A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Projeto da Nova Sede do NA-SJC Proposta feita por: Nelson Macedo (CDir) Núcleo de Aprendizagem de São José dos Campos (NA-SJC) Apresentação inicial: 28/mai/2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Projeto da Nova Sede do NA-SJC Proposta feita por: Nelson Macedo (CDir) Núcleo de Aprendizagem de São José dos Campos (NA-SJC) Apresentação inicial: 28/mai/2012."— Transcrição da apresentação:

1 Projeto da Nova Sede do NA-SJC Proposta feita por: Nelson Macedo (CDir) Núcleo de Aprendizagem de São José dos Campos (NA-SJC) Apresentação inicial: 28/mai/2012 Revisão 1, para a ComGe do NA: 14/jun/2012 Revisão 2, para a ComGe do PTS: 16/jun/2012

2 Introdução: Na busca de autonomia financeira do Núcleo, levantamos a necessidade aparente de materializar uma nova Sede. Essa necessidade atende aos seguintes anseios: 1.Queremos um espaço adequado para lançar o Laboratório da Infância para a Sociedade. 2.Queremos um miniauditório, para dar cursos e palestras com menos custos. 3.Queremos viabilizar parcerias e o nosso Laboratório de ideias. 4.Queremos mudar no dia 30 de julho de No geral, queremos alavancar um ciclo de vivência para os educadores do Núcleo. Traduzindo do EALês: queremos mais prosperidade, e não a miséria que se apresenta. Segue, então, a proposta para materializar esses anseios, usando o método em implantação no PTS para gestão de projetos.

3 São 17 formulários. Objetivos: de evolução, de progresso. Indicadores. Atividades. Tempo. Dinheiro. Pessoas. Análise econômico- financeira detalhada. Plano de gestão do produto ou serviço implantado. Análise final pela equipe: progresso, evolução e possibilidades. Execução: Implantação e entrega do produto ou serviço. Acompanhamento coletivo de indicadores. Reestudo Desistência Início Fonte: o autor Arquivo no Portal Reunião psíquica (aberta à Comunidade): Justificativa. Negócios propostos. Análise do indivíduo. Análise do meio ambiente. Estudo de possibilidades. Formação da Equipe Processo a ser executado

4 Formulário de Justificativa: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Dê uma introdução, indicando a origem deste projeto: plano estratégico, iniciativa local (NA, equipe, outros). Descrever sucintamente, mas com dados suficientes para histórico. No desdobramento da estratégia de autonomia financeira, levantamos a necessidade de uma nova Sede (ver o texto no início desta apresentação). Texto das justificativas; fazer simples e resumido, em TEXTO CORRIDO, não em itens: Justificativa 1: A nova Sede movimentará o NA num esforço de sobrevivência, levando a seguir a um processo de vivência mais significativo. Justificativa 2: Serão criadas oportunidades de surgimento do humano em estado puro, cansado, invejoso e agressivo, dando possibilidade de novos estudos dirigidos. Ver os objetivos e justificativas originais: Em resumo, está mantida a fidelidade ao psíquico inicialmente proposto: Sede alugada, para ser impermanente: será assim. Estímulo à presença física dos Educadores: sim, por causa da sobrevivência. Exclusividade para articulação da espiritualidade: será de uso exclusivo, pela 1ª vez. Interface com pessoas da sociedade: está implícita nos negócios propostos.

5 Formulário do Negócio: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova sede do NA-SJC Descrição do Negócio a ser implantado; listar os produtos e/ou serviços gerados: Trata-se de fazer acontecer a nova sede do NA: Preparado para abrigar todas as atividades propostas pelo PTS para o NA; Com espaços para atividades exclusivas; Com autonomia financeira; Com potencial para realizar o Laboratório de Ideias. Obs: conferir com o texto da justificativa. Se conseguir, neste momento, descreva alternativas ao Negócio acima descrito: Ficar onde está. Liste negócios semelhantes no mundo físico (se conhecer ou se existirem): Outras sedes de NA. No quê esse Negócio é inovador para a sociedade? Qual é o seu diferencial? É a nossa base de trabalho no PTS.

6 Qual será a equipe do projeto? Será composta por pessoas que reconheçam sua necessidade individual, e que reconheçam que há influência do interesse pessoal em qualquer iniciativa. O projeto preencherá lacunas pedagógicas (progresso). Por outro lado, o fisiológico exigirá a execução material adequada (evolução). Perfis desejados (ver formulário a seguir): 1.Cristiane (responsável). 2.Nomes de participantes a definir. 3.Denise (avaliação de progresso). 4.Apoio de um contador experiente (Alaíde). 5.Consultoria de marketing e publicidade. Discutir essa lista com CDel. Reler o texto que o Nelson escreveu usando a técnica do Storytelling – para antever requisitos e áreas de conflito.o texto

7 Formulário da equipe (o corpo de manifestação da ideia): Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Nome do participante da equipe de projeto: Papel: responsável pelo estudo ou participante (especificar como): Assinatura (imprimir este formulário): CristianeResponsável pelo projeto. NomeParticipante, interessa-se pela futura gestão (síndico). NomeParticipante, interessa-se por dar cursos e ganhar dinheiro. DeniseParticipante, interessa-se pelo movimento das pessoas e avaliação de progressividade. ConsultorConsultor jurídico e contábil/tributário.Externo ao PTS. ConsultorConsultor de marketing.Externo ao PTS. NelsonAssessoria de projetos do PTS. GustavoAssessoria de projetos do PTS.

