A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Febre sem sinais localizatórios Cristianne Teixeira Duarte HRAS/SES/DF www.paulomargotto.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Febre sem sinais localizatórios Cristianne Teixeira Duarte HRAS/SES/DF www.paulomargotto.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 Febre sem sinais localizatórios Cristianne Teixeira Duarte HRAS/SES/DF

2 Conceitos Febre sem Sinais Localizatórios (FSSL): até 7 dias de duração com anamnese e exame físico inconclusivos, geralmente requer avaliação clínica rápida e terapêutica empírica. Febre sem Sinais Localizatórios (FSSL): até 7 dias de duração com anamnese e exame físico inconclusivos, geralmente requer avaliação clínica rápida e terapêutica empírica. Febre de Origem Indeterminada (FOI): duração > 7 dias, que apesar de investigação básica permanece sem diagnóstico, geralmente permite uma conduta expectante durante a avaliação. Febre de Origem Indeterminada (FOI): duração > 7 dias, que apesar de investigação básica permanece sem diagnóstico, geralmente permite uma conduta expectante durante a avaliação.

3 Febre sem Sinais Localizatórios Incidência: Incidência: Variável, estima-se que 5 a 10% das crianças apresentarão pelo menos uma vez um episódio. Variável, estima-se que 5 a 10% das crianças apresentarão pelo menos uma vez um episódio. Pródromo de infecções benignas: Pródromo de infecções benignas: Horas - dias: amigdalite, OMA, pneumonia. Horas - dias: amigdalite, OMA, pneumonia. até três dias: sarampo, influenza, enteroviroses, VSR. até três dias: sarampo, influenza, enteroviroses, VSR. mais que três dias: mononucleose, hepatite, Kawasaki e rubéola. mais que três dias: mononucleose, hepatite, Kawasaki e rubéola. Bacteremia oculta (5%) Bacteremia oculta (5%)

4 Etiologia 0-3 meses: Estreptococos do grupo B, E. coli, Listeria monocytogenes, Salmonella, S. aureus 0-3 meses: Estreptococos do grupo B, E. coli, Listeria monocytogenes, Salmonella, S. aureus 3m-2 anos: S. pneumoniae, H. influenzae do tipo B, N. meningitides, Salmonella e S. aureus 3m-2 anos: S. pneumoniae, H. influenzae do tipo B, N. meningitides, Salmonella e S. aureus 40-60% infecções virais em lactentes menores de 3 meses: VSR e influenza no inverno e enterovírus no verão e outono % infecções virais em lactentes menores de 3 meses: VSR e influenza no inverno e enterovírus no verão e outono.

5 Como avaliar ? Estado geral Estado geral Patologias crônicas Patologias crônicas Febre alta ( > 40 graus) Febre alta ( > 40 graus) Idade Idade Exames laboratoriais Exames laboratoriais

6

7 Investigação Protocolo de sepse: Protocolo de sepse: HMG; HMG; Quimiocitológico de LCR; Quimiocitológico de LCR; Raio X de tórax; Raio X de tórax; Urina I; Urina I; Culturas de sangue, urina e LCR. Culturas de sangue, urina e LCR.

8 A quem se aplica? Menores de 2 meses: protocolo de sepse Menores de 2 meses: protocolo de sepse >2m até 24m*: >2m até 24m*: Baixo risco: HMG, se alterado prossegue investigação. Baixo risco: HMG, se alterado prossegue investigação. Alto risco: protocolo de sepse progressivo. Alto risco: protocolo de sepse progressivo. Maiores de 24 meses*: Maiores de 24 meses*: Baixo risco: reavaliação em 24 horas ou antes se piora. Baixo risco: reavaliação em 24 horas ou antes se piora. Alto risco : HMG, EAS, Rx de tórax, hemocultura e Urocultura Alto risco : HMG, EAS, Rx de tórax, hemocultura e Urocultura

9 Conduta < 1 mês: hospitalização e ATB parenteral < 1 mês: hospitalização e ATB parenteral 1-2 meses: 1-2 meses: P. sepse (-) e BEG: acompanhamento ambulatorial com reavaliação em 24h. P. sepse (-) e BEG: acompanhamento ambulatorial com reavaliação em 24h. P. sepse (+) ou MEG: hospitalização e ATB parenteral P. sepse (+) ou MEG: hospitalização e ATB parenteral > 2m – 24 meses: > 2m – 24 meses: Baixo risco e HMG normal : acompanhamento AMB Baixo risco e HMG normal : acompanhamento AMB Baixo risco e HMG alterado sem sinais de localização: ATB oral até resultado das culturas. Baixo risco e HMG alterado sem sinais de localização: ATB oral até resultado das culturas. Alto risco: ATB oral ou parenteral a critério do pediatra e hospitalização. Alto risco: ATB oral ou parenteral a critério do pediatra e hospitalização. > 24 meses e alto risco: ATB oral ou parenteral a critério do pediatra até resultado das culturas. > 24 meses e alto risco: ATB oral ou parenteral a critério do pediatra até resultado das culturas.

10 Antibioticoterapia < 2meses: < 2meses: Ceftriaxone 100mg/kg/dia, em dose única diária Ceftriaxone 100mg/kg/dia, em dose única diária Ampicilina( 100mg/kg/dia, 2 x ao dia se 7 dias) associado a gentamicina (5mg/kg/dia, 2 x ao dia, se 7 dias) Ampicilina( 100mg/kg/dia, 2 x ao dia se 7 dias) associado a gentamicina (5mg/kg/dia, 2 x ao dia, se 7 dias) > 2meses: > 2meses: ATB parenteral: Ceftriaxone 100mg/kg/dia ATB parenteral: Ceftriaxone 100mg/kg/dia ATB oral: Amoxicilina 100mg/kg/dia ou Amoxicilina + Ác. Clavulânico 75 mg/kg/dia. ATB oral: Amoxicilina 100mg/kg/dia ou Amoxicilina + Ác. Clavulânico 75 mg/kg/dia. Bacteremia ( hemocultura +) : manter ATB até 3 dias sem febre e ATB oral adicional a critério médico por mais 7 a 10 dias Bacteremia ( hemocultura +) : manter ATB até 3 dias sem febre e ATB oral adicional a critério médico por mais 7 a 10 dias

11 Obrigada!


Carregar ppt "Febre sem sinais localizatórios Cristianne Teixeira Duarte HRAS/SES/DF www.paulomargotto.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google