A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

XIII Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa nas IES Particulares VII Encontro Nacional do FOREXP Produção e publicação de trabalhos intelectuais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "XIII Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa nas IES Particulares VII Encontro Nacional do FOREXP Produção e publicação de trabalhos intelectuais."— Transcrição da apresentação:

1 XIII Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa nas IES Particulares VII Encontro Nacional do FOREXP Produção e publicação de trabalhos intelectuais qualificados Profª. Marlene Catarina de Oliveira Lopes Melo Programa de Mestrado Acadêmico em Administração

2 Fonte: ZAGO, Marco Antonio, FASESP, São Paulo, Junho, 2011.

3 Crescimento relativo da produção científica no Brasil e no mundo Fonte: Base de dados NSI, editada pela Thomson Reuters Scientific INC, 2009; dados secundários da CAPES.

4 Áreas de Maior Produção Científica Fonte: ZAGO, Marco Antonio, FASESP, São Paulo, Junho, 2011.

5 Número de artigos e porcentagem em relação a produção mundial Continua...

6 Fonte: Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG / Coordenação de Pessoal de Nível Superior. – Brasília, DF: CAPES, 2010

7 Produção Científica: 22 Áreas - Brasil X Mundo

8 Fonte: Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG / Coordenação de Pessoal de Nível Superior. – Brasília, DF: CAPES, 2010 Produção Científica: 22 Áreas - Brasil X Mundo

9 Qualidade da produção científica brasileira A pesquisa e a produção científica brasileira vem alcançando um progresso quantitativo significativo; O progresso qualitativo foi menos expressivo; Globalmente a pesquisa brasileira ainda tem impacto reduzido; Presença da lógica do produtivismo acadêmico tupiniquim: cultura do desempenho; Docente vale quanto pesa: uma elite definida pelo desempenho obtido nos editais de pesquisa, nas bolsas recebidas, nos artigos publicados, enfim, pela pontuação atingida no escore da produtividade acadêmica (RICCI, 2009); Consumidores repetidores e divulgadores de ideias produzidas alhures (BERTERO e KEINET, 1994): falta originalidade na produção científica brasileira;

10 Auto-citação ou narcisismo acadêmico (CALDAS e TUNOCO, 2004); Corporativismo acadêmico – criação de uma espécie de cinismo nas defesas de dissertações e teses: banca e candidato saem redimidos (RICCI, 2009); Corporativismo acadêmico cristalizado em comunidade de pesquisadores: redes de publicações num esforço de auto-referenciamento contínuo, o mercado cativo (RICCI, 2009); Financiamento à pesquisa ainda restrito às Instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos (somos diferentes, mas os objetivos de pesquisa, são iguais; Ausência de uma cultura pedagógica voltada para a produção acadêmica nos cursos de graduação. Qualidade da produção científica brasileira

11 Dificuldades na elaboração de um trabalho científico na visão de graduandos Fonte: FREITAS, T.C. Sutter – FURB, IX ANPED SUL, 2012

12 Dificuldades na elaboração de um trabalho científico na visão de graduandos A preocupação com a formatação e a norma do trabalho acadêmico; A preocupação com a produção intelectual não é recorrente entre eles; Apenas um aluno explicitou sobre a dificuldade do exercício da autoria; Os docentes possuem papel fundamental de apoio e motivação diante das dificuldades da redação do trabalho acadêmico nas IES; O aluno necessita de abordagem ampliada em pesquisa, já que no Ensino Básico, Fundamental e Médio aprendeu a copiar e decorar conteúdos; Não se aprende a escrever por meio da leitura da palavra escrita ou quando alguém nos diz como escrever, mas se aprende a escrever, sobretudo escrevendo, da mesma forma que se aprende pesquisar pesquisando (RAUSCH, 2010 p. 172)

13 Produção acadêmica: dilema e desafios Estruturação recente da pós-graduação no país: ausência de uma cultura de produção acadêmica; Nossa produção científica nacional é como um iceberg, em que 80% fica submersa por falta de indexação em bases internacionais (MEDEIROS, 2003); 50% das dissertações e teses feitas no Brasil não são publicadas (YOSHIDA, 2005); Cultura de áreas do conhecimento que considera o trabalho publicado em anais como produto final; Por outro lado, a grande maioria dos trabalhos submetidos a eventos, não tem qualidade para submissão a periódicos (GUIMARÃES, 2010);

14 Produção acadêmica: dilema e desafios Atraso no processo de avaliações de artigos e na revisão dos mesmos; Crença de que se deve evitar revisões sucessivas de um artigo; Contradição entre produção (original e criativo) e reprodução (imitar, copiar, repetir).

15 Rumo a uma produtividade acadêmica A produção acadêmica não é mais individualizada: precisamos compreender e nos esforçarmos em desenvolver espaços epistêmicos com nossos pares, nossos alunos e orientandos e, com todos aqueles disponíveis a troca de saberes (ANDRADE, 2007); Desenvolvimento de novas concepções epistemológicas e metodológicas; A produção acadêmica não começa na pós-graduação; A importância dos orientadores de iniciação científica, mestrado, doutorado, bem como de professores de metodologia científica na formação de produtores e consumidores críticos da ciência (WITTER, 2004);

16 Rumo a uma produtividade acadêmica Toda pesquisa (iniciação científica, trabalho de conclusão de curso, mestrado, doutorado, projetos de professores) ele precisa objetivar publicação; A produção acadêmica, para ser eficiente, precisa ser planejada: o papel das linhas de pesquisas; O papel do controle CAPES em relação a produção acadêmica (os dois lados da moeda); Reconhecimento institucional aos melhores trabalhos publicados; Desenvolvimento de novos modelos de organização da pesquisa.

17 Rumo a uma produtividade acadêmica Exemplo: Fonte: ZAGO, Marco Antonio, FASESP, São Paulo, Junho, Modelo de Organização da Pesquisa

18 Rumo a uma produtividade acadêmica Ênfase em diretrizes que sustentem a inovação e a produtividade: a)Estímulo à formação de redes de pesquisa de pós-graduação, envolvendo parceiros nacionais e internacionais; b) Concurso de variadas metodologias e conceitos disciplinares para o enfrentamento de diferentes problemas; c) Programa, áreas de concentração e linhas de pesquisa que promovam a convergência de temas e o compartilhamento de pesquisa-problema; d) Interdisciplinaridade como concepção e processo de produção do conhecimento.

19 O poder criativo é aprendido e é um elemento importante no exercício da autoria (FREITAS, 2012). Apenas os pensamentos próprios são verdadeiros e tem vida, pois somente eles são entendidos de modo autêntico e completo. Pensamentos alheios e lidos são como sobras da refeição de outra pessoa (SHOPENHAUER, 2009 p.41). OBRIGADA !


Carregar ppt "XIII Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa nas IES Particulares VII Encontro Nacional do FOREXP Produção e publicação de trabalhos intelectuais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google