A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Partida. A maioria dos motores de aeronaves são acionados por um motor de partida (starter), ou arranque. O arranque é um mecanismo capaz de desenvolver.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Partida. A maioria dos motores de aeronaves são acionados por um motor de partida (starter), ou arranque. O arranque é um mecanismo capaz de desenvolver."— Transcrição da apresentação:

1 Partida

2 A maioria dos motores de aeronaves são acionados por um motor de partida (starter), ou arranque. O arranque é um mecanismo capaz de desenvolver uma grande quantidade de energia mecânica que pode ser aplicada a um motor causando sua rotação. Sistemas de Partida

3 Antigamente, os motores de baixa potência eram acionados pela rotação da hélice através de rotação manual. Existiam algumas dificuldades durante a partida, quando as temperaturas do óleo estavam próximas ao ponto de congelamento. Sistemas de Partida

4 Os magnetos forneciam uma centelha fraca na partida, e em velocidades muito baixas de acionamento. Isto foi compensado providenciando uma centelha quente, usando dispositivos de ignição como bobina de reforço, vibrador de indução ou acoplamento de impulso. Sistemas de Partida

5 Sistemas de Partida Motores Convencionais

6 Desde o início dos motores convencionais até o presente (ANAC), os inúmeros sistemas foram desenvolvidos. Os mais comuns são: - Cartucho. (Não usado comumente). - Manual de Inércia. (Não usado comumente). - Elétrico de Inércia. (Não usado comumente). - Inércia Combinado. (Não usado comumente). - Elétrico de Engrazamento Direto. Sistemas de Partida Motores Convencionais

7 A maioria dos arranques de motores convencionais é do tipo elétrico de engrazamento direto. Poucos modelos mais antigos ainda estão equipados com acionadores de inércia. Abordaremos então, somente uma breve descrição desses sistemas de partida. Sistemas de Partida Motores Convencionais

8 Existem três tipos de Partida por Inércia: - Manual de inércia; - Elétrico de inércia; - De inércia, combinado manual e elétrico. A operação de todos os tipos de arranques de inércia, depende da energia cinética armazenada em um volante de rotação rápida. Motores de Partida de Inércia Energia cinética é a força processada por um corpo pela eficiência do seu estado de movimento, que pode ser movido ao longo de uma linha ou pela ação de rotação.

9 Embreagens são úteis em dispositivos com duas árvores rotativas. Nestes dispositivos, uma das árvores é normalmente acionada por um motor ou polia e a outra árvore aciona outro dispositivo. Em uma furadeira, por exemplo, uma árvore é movida por um motor e a outra aciona um mandril. A embreagem conecta as duas árvores para que elas possam ficar acopladas e girar à mesma rotação ou ficar separadas, girando em rotações diferentes. Off Topic Embreagens

10 Em um carro, você precisa de uma embreagem porque o motor gira o tempo todo enquanto as rodas não. Para um carro parar sem deixar o motor morrer, as rodas precisam estar desconectadas do motor de alguma forma. A embreagem nos permite unir suavemente um motor em rotação a uma transmissão que não está girando, através do controle da patinagem entre eles. Off Topic Embreagens

11 Para entender como uma embreagem funciona, precisamos conhecer um pouco sobre atrito, que é a medida do quanto é difícil fazer um objeto deslizar sobre outro. O atrito é causado por picos e vales que existem em toda superfície - mesmo as mais lisas apresentam picos e vales microscópicos. Quanto maiores forem, mais difícil será fazer o objeto deslizar. Off Topic Embreagens

12

13 A embreagem funciona devido ao atrito entre o platô de embreagem, por meio da sua placa de pressão, e o volante do motor. Quando o seu pé está fora do pedal, as molas empurram a placa de pressão contra o disco de embreagem, que por sua vez é pressionado contra o volante. Isso liga o motor à árvore de entrada (árvore-piloto) do câmbio, levando-os a girar na mesma velocidade. Off Topic Embreagens Platô de Embreagem

14 Off Topic Embreagens

15 A quantidade de força que a embreagem pode suportar depende do atrito entre o disco de embreagem e o volante, e da força que a mola aplica à placa de pressão. A força de atrito na embreagem funciona como as pastilhas de freio, exceto que a mola pressione o disco de embreagem em vez de pressionar diretamente contra o a pastilha. Off Topic Embreagens

16 Quando o pedal da embreagem é pressionado, um cabo ou pistão hidráulico empurra o garfo, que pressiona o rolamento de embreagem contra o centro da mola tipo diafragma. Quando o centro da mola-diafragma é empurrada, uma série de pinos próximos ao lado de fora da mola levam-na a afastar a placa pressão do disco para longe do disco de embreagem. Isto solta o disco de embreagem do motor em funcionamento. Off Topic Embreagens Disco de Embreagem Molas p/ Isolar a transmissão do choque do acoplamento da embreagem

17 O problema mais comum com embreagens é o material de atrito do disco se desgastar. Esse material é muito parecido com o material de atrito das pastilhas de um freio a disco, ou as sapatas de um freio a tambor - após algum tempo, ele desgasta. A embreagem somente desgasta quando o disco de embreagem e o volante estão girando em rotações diferentes. Quando eles estão acoplados, o material de atrito é mantido firmemente contra o volante e eles giram juntos. Off Topic Embreagens

