A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A GESTAO DE UMA EMPRESA VOLTADA A PREVENÇAO DE ACIDENTES DO TRABALHO E AS PRINCIPAIS CARACTERISITICAS DE UM SISTEMA DE GESTAO SG Gestão de prevenção de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A GESTAO DE UMA EMPRESA VOLTADA A PREVENÇAO DE ACIDENTES DO TRABALHO E AS PRINCIPAIS CARACTERISITICAS DE UM SISTEMA DE GESTAO SG Gestão de prevenção de."— Transcrição da apresentação:

1 A GESTAO DE UMA EMPRESA VOLTADA A PREVENÇAO DE ACIDENTES DO TRABALHO E AS PRINCIPAIS CARACTERISITICAS DE UM SISTEMA DE GESTAO SG Gestão de prevenção de riscos ocupacionais

2 Cenário Um grande número de organizações e especialistas têm procurado a razão pela qual muitas empresas não conseguem reduzir os acidentes de trabalho, o que levou, por muitos anos, o surgimento de várias teorias ou abordagens que evoluíram. Desde o início, dada a relação entre risco e acidente de trabalho ou doença profissional, as técnicas para evitar o aparecimento destes foram baseados na eliminação do perigo, a capacidade de acessar o empregado para o mesmo ou o tempo de exposição. Se não existe o perigo, sem o risco e, portanto, não pode causar qualquer acidente ou doença ocupacional No cenário internacional em 1989, o comitê do Senado espanhol que decidiu sobre Lei de Remuneração dos primeiros trabalhadores desde que a legislação deve ser apoiada pela máxima " é melhor prevenir do que remediar", sublinhando que " os acidentes causados por processos mecânicos corrigido no muitos casos, por meio da mecânica ". Por um longo tempo ele levantou a necessidade de medidas de proteção de máquinas, locais de trabalho, etc.., Que foram definidas em normas.No entanto, mesmo nos lugares onde esses padrões adotados com sucesso, os acidentes continuaram a ocorrer. Era preciso analisar as razões para isso, mostrando que os acidentes não eram unicamente devido a fatores técnicos, mas existem vários outros fatores que poderiam gerar, como ambiente de trabalho e atos inseguros realizados por dos trabalhadores.

3 Cenário Nos Estados Unidos a Lei Americana sobre Saúde e Segurança Operacional (OSHA) de 1970 coloca a segurança e a saúde dos trabalhadores sob a responsabilidade direta da empresa. Ele enfatiza que os gestores são diretamente e, portanto, legalmente responsável pela segurança de uma organização, abrangendo sistemas, uma abordagem que foi posteriormente incluída na legislação da União Europeia. A teoria clássica da prevenção tem como objetivo de proteger a saúde acima de tudo, esquecendo-se o conceito de empresa em que as pessoas realizam a sua saúde e segurança no trabalho que está protegida. A segurança e a saúde dos trabalhadores não tem sido levado em conta como essencial no negócio da empresa, considerando-se o negócio que a segurança é simplesmente um custo que deve ser suportado pela empresa, sem qualquer valor adicional além do conceito ético de preservar a vida do trabalhador. Atualmente com a gestão voltada a prevenção existe uma sinergia real entre o social e o econômico. As pessoas são consideradas como o principal recurso da empresa, os processos de que sejam parte são básicos e fundamentais para melhorar o projeto de negócio. Prevenção não é mais considerado como um conflito e torna-se necessária uma colaboração entre as empresas e trabalho, vendo-a como um investimento e não um custo. Passámos de uma situação de conflito para uma situação de cooperação entre o social e o econômico.

4 Gestão de Prevenção A introdução do conceito de gestão da prevenção de riscos ocupacionais nas organizações é algo novo. Daí o aparecimento de " sistema de gestão " Dicionário de María Moliner a define: Sistema: Conjunto ordenado de normas e procedimentos que funciona ou funciona a coisa." Gestão: Medidas tomadas para conseguir algo ou o tratamento de um caso. Projetamos um sistema que através de uma série de regras e procedimentos do trabalho na empresa direcionado para a obtenção de um objetivo. A empresa deve ser entendida como um sistema constituído por um conjunto de processos, tudo visando a criação de valor e entrega do produto ou serviço atende às necessidades de seus clientes. Uma falha em qualquer um dos processos irá afetar o resultado do sistema, que em maior ou menor grau, também incidir sobre os resultados do negócio. Mas dentro dos processos que compõem a empresa, alguns deles será o atendimento ao cliente interno : o trabalhador. Assim, o fracasso de um processo preventivo não só dizer, como pretendido no modelo clássico, um risco para a saúde dos trabalhadores, por sua vez, cria um risco para o resultado global da empresa.

