A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

"Esse direito - o de matar um veado ou uma vaca - nos parece natural porque nós estamos no alto da hierarquia. Mas bastaria que um terceiro entrasse no.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: ""Esse direito - o de matar um veado ou uma vaca - nos parece natural porque nós estamos no alto da hierarquia. Mas bastaria que um terceiro entrasse no."— Transcrição da apresentação:

1

2 "Esse direito - o de matar um veado ou uma vaca - nos parece natural porque nós estamos no alto da hierarquia. Mas bastaria que um terceiro entrasse no jogo, por exemplo, um visitante de outro planeta a quem Deus tivesse dito: Tu reinarás sobre as criaturas de todas as outras estrelas, para que toda a evidência do Gênese fosse posta em dúvida. O homem atrelado à carroça de um marciano - eventualmente grelhado no espeto por um visitante da Via-Láctea - talvez se lembrasse da costeleta de vitela que tinha o hábito de cortar em seu prato. Pediria (tarde demais), desculpas à vaca." - Milan Kundera Milan Kundera - Escritor

3 OS MÉTODOS DE ABATE DOS ANIMAIS MAMÍFEROS PISTOLA PNEUMÁTICA: Uma "pistola" é apontada para a cabeça do animal e uma vara de metal é disparada para dentro do cérebro. A pistola é projetada de modo que a haste jamais sai completamente, ela simplesmente vara a cabeça do animal e depois é puxada pelo açougueiro enquanto o animal desmaia. Este disparo, como o animal se agita muito, nem sempre é certeiro e, freqüentemente, atinge o olho ou resvala na cabeça do animal, gerando ainda mais dor. ATORDOAMENTO ELÉTRICO: Os animais são conduzidos molhados a um corredor e dali tangidos com choques elétricos de 240 volts. CHOQUES NA CABEÇA: Um atordoador elétrico é utilizado para produzir um ataque e a garganta do animal é cortada, deixando-o sangrar até a morte. GOLPES DE MARRETA: Utilizando-se de um martelo específico golpeia-se a cabeça do gado quebrando o seu crânio (essa técnica também é usada em vitelas, pois os ossos do crânio de filhotes são mais macios). Nem sempre o martelo acerta com precisão a região que causa a inconsciência, podendo rasgar os olhos ou o nariz do gado. ABATE RITUAL: Os animais estão totalmente conscientes quando suas jugulares são cortadas. Alguns matadouros prendem o animal por uma perna e penduram-no de cabeça para baixo antes que suas gargantas sejam cortadas, resultando em danos dolorosos dos tecidos em 50% das vezes e, em algumas vezes, crises de vômito.

4 BOVINOS E EQÜINOS A CAMINHO DO PRATO 1º ESTÁGIO: O animal chega à "central de empacotamento", e é colocado em uma área de espera. 2º ESTÁGIO: O animal é enfileirado em um curral e um funcionário começa a conduzi-lo, com o auxílio de uma vara de eletrochoque, através de uma porta de aço. 3º ESTÁGIO: É feito o pré-abate através de: - pistola pneumática ou - atordoamento elétrico ou - golpes de marreta 4º ESTÁGIO: O animal é pendurado em uma corrente pela pata traseira de cabeça para baixo (há a ruptura dos tendões da coxa, e o animal tem a carne rasgada pelo próprio peso). 5º ESTÁGIO: É feita uma abertura para esfola do couro (muitos animais recobram a consciência e gritam de dor nesse momento).

5 6º ESTÁGIO: É feita a degola e tanques aparam o jorro de sangue durante alguns segundos. 7º ESTÁGIO: O animal é baixado e começa o processo de esfola total e parte dos cortes de tetas, patas e línguas. 8º ESTÁGIO: O animal é arrastado em uma esteira onde há o corte em uma serra elétrica em duas metades, na posição da coluna vertebral. 9º ESTÁGIO: A carcaça é levada para uma câmara de resfriamento (a carne ainda contém calor do sangue). 10º ESTÁGIO: A carcaça é levada para a seção de corte em pedaços como os vistos em mercados e açougues. É COMUM OS ANIMAIS CHEGAREM VIVOS NO 7º ESTÁGIO. HÁ RELATOS EM QUE O ANIMAL AINDA ESTAVA PISCANDO OS OLHOS ENQUANTO ESTAVA SENDO RETALHADO. BOVINOS E EQÜINOS A CAMINHO DO PRATO

6 "Nós somos sepulturas vivas de bestas assassinadas, abatidas para satisfazer nossos apetites. Como podemos esperar neste mundo, pela paz que tanto ansiamos? - George Bernard Shaw (Living Graves, 1951) George Bernard Shaw - Escritor

7

8

9 "A questão não é eles pensam ? ou eles falam? A questão é eles sofrem." - Jeremy Bentham - Filósofo Jeremy Bentham - Filósofo

10 AVES A CAMINHO DO PRATO 1º ESTÁGIO: São despejadas como lixo dos caminhões que as trazem 2º ESTÁGIO: Colocadas em um sistema de ganchos e transportadoras que fazem parte do sistema de abate automático. 3º ESTÁGIO: Sofrem uma descarga elétrica que deveria causar a inconsciência para o abate, mas essa corrente é reduzida causando somente dor (níveis maiores de corrente endurecem a carne). As aves vão para o próximo estágio com plena consciência. 4º ESTÁGIO: Processo de degola automática: as aves penduradas passam por uma máquina que vai degolando o pescoço. 5º ESTÁGIO: São imersas em um banho escaldante. 6º ESTÁGIO: Vão para a área onde serão depenadas e estrinchadas. MUITAS VEZES AS AVES CHEGAM VIVAS NO 5º ESTÁGIO.