8 Desafio: a conexão realidade-verdade: Realidade Análise Ambiental - minhas verdades - Projeto Thoreau

9 Desafio: a conexão realidade-verdade: Realidade Análise Ambiental - minhas verdades - Projeto Akiross

10 Interesses pessoais? Individuais? Coletivos? 1.Vamos mexer com muito dinheiro. 2.Cada negócio que der certo levará torpedos de inveja de pessoas ao redor e muito além, em particular se estiverem na pior financeiramente. 3.Nossa exposição social vai aumentar muito, tanto na vizinhança quanto nos meios religiosos. 4.Nossa exposição jurídica/legal vai aumentar muito. 5.Ao participar deste projeto, a criança pulará, agredirá, exigirá, lutará pelas suas ideias. 6.Campo vasto para a tendência esquizofrênica, que irá ignorar as reais necessidades do projeto. 7.Estamos falando de poder e desejo, com revestimento de bondade, caridade, trabalho fraterno, ajuda, levar o projeto para as pessoas. 8.Queremos dinheiro, como queríamos a caça. 9.Excelente oportunidade de ver o que buscamos, de verdade. A virtude, no humano, é circunstancial.

11 Formulário de Análise do Indivíduo: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Análise de Currículos da Equipe de Projeto. Vai embasar a autoavaliação do participante. Onde a evolução (projeto) e o progresso (PPI ou Currículo Moral) se encontram: (fazer, nominando os membros da equipe). Exemplo: Satório: quer executar coisas para o PTS. Saturinha: quer movimentar fluidos pra sair da miséria. Saturo-san: sabe promover eventos e atividades. Onde a evolução (projeto) e o progresso (PPI ou Currículo Moral) se chocam: (fazer, nominando os membros da equipe). Exemplo: Satório: quer estudar. Saturinha: não consegue terminar o que começa. Saturo-san: é muito vaidoso e quer os créditos para si.

12 Formulários de Análise do Indivíduo: Fechar em Equipe Objetivos: de evolução, de progresso. Indicadores.

13 Do 4º ENAE (20/ago/2011): Índice de Desenvolvimento de Atribuição (IDA) - frequência e outros fatores. Índice de Desenvolvimento de Laboratório (IDL) - reflexão sobre autoconhecimento. Indicador proposto Índice de Desenvolvimento da Inteligência Mediúnica (IDIM) - nem tentaremos utilizar. Fisiológico PsicológicoPsíquico Índice Geral de Progressividade da Inteligência (IGPI)

14 São 2 indicadores que, compostos (somados), formam um indicador geral: 1.Um indicador de presença, com grau de zero a 5 (cinco), mede o esforço evolutivo, o compromisso. Tipo um IDA. 2.E um indicador de envolvimento, com grau de zero a 5 (cinco), permite a autoavaliação do Educador de Essencialidades. Tipo um IDL. A soma dos dois é o indicador geral, que vai de zero a 10 (dez). Propomos utilizá-lo ao longo do projeto, apurando-o (calculando-o) nas reuniões de acompanhamento do projeto. Proposta de indicadores: Índice de Desenvolvimento de Atribuição (IDA) - frequência e outros fatores. Índice de Desenvolvimento de Laboratório (IDL) - reflexão sobre autoconhecimento. Indicador proposto Fisiológico Psicológico

15 1.De forma geral, o IDA seria composto pela presença a três tipos de eventos: eventos tipo 1: os principais do NA (SIM, dim SIM, dim. PTS, perispírito, dim. FEEE, MVS) - somente seriam permitidas faltas justificadas. eventos tipo 2: o segundo anel do NA (Sede de Quê, sábado mensal, curso de autoconhecimento) – seriam permitidas até 30% de faltas. eventos tipo 3: atividades cogentes para aquela pessoa: bazar, reunião ComGe, reunião DirEx, reunião do projeto - não pode faltar. 2.No nosso caso, interessa APENAS a participação nos eventos do projeto que aquela pessoa se comprometeu a tocar. Seria um indicador LOCAL para o projeto. 3.Exemplo: eu tive 80,2% de presença aos eventos do projeto, de acordo com o acompanhamento feito pelo responsável pelo projeto. Convertendo para a escala de 0 a 5, e dá nota 4,0. 4.Eu acho que temos que medir tudo (projeto + atividades do NA), para prevenir o problema de dar desculpa para faltar ao NA por causa de projetos. Só não sei como fazer isso. Talvez separando um IDA geral e um IDA do projeto. 5.Ou não. Deixaria como sendo geral, apoiando a discussão dos objetivos de progresso definidos em equipe para cada um de seus membros. 6.Fica complicado implantar isso apenas para quem está em um projeto, deixando de fora quem não está em nenhum projeto. IDA:

16 De modo geral, o IDL será composto pela nota que a pessoa dará a si mesma frente a cinco perguntas, por sua vez escolhendo uma entre 5 alternativas. Vamos às perguntas e alternativas, que seriam de aplicação periódica, ao longo do projeto: a) No período considerado após a última avaliação (semana passada, por exemplo), eu confrontei as tendências contrárias ao meu autoconhecimento: Nunca Quase nunca Médio Quase sempre Sempre b) No período considerado, eu coloquei minhas aptidões para trabalhar: Nunca Quase nunca Médio Quase sempre Sempre c) Nas oportunidades oferecidas no período, eu utilizei o convívio como ferramenta de autoconhecimento: Nunca Quase nunca Médio Quase sempre Sempre d) Eu tenho feito auto-observação de meus movimentos sentimentais e emocionais mais complicados: Nunca Quase nunca Médio Quase sempre Sempre e) Eu tenho me esforçado para estudar as informações que eu recebo: Nunca Quase nunca Médio Quase sempre Sempre No nosso exemplo, a pessoa deu nota 3 para as questões a) a d), e nota 4 para a questão e); média de 16/5 = 3,2. Pode deixar pergunta em branco – entra na média como zero ou total inconsciência. IDL:

17 Obtenção do valor final = o indicador geral: Somando 4,0 com 3,2 = 7,2 ou 72% de valor geral. É importante avaliar a variação no tempo, e por isso é importante manter a base - as mesmas perguntas e o mesmo padrão de cobrança de presença. As notas devem ser expostas diante da equipe do projeto, e os embates e dúvidas que surgirem deverão ter orientação de um Educador de SIM e também deverão ser anotados pelo responsável pelo projeto. Utilizar o formulário de Análise do Indivíduo quando fizer os debates em equipe. Indicador geral (IDA + IDL): Índice de Desenvolvimento de Atribuição (IDA) = 4,0 Índice de Desenvolvimento de Laboratório (IDL) = 3,2 Indicador geral = 7,2 (72%) Fisiológico Psicológico

18 Formulário de Análise do Meio Ambiente: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Análise ambiental tipo SWOT – podem (e devem) ser usadas outras técnicas. Ambiente externo ao PTS (escrever apenas coisas que sejam importantes): Oportunidades externas: A cidade está em franco crescimento. E conta com muitos seres na condição de saturados, procurando por saídas. Riscos externos: Aspectos desconhecidos ou mal aplicados da legislação, para operação da nova sede conforme desejamos. Ambiente interno ao PTS (pode escrever tudo que vier a observar – em algum momento, haverá aproveitamento, porque são dados de laboratório): Vantagens que temos: O PTS tem investidores e tem pessoas dispostas a montar negócios na nova Sede. Temos um curso implantado (MVS), que pode injetar recursos com rapidez. O que é nosso e pode atrapalhar: O investimento é significativo, principalmente para o NA, que não tem experiência e terá que pedir dinheiro aos membros, ou empréstimo bancário. Nossa virtude atual é circunstancial, pois até agora ninguém tinha nada a perder (por isso a figura inserida no slide da equipe e também o slide de interesses).

19 Este projeto, em particular, tem as características de um programa, pois abrigará vários projetos. Que não serão detalhados aqui. Faremos apenas uma breve descrição, sendo que a avaliação econômico-financeira, mais adiante, deverá levar em conta cada projeto (negócio) que a Sede abrigará.

20 1.Negócios estatutários do NA-SJC: a)Laboratório da Infância. b)Cursos: MVS, Contos de Fadas, Sexualidade. Obs: cada um deles terá um plano de marketing específico, quando do detalhamento de projetos. 2.Negócios de participação como prestador de serviço e/ou ESTRUTURADOR: a)Ateliê. b)Bazar. c)Café com Pão (servimento INTERNO). d)Futuros projetos do Laboratório de Ideias. Obs: podemos implantar planos de marketing específicos, dependendo da assessoria que for combinada com o NA. 3.A seguir, resumiremos o que alcançamos no momento. Link para uma planta de imóvel Link para o filme do imóvel Negócios propostos para a nova Sede:

21 Laboratório da Infância: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Laboratório da Infância Descrição do Negócio a ser implantado; listar os produtos e/ou serviços gerados: Trata-se de serviço diferenciado de cuidados para crianças: Complementar à escola. Com relatório de observação individual. Cobrança por hora. Garantia de segurança, atenção e higiene. Período definido de funcionamento. Também cuidará das crianças dos educadores do NA, quando em atividade. Se conseguir, neste momento, descreva alternativas ao Negócio acima descrito: Contratação de babá, favor de amigos ou parentes para cuidados. Liste negócios semelhantes no mundo físico (se conhecer ou se existirem): Negócio visto na África do Sul. Serviços complementares nas escolas (eu vi um em Curitiba). No quê esse Negócio é inovador para a sociedade? Qual é o seu diferencial? É o relatório de observação individual com base no que estamos aprendendo do PTS.

22 Cursos e palestras: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Cursos e palestras Descrição do Negócio a ser implantado; listar os produtos e/ou serviços gerados: Trata-se de ambiente para aplicar cursos e palestras na nova sede: Até 60 pessoas. Ambiente agradável (temperatura, ruído, limpeza, visual, conforto). Excelente projeção e som impecável. Infraestrutura preparada para funcionamento diário. Segurança para estacionamento. Serviço de lanche. Transmissões e interações em A&V pela internet. Se conseguir, neste momento, descreva alternativas ao Negócio acima descrito: Alugar lugares para eventos. Liste negócios semelhantes no mundo físico (se conhecer ou se existirem): Pro Vida monta seus cursos caríssimos em ambientes semelhantes. Escolas de filosofia aplicam seus próprios cursos. No quê esse Negócio é inovador para a sociedade? Qual é o seu diferencial? É próprio conteúdo a ser passado, pois é atividade da implantação da EE.

