A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade de Mogi das Cruzes Curso:Tecnólogo em Automação Industrial Disciplina: Instrumentação Industrial II 6° A.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade de Mogi das Cruzes Curso:Tecnólogo em Automação Industrial Disciplina: Instrumentação Industrial II 6° A."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade de Mogi das Cruzes Curso:Tecnólogo em Automação Industrial Disciplina: Instrumentação Industrial II 6° A

2 Nome: Leandro Costa Tandu de Oliveira RGM: Nome: José Luiz Matos de Camargo RGM: 55668

3 O controle de temperatura é uma das práticas mais usadas na automação atualmente, pois qualquer material sofre influência das variação da mesma. Podemos citar como exemplo: processos químicos, tratamentos térmicos, caldeiras, etc. Através deste trabalho abordaremos os princípios de 3 sensores de temperatura, relatando as principais semelhanças e diferenças, vantagens e desvantagens de cada um tendo como objetivo definir qual sensor é mais indicado para determinadas situações de controle de temperatura.

4 Termoresistores: São sensores de temperatura que apresentam uma variação em sua resistência elétrica quando sofrem alguma variação de temperatura Termistores: Consistem de materiais semicondutores tratados com óxidos que exibem uma grande redução na resistência em função do aumento da temperatura.

5 Os termômetros de resistência funcionam baseados no fato de que a resistência de uma grande gama de materiais varia com a temperatura; de um modo geral, os metais aumentam a resistência com a temperatura, ao passo que os semicondutores diminuem a resistência com a temperatura

6 VANTAGENS DAS TERMORESISTÊNCIAS EM RELAÇÃO DO TERMOPAR 1. Mais precisa que o termopar na sua faixa de uso; 2. Usando circuito adequado, podem ser usadas a grandes distâncias; 3. Podem ser usados cabos de cobre comum nas ligações; 4. São mais estáveis que os termopares; 5. Sua curva de resistência elétrica ( ) em função da temperatura é mais linear que os termopares;

7 O PT-100 é um termômetro de resistência elétrica feito de platina. É chamado de termoresistor, possuindo uma resistência de aproximadamente 100Ω a 0 o C. A norma DIN IEC 751 padronizou a faixa das termoresistências de -200 a 850 °C. OQUE É

8 Equipamentos médicos e hospitalares; Máquinas industriais; Ar condicionado- ventilação e aquecimento; Fornos industriais; Equipamentos científicos e biotecnologia

9 O princípio físico de funcionamento deste dispositivo é baseado numa relação linear da resistência em função da variação da temperatura, segundo a expressão: Rt = R 0 (1 + aΔt +bΔt 2 ) Onde: R é a resistência em função da temperatura R 0 a resistência inicial ΔT é a variação da temperatura a é o coeficiente de temperatura do metal, usaremos o valor indicado pela norma DIN 43760, α=0, b pode ser considerado nulo para a platina, logo a curva resistência versus temperatura é, teoricamente, linear;

10

11 VANTAGENS: Boa estabilidade; Boa precisão; Boa confiabilidade; DESVANTAGENS: Elevado custo; Resposta lenta; Requer uma fonte de corrente;

12 Os termistores NTC, como o próprio nome já diz (Coeficiente de Temperatura Negativo) apresentam uma variação negativa de resistência com o aumento da temperatura, ou seja, ele responde com uma diminuição do valor ôhmico à medida que a temperatura se eleva. São constituídos através de uma mistura de óxido de magnésio, níquel, cobre e cobalto OQUE É

13 Utilizado para indicar a temperatura de um ambiente; Utilizado para indicar a temperatura de uma amostra líquida; Utilizada para disparar um sistema de aquecimento ou resfriamento.

14 O princípio de funcionamento é o mesmo que o do pt100 porém a resistência segue uma variação exponencial negativa conforme a fórmula abaixo. (1/T-1/T o ) R = R o e Onde: R = resistência medida R0 = resistência a temperatura T0 β = coeficiente da exponencial T = temperatura de medição (Kelvin)

15 VANTAGENS: Ótima precisão Alta sensibilidade Pode ser customizado Baixo custo para larga demanda Podem ser aplicado em temperatura de até 250 DESVANTAGENS Não é linear Variação negativa da resistência

16 OQUE É Os termistores PTC, como o próprio nome já diz (Coeficiente de Temperatura Positivo) apresentam uma variação positiva de resistência com o aumento da temperatura, ou seja, ele responde com um aumento do valor ôhmico à medida que a temperatura se eleva.

17 Proteção de motores; Proteção para sobreaquecimentos; Proteção para sobreaquecimentos em medições e controle.

18 O princípio de funcionamento é o mesmo que o do pt100 porém a resistência segue uma variação exponencial positiva

19 VANTAGENS: Ótima precisão de acionamento Adequado para pequenos espaços Evita superaquecimento DESVANTAGENS: Não linear Pequeno intervalo de temperatura Frágil Fonte de corrente necessária Auto aquecimento

20 Varia ç ão da resistência com a temperatura para v á rios materiais; observe-se que para uma mesma varia ç ão de temperatura, a varia ç ão de resistência do metal ( Rm) é significativamente menor do que a no NTC ( Rs).

21

22

23

24

25

26 HPLMM/mec017/termoresist.htm /inst/temp1.pdf esar/SENSORES-Termistor.html o_2005/dissertacoes/Dissertacao_379_2 005.pdf

27 Calcular a resistência em função da temperatura para um sensor PT100 considerando t=100 e t=25 e R=100 e de acordo com a norma DIN43760 a=0,00385 Calcular a resistência em função da temperatura para um sensor NTC para T=100 e T=25


Carregar ppt "Universidade de Mogi das Cruzes Curso:Tecnólogo em Automação Industrial Disciplina: Instrumentação Industrial II 6° A."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google