A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica Sua História e Seu Futuro

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Instituto Tecnológico de Aeronáutica Sua História e Seu Futuro"— Transcrição da apresentação:

1 ITA Sua História e Seu Futuro Apresentação ao Clube de Engenharia Rio de Janeiro 13 Junho 2005

2 O Instituto Tecnológico de Aeronáutica Sua História e Seu Futuro
Mais de Meio Século Formando Recursos Humanos para o Setor Aeroespacial e a FAB

3 Uma Extraordinária Visão
Uma Extraordinária Visão... Domínio do Ciclo Tecnológico Completo = Fator de Soberania Nacional Alcançá-lo, começando com uma Escola Em 1945, o Ten. Cel. Casimiro Montenegro Filho obteve autorização para criação do Centro Técnico de Aeronáutica (CTA) O primeiro instituto do CTA foi o Instituto Tecnológico de Aeronáutica, uma escola dedicada a formação de uma massa crítica de cientistas e engenheiros dedicados ao desenvolvimento e absorção da tecnologia aeronáutica

4 Destaques do Plano Smith
Visão de Longo Prazo Tripé: Escola – P&D - Indústria ITA: Laboratório de Inovações - Revolução Educacional Conceito de Campus Universitário Professores e Alunos em Tempo Integral Forte Interação Professor/Aluno, Professor-conselheiro Educação e Ensino; Disciplina Consciente Organização Moderna Estrutura Departamental Flexibilidade e Autonomia Curricular Aperfeiçoamento Continuado do Corpo Docente Ênfase no Ensino Empírico, Empreendedorismo Ensino e Pesquisa Indissociáveis Educação e Ensino (Humanidades, Ativ. Extra-curriculares) Novo Modelo de Pós-graduação

5 Plano Smith-Montenegro (1945) Destaque
“O Brasil não deverá receber, nem mesmo que oferecido gratuitamente, material aeronáutico da Guerra caso contrário, ficará de posse de grande quantidade de material antiquado, caro para manter e dispendioso para operar, além de estar sempre na dependência de um país estrangeiro, quanto a peças sobressalentes. Tal situação acarretaria o atraso do desenvolvimento da indústria aeronáutica brasileira, impedindo talvez a sua independência, porque protelaria a necessidade de recorrer à produção nacional.”

6 Escola Singular “… A escola que ora vos confere o grau de Engenheiro orgulha-se de ser um estabelecimento de ensino e educação, preocupado em formar técnicos competentes e cidadãos conscientes… … A franca discussão entre professores e alunos, a flexibilidade dos currículos constituem a segurança de que, aqui, o dogmatismo não se sobrepõe ao livre exame e à crítica construtiva, e o desenvolvimento do conhecimento não é barrado pelo espírito rotineiro… … No aperfeiçoamento da técnica, considerarão os engenheiros do ITA as condições existenciais de nossa terra e conduzirão o progresso tecnológico no sentido da satisfação mais larga e justa dos direitos humanos para todos os nossos cidadãos.” Casimiro Montenegro Filho Trechos do Discurso de Paraninfo, ITA 1954

7 Palavras do Dr. Maurício Botelho Diretor Presidente da EMBRAER
(como Paraninfo da Turma de Engenheiros do ITA, Dezembro 2002) “... EM DEPOIMENTO À COMISSÃO DE DEFESA E RELAÇÕES EXTERIORES DA CÂMARA DE DEPUTADOS, REALIZADO HÁ CERCA DE DOIS ANOS, PERGUNTAVA-ME UM ILUSTRE DEPUTADO SE, NA MINHA VISÃO, A EMBRAER PODERIA TER TIDO O SUCESSO E A EFICIÊNCIA QUE ELA HOJE VIVENCIA SE TIVESSE PERMANECIDO COMO UMA EMPRESA ESTATAL. RESPONDI-LHE QUE, NA MINHA OPINIÃO, NÃO ACREDITAVA QUE ISTO PUDESSE ACONTECER VISTO QUE, POR SER ESTATAL E TRATAR COM DINHEIRO DOS CONTRIBUINTES, TERIA, NECESSARIAMENTE, QUE SE SUBMETER A UM CONJUNTO DE REGRAS, PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS E REGULAMENTOS QUE HAVERIAM DE IMPEDIR QUE SATISFIZESSE A TRÊS CONDIÇÕES ESSENCIAIS AO SUCESSO DE QUALQUER NEGÓCIO: AGILIDADE, FLEXIBILIDADE E AGRESSIVIDADE COMERCIAL....

