A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Escola. A sua Missão e os seus Valores Equidade-Inclusão Os fins As expectativas Os desafios As contradições Um olhar sobre os.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Escola. A sua Missão e os seus Valores Equidade-Inclusão Os fins As expectativas Os desafios As contradições Um olhar sobre os."— Transcrição da apresentação:

1 A Escola. A sua Missão e os seus Valores Equidade-Inclusão Os fins As expectativas Os desafios As contradições Um olhar sobre os

2 A escola tamb é m é exclusão A escola tornou-se um lugar onde todos podem entrar mas de onde só alguns podem sair sem um sentimento de frustração e até de ódio, por a sociedade, a escola, os professores, os pais, tornarem essa frustração tão publicitada quanto incompreendida.

3 Uma escola inclusiva O princípio fundamental é que todas as crianças deveriam aprender juntas, independentemente de quaisquer dificuldades ou diferenças que possam ter. As escolas inclusivas devem reconhecer e responder às diversas dificuldades de seus alunos, acomodando tanto estilos como ritmos diferentes de aprendizagem, assegurando uma educação de qualidade a todos através de currículo apropriado, modificações organizacionais, estratégias de ensino, uso de recursos e parcerias com a comunidade (...) Dentro das escolas inclusivas, as crianças com necessidades educacionais especiais deveriam receber qualquer apoio extra que possam precisar, para que se lhes assegure uma educação efectiva,

4 Conceito de inclusão não passa por: ignorar as necessidades específicas de cada aluno; fazer os alunos seguirem um processo único de desenvolvimento, ao mesmo tempo e para todas as idades; extinguir o atendimento da educação especial antes do tempo

5 A inclusão passa por crença de que as crianças podem aprender juntas, embora tenham ritmos e processos diferentes garantia de acesso à escola a todos possibilidade de que todas as crianças atinjam o seu potencial máximo privilegiar das relações sociais entre todos os participantes - colaboração e cooperação mudança de papéis e de responsabilidades dentro da escola estabelecimento de infra-estrutura de serviços - suporte

6 parceria com os pais ambientes educacionais flexíveis estratégias baseadas em pesquisas - estabelecimento de novas formas de avaliação continuidade do desenvolvimento profissional da equipe técnica/formação continuada monitoramento e reavaliação constantes do processo suporte técnico aos professores de classes comuns e ou actuação colaborativa de professor especializado em educação especial estabelecer formas criativas de actuação com as crianças com necessidades educativas especiais -

7 Como vemos a missão da Escola? Missão Singular no Processo de Desenvolvimento? De Educação e de Instrução? Ou em competição com outras formas de educar? Diferente da Família, dos Meios de Comunicação, de outras instituições? ( igrejas, partidos, grupos de acção cívica)

8 A escola é um reflexo da sociedade, dos seus problemas mas é também talvez hoje a única instituição social capaz de reorientar a sociedade desde que lhe sejam dados os instrumentos para se apoderar da tarefa: os recursos, a autonomia, a autoridade, a responsabilidade e o reconhecimento da imensidão e dignidade da tarefa

9 Desenvolvimento a que n í vel? Desenvolvimento cognitivo ? Desenvolvimento afectivo ? Desenvolvimento de valores pessoais e sociais ?

10 Em suma O que se espera é que a educação e a escola proporcionem uma mais vasta e aprofundada consciência de vida. Uma mais intensa, disciplinada e ampliada realização de sentidos ( John Dewey em Democracy and Education).

11 Desenvolvimento cognitivo Ensinar a pensar É a missão mais singular da escola Por nela se ter a oportunidade de estruturar as informações, as observações, as experiências, as vivências com os outros, para se construir quadros de análise e de valorização de cada um e dos outros, do mundo em que se vive. Um tempo e um espaço para se receber e produzir conhecimento de modo diferente do que acontece noutras instâncias em que o aluno também recebe estímulos mas tem menos integração para os trabalhar

12 Escola e Ensino do Pensar Educar e Ensinar a pensar a informação, as experiências sobre os modos de a reflectir e avaliar Educar e Ensinar a gerir os afectos e as emoções Educar e Ensinar a colaborar e a trabalhar Educar e Ensinar a clarificar valores e a saber dar sentido à experiência humana e querer transformar-se e superar-se

13 Desenvolvendo das múltiplas inteligências dos alunos Múltiplas inteligências -Howard Gardner-1993 Lógico - matemática, Linguística Espacial, Musical, Cinestésica Interpessoal e Intrapessoal