18 O desgaste ocorre somente quando o disco de embreagem está patinando contra o volante. Portanto, se você é o tipo de motorista que patina muito a embreagem, você irá desgastá-la bem mais rapidamente. Outro problema que algumas vezes está associado com embreagens é o desgaste de seu rolamento. Este desgaste é caracterizado por um ruído contínuo surdo sempre que se pisa no pedal de embreagem. Off Topic Embreagens

19 A embreagem centrífuga é a conexão entre o motor e a correia. A finalidade da embreagem é ficar aberta enquanto o motor está em espera para que a correia não se movimente. Quando o motor é acionado, porque o operador faz o arranque para iniciar o corte, a embreagem se fecha para que a correia possa cortar. Off Topic Embreagem Centrífuga

20 Vídeo

21 A embreagem é composta de três peças: Off Topic Embreagem Centrífuga Um cilindro externo que gira livremente. Esse cilindro tem uma coroa dentada que engata na correia. Quando o cilindro gira, a correia gira também; Um eixo central diretamente conectado à embreagem do motor. Quando o motor gira, o eixo gira também; Um par de pesos da embreagem cilíndricos vinculados ao eixo central, juntamente com uma mola que os retraem contra o eixo.

22 O eixo central e os pesos giram juntos. Se estiveram girando lentamente, os pesos ficam mantidos contra o eixo pela mola. Off Topic Embreagem Centrífuga Se o eixo girar rapidamente, porém, a força centrífuga nos pesos supera a força aplicada pela mola e os pesos são atirados para o lado oposto ao eixo. Entram em contato com o interior do cilindro e o cilindro começa a girar. O cilindro, os pesos e o eixo central tornam-se uma unidade rotativa devido à fricção entre os pesos e o cilindro. Quando o tambor começa a girar, a correia gira também.

23 A embreagem centrífuga tem muitas vantagens: Off Topic Embreagem Centrífuga é automática; desliza automaticamente p/ evitar que o motor apague; não há falha na embreagem; funciona continuamente.

24 No arranque de inércia, a potência é armazenada devagar durante o processo de energização pelo giro manual ou elétrico, utilizando-se um pequeno motor. Motores de Partida de Inércia

25 Durante a energização do motor de partida, todas as partes internas se movem, incluindo o volante formando um conjunto em movimento. Motores de Partida de Inércia

26 Quando o arranque tiver sido completamente energizado, ele é engrazado ao eixo de manivelas do motor por um cabo, acionado manualmente ou por um solenóide de acoplamento que é eletricamente energizado. Motores de Partida de Inércia

27 Quando o arranque é engrazado, a energia do volante é transferida para o motor através de engrenagens de redução e embreagens de liberação de sobrecarga de torque. Motores de Partida de Inércia

28 O uso de solenóides, reduzem o peso do cabo e a queda total de voltagem no circuito. Motores de Partida de Inércia

29 O sistema de partida largamente utilizado em todos os tipos de motores alternativos, é o arranque elétrico de acionamento direto. Motor de Partida Elétrico Engrazamento Direto O sistema provê acionamento instantâneo e contínuo quando energizado, consistindo em um motor elétrico, engrenagens de redução e um mecanismo de acoplamento e desacoplamento.

30 Motor de Partida Elétrico Engrazamento Direto

31 O motor é acionado diretamente quando o solenóide do arranque é fechado. Motor de Partida Elétrico Engrazamento Direto Os cabos condutores principais do arranque para a bateria, são para os serviços pesados, para conduzir o fluxo que pode ser tão alto como 350 ampères, dependendo do torque requerido na partida.

32 Um motor de arranque normalmente possui de 12 ou 24 volts, e enrolamento em série, para desenvolver elevado torque na partida. Motor de Partida Elétrico Engrazamento Direto O torque do motor é transmitido através de engrenagens de redução para a embreagem de alívio de sobrecarga.

33 Essa ação faz atuar um eixo estriado movendo a castanha do motor de arranque para fora, engrazando à castanha de acionamento do motor da aeronave, antes que a castanha do arranque comece a girar. Motor de Partida Elétrico Engrazamento Direto Assim que o motor da aeronave alcança uma velocidade pré-determinada, o motor de arranque desacopla automaticamente.

34 Motor de Partida Elétrico Engrazamento Direto

35 Sistema de Inércia Combinado é utilizado em grandes aeronaves bimotoras. Sistema de Partida Inércia Combinado Esse sistema inclui para cada motor, um arranque de inércia combinado, uma bobina de reforço, uma chave de polo simples, duplo acionamento na cabine, cablagens e solenóides conforme necessário.

36 Duas chaves de partida estão localizadas no painel elétrico da cabine. Colocando a chave na posição up opera-se o arranque. Sistema de Partida Inércia Combinado A mesma chave, colocada na posição down opera o solenóide de acoplamento de arranque e a bobina ativadora de ignição. A posição off da chave está entre as outras duas posições.

37 Existe uma bobina de reforço operada pela bateria, montada em um alojamento blindado, está instalada no suporte de cada motor. Sistema de Partida Inércia Combinado Conduítes flexíveis protegem os condutores da bobina para os magnetos de cada motor.