8 Palavras do Dr. Maurício Botelho
Diretor Presidente da EMBRAER (como Paraninfo da Turma de Engenheiros do ITA, Dezembro 2002) “MAS DISSE TAMBÉM AO SENHOR DEPUTADO QUE, SE TIVESSE ME PERGUNTADO SE A EMBRAER PODERIA TER EXISTIDO SEM QUE TIVESSE SIDO CRIADA PELO ESTADO, EU LHE RESPONDERIA QUE NÃO PORQUE, A EMBRAER É O RESULTADO DE UM DOS MAIS COMPETENTES E BEM IMPLANTADOS PLANOS ESTRATÉGICOS DE LONGO PRAZO JAMAIS CONCEBIDOS NO BRASIL, QUE PRETENDEU ESTABELECER NO PAÍS UMA CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICO-INDUSTRIAL PARA CONCEBER, DESENVOLVER, MANUFATURAR, CERTIFICAR AVIÕES, E SERVÍ-LOS APÓS A VENDA, A PARTIR DE UMA SÓLIDA BASE CIENTÍFICA E EDUCACIONAL, COM A CRIAÇÃO DO CTA E DO ITA EM 1950, CRIANDO A INDÚSTRIA – A EMBRAER – CERCA DE 20 ANOS DEPOIS.”

9 Cronologia: FAB, ITA e Embraer
– Criação do Ministério da Aeronáutica – Casimiro Montenegro Filho: Comissão de Organização do CTA – Plano Smith (Richard H Smith, 1º Reitor do ITA) – Início Curso de Eng Aer na ETEx (atual IME) no RJ – ITA instalado em São José dos Campos/SP – Curso Pioneiro de Engenharia Eletrônica – Criação do IPD – Formalização da Pós-Graduação do ITA, Pioneira no Brasil – Início Projeto IPD 6504 (Bandeirante) – Primeiro Vôo do Bandeirante – Fundada EMBRAER, Estatal Econ. Mista Vinculada ao M Aer Quadro de Oficiais Engenheiros da FAB – EMBRAER Privatizada – Curso de Especialização em Guerra Eletrônica – Ministério da Defesa EMBRAER Maior Exportadora Brasileira – Mestrado Profissional em Enga. Aeronáutica; parceria Embraer/ITA PPGAO JetBlue adquire 100 EMB 190 (opção de mais 100) Aviation Week - 3 fabricantes globais: Boeing, Airbus e Embraer

10 Projetos Pioneiros do IPD/CTA Alavancaram o Conhecimento
Convertiplano Beija Flor

11 CTA como Grande Incubadora da Embraer
CTA como Grande Incubadora da Embraer... Bandeirante: projetado e desenvolvido no CTA (Projeto IPD 6504)

12 O processo de transferência de tecnologia envolveu
conhecimentos aeronáuticos desenvolvidos no CTA e a maior parte da sua equipe técnica

13 Instalações e um Significativo Espaço Físico ...

14 Criação da Embraer e o Papel do Estado
Incubação no CTA Processo de Transferência de Tecnologia Sistema de Capitalização – incentivos fiscais IRPJ Poder de Compra – encomendas da FAB Financiamento de novos programas (como Xavante, AMX e Tucano) Qualidade dos produtos homologados pelo IFI/CTA Formação de Recursos Humanos no ITA

15 MISSÃO “Formar Técnicos Competentes e Cidadãos Conscientes” Casimiro Montenegro Filho Paraninfo, Turma ITA 1954 LEI 2.165, de “Ministrar o ensino e a educação necessários à formação de profissionais de nível superior, nas especializações de interesse para a aviação em geral e a Força Aérea Brasileira, em particular Manter os cursos de extensão universitária, de pós- graduação e de doutorado Promover, através da educação e da pesquisa, o progresso das ciências e das técnicas relacionadas com a aeronáutica” LEI 6.165, de “A formação de engenheiros destinados ao Quadro de Oficiais Engenheiros do Corpo de Oficiais da Aeronáutica (QOEng) será feita através do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).”