5 Gestão de Prevenção Este sistema tem um objetivo comum: O da empresa. Mas, por sua vez, tem um premio alvo específico para o projeto e desenvolvimento do sistema. Esses objetivos específico Orientação ao trabalhador, Precaução e Saúde. O conceito de processo nos ajuda a entender que a integração da prevenção em todas as atividades e decisões empresariais, não só necessárias, como resultado de uma obrigação legal, mas uma vez que é mais da empresa, esta falha provoca falhas no sistema. Em todos os processos da empresa são úteis e essenciais dentro do sistema global. A empresa é uma soma de processos, se um deles falhar impacta em seu resultado final.

6 Gestão de Prevenção Na gestão de processos, prevenção incorporá-los dentro de uma resultados integrados, internamente consistentes para todos os processos que atuam diretamente nas transações. As funções de sistemas de coordenadas, independentemente de quem os faz, e não podemos aplicar a famosa frase " Essa é a responsabilidade da segurança " -. Toda a responsabilidade da transação é de responsabilidade de um gerente de delegação, mantendo a responsabilidade final pelo resultado da prevenção. O Departamento participa na coordenação e conflitos entre processos preventivos e de outros processos de negócios, mas não em uma transação ou processo sendo, portanto, em última análise, responsável pela segurança e saúde dos trabalhadores.

7 Gestão de Prevenção Na prevenção, a organização deve atuar em mais de um cartão, o acidente deve comprometer-se, simultaneamente, em todas as frentes : a técnica e a cultura de gestão. Gestão da prevenção é o processo através do qual a empresa realiza o planejamento das atividades a serem realizadas, executa, avalia o resultado em relação ao resultado esperado e, finalmente, executar ações corretivas canalizou a sistema de acordo com os requisitos da política de companhia. Este processo deve ser desenvolvido em ciclos, garantindo um processo de melhoria contínua.

8 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações Surgiram os Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (SGSSO) os quais para que tenham resultado devem ser utilizados de forma consistente, em conjunto e em simultâneo. Utilizando o exemplo do dominó, quando remover um deles, se a frente e para trás são muito próximos, quando cai acima também cai para trás. Para a linha não cair, devemos remover várias abas, uma vez que o buraco que devemos parar na linha deve ser maior que o comprimento de um guia. O sistema de gestão é a forma como a empresa realiza essas atividades, definindo a organização, as funções e as responsabilidades entre os membros da empresa, as atividades a serem realizadas em cada um dos quatro pontos do processo e toda a documentação de apoio.

9 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações Prevenção e manejo de sistema de gestão de prevenção são, portanto, dois conceitos intimamente relacionados e não pode ser entendida sem a outra, mas não devemos confundir. Um dos principais problemas que se colocam a concepção do sistema baseia- se nas necessidades da empresa. Não se esqueça que o sistema deve se adaptar à empresa e não a empresa no sistema, como ocorre em muitos casos.

10 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações Para Sistemas de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional ( SGSSO ) pode ser usado como auto Legislação padrão ou usar uma das recentes normas de publicação UNE EX como a BS 8800 ou OHSAS Independente do padrão escolhido, todos SGPRL terão os mesmos conceitos básicos de design, desde a gestão de qualquer atividade empresarial deve estar em conformidade com os requisitos essenciais de gestão. Para realizar um projeto correto é necessário conhecer com antecedência a situação em que a empresa está na gestão da prevenção, os resultados que você está recebendo e onde você quer ir.

11 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações Sabendo que a situação da empresa, antes de o projeto do sistema deve definir a estratégia que você vai usar para atingir os objetivos básicos ou de segurança e saúde a longo prazo. A partir daí, ele irá definir a abordagem política da empresa, que servirá como um quadro no qual ele irá desenvolver todas as atividades relacionadas com a segurança e a saúde dos trabalhadores. Definida a política de segurança e saúde e organização de prevenção, somos capazes de projetar o SGPRL.

12 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações A preparação da documentação e procedimentos escritos só podem ser devidamente desenvolvidos depois que os processos estejam claramente definidos e documentados. A fim de analisar os processos que estabelecem que as atividades que podem afetar as condições de trabalho, analisando com os resultados da avaliação dos riscos que controlam fatores. Por exemplo, devemos estabelecer processos para sistematizar e regulamentar a formação, informação, utilização e manutenção dos equipamentos de proteção individual, etc. Deve-se também analisar e projetar processos de controle e verificar o funcionamento do sistema, tais como inspeções de segurança, revisão das condições de trabalho, monitoramento de saúde, etc.

13 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações O trabalho sistemático de todos os processos definidos devem ser recolhidas nos procedimentos com Manual de Gestão constituirá a documentação do sistema. Um dos aspectos mais importantes da atividade preventiva e, consequentemente, deve ser claramente regulados pelo sistema de planejamento de prevenção. A empresa deve estabelecer objetivos e metas planejadas, a curto e médio prazo que devem ser ajustados para atingir as metas e estratégias para a saúde e segurança de longo prazo, obtendo assim uma ação coerente em toda a organização dentro do estratégia definida pela empresa.