11

12

13 "Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor." - Pitágoras Pitágoras

14 SUÍNOS A CAMINHO DO PRATO 1º ESTÁGIO: Ao chegar do transporte, os porcos são conduzidos através de currais. 2º ESTÁGIO: Os animais são desacordados através de eletrochoques dolorosos que, na maioria das vezes, causam somente a paralisia e os mesmos permanecem conscientes. 3º ESTÁGIO: São então pendurados em correntes por uma das patas traseiras. 4º ESTÁGIO: São degolados com uma faca afiada, onde se aguarda então o sangue escorrer para os tanques. 5º ESTÁGIO: São imersos em água fervente (muitos animais são mergulhados conscientes na fervura). 6º ESTÁGIO: Passam pelo processo de esfola onde a pele é toda retirada. 7º ESTÁGIO: Chegam a mesa de corte onde são retirado suas víceras e a carne cortada. MUITAS VEZES OS PORCOS CHEGAM VIVOS NO 7º ESTÁGIO.

15

16

17 O SABOR DA TORTURA: VITELA E PATÊ DE FOIE GRAS VITELA: VITELA: A produção de leite também implica em crueldade com os animais. Milhares de bezerros são mortos, criados em gaiolas minúsculas para que não desenvolvam nem enrijeçam músculos, a fim de serem abatidos e vendidos como vitela, que é considerada uma carne nobre por sua maciez. Pra que a vaca possa produzir o leite que bebemos, acabamos por ser cúmplices da produção de vitela e, muitas vezes, do abate indiscriminado de bezerros. FOIE-GRAS: FOIE-GRAS: É um patê feito com fígado doente, absurdamente dilatado causado pela alimentação forçada dos animais. Durante os vários dias, sendo alimentados através de um tubo, patos e gansos são mantidos em pequenos compartimentos como os mostrados na imagem abaixo. Isso torna mais fácil para os funcionários agarrarem as aves pelo pescoço e inserirem funis e tubos metálicos de alimentação pela garganta abaixo. Quando comemos demais, sentimos necessidade de levantar da mesa e nos movermos para uma posição mais confortável. Esses patos e gansos não têm nem, mesmo esse privilégio. Eles mal podem se mover, o que aumenta ainda mais o seu desconforto. O TUBO O PATÊ FÍGADO SADIO FÍGADO DOENTE

18 VITELA Sem direito ao leite, para que os humanos o bebam. Sem direito ao Sol. Sem direito a caminhar. Sem direito a chegar a um ano de vida. Vitela é considerado um prato fino. É caro e visto como chic. Prato que foi inventado para aproveitar os bezerros descartados pela indústria do leite.

19 CRUELDADES NOS MATADOUROS: ALGUNS RELATOS DE FISCAIS E INVESTIGADORES DE MATADOUROS: Os funcionários: Enfiam cabos de vassouras nos ânus dos animais. Arrancam e furam com golpes os olhos dos mais rebeldes, Dão eletrochoques em partes sensíveis dos seus corpos. Espancam os animais até a morte. Queimam os animais ainda vivos com lança chamas. Arrancam a pele dos bois ainda vivos. Cortam pés, orelhas e mamas das vacas que ainda estão conscientes depois que as pistolas de atordoamento falharam. Fazem imersão dos porcos ainda vivos nos tanques de escaldamento. Galinhas, ainda conscientes, tem suas gargantas cortadas e introduzidas em tubos para sangrar. Inúmeras galinhas, perus, patos e gansos são submergidos nos tanques escaldantes ainda vivos, morrendo escaldados ou afogados.

20

21 Os animais são prensados o máximo possível para minimizar os custos. Vivem nos excrementos uns dos outros e são expostos a condições severas de temperatura em caminhões abertos. A febre do embarque, que pode ser fatal, é comum em gado transportado a longas distâncias. O transporte em tempo frio resulta em partes do corpo congelarem, causando dores terríveis. Algumas vezes os animais congelam sobre suas próprias fezes ou colados nas laterais ou no chão metálico do caminhão de transporte. Os animais não recebem alimento nem água. Uma pesquisa feita pelo Agri-Practice (Set 95) revelou que 10% dos presuntos pesquisados foram classificados como DFD, o que é "geralmente descrito como uma condição na qual os músculos de suínos normais e saudáveis foram totalmente esgotados de glicogênio devido à exaustão física prolongada antes do abate. O trauma infligido pelas fazendas-fábrica e pelo transporte pode resultar em "baixas" (downers) - animais muito doentes ou fracos para caminhar. DURANTE O TRANSPORTE