16 Modelo Montenegro Contribuições ao Poder Aeroespacial...
Formação de Recursos Humanos Engenheiros, Especialistas, Mestres e Doutores Docentes, Cientistas e Pesquisadores Oficiais, desde 1975  QOEng Pesquisa e Desenvolvimento Novos Produtos, Processos Centro de Produção de Inovações Incubação de Projetos e Empresas Fomento à Indústria Incentivos, Instrumentos de Política Pública Transferência de Tecnologia Homologação e Certificação Homologação e Certificação de Produtos, Serviços e Empresas Comando da Aeronáutica Indústria Aeroespacial Infra-estrutura Aeronáutica Atividades Espaciais Transporte Aéreo Aviação Civil

17 Modelo Montenegro Contribuições ao Desenvolvimento do País...
Sistema Educacional Inovações incorporadas na Lei de Diretrizes e Bases Pós-Graduação Novas Instituições Formação de Docentes e Pesquisadores Ciência e Tecnologia Centro de Produção de C&T Homologação e Certificação de Produtos, Serviços e Empresas Formação de Cientistas e Pesquisadores Setor Público Lideranças Desenvolvimento Regional São José dos Campos e Vale do Paraíba Setor Produtivo CEO´s Empresas Nacionais e Multinacionais Contribuições Significativas em - Aeronáutica - Espaço - Eletrônica - Telecomunicações - Energia - Informática Faturamento da Embraer = US$ 9 bilhões Orçamento do ITA = US$ 5 milhões Sistema Telebrás Carro a Álcool

18 Os Engenheiros Formados pelo ITA? PhD mais rápido da história
Onde Estão Os Engenheiros Formados pelo ITA? Setor Público Ministros, Oficiais Generais, Prefeitos, Presidentes Empresas Universidades e Institutos de Pesquisa Reitores, Professores/Pesquisadores Eméritos, PhD´s Setor Produtivo CEO´s e Empresários ... Todos Setores ... Versatilidade Bispo da Igreja Católica Ministro da Previdência Social Especialista em Pobreza Liderança, Inovação, Multidisciplinaridade PhD mais rápido da história Empreendedores

19 ÚNICA ESCOLA A OBTER SEMPRE CONCEITO A EM TODOS OS PROVÕES
CURSOS DE GRADUAÇÃO Engenharia Aeronáutica Engenharia Eletrônica Engenharia Mecânica- Aeronáutica Engenharia de Infra- Estrutura Aeronáutica Engenharia de Computação Aerodinâmica Estruturas Propulsão Mecânica de Vôo Projetos Eletrônica Aplicada Circuitos e Microondas Sistemas de Controle Telecomunica- ções Energia Projetos Organização Tecnologia Edificações Geotecnia Hidráulica Transportes Computação Científica Engenharia de Software Teoria da ÚNICA ESCOLA A OBTER SEMPRE CONCEITO A EM TODOS OS PROVÕES

20 CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Programas Stricto Sensu
ENGENHARIA AERONÁUTICA E MECÂNICA ENGENHARIA ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE INFRA- ESTRUTURA AERONÁUTICA FÍSICA Aerodinâmica, Pro- pulsão e Energia Mecânica dos Só- lidos e Estruturas Física e Química dos Materiais Aeroespaciais Produção Sistemas Aeroespa- ciais e Mecatrônica Dispositivos e Sis- temas Eletrônicos Informática Microondas e Optoeletrônica Sistemas e Controle Telecomunicações Infra-Estrutura de Transportes Transporte Aéreo e Aeroportos Física Atômica e Nuclear Física Nuclear Física de Plasmas Avaliação CAPES: Nível de Excelência Novas Demandas EMBRAER: Mestrado Profissionalizante FAB: PPGAO

21 Quadro Discente Total MATRÍCULAS números aproximados
GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO PROFISSIONALIZANTE MESTRADO DOUTORADO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) CEANSIS CEAAE CEEAA MBA MATÉRIA ISOLADA TOTAL