38 Um sistema de partida para motor alternativo de alta potência, o arranque elétrico de acionamento direto consiste em dois componentes básicos: um conjunto motor e uma seção de engrenagens. Engrazamento Direto p/ Grandes Motores Convencionais A seção de engrenagens é aparafusada no terminal do eixo de acionamento do motor para formar uma unidade completa.

39 O motor de arranque é irreversível, interpolado em série. Sua velocidade varia diretamente com a voltagem aplicada, e inversamente com a carga. Engrazamento Direto p/ Grandes Motores Convencionais O motor gera alta velocidade e baixo torque. A Gearbox do starter converte a alta velocidade baixo torque em baixa velocidade e alto torque.

40 Engrazamento Direto p/ Grandes Motores Convencionais

41 Determine as afirmações são V ou F: Sistema de inércia combinado é o mais utilizado em sistemas de partidas de motores. 02- No 02- No sistema de engrazamento direto, Assim que o motor da aeronave alcança uma velocidade pré-determinada, o motor de arranque desacopla automaticamente Existem 03 sistemas de partida por inércia: Manual; Elétrico e Combinado. 04- O sistema de partida por inércia depende sempre da energia cinética para o funcionamento. 04- O sistema de partida por inércia depende sempre da energia cinética para o funcionamento. (Energia cinética é a força processada por um corpo pela eficiência do seu estado de movimento. 05- O sistema de inércia existe um volante, que se move junto com o conjunto em movimento. V V F V V Pega Ratão

42 Determine as afirmações são V ou F: O solenóide do sistema por inércia é energizado ligando o positivo. 07- Sistema de partida por inércia é operado pela Barra AC auxiliar e possui solenóides para evitar o peso Um motor de arranque normalmente possui de 12 ou 24V, e enrolamento em série A desvantagem do uso do solenóide é que ele não evita a queda de tensão em um circuito. 10- Em inércia combinado, a chave na posição UP: 10- Em inércia combinado, a chave na posição UP: opera-se o arranque. F V F F V Pega Ratão

43 Determine as afirmações são V ou F: 11- Em inércia combinado, a chave na posição Down: 11- Em inércia combinado, a chave na posição Down: opera o solenóide de acoplamento de arranque e a bobina ativadora de ignição. 12- Em inércia combinado: 12- Em inércia combinado: A bobina de reforço operada pela bateria, montada em um alojamento blindado, está instalada no suporte de cada motor Engrazamento direto para grandes motores convencionais: A Gearbox do starter converte a alta velocidade baixo torque em baixa velocidade e alto torque Além da bateria pode-se utilizar de outras fontes de energia para o partida da aeronave Vibrador de indução função: Deixar a centelha quente. V V V V V Pega Ratão

44 As pequenas aeronaves de motores alternativos empregam sistema de partida elétrico de acionamento direto. Engrazamento Direto p/ Pequenas Aeronaves Alguns desses sistemas são automaticamente acoplados aos sistemas de partida, enquanto outros o são manualmente.

45 Os sistemas de partida engrazados automaticamente, empregam um motor de arranque elétrico montado sobre um adaptador do motor. Engrazamento Direto p/ Pequenas Aeronaves Um solenóide de partida é ativado, ou por um botão de empurrar, ou por uma chave de ignição no painel de instrumento.

46 Quando o solenóide é ativado, seus contatos fecham, e a energia elétrica energiza o motor de partida. Engrazamento Direto p/ Pequenas Aeronaves A rotação inicial do motor elétrico engraza o motor de partida através de uma embreagem, que incorpora engrenagens espirais (sem fim) de redução.

47 A maioria das práticas de manutenção do sistema de partida incluem substituição das molas e das escovas, limpeza de acúmulos dos comutadores e torneamento das partes queimadas ou arredondamento dos comutadores do motor de partida. Práticas de manutenção do sistema de partida As escovas do motor de partida devem ser substituídas quando desgastadas aproximadamente na metade do seus comprimentos originais.

48 Práticas de manutenção do sistema de partida

49

50

51

52 Motores de turbina a gás são acionados pela rotação do compressor. Partidas dos Motores de Turbina a Gás Nos motores com dois estágios axiais do compressor, apenas o compressor de alta pressão é girado pelo motor de partida. Para acionar um motor de turbina a gás, é necessário acelerar o compressor provendo ar suficiente para suportar a combustão nos queimadores.

53 Uma vez que o combustível tenha sido introduzido, e o motor tenha partido, o motor de partida deve continuar acionando o motor para chegar a uma velocidade acima da velocidade de auto aceleração. Partidas dos Motores de Turbina a Gás O torque suprido pelo motor de partida deve estar acima do que é requerido, a fim de superar a inércia do compressor e as cargas de fricção do motor.

54 Os tipos básicos de motores de partida, que foram desenvolvidos para uso nos motores de turbina a gás, são motores elétricos, turbina de ar, combustão e sistema de partida de impacto. Partidas dos Motores de Turbina a Gás Um sistema de partida de impacto é algumas vezes usado em motores pequenos.

55 Tão logo o arranque tenha acelerado o compressor suficientemente para estabelecer o fluxo de ar através do motor, a ignição é ligada, e depois o combustível. Partidas dos Motores de Turbina a Gás A sequência exata do procedimento de partida é importante, desde que haja fluxo de ar suficiente através do motor para suportar a combustão, antes que a mistura ar/combustível seja inflamada.

