábil O balanço patrimonial fornece o valor contábil dos ativos, passivos e patrimônio líquido. O valor de mercado é o preço no qual os ativos, passivos ou patrimônio líquido podem realmente serem comprados ou vendidos. Valor de mercado e valor contábil são freqüentemente muito diferentes. Por que? O que é mais importante no processo de tomada de decisão?

26 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Valor de Mercado vs Valor Contábil EXEMPLO A KLINGTON Corporation possui ativo permanente com um valor contábil de $ 700 e um valor estimado de $ O capital de giro líquido contábil é $ 400, mas se todos os ativos circulantes fossem liquidados, seriam realizados por volta de $ 600. A dívida a longo prazo, tanto em valor contábil quanto em valor de mercado é $ 500. Qual é o valor contábil do patrimônio liquido? Qual o valor de mercado do patrimônio liquido? Podemos construir dois balanços simplificados, um em termos contábeis e outro em termos econômicos (valores de mercado) Nesse exemplo, o patrimônio líquido na verdade vale quase duas vezes mais do que o apresentado no balanço. A distinção entre valor contábil e valor de mercado é importante precisamente porque o valor contábil pode ser muito diferente do verdadeiro valor econômico

27 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados Definição Demonstração financeira que mostra os luros, as despesas, e o rendimento líquido de uma empresa durante um período de tempo (de uma perspectiva contábil).

28 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Demonstração de Resultado A demonstração de resultado é mais provavelmente um vídeo das operações da empresa para um período específico de tempo. É uma parte importante dos demonstrativos contábeis exigidos por lei que as empresas de capital aberto (com ações negociadas na bolsa) devem divulgar, periodicamente. Você geralmente relata os rendimentos primeiro e daí deduz qualquer despesa para o período

29 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados Lucro Antes dos Juros e dos Impostos (LAJIR) = Earnings Before Income & Taxes (EBIT) LAJIR = Rendimentos totais - custos - depreciação

30 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados

31 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados

32 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados

33 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados

34 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados

35 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados A ordem a ser seguida na construção da DRE é: 1. Receita 2. Despesas Operacionais 3. Depreciação 4. LAJIR (1 – 2 – 3) 5. Juros Pagos – Despesa Financeira 6. Lucro Tributável (4 – 5) 7. Impostos 8. Lucro Líquido (6 – 7)..... Bottom Line 9. Dividendos 10. Adição a Lucros Retidos (8 – 9)..... deve ser somada à conta de lucros retidos acumulados

36 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados Demonstração de Resultados da Pepsico (final do ano de 1998) Vendas Líquidas Custos dos Bens Vendidos9.330 Outras Despesas 291 Despesas de Vendas Despesa de depreciação LAJIR2.581 Despesa Líquida de Juros 321 Lucro Tributável2.260 Impostos sobre o Lucro 270 Lucro Líquido1.990

37 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados Demonstração de Resultados da Pepsico (final do ano de 1998) Vendas Líquidas Custos dos Bens Vendidos9.330 Outras Despesas 291 Despesas de Vendas Despesa de depreciação LAJIR2.581 Despesa Líquida de Juros 321 Lucro Tributável2.260 Impostos sobre o Lucro 270 Lucro Líquido1.990

38 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Resultados Demonstração de Resultados da Pepsico (final do ano de 1998) Vendas Líquidas Custos dos Bens Vendidos9.330 Outras Despesas 291 Despesas de Vendas Despesa de depreciação LAJIR2.581 Despesa Líquida de Juros 321 Lucro Tributável2.260 Impostos sobre o Lucro 270 Lucro Líquido1.990

39 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Demonstração de Resultados da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Demonstação de Resultados U.S. COMPOSITE CORPORATION Total das receitas operacionais Custo de vendas das mercadorias Despesas administrativas, gerais e de vendas Depreciação Lucro operacional Outros lucros Lucro antes dos juros e imposto de renda-LAJIR Despesas de Juros Lucro Tributável Impostos Corrente: $71 Deferido: $13 Lucro líquido Lucros retidos: $43 Dividendos: $43 A seção de operações da demonstração de resultados relata as receitas e as despesas das operações principais da empresa $2, , $ $ $ $86

40 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva (em $ millhões) 20X2 Demonstração de Resultados U.S. COMPOSITE CORPORATION Total da receita operacional$2,262 Custo das Mercadorias Vendidas- 1,655 Selling, general, e despesas administrativas- 327 Depreciação- 90 Lucro Operacional$190 Outros Rendimentos29 Lucro antes dos juros e do imposto de renda$219 Despesa de juros- 49 Lucro tributável$170 Impostos- 84 Corrente: $71 Diferido: $13 Lucro Líquido$86 Lucros Retidos: $43 Dividendos: $43 A seção não operacional da demonstração de resultados inclui todos os custos financeiros, tais como despesas de juros. Demonstração de Resultados da U.S.C.C.

