A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cuidar dos Direitos Humanos Photo: Chema Moya/EFE dos Clandestinos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cuidar dos Direitos Humanos Photo: Chema Moya/EFE dos Clandestinos."— Transcrição da apresentação:

1 Cuidar dos Direitos Humanos Photo: Chema Moya/EFE dos Clandestinos

2 Photo: Rafael Marchante/REUTERS Todos os anos milhares de imigrantes ilegais, a maioria africanos, chegam a Marrocos, com o objectivo de entrar na União Europeia. Em Marrocos, os imigrantes indocumentados são extremamente vulneráveis, tornando-se vítimas de abusos e alvos de violações dos direitos humanos. Muitos apresentam problemas de saúde devido a doenças endémicas, como a SIDA ou a tuberculose, e não têm acesso a tratamento. Uma vez em Marrocos, são facilmente explorados, ou obrigados à prática da prostituição. A razão mais frequente para que tenham de ser tratados pelas equipas dos Médicos Sem Fronteiras, são os ferimentos causados pela violência, infligida pela polícia, ou pelos traficantes. Enquanto esperam para poder imigrar para a Europa, muitos são descobertos pelas autoridades e devolvidos aos seus países de origem. Doctors Without Borders/Médecins Sans Frontières MSF Relatório de Actividades em Marrocos 2005 – News from Morocco

3 'sin papeles Usaram escadas rudimentares para realizar um assalto às valas da fronteira. ONGs denunciam violações dos Direitos Humanos nas fronteiras

4 Arriscam a vida em travessias que podem demorar meses. Chegam sem nada, deixando para trás a família. Precisam de escapar à guerra e à pobreza. Pagam centenas de euros, aos traficantes de seres humanos, pela passagem.

5 12 de Outubro de 2005 Cerca de imigrantes subsaharianos foram transportados em autocarros para as zonas fronteiriças do sul pelas autoridades marroquinas, tendo sido aí abandonados à sua sorte. Os Médicos Sem Fronteiras (MSF) exigem, ao governo marroquino, liberdade de acesso para cuidar de cerca de imigrantes, abandonados na região de Bou-Izakarn, a 30 km a norte de Goulimine, a cerca de km de Rabat. Este grupo inclui mulheres grávidas e crianças. Foram deixados à sua sorte, na zona desértica de Ain Chouater, sem medicamentos, sem água e sem alimentos.

6 O Dr. Javier Gabaldon, coordenador geral dos MSF em Marrocos, sublinha que as pessoas estão extremamente enfraquecidas" e que neste grupo há doentes, feridos, mulheres grávidas e crianças, que necessitam de cuidados médicos urgentes." Outubro 2005

7 Assistência e protecção aos refugiados na fronteira com a Argélia El-Hna-Tindouf

8 Cuidando dos imigrantes no deserto e na fronteira com a Argélia

9 Chamo-me Morgan e tenho 30 anos. Já uma vez tentei chegar às Ilhas Canárias, mas não consegui. Vou a caminho da segunda tentativa. O barco em que eu ia foi interceptado pelas polícia espanhola e, mal chegámos a terra, fui detido e deportado para a Nigéria. Essa viagem foi a experiência mais assustadora da minha vida e se não tivéssemos sido apanhados pelas autoridades, teríamos morrido todos. Apesar disso, estou de volta, para tentar de novo, pela segunda vez.

10 Atravessam o deserto... Photo: Chema Moya/EFE

11 E atravessam os mares… Photo: Rafael Marchante/REUTERS

12

13 Os Africanos fazem viagens muito arriscadas para alcançar a Europa!

14 cayucos Barcos de pesca senegaleses - ou cayucos como são chamados em Espanha - tornaram-se o meio de transporte preferido pelos imigrantes ilegais que tentam chegar às Ilhas Canárias. Em muitos barcos há mensagens de agradecimento e orações, pedindo a Deus uma viagem segura no mar.

15 Photo: Chema Moya/EFE

16 Os imigrantes são escoltados até ao porto pela guarda costeira e vigiados pela polícia. Os membros da Cruz Vermelha fazem testes de saúde. Alguns imigrantes estão enfraquecidos, outros estão em boas condições.

17 Depois de serem examinados, os imigrantes são colocados em autocarros e levados para campos de detenção.

18 A onda de imigração IMIGRAÇÃO PARA AS ILHAS CANÁRIAS De 1 Jan a 7 Set 2006 Gran Canaria: Fuerteventura: Lanzarote: 201 Tenerife: La Gomera: El Hierro: Total: IMIGRANTES DETIDOS Las Raices: Hoya Fria: Playa de las Americas: 800

19 A onda de imigração imigração sin papeles – imigrantes ilegais TotalIlhas Canárias Mais de La inmigración en España : Routes from Africa to Europe: O número de imigrantes ilegais deportados para os seus países de origem, aumentou 20% desde Metade desles foram apanhados nas fronteiras.

