A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/2011 1 A ENGENHARIA COMO VETOR PARA A INOVAÇÃO E A COMPETITIVIDADE VIII - CONGRESSO INTERNACIONAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/2011 1 A ENGENHARIA COMO VETOR PARA A INOVAÇÃO E A COMPETITIVIDADE VIII - CONGRESSO INTERNACIONAL."— Transcrição da apresentação:

1 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ A ENGENHARIA COMO VETOR PARA A INOVAÇÃO E A COMPETITIVIDADE VIII - CONGRESSO INTERNACIONAL DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL

2 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ AS MEGATENDENCIAS MUNDIAIS e os ENGENHEIROS John Naisbitt, há mais de 15 anos, em seu trabalho sobre a avaliação do comportamento das nações identificou as tendências motivadoras das transformações que iríamos viver: HIERARQUIASNETWORKING – REDES DE TRABALHO SOCIEDADE INDUSTRIALSOCIEDADE DE INFORMAÇÃO TECNOLOGIA IMPOSTAALTA TECNOLOGIA ECONOMIA NACIONALECONOMIA MUNDIAL CENTRALIZAÇÃODESCENTRALIZAÇÃO DEPARA Formado pela Universidade de Cornell, John Naisbitt trabalhou como alto executivo na IBM e na Eastman Kodak e recebeu uma distinção internacional do Institute of Strategic and International Studies, em Kuala Lumpur. Foi assistente dos presidentes John F. Kennedy e Lyndon Johnson.

3 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ A PIRÂMIDE DE NECESSIDADES DE MASLOW Abram Maslow psicologo americano, trabalhando no MIT fundou o National Laboratories for Group Dynamics Sustentabilidade ambiental Sustentabilidade social Sustentabilidade econômica Auto estima Auto realizaçao, criatividade, autenticidade Sociais – Amor, Longevidade, Amizade Segurança, Estabilidade, Proteção Fisiologicas – ar, água,alimentação, sexo

4 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Eficiência Effiency Eficácia Efectiveness Equidade Equity Albert Winsemius Albert Winsemius – Econ. Holandês Conselheiro economico do Gov. de Singapura - erradicação de pobreza Autor do trabalho os 3 E elementos requeridos para o processo de sustentabilidade de uma sociedade. From the books A Thousand Shades of Green and Emotional Revolution

5 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ WARREN FLINT - relacionou os estudos de Maslow e Winsemius e apresentou os 5 requisitos básicos para o desenvolvimento sustentáveL (5 Es). WARREN FLINT - Sociológo americano, PHD relacionou os estudos de Maslow e Winsemius e apresentou os 5 requisitos básicos para o desenvolvimento sustentáveL (5 Es). Estabilidade E CONÔMICA E INTEGRIDADE E COLÓGICA E QUIDADE (JUSTIÇA) SOCIAL E DUCAÇÃO R E AVALIAÇÃO CONTINUA GESTÃO PARTICIPATIVA CAPACITAÇÃO DA COMUNIDADE DESENVOLVIMENTO

6 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ BASE FILOSÓFICA...a filosofia se ocupa de fazer perguntas que ninguém ousou perguntar, indo bem além dos modos de pensar da comunidade.....neste sentido a filosofia é libertadora, pois nos libera da pior das tiranias: a tirania daquilo que, por ser comumente aceito, passa por verdadeiro.

7 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ PROBLEMAS, OBSTACULOSOPORTUNIDADECHANCE + CRISE ou OPORTUNIDADE

8 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ AS FONTES DAS OPORTUNIDADES Globalização Competição e Cooperação Fronteiras do Conhecimento e da Tecnologia Mini Sistemas e Mega Sistemas Grandes desafios para a vida na Terra Sustentabilidade, Sa ú de, Seguran ç a, Satisfação

9 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ I - GLOBALIZA Ç ÃO Como o Trabalho, a Inova ç ão e a Competitividade estão organizados AS DUAS CORRENTES DE PENSAMENTO

