A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cultivo Biodinâmico de Brassicáceas. Palestrante: Júlio César Soraggi Consultor da ABD Associação Biodinâmica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cultivo Biodinâmico de Brassicáceas. Palestrante: Júlio César Soraggi Consultor da ABD Associação Biodinâmica."— Transcrição da apresentação:

1 Cultivo Biodinâmico de Brassicáceas. Palestrante: Júlio César Soraggi Consultor da ABD Associação Biodinâmica

2 Origem Couve-flor, couve-manteiga, repolho e brócolis: mar Mediterrâneo e Litoral Atlântico da Europa Ocidental. Rabanete: Ásia Ocidental Rúcula: Mediterrâneo e Ásia Ocidental

3 Cultura do Brócolis

4 Clima e cultivares São plantas que se desenvolvem e produzem melhor sob condições de clima ameno, estando a temperatura entre 7 e 22ºC Outono-Inverno: Ramoso Santana (variedade), Sunrise ( híbrido) e Karatê( híbrido). Primavera – Verão: Piracicaba Precoce ( variedade) e Ramoso Piracicaba ( variedade)

5 Formação de mudas Semeio: preferencialmente em dia de flor e lua crescente Substrato: 7 a 10 litros de húmus de minhoca ou composto biodinâmico peneirado, 3 litros de vermiculita ou casca de arroz queimada, 100 gramas de cinzas, 100 gramas de torta de mamona, 100 gramas de farinho de osso ou yoorin ( termofosfato) e 10 gramas de tricoderma.

6 Preparo e correção do solo Fosfatagem: nota-se melhor desenvolvimento das culturas em solos com teores próximos a 80 mg/dm³. A fosfatagem tem que ser feita conforme análise de solo e deve ser parcelada com utilização máxima de 800 Kg/ha/ano de fosfato, pois quantidades exageradas além de desequilibrar outros minerais torna-se antieconômica.

7 Calagem: A calagem será o segundo passo importante na correção do solo, pois ela neutraliza a os minerais tóxicos (Al e Mn); contribuir para melhorar agregação do solo, pôr fornecer cálcio para a atividade microbiana no solo e fornecer Ca e Mg para a nutrição da planta. A calagem deve ser feita gradativamente, pois quando o calcário é aplicado em grandes quantidades pode causar alterações bruscas na química do solo, diminuindo atividade microbiana e desequilibrando vários nutrientes. Assim, utilizar no máximo: 1000 Kg/ha/ano de calcário em solo leve (arenoso); 2000 Kg/ha/ano em solo pesado (argiloso). Estabilizar o ph do solo próximo a 5,5

8 Adubação de Plantio Colocar 1 kg de composto+ 100 gramas de bokashi + 1grama de boráx por cova A adubação das covas devem ser feita 7 dias antes do transplante das mudas

9 Plantio A cultura do brócolis prefere solos areno-argilosos, com bom teor de matéria orgânica e boa disponibilidade em macro e micronutrientes ( boro e molibdênio). Irrigar a área antes do plantio das mudas Não irrigar as mudas 1 dia antes do transplante O plantio deve ser feito em covas com espaçamento de 1,20 metro entre linhas e 0,5 metros entre plantas. O transplantes das mudas devem ser feito preferencialmente no final do dia

10 Tratos culturais Manejo de mato e plantas indicadoras: fazer a capina do mato ao lado das fileiras das plantas, principalmente no início do estabelecimento da cultura e deixar o mato nas entre linhas crescer e trabalhar somente com roçadas. Uso de cobertura morta: proteger o solo do impacto das chuvas e do sol, conservação da umidade do solo, aporte de materia orgãnica, etc Capação e podas: Quando a cabeça central atinge um certo desenvolvimento, deve ser cortada logo, para promover o maior desenvolvimento das inflorescências laterais. Irrigação: O brócolis é altamente exigente em água. O solo deve ser mantido sempre úmido. A irrigação por aspersão é a mais usada e tem a vantagem de auxiliar no controle de pragas como pulgões e lagartas. Pulverização de biofertilizante: pulverizar 1 vez na semana na diluição de 2 % ( aplicar nas luas crescente e cheia via foliar) Adubação de cobertura: se necessário após 40 dias do transplante das mudas aplicar 1 kg de composto ou 100 gramas de bokashi por planta. ( aplicar na lua minguante)

11 Aplicação de Preparados biodinâmicos Preparado 500 Chifre esterco: aplicar no final do dia antes ou logo após o transplante das mudas ( favorece o desenvolvimento radicular e ativa a vida do solo trabalhando a polaridade terrestre) Preparado 501 chifre sílica: aplicar ao amanhecer, após 30 dias do transplante para dar mais firmeza e qualidade e estimular a floração ( trabalha a polaridade cósmica) Preparado Fladem: aplicar sobre o solo após capinas e roçadas

12 Controle de pragas e doenças Manejo correto do solo: aporte periódico de matéria orgânica, uso de cobertura morta, rotação de cultura mecanização pontual e quando necessário, o uso de adubos orgânicos, pós de rochas e materias proteicos. Nutrição equilibrada: pragas e doenças só atacam plantas desequilibradas nutricionalmente. Respeitar os rítimos da natureza e de cada planta: umidade, nutrientes, luz e calor

13 Principais pragas e doenças e seu controle Lagartas: A preferência alimentar das lagartas são por plantas com folhas tenras, ou seja, com excesso de nitrogênio em relação ao potássio e principalmente deficiência de cálcio. A medida mais eficiente preventiva ou curativa e melhorar o manejo nutrição. Para controle biológico utilizar: Dipel (60g em 20 litros de água) Para alguns tipos de lagarta, como por exemplo, a mede palmo ou curuquerê da couve, o controle pode ser eficiente utilizando-se leite (100 ml de leite de vaca natural para 20 litros de água). Não utilizar leite desnatado ou longa vida.