41 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva (em $ milhões) 20X2 Demonstração de Resultados U.S. COMPOSITE CORPORATION Total das receitas operacionais Custos das Mercadorias Vendidas Selling, general, e despesas administrativas Depreciação Lucro Operacional Outros Lucros Lucro antes dos juros e do imposto de renda Idespesa de juros Lucro Tributável Impostos Corrente: $71 Diferido: $13 Lucro Líquido Lucros Retidos: $43 Dividendos: $43 Usualmente uma seção separada relata como um ítem separado a quantia de impostos cobrados sobre o lucro. $2, , $ $ $ $86 Demonstração de Resultados da U.S.C.C.

42 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva (em $ milhões) 20x2 Demonstração de Resultados U.S. COMPOSITE CORPORATION Receitas operacionais total Custo das vendas das mercadorias Despesas de endas, gerais e administrativas Depreciação Lucro das operações Outros rendimentos Lucro antes dos juros e impostos Despesas de juros Lucro Tributável Impostos Corrente: $71 Diferido: $13 Lucro líquido Lucros Retidos: $43 Dividendos: $43 Lucro líquido é a linha de fundo. $2, , $ $ $ $86 Demonstração de Resultados da U.S.C.C.

43 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Demonstração de Resultados Exercícios 1. A Kuipers Manufacturing Co. tem vendas de $ , custo de $ , despesa de depreciação de $ , despesas de juros de $ e alíquota de imposto de renda de 34%. Qual é o lucro líquido da empresa? 2. Suponha que a empresa do exercício anterior tenha distribuído $ em dividendos. Qual é o acréscimo a lucros retidos? 3. Suponha que a empresa da questão anterior possua ações ordinárias disponíveis. Qual é o lucro por ação, ou LPA? Qual é o dividendo por ação, ou DPA?

44 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Demonstração de Resultados Exercícios Aqui estão alguns dados sobre a Fincorp: a.Construa o balanço patrimonial para a Fincorp para 1999 e Qual é o patrimônio líquido? b.O que aconteceu com o capital de giro líquido durante o ano de 2.000? c. Construa a demonstração de resultados para a Fincorp para e Quais foram os lucros acumulados para 2.000? Como isso se compara com o aumento no patrimônio líquido entre os dois anos? d. Suponhamos que a Fincorp tenha 500 mil ações em circulação. Quais são os lucros por ação? e. Examine os valores para depreciação em e ativos fixos líquidos em e Qual foi o investimento bruto da Fincorp em instalação e equipamentos durante 2.000? Cont....

45 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Lucros vs. Fluxos de Caixa Diferenças Os Lucros deduzem a depreciação (uma despesa não monetária) Os Lucros ignoram os gastos em dinheiro sobre o novo capital (a despesa é capitalizada) Os Lucros registram os resultados e as despesas no momento das vendas, não quando as trocas de dinheiro realmente ocorrem Os Lucros não consideram variações no capital de giro

46 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Fluxos de Caixa Definição Demonstração financeira que mostra a receita de caixa e os pagamentos de caixa da empresa sobre um período de tempo.

47 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Fluxos de Caixa A identidade do fluxo de caixa é:

48 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Fluxos de Caixa O Fluxo de Caixa dos Ativos (FCA) envolve 3 componentes: Fluxo de Caixa Operacional (FCO) – é o caixa gerado pelas atividades usuais da empresa. Gastos Líquidos de Capital (GLC) – é a parte do fluxo de caixa que é reinvestida na empresa e consiste no desembolso em ativos permanentes. Variação do Capital de Giro Líquido ( CGL) – é o montante gasto no capital de giro líquido.

