A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Objectivo: ajudar cada jovem a envolver-se activamente e de forma consciente no seu próprio desenvolvimento. Principais características: centrado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Objectivo: ajudar cada jovem a envolver-se activamente e de forma consciente no seu próprio desenvolvimento. Principais características: centrado."— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4

5 Objectivo: ajudar cada jovem a envolver-se activamente e de forma consciente no seu próprio desenvolvimento. Principais características: centrado no indivíduo considera as capacidades de cada um baseado em objectivos educativos

6 Conhecimentos C Competências C Atitudes A Permite adquirir:

7 Factor de motivação para o jovem (ser e fazer melhor) Guia o jovem no seu desenvolvimento, sendo uma oportunidade de aprofundamento de habilidades próprias, valorização pessoal ou de descoberta vocacional. Impulsiona o jovem a adquirir rotinas de análise e planeamento da sua vida.

8 Diagnóstico inicial valorizado Negociação entre elemento e Dirigente sobre caminho a percorrer e metas a atingir Oportunidades Educativas como programa-guia que orienta para um determinado objectivo Potencia a relação entre diversos intervenientes e entre pares na fase de diagnóstico e avaliação Reconhecimento que envolve outros organismos que não apenas o agrupamento ou a unidade.

9

10 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

11

12 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

13 O último trimestre do último ano no Grupo Explorador será um período de adesão informal aos Pioneiros. Pretende-se que seja ao mesmo tempo suave e desafiante. Conversa entre Chefe de Unidade e Chefe do Grupo Pioneiro aquando do diagnóstico inicial, para identificar áreas em que o noviço tenha mais dificuldades.

14 O explorador continua a pertencer e a viver em pleno as dinâmicas do Grupo Explorador. Pretende-se que ele se vá familiarizando, de forma informal, com o Grupo de Pioneiros. Os Guias do Grupo Pioneiro convidam o Explorador a participar em alguma actividade de um Empreendimento, de forma informal, para ir conhecendo a dinâmica dos Pioneiros, Equipas, Guias, Chefes e o Abrigo. O Explorador vai observando, sem participação activa em termos de tarefas ou responsabilidades. Deixa de existir insígnia de ligação.

15

16 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

17 Pioneiro FamíliaAmigosNamoro Escola/ Trabalho Outras Actividades Escuteiros Equipa de Animação

18 A Equipa de Animação tem por missão conhecer e orientar o jovem que chega ao Grupo Pioneiro. Deverá ser realizado em conjunto pelo Aspirante, o Chefe de Unidade. Permite criar um Sistema de Progresso orientado por objectivos.

19 Na óptica de identificar necessidades em vez de validar competências, caso o Noviço ou Aspirante já tenha alcançado algum Trilho este será reavaliado mais tarde, e já Pioneiro escolhe outros 6 Trilhos para a sua primeira Etapa.

20 - Diagnóstico formal com o Aspirante e o Guia para além da observação directa do jovem durante as primeiras actividades. - A Equipa de Animação poderá ainda recorrer a dinâmicas e jogos específicos para o efeito. - Servirá para Reconhecer – depois da Adesão – em que etapa de progresso o aspirante se encontra.

21 Assim, no Reconhecimento do progresso pessoal: Até 1 Trilho de cada área de desenvolvimento alcançado: Conhecimento (Etapa 1) Entre 1 e 2 Trilhos de cada área de desenvolvimento alcançados: Vontade (Etapa 2) Entre 2 e 3 Trilhos de cada área de desenvolvimento alcançados: Construção (Etapa 3)

22

23 6 Áreas Conhecimento 1ª Etapa Vontade 2ª Etapa Construção 3ª Etapa Afectivo Social 1 11 Intelectual 11 1 Físico 111 Carácter 111 Espiritual 111

24 6 Áreas Conhecimento 1ª Etapa Vontade 2ª Etapa Construção 3ª Etapa Afectivo 1 11 Social 11 1 Intelectual 11 1 Físico 111 Carácter 111 Espiritual 111

25 Como fazer? Diagnóstico formal junto do Aspirante e do Guia e dinâmicas e jogos específicos para o efeito (preferencialmente na presença dos 2 Chefes de Unidade). Após o diagnóstico surgem 2 hipóteses: Todos os trilhos: Aspirante no Clã; Faltam trilhos: Aspirante nos Pioneiros.

26 Caso fique nos Pioneiros e não alcance todos os trilhos em falta, o Chefe de Unidade deverá informar o Chefe de Clã das necessidades de desenvolvimento. Os Trilhos não alcançados não acumulam com os Trilhos dos Caminheiros – apenas são tidas em consideração na escolha dos primeiros trilhos no Clã.