23 1.Café com Pão: será operada internamente, a partir de uma copa- cozinha. Servirá pão e café, quando o NA estiver em atividade. Não será uma lanchonete externa. 2.Bazar: poderá ser apenas o estoque de itens, ou poderá ser o local de funcionamento, nos dias e horários a definir. 3.Ateliê: o primeiro negócio do Laboratório de Ideias. 4.Outros negócios (nunca no espaço do NA, a menos de períodos de incubação, conforme regras do Laboratório de Ideias). Link para uma planta de imóvel Negócios fora da atividade-fim:

24 Vamos agora estudar as possibilidades deste projeto. Seria uma análise de risco, no jargão de projetos. É muito mais ampla, e lida com nossas ações diante das possibilidades de expansão e retração de uma ideia.

25 Formulário de possibilidades favoráveis: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Lista de possibilidades, ou seja, aquilo que tem grande chance de acontecer; utilize a análise da individualidade e do seu meio ambiente. Possibilidades favoráveis à implantação da ideia proposta: 1.Demanda favorável, com mercado potencial. Ações: a)Alocar alguém com foco em marketing/vendas. Essa pessoa fará um trabalho específico de irradiação, voltado para os cursos e para o laboratório da infância. b)O contato com essa pessoa será responsabilidade do Educador Responsável pelo Projeto. 2.Cursos disponíveis para oferta. Ações: a)Garantir que os cursos estarão organizados para aplicação. b)Negociar o estímulo da remuneração para as Educadoras Marisa e Cláudia Zacharias, bem como a forma de pagamento (escrito antes de 03 de junho de 2012).

26 Formulário de possibilidades desfavoráveis: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Lista de possibilidades, ou seja, aquilo que tem grande chance de acontecer; utilize a análise da individualidade e do seu meio ambiente. Possibilidades desfavoráveis à implantação da ideia proposta: 1.Retorno de capital a muito longo prazo. Ações: a)Obter empréstimo de investidores simpáticos ao PTS. 2.Não atingir os resultados financeiros em certos negócios. Ações: a)Aumentar o resultado esperado para os demais negócios, tendo que aportar mais empréstimos onde for menos arriscado (expansão). b)Se foi o caso de não saber fazer o que fora proposto, fechar o negócio. 3.Problemas legais (alvará, por exemplo). Ações: a)Se houver solução, absorver o prejuízo; se não houver, fechar a atividade. 4.Demanda muito alta de pessoas interessadas. Ações: a)Cursos: expandir para sala de convenções em hotel. b)Laboratório: abrir mais espaço, até onde for possível ir com qualidade. 5.Brigas por interesses pessoais ou de grupinho. Ações: a)SIM e/ou consultoria de relacionamento e/ou viver com menos pessoas no NA. 6.Colapso financeiro. Ações: a)Retrair-se e ir para um local simples, até se reestruturar.

27 E quais são os objetivos do projeto? Temos um objetivo geral, que é a progressividade da inteligência. Neste caso, atrelada à evolução de uma ideia, através de um projeto. Por isso, propomos 2 objetivos: de evolução e de progresso. E um terceiro objetivo, se for muito necessário. Os objetivos levarão às atividades, desdobradas no cronograma físico-financeiro-pessoas, mais adiante.

28 Formulário de no máximo 3 objetivos (dizendo o quê, quanto, quando): Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Objetivos – devem atender à justificativa e à descrição do negócio a ser implantado. Objetivo 1 (evolução): Implantar, até 30 de julho de 2012, os projetos de sobrevivência: 1.Mudança da sede. 2.Laboratório da infância na nova sede (já com crianças de fora). 3.Curso MVS na nova Sede. 4.Curso Conto de Fadas ou Sexualidade para Adolescentes lançado(s). Objetivo 2 (progresso): Criar elementos concretos para aumentar a dignidade material e a autoestima de todos os educadores envolvidos no projeto, com relatório psicológico indicativo estruturado até 30 de julho de Objetivo 3: Estruturar, até 30 de julho de 2012, o funcionamento dos projetos de sobrevivência: 1.Bazar (junto ou separado do Ateliê). 2.Ateliê (participação do NA) 3.Café com Pão (participação do NA). Obs: este objetivo poderia ser inserido no Objetivo 1; preferimos deixar separado.

29 Formulário de Indicadores: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Indicadores de atingimento dos objetivos do projeto Objetivo 1 (evolução) Indicadores (de 1 a 3) que demonstrarão o atingimento desse objetivo: In1: Decidir em equipe. Pode ser subjetivo, desde que tenha método. In2: Avançamento das quatro coisas a serem feitas. Objetivo 2 (progresso) Indicadores (de 1 a 3) que demonstrarão o atingimento desse objetivo. In3: Acompanhamento semanal do que foi definido na Análise Individual, com obtenção do indicador aqui proposto (IDA + IDL), sempre em equipe. Aqui serão obtidos os dados para a Análise Pedagógica do Projeto. Seremos pioneiros nisso. Objetivo 3Indicadores (de 1 a 3) que demonstrarão o atingimento desse objetivo. In4: Decidir em equipe. In5: Avançamento das três coisas a serem feitas.

