A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Miguel P. Amado Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa O processo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Miguel P. Amado Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa O processo."— Transcrição da apresentação:

1 Miguel P. Amado Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa O processo da Construção Sustentável 1º Congresso Lusófono sobre Ambiente e Energia | Estoril, 22/09/2009 GRUPO DE ESTUDOS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PLANEAMENTO URBANO GEOTPU FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

2 A população do planeta vai crescer de para milhões durante a nossa vida. (Fonte: NASA, 2007)

3 a cidade Mais de 50% da população mundial vive em cidades 80% da população na Europa habita em cidades 90% do tempo das pessoas é passado no interior de edifícios

4 a cidade realizada Los Angeles EUA

5 os problemas da cidade planeamento mobilidade água energia resíduos poluição ruído espaços verdes

6 a cidade evolução dos sistemas Riade, Arábia Saudita: 1952 Riade, Arábia Saudita: 1972 QUAL A SOLUÇÃO ?

7 a resposta...desenvolvimento que vai ao encontro das necessidades das gerações presentes sem comprometer a capacidade de desenvolvimento próprio das gerações futuras (WCED, 1987:43)...pode ser visto como o conjunto de programas de desenvolvimento que vão ao encontro dos objectivos de satisfação das necessidades humanas sem violar a capacidade de regeneração dos recursos naturais a longo prazo, nem os padrões de qualidade ambiental e de equidade social (Bartelmus, 1994:73) desenvolvimento sustentável

8 sustentabilidade da cidade Objectivos I Prioritário Qualidade na vida urbana Valores a garantir ambiente na alteração do uso do solo; protecção das zonas húmidas; biodiversidade; qualidade da água e do ar; descontaminação e despoluição de solos e linhas de água; gestão e redução de resíduos; controlo do ruído; monitorização ambiental; educação e formação ambiental.

9 sustentabilidade da cidade Objectivos II Eficiência energética redução das necessidades dos edifícios e dos transportes redução das emissões de CO2 aumento do uso de tecnologias solares passivas uso eficiente das energias renováveis desenho urbano eficiente Valores da civilização : desenho urbano inclusivo desenho urbano promotor de relações sociais promoção da segurança no espaço público dignificação do homem respeito pelo colectivo e pelo individual

10 os edifícios conforto Hoje a vida das populações, as suas actividade e duração dos períodos de lazer pressupõem um maior período de tempo no interior dos edifícios. Esta situação obriga um aumento do consumo de energia na procura do conforto ambiental no interior das habitações. Em simultâneo a esta procura verifica-se uma gradual alteração climática que pode vir a influenciar o nível de conforto ambiental e por conseguinte novos consumos energéticos. Face a este quadro de insustentabilidade torna-se imperioso que se promova a adopção de técnicas e procedimentos de construção que visem a redução dos consumos energéticos nos edifícios.

11 O sector da construção civil é uma das actividades de maior impacto ambiental. O sector no seu processo utiliza cerca de 50% dos recursos naturais extraídos. Contribui em mais de 50% para o volume de resíduos sólidos urbanos. 50% do consumo energético da Europa está relacionado com a construção e utilização de edifícios. 80% dos custos de um edifício de ciclo de vida de 50 anos são relativos ao seu funcionamento e utilização. É na fase do projecto que são definidos 80% dos custos da obra. os edifícios contexto

12 NOVO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das populações, através do aumento do conforto ambiental no interior dos edifícios. Minimizar os impactes sobre o meio ambiente, recursos naturais e consumos energéticos, e tentando sempre a promoção da qualidade do conforto interior dos edifícios, abre a oportunidade de formulação de um novo processo operativo de construção, retomando o definido no CIAM de O processo de construção sustentável, ao longo do ciclo de vida do edifício, visa aplicar os princípios do desenvolvimento sustentável, através da implementação de métodos de acções passivas, de processos construtivos rigorosos e detalhados, da utilização de materiais renováveis e de uma eficiente avaliação e monitorização. processo novo

13 processo construção sustentável processo no qual o projecto, a construção, a renovação, operação e reutilização é desenvolvida de modo ecológico e com eficiência de recursos. edifícios sustentáveis são aqueles que foram concebidos e projectados para garantir a saúde dos ocupantes, melhoram a produtividade das actividades, garantem eficiência no uso da energia, água e recursos renováveis e não renováveis contribuindo para a redução do impacte global no ambiente.