14 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações Os elementos do sistema de controle, podem ser definidos como ativos e reativos. O primeiro irá monitorar a implementação e eficácia do sistema para evitar falhas "a priori". Por exemplo, inspeções de segurança, monitoramento de condições de trabalho, etc.. Controles reativos são aqueles que agem quando já ocorreu o dano, ou seja, analisamos o efeito gerado para evitar que se repitam.

15 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações Dentro desses controles é a investigação do acidente. Qualquer desses controles para detectar uma falha deve implementar a alteração ou revisão do sistema nos aspectos que considerem adequadas. Finalmente, é preciso avaliar o sistema em uma base regular, para o qual temos a auditoria. Através desta analisar-se-á se o sistema está em conformidade com a norma segundo a qual ele foi projetado, se os requisitos do sistema são atendidos pela organização e se atingi os objetivos da empresa na prevenção de forma eficaz e eficiente.

16 Projeto e implementação de um sistema de gestão para a prevenção dos riscos profissionais nas organizações No cenário de melhoria contínua, os resultados dos controles de auditoria servem como base para se proceder à revisão do sistema pela gestão da empresa, em seguida, fazer todas as alterações necessárias para dar-lhe a política adequada para segurança e saúde da empresa. O processo de melhoria contínua, consiste em re- planejar, implementar, avaliar e rever o sistema.

17 Política, Estratégia e Planejamento da Prevenção A administração da empresa deve definir a visão que a organização tem da prevenção de riscos profissionais, descrevendo em um imaginativo e estimular o papel que a segurança e a saúde dos trabalhadores dentro da organização representa. Todos os componentes da empresa deve arcar com os valores corporativos que sustentam as ações preventivas.

18 Política, Estratégia e Planejamento da Prevenção A segurança e a saúde dos trabalhadores deve ser impregnada e impregnando o modo de ser da empresa. Os valores compartilhados de prevenção alteram o funcionamento da empresa. Em geral, atuam como um sistema informal de controle que diz a todos na organização o que se espera deles.

19 Política, Estratégia e Planejamento da Prevenção Mais especificamente, os valores compartilhados da prevenção afetam a segurança e a saúde em três aspectos fundamentais: Ações de segurança são bem vistas. Os processos decisórios são guiados por sua percepção de valores de segurança e saúde compartilhado. Todos os funcionários trabalham de forma segura, e se sentem identificados com esse tipo de ação.

20 Política de prevenção de riscos ocupacionais Uma política de prevenção de riscos é um conjunto de princípios e intenções formais e documentados em relação à segurança e saúde dos trabalhadores. É um manifesto formal, representa o compromisso da organização assumido pela alta administração, em comparação com os trabalhadores, refletindo as diretrizes que visam proteger a saúde dos trabalhadores, garantindo a sua segurança e estabelecer a forma de realizar esses objetivos. Ele também representa a face pública da segurança e saúde da empresa. Assim, a política da empresa deve refletir as expectativas do público, a sociedade e os clientes de negócios, sem a preocupação de que a imagem prejudicial para os objetivos da organização. A política deve ser claramente adaptado para as atividades e necessidades da empresa. Isso mostra que a gestão tem o pensamento sobre os problemas da organização de prevenção, precisa ser melhorado e tem o desejo de resolvê-los.

21 Política de prevenção de riscos ocupacionais No entanto, todas as políticas de prevenção de riscos deve incluir o seguinte: Reconhecer que a prevenção de riscos é uma parte integrante da gestão da empresa. Incluir um compromisso de alcançar um elevado nível de segurança e saúde no trabalho, cumprindo pelo menos a legislação. Incluir um compromisso de melhoria contínua Garantir a consulta, participação e informação dos trabalhadores. Assegurar a formação adequada dos trabalhadores. Política de prevenção deve ser desenvolvido com o apoio técnico da prevenção, pela alta administração da empresa, deixando claro através de seu firme compromisso de assumi-la, implementá-lo e desenvolvê-lo.

22 Política de prevenção de riscos ocupacionais No entanto, a participação dos empregados, diretamente ou através dos seus representantes, é muito importante. Uma política de consenso entre o social e a direção da empresa gera um nível de confiança e credibilidade muito importante e, consequentemente, leva a melhores resultados. Uma vez que a política seja aprovada, deve ser divulgada a todos os membros da organização, e não apenas para ser conhecida, mas também para ser compreendido e aceito por todos os membros da organização. Cada membro deve compreender o próprio papel a desempenhar na sua efetiva implementação.

23 Gestão integrada de prevenção dos riscos profissionais na estratégia de negócios A gestão da prevenção de riscos ocupacionais atualmente carrega uma clara mudança na filosofia, uma mudança conceitual e uma mudança de ação sobre a abordagem clássica de segurança técnica. A abordagem da prevenção da gestão, consiste em uma verdadeira sinergia entre social e econômico, como a segurança e a saúde das pessoas são consideradas como essenciais para a empresa. Neste caso, as relações não são mais confronto, para se tornar colaborativo.