30 Vamos suar a camisa agora !

31 Formulário Físico-Financeiro-Pessoas (FFP): Data: 20/mar/2012 Nome da ideia ou projeto: Padaria As atividades realizam o projeto; fazer um cronograma Gantt, se necesssário. Atividade:Prazo:Custo (R$) Responsável (1º nome) e auxiliares Acompanhamento (para quando for executar): Encontrar o local.20/mai1.000Saturão, SaturaldoPlanilha separada Aprender a fazer pão.20/jun5.000Saturo-SanPlanilha separada Comprar os equipamentos20/jul Saturo-SanPlanilha separada Contratar as pessoas20/ago2.000Saturadowski, Saturinha.Planilha separada Abrir a empresa20/jul6.000(ainda indefinido)Planilha separada Detalhar o fluxo de serviço20/jun500ConsultoriaPlanilha separada Contratar o mobiliário20/mai35.000Saturo-San, SaturaldoPlanilha separada Definir os fornecedores20/jul500SaturadowskiPlanilha separada Executar as instalações20/ago45.000Saturo-SanPlanilha separada Inaugurar a padaria20/set1.000SaturadowskiPlanilha separada Total:4 meses pessoas (no mínimo) A equipe faz. É trabalhoso e detalhado.

32 A seguir, aplicaremos uma técnica para definir o negócio em operação. Chama-se Styorytelling, que literalmente é contar uma estória. Pede-se que seja bem detalhada. Isso é fundamental para entender e até mesmo revisar a viabilidade e o custo do projeto.

33 NA-SJCCDir, em 13 de favereiro de 2012 Projeto Sede Requisitos na forma de texto (storytelling) Imagine as seguintes situações e diálogos como se estivessem já ocorrendo: Estamos na Sede do NA-SJC. É dia de reunião da ComGe; como são 11 pessoas, usarão a sala pequena (com capacidade para 25 pessoas), ao invés de utilizarem o mini- auditório (com capacidade para 60 pessoas). Com as cadeiras dispostas em semicírculo, todos podem ver as imagens na TV de 50, que está ligada ao notebook. Os coordenadores iniciam a extensa pauta. Um retardatário vem da cozinha, carregando bolos. –Uma boquinha durante os trabalhos. –Ok. Nosso primeiro assunto é a próxima aula do Curso de Autoconhecimento. Como já foi publicado na nossa área de discussão no Portal, estamos com problemas de estacionamento, ar condicionado e o projetor deu um defeito. –E quem senta lá atrás não vê nada. –Isso não foi publicado, tem que entrar no Portal... Mas, tá bom, coloquemos. –Vamos começar pelo estacionamento. Temos apenas 5 vagas dentro da sede. Contamos com a rua para acomodar as pessoas, e aqui não dá mais, depois que abriu o restaurante africano na esquina. Vamos ter que mudar o curso de lugar. Uma pena, porque o nosso auditório é bom. E estamos fechando o aluguel com a renda do Curso de Autoconhecimento. –Pois é, eu falei que esse troço ia ficar pequeno, mas ninguém me ouve nessa ComGe! (parada de desestabilização). –Retomando. Vamos deliberar a busca por um novo local de curso, então. Urgente. E vamos ter que aumentar a renda, sei lá como. Pra sexta-feira. Quem vai ver isso? (alguém). –Quanto ao projetor, eu fiz cotações e vamos gastar pouco para consertar, mas vai demorar 3 semanas. Vamos ter que alugar ou comprar um segundo aparelho. –E o ar condicionado? –Ele não vence o esforço, quando o auditório está cheio. Hoje, para os cursos de dimensionamento do FEEE, dimensionamento da SIM e Sede de quê, até aguenta, porque fica mais restrito. –O bicho pega nos outros cursos. Muita gente, calorão, abafadão, não dá. –Eu queria lembrar o que eu falei lá no começo, a gente não enxerga se a gente senta lá atrás. Você anotou? Porque ninguém me ouve, né? –E você ouve alguém? (novo momento SIM). –Retomando. O local é baixo, não dá pra projetar mais alto. Só se a gente bolar uma estrutura de auditório para as cadeiras, mas isso é caro, muito caro. –Não dá pra juntar com a sala de atividades? –Vamos fazer atividades onde? –Calma, só dei uma ideia. Podemos fazer uma parede móvel, sei lá. –Isso é mais caro que... –Vamos ver. Nesta sede, nós temos o auditório, a sala de atividades e esta sala menor, que usamos para reuniões, atividades, entrevistas, conversas, para a SIM e para treinamentos mais específicos. No começo, parecia que essa estrutura ia dar. Nunca pensamos em um auditório muito grande. –Vamos alugar um local adequado para os cursos que chamam muita gente. (deliberado) –Próximo assunto: o uso da sala de atividades e o uso desta sala, que tem a TV grandona. Estamos com conflitos de horários. Não temos nenhum lugar para uso regular dos educadores que venham para as práticas da equipe de saúde. –Mas eles não são parceiros? –Que confusão. Quem que vem aqui? Eu também quero abrir um escritório no Núcleo! (grande desestabilização, que foi sanada com a leitura de atas anteriores). –Bom, então ficou esclarecido que as atividades que o Núcleo realiza, ele remunera os executantes, e faz as atividades na Sede. Isso não é parceria, é atividade do Núcleo. A parceria é feita fora da sede do Núcleo. –Por exemplo, o tratamento de craniossacral que estamos fazendo aqui é um projeto do NA, da sua equipe de saúde. Tem 6 meses de duração e está sendo executado como um projeto científico de observação. Terminado o prazo, termina o uso. –Ainda acho que é um exagero. –Mas cadê o teu reconhecimento? Qual é o teu caso concreto, então? –Eu explico. Se o Núcleo abrir um negócio de transporte, por exemplo? Não pode guardar aqui as viaturas? –É atividade continuada, não é atividade educacional. Não tem nada a ver com a implantação da Educação de Essencialidades, percebe? Tem que se autossustentar fora do NA. Podemos, sim, participar do negócio como parceiros, garantindo certos contratos para nosso uso. E podemos, nesse uso, querer OU NÃO fazer algum laboratório de convívio. É uma parceria. –Então, só pode dar curso aqui na sede. Aula, ou o tal laboratório de saúde. Que miséria!