22 Mecânica-Aeronáutica 20
Graduação FORMANDOS 2004 Aeronáutica Eletrônica Mecânica-Aeronáutica 20 Infra-estrutura Aeronáutica 12 Computação TOTAL

23 Pós-Graduação DEFESAS DE TESE 2004
MESTRADO DOUTORADO PG-EAM (+ 48MP) PG-EEC PG-EIA PG-FIS TOTAL (+ 48MP)

24 Graduados até 2004 Engenheiros 4.748 Aeronáutica (desde 1950) 1.262
Eletrônica (desde 1953) Mecânica-Aeronáutica (desde 1965) Infra-estrutura Aer (desde 1976) Computação (desde 1991)

25 PG stricto sensu 1.481 PG lato sensu 363 Pós Graduados até 2004
Mestres ( ) Doutores ( ) PG lato sensu

26 QUADRO ATUAL Servidores
Total Docente* Professores Aguardando Concurso Pesquisadores Instrutores Não Docente *maioria em TIDE; 115 Doutores

27 Produção Técnico-Científica 2004
Projetos de Pesquisa - Pedidos de Patente Trabalhos Publicados Livros Artigos em Revistas Anais de Congressos Eventos Organizados Missões no Exterior

28 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Premissas: O Mundo Mudou
Marca de Excelência Importância dos Fatores de Sucesso; Modelo Educacional Ambiente de Mudanças Rápida Evolução da Ciência e Tecnologia: Desafios e Oportunidades Novo Papel do Estado; Reformas Estruturais Ministério da Defesa Mercado de Trabalho: Empreendedorismo Novos Paradigmas: Competitividade, Eficiência e Eficácia, Alavancagem Novos Atores Sofisticados Universidade Indústria Aeroespacial Ministério da Defesa, Comando da Aeronáutica, CTA Fundação Casimiro Montenegro Filho Financiamento Modelo Anterior (OGU) Superado Aperto Fiscal veio para Ficar; Requer (Muita) Criatividade

29 RAZÕES DO SUCESSO Solidez do Modelo Educacional Busca da Excelência
Conceito de Campus Universitário: Contato Intenso Professor/Aluno Educação e Ensino Modelo Dual Disciplina Consciente Busca da Excelência Seleção Primorosa de Alunos Ensino e Pesquisa Indissociáveis Aperfeiçoamento Continuado do Corpo Docente Cooperação Externa Autonomia em relação ao MEC Laboratório de Inovações Educacionais: impactos na LDB Estrutura Departamental Foco Tecnológico Flexibilidade e Agilidade Curricular

30 Os Segredos da Marca de Excelência
Ambiente Acadêmico: Método Científico e Liberdade de Expressão Grau Ótimo de Autonomia: Capacidade de Pensar e Planejar o Futuro Pioneirismo e Capacidade de Inovar Seleção Primorosa de Talentos: Alunos e Professores Baixa Relação Aluno-Professor Educação e Ensino: Papel da Disciplina Consciente Aperfeiçoamento Contínuo do Corpo Docente Recursos Financeiros Estáveis Infra-estrutura Moderna: Laboratórios, Biblioteca Parceria com Setor Produtivo Cooperação Externa: Nacional e Internacional Indissociabilidade entre Ensino e Pesquisa Avaliação Permanente: Interna e Externa

31 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Principais Diretrizes
Manter Marca de Excelência Resgate dos Valores Originais Manter Ambiente Universitário e Tornar-se Campeão da Inovação Manter Capacidade de Atrair Melhores Talentos Aperfeiçoamento Continuado do Corpo Docente Reafirmar Nicho Aeroespacial Maior Aproximação com Comando da Aeronáutica e Setor Produtivo Manter Modelo Dual Alavancar Autonomia em relação ao MEC Reformas Educacional e Administrativa Novo Modelo Educacional: Aprender Fazendo (Learning by Doing), Empreendedorismo, Atividades Extra Curriculares Equilíbrio das Dimensões Universitárias: Ensino, Pesquisa e Extensão Nova Estrutura Administrativa: Agilidade e Flexibilidade; Preparação para Expansão/Diversificação Inteligente Encontrar Grau Ótimo de Autonomia Novo Modelo de Financiamento Novas Fontes e Parcerias Fundo de Captação de Doações Requer: Maior Grau de Autonomia Cooperação Externa (e Internacional) Fundamental para Manter Excelência e Novas Áreas: Espacial; Gestão; Logística; Nano e Biotecnologia