56 Os sistemas elétricos de partida são de dois tipos, em geral: Sistemas Elétricos de Partida - Sistemas elétricos de acionamento direto; - Sistemas de arranque e gerador. Os sistemas elétricos de partida de acionamento direto são similares aqueles usados nos motores alternativos.

57 O sistema de motor de partida e gerador são similares aos sistemas elétricos de acionamento direto. Sistemas Elétricos de Partida Eletricamente, os dois sistemas podem ser idênticos, mas o motor de Starter/Gen é permanentemente acoplado com o eixo do motor. Enquanto o motor de partida de acionamento direto deve empregar alguns meios de desacoplamento do eixo após o acionamento do motor da aeronave.

58 Em alguns arranques de acionamento direto usados nos motores de turbina a gás, nenhuma embreagem de alívio de sobrecarga ou mecanismo de engrenagem de redução são usados. Partida de Acionamento Direto em Motores de Turbina Isto acontece por causa dos requerimentos de baixo torque e de alta velocidade para a partida dos motores de turbina a gás.

59 Um mecanismo de redução de voltagem é utilizado, principalmente nos sistemas de partida para evitar danos no conjunto de acoplamento. Partida de Acionamento Direto em Motores de Turbina O mecanismo é montado em alojamento à prova de explosão, que contém 5 relés e uma resistência de 0,042 ohm.

60 Muitos aviões de turbina são equipados com sistemas de arranque-gerador. Esses sistemas de partida usam uma combinação de arranque-gerador que opera como um motor de arranque para acionar o motor durante a partida; e após o motor ter alcançado a velocidade de auto- sustentação, opera como um gerador para suprir a potência do sistema elétrico. Sistema de Partida Arranque Gerador

61 A unidade arranque-gerador, é uma derivação do gerador com uma quantidade adicional de enrolamentos em série. Este enrolamento em série está eletricamente conectado para produzir um forte campo, resultando num alto torque para a partida. Sistema de Partida Arranque Gerador Os Starter/Gen são optados pelo ponto de vista econômico, uma vez que executa duas funções em um único componente.

62 Sistema de Partida Arranque Gerador Usados para o Starter, em série. Derivação, usado p/ controle da corrente. Comutação/Retifi cação: CA em CC Usado para o Gen. DC.

63 A potência de partida, só pode ser aplicada a um arranque-gerador quando está conectada a um terminal de seleção do arranque-gerador através de um relé de partida correspondente. A partida do motor é controlada por um painel. Sistema de Partida Arranque Gerador

64 Seletora do Motor Seletora de Energia Partida em Voo ou Solo Liga/Des

65 A chave seletora do motor mostrada na figura tem cinco posições (1, 2, 3, 4 e OFF), e é girada para a posição correspondente ao motor a ser acionado. Sistema de Partida Arranque Gerador A chave seletora de energia é usada para selecionar o circuito elétrico aplicável da fonte de externa (unidade auxiliar de energia ou bateria) que será usado.

66 A chave de partida, quando na posição START, completa o circuito para o arranque-gerador do motor selecionado para a partida, e causa a rotação do motor. Sistema de Partida Arranque Gerador O painel de partida do motor, mostrado também, inclui uma chave de bateria.

67 Quando um motor de partida é selecionado com a chave seletora, e a chave de partida é mantida na posição START, o relé de partida correspondente ao motor selecionado é energizado, e conecta aquele arranque-gerador do motor à barra de partida. Sistema de Partida Arranque Gerador

68 Em algumas aeronaves, uma chave de bateria está instalada no compartimento do receptáculo da fonte externa. Quando a porta é fechada, ativando a chave, os circuitos de controle de partida no solo funcionam somente para partida com a bateria. Sistema de Partida Arranque Gerador

69 Determine as afirmações são V ou F: A maioria das pequenas aeronaves de motor alternativo emprega sistema de partida elétrico de acionamento direto Defeito da chave principal ou do circuito: Remover e reparar ou substituir o arranque Bateria fraca: Testar a bateria Arranque defeituoso: Verificar as escovas e a tensão das suas molas e fixação Comutadores sujos ou gastos: Tornear o comutador. V V V F V Pega Ratão

70 Determine as afirmações são V ou F: 11- A ligação da derivação de um Starter/Gen serve para o controle da corrente, através da ligação em um outro circuito. 12- Em um painel típico de uma aeronave multimotora com Starter/Gen. A 12- Em um painel típico de uma aeronave multimotora com Starter/Gen. A chave seletora e a chave de partida é mantida na posição START, o relé de partida correspondente ao motor selecionado é desenergizado. 13- tensão, características de um Starter É possível dar a partida do motor em voo Relé em série da bateria está defeituoso: Substituir o relé se não houver voltagem. V V F V V Pega Ratão

71 Determine as afirmações são V ou F: 06 Na partida do motor o extintor empregado na prevenção de incêndio deve ser o de dióxido de carbono Os sistemas elétricos de partida são de dois tipos, em geral: Sistemas elétricos de acionamento direto; Sistemas de arranque e gerador Mecanismo de controle e redução de voltagem possui uma resistência de 42mohm O Starter/Gen é menos eficiente do que um Starter simples. 10- Em um Starter/Gen os campos em série C são para o acionamento do Starter. V V V F Pega Ratão V