34 –Não é assim. Pode fazer atividades que captem recursos da sociedade, desde que sejam realizadas pelo NA e para seu sustento. Por exemplo, Bazar Trimestral de Roupas. Café da manhã com a família no sábado mensal. –Falando nisso, e a padaria? (murmúrio geral). Eu quero falar. Vou falar, pronto. Tem um ano que a gente poderia ter montado a padaria ali na frente, ia dar um dinheirão, poderia até alugar outro lugar maior... Resolver o problema do curso de autoconhecimento... –Então. Vamos conversar. A padaria seria em outro lugar, e seria uma parceria. Uma parceria com o NA. –E como são as parcerias? (vozes furiosas) –Em uma parceria, o NA não entra como sócio. Entra como um prestador de serviços que vai ser remunerado pelos donos do negócio, em função de sua assessoria para aquela atividade específica, ou pela garantia de algum fornecimento. Por exemplo, no novo negócio de transporte que vai ser montado por dois educadores, o NA vai fazer um contrato garantindo certas viagens e recebendo, em troca, um preço privilegiado. –E o laboratório da van, durante as viagens? –Se surgir um educador disposto ao projeto, será feito. Caso contrário, não tem problema, ficamos apenas na parceria para viabilizar as viagens dos educadores. –Muito bonito na teoria. Mas na prática... Como vamos participar da padaria? Garantindo que vamos comprar pães? (trocas de insultos, desestabilização geral, momento SIM). –Voltando ao pão, então. O NA não pode ser sócio em uma atividade estranha ao seu objeto social. Ele pode ser remunerado por consultorias referentes à implantação do modelo de Educação de Essencialidades, isso se houver interesse dos sócios. –E nada, nada impede você de ser sócio da padaria. A sua prosperidade é uma maneira de o NA se fortalecer, porque você estará se movimentando em um novo comportamento. Você se aproximou daqueles sócios porque aprendeu a confiar neles. Isso já é um movimento, e dos grandes. –E assim para todos os demais negócios de parceria. Florais, ateliê... Nada impede as pessoas de, ao montarem os negócios, pedirem a parceria do NA para consultorias referentes à Educação de Essencialidades. E nada impede esses negócios de proporem parceria como PTS, para coisas maiores, dentro de projetos específicos. Mas nada na sede do NA. –E o laboratório de ideias? –Já disse na reunião anterior. Você faltou. –Estou perguntando de novo. Você também falta, de vez em quando. (pequeno entrevero, fácil tamponamento). –Tá. Se o NA quer fazer um laboratório, por exemplo, fomentando uma nova empresa, ele poderá fazer esse fomento, mas não será sócio, porque isso será legalmente vedado. O NA vai prover, através de educadores destacados para a tarefa, a estruturação do negócio e a observação dos resultados. –Então, o NA poderia laboratoriar uma padaria. –Sim, claro. Mas não será sócio na padaria. Poderá receber pagamento por prestação de serviços referentes à implantação da Educação de Essencialidades, caso os empreendedores do negócio queiram posteriormente fazer isso – o que eu duvido. –Por que o NA faria um laboratório de ideias com uma padaria? –Para testar ou estimular educadores na saída da miserabilidade, por exemplo. –É, entendi... Aqui na sede, só cursos. E a gente precisando de grana pra ontem. –Arrego. Vamos para outro assunto. –Laboratório do idoso. Estão pedindo definição sobre um projeto pedagógico até o final deste ano. –Não dá. Sem chance. –Vamos adiar. –Poxa, ninguém tem disponibilidade para montar essa ideia? –Não tenho, nem fico mais em casa nos finais de semana. –Assim não dá. Que hora vai acabar essa reunião? (grande desestabilização). –Bom, temos mais 30 minutos. A prioridade é o laboratório das crianças. As educadoras estão pedindo para melhorar a cozinha e dar um trato no jardim. –Elas já têm uma sala com horários reservados, e já usam todo o quintal. Falta dar o estádio de futebol pra elas. –Você fala isso porque não tem filhos. –Se eu tivesse, cuidaria direito, é verdade. (quase naufraga a reunião, momento SIM). –Bom, últimos 10 minutos, eu queria comentar que o livro está quase concluído, falta a gente fazer as revisões mais detalhadas. Nossos 50 alunos do Curso de Autoconhecimento estão demandando e parece que vamos vender bem, inclusive na loja virtual. Ainda falta o contrato com a editora. –Qual editora? –Está sendo montada uma editora do PTS. E temos que discutir os direitos autorais. –Já não deliberamos isso? Veja nas atas, essa reunião não acaba nunca. –Vamos verificar, então. Mas o assunto vai ficar pendente, como está pendente o pagamento dos educadores que dão os cursos. –Vamos encerrar. Vejam depois a lista de pendências no Portal. –Alguém ainda quer bolinho? Sobrou um. (ao final, o DirTI aciona o registro do material gravado nos microfones do ambiente e o CCFD salva a ata no Portal. As crianças aparecem com mini-pizzas feitas na atividade da noite; vão comer no jardim, nas cadeiras de aconchego. Pode haver paz, quem sabe?).