24 Planejamento da Prevenção Os Departamentos de Segurança e Saúde Ocupacional, baseiam-se na abordagem à prevenção e gestão deve ser integrada na gestão global empresa, o que significa que os objetivos e planejamento de prevenção são desenvolvidas dentro do quadro definido pelos objetivos e planos estratégicos da empresa. Ao adotar uma abordagem proativa com base no design de programas estratégicos para a prevenção, para o que será necessário considerar isso, mas olhando para o futuro a médio e longo prazo.

25 Planejamento da Prevenção O processo de trabalho consiste em: Definir o planejamento estratégico da empresa, no qual incluirá estratégia de prevenção. Prevenção de planejamento estratégico que define os objetivos estratégicos nesta área. As diferentes unidades de negócios estabelecer objetivos de prevenção, a fim de cumprir os objetivos estratégicos para a prevenção. O departamento vai desenvolver uma gestão de planejamento corporativo prevenção de prevenção de riscos profissionais, ou seja, definir os programas e planos necessários para atingir os objetivos definidos, em devido tempo, unindo os objetivos da unidade inteiras. O Departamento de Gestão da Prevenção da apoio a todas as unidades para a implementação de planos e programas de prevenção. O departamento de gestão de prevenção, juntamente com a gestão da empresa, vão controlar o cumprimento dos planos e programas, e vão decidir quando precisa de revisão.

26 Planejamento da Prevenção No planejamento da prevenção tem que ser definido: 1. O que queremos alcançar, de acordo com a política de prevenção e planejamento estratégico. 2. Que ações devemos tomar para obtê-lo. 3. Quando executar cada ação. 4. Quem é o responsável pela execução. 5. Com que recursos financeiros e humanos que temos para cada ação. 6. Que saída com cada ação. 7. Como avaliar esses resultados. Derivar o planejamento das necessidades preventivas da empresa e, portanto, vai depender dos objetivos.

27 Planejamento da Prevenção Para definir os objetivos que queremos alcançar vai exigir a conhecer a situação da empresa, para o qual realizamos uma análise, avaliação, prevenção e diagnóstico da empresa. Durante o processo de estabelecimento de metas a empresa define suas prioridades e objetivos-chave, entre todos aqueles que deveriam ou gostariam de alcançar. Por exemplo, uma empresa pode identificar as seguintes necessidades de prevenção : Realizar um estudo da carga mental de trabalho Conduzir uma análise de estresse térmico Reduzir os níveis de ruído na fábrica Instalar um exaustor na zona de solda.

28 Planejamento da Prevenção Para um desempenho priorizar leva em conta que 85% dos sérios danos aos trabalhadores são associados com estresse térmico e as máquinas armadilhas e, consequentemente, as áreas críticas estão relacionadas com as necessidades 2 e 3. Definir os objetivos requer um exercício de realismo por parte daqueles que o fazem. No entanto, não podemos cair em um estabelecimento de metas facilmente alcançáveis, para isso, o processo de melhoria contínua será muito lento, mesmo com a organização externa e que são um exemplo de cumprimento dos planos e programas.

29 Planejamento da Prevenção Mas como é uma meta? Se definirmos uma meta, precisamos definir uma conquista que a organização pretende alcançar em termos de prevenção, portanto, deve ser: Específica: realização deve identificam claramente os perseguidos pela organização. Daí que é geralmente definido por um verbo: reduzir os acidentes, implementar um SGSST, estabelecer um plano de observações preventivas de segurança, etc. Mensurável: evitar subjetividade. A organização deve ser capaz de analisar inequivocamente se o resultado foi alcançado. Não objetivo válido "reduzir os acidentes", mas deve definir o valor esperado da queda: "reduzir os acidentes em 30%." Temporária: quanto ao prazo para o cumprimento. A organização deve saber em que período de tempo deve ser alcançado conquista perseguida, pois o tempo em que você vai ser avaliado os resultados alcançados. Por exemplo, " reduzir os acidentes em 30% ao longo do próximo ano. " Titulável: em termos de recursos humanos e materiais a serem investidos em sua realização. Como vimos, todas as metas são atingíveis, mas a organização não pode pagar determinados investimentos ou meios rentáveis não alcançá-los (note que o conceito de retorno sobre prevenção de riscos não só valoriza os itens de resultado). Chave: para não se referir às necessidades críticas de prevenção de riscos ocupacionais para a empresa, não há sentido que eles foram tratados como tal. Por exemplo, definir um objetivo que o Comitê de Saúde e Segurança se reúne a cada três meses eu exigidos por lei, mas não pode ser considerada uma meta a cumprir.

30 Planejamento da Prevenção Definido o que é uma meta, devemos analisar o processo para estabelecer um alvo. Se a organização tem cumprido todos os objetivos fixados, proceder à criação de novas áreas críticas de desempenho e as metas correspondentes.

