A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tema 1: Concepção do Ensino de História. História: fenômeno que marca a humanidade e sobretudo a civilização ocidental preservar elementos do passado,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tema 1: Concepção do Ensino de História. História: fenômeno que marca a humanidade e sobretudo a civilização ocidental preservar elementos do passado,"— Transcrição da apresentação:

1 Tema 1: Concepção do Ensino de História

2 História: fenômeno que marca a humanidade e sobretudo a civilização ocidental preservar elementos do passado, pesquisar as suas marcas, organizar narrativas sobre os homens e mulheres no tempo, e sobretudo contar histórias, ensinar as narrativas que ensinem padrões de identidade aos mais jovens, são marcas da humanidade

3 objetivo: reunir a todos, narradores e ouvintes, num laço de pertencimento, de identidade o esforço por construir identidades pelo conhecimento sobre o grupo no tempo começa muito antes da escola, e se materializa em monumentos, nomes de rua, festas cívicas, programas de televisão

4 discussão sobre o ensino de História: contribuição da disciplina para a vida prática do aluno segundo Rüsen (2001) – a relação entre o conhecimento histórico e a vida prática é intrínseca: faz parte do agir humano uma base em algum tipo de conhecimento que conecte passado, presente e futuro

5 um determinado sujeito, num determinado tempo, condiciona o tema e as palavras que teremos para falar sobre eles, e nisso posiciona-se notando que o mundo em que vive – até mesmo a forma de viver o tempo – é construída, conhecendo como foi essa construção, o aluno concebe intelectualmente a possibilidade prática de participar dessa construção, de sua desmontagem ou de sua reforma

6 diferente do que imagina o senso comum, influenciado por séculos de uma visão histórica conservadora, a História não é o estudo do passado, nem como ciência nem como ensino a História é um nexo significativo entre passado, presente e futuro, não apenas uma perspectiva do que aconteceu, não o levantamento do que realmente aconteceu

7 atualmente se questiona a educação cívica como uma pedagogia da nação através de uma pedagogia da passividade e da obediência, bem como o uso do conhecimento histórico para controle e não para emancipação social no entanto, não se pode fugir à necessidade de educação cívica, porque sem ela não há nação

8 na atualidade a identidade vai muito além da cidadania (entendida como forma de identificação com um dado grupo político) fatores como etnia, gênero, opção sexual, religião, regionalismo, interferem fortemente na constituição da identidade dos indivíduos, e alternam-se, juntamente com a identidade política ou cidadania

9 a contribuição da História na escola não é só a compreensão da própria realidade e a formação da identidade, mas também a concepção e compreensão da diferença e da alteridade tendo como meta um cidadão ativo na construção de uma sociedade radicalmente democrática, o ensino da diferença é fundamental na própria elaboração de uma perspectiva do passado que considere o que não aconteceu, os projetos dos vencidos, uma história das ideias do mundo:

10 para que não se ensine e não se aprenda que o presente tal como o conhecemos era a única possibilidade, com o que acabamos organizando o conhecimento do passado em função do presente (objetivo cognitivo) também para que percebamos que a realidade não é uma, e que é histórica, portanto modificável, dependente da ação humana para agir no mundo é preciso ter uma perspectiva de futuro, uma utopia no melhor sentido

11 perceber como a História é uma disciplina que articula o tempo, e não apenas o passado: a dimensão do futuro, das visões e projetos de futuro no passado, por parte de grupos ou de sociedades inteiras, é um elemento fundamental na reflexão que o ensino de História deve propiciar

12 a História não é só o ensino do que aconteceu, mas também do que poderia ter acontecido e do que pode acontecer sem projetos ou possibilidades, a história pode ser terrivelmente decepcionante

13 não há assunto que não possa ser melhor compreendido através do recurso à história conhecer a história e manejar o seu método de construção do conhecimento é uma necessidade, se almejarmos formar um pensamento autônomo, crítico e criativo

14 pensar historicamente é nunca aceitar as informações, ideias, dados..., sem levar em consideração o contexto em que foram produzidos o ato de pensar historicamente é um exercício que resgata o tempo próprio das coisas, e não o tempo fluido, místico com que muitas delas se apresentam o objetivo maior é formar a capacidade de pensar historicamente e, portanto, de usar as ferramentas que a História dispõe

15 a contribuição da História para a formação do cidadão, além de favorecer a(s) identidade(s) individual(is), está na possibilidade de educar para o conhecimento do outro, em outro lugar e outro tempo: isso desenvolve a tolerância e a capacidade crítica, uma vez que só podemos julgar a nossa própria vida social se temos exemplos de outras formas de vida e relacionamento (CERRI, Luis Fernando. Oficina de História 1. Ponta Grossa: Ed.UEPG, 2009)

16 As transformações do ensino da História no Brasil VISÃO DA CIÊNCIA Ensino tradicional Preocupação com o estudo dos fatos, neutralidade do historiador e da explicação histórica. Ênfase na história dos fatos políticos e na história como produto da ação de indivíduos, de heróis. História considerada como ciência que estuda exclusivamente o passado.

17 As transformações do ensino da História no Brasil VISÃO DA CIÊNCIA Ensino de estudos sociais Interdisciplinaridade das ciências sociais (História, Geografia, Antropologia e Sociologia). Predomínio do ensino de estudos sociais. Estudo das sociedades no transcorrer do tempo como objetivo do ensino.