35 Formulário do Plano de Gestão (utilize a estória; e revise o físico-financeiro-pessoas): Data: 20/mar/2012 Nome da ideia ou projeto: Padaria Plano de gestão do negócio e/ou produtos e serviços implantados pelo projeto. Atividade de gestão:FrequêciaCusto mensal: Responsável e equipe: Objetivos relacionados:Acompanhamento com indicadores: Administrar a coisa.Todo dia.R$ Futuro gerente, estoquista e caixas. 1,2,3Ver processo da padaria. Fazer os produtos.Todo dia.R$ Padeiro e 8 membros do NA. 1,2,3 Vender os produtos.Todo dia.R$ Fazer contabilidade, pessoal e tributário. Semanal.R$ Fazer a limpeza.3x / dia.R$ Fazer a comunicação visual e arranjo. Semanal.R$ Pagar e receber (caixa do negócio). Todo dia.R$ Total médio:R$ Pode fazer estudos mais detalhados, no tempo. A equipe faz. Tem que desenhar o processo.

36 Vamos à análise econômico-financeira. Não fuja, dá pra encarar!

37 Operação anual e projeção: Estudar detidamente as demais planilhas: 1.Receitas 2.Despesas 3.Cursos 4.Laboratório da Infância 5.Café com Pão

38 Receitas (escolhemos incluir as entradas de empréstimos, o que é tecnicamente errado):

39 Despesas do NA-SJC e sua Sede:

40 Estudo do Negócio de Cursos:

41 Estudo do Negócio do Laboratório da Infância:

42 Estudo do Negócio Café com Pão:

43 Hora da verdade. Decidir!

44 Formulário de Decisão do Projeto pela Equipe: Data: 27/mai/2012 Nome da ideia ou projeto: Nova Sede Registro da decisão quanto ao projeto: QUEM FAZ É A EQUIPE !!! Análise da oportunidade pedagógica: fazer um resumo, considerando a análise do indivíduo e tudo que foi aprendido até aqui. Existe, de fato, oportunidade de progresso, ou apenas o interesse pessoal prevalecerá? Análise econômico-financeira: fazer um resumo do retorno do investimento; usar a sensibilidade para avaliar se dá para arriscar da forma que está sendo proposto. Lembre que sempre será possível fazer reestudo do projeto. Análise das possibilidades: fazer um resumo do que incomoda, diante do formulário de análise de possibilidades desfavoráveis e do que foi aprendido até aqui. Tem algo que você sente que está incomodando muito? Escrever a decisão (uma dentre as três): 1)FAREMOS ESTE PROJETO (nesse caso, vamos para a parte de Execução). 2)PRECISAMOS ESTUDAR MAIS (nesse caso indicar o que deve ser estudado). 3)NÃO FAREMOS O PROJETO (nesse caso, substanciando e mandando para arquivo). Assinaturas, com data:

45 Pois é... Agora que você decidiu fazer... Vamos lá!

46 A pessoa responsável pelo projeto deverá tocar todos os instrumentos. Comunicação Prazo Outros R$ Gestão semanal Avaliações

47 Padrão de execução do projeto: Cronograma Formulário Físico-Financeiro-Pessoas (FFP) Acompanhamento de atividades A base da execução é o formulário FFP, que pode ser apoiado pelo Gantt e pelo acompanhamento de atividades.

48 Semana típica de execução do projeto: DiaSegunda- feira Terça-feiraQuarta- feira Quinta- feira Sexta-feiraSábadoDomingo Manhã Pendências e novas atividades (2). Pendências e novas atividades. Tarde Pendências e novas atividades. Reunião semanal (1) Pendências e novas atividades. Noite Comunicar; Revisar FFP Comunicar; Revisar FFP Comunicar; Revisar FFP Comunicar; Revisar FFP Comunicar; Revisar FFP Comunicar; Revisar FFP Comunicar; Revisar FFP (1)Da reunião semanal sai o indicador geral (IDA + IDL), e sai também uma avaliação dos indicadores do projeto e suas tendências. (2)Deixar o FFP do projeto exposto no NA, com atualização semanal.