32 DESAFIOS Antigos e Novos
Marca de Excelência - Busca Permanente Instituição Sui Generis: Alavancar Dualidade Valores Originais: Disciplina Consciente Novos Paradigmas e Evolução Tecnológica Novo Perfil do Profissional Bônus e Ônus de ser Setor Público Planejamento de Longo Prazo Novo Modelo de Financiamento Grau Ótimo de Autonomia Parcerias com Setor Produtivo

33 NOVAS PARCERIAS IES: Seletivo! Só Primeira Linha MEC MCT
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP TOKYO INSTITUTE OF TECHNOLOGY TIT TECHNICAL UNIVERSITY BERLIN TUB Em Vista MASSACHUSSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY MIT INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA IME SUPERO AFA MEC Orçamento MCT Fundos Setoriais Secretaria de C&T ESPe PMSJC Parque Tecnológico de São José dos Campos e CECOMPI Fundação Casimiro Montenegro Filho LABTEC INCUBAERO: Incubadora voltada para o Setor Aeroespacial Fundo de Doações UNIEMP

34 NOVO MODELO DE FINANCIAMENTO
OBJETIVO: RECOMPOR ORÇAMENTO, MAXIMIZANDO VERBAS ESTÁVEIS RECOMPOR ORÇAMENTO COMAER NOVAS FONTES OGU: MEC E MCT AGENCIAS DE FOMENTO FUNDOS SETORIAIS PARCERIAS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DOAÇÕES

35 Programas de Apoio ao ComAer (1)
Comissão de Aeroportos da Região Amazônica COMARA Pesquisas em técnicas construtivas de aeroportos, controle de qualidade de aterros Comando Geral do Ar COMGAR Pesquisa e formação de recursos humanos, em nível de especialização, Mestrado e Doutorado, em Aplicações Operacionais (guerra eletrônica, comando e controle, análise operacional e armamento aéreo); PPGAO Departamento de Aviação Civil DAC Estudos em assuntos de interesse da aviação civil Departamento de Controle do Espaço Aéreo DECEA Pesquisas e formação de recursos humanos, em áreas como comunicação, navegação e vigilância por satélites para o controle do espaço aéreo, GPS, simulador de vôo e processamento de sinais de radar

36 Programas de Apoio ao ComAer (2)
Diretoria de Engenharia da Aeronáutica DIRENG Instalações laboratoriais do Setor de Geotecnia do ITA Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária INFRAERO Pesquisas e formação de recursos humanos no contexto aeroportuário Sistema de Vigilância da Amazônia SIVAM Processamento de imagens ópticas e de radar de abertura sintética, redes de comunicações, comunicações seguras e criptografadas, otimização e inteligência artificial, estimação, redes neurais e outras tecnologias de interesse.

37 Programas de Apoio ao Com Aer (3)
SGB Satélite Geoestacionário Brasileiro FUNTTEL – CTA – ATECH - CPqD Segurança das comunicações Ionosfera SITDL Sistema Integrado de Tratamento de Dados de Localização FINEP – CLA – CLBI Tratamento de dados de trajetografia durante todas as fases de uma operação de lançamento. As operações de lançamento desenvolvem-se em três fases, conforme descritas abaixo: Fase de Pré-Lançamento: preparação do veículo lançador da carga-útil, do satélite e dos meios de solo. No que tange aos meios de solo, são executadas nesta fase as atividades de preparação, configuração, ajustes e testes de validação de configuração; Fase de Lançamento: cronologia de lançamento, o lançamento propriamente dito, o rastreio do veículo em vôo e a coleta de dados. Esta fase, onde predominam as operações em tempo real, é considerada a mais crítica, tanto do ponto de vista da missão quanto da segurança operacional; Fase de Pós-Lançamento: análise da missão, sobretudo a análise do desempenho do veículo e dos meios de solo