49 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL O Fluxo de Caixa Operacional resulta das atividades cotidianas de produção e vendas. Para o seu cálculo, precisamos encontrar a diferença entre a receita e o custo (sem depreciação, pois ela não é uma saída de caixa, e sem juros, pois são despesas financeiras). Os impostos são incluídos porque são pagos com caixa.

50 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXEMPLO Analisando a demonstração de resultados da Bertolo Corporation, em 2002 encontre o Fluxo de Caixa Operacional desta empresa naquele exercício. Solução O LAJIR da Bertolo Corporation foi de $ 694. Precisamos agora adicionar de novo a depreciação de $ 65, pois ela não corresponde uma saída de caixa (é um item não monetário). Devemos subtrair os impostos de $ 212, pois foram pagos em caixa. A equação resultante do Fluxo de Caixa Operacional é, portanto: Logo, FCO = – 212 = $ 547 O fluxo de caixa é um número importante, pois ele mostra, em nível bastante básico, se as entradas de caixa das operações cotidianas são suficientes para cobrir as saídas de caixa.

51 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXERCÍCIOS 1. A Wildcat Waters Works, Inc. apresenta vendas de $ , custo de $ 6.350, despesa de depreciação de $ e despesa de juros de $ 340. Sendo a alíquota de Imposto de Renda de 35%, qual é o fluxo de caixa operacional, ou FCO? 2. A Magazine Denise teve vendas de $ no ano de O custo dos produtos vendidos foi de $ 6.500, as despesas gerais e administrativas foram de $ 1.000, as despesas com juros foram de $ 500, e a depreciação foi de $ A alíquota de imposto da empresa é de 35%. a. Qual é o lucro antes dos juros e imposto de renda? b. Qual é o lucro líquido? c. Qual é o fluxo de caixa operacional?

52 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva GASTOS LÍQUIDOS DE CAPITAL É exatamente o dinheiro gasto em ativos permanentes menos o dinheiro recebido com a venda dos ativos permanentes.

53 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXEMPLO Solução O Gasto Líquido de Capital GLC é: GLC = (Ativo Permanente Líquido em 2002 – Ativo Permanente Líquido em 2001) + Depreciação GLC = (1.709 – 1.644) + 65 = $ 130 Esta cifra de $ 130 representa nosso gasto líquido de capital em O gasto líquido de capital poderia ser negativo? A resposta é sim. Isso poderá acontecer se a empresa vender mais ativos do que comprar. Ao final de 2001, os ativos permanentes líquidos da Bertolo Corporation eram $ (ver Balanço Patrimonial) e ao final de 2002, os ativos permanentes líquidos da empresa eram $ Qual foi o gasto líquido de capital da Bertolo Corporation?

54 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXERCÍCIOS 1. O Balanço Patrimonial da Maxwell Hammer Co., em 31 de dezembro de 1997, apresentou um ativo permanente líquido de $ 3,6 milhões e, em 31 de dezembro de 1998, o balanço apresentou um ativo permanente líquido de $ 4,9 milhões. A demonstração de resultados em 1998 apresentou uma despesa de depreciação de $ Qual foi o gasto líquido de capital da Maxwell em 1998?

55 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva VARIAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO EXEMPLO Retornando ao Balanço Patrimonial da Bertolo Corporation, verificamos que ao final de 2002, ela tinha um ativo circulante de $ e ao final de 2001, o ativo circulante era de $ Os passivos circulantes de 2002 e 2001 eram, respectivamente, $ 389 e $ 428. Calcule com esses dados a variação do capital de giro líquido. Solução O capital de giro líquido (CGL) ao final de 2002 era: CGL = – 389 = $ O capital de giro líquido ao final de 2001 era CGL = – 428 = $ 684. A variação durante o ano de 2002 do CGL foi de CGL = – 684 = $ 330 Portanto, o capital de giro líquido aumentou em $ 330, isto é a Bertolo Corporation realizou um investimento líquido de $ 330 em CGL durante o ano de 2002.

56 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXERCÍCIOS 1. O Balanço Patrimonial de 31 de dezembro de 1997 da Jordan and Jordan Manufacturing Inc., apresentou um ativo circulante de $ 900 e um passivo circulante de $ 400. O Balanço de 31 de dezembro de 198 apresentou ativo circulante de $ e passivo circulante de $ 475. Qual foi a variação de capital de giro líquido, ou CGL, da empresa em 1998?