49 Formulário de Acompanhamento de Atividades: Nome do projeto: Padaria Nome da atividade de projeto: Aprender a fazer pão Data:Sub-atividade realizada:Quem realizou:Observações: 20/mar/2012Contato curso no Sesc-SPSaturo-SanMuito caro, vamos tentar outro. 20/abr/2012Contato curso com a padaria do Padre. Saturo-SanNão querem ajudar. Risco de atrasar o projeto. 20/mai/2012Fizemos o curso no Sesc-BertiogaSaturo-San e SaturaldaNão era para irem 2. Curso muito capenga. Falta saber mexer no forno. Projeto vai atrasar 3 meses. 20/jun/2012Aprendemos a especificar fornos.Saturo-San.São mais caros que a gente tinha previsto. Estouro de R$ 50 mil. 20/jul/2012Fizemos treinamentos para 12 tipos de pães e doces. Saturo-San e Saturalda.Faltam 13 produtos, ainda. Ver plano de contingência. 20/ago/2012Dominada a técnica de fazer pães, estamos ajudando o padre. Saturo-San e Saturalda.Que venha o Apocalipse. A equipe faz. Tem apoio do PTS.

50 Formulário de Acompanhamento de Progressividade das Inteligências: Nome do projeto: Padaria Data de acompanhamento da progressividade: 20/jul/2012 É preenchido na reunião semanal, em equipe. EE:Frequência às atividades do projeto: Autoavaliação das 5 questões: Conclusão: Saturo-SanFaltou a metade dos seus compromissos; nota 2,5 Autoavaliou-se com nota 5,0A equipe achou um exagero ter nota 5 quem faltou a metade dos compromissos; ele aceitou ficar na metade geral; nota 5,0. SaturaldaVeio a todos os seus compromissos; nota 5,0. Autoavaliou-se com nota 5,0A equipe lembrou que a pessoa deixou de fazer uma tarefa importante; nota final 7,0. SatórioAlegando desestabilização, deu WO. Nota 0,0. Autoavaliou-se com nota 5,0A equipe aceitou; nota final 5,0. SaturanaLicença médica, veio a dois de seus oito compromissos. Nota 1,5. Faltou da reunião semanal. Ficará com nota zero nesse item. Nota final 1,5. Não se pode dizer que esteja participando do projeto. Nome (fazer de todos) Avaliação: a nota geral do grupo até aumentou, frente ao mês anterior, mas o projeto está mais atrasado.

51 Exemplos de gráficos de acompanhamento: Cronograma FFP com gráfico de barras – Gantt (na prática, é o indicador de avançamento): Média da progressividade das inteligências no tempo de projeto:

52 O que tem que ser publicado no Portal: 1) Todos os formulários feitos para o projeto. 2) Todos os acompanhamentos de execução do projeto. 3) Em particular, devem ser arquivados os formulários de acompanhamento do indicador geral e seus IDA + IDL. 4) Depois, durante a operação do negócio, seria interessante publicar uma avaliação semestral de crítica quanto atendimento do que fora planejado inicialmente. Seria muito instrutivo.

53 E, um dia, o projeto é dado por concluído! E agora???????

54 Linha do tempo para produto ou serviço: Desenho do produtos e/ou serviços; plano de um novo negócio Desenvolvimento e entregaOperação Phase out ou desprendimento Projetos de melhorias, correções ou adaptações Técnicas de gestão para dias, meses, anos, décadas... Observe que o ambiente muda... Projeto de implantação Fonte: autor; imagem da web

55 Sobre a gestão ou operação: 1) Será iniciada com o processo visualizado por storytelling em tempo de projeto. 2) Esse processo faz parte de um sistema da qualidade (sugerimos Deming). 3) Tal sistema da qualidade ficará atrelado à administração estratégica do PTS, que vê o todo – isso é muito, muito importante. 4) Portanto, o novo negócio, produto ou serviço funcionará organicamente no PTS. 5) Será indicado um GESTOR operacional, se possível dentre as pessoas que participaram do projeto. 6) O Gestor operacional executará o processo e deverá aprimorá-lo continuamente, usando o sistema da qualidade que for escolhido. 7) Ele herdará os indicadores definidos pelo projeto para a operação (se existirem). 8) Terá novos indicadores e novos projetos, sempre que precisar. 9) E, um dia, esse negócio terá um fim. Estaremos desprendidos dele.

56 Um sistema da qualidade baseado em Deming: 1.Um processo conhecido (desenhado pela gestão). 2.Indicadores de desempenho do processo. 3.Um procedimento padronizado de execução do processo. 4.Treinamento nesse procedimento. 5.Análise permanente do desempenho, através dos indicadores. 6.Identificação da causa dos erros de processo: Por causa comum Por causa especial 7.Projetos de melhoria ou correção, quando necessários. 8.Num projeto de melhoria, usar PDCA (Shewhart). O trabalho de William Edwards Deming ( ) no Japão foi iniciado em 1950; lá existe um prêmio máximo da qualidade, o Deming Prize. Fonte: o autor

57 Espaço aberto para discussão


Carregar ppt "Projeto da Nova Sede do NA-SJC Proposta feita por: Nelson Macedo (CDir) Núcleo de Aprendizagem de São José dos Campos (NA-SJC) Apresentação inicial: 28/mai/2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google