14 Pulgões e trips: O aparecimento destes insetos é em geral devido à baixa umidade do ar e do solo e temperaturas elevadas. Apenas o pulgão ocorre também em situações de baixa temperatura. Outra causa importante no aparecimento destas pragas é o desequilíbrio nutricional da planta, ou seja, excesso de Nitrogênio em relação ao Potássio. Nas folhosas os pulgões e trips são responsáveis pela transmissão de viroses. É fundamental em primeiro lugar melhorar a nutrição das culturas e o manejo da irrigação. Além disso, adotar em conjunto o controle biológico e aplicação de extratos repelentes.

15 Para o controle, em caso de clima seco, utilize extratos repelentes: Extrato de pimenta do reino + extrato de alho – 200 ml de cada em 20 litros de água Para o controle, em caso de clima úmido, utilize controle biológico: Metarril + Boveril – 60 g de cada em uma bomba de 20 litros.

16 Lesma e caramujos A preferência alimentar das lesmas é por plantas que estejam em ambientes muito úmidos e também com excesso de nitrogênio em relação ao potássio, além de deficiência de cálcio. A primeira medida de prevenção ou curativa e melhorar o manejo nutrição e reduzir a umidade do ambiente. Para controle utilizar: Rocksill (100g) + Sal de cozinha (60g)/para 20 litros de água Para controle com isca utilizar: Espalhar no talhão de cultivo vários pedaços de estopas ou pão molhados com cerveja ou leite. Nestes locais haverá concentração das lesmas as quais poderão ser eliminadas

17 A cultura do brócolis em sistemas orgânicos, à semelhança do repolho e couve-flor, não apresenta problemas significativos com pragas e doenças quando o solo e o ambiente estão adequadamente equilibrados. Controle de doenças fúngicas: aplicação de preparado 501 a cada 15 dias, aplicação de cobre ( calda bordaleza ou hidróxido de cobre para diminuir a atuação do nitrogênio), aplicação de chá de cavalinha a cada 15 dias.

18 Principais doneças fúngicas em Brassicáceas.

19 As principais doenças são: a podridão- negra(Xanthomonas campestris pv. Campestris) causada por bactéria e a alternariose (Alternaria brassicae e A. brassicicola) provocadas por fungos, ocorrem em condições de tempo quente e úmido. Para estas doenças, deve-se fazer o controle preventivo.

20 Biofertilizante para Brássicas 40 litros de esterco 70 litros de água 2 kg bórax 200 g molibidato de sódio

21 Colheita: nos cultivares de inverno, de 60 a 70 dias após o transplante. Ela pode se prolongar por ate 4 meses. Nos cultivares de verão, de 50 a 60 dias após o transplante. Media de produção orgânica: o rendimento do brócolis tipo ramoso, produzido em sistemas orgânicos é de 2,4 maços, em média, por planta, já que, o rendimento no inverno e maior ( 3,0 maços por planta) e no verão é menor ( 1,8 maços por planta)

22 Cultura da Couve- Flor

23 Clima e cultivares A couve-flor é uma cultura tipicamente de clima temperado. Os cultivares existentes têm exigências de temperaturas muito específicas. Cultivares de outono/ inverno: Bola de Neve, Teresópolis Precoce, Teresópolis Gigante, dentre outras( faixa de temperatura ideal para formação de cabeças é de 14 a 20ºC) Cultivares de primavera/verão: Piracicaba Precoce e alguns híbridos como o Shiromaru e Verona AG-184( formam cabeças com temperaturas acimas de 20ºC)

24 Formação de mudas: semelhante ao brócolis Preparo e correção do solo : semelhante ao Brócolis Adubação de plantio: 1 kg de composto biodinâmico+ 100 gramas de bokashi+ 1 grama de bórax+ 30 gramas de yoorin por planta Plantio: semelhante ao do brócolis Espaçamento: 1,0m x 0,5m Tratos culturais: semelhanta ao brócolis Controle de pragas e doenças: semelhante ao brócolis

25 Colheita: para os cultivares de primavera-verão, a colheita realiza-se entre 75 e 100 dias da semeadura. Os cultivares de outono-inverno produzem com 90 a 115 dias do semeio. O padrão de qualidade das cabeças para o mercado são de 15 cm de diâmetro. Média de produção: A couve-flor tem demonstrado ser uma espécie com elevada dependência das condições química e física dos solos. Em solos com melhores características, tem se alcançado rendimentos comerciais superiores a kg/há e cabeças com diâmetro médio de até 16,5 cm.


Carregar ppt "Cultivo Biodinâmico de Brassicáceas. Palestrante: Júlio César Soraggi Consultor da ABD Associação Biodinâmica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google