57 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva FLUXO DE CAIXA DOS ATIVOS Com os números obtidos nas seções anteriores, estamos prontos para calcular o fluxo de caixa dos ativos. Este é obtido da seguinte maneira: Fluxo de Caixa dos Ativos = FCO – GLC - CGL Assim, FCA = 547 – 130 – 330 = $ 87 Este valor deve ser igual ao fluxo de caixa dos credores mais o fluxo de caixa dos acionistas

58 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva FLUXO DE CAIXA AOS CREDORES E AOS ACIONISTAS Representam pagamentos líquidos aos credores e aos proprietários durante o ano. Eles são calculados de maneiras análogas. O fluxo de caixa aos credores corresponde aos juros pagos menos novos empréstimos líquidos; o fluxo de caixa aos acionistas corresponde a dividendos pagos menos novos ingressos de capital. Fluxo de Caixa aos Credores = Juros - Exigível Fluxo de Caixa aos Acionistas = Dividendos – Ingresso de capital

59 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva FLUXO DE CAIXA AOS CREDORES Analisando a demonstração de resultados da Bertolo Corporation, vemos que a empresa pagou $ 70 em juros aos credores. No balanço da Bertolo Corporation de 2001 e 2002, vê-se que a dívida a longo-prazo aumentou $ $ 408 = $ 46. Portanto, a Bertolo Corporation pagou $ 70 de juros, mas tomou emprestado mais $ 46. O fluxo de caixa aos credores, portanto, foi: O fluxo de caixa aos credores algumas vezes é chamado de fluxo de caixa aos obrigacionistas. Usaremos estas duas expressões como sinônimos.

60 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXERCÍCIOS O balanço de 31 de dezembro de 1997 da empresa ABC Inc. apresentou dívidas a longo-prazo de $ 3 milhões, e o balanço de 31 de dezembro de 1998, dívidas a longo- prazo de $ 3,4 milhões. A demonstração de resultados em 1998 apresentou despesas de juros de $ Qual foi o fluxo de caixa a credores da empresa ABC durante 1998?

61 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva FLUXO DE CAIXA AOS ACIONISTAS De acordo com a demonstração de resultados da Bertolo Corporation, os dividendos pagos aos acionistas foi de $ 103. Para obtermos o ingresso de novo capital, precisamos analisar as contas de capital e reservas. Essas contas dizem-nos quanto a empresa captou coma venda de novas ações. Durante o ano, essa conta aumentou $ 40 e, portanto, o ingresso de capital novo foi $ 40. Dado isso, temos: Portanto, o fluxo de caixa aos acionistas em 2002 foi $ 63. É essencial que uma empresa preste atenção a seu fluxo de caixa para não acabar na rua da amargura.

62 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva EXERCÍCIOS 1. O balanço de 31 de dezembro de 1997 da empresa ABC Inc. apresentou $ na conta de capital social e $ 7,2 milhões em contas de reservas de capital. O balanço de 31 de dezembro de 1998 apresentou $ e $ 7,7 milhões nas mesmas contas. Se a empresa distribuiu $ como dividendos em 1998, qual foi o fluxo de caixa aos acionistas durante o ano?

63 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de caixa operacional$238 (Lucro antes dos juros e impostos mais depreciação menos impostos) Gastos Líquidos de Capital GLC-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos) Variação do capital de giro líquido CGL -23 Total$42 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo) Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais) Total$42 Fluxo de Caixa Operacional: LAJIR $219 Depreciação $90 Imposto Corrente ($71) FCO $238

64 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de caixa operacional$238 (Lucro antes dos juros e impostos mais depreciação menos impostos) Despesa de Capital-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos) Adições ao capital de giro líquido-23 Total$42 Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo) Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais) Total$42 Despesa de Capital Compra de ativos fixos $198 Vendas de ativos fixos (25) Despesa de Capital $173 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa

65 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de Caixa Operacional$238 (Lucro antes do imposto e dos juros- LAJIR mais depreciação menos impostos) Despesa de Capital-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos) Variações no capital de giro líquido-23 Total$42 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo) Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais) Total$42 CGL cresceu para $275 milhões em 20X2 a partir de $252 milhões em 20X1. Este aumento de $23 milhões é a Variação do CGL.