10 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ A LOCALIZA Ç ÃO NÃO É MAIS ESSENCIAL. O Mundo e Plano --Tom Friedman – Em 1989 o Muro de Berlim caiu e surgiu a nível mundial o Microsoft Windows; Redes de fibra ótica valendo $1.5 trilhões conectam o mundo; A Globalizacao acidentalmente transformou Beijing, Bangalore, and Bethesda em nossos vizinhos de porta; Trabalhos são atualmente executados com um simples click É a revolução silenciosa promovida pela engenharia que está alterando e comandando a economia

11 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ A LOCALIZA Ç ÃO É ESSENCIAL Ambas correntes tem argumentos fortes e corretos, porque… Globalização é uma realidade. Nações e Organizações irão cooperar e competir. Isso tudo é uma fantástica oportunidade. Amplia o poder dos clusters de Inovação Regional. Proximidade de pequenas companhias e grandes corporações com laboratórios de universidades. Formação de Redes de Trabalho com Capital de Risco

12 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ II GRANDES DESAFIOS PARA A ENGENHARIA

13 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ GRANDES DESAFIOS PARA A ENGENHARIA GRANDES DESAFIOS PARA A ENGENHARIA USA National Academy of Engineering Project Neste novo século, os engenheiros serao a chave para a solucao dos grandes desafios que a humanidade enfrentara. Comite multisetorial e internacional, que a partir das demandas sociais formulasse quais seriam os grandes desafios da engenharia, enfocando para que fossem Surpreendentemente inovador e conclusivo; Extremamente desafiante e importante; Factivel nas proximas tres decadas. Anunciada em Fevereiro 15, 2008.

14 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Desenvolvimento sustentável Água limpa População e recursos Democratização Perspect. de longo prazo Convergência global em TI Gap de riqueza Situaçao da mulher Paz e Conflitos Capacidade para decidir Problemas de saúde Crime organizado Transnacional Ética Global Ciência e Tecnologia Energia DESAFIOS EM FACE DA HUMANIDADE

15 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ GRANDES DESAFIOS PARA A ENGENHARIA Energia e Sustentabilidade Tornar a Energia Solar Econômica Prover Energia a partir da fusão Desenvolver os métodos de seqüestro de carbono. Gerenciar o ciclo do Nitrogênio Prover Acesso para a Agua Limpa Melhor Salubridade Engenheiro serão melhor que os remédios Progresso na Informática da Saúde. Menor vulnerabilidade Espaço Cibernético Seguro Prevenir o Terror Nuclear Restaurar e melhorar a infra-estrutura urbana Expandir a Capacidade Humana e o Entendimento Reverter o cérebro do engenheiro Entrelaçar a realidade Virtual Progresso do Aprendizado Personalizado Engenharia como a ferramenta das descobertas cientificas.

16 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ REALIDADE MUNDIAL e a ENGENHARIA 1.2 bilhões com falta de água limpa. 1.2 bilhões com falta de água limpa. 2.4 bilhões com falta de saneamento adequado 2.4 bilhões com falta de saneamento adequado 1.6 bilhões não tem acesso à eletricidade 1.6 bilhões não tem acesso à eletricidade 1.2 bilhões com falta de habitação adequada 1.2 bilhões com falta de habitação adequada 2.4 bilhões com risco de malaria 2.4 bilhões com risco de malaria 3.2 bilhões são incapazes de ler 3.2 bilhões são incapazes de ler 1.8 bilhões vivem em zonas de conflitos, ou em situações de permanente instabilidade 1.8 bilhões vivem em zonas de conflitos, ou em situações de permanente instabilidade 0,5 bilhões de bem alimentados vs. 1,6 bilhões de famintos. 0,5 bilhões de bem alimentados vs. 1,6 bilhões de famintos. Há mais de 7 bilhões de pessoas no mundo