72 Os procedimentos listados na tabela a seguir são típicos daqueles usados para reparo de mal funcionamento no sistema de partida arranque-gerador, similar ao sistema descrito nesta seção Esses procedimentos são apresentados como um guia. As instruções apropriadas dos fabricantes e as diretivas aprovadas de manutenção devem sempre ser consultadas para a aeronave envolvida. Sistema de Partida Arranque Gerador

73 TroubleShooting

74

75

76 Auxiliary Power Unit é em sua essência, um motor a reação, constituído de uma seção fria, o compressor, e uma seção quente composta de um ou mais estágios de turbina capaz de suprir a aeronave com energia destinada ao sistema elétrico da aeronave, ar comprimido destinado aos sistemas de ar condicionado e pressurização da cabine, partida dos motores principais, e outras funções secundárias. APU

77 Este motor é totalmente auto-suficiente, controlado por uma caixa de controle que contém um software de gerenciamento responsável pela correta operação da unidade. APU Todas as solicitações de carga elétrica ou carga pneumática são automaticamente interpretadas pela caixa de controle e convertidas em comandos para controle do regime de operação do motor.

78 Quando solicitada eletricamente e pneumaticamente esta unidade está projetada para produzir aproximadamente energia suficiente para manter os sistemas da aeronave ativos. APU A APU está geralmente localizada na extremidade posterior da cauda das aeronaves, encontra-se permanentemente ligada quando a aeronave está no terminal aguardando o embarque de passageiros.

79 Este tipo de motor segue diversos planos de manutenção, preventivos, preditivos e corretivos, como citados a seguir: APU - Serviços de manutenção de rotina; - Serviços programados de manutenção; - Modificações com a finalidade de corrigir problemas de projeto ou melhoria de performance. Foto do Banco de Provas de Motores

80 Os arranques de turbina a ar são projetados para proverem alto torque na partida de uma fonte pequena e de peso leve. O arranque de turbina a ar típico pesa de um quarto a metade de um arranque elétrico, capaz de dar partida no mesmo motor. APU

81 Para a programação de qualquer dos tipos de serviços descritos, um planejamento do serviço a ser executado deve ser cuidadosamente elaborado, de modo a diminuir o máximo possível o tempo de parada destas unidades, bem como para otimizar o material e mão-de-obra utilizados. APU

82 Estes motores, quando em serviço de revisão, seguem um ciclo padrão, onde cada parte é inspecionada e reparada para sua montagem. Basicamente, o ciclo de revisão destas unidades obedece a seqüência: 1. Inspeção de recebimento e determinação de problemas a serem resolvidos: estes dados serão utilizados na programação dos serviços. APU

83 2. Definição do plano de trabalho: de posse dos dados obtidos no teste de recebimento, uma programação de serviços é definida para o motor a ser revisado. 3. Desmontagem: segue-se uma desmontagem do motor de acordo com procedimentos pré-estabelecidos nos manuais de manutenção. APU

84 4. Limpeza: segue-se limpeza das partes de acordo com ciclos de limpeza estabelecidos de acordo com a característica de cada parte. 5. Inspeção das partes: cada parte é identificada e inspecionada de acordo com suas características, utilizando-se vários processos como raio-x, líquidos penetrantes, inspeção dimensional, etc... APU

85 6. Reparos/Substituição: nesta etapa, são definidas as peças que serão reparadas e/ou substituídas. 7. Montagem: segue-se a montagem do motor de acordo com os procedimentos dos manuais, e procedimentos elaborados pela engenharia. APU

86 8. Teste: teste completo do motor, em bancada específica, onde vários parâmetros são avaliados e comparados com valores padrões fornecidos pelos fabricantes. Foto mostrando sala de reparo de peças e abaixo mostrando a sala de limpeza dessas peças. APU

87 Os APUs modernos como o Boeing 777, deixaram de ser simplesmente uma unidade auxiliar, uma vez que a força gerada é tão grande (120KVA) que pode alimentar a aeronave inteira durante o voo se houver perda dos geradores de ambos motores, independente da altitude!! Já a força pneumática só está disponível até 22,000 pés (6700 m). APU

88 Ground power unit ou GPU, é um equipamento móvel terrestre que serve para fornecer energia aos aviões quando estes se encontram estacionados no aeroporto, longe dos terminais. GPU O GPU é utilizado quando o avião não possui APU, quando este não está em funcionamento por restrições aeroportuárias ou por poupança de combustível.

89 Os arranques de turbina a ar são projetados para proverem alto torque na partida de uma fonte pequena e de peso leve. Motor de Partida de Turbina a Ar O arranque de turbina a ar típico pesa de um quarto a metade de um arranque elétrico, capaz de dar partida no mesmo motor. Ele é capaz de desenvolver duas vezes o torque de um arranque elétrico.

90 O arranque de turbina a ar típico consiste em uma turbina de fluxo axial, que gira um acoplamento de acionamento através de um trem de engrenagens de redução e um mecanismo de embreagens de partida. Motor de Partida de Turbina a Ar O ar, para operar um arranque de turbina a ar, é suprido tanto de um compressor operado no solo ou ar sangrado de outro motor. Garrafas auxiliares de ar comprimido estão disponíveis em algumas aeronaves para operar o arranque de turbina a ar.