31 Organização Prevenção: Papéis e Responsabilidades A unidade de prevenção em qualquer caso, não pode ser integrado dentro de um departamento ou unidade da linha. Estabelecido o local da unidade ou unidades dentro do preventivo da empresa estrutura é necessário definir os recursos técnicos e humanos.

32 Os processos preventivos A gestão do processo de prevenção é chamar a atenção para o resultado de cada uma das transações ou processos preventivos que ocorrem na empresa, em vez de em tarefas ou atividades. Cada pessoa envolvida em uma transação é referenciado para o resultado final da operação, fazendo com que a sua contribuição sem perder de vista o resultado esperado, combinando as responsabilidades, que, apesar de supervisão delegada têm apenas pelos responsáveis pela prevenção, porque o que realmente importa é que os processos de trabalho e, portanto, de prevenção.

33 Os processos preventivos Na gestão da prevenção por todos os departamentos processos envolvidos ou áreas de trabalho, mas responsáveis pelo controle e monitoramento será o departamento de prevenção e, portanto, responsável por todas as operações dos processos bem conduzido. Para atingir estes controles sistémicos são reforçadas (através de sistemas) e controlos estruturais estão relaxados, enquanto a estrutura não vai coincidir com o processo.

34 Controles Ativos O processo de controle deve atender às necessidades de prevenção de cada empresa. Seu custo é elevado e gera certo desconforto na organização, por isso não deve exagerar. Na gestão da prevenção, para cada empresa, há uma série de fatores-chave ou relevância especial dos quais depende em grande parte de proteger a segurança e a saúde dos trabalhadores e vamos chamá-la crítica. Do ponto de vista de controle de gerenciamento de identificar essas variáveis- chave é essencial para determinar o tipo de aspectos que devem ser focadas em controle de processo.

35 Tipos de Controles Ativos Os principais sistemas de controle são: O controle direto Sistema de controle é predominante em pequenas organizações. Os exercícios abordam diretamente, ou em alguns casos, através de técnico de prevenção, monitoramento contínuo de conformidade com as instruções que os trabalhadores devem cumprir na prevenção. Este tipo de controle é geralmente resultados adequados, uma vez que o desempenho da maioria dos trabalhadores é um resultado do receio de advertência do endereço, ao invés de envolvimento em ação preventiva

36 Tipos de Controles Ativos Os principais sistemas de controle são: O controle burocrático. Este controle é baseado na verificação da conformidade com os requisitos especificados nos procedimentos e instruções de segurança fornecidas. As coisas devem ser feitas, como indicado nos documentos, o que envolve a composição e análise de cada uma das tarefas e atividades, analisando sua preventiva e regulando-os através de procedimentos de controle, permitindo que a delegação (mas não descentralização das decisões ) sem perder o controle e sem exigir muito supervisão direta.

37 Tipos de Controles Ativos Os principais sistemas de controle são: Controle de resultados. Esta passou a ser a forma clássica de controle da atividade preventiva. Prevenção é controlado através dos resultados de acidentes na empresa. Consequentemente, os chamados índices estatísticos de acidentes têm sido considerados chave para refletir os resultados da ação preventiva, independentemente de como eles foram alcançados. O risco deste tipo de controle é que a matéria visando resultados de curto prazo em detrimento do longo prazo, disfarçando muitas ineficiências do sistema, desde que não tenham sido incorporados em um acidente passado.

38 Tipos de Controles Ativos Os principais sistemas de controle são: O Auto Controle Auto controle é baseado na crença de que a maioria das pessoas, se você não precisa de grandes esforços adicionais, tente agir com segurança, desde que eles sabem o que é seguro. Auto controle é possível quando existe um equilíbrio entre esforço e recompensa, entendendo este último não apenas como recompensas financeiras, mas também como ambiente de trabalho, a relação entre trabalhadores e gestores, trabalhadores, endereço, etc.

39 Tipos de Controles de Processo Controles de processo diferenciam-se em dois tipo : Controle de processos de negócio a partir de um ponto de vista preventivo Controle técnico destinado principalmente a controlar os elementos que podem causar danos à saúde e segurança dos trabalhadores. O controle da gestão da prevenção Processo preventivo controles para assegurar que as atividades incluídas nestes são realizados e que o resultado é eficaz.

40 Planejamento de controle de processo Dentro do conceito de administração do controle de prevenção, podemos distinguir duas perspectivas distintas, para refletir a evolução ao longo do tempo: A perspectiva clássica que limita o resultado de controle de gestão para a análise dos resultados globais : o estudo dos índices de acidentes, se reduzido, se tudo correr bem e aumentar alguma coisa está acontecendo na organização e considera- se que o gestão preventiva está falhando. A visão atual de preventivo de controlo de gestão que considera não só uma análise dos resultados, índices de pesquisa, mas analisa o contexto em que as atividades ocorrem e, em particular, os vários aspectos do comportamento individual, uma cultura de prevenção e de organização.