17 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Existem 2.5 bilhões de crianças no mundo 32,000 morrem de fome e enfermidade diariamente 640 milhões não tem nenhuma habitação ou abrigo adequado 500 milhões não tem nenhum acesso aos serviços de saneamento e saúde pública 400 milhões tem falta de água potável 270 milhões não tem nenhuma assistencia à saúde 140 milhões nunca foram para uma escola 90 milhões são severamente privadas de alimentação 2 milhões de são afetadas pela AIDS com 0.5 milhões de mortes / ano por conta dessa enfermidade. Dados da UNICEF A situação atual das Crianças no Mundo – 2008 INFÂNCIA AMEAÇADA

18 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ PRODUÇÃO DE ENERGIA SUPRIMENTO DE ENERGIA PRESERVAÇÃO DA ÁGUA CONTROLE DE DEPOSIÇÃO DE LIXO MEIO AMBIENTE LIMPO E VIÁVEL CONDIÇÕES DE HABITAÇÃO Nas próximas duas décadas, quase 2 BILHÕES de pessoas adicionais irão povoar a Terra. Este crescimento demográfico irá gerar em uma escala sem precedentes, demandas para: INFRAESTRUTURA EM GERAL MANEJO DE NOVOS MATERIAIS ESTABILIZAÇÃO DA TERRA PRODUTIVA CUIDADOS COM A SAÚDE TRANSPORTES DE TODOS OS TIPOS REALIDADE MUNDIAL e a ENGENHARIA

19 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ PORQUE ENGENHARIA PARA UM MUNDO EM DESENVOLVIMENTO? QUESTÕES SUGESTIVAS Porque atualmente as comunidades não estão protegidas dos acidentes naturais que promovem desastres sociais? Existe alguma coisa além da excelencia técnica em engenharia que poderia nos dar esse suporte?

20 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Poderão OS ENGENHEIROS construírem um MUNDO MELHOR e comunidades SEGURAS? 2. Poderão OS ENGENHEIROS, conscientes da vulnerabilidade da infra estrutura dos países, fazer o suficiente para proteger PESSOAS e COMUNIDADES? 3. Deverão os ENGENHEIROS, trabalharem para evitar e mitigar os danos decorrentes de fatores ambientais? 4. Estão os ENGENHEIROS, cônscios de que seus trabalhos podem promover a degradação ambiental? 5. Poderão os ENGENHEIROS REDEFINIREM o seu tradicional papel assumindo uma liderança mais ativa em fortalecimento da infra estrutura e da proteção de comunidades ? PORQUE ENGENHARIA PARA UM MUNDO EM DESENVOLVIMENTO?

21 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ BRASIL A POSICAO RELATIVA DO BRASIL NO CONTEXTO GLOBAL

22 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ COMPARATIVO

23 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ As 20 maiores em 2025? Será que conseguiremos??? Observem os continentes America - 4 Europa - 4 Ásia - 10 África - 2

24 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ INVESTIMENTOS PESQUISA & DESENVOLVIMENTO (ANO 2008) – 91 países – PPP – Parity Purchase Power em bilhões de US $

25 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Que armas temos para a Competição ? A capacitação brasileira no mercado internacional ainda está longe de ser a desejada por nós. Quantidade de engenheiros formados por ano. Dados recentes da ASCE: China China Índia Índia Japão Japão USA USA Brasil Brasil A BATALHA DA COMPETITIVIDADE Em que mãos colocaremos nossas armas ? Engenheiros ineptos não nos conduzirão ao mundo desejado. Precisamos gestores e líderes.

26 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Gestão É a habilidade para organizar recursos e coordenar a execução de tarefas necessárias para encontrar os objetivos em tempo adequado e custos viáveis. Liderança Tem a ver com a habilidade para desenvolver a visão que irá motivar outras pessoas a se moverem em relação aos objetivos comuns. GESTÃO e LIDERANÇA Gestão Diz respeito e lida com a complexidade, freqüentemente procurando estabilidade e predicabilidade Diz respeito e lida com a complexidade, freqüentemente procurando estabilidade e predicabilidade.Liderança Tem a ver com a mudança. Freqüentemente busca o melhoramento através da mudança.

