A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 G. S. Dimech 1,3, B. Kitagawa 1, T. Lanzieri 1, A.C.F. Santelli 1,3 M.A.B. de Almeida 1, L.R.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 G. S. Dimech 1,3, B. Kitagawa 1, T. Lanzieri 1, A.C.F. Santelli 1,3 M.A.B. de Almeida 1, L.R."— Transcrição da apresentação:

1 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 G. S. Dimech 1,3, B. Kitagawa 1, T. Lanzieri 1, A.C.F. Santelli 1,3 M.A.B. de Almeida 1, L.R. de Alencar Jr. 1, R.M. Dusi 2, L.M.P. Silva 2, D.L.Hatch 1,5 1 EPISUS/SVS/MS 2 SES/DF 3 CGPNCM/SVS/MS 4 CGLAB/SVS/MS 5 CDC Outubro MINISTÉRIO DA SAÚDE - BRASIL Secretaria de Vigilância em Saúde Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada ao SUS EPI_SUS Surto de Malária Autóctone por Plasmodium vivax Distrito Federal – Brasil, Maio/2005

2 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Características da Malária Doença infecciosa aguda : febre, calafrios e sudorese padrão cíclico (parasitemia) Agente etiológico: Plasmodium Brasil: P. vivax, P. falciparum, P. malariae Incubação: dias Forma latente: 2 anos (recaídas – Hipnozoítos no Fígado) Reservatório: homem (principal) Transmissão: Vetor, transfusão de sangue, seringas Introdução Fonte: Ministério da Saúde

3 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Características da Malária Vetor (Brasil) Família: Culicidae Gênero: Anopheles Espécies : A. darlingi, A. aquasalis, A. albitarsis, A. cruzii A. bellator Transmissão: Fêmea hematófaga - repasto Hábitos alimentares 18h às 6h Capacidade de vôo: ~2km Água limpa e parada / sombra Larva de Anopheles sp. Fonte: UFGRS Introdução Anopheles sp. - Fonte: London School of Hygiene and Tropical Medicine Fonte: Ministério da Saúde / David Pereira Neves Parasitologia Humana

4 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Introdução Fonte: Áreas de transmissão Mundo: Doentes: 300 Milhões/ano Óbitos: 1 milhão/ano – 90% África Áreas de Transmissão de Málaria no Mundo, 1999 Brazil Cuba

5 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Introdução Distrito Federal (DF) Áreas de Transmissão de Málaria no Brasil, Fonte: CGPNCM/SVS/MS * Todas as UF tiveram casos notificados

6 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Histórico no Distrito Federal (DF) 1992: 04 casos de malária autóctone identificados 2004: 68 casos importados 52 P.vivax (80%) 2005: 02/05: Notificação do 1°de caso de malária autóctone 27/05: Notificação do 2°caso 07/06: Inicio da investigação Introdução

7 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 OBJETIVOS

8 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Descrever surto por pessoa, tempo e lugar Avaliar autoctonia Determinar magnitude do problema Determinar áreas sob risco de transmissão Propor medidas de prevenção e controle Objetivos da Investigação

9 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 ESTUDO DESCRITIVO

10 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Estudo: Descritivo População Alvo: Casos notificados de malária autóctone no DF Instrumento: Questionário padronizado Dados: Demográficos, clínicos e epidemiológicos Metodologia

11 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Definição de Malária Autóctone Metodologia Indivíduo que, a partir de fevereiro de 2005, esteve na área de provável de transmissão (APT) de malária no DF e apresentou resultado confirmado de malária para P. vivax sem deslocamento para área endêmica de malária (AE) até dois anos anteriores à data dos primeiros sintomas

12 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados CaracterísticaCASO 01CASO 02 Idade3738 SexoMM Data de Inicio dos Sintomas10/4/200518/4/2005 Data Diagnóstico/Notificação/Tratamento02/5/200528/5/2005 Duração da doença (dias)2241 Diagnóstico (Classificação)Positivo Diagnóstico (cruzes)+++++ Lâmina + ( P. vivax )sim Resultado LVC* (60ª dia)Negativo Zona de MoradiaRuralUrbana Visita anterior a área endêmicaNão Atividade em comumPescaria *Lamina de verificação de cura Dados Demográficos, Clínicos e Epidemiológicos - Autóctones

13 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Fonte: Google EarthEscala: 1: km

14 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Vista aérea do Itapoã - Fonte: Google Earth Local de residência do caso 02. Itapoã-DF

