A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Biologia POLUIÇÃO CEAG TURMA: 1008 SÉRIE: 1º ano PROFESSOR: Jarbas ANO LETIVO: 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Biologia POLUIÇÃO CEAG TURMA: 1008 SÉRIE: 1º ano PROFESSOR: Jarbas ANO LETIVO: 2008."— Transcrição da apresentação:

1 Biologia POLUIÇÃO CEAG TURMA: 1008 SÉRIE: 1º ano PROFESSOR: Jarbas ANO LETIVO: 2008

2 COMPONENTES Elmo Reinaldo Ribeiro e Eliane

3 TEMA ( Problemas de poluição causada pelas ações humanas)

4 POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Chama-se poluição a presença no ar, na água ou no solo resíduos sólidos, líquidos ou gasosos em quantidade superior á capacidade que o ambiente tem de absorvê-los, e que podem acarretar prejuízo ao ecossistema, degradação estética ou dano ao bem-estar e á saúde dos seres vivos. Relaciona-se, ainda, com a presença de microrganismos causadores de doenças (como vírus, bactérias e fungos) ou com a emissão excessiva de calor, som e luz. Os poluentes atmosféricos podem ter origem natural, como os vulcões, que lançam no ar toneladas de partículas e gases. No entanto, as principais fontes de poluentes são as atividades humanas tais como:

5 EXEMPLOS - MEIOS DE TRANSPORTES - (queimam combustíveis, como gasolina e óleo diesel) - INDÚSTRIAS- (emitem gases e material particulado)

6 -QUEIMA DE FLORESTAS OU LENHA- -POLUIÇÃO AGRÍCULA- (fertilizantes e defensivos agrícolas - responsável pela poluição a partir da superfície de extensas áreas ) A utilização inadequada de fertilizantes nitrogenados e fosforados em zonas de regadio com solos permeáveis e aqüíferos livres, traduzido em aumentos consideráveis de nitratos no aqüífero; Elevada taxa de reciclagem de águas subterrâneas em áreas de regadio intensivo; Lançamento indiscriminado de resíduos animais sobre o solo em zonas vulneráveis; Utilização incorreta ou exagerada de pesticidas em solos muito permeáveis com escassa capacidade de adsorção.

7 Problemas Causados Pelos Gases Poluentes Os gases causadores de chuvas ácidas originam-se principalmente de indústrias e usinas termelétricas e usam carvão ou petróleo; secundariamente de veículos automotores, as chuvas a milhares de quilômetros da fonte dos poluentes, que são levadas por ventos.

8 Exemplo de como a chuva ácida pode agir no meio físico

9 EFEITO ESTUFA – OUTRA CONSEQUENCIA DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

10 . O sol é constituído por radiações ultravioletas, infravermelhos, entre outras que atravessam a atmosfera, mas nem todas chegam à superfície, pois a mesma absorve, difunde e reflete parte dessa radiação (função de filtro).A crescente emissão de dióxido de carbono é prejudicial, pois o CO2 permite a passagem da radiação solar para terra mas depois funciona como uma barreira, não deixando sair o calor que é refletido pela superfície terrestre, então o calor fica concentrado formando o Efeito de Estufa. Este fenômeno atinge mais os países desenvolvidos, por serem os maiores emissores de dióxido de carbono EFEITO ESTUFA

11 TABELA DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS COMPONENTESEFEITOS SOBRE A VIDA HUMANA Partículas sólidas ou gotículas (poeira, fuligem, chumbo, asbesto e ácido sulfúrico). Tosse, crises de asma, facilita o aparecimento de pneumonias. Pode prejudicar a visibilidade, determinando o fechamento de aeroportos. Óxido nítrico (NO), óxido nitroso (N²O) e dióxido de nitrogênio (NO²). Irritação das vias aéreas e dos olhos, asfixia e morte (em alta concentração) Dióxido de enxofre (SO²) e trióxido de enxofre (SO³) Irritação das vias aéreas, dos olhos, e da boca. Dióxido de carbono (CO. ²) e monóxido de carbono (CO). O monóxido de carbono dificulta o transporte de oxigênio pelo sangue, podendo causar a morte. Hidrocarbonetos (metano, benzeno, hidrocarbonetos p aromáticos) e aldeídos (m e). Irritação da pele e das vias aéreas, anemia, comprometimento das defesas orgânicas, câncer, irritação das vias aéreas e dos olhos, lesões do sistema nervoso. Presente na gasolina, em aditivos cujo uso vem sendo abandonado. S (lesões do sistema nervoso, lesões dos rins e anemia). Forma-se a parti de óxidos de nitrogênio e de hidrocarbonetos, na presença de luz. Irritação dos olhos e das mucosas; facilita a ocorrência de infecções respiratórias.