27 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Educação para Engenheiros - Engenharia para as Americas - Que lhes dê as ferramentas necessárias e os caminhos apropriados para guia-los através dos críticos desafios mundiais. - Que possa contribuir para aliviar os endêmicos e aflitivos problemas que afetam as comunidades em desenvolvimento ao longo do mundo. - Que os torne flexíveis e com recursos intelectuais suficientes para lidar com equipamentos que não lhe são familiares e outros. - Que sejam pensadores sistêmicos que estarão aptos a considerar as conseqüências de suas soluções. - Que tenham acesso à tecnologia contemporânea, mas que tenham a humildade para entender que o mundo desenvolvido não tem resposta para todas as questões. ENGENHEIROS PARA o SÉCULO 21

28 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ ENGENHEIROS PARA o SÉCULO 21 Responsabilidade e Prática Profissional Engenheiros como promotores e facilitadores de : - Desenvolvimento Sustentável - Mudanças Sociais e Econômicas - Aprimoramento e da Construção das Capacitações profissionais - Utilização das tecnologias apropriadas OEA - Engineering for the Americas The Countries of the Americas needs Engineers with a strong and cohesive academic formation with a new behavioral and professional commitment.

29 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ O COMPORTAMENTO DOS NOVOS ENGENHEIROS Postura do novo engenheiro A missão do Engenheiro é promover e exercer a engenharia, em benefício do desenvolvimento e da qualidade de vida da sociedade desenvolver a sua inteligência social e a sua análise crítica ( eu comigo x eu com outros );desenvolver a sua inteligência social e a sua análise crítica ( eu comigo x eu com outros ); aumentar a sua formação social humanística;aumentar a sua formação social humanística; aumentar a sua visão mercadológica, surpreendendo, encantando e entusiasmando o cliente;aumentar a sua visão mercadológica, surpreendendo, encantando e entusiasmando o cliente; ampliar a visão internacional - (ainda hoje mais de 60 % são monoglotas);ampliar a visão internacional - (ainda hoje mais de 60 % são monoglotas); ter consciência da reciclagem e atualização permanente dos conhecimentos.ter consciência da reciclagem e atualização permanente dos conhecimentos.

30 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ PORQUE A ENGENHARIA? "...habilitando as pessoas pobres e sem privilégios – aquelas que estão nas franjas (margens) sociais - e dando a elas um real interesse na sociedade, é a chave para construir as instituições mais fortes, desejadas para um desenvolvimento sustentável por longo período." (James D. Wolfensohn – Ex Pres World Bank ) O desenvolvimento sustentável será impossível sem a total utilização da profissão de engenharia. (Maurice Strong – Conselheiro Senior da ONU ) "Engenheiros têm a obrigação em prover as soluções para ir ao encontro das necessidades básicas de todos os seres humanos para - a água, o saneamento, a alimentação, a saúde e a energia – e ao mesmo tempo proteger a cultura e diversidade natural. Não é mais uma opção : é uma obrigação. (Bernard Amadei – PHD Univ Colorado - Engineers without borders )

31 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ Vivemos a epoca mais excitante para a engenharia e a ciencia na historia da humanidade. A oportunidade para guiar o mundo para um futuro mais prospero e sustentavel esta na nossa frente.. PORQUE A ENGENHARIA?

32 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ UMA NOVA ORDEM MUNDIAL Valor Agregado Três Fronteiras Inovação + Produtividade + Qualidade + Flexibilidade +Velocidade Criatividade HardwareSoftware Speedware Humanware Sinergia Tempo

33 Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/ OBRIGADO Claudio A. Dall Acqua – Sao Paulo - Brasil


Carregar ppt "Claudio Dall' Acqua VIII CONGRESSO - CRIAS PORTO ALEGRE - 18/11/2011 1 A ENGENHARIA COMO VETOR PARA A INOVAÇÃO E A COMPETITIVIDADE VIII - CONGRESSO INTERNACIONAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google