14 processo construção sustentável PRINCÍPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL redução dos consumos de energia redução dos consumos de água preferência por materiais e produtos de construção ecológicos reduzir, reutilizar e recilcar os resíduos de construção garantir a qualidade do ar interior dos edifícios promover a correcta utilização e manutenção das construções garantir a durabilidade da construção

15 PROGRAMA Definição clara de usos e actividades Maximização do nível de conforto ambiental Maximização do nível de eficiência energética Definição de requisitos socio-económicos PROJECTO Localização geográfica Características ecológicas do ecossistema do local Aproveitamento dos ventos predominantes Aproveitamento da radiação solar Aproveitamento da pluviosidade Optimização da geometria da forma Elevada qualidade da solução estética Sistema construtivo e tecnológico actualizado Eficiência energética na utilização futura Implementação de sistemas passivos de energia Avaliação do conforto ambiental estimado Avaliação do ciclo de vida da construção Avaliação por simulação da solução construtiva Processo Operativo de Construção Sustentável (1) construção sustentável processo

16 EXPLORAÇÃO / UTILIZAÇÃO Manual de utilização e de manutenção do edifício Listagens de materiais, produtos e fornecedores Controlo do uso dos espaços DESCONSTRUÇÃO Manual de procedimentos Listagens de materiais e produtos reutilizáveis Listagens de materiais e produtos recicláveis Listagem de resíduos a eliminar MONITORIZAÇÃO Elaboração de fichas de critérios de implementação Avaliação da eficiência verificada Dados para correcção em futuras intervenções Processo Operativo de Construção Sustentável (2) CONSTRUÇÃO Postura ambiental Procedimentos e rotinas sustentáveis Selecção de eco-materiais e de eco-produtos Estudo e avaliação de alternativas de execução Redução de resíduos e impactes Segurança, higiene e saúde no trabalho construção sustentável processo

17 Com vista a garantir a sustentabilidade do processo de construção o mesmo deve ser monitorizado em todas as suas fases, assegurando que os princípios de sustentabilidade são implementados na fase da concepção do projecto, aplicados na fase da construção e que os edifícios são utilizados para o fim do projecto e mantidos de uma forma eficiente por parte dos seus ocupantes.

18 energia – eficiência e fontes renováveis água – eficiência e gestão do ciclo da água materiais – selecção e integração da reutilização optimização da construção – minimizar, modular, flexibilizar e informatizar resíduos – ciclo de vida do produtos e reciclagem uso – eficiência e funcionalidade manutenção – planeamento e acção o edifício sustentável conceitos gerais

19 localização, implantação e orientação solar orientação e forma do volume do edifício – maximizar a exposição aos ventos de verão orientação e dimensionamento das áreas envidraçadas sistemas de sombreamento e protecção passivos e activos ventilação natural para arrefecimento e renovação do ar aplicação de sistema construtivo de ganhos energéticos passivos protecção e orientação dos ventos e chuvas através de espécies vegetais o edifício sustentável concepção premissas

20 tipologia A tipologia B tipologia C o edifício sustentável tipologias modulo tipológico

21 1 - superfícies externas = indicador de perdas e ganhos de energia 2 - volume = quantidade de energia contida 3 - a quantidade de energia contida é maior que a superfície de perdas e ganhos energéticos = maior eficiência energética 4 - forma simples conduz à poupança de materiais 5 - forma regular auxilia à redução de perdas energéticas o edifício sustentável forma

22 isolamento térmico contínuo caixilharias com corte térmico e canal de drenagem de águas de condensação equipamentos de baixo consumo energético e alta eficiência de funcionamento sistema automático ventilação natural controlo rigoroso da planificação, preparação e execução da obra - consumos temporários directos e indirectos existência de plano de qualidade da obra o edifício sustentável construção premissas

23 ganhos térmicos perdas térmicas estabilidade térmica o edifício sustentável ganhos e perdas de energia

24 superfície de envidraçados (30%) superfície opaca (70%) factores determinantes nas superfície envidraçadas: maior superfície de envidraçados a sul para garantia dos ganhos solares directos menor superfície de envidraçados a norte para redução de perdas portadas de madeira para maior absorção do calor no verão e protecção ao frio no inverno espaço entre envidraçado e portada, criando uma caixa-de- ar para retenção de calor dimensionamento dos envidraçados de forma a garantir uma boa iluminação natural o edifício sustentável Iluminação

25 o edifício sustentável equipamentos de baixo consumo de água colector solar para águas quentes sanitárias e máquinas da loiça e roupa painéis fotovoltaicos para rede de iluminação exterior – jardim e segurança aproveitamento das águas pluviais para a rega materiais de fácil montagem e desmontagem materiais simples de um só componente utilização de sistemas inteligentes para monitorizar consumos de energia e água(domótica) materiais produzidos com reduzido impacto ambiental materiais com durabilidade alargada materiais com baixas necessidades de manutenção equipamentos e materiais

26 verificação do funcionamento da regulação automática do caudal de ventilação natural no interior dos edifícios. abertura diária dos vãos exteriores envidraçados. fecho dos sistemas de protecção solar nos períodos de maior incidência de radiação solar utilização dos espaços de acordo com o fim e uso previsto em projecto existência de manual de utilização da habitação. o edifício sustentável utilização premissas

27 o edifício sustentável manutenção manual de acções de manutenção dos equipamentos revisão do estado da pintura das paredes exteriores revisão do sistema de impermeabilização revisão dos sistemas de protecção solar revisão dos mastiques e vedantes em envidraçados limpeza do sistema de ventilação natural premissas

28 o edifício sustentável manutenção

29 O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente. Gandhi, Mohandas


Carregar ppt "Miguel P. Amado Departamento de Engenharia Civil Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa O processo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google