A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Em 2003, o engenheiro agrônomo Reinaldo José Rodella coordenou, em Piracicaba, pesquisas usando o vinagre diluído na água contaminada com larvas do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Em 2003, o engenheiro agrônomo Reinaldo José Rodella coordenou, em Piracicaba, pesquisas usando o vinagre diluído na água contaminada com larvas do."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Em 2003, o engenheiro agrônomo Reinaldo José Rodella coordenou, em Piracicaba, pesquisas usando o vinagre diluído na água contaminada com larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue. Confirmou-se, nos laboratórios, que o ácido acético presente no vinagre eliminou todas as larvas das amostras analisadas.

4 O coordenador do Projeto de Combate à dengue de Piracicaba, Valdemar Correr, pediu aos agentes que estivessem percorrendo os bairros em campanha que orientassem os moradores a colocar vinagre nos recipientes com água parada. "Bastaria que todos os brasileiros fossem orientados a usar o vinagre, um produto comum e sem qualquer contra-indicação", afirma Rodella. Nos testes feitos no Centro de Controle de Zoonoses, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), na Carnevalli Biotecnologia e na Escola de Engenharia de Piracicaba foi constatado que basta a adição de 5% de vinagre no recipiente com água para que as larvas sejam eliminadas.

5 A bióloga Alessandra Laranja, cientista do Instituto de Biociências da UNESP (campus de São José do Rio Preto), durante a pesquisa da sua dissertação de mestrado, descobriu que a borra de café produz um efeito que bloqueia a postura e o desenvolvimento dos ovos do Aedes aegypti. Consome-se café diariamente em muitas casas no país e a borra que seria descartada é exatamente o subproduto larvicida de custo zero.

6 Existem duas formas de aplicação: "A borra não precisa ser diluída em água para ser usada", destaca a bióloga. Pode ser colocada diretamente nos recipientes e solos, já que a água que escorre depois de regar as plantas vai diluí-la. A solução com cafeína pode ser feita com duas colheres de sopa de borra de café para cada meio copo de água e aplicada nos pratinhos de coleta de água dos vasos, nos pratos dos xaxins, dentro das folhas das bromélias, no solo dos jardins e hortas onde servem inclusive de adubo ecologicamente certo.

7 O mosquito se desenvolve até mesmo na película fina de água que às vezes se forma sobre a terra endurecida dos jardins e hortas, na água dos ralos e de outros recipientes quaisquer com água parada Os especialistas em saúde pública, entre eles médicos sanitaristas, estão em alerta sob a ameaça das Dengues tipos 3 e 4, possíveis de acontecer devido às fortes enxurradas de final de ano. Conforme explica a bióloga Alessandra, 500 microgramas de cafeína da borra de café por mililitro de água bloqueiam o desenvolvimento da larva no segundo de seus quatro estágios e reduz o tempo de vida dos mosquitos adultos. Essa cafeína altera as enzimas esterases, responsáveis por processos fisiológicos fundamentais como o metabolismo hormonal e da reprodução, podendo ser a causa dos efeitos verificados sobre a larva e o inseto adulto.

8 Sintomas A dengue clássica apresenta-se, geralmente, com febre, dor de cabeça, no corpo, nas articulações e por trás dos olhos, podendo afetar crianças e adultos. A dengue hemorrágica é a forma mais severa da doença, pois, além dos sintomas citados, é possível ocorrer sangramento, e, ocasionalmente, falência múltipla dos órgãos e a morte.

9 Hospedeiro O principal vetor é o mosquito Aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais. Fêmea Macho

10 Tratamento O tratamento é apenas sintomático. Tomar muito líquido, para evitar desidratação, e utilizar antipiréticos e analgésicos, para aliviar os sintomas. São as medidas de rotina. Por interferir com a coagulação, medicamentos que contenham ácido acetilsalicílico são contra-indicados.

11 Só o Estado do Rio de Janeiro, investiu nos últimos cinco anos R$ 10 milhões nas campanhas públicas para eliminar os criadouros do mosquito, inclusive com a importação de um biolarvicida cubano. Gasta-se muito com equipamentos e mão-de-obra usados nos "fumacês" que dizimam as larvas. Atualmente, o método mais usado no combate ao Aedes aegypti é o da aspersão dos inseticidas organofosforados, altamente tóxicos para homens, animais e plantas.

12 Amigos professores, biólogos, administradores, promotores, juízes, psicólogos engenheiros de segurança do trabalho, palestrantes pastorais, integrantes de comitês de cidadania, vamos promover esse de em nossos lares, outros lares, condomínios, escritórios, clubes, igrejas, empresas, enfim, qualquer lugar onde essa informação possa chegar. Com a alma lavada com afeto, vinagre e café, sem fazer licitações ou importar de Cuba, carinhosamente, Jane Guerra RJ Agosto de 2006 Às vésperas de múltipla para cargos executivos e legislativos podemos levar nossas preocupações e sugestões aqueles em quem depositaremos os votos de regeneração do País.

13 Revisão dos Textos e Formatação: Reportagem sobre a pesquisa do Vinagre: Rogério Verzignasse, Correio Popular, em 15/03/06. Veja mais em: Som: Instrumental-Aquarela do Brasil Reportagem sobre a pesquisa da Borra de Café


Carregar ppt "Em 2003, o engenheiro agrônomo Reinaldo José Rodella coordenou, em Piracicaba, pesquisas usando o vinagre diluído na água contaminada com larvas do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google