A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A LEITURA DE ROMANCES E A APRENDIZAGEM DA HISTÓRIA COMTEMPORÂNEA Os Tempos Dificéis – Charles Dickens.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A LEITURA DE ROMANCES E A APRENDIZAGEM DA HISTÓRIA COMTEMPORÂNEA Os Tempos Dificéis – Charles Dickens."— Transcrição da apresentação:

1 A LEITURA DE ROMANCES E A APRENDIZAGEM DA HISTÓRIA COMTEMPORÂNEA Os Tempos Dificéis – Charles Dickens

2 OBJECTIVOS 1 – Proporcionar o acesso a uma fonte primária 2 – Proceder à caracterização dos diferentes grupos sociais 3 – Possibilitar a construção de uma quadro da Sociedade Inglesa Oitecentista

3 METODOLOGIA - Leitura da Obra - Análise e Comentário Oral - Redacção de um Ensaio Sobre o Romance

4 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS CATEGORIAS TEMÁTICAS EMERGENTES 1.A Obra e as Intenções de Charles Dickens 2. O Positivismo 3. Espaços de Tempos Dificéis 4. As Personagens: os dominados 5. As Personagens: os dominadores

5 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS A Obra e as Intenções de Charles Dickens A Obra -Localização temporal da Obra - Datação e Localização Históricas do Enredo - Caracterização da Obra como Realista - Validação da Obra como Fonte Histórica - Intencionalidade da Obra

6 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS A Obra e as Intenções de Charles Dickens As Intenções de Charles Dickens -Biografia do Autor/Realismo/Validade do Testemunho - Estratégia Literária: caracterização da sociedade através de personagens estereotipadas - Intenção Politica: aponta os erros e defende reformas -Intenção Social: denúncia a situação e defende os grupos sociais mais baixos - Intenção Pedagógica: critica o sistema educativo e os valores da sociedade inglesa da época

7 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS O Positivismo -Objecto das intenções criticas de Dickens - A corrente filosófica: definição/teóricos/contex- tualização - A corrente filosófica na educação: - As ideias positivistas no perfil e no destino de algumas personagens - As ideias positivistas nas falas e comportamentos de Thomas Gradgrind - As ideias positivistas nas práticas educativas - A corrente filosófica na politica e economia: as opções de um País em processo de industrialização

8 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS Espaços de Tempos Dificéis A Cidade - O nome: Coketown -A imagem arquitectónica: dictomia - A imagem humana: classe operária - A imagem sensorial: os cheiros

9 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS Espaços de Tempos Dificéis A Fábrica -Ignorada como espaço-personagem - Contextualiza a vida de Stephen Blackpool

10 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS Espaços de Tempos Dificéis O Banco - local importante na vida económica

11 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS Espaços de Tempos Dificéis A Escola -Espaço central das reflexões dos alunos - Inexistência como espaço físico - Descrita através dos conteúdos disciplinares - Descrita através das práticas pedagógicas

12 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS As Personagens: os dominados A Classe Operária -Stephen Blackpool - Idealização dickeniana de operário - Sério, trabalhador, honesto, dedicado - Objecto de todas as injustiças sociais - Problemas pessoais versus problemas sociais - Rachel - Estereótipo da mulher do povo - Bondosa, honesta - Slackbridge - O líder sindical

13 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS As Personagens: os dominados As Classes Médias James Hartehouse - Estereótipo social do político - uma pessoa que se move pelos seus interesses pessoais de ascensão social e política

14 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS As Personagens: os dominados Os Marginais -Sissy - Personagem equilibrada resultante do contacto entre dois mundos diferentes - Sleary - Proprietário do circo

15 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS As Personagens: os dominadores Thomas Gradgrind (pai) -Político e pedagogo burguês - Personificação do positivismo - Realista, pragmático, culto, racional, autoritário - Valoriza o conhecimento científico como forma de resolver os problemas sociais Thomas Gradgrind (filho) - O burguês degenerado - Personifica o falhanço do sistema educativo positivista - Exemplo da degradação humana - Calculista, esbanjador, fraco, manipulador, egoísta Josiah Bounderby -O self-made-man - Personificação do industrial, comerciante e banqueiro - Representação do patronato explorador do operariado - Autoritário, sem escrúpulos, mentiroso, ganancioso, cínico, inculto, insensível

16 ANÁLISE DAS NARRATIVAS DOS ALUNOS As Personagens: os dominadores Louisa Gradgrind -A mulher burguesa - Personifica o falhanço do sistema educativo positivista - Culta, inteligente, triste, fechada, reprimida - Personifica a falta de autonomia da mulher burguesa submetida à autoridade do pai e/ou marido - Personifica o papel do casamento por conveniência Sra. Sparsit -Aristocrata arruinada - orgulhosa do seu passado, mas vivendo um presente negro

17 CONCLUSÃO Os alunos demonstraram pouca autonomia na procura de outras fontes históricas e ou historiográficas que lhes permitissem autonomamente reflectir sobre o modo como o romance de Dickens aborda alguns temas. Os alunos adoptaram uma postura, na aprendizagem muito dependente da orientação e do discurso dos professores. Os alunos de História esperam que os seus professores explorem exaustivamente todos os domínios necessários à compreensão de uma determinada época histórica.

18 CONCLUSÃO Os alunos mostram uma tendência para construir quadros fixos e generalistas de uma determinada época. Os alunos Universitários ainda tendem a considerar nos seus discursos escritos, juízos e crenças contemporâneas.

19 CONCLUSÃO Enquanto Professores Universitários tem de ser nosso objectivo promover a autonomia dos alunos e uma crescente meta compreensão do seu próprio processo de aprendizagem.


Carregar ppt "A LEITURA DE ROMANCES E A APRENDIZAGEM DA HISTÓRIA COMTEMPORÂNEA Os Tempos Dificéis – Charles Dickens."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google