27 FERRAMENTAS Folhas de Apoio Entrevista (Eq.Animação.) Jogos Escutistas Dinâmicas de Grupo

28

29

30 O aspirante ou noviço recebe uma insígnia de adesão no seu início. Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Diagnóstico Inicial Compromisso (Promessa)

31 Valorizar a tomada de consciência individual do aspirante sobre: Funcionamento do Grupo e das Equipas Como se vive o dia-a-dia nas actividades típicas Vivência em Grupo e em Equipa A mística, simbologia e vida do patrono O compromisso que vai assumir na sua Promessa e escolhe os seus Trilhos e Objectivos Educativos Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Diagnóstico Inicial Compromisso (Promessa)

32 Cada Pioneiro é incentivado, após ter seleccionado os seus Trilhos, a concretizar os Objectivos Educativos em acções ou intenções pessoais concretas, e a registá-las no Diário de Bordo. Os Objectivos Educativos serão mais de perto trabalhados pelos próprios Pioneiros.

33 Objectivo: Adequo a minha alimentação às necessidades do dia-a-dia e pratico actividade física em equipa Acção: Praticar andebol e tomar 5 refeições por dia incluindo alimentos de todos os grupos da nova roda dos alimentos em 2 dessas refeições e valorizar um período de sono de 7 horas diárias.

34 A duração deverá ser adaptada ao aspirante e não deve ultrapassar os 7 meses. A validação do andamento da adesão e da decisão de aderir dos aspirantes deve ser feita no Conselho de Guias, que analisa ainda a vivência na equipa, no Grupo e no Empreendimento O Grupo dá parecer favorável à promessa do aspirante, com base em proposta dos Guias. A promessa deve ser marcada durante os 2 meses seguintes ao da decisão de fazer a promessa. Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Diagnóstico Inicial Compromisso (Promessa)

35 No caso dos Aspirantes, a Adesão inclui ainda, no campo do conhecer: Organização do Agrupamento Domínio prático de técnica escutista Pioneirismo Vida e mensagem de B.-P.

36

37 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

38 É o jovem que deve reconhecer que quer pertencer ao Grupo e que quer fazer a sua Promessa Assume o seu compromisso perante o Grupo

39 Com o apoio do Chefe de Unidade, o Pioneiro irá escolher o seu primeiro percurso de progresso. Insígnia de progresso é entregue no início de cada Etapa: compromisso assumido pelo Pioneiro em procurar progredir nos CCA que o levam a atingir os objectivos educativos da secção.

40

41

42 6 áreas de desenvolvimento: afectivo, carácter, espiritual, físico, intelectual e social 3 trilhos educativos em cada área de desenvolvimentoCada trilho contém 1 ou mais objectivos educativos Cada jovem constrói a sua etapa de progresso, seleccionando 1 trilho de cada uma das diferentes áreas de desenvolvimento

43 CONHECIMENTO aprofundado do Mundo. VONTADE de mudar o Mundo. CONSTRUÇÃO de uma nova cidade.

44 2ª Etapa Vontade Adesão Desprendimento 1ª Etapa Conhecimento 3ª Etapa Construção

45 É o jovem que constrói o seu caminho de progressão Os mesmos objectivos podem pertencer a etapas diferentes para diferentes pessoas Nomes das etapas ligados com a mística e simbologia da Unidade.

46 A liberdade de escolha compete inteiramente ao Pioneiro. O papel do Chefe de Unidade é de: Apoio do Diagnóstico e na selecção dos Trilhos educativos que irão constituir as suas Etapas; Observação da evolução dos CCA que contribuem para validar os objectivos educativos como atingidos.

47 Passa a dizer-se que o Pioneiro deu provas de em vez de o Pioneiro prestou provas. Os Pioneiros podem adquirir CCA na sua vivência escolar, catequética, nos clubes a que pertencem, equipas de outros organismos, etc. O Chefe de Unidade verifica esses CCA, sem que o pioneiro tenha necessariamente que as repetir.

48

49 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

50 Experiências enriquecedoras que levam ao desenvolvimento pessoal.

51 CCA Diagnóstico Inicial Diagnóstico Objectivos Oportunidades Educativas

52 Vivência diária dentro e fora do Grupo Pioneiro Avaliação do Elemento Eq. Animação Objectivos Oportunidades Educativas

53 Devem ser adaptadas e negociadas com os Pioneiros, para acolher novas propostas de oportunidades educativas, potenciando a participação dos jovens no processo.

54 Mediante a avaliação do desenvolvimento do jovem – e não a realização da oportunidade educativa – poderá ser necessário escolher outras e insistir na aquisição de novos CCA.

55 O desempenho de um cargo no seio da Equipa ou de uma função no Empreendimento constitui uma oportunidade educativa para progredir. Esse exercício de cargos e funções privilegia o crescimento em determinadas áreas de desenvolvimento, como segue:

56 Cargo/FunçãoÁrea principalOutras áreas GuiaCarácterAfectivo / Social Sub-guiaCarácterAfectivo / Social SecretárioIntelectualCarácter / Social TesoureiroIntelectualCarácter / Social Guarda de materialIntelectualCarácter / Físico AnimadorEspiritualCarácter / Social / Afectivo SocorristaFísicoCarácter / Social / Intelectual IntendenteIntelectualCarácter / Físico InformáticoIntelectualCarácter Entre Outras…

57 O desenvolvimento de aptidões associadas a competências é uma oportunidade educativa para progredir e a sua aplicação na vida quotidiana das equipas privilegiam o crescimento em áreas de desenvolvimento e trilhos. O trabalho nas Competências deve iniciar-se a partir do momento em que se iniciou a fase da vivência.