38 Imagem obtida pelo SAR do SIVAM e geo-codificada no ITA (IEE)
PROJETOS E PESQUISAS Cooperação CTA-CCSIVAM Parceria: Fundação ATECH Formação de RH e aprimoramento de base científica e tecnológica do SIVAM Termo Aditivo 1 Montante de recursos: ATECH R$ ,00 CCSIVAM US$ ,00 Termo Aditivo 3 ATECH R$ , CCSIVAM US$ ,00 Imagem obtida pelo SAR do SIVAM e geo-codificada no ITA (IEE)

39 CRIPTO SISTEMA DE CHAVES PÚBLICAS
PROJETOS E PESQUISAS Comunicações Seguras CRIPTO SISTEMA DE CHAVES PÚBLICAS Cooperação CTA – CCSIVAM: Termo Aditivo 02 Geração de Sistema Seguro para Transmissão Digital de Dados Sensíveis - pesquisas das Divisões de Ciência da Computação, de Engenharia Eletrônica e do Departamento de Matemática (c/PUC-RJ)

40 PROJETOS E PESQUISAS Estudo da Anomalia Equatorial Convênio CTA/DECEA
A figura mostra a evolução do conteúdo eletrônico total com tempo

41 SEAxM – SIMULADOR DE EMBATE AERONAVE VERSUS SISTEMA DE DEFESA
PROJETOS E PESQUISAS SEAxM – SIMULADOR DE EMBATE AERONAVE VERSUS SISTEMA DE DEFESA Modelagem e simulação com aplicações em Defesa, principalmente em treinamento e situações reais, para avaliar, com bom nível de precisão, a probabilidade de sucesso de determinada operação aérea

42 Novo Túnel de Vento de Ensino e Pesquisa
Laboratório de Aerodinâmica Prof. Kwei Lien Feng Ensaios Aerodinâmicos bi/tri-dimensionais para Projeto de Aeronaves de Alto Desempenho Financiadores: EMBRAER e FAPESP Parceiros: IAE-ASA-L, USP-SC e EMBRAER Total de recursos: US$ ,00 Dimensões Gerais Comprimento total = 40m Largura máxima = 4m Altura máxima = 4,6m Escoamento na Seção de Testes Velocidade máxima = 80m/s (280km/h) Número de Mach = 0,23 Número de Reynolds/metro = 4,7 x 106 Nível de turbulência = 0,05% Dimensões da Seção de Testes Comprimento = 4m Altura = 1m Largura média = 1,28m Ventilador Potência = 200hp Rotação = 890 rpm Controle de velocidade contínuo

43 Parceiros: CVV-CTA e outros
PROJETOS E PESQUISAS Desenvolvimento do Planador Biplace P1 Parceiros: CVV-CTA e outros Total de recursos: US$ ,00

44 Centro de Referência em Turbinas a Gás Apoio: El Paso/Petrobrás

45 Máquina de Usinagem de Alta Velocidade com Cinco Eixos Única no País
Centro de Competência em Manufatura Máquina de Usinagem de Alta Velocidade com Cinco Eixos Única no País

46 LAB DE SIMULAÇÃO DE RADAR Divisão de Engenharia Eletrônica

47 PROJETOS E PESQUISAS Estudo Experimental da Emissão de Poluentes em Queimadores de Gás Natural Órgão Financiador:CNPq- Edital Universal – Processo /01-0 Parceiros: UNESP e INPE. Total de recursos: R$ ,00 Especialização em Engenharia Aeronáutica Instituição financiadora: DAC Total de recursos: R$ ,00 Mestrado Profissional em Engenharia Aeronáutica Empresa financiadora: EMBRAER Parceiros: EMBRAER, ITA/IEM, IEA, IEE Total de recursos: R$ ,00 Mestrado Profissional em Engenharia de Produção Empresa financiadora: Pilkington Parceiros: Pilkington, ITA/IEI,IEM Total de recursos: R$ ,00