41 Planejamento de controle de processo Portanto, dentro das novas perspectivas de controle tem que ser exercida através de diferentes mecanismos, não só medir os resultados, mas também tentar influenciar e orientar o comportamento individual e organizacional. Consequentemente, este tipo de controle não pode ser realizada exclusivamente pela direção da empresa, tem que ser feito por todos e cada uma das pessoas que compõem a organização.

42 Planejamento de controle de processo As características básicas da gestão de controle preventivo são: As verificações devem ser feitas por toda a organização e não apenas pela administração. Você deve usar os mecanismos formais e informais. Não se limitando aos aspectos técnicos. Deve ser concebido de acordo com a organização da empresa. Inclui aspectos não qualitativos. Também deve haver um controle preventivo dos processos de produção.

43 Planejamento de controle de processo Definir o processo de controle de gestão da prevenção requer um esforço por parte da organização e devem ser cuidadosamente estabelecido, porque o seu desempenho no comportamento individual pode levar a sensibilidade e, em muitos casos, pode parecer que, ao invés de controlar a gestão da prevenção, investigamos o grau de cumprimento das funções dos trabalhadores.

44 Planejamento de controle de processo Deve-se implantar. O estabelecimento de indicadores de controle de gestão será a base para a análise do comportamento do sistema, os departamentos e indivíduos. Os indicadores devem ser ligados a variáveis -chave para ser a menor possível. Por exemplo, o número de não- conformidades, o número de trabalhadores que se reportam os riscos, etc. A definição dos valores esperados para cada indicador. Não é uma questão de analisar o valor de um indicador alcançado, mas o resultado medido é comparado com o valor esperado, o último valor será definido de acordo com os objetivos prosseguidos. Por exemplo, é aumentar o número de inspeções de segurança realizadas para detectar possíveis alterações nas condições de trabalho, uma vez que foi detectado, sem alterar -lhes proceder a uma nova avaliação de risco e foram determinados acidentes de risco não avaliadas ou protegidas. O processo de controle termina com a análise dos resultados, a avaliação dos resultados dos indicadores em comparação com os resultados esperados e analisando os resultados obtidos por cada unidade organizacional e cada um responsável por uma ação que podem influenciar o sistema, analisar tanto alcançar os objetivos e os fatores que influenciaram o seu desempenho.

45 Controles Reativos Isso já aconteceu, nós falhamos, vamos aprender com ele!!!! Qualquer sistema de gestão está sujeita a uma série de contingências que podem gerar uma falha nele. Em termos de prevenção de falha pode causar ferimentos ou danos para a saúde dos trabalhadores. No entanto, não devemos perder a oportunidade de aprender com o fracasso e para melhorar o nosso sistema para que ele não volte a ocorrer. O conjunto de controles e ações que realizamos após o fato ou evento não desejado, vamos chamá-lo de controle reativo. Ao contrário dos controles ativos são realizadas de forma não planejada, uma vez que o evento ocorreu nos obriga a reagir.

46 Controles Reativos Do ponto de vista da gestão da prevenção, a análise de um incidente, acidente ou doença profissional e suas possíveis causas enriquecimento devem permitir ações preventivas, evitando que o evento pode repetir de novo, dando-nos informações sobre as falhas potenciais do sistema que, embora não seja a principal causa do acidente, pode estar gerando falhas potenciais em ação preventiva, portanto, a análise deve ser feita globalmente. Por exemplo, um determinado acidente pode revelar que alguns proteção de uma máquina tinha sido ultrapassado pelo trabalhador lesionado. Depois disso, frequentemente há uma necessidade de influenciar o pensamento dos trabalhadores os riscos que podem ser gerados como resultado de ações negligentes. Prevenção e gestão da empresa os técnicos estão satisfeitos, consideram que o acidente foi causado por culpa do trabalhador.

47 Investigação de incidentes e acidentes Por muito tempo tenho usado vários métodos de investigar as causas dos acidentes, geralmente com base no verso de todas as sequências causais para determinar o mais simples sobre a origem da cadeia. A análise da causa - efeito é o processo da definição exata do efeito ocorreu: a acidente, ou ocorrência da doença ocupacional através da análise da situação obtido construindo o diagrama, encontrar as causas que têm estudaram o efeito originado. Para fazer deve passar por três etapas: Definição do evento ocorrido. Construção do diagrama de causa e efeito. Análise do diagrama de causa e efeito construído.