66 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de Caixa Operacional$238 (Lucro antes do imposto e dos juros- LAJIR mais depreciação menos impostos Despesa de Capital-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos) Variações no capital de giro líquido-23 Total$42 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo) ) Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais) Total$42

67 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de Caixa Operacional$238 (Lucro antes do imposto e dos juros- LAJIR mais depreciação menos impostos Despesa de Capital-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos) Variações no capital de giro líquido-23 Total$42 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais Total$42 Fluxo de Caixa aos Credores Juros $49 Quitação de Dívida 73 Serviço de Dívida 122 Novos financiamentos (86) Total 36

68 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de Caixa Operacional$238 (Lucro antes do imposto e dos juros- LAJIR mais depreciação menos impostos) Despesa de Capital-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos)) Variações no capital de giro líquido-23 Total$42 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo) Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais) Total$42 Fluxo de Caixa aos Acionistas Dividendos $43 Recompra de ações 6 Caixa aos acionistas 49 Rendimentos da emissão de novas ações (43) Total $6

69 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Fluxo de Caixa Financeiro da U.S.C.C. (em $ milhões) 20X2 Fluxo de Caixa Financeiro U.S. COMPOSITE CORPORATION Fluxo de Caixa da Empresa Fluxo de Caixa Operacional$238 (Lucro antes do imposto e dos juros- LAJIR mais depreciação menos impostos) Despesa de Capital-173 (Aquisições de ativos fixos menos vendas de ativos fixos) Variações no capital de giro líquido-23 Total$42 Fluxo de Caixa dos Investidores na Empresa Dívidas$36 (Juros mais quitação de dívidas menos novos financiamentos a longo prazo) Patrimônio Líquido6 (Dividendos mais recompra de ações menos ingresso de novos capitais) Total$42 O caixa recebido dos ativos da empresa deve ser igual ao fluxo de caixa aos credores e aos acionistas da empresa:

70 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola Durante o ano, a Dole Cola, Inc. apresentou vendas de $ 600 e custos da mercadoria vendida de $ 300. A depreciação foi de $ 150 e os juros pagos foram de $ 30. Os impostos foram calculados com a alíquota de 34%. Os dividendos pagos foram $ 30. a. Elaborar a DRE de 1998 da Dole Cola

71 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola O Fluxo de Caixa Operacional (FCO) é: FCO = LAJIR + Depreciação – Impostos = $ $ $ 41 = $ 259

72 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola b. Suponha que o Ativo Fixo Líquido inicial fosse $ 500 e seu valor final fosse $ 750. Qual teria sido o Gasto Líquido de Capital, ou GLC? (ATIVO FIXO) = 750 – 500 = $ gasto com ativos fixos GLC = (ATIVO FIXO) + Depreciação = $ $ 150 = $ 400

73 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola c. Suponha que a Dole tenha iniciado o ano com um ATIVO CIRCULANTE de $ e um PASSIVO CIRCULANTE de $ Os números correspondentes ao final do ano são: $ e $ Qual a variação do capital de giro líquido, ou CGL? (CGL) = ($ $ 1.710) – ($ $ 1.620) = $ $ 510 = + $ 40

74 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola O Fluxo de Caixa dos Ativos será: FCA = FCO – GLC - CGL = 259 – 400 – 40 = - $ 181 Isto parece alarmanate!!!Mas não é, pois ocorreu devido a grandes investimentos em ativos permanentes..... d. Qual o Fluxo de Caixa dos Ativos?

75 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola e. Qual o Fluxo de Caixa aos Acionistas se a Dole não emitiu novas ações durante o ano? Como não foram emitidas novas ações, o fluxo de caixa aos acionistas da Dole é exatamente igual aos dividendos pagos: $ 30.

76 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva ESTUDOS DE CASOS Dole Cola Da identidade: Fluxo de Caixa aos Credores + Fluxo de Caixa aos Acionistas = - $ 181, temos, Fluxo de Caixa aos Credores + $ 30 = - $ 181 Fluxo de Caixa aos Credores = - $ 211 Isto significa que a Dole deve ter captado de terceiros para financiar a expansão do seu ativo permanente a importância de $ 241 (30 de juros pagos de fluxo de caixa aos credores). Qual o fluxo de Caixa aos Credores?