15 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Local de Residência do Caso 01 Zona Rural – Paranoá / DF Rio S. Bartolomeu Sítio A PONTO COMUM RELATADO

16 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Local de Residência do Caso 01 Zona Rural – Paranoá / DF Rio S. Bartolomeu Sítio A Ponto comum de contato: (Pescaria: h)

17 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 ESTUDO TRANSVERSAL

18 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Estudo: Corte Transversal População Alvo: pessoas que tiveram contato com a área de provável risco de transmissão (APT) Definição de APT: Raio de 2km a partir do local provável de infecção (LPI) - Georreferenciamento Instrumento: Questionário padronizado Software: Epi_info versão 6.04d Metodologia

19 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Definições de Caso de Malária Metodologia Suspeito: indivíduo que, a partir de fevereiro de 2005, esteve na área provável de transmissão (APT) de malária da região administrativa do Paranoá-DF e apresentou febre Confirmado : indivíduo suspeito, que teve diagnóstico laboratorial de malária confirmado por gota espessa

20 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Descrição da APT Escala: 1: Rio Paranoá Rio São Bartolomeu 2 km Metodologia

21 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Metodologia Variáveis analisadas: Sexo Idade Tempo de moradia na APT Contato com coleções hídricas História de malária* Contato com região endêmica* Febre** * Desde fevereiro de 2003 ** Desde fevereiro de 2005

22 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Investigação Laboratorial Metodologia Relato de febre a partir de fevereiro de 2005 Gota espessa: visualização do parasita por microscopia ótica - Coloração: método de Giemsa Esfregaço: identificação das espécies de plasmódios Coloração: método de Giemsa Esquizonte - P. vivax

23 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Levantamento Entomológico – APT Metodologia Secretaria de Estado da Saúde do DF: Departamento de Vigilância Ambiental Ministério da Saúde: Programa Nacional de Controle da Malária Vigilância Ambiental Coordenação Geral de Vetores e Antropozoonozes

24 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados 102 propriedades: 92 (90%) visitadas Media de 5 moradores por propriedade Característica Idade, mediana 25 anos (Intervalo) (01 mês – 84 anos) Tempo de moradia, mediana 04 anos (Intervalo) (07 dias – 36 anos) (n=424) Perfil dos moradores da APT:

25 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Perfil dos Moradores da APT

26 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Resultado Busca Ativa APT – Investigação Laboratorial Levantamento Entomológico – APT: Larvas de anofelinos

27 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 INVESTIGAÇÃO EM DADOS SECUNDÁRIOS

28 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Metodologia Busca Ativa - Dados Secundários: SINAN / LACEN Casos confirmados de malária por P. vivax notificados em 2005: Sistema Nacional de Agravos de Notificação - SINAN Laboratório Central de Saúde Publica – LACEN-DF Contato domiciliar ou telefônico: 04 tentativas

29 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Resultados Resultado Busca Ativa Dados Secundários 2005 SINAN / LACEN Característica SINAN LACEN P. vivax 17 6 Contato com APT 0 0 n=23

30 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 CONCLUSÃO

31 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Conclusões Ocorreram dois casos autóctones de malária por P. vivax no DF O local provável de infecção foi identificado (Sitío A) Não foram observados outros casos na APT Transmissão provavelmente foi restrita aos casos confirmados O diagnóstico, tratamento e notificação dos casos não foram oportunos

32 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Limitações Viés de informação: memória e proxi Visitantes anônimos na APT Migração intra-regional Ausência de condições ideais de para realização de levantamento entomológico (baixas temperatura – média 16°) Não disponibilidade método diagnóstico para indivíduos infectados mas sem parasitemia (parasitemia transitória – hipnozoítos)

33 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 Recomendações Atualizar profissionais de saúde: diagnóstico, tratamento e notificação de Malária Realizar levantamento entomológico anual (Carta Anofélica do DF) para identificar de áreas com risco de transmissão Intensificar ações de vigilância da malária Promover ações de educação em saúde nas áreas de risco do DF (uso de roupa protetora, repelente e evitar horário de maior infestação)

34 Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005


Carregar ppt "Surto de Malária Autóctone por P. vivax no DF - Maio/2005 G. S. Dimech 1,3, B. Kitagawa 1, T. Lanzieri 1, A.C.F. Santelli 1,3 M.A.B. de Almeida 1, L.R."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google