20 A Itália e a Líbia foram acusadas de abuso dos Direitos Humanos em relação aos imigrantes africanos que tentam entrar na UE. A União Europeia colabora com a Líbia, mais para impedir estas pessoas de chegar à Europa, do que para as ajudar a conseguir a protecção de que precisam. conseguir a protecção de que precisam. Bill Frelick, director do Programa para os Refugiados da Human Rights Watch Human Rights Watch report, Stemming the Flow: Abuses Against Migrants, Asylum Seekers and Refugees, Fui agredido inúmeras vezes, pelos líbios, na rua… Havia pessoas que tentavam atropelar-me de carro. Era sempre insultado na rua. Vive-se com medo! Todos os dias me concentrava apenas em chegar, do trabalho a casa, em segurança. Ahmad, sudanês que procura asilo em Itália, descrevendo as condições em que viveu na Líbia, entre

21 Mauritania: 4 antigos barcos patrulha da Guardia Civil, 1 barco patrulha da Guardia Civil, 1 helicóptero da Guardia Civil, 1 barco de vigilância costeira. Senegal: 1navio italiano, 1 avião italiano, 1 barco patrulha da Guardia Civil, 1 helicóptero da polícia espanhola, 3 barcos senegaleses, 1 avião senegales, 1avião finlandês. Cape Verde: 1 fragata portuguesa1 fragata portuguesa Travando a onda de imigração A Europa deu início ao combate para controlar as embarcações de imigrantes africanos que tentam alcançar as Ilhas Canárias a partir da costa ocidental da África. Barcos patrulha, aviões e helicópteros de Espanha, Itália, Portugal e Finlândia estão a operar nas costas da Mauritânia, Senegal e Cabo Verde numa tentativa de travar a imigração nas suas origens. A Operação Hera II é a primeira do seu género, lançada pela agência europeia FRONTEX, e liderada pela Guarda Civil espanhola.FRONTEX

22 único assunto As patrulhas da Guardia Civil costumavam ter como alvos: o tráfico de droga, a pesca ilegal e outros tipos de criminalidade no mar. Agora dedica-se exclusivamente à imigração. Não há tempo para mais nada!"

23 Coermciante Ganês - Tomas Doe, 51 anos Antes de os países da União Europeia terem criado políticas comuns, muitos países africanos tinham laços comerciais com as antigas potências coloniais. Agora que isso acabou, a moeda local desvalorizou-se e o comércio com a Europa tornou-se muito mais caro. Mas a televisão e eventos como o rally Paris-Dakar tornaram-se tentações para os jovens africanos que querem partir para o ocidente. São jovens, vêem as bicicletas, os computadores, a Internet e sentem-se atraídos… Quando as pessoas falam do problema da imigração pensam apenas em homens negros. Se dois brancos e um negro estiverem a vender, na rua, as autoridades só pedirão documentos de identificação ao homem negro. Não digo que sejam racistas, mas têm de ser justos. Estou aqui há 14 anos, mas há quem pense que acabei de chegar e me pergunte se vim de cayuco. Agora que isto está na TV e por todo o lado, as crianças vão ver e ficar com essas ideias na cabeça. A União Europeia não respeita a África – e os líderes africanos só lá vão para pedir empréstimos. A UE deveria negociar mais com a União Africana e com alguns blocos regionais como o Ecowas* para ajudar, ou para pressionar países como o Senegal. * Comunidade Económica dos Países da África Ocidental.

24 Photo: Ricardo Gutierrez/EFE 15 Setembro de 2006 Imigrantes ilegais senegaleses foram expulsos das Ilhas Canárias, por via aérea, entre fortes medidas de segurança. Espanha afirma que não pode permitir o afluxo de africanos – cerca de fizeram travessias marítimas perigosas para as Canárias este ano. Pensa-se que metade são de origem senegalesa.

25 Vocês tentaram uma aventura, regressaram em condições difíceis, mas é a vida, não é o fim do mundo. Ass Sougoufara, governador regional senegalês Photo: Manuel Lérida/Efe

26 Quem Cuida? Photo: Chema Moya/EFE

27 Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas (FRONTEX) Asociación Pro Derechos Humanos de Andalucía [ ] BBC- News [ ] Ciudad Redonda [ ] Doctors Without Borders/Médecins Sans Frontières [ ] El Mundo [ ] El Pais [ ] Fundació Lluis Espinal - Centro de Estudios Cristianisme i Justícia [ ] Human Rights Watch [ ] UNHCR [ ]FRONTEXhttp://www.apdha.orghttp://news.bbc.co.ukhttp://ciudadredonda.orghttp://www.doctorswithoutborders.orghttp://www.elmundo.eshttp://www.elpais.eshttp://www.fespinal.comhttp://www.hrw.orghttp://www.unhcr.org Fontes [ Fontes Créditos de Imagem [ Créditos de Imagem AFP [ ]http://www.afp.com/portugues/home/ AP - Associated Press [ ]http://www.ap.org EFE [ REUTERS [ ]http://photos.reuters.com/Pictures/default.aspx Chema Moya/EFE Manuel Lérida/EFE Ricardo Gutierrez/EFE Rafael Marchante/REUTERS Fotografias [ Fotografias

28 We care! McSt


Carregar ppt "Cuidar dos Direitos Humanos Photo: Chema Moya/EFE dos Clandestinos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google