22

23 Nos EUA, mais de 360 milhões de aves pesando um total de toneladas morrem prematuramente a cada ano. (Today's Marketplace, 08/Junho/1996) Nas áreas de armazenamento temporário, animais vivos acabam sendo guinchados por correntes para a "pilha dos mortos", onde são abandonados. Há aproximadamente baixas de vacas leiteiras a cada ano. (Feedstuffs 4/10/95) Eu vi - com meus próprios olhos - animais inocentes terem sua cabeça perfurada com uma pistola pneumática, duas, três vezes. Então vinha um homem e cortava a garganta da vaca. Baldes de sangue jorravam. Foi horrível - os animais se contorciam e gritavam. Um homem saiu de uma sala afiando sua faca e disse para tomar cuidado com as vacas que caem das correntes e atacam os trabalhadores. Mike Luce, após visitar um matadouro em Grant City, IL, Abril de 1997 Aves fracamente desmaiadas sofrem dor intolerável. Pesquisador de Perus (Out.90) Milhões de aves ao ano não morrem antes de chegarem ao tanque de escaldamento e são cozidas vivas. (Poultry Slaughtered, Condemned, & Cadavers, Jun 94) Investigadores do Farm Sanctuary registraram em vídeo frangos completamente conscientes sendo degolados. Após isso eles são jogados em um recipiente para sangrar. Alguns frangos escapam do recipiente e perambulam pelo matadouro sangrando até morrer. (Matadouro de Los Angeles, 1990; em vídeo disponível através do Vegan Outreach)Farm Sanctuary Em 1998, uma investigação secreta em uma fazenda-fábrica de porcos descobriu que os funcionários estavam espancando uma porca com bastões, tentando matá-la soltando um paralelepípedo em sua cabeça várias vezes, e então tirando sua pele ainda viva. DEPOIMENTOS:

24 BAIXAS (downers): animais muito doentes ou fracos para caminhar, mesmo quando açoitados ou empurrados com varas de eletrochoque.

25 AO ENTRAR NO MATADOURO, O ANIMAL PODE CHEIRAR, VER O SANGUE E OS PEDAÇOS EM DIVERSOS ESTÁGIOS DE CORTE, DOS ANIMAIS QUE O ANTECEDERAM. HÁ VERDADEIRO PÂNICO E ELE TENTA INUTILMENTE FUGIR DANDO SALTOS, O QUE É INÚTIL POIS ESTÁ TOTALMENTE CERCADO DE CHAPAS DE AÇO.

26 Você precisa ser a mudança que você quer ver no mundo. - Gandhi Gandhi - Estadista e Filósofo

27 COMO AJUDAR ? Um estilo de vida mais saudável e humano pode começar na sua próxima refeição. Evitando produtos animais, você ajuda a si mesmo, a Terra e os animais. Elimine todos os tipos de carne. Coma mais verduras, grãos, legumes e frutas. Experimente comidas de transição, disponíveis em lojas de produtos naturais e até em supermercados. Existem deliciosos hot-dogs e hambúrguer vegetarianos, lasanhas de tofu e outras delícias. Peça em sua escola, empresa ou restaurante favorito, uma opção vegetariana. Conscientize-se de que o governo sustenta a indústria da carne permitindo a criação de animais em terras públicas e oferecendo serviços administrativos, subsídios e redução de impostos. Faça com que os legisladores saibam o que você pensa de tudo isso. Leia mais sobre vegetarianismo. Procure por livros, revistas, jornais, zines e outras publicações sobre o assunto. Mantenha-se informado sobre grupos de pessoas que pensam como você, associações de proteção aos animais. Escreva e junte-se a eles! Escreva para fábrica de produtos naturais e tente manter-se a par de novos produtos para vegetarianos lançados no mercado. E lembre-se sempre que a mudança depende exclusivamente de você! Uma pessoa pode salvar, em um ano, cerca de 60 animais, apenas parando de comer carne. Não sabe cozinhar sem Carne? Abaixo, grupos que trocam receitas sem crueldade

28 (FOTOS) (VIDEOS) (VIDEOS E FOTOS) Sites em Português: Assista ao trailler do documentário The Witness em Espanhol ( El Testigo) Vídeo à venda online: PARA SABER MAIS: CONHEÇA PESSOAS QUE LUTAM PELOS ANIMAIS;: Grupo Veg-Brasil - discute vegetarianismo em seus mais amplos aspectos: Grupo Jovens Vegans - visa unir jovens vegans e vegetarianos de todas as idades que falam Português. Grupo DA-defesa dos animas - não é lista de discussão. Apenas para divulgação de notícias e para colocar pessoas de todo o Brasil em contato: Grupo VP - Verdadeiros Protetores - Protetores de animais voluntários de todo o Brasil. Lista aberta para discussão. REPASSE ESTA APRESENTAÇÃO. A VIDA AGRADECE.


Carregar ppt ""Esse direito - o de matar um veado ou uma vaca - nos parece natural porque nós estamos no alto da hierarquia. Mas bastaria que um terceiro entrasse no."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google