18 As transformações do ensino da História no Brasil VISÃO DA CIÊNCIA Tendências atuais História como história de todos os homens, e não somente de heróis. Inclusão de novas contribuições historiográficas: história econômica, cultural e social.

19 Análise do fato histórico substituída por outras possibilidades, como análise do processo histórico e da experiência dos sujeitos da história. Incorporação dos novos temas e objetos da História, como a história das mulheres, a das crianças e a dos movimentos sociais.

20 As transformações do ensino da História no Brasil FUNÇÃO DO ENSINO Ensino tradicional Estudo das origens, da genealogia das nações. Objetivo de formar o cidadão para a pátria e construir identidades nacionais.

21 Estudo dos legados, principalmente daqueles da civilização europeia. Compreensão da nação brasileira como fruto da integração entre três raças: branca, índia e negra.

22 As transformações do ensino da História no Brasil FUNÇÃO DO ENSINO Ensino de estudos sociais Integração do educando em um meio cada vez mais amplo. Estudo da história do presente, evitando o estudo do passado pelo passado. Formação de cidadãos para a sociedade em desenvolvimento, democrática e industrial.

23 As transformações do ensino da História no Brasil FUNÇÃO DO ENSINO Tendências atuais Contribuição para a construção da cidadania. Desenvolvimento de raciocínios historicamente corretos.

24 Aquisição da capacidade de análise da relação presente-passado. Apreensão da pluralidade de memórias, e não somente da memória nacional. Preocupação com as finalidades do ensino da História no mundo contemporâneo.

25 As transformações do ensino da História no Brasil RELAÇÃO PROFESSOR x ALUNO Ensino tradicional Professor como transmissor do saber histórico e verdadeiro, pronto e acabado. Aluno como receptor passivo do conhecimento histórico transmitido pelo professor.

26 As transformações do ensino da História no Brasil RELAÇÃO PROFESSOR x ALUNO Ensino de estudos sociais Aluno como centro do ensino. Professor como facilitador da aprendizagem. Relação baseada na vigilância do aluno pelo professor.

27 As transformações do ensino da História no Brasil RELAÇÃO PROFESSOR x ALUNO Tendências atuais Importância do domínio do conteúdo específico pelo professor, que deve ser comprometido com o aluno e mediador entre este e o conhecimento histórico.

28 Professor como responsável pela intermediação entre o aluno e o percurso para produção do conhecimento histórico. Aluno como sujeito de seu próprio conhecimento e do conhecimento histórico.

29 As transformações do ensino da História no Brasil CONTEÚDO Ensino tradicional Organização de forma linear, cronológica, baseada principalmente na periodização política e baseada em fontes escritas.

30 História narrativa e descritiva. Conteúdos selecionados com base em visões oficiais da História. Valorização das datas comemorativas.

31 As transformações do ensino da História no Brasil CONTEÚDO Ensino de estudos sociais Fragilização do conteúdo específico da História. Valorização da aprendizagem baseada no desenvolvimento de atividades.

32 Livros didáticos em que predominam ilustrações. Simplificação do conhecimento histórico. Currículos organizados em círculos concêntricos: família, escola, bairro, cidade, país e mundo.

33 As transformações do ensino da História no Brasil CONTEÚDO Tendências atuais Recuperação da historicidade do conhecimento histórico. Conteúdo histórico como produto do saber- fazer específico.

34 Novas possibilidades de organização curricular para o ensino da História, como a história temática e o ensino por conceitos. Valorização do conteúdo e de visões plurais e críticas da História. Incorporação de novas produções de historiadores.

35 As transformações do ensino da História no Brasil MÉTODO Ensino tradicional Formal e abstrato, sem relação com a vida do aluno. Conteúdos e métodos sem o objetivo de desenvolver a criticidade.

36 Predomínio do ponto (texto sobre determinado conteúdo), questionário, testes de múltipla escolha e exercícios com lacunas a serem completadas.

37 As transformações do ensino da História no Brasil MÉTODO Ensino de estudos sociais Baseado no ensino por atividades. Ênfase na pesquisa e no trabalho em grupo.

38 As transformações do ensino da História no Brasil MÉTODO Tendências atuais Tem como referência a própria ciência. Recuperação do método da História em sala de aula.

39 Preocupação com a transposição didática: relação entre saber científico, saber a ser ensinado, saber ensinado, saber aprendido e prática social. Valorização do uso de documento histórico em sala de aula. Incorporação de novas linguagens e tecnologias no ensino da História, como análise de filmes e uso da informática.

40 As transformações do ensino da História no Brasil AVALIAÇÃO Ensino tradicional Avaliação centrada no professor. Avaliação de resultados, do produto da aprendizagem, baseada na memorização de informações transmitidas pelo professor. Avaliação classificatória.

41 As transformações do ensino da História no Brasil AVALIAÇÃO Ensino de estudos sociais Baseada em objetivos previamente propostos. Avaliação do processo, e não do conteúdo.

42 As transformações do ensino da História no Brasil AVALIAÇÃO Tendências atuais Diagnóstica, processual, formativa. Busca o crescimento do aluno, e não usa sua classificação e exclusão. (SCHIMIDT, Maria Auxiliadora)


Carregar ppt "Tema 1: Concepção do Ensino de História. História: fenômeno que marca a humanidade e sobretudo a civilização ocidental preservar elementos do passado,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google