48 Investigação de incidentes e acidentes Para fazer com que a definição do caso ou o efeito que ocorreu, devemos coletar alguns dados que nos permitem saber corretamente o que aconteceu. Para fazer isso, devemos considerar o seguinte:

49 Investigação de incidentes e acidentes Por exemplo, em um acidente causado como resultado de líquido corrosivo entrarem em contato com as mãos do operador, o operador não estava usando luvas de proteção é uma das causas do acidente, mas a sua ocorrência deve ter sido gerada principalmente uma falha máquina que causou a projeção do produto, por conseguinte, a falha da máquina é a causa primária, porque se o trabalhador tomaram as luvas, mas o acidente não teria ocorrido outro incidente que ocorreu resultou em o acidente. Por outro lado, se o operador não usa a luva, se a projeção não é produzida, não existe a possibilidade de ocorrência do acidente. Por outro lado, pode haver razões para não gerar diretamente o acidente, mas que deve ser avaliada. Por exemplo, se o aparelho não foi revisto em devido tempo e, como resultado da falta de revisão, tem havido ruptura da mangueira que transporta o fluido, que tem uma falha de controle ativo, que geraram o vazamento e, por conseguinte, o acidente, sem luvas no operador.

50 Ação corretiva e controle de eficácia Uma vez definidas as medidas a serem realizadas, você deve definir o tempo para executar, definindo a responsabilidade e os custos da mesma, sempre que possível, manter o controle adequado dos prazos e da eficácia medidas estabelecidas. Note também que, por vezes, a análise da causa pode levar a conclusões errôneas. Isso não necessariamente tem que ser o resultado de uma análise ruim: em um acidente podem estar escondidos causas indetectável ou praticamente indetectável no normal, mais tarde, em outro acidente semelhante se revelará. Quando você define as medidas corretivas, é possível que, em muitos casos acertaremos, seja porque a análise das causas não têm sido corretas, como vimos antes, definindo-os bem, porque estávamos errados.

51 Ação corretiva e controle de eficácia Para controlar este problema eventuais medidas corretivas deve ser acompanhada pela extensão da sua eficácia, isto é, podemos definir a priori o que nós consideramos critérios para medir os resultados da medida e a valorização dos mesmos, conforme definido no o seguinte esquema:

52

53 Documentação A documentação deve ser organizada de uma forma que permite a integração máxima de prevenção em todas as atividades e decisões da empresa, tanto nos processos técnicos na organização do trabalho e as condições em que é fornecido, como em linha empresa hierárquica, incluindo todos os níveis da mesma. A estrutura documental do sistema deve se adaptar a essas necessidades. A documentação SGPRL é estruturado hierarquicamente em quatro níveis: O Manual. Procedimentos. Instruções de trabalho e segurança. Registros

54 Documentos ManualProcedimentos Instruções de Trabalho e Segurança Registros

55

56 Documentação O Manual é o documento básico do sistema. Quanto ao conteúdo do manual, seu conteúdo básico consiste em: Política. Organização. Definir objetivos e metas. Controles. Auditorias do Sistema. Não-conformidades. Ações corretivas e preventivas. Revisão e melhoria contínua. Lista dos processos do sistema. Os procedimentos são os documentos do sistema, contendo a metodologia utilizada pela organização para implementar o sistema estabelecido e descrito no Manual da Qualidade.

57 Documentação Os passos para desenvolver para realizar uma atividade relacionada à segurança e saúde dos trabalhadores rotineiramente repetidas, documentados, estabelecendo processos preventivos desenvolvidos pela empresa. Para definir os procedimentos para o desenvolvimento do sistema deve levar em conta os seguintes aspectos: Eles são justificados. Que refletem processos desenvolvidos pela empresa. Eles estão compreendendo cada uma um único processo ou atividade. Ter um âmbito preciso e limites.

58 Documentação Em relação ao objeto deve ser especificado o que se pretende com ele, deve ser muito conciso, compreensível e preciso e não dando qualquer margem para erro. No tocante ao escopo deve se comtemplar as atividades, processos, pessoas e áreas da organização afetadas Em relação as referências deve-se incluir uma lista de todos os documentos internos ou externos ao que diz respeito ao procedimento, tal como o Manual, regras, leis ou procedimentos, o conhecimento de que é necessário ou desejável para uma melhor compreensão do documento em questão. Em relação as responsabilidades deve demonstrar que as pessoas que estarão envolvidas na realização das disposições do procedimento, mas sem dar nomes.

59 Método para análise do processo ou avaliação de risco O objetivo deste procedimento é regular o processo de identificação de perigos, avaliação, de postos de trabalho, sem ser uma repetição do método de avaliação, que será estabelecido em documento regulamentar ou oficial que o define.

60 Procedimento para o planejamento de ações preventivas É definida por este processo sistemático que a empresa criou para detectar a necessidade de determinadas atividades, programá-los com base nos objetivos e metas estabelecidos pela organização. Ele irá incluir o planejamento estratégico e planejamento de curto prazo.

61 Procedimento para a revisão e atualização dos objetivos e metas A organização deve definir seus objetivos e metas com base em uma série de critérios, entre os quais a política de saúde e segurança.

62 Procedimento para o profissional da informação Informação aos trabalhadores deve ser assegurado através de um processo sistemático e controlado, que será definida neste procedimento.