91 TroubleShooting

92 O arranque de cartucho de motores à turbina, algumas vezes chamados de sólido propelente, é usado em alguns grandes motores à turbina. Arranques de cartucho de motores à turbina Ele é similar em operação ao arranque de turbina a ar, mas deve ser construído para suportar altas temperaturas, resultantes da queima da carga do propelente sólido para suprir a energia para a partida.

93 TroubleShooting

94 Desde que os arranques de cartucho são similares em operação aos arranques à turbina, alguns fabricantes fazem um arranque de motor à turbina que pode ser operado usando-se gás gerado por um cartucho, ar comprimido de uma carreta de suprimento em terra, ou ar sangrado do motor. Arranques de cartucho de motores à turbina

95

96 Para efetuar uma partida deste tipo, um cartucho é primeiro colocado na tampa traseira (culatra). A parte traseira é então fechada sobre a câmara por meio de um punho e girado uma fração de volta para acoplar as orelhas entre as duas seções traseiras. Arranques de cartucho de motores à turbina

97 Esta rotação permite que a seção inferior do punho da culatra caia dentro de uma soquete e complete o circuito de ignição do cartucho. Arranques de cartucho de motores à turbina Até que o circuito de ignição esteja completado, é impossível ao cartucho inflamar-se. O cartucho é inflamado pela aplicação de voltagem ao conector do terminal do punho da culatra.

98 Arranques de cartucho de motores à turbina

99 Na ignição, o cartucho começa a gerar gás. O gás é forçado para fora da culatra para aquecer os bocais de gás que são direcionados rumo ao êmbolo no rotor da turbina, e a rotação é produzida. Gás emergindo do lado oposto da roda da turbina entra no anel e no duto de exaustão, onde é coletado e enviado para fora do arranque via coletor de descarga.

100 Arranques de cartucho de motores à turbina Na ignição, o cartucho começa a gerar gás. O gás é forçado para fora da culatra para aquecer os bocais de gás que são direcionados rumo ao êmbolo no rotor da turbina, e a rotação é produzida. Antes de chegar ao bocal, o gás passa por um condutor de saída para a válvula de alívio.

101 Arranques de cartucho de motores à turbina Essa válvula direciona gás quente para a turbina, fazendo um caminho alternativo ao bocal de gás, conforme a pressão aumenta acima da pressão pré-determinada. Então, a pressão de gás dentro do circuito de gás quente é mantido num ótimo nível. O arranque cartucho/pneumático também pode ser operado por um compressor, de uma fonte no solo, ou por uma sangria de ar do motor.

102 Arranques de cartucho de motores à turbina Se a partida for efetuada pelo cartucho ou ar comprimido, alguma força oposta é requerida para manter a velocidade da turbina entre os limites de segurança. Essa força de oposição é fornecida por uma ventoinha de freio aerodinâmico. A ventoinha é conectada diretamente ao eixo da turbina.

103 Arranques de cartucho de motores à turbina O motor de partida (arranque) é lubrificado por um sistema de salpique. Os distribuidores de óleo, presos na pista de saída da embreagem, retiram o óleo da cuba e o distribuem através do interior do arranque, quando as ranhuras giram. A cuba de óleo contém um plugue magnético para coletar a contaminação do óleo.

104 Motor de Parrida à Combustível/Ar Esse tipo de arranque é usado para partidas, tanto em motores turbojato como turboélice, usando a energia da combustão comum do motor à reação e ar comprimido. O arranque consiste de uma unidade de força girando a turbina e sistemas auxiliares de combustível, ar e ignição.

105 Motor de Parrida à Combustível/Ar A operação deste tipo de arranque é, na maioria das instalações, totalmente automática; a atuação de uma simples chave faz com que o arranque funcione e acelere o motor desde o repouso até a velocidade de corte do arranque. O arranque consiste de uma unidade de força girando a turbina e sistemas auxiliares de combustível, ar e ignição.

106 Motor de Parrida à Combustível/Ar Esse arranque foi desenvolvido inicialmente para aeronaves de transporte para vôos curtos. Quando ele está instalado, permite partidas rápidas em terminais onde não existe equipamento de solo para partida. O uso de cilindros de ar comprimido, para girar diretamente um arranque à turbina convencional, está atualmente substituindo os de combustão de misturas combustível/ar.

107 Motor de Parrida à Combustível/Ar Normalmente são fornecidos meios de recarga dos cilindros atavés de uma unidade auxiliar de solo. Este tipo de sistema permite várias partidas com apenas uma garrafa de ar comprimido.

108 Determine as afirmações são V ou F: O arranque de turbina a ar típico pesa de um quarto a metade de um arranque elétrico O APU fornece somente força elétrica a acft. 03- O APU 03- O APU é capaz de desenvolver duas vezes o torque de um arranque elétrico APU consiste de turbina de fluxo centrífugo O APU possui gearbox, a qual tem a finalidade de reduzir e controlar a rotação de saída. v V V F V Pega Ratão

109 Determine as afirmações são V ou F: Arranque não gira: Sem suprimento de ar; Acoplamento do arranque cisalhado Arranque não acelera para a velocidade normal de corte: Pouco suprimento de ar; Chave de corte do arranque desregulada Vazamento externo de óleo: Nível de óleo muito alto O arranque gira, sem acionar o motor da aeronave: Conjunto de união com braçadeiras frouxas; Acoplamento do arranque cisalhado Partículas metálicas no plugue do dreno magnético: Remover e substituir o arranque, e verificar o filtro do suprimento de ar. V V V V F Pega Ratão