12 SOLUÇÕES A redução das emissões de dióxido de carbono para a atmosfera; A utilização de filtros nas chaminés das fábricas; A promoção de energias alternativas, não poluentes; A eliminação da utilização de CFC; A utilização de tecnologias limpas; A substituição dos combustíveis empregados é eficaz (em vez de óleo diesel, as indústrias podem usar gás natural - efeitos menos tóxicos).

13 OUTRAS FORMAS DE POLUIÇÃO ORIUNDAS DE AÇÕES HUMANAS Os lixões são depósitos de lixo a céu aberto. Nos países desenvolvidos, eles foram fechados, mas nos países em desenvolvimento ainda são comuns. No Brasil, por exemplo, milhares de pessoas vivem da coleta e da venda de material encontrado em lixões.

14 OUTROS EXEMPLOS DE LIXOS ORIUNDOS DA AÇÕES HUMANAS -LIXO COMERCIAL- A produção, em larga escala, de lixo e dejetos sólidos é um traço característico da civilização urbana e industrial. O lixo doméstico é um subproduto do consumo de bens duráveis e não duráveis

15 -LIXO INDUSTRIAL- (decorrentes de atividades que envolvem produtos radiativos que permanecem ativos por milhares de anos podendo provocar doenças graves ou letais) O mercúrio acumula-se nos seres vivos, dificilmente é eliminado e tem alta toxidade. É absorvido por crustáceos, moluscos e peixes, que podem ser comidos por seres humanos ou outros animais. Fetos contaminados por mercúrio podem ter malformações no encéfalo, com lesões permanentes. Na baía de minamata, no Japão, na década de 1950, pescadores e suas famílias foram afetados pelo mercúrio eliminando nas águas por uma indústria.

16 -RESÍDUOS HOSPITALARES- Os resíduos hospitalares, por sua natureza, abrangem produtos tóxicos e exigem cuidado especial. O lixo radioativo é um subproduto da geração de energia em usinas nucleares e de equipamentos hospitalares e deve ser isolado do ambiente por centenas ou milhares de anos.

17 PROBLEMAS Dano ambiental e a saúde Criadouros de insetos –mosca e barata- muitos dos quais transmissores de doenças (como a amebíase e giardíase) Existência de roedores transmitindo a leptospirose Poluição do ar, solo e das águas, tanto as superficiais como as de lençóis subterrâneos, já que são instaladas em locais sem impermeabilização do solo. Contaminação de pastagens, rebanhos e áreas agrícolas.

18 ALTERNATIVA ATERRO SANITÁRIOS: impermeabiliza-se o terreno e, sobre a camada impermeável, o lixo é acumulado. A cada dia o lixo é coberto por uma camada de terra de 15 cm a 30cm de espessura e compactado por tratores, evitando-se a entrada e a permanência de ar -sem oxigênio, para atuarem apenas as bactérias anaeróbicas.

19 DADO A SER OBSERVADO Apesar dos aterros sanitários liberarem para atmosfera uma mistura gasosa de metano(48%)e gás carbônico (47%), mesmo que em menor quantidade de outros gases, o metano é inflamável e poluir o ar, existe a possibilidade – como é feito em alguns aterros sanitários – de se canalizar e empregar como combustível ou na geração de energia elétrica.

20 2ª ALTERNATIVA INCENERAÇÃO: Os incineradores queimam os lixo em altas temperaturas, reduzindo seu volume em até altas temperaturas reduzindo seu volume em até 90%. Além disso, o calor na queima pode se empregadores em caldeiras, cujo vapor movimenta e gera energia elétrica. Para aumentar a eficiência, o lixo deve ser separado. O maior problema ambiental da incineração de lixo é a poluição do ar, por causa da liberação de monóxido de carbono e gás carbono, material particulado, ácidos, metais pesados dioxinas e outros poluentes.

21 3ª ALTERNATIVA COMPOSTAGEM: É um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo, a que se chama composto, e que pode ser utilizado como adubo.

22 O QUE SE PODE FAZER? Devido aos danos ambientais causados pelas alternativas acima, as medidas de controle de resíduos urbanos voltam-se para três estratégias: REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR

23 Bibliografia consultada EDITORA: MODERNA VOLUME ÚNICO BIOLOGIA JOSÉ ARNALDO FAVARETTO CLARINDA MERCADANTE


Carregar ppt "Biologia POLUIÇÃO CEAG TURMA: 1008 SÉRIE: 1º ano PROFESSOR: Jarbas ANO LETIVO: 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google