63 Processo de consulta e participação dos trabalhadores Este processo deve incluir os dados do processo de consulta e participação para a empresa, tanto a exigência legal, conforme necessidade do sistema.

64 Processo de coordenação de negócios Para coordenados corretamente com os clientes e prestadores de serviços, devem ser obrigados a assegurar um intercâmbio adequado de informação, integração de sistemas de prevenção no local de trabalho e do sistema de vigilância da empresa principal; sistemática que será definido neste procedimento, que também deve incluir os processos de troca de informações quando a empresa é contratada.

65 Procedimento para recrutamento de trabalhadores através do emprego temporário Este procedimento regular sistematicamente a ação antes, durante e após a contratação de trabalhadores através de agências de emprego.

66 Procedimento para controle de risco de novas instalações e projetos A fim de eliminar os riscos na sua origem, através deste processo são estabelecer os aspectos básicos a serem considerados em novos projetos.

67 Processo para a investigação de eventos Qualquer dano à saúde dos trabalhadores deve ser analisada, em seguida, tomar as medidas adequadas. Consequentemente, por este procedimento vai definir o processo de notificação, investigação e ação em caso de lesão aos trabalhadores. Muitas vezes, esse procedimento é dividido em vários procedimentos: incidentes, acidentes e doenças.

68 Procedimento para monitorar a saúde Este procedimento deve regular a forma de realizar os exames médicos de pessoal periódicos, depois de uma crise prolongada ou qualquer outra atividade que possa afetar a saúde dos trabalhadores. Como visto acima, a rotina pode ser incluída no procedimento de controles ativos.

69 Procedimento de auditoria O estabelecimento de um processo de auditoria interna para avaliar sistematicamente a adequação do sistema para a empresa e a legislação é um aspecto fundamental do sistema, portanto, o processo de planejamento e realização de auditorias a ser regulamentado por este procedimento.

70 Processo de aprovação e acompanhamento das ações corretivas Evidência de descumprimento sistema detectou através de cheques, auditorias ou inspeções externas devem ser devidamente tidas em conta pela empresa. A abertura sistemática de uma não-conformidade, monitoramento, análise, fechamento, etc., ser regulada através deste procedimento.

71 Procedimento para o desenvolvimento de medidas de prevenção e proteção a adoptar (instruções de trabalho e/ou de segurança) Para realizar uma determinada atividade deve ser estabelecido em um documento escrito ( instrução de trabalho ou segurança) sistemática para realizá-la. Para gerenciar o seu desenvolvimento, aprovação e controle é necessário para regular isso através de um procedimento sistemático. Em conexão com a elaboração de procedimentos de instruções de trabalho manual e deve seguir um conjunto de diretrizes que permitam uma melhor compreensão e, portanto, a eficácia do sistema. Assim, todos os documentos devem ser: Preciso: Não dando margem para dúvidas. Simples: Permitindo que seja compreendido por qualquer componente da organização. Breves: Evitando ter que ler frases e parágrafos grandes, com baixa. Geralmente usamos uma sintaxe simples, dosando passivo máximo e usar o gerúndio, uma vez que dificultam a compreensão da leitura.

72 As instruções de trabalho e segurança Ao contrário de procedimentos, instruções de trabalho desenvolvido normalmente atingem, aplicação pequena e muito específica técnico acionável, tais como a realização de inspeções de segurança. Uma instrução pode ser incluído como parte de um procedimento, geralmente em um anexo, ou ser um documento separado. Quando as instruções de trabalho refletem o desenvolvimento de atividades técnicas do ponto de vista da prevenção são frequentemente chamados de instruções de segurança e documentação são empresas de segurança clássicos. Quanto à sua estrutura, embora, como os procedimentos devem ter uma estrutura mais semelhante possível, dada a sua especificidade pode exigir diferentes estruturas mais em linha com as questões levantadas em cada um. A respeito de sua preparação, pois eles são um documento altamente técnico pode exigir a criação de um grupo técnico de trabalho da empresa especializar-se na produção e técnicos de prevenção, de modo que o critério de consenso e permitir que tanto a capacidade operacional alta esquerda do ponto de vista da produção, preventivo, porque caso contrário geralmente cair em desuso.

73 Registros Os registros são provas documentais de que as atividades ou tarefas incluídas ou regulada pelo SGPRL foram desenvolvidas pela organização de acordo com as condições neles estabelecidas. Além disso, ambos os sistemas por meio de auditorias, como a legislação, através de inspeção, exigem uma demonstração de que os requisitos estão sendo cumpridos. Isto levou à consagração dos registros como aspecto fundamental para mostrar que as coisas estão sendo feitas, passar a auditoria e não ser punido.


Carregar ppt "A GESTAO DE UMA EMPRESA VOLTADA A PREVENÇAO DE ACIDENTES DO TRABALHO E AS PRINCIPAIS CARACTERISITICAS DE UM SISTEMA DE GESTAO SG Gestão de prevenção de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google