110 Determine as afirmações são V ou F: Aletas orientadoras quebradas: Apertar a braçadeira para o torque adequado. 12- O cartucho do sistema de cartucho quando ignitado começa a gerar corrente para o sistema da turbina Aletas orientadoras quebradas: Remover e substituir o arranque, e verificar o filtro do suprimento de ar O arranque de cartucho de motores à turbina, algumas vezes chamados de sólido propelente O arranque combustível/ar foi desenvolvido para aeronaves de transporte e voos longos. F V F V F Pega Ratão

111 Teste Teste 01

112 01- O que é um motor de partida (Arranque, Starter)? a) é um mecanismo que fornece centelhamento de alta energia no tempo certo; b) é um mecanismo de produção de energia elétrica para alimentar o sistema elétrico; c) é um mecanismo capaz de desenvolver uma grande quantidade de energia mecânica, causando giro; d) N.D.A

113 03- Qual a principal característica de sistema de partida por inércia ? a) uso de um volante de rotação rápida em condição de giro; b) uso de uma turbina pneumática de giro rápido para girar o motor do avião; c) uso de um motor de partida a combustão de mistura de ar/combustível d) N.D.A

114 04- O que é energização nos motores de partida com arranque de inércia? a) é o momento de maior voltagem do sistema de partida b) é o momento de transmissão da potência do motor de partida para o motor do avião; c) é o momento em que o volante de inércia está gradativamente adquirindo giro; d) N.D.A

115 02- Cite alguns tipos de sistema de Partida para motores alternativos: a) manual de inércia, inércia combinado e elétrico de engrazamento direto; b) magneto, bateria, acoplamento de impulso; c) cartucho, turbina a ar e elétrico de inércia; d) N.D.A

116 05. Para motores alternativos (4 tempos), qual sistema de partida é largamente utilizado? a) sistema de partida à combustão com propelente b) sistema de partida com dispositivo de inércia c) sistema de partida com turbina pneumática d) sistema de partida elétrica de engrazamento direto;

117 06- A maioria dos sistemas de partida, apresentam um dispositivo de embreagem de liberação de sobrecarga. Qual sua finalidade? a) serve para dar balanceamento dinâmico ao conjunto, evitando vibrações; b) como o próprio nome sugere, evita sobrecarga no momento do acoplamento com o motor do avião; c) evita que o motor de partida sofra uma sobrevoltagem; d) N.D.A

118 07- Num motor de partida, como regra geral, quando as escovas de carvão devem ser substituídas? a) quando seu desgaste chegar as molas no final do carvão; b) quando seu desgaste for tal que não consiga mais girar o motor do avião; c) quando seu desgaste atingir aproximadamente metade de seu comprimento total; d) N.D.A

119 08- Quais os tipos básicos de motores de partida desenvolvidos para uso nos motores a turbina ou a reação direta? a) elétrico, inércia combinado b) manual de inércia, elétrico c) motores elétricos de C.C., turbina de ar e combustão d) todas as acima

120 09- Cite 2 (dois) tipos de motores elétricos usados em turbina a gás do avião? a) elétrico de acionamento direto, sistema de arranque gerador; b) alternador e dínamo; c) vibrador de indução e acoplamento de impulso; d) N.D.A

121 10- Quais as vantagens apresentadas pelo sistema de partida, tipo arranque gerador, dentro dos sistemas de motores de partidas elétricos; a) desejáveis do ponto de vista econômico, uma vez que executa as funções de ambos, arranque e gerador; b) peso total dos componentes do sistema de partida é reduzido; c) poucas peças de reposição requeridas; d) todas as acima.

122 Correção Teste 01

123 01- O que é um motor de partida (Arranque, Starter)? a) é um mecanismo que fornece centelhamento de alta energia no tempo certo; b) é um mecanismo de produção de energia elétrica para alimentar o sistema elétrico; c) é um mecanismo capaz de desenvolver uma grande quantidade de energia mecânica, causando giro; d) N.D.A

124 02- Cite alguns tipos de sistema de Partida para motores alternativos: a) manual de inércia, inércia combinado e elétrico de engrazamento direto; b) magneto, bateria, acoplamento de impulso; c) cartucho, turbina a ar e elétrico de inércia; d) N.D.A

125 03- Qual a principal característica de sistema de partida por inércia ? a) uso de um volante de rotação rápida em condição de giro; b) uso de uma turbina pneumática de giro rápido para girar o motor do avião; c) uso de um motor de partida a combustão de mistura de ar/combustível d) N.D.A

126 04- O que é energização nos motores de partida com arranque de inércia? a) é o momento de maior voltagem do sistema de partida b) é o momento de transmissão da potência do motor de partida para o motor do avião; c) é o momento em que o volante de inércia está gradativamente adquirindo giro; d) N.D.A

127 05. Para motores alternativos (4 tempos), qual sistema de partida é largamente utilizado? a) sistema de partida à combustão com propelente b) sistema de partida com dispositivo de inércia c) sistema de partida com turbina pneumática d) sistema de partida elétrica de engrazamento direto;