48 PROJETOS E PESQUISAS Ensaios Aerodinâmicos bi/tri-dimensionais para Projeto de Aeronaves de Alto Desempenho Órgão Financiador: EMBRAER e FAPESP (Proc. n. 00/ ) Parceiros: IAE-ASA-L, USP-SC e EMBRAER Total de recursos: US$ ,00 + R$ ,00 Identificação de Derivadas de Estabilidade e Controle de Aeronaves via Filtragem Não-Linear e Otimização Estocástíca: Algoritmos e Aplicações a Dados de Ensaio-em-Vôo Órgão Financiador: EMBRAER e FAPESP (Proc. n. 01/ ) Parceiros: EMBRAER Total de recursos: US$ ,00 + R$ ,00 Câmara de Combustão RQL para Turbinas a Gás Estacionárias que Utilizam Gás Natural como Combustível Órgão Financiador: CNPq – Edital CT-Energ 2003 Parceiros: INPE e UNESP Total de recursos: R$ ,90

49 PROJETOS E PESQUISAS Patrocínio: FAPESP
Análise e projeto de antenas de microfita multicamadas Patrocínio: FAPESP Recursos Alocados: R$ ,50 Desenvolvimento de capacitação técnica para simulação e análise dos parâmetros de desempenho de antenas planares para telefone celular Patrocínio: Siemens Recursos Alocados: R$ ,21 Laboratório de Medidas Laboratório de Projetos

50 Projeto FVA CMI-17 (ITA/FCMF-COMPSIS-FINEP)
PROJETOS E PESQUISAS Soluções Tecnológicas de Apoio à Gestão de Tráfego e Mobilidade Rodoviária Projeto FVA CMI-17 (ITA/FCMF-COMPSIS-FINEP) SUB-PROJETOS Detecção de Tráfego por Sensoriamento Detecção de Tráfego por Vídeo Simulação de Tráfego em Rodovias Rastreamento e Telemetria de Veículos Banco de Dados Georeferenciado Apoio à Logística de Carga Rodoviária Detecção de Incidentes por Vídeo Apoio à Decisão no Gerenciamento de Rodovias Aplicação de BI no Gerenciamento de Rodovias Roteirização Otimizada de Veículos Apoio à Logística de Serviços

51 ATIVIDADES DISCENTES (2)
SAE AERODESIGN SAE MINI-BAJA

52 ITA e Embraer Enfrentando Novos Desafios
Mestrado Profissionalizante em Engenharia Aeronáutica - Aumento de demanda - Perfil do aluno: empreendedor - Recomendação da CAPES Projetos de Pesquisa - PICTA e Fundos Setoriais Outros Estudo Permanente do Cluster Incubaero Incubadora orientada ao setor aeroespacial Participação da FCMF Participação FAPESP e FINEP

53 Mestrado Profissionalizante em Engenharia Aeronáutica
Uma Parceria ITA – EMBRAER Apoio FCMF

54 A Essência do Projeto Montenegro
Em Suma ... A Essência do Projeto Montenegro Vantagem Competitiva no Campo Aeronáutico Soberania = Domínio do Ciclo Tecnológico Completo Educação e Ensino: Excelência e Fluxo Contínuo Formar Massa Crítica de RH para o Setor Modelo Educacional Revolucionário - Pioneirismo Trinômio Ensino – P&D – Indústria Cooperação Internacional para Queimar Etapas Estímulos à Indústria Nacional Visão de Longo Prazo e Persistência Exemplo de Empreendedorismo

55 Conclusão Marca de Excelência Preservada Lição Principal Visão Ambiciosa e Perseverança Futuro: Cenário de Mudanças e Enormes Desafios Novos Instrumentos para Enfrentá-los Reforma Administrativa: Organização Ágil Novo Modelo de Financiamento Novas Parcerias Incubadora Papel da Fundação Casimiro Montenegro Filho Fundamental Restaurar e Manter os Valores Originais Vínculo Renovado com Comando da Aeronática Autonomia Universitária “Formar Técnicos Competentes e Cidadãos Conscientes” Casimiro Montenegro Filho Paraninfo, Turma ITA 1954

56 ITA História e Futuro Apresentação ao Clube de Engenharia Rio de Janeiro 13 Junho 2005


Carregar ppt "O Instituto Tecnológico de Aeronáutica Sua História e Seu Futuro"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google