58

59 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

60 Reforço do papel e da importância dos pares, ou seja, o papel dos Guias e do Conselho de Guias no acompanhamento e avaliação do progresso pessoal dos seus elementos. O Conselho de Guias será o espaço para decisões sobre o progresso dos elementos – percurso, avaliação e reconhecimento de progresso.

61 Suporte e orientação da Equipa de Animação, não devendo substituí-los, mas ajudá-los. Relação mais personalizada da Equipa de Animação com os Pioneiros (preferencialmente 1 adulto para um máximo de 10 pioneiros), de modo a poder acompanhar devidamente o seu desenvolvimento pessoal.

62

63 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

64 Outros ambientes educativos: escola, associações, instituições, etc. A avaliação do seu progresso pessoal poderá ser feita também por outros intervenientes. Objectivos Educativos não são controlados como se fossem provas: avaliam-se continuamente mediante a observação do progresso dos jovens durante um percurso prolongado de tempo.

65 Há CCA que devem ser observados em cada um dos objectivos educativos dos pioneiros. Quando forem observados no jovem e avaliados pelo próprio, pelos pares e pela Equipa de Animação o Conselho de Guias poderá reconhecer que o pioneiro alcançou aquele objectivo educativo.

66 É na vida da Equipa que se vão debatendo os CCA que cada Pioneiro vai adquirindo e que poderão ser indícios de que um determinado objectivo poderá estar concluído. Este processo deverá ser induzido pelo próprio. Tendo concretizado os objectivos com acções concretas, na escolha dos trilhos, tem ao seu dispor um excelente indicador da sua progressão.

67 Equipa (Aprova) Conselho de Guias (Aprova) Chefe de Unidade (Aprova) OBJECTIVO CONCLUÌDO Equipa (Aprova) Conselho de Guias (Aprova) Chefe de Unidade (Não Aprova) REFORMULAÇÃO DE CCA Equipa (Aprova) Conselho de Guias (Não Aprova) Chefe de Unidade (Não Aprova REFORMULAÇÃO DE CCA

68

69 Deixarão de existir os cartões de progresso e provas. Passará a existir um Diário de Bordo (individual) que junta o conceito de caderno de progresso com a ideia de um diário de vivências pessoais no Grupo Pioneiro.

70 O Diário de Bordo conterá os Objectivos Educativos, agrupados pelos respectivos Trilhos e Áreas de Desenvolvimento, com espaço para que o Pioneiro possa escrever quais as acções concretas que se propõe desenvolver para atingir o objectivo e que tenham sido acordadas na Equipas, negociadas com o Guia e validadas com o Conselho de Guias e Chefe de Unidade.

71 Deverá ainda haver, no Abrigo, um Painel, feito pelos Pioneiros, onde uma ilustração criada por eles simbolize os diferentes percursos e trilhos, e em que cada um dos Pioneiros tenha uma marca feita por si, e que o identifique. Essas marcas serão usadas pelos Pioneiros para marcar no painel as suas escolhas, em termos de trilhos.

72 Quando o pioneiro terminar a sua última etapa (ie, completar todos os Objectivos Educativos definidos para a III Secção) irá receber uma Anilha com um símbolo da Secção, de forma a ser reconhecível que completou a totalidade do percurso educativo proposto aos Pioneiros. A anilha poderá ser usada até receber a 1ª insígnia de progresso enquanto Caminheiro.

73

74 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

75 Adesão Informal Caminho (Adesão) Diagnóstico Inicial Últimos 3 meses nos Pioneiros Aproximação descontraída aos Caminheiros Convite a participar numa Actividade (pelos Ch. Eq.), sem assumir responsabilidades Quebra-gelo para facilitar integração Conhecer as Equipas, Ch. de Equipa e Eq. Animação Conhecer a Base

76 O Pioneiro continua a pertencer e a viver em pleno as dinâmicas do Grupo Pioneiro. Pretende- se que ele se vá familiarizando, de forma informal, com o Clã. Objectivo: promover aproximação que funcione como quebra-gelo e que coloque os Pioneiros que passam para o Clã mais à-vontade, promovendo uma integração mais fácil.

77 Os Chefes de Equipa do Clã convidam o Pioneiro a participar numa caminhada, de forma informal, para ir conhecendo a dinâmica do Clã, das Equipas, dos Chefes de Equipa, Chefes e Base. O Pioneiro vai observando, sem participação activa em termos de tarefas ou responsabilidades. Deixa de existir insígnia de ligação.

78

79 Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Compromisso Pessoal Passagem à IVª Secção Adesão informal ao clã Diagnóstico inicial Oportunidades educativas Adesão informal dos exploradores Relação educativa Avaliação e reconhecimento

80


Carregar ppt "Objectivo: ajudar cada jovem a envolver-se activamente e de forma consciente no seu próprio desenvolvimento. Principais características: centrado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google