77 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Para obter fluxos de caixa: Fluxo de Caixa = Lucro antes dos juros e do imposto de renda (LAJIR) + Depreciação - Impostos - Despesas de Capital (Capital Expenditures) = CAPEX - Variação do Capital de Giro Líquido Você precisa conhecer este slide e trabalhar os problemas modelos!

78 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Fluxos de Caixa Demonstração de Fluxos de Caixa da Pepsico (extrato – final do ano de 1998) Rendimento Líquido1.990

79 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Fluxos de Caixa Demonstração de Fluxos de Caixa da Pepsico (extrato – final do ano de 1998) Lucro Líquido1.990 Despesas extra-caixa Depreciação1.234 Outras 382 Variações no capital de giro A/R=(303) A/P=253 Inv=(284) outros=(47) (381) Fluxo de Caixa das Operações3.212

80 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva A Demonstração de Fluxos de Caixa Demonstração de Fluxos de Caixa da Pepsico (extrato – final do ano de 1998) Lucro Líquido1.990 Despesas extra-caixa Depreciação1.234 OUTROS 382 Variações no capital de giro A/R=(303) A/P=253 Inv=(284) outros=(47) (381) Fluxo de Caixa das Operações3.212 Fluxo de Caixa para Novos Investimentos (5.019) Caixa Levantado por Novos Financiamentos 190 Variação Líquida na Posição de Caixa (1. 617)

81 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Contabilidade para Diferenças Aspectos subjetivos existem ao se relatar os ganhos e valor contábil Algumas responsabilidades podem ser excluídas do balanço patrimonial Os padrões contábeis internacionais variam

82 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos Os Impostos tem um maior impacto sobre as decisões financeiras Taxa Marginal de Imposto é o imposto que o indivíduo paga por cada dólar extra de rendimento. Taxa Média de Imposto é a conta total dos impostos dividido pelo rendimento total.

83 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos Exemplo – Impostos e Fluxos de Caixa podem ser mudados pelo uso de dívidas. A empresa A paga parte de seus ganhos como débito de juros. A empresa B não.

84 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos Exemplo - Impostos e Fluxos de Caixa podem ser mudados pelo uso de dívidas. A empresa A paga parte de seus ganhos como débito de juros. A empresa B não. Empresa A EBIT100 Juros 40 Rendimento Pré-tributável 60 Impostos (35%) 21 Rendimento Líquido 39

85 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos Exemplo - Impostos e Fluxos de Caixa podem ser mudados pelo uso de dívidas. A empresa A paga parte de seus ganhos como débito de juros. A empresa B não. Empresa A Empresa B LAJIR Juros 40 0 Rendimento Pré-Tributável Impostos (35%) Rendimento Líquido 39 65

86 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos ASSUNTO PARA SE PENSAR - Se você fosse ambos credor e acionista da empresa, o que geraria mais fluxo de caixa para você? (assuma Lucro Líquido = Fluxo de Caixa) Empresa AEmpresa B LAJIR Juros 40 0 Lucro antes do imposto Impostos (35%) Lucro Líquido ?

87 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos ASSUNTO PARA SE PENSAR – Se você fosse ambos credor e acionista da empresa, o que geraria mais fluxo de caixa para você? (assuma Lucro Líquido = Fluxo de Caixa) Empresa A Empresa B Lucro Líquido 39 65

88 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Impostos ASSUNTO PARA SE PENSAR - Se você fosse ambos credor e acionista da empresa, o que geraria mais fluxo de caixa para você? (assuma Lucro Líquido = Fluxo de Caixa) Empresa AEmpresa B Lucro Líquido Juros 40 0 Fluxo de Caixa Líquido 79 65

89 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva O website favorito do analista financeiro: Você pode entrar com um símbolo registrador da empresa e encontrar todas as informações que você sempre sonhou … (ou realisticamente o quê seus professores de finanças e contabilidade sonharam) Exemplo: Microsoft (registrador: MSFT)

90 © L.A.Bertolo, professor, IMES-Catanduva Recursos na Web Guia para entender dados financeiros sobre um relatório annual da IBM Uma olhada no balanço patrimonial e como seus componentes estão relacionados Clique para acessar as conexões requeridas dos web sites de Internet


Carregar ppt "© L.A.Bertolo, professor,2010 2- 1 IMES-Catanduva Irwin/McGraw-Hill Capítulo 2 Administração Financeira & Análise de Investimentos Demonstrações Financeiras,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google