128 06- A maioria dos sistemas de partida, apresentam um dispositivo de embreagem de liberação de sobrecarga. Qual sua finalidade? a) serve para dar balanceamento dinâmico ao conjunto, evitando vibrações; b) como o próprio nome sugere, evita sobrecarga no momento do acoplamento com o motor do avião; c) evita que o motor de partida sofra uma sobrevoltagem; d) N.D.A

129 07- Num motor de partida, como regra geral, quando as escovas de carvão devem ser substituídas? a) quando seu desgaste chegar as molas no final do carvão; b) quando seu desgaste for tal que não consiga mais girar o motor do avião; c) quando seu desgaste atingir aproximadamente metade de seu comprimento total; d) N.D.A

130 08- Quais os tipos básicos de motores de partida desenvolvidos para uso nos motores a turbina ou a reação direta? a) elétrico, inércia combinado b) manual de inércia, elétrico c) motores elétricos de C.C., turbina de ar e combustão d) todas as acima

131 09- Cite 2 (dois) tipos de motores elétricos usados em turbina a gás do avião? a) elétrico de acionamento direto, sistema de arranque gerador; b) alternador e dínamo; c) vibrador de indução e acoplamento de impulso; d) N.D.A

132 10- Quais as vantagens apresentadas pelo sistema de partida, tipo arranque gerador, dentro dos sistemas de motores de partidas elétricos; a) desejáveis do ponto de vista econômico, uma vez que executa as funções de ambos, arranque e gerador; b) peso total dos componentes do sistema de partida é reduzido; c) poucas peças de reposição requeridas; d) todas as acima.

133 Teste Teste 02

134 A partida do motor é dada por meio de um arranque que move:: a-a turbina b-câmara de pressão c-compressor d-compressor e turbina

135 A partida do motor é dada por meio de um arranque que move: a)a turbina b)câmara de pressão c)compressor d)compressor e turbina

136 A operação de todos os tipos de arranques de inércia depende da: A-energia cinética B-energia centrífuga C-embreagem centrífuga D-energia elétrica e manual

137 Num motor com compressor duplo, o starter aciona o conjunto de: A-baixa B-alta C- partida D-alta e baixa

138 A parada de um motor à jato, é feita por meio do sistema de: a)ignição b)admissão c)lubrificação d)combustível

139 As grandes vantagens do arranque pneumático sobre os outros são: a) pouco peso b) muito peso c) simplicidade d) baixo torque

140 Num motor à reação multi-reator, com arranque pneumático, além do APU, podemos utilizar energia: a) elétrica b) mecânica c) de outro motor d) de outro avião

141 –Num motor à reação que utiliza energia elétrica para acionar o motor de arranque geralmente é utilizado um: a) starter e dois geradores b) starter e um alternador c) arranque elétrico d) starter­-gerador

142 – O acoplamento do motor de arranque com o eixo do compressor é feito através de um: a) disjuntor b) condensador c) redutor de velocidade d) ampliador de velocidade

143 Motores de partida de inércia, Existem três tipos gerais: a- (1) Mecânico de inércia; (2) Elétrico de inércia; (3) Engrazamento direto elétrico. b- (1) Manual de inércia; (2) Elétrico de inércia; (3) Engrazamento direto elétrico. c- (1) Manual de inércia; (2) Elétrico de inércia; (3) De inércia, combinado manual e elétrico. d- (1) Mecânico de inércia; (2) Elétrico de inércia; (3) De inércia, combinado manual e elétrico.

144 Os sistemas de magnetos forneciam uma centelha fraca na partida, e em velocidades muito baixas de acionamento. Isto foi muitas vezes compensado providenciando-se uma centelha quente, usando dispositivos de ignição. a) bobina de esforço, vibrador de indução ou acoplamento de pulso. b) bobina de reforço, vibrador de rotação ou acoplamento de impulso c) bobina de reforço, vibrador de indução ou acoplamento de pulso d) bobina de reforço, vibrador de indução ou acoplamento de impulso.

145 Sistema de partida por inércia: Durante a energização do motor de partida, todas as partes internas se movem, e o volante do conjunto? a) se move junto b) é estático c) é dinâmico d) não se move

146 Um motor de arranque típico, é um motor: a) de 12 ou 24 volts, enrolamento em paralelo, que desenvolve elevado torque na partida. b) de 12 ou 24 volts, enrolamento em série, que desenvolve baixo RPM na partida. c) de 12 ou 24 volts, enrolamento em shunt, que desenvolve elevado torque na partida. d) de 12 ou 24 volts, enrolamento em série, que desenvolve elevado torque na partida.

147 147 RESPOSTAS: 01- d) compressor e turbina 03- a) energia cinética 04- b) alta 05- d) combustível 06- a) pouco peso 07- c) de outro motor 08- d) starter­-gerador

148 148 RESPOSTAS: 12- a) se move junto 13- d) de 12 ou 24 volts, enrolamento em série, que desenvolve elevado torque na partida. 09- d) ampliador de velocidade 10- c) c- (1) Manual de inércia; (2) Elétrico de inércia; (3) De inércia, combinado manual e elétrico 11- d) bobina de reforço, vibrador de indução ou acoplamento de impulso.


Carregar ppt "Partida. A maioria dos motores de aeronaves são acionados por um motor de partida (starter), ou arranque. O arranque é um mecanismo capaz de desenvolver."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google