14 Ajudar o desenvolvimento afectivo O controlo emocional A auto-estima A gestão do stress A empatia controle da impulsividade e o ser capaz de adiar as gratificações O equilíbrio entre as obrigações e o prazer e o trabalho

15 ( Cont.) A comunicação com os outros A gestão de metas e objectivos (passo a passo) A auto-motivação A atitude positiva mesmo nos momentos difíceis Aquilo que alguns chamam de inteligência emocional e que pode desenvolver-se e aperfeiçoar -se em qualquer idade

16 Valores e Atitudes pr ó prios de uma escola para todos No diálogo o sobre situações particulares procurando dar tempo para se poder pensar e criar hábitos de: Ouvir os outros Extrair pontos de vista e opiniões Interpretação das ideias dos outros Procura de pressupostos implícitos Identificação de inconsistências Seguir outras pistas e levantar hipóteses alternativas Revisão das consequências a curto e médio e longo prazo Identificação de inconsistências Seguir outras pistas e levantar hipóteses alternativas Revisão das consequências a curto e médio e longo prazo

17 OPÇÕES e TENSÕES Que Currículo para todos? Que práticas lectivas e que tipos de aprendizagens são valorizados? (propostas de investigação, trabalhos de campo, discussões, projectos O que é que é avaliado? Recursos para que tipo de aprendizagens? (manuais, internet, filmes,) Que dinâmicas profissionais entre os professores? Que soluções institucionais para reforçar a aprendizagem para todos? Que modos de inclusão?

18 Que concepção curricular? Da oferta de uma estrutura conceptual organizada à mobilização do conhecimento em contextos específicos. Dos exemplos da história ao confronto dos problemas actuais e locais Do reforço das disciplinas e dos seus mapas conceptuais às relações e às integrações disciplinares segundo diversos vectores De um currículo para todos ou a pensar nos que irão continuar a estudar por mais anos Da escolha de um nº restrito de experiências trabalhadas em profundidade ou um varrimento mais alargado

19 O aluno recebe e devolve? Procura e avalia o que procura? Percorre tarefas com a mente a dirigi- las e reconhecendo-lhe o sentido ? Produz ? Que pr á ticas lectivas? Qual o papel do aluno?

20 Cultura de escola Estímulos na criatividade Projectos individuais e de grupo Tempo de envolvimento em tarefas fora e dentro da aula Na comunicação entre alunos e professores da mesma e de outras turmas Na motivação para as ciências, as artes, a literatura ( clubes, semanas, dias, conferências) Na valorização do trabalho Na apreciação dos valores do trabalho cuidadoso rigoroso e sério

21 Classes humanizadas Os alunos são ouvidos Os alunos pensam e valorizam Os sentimentos dos alunos contam (empatia) os professores são autênticos (congruência) Os professores valorizam os alunos (existe uma consideração positiva) Os objectivos dos alunos contam para a procura dos caminhos a percorrer Os alunos recebem incentivos e entusiasmam-se com as aprendizagens

22 Avaliação Conhecimentos Aplicação em contextos conhecidos Em contextos novos Como mobilizam o saber pensar no agir do seu dia a dia.... Atitudes Definição de um plano para o contrato pedagógico

23 Organização do grupo Liderança Trabalho Cooperativo Responsabilidade Influenciar as decisões do C.Pedagógico nos projectos e outras actividades Exigências de recursos e sua manutenção

24 Que precisamos? Concertação de esforços Continuidade de esforços Regulação e monitorização Sistema que sustenta as iniciativas Não há em Portugal de momento nenhum motor de coordenação a fazer mover os eventuais motores isolados de cada escola. Por isso andamos um pouco por aqui e por ali tipo movimento Browniano….

25 Como ultrapassar? Responsabilidade e autonomia Organização e estruturas que tenha poder de iniciativa, Meios humanos e materiais e tempo de vida para os empreendimentos darem frutos Sustentação de projectos de escola……

26 Estudo e Reflexão Experimentação Investigação Menos decisões baseadas em opiniões pouco fundamentadas.

27 Uma escola para todos é uma escola inclusiva e de qualidade para todos


Carregar ppt "A Escola. A sua Missão e os seus Valores Equidade-Inclusão Os fins As expectativas Os desafios As contradições Um olhar sobre os."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google