A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sustentabilidade da Cassi setembro/2013. Planos de Saúde no Brasil 48,7 milhões de usuários Cooperativa Médica (Unimed) – 17,4 milhões Medicina de Grupo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sustentabilidade da Cassi setembro/2013. Planos de Saúde no Brasil 48,7 milhões de usuários Cooperativa Médica (Unimed) – 17,4 milhões Medicina de Grupo."— Transcrição da apresentação:

1 Sustentabilidade da Cassi setembro/2013

2 Planos de Saúde no Brasil 48,7 milhões de usuários Cooperativa Médica (Unimed) – 17,4 milhões Medicina de Grupo (planos coletivos) – 18,3 milhões Seguradoras – 6,3 milhões Autogestão – 5,2 milhões Entidades filantrópicas – 1,5 milhão

3 Inflação versus mensalidades IPCA 2003 a 2013 – 117,6% Reajustes planos de saúde 2003 a 2013 – 139,2% Inflação versus Variação dos Custos Médico-Hospitalares IPCA 2007 a jun.2012 – 36,5% VCMH 2007 a jun.2012 – 89,7%

4 Usuários do SUS – 153 milhões Orçamento público federal com a saúde 2012 – R$ 80 bilhões (1,82% do PIB) Gastos dos estados e municípios com a saúde 2012 – cerca de R$ 80 bilhões Despesas das três esferas com o SUS - cerca de R$ por habitante/ano para os 153 milhões de usuários do SUS

5 Usuários Cassi 2012 – Plano de associados – Cassi Família – FunciCassi – CliniCassi – 65 – Cadastrados na ESF –

6 Despesas Cassi 2012 – R$ 2,53 bilhões – Internações – R$ 1,10 bilhão (43%) – Exames – R$ 499 milhões (20%) – Terapias – R$ 217 milhões (8%) – Consultas – R$ 187 milhões (7%) – Despesas administrativas – R$ 222 milhões (9%) Despesas Plano de Associados 2012 R$ por usuário/ano

7 Reserva bruta Cassi 2012 – R$ 1,58 bilhão – Reserva líquida – R$ 993 milhões – Reserva líquida Plano Associados – R$ 478 milhões – Reserva líquida Cassi Família – R$ 516 milhões Sinistralidade 2012 (Despesas/receitas) – Cassi: 101% – Cooperativa: 81% – Medicina de grupo: 80%

8 Receitas e despesas Cassi AnoReceita totalPlano AssociadosCassi Família (R$ milhões)ReceitaDespesaReceitaDespesa Receita BET R$ 172 milhões – 2012 R$ 97 milhões

9 Reformas estatutárias Cassi 1996 – Aumento de contribuição – Associado: de 1% para 3% – BB: de 2% para 1,5 vez a contribuição do associado 2007 – Revisão do Plano de Custeio – Instituída contribuição sobre 13º salário – Instituída coparticipação sobre exames ambulatoriais – Contribuição do BB definida em 4,5% – Banco faz aporte de R$ 300 milhões para investimento – BB regulariza contribuições patronais para funcionários pós-98 – contribuía com 3% e passa a pagar 4,5%. – Plano Odontológico fora da Cassi com custeio do BB

10 Tábuas de mortalidade Previ Expectativa de sobrevida aos 60 anos (homens) AT49 – 18,21 (78 anos) GAM71 – 18,39 (78 anos) AT83 – 19,36 (79 anos) AT2000 – 23,38 (83 anos) – tábua atual

11 Inflação médica sempre supera inflação (novas tecnologias, lucratividade dos planos privados, lobby dos prestadores, etc.) – equipe de negociação da Cassi pode até renegociar remuneração dos prestadores, mas o limite da negociação é a continuidade do atendimento. Assistência à saúde é sempre deficitária, por isso saúde pública precisa melhorar para desonerar despesas com planos de saúde dos trabalhadores. Cassi deve controlar despesas, mas não pode comprometer o atendimento aos usuários através da redução de despesas e de direitos dos usuários. Questões centrais

12 Problemas de descredenciamento – disputa eterna com prestadores, incentivada por prestadores e cooperativas médicas. Associados já fizeram seus sacrifícios em negociações e reformas dos estatutos feitas em 1996 e 2007, com aumentos maiores nas suas contribuições dos associados que nas do BB. Banco não ressarce a Cassi das despesas relativas ao tratamento das doenças ocupacionais e decorrentes de acidentes de trabalho. Questões centrais

13 Estratégia de Saúde da Família – falta muito por implantar, para melhorar o atendimento aos usuários e controlar despesas. Esta estratégia é adotada nos países que são referência no atendimento à saúde (Canadá, Suécia, etc.). Lição de casa está sendo feita pela diretoria da Cassi para reduzir despesas. Exemplos: compra de órteses e próteses de maneira centralizada, negociação do preço de stents, melhoria na gestão do pagamento das despesas, etc. Defendemos a adesão à Cassi dos funcionários dos bancos incorporados, de maneira negociada entre BB e entidades do funcionalismo. Questões centrais

14 24º CNFBB 2013 Implantar a redução paulatina da coparticipação, até sua extinção, fortalecendo o programa Estratégia da Saúde da Família da Cassi, promovendo a adesão espontânea dos associados; Retorno dos laboratórios da Cassi nos grandes prédios para se garantir o atendimento aos funcionários de grandes concentrações;

15 24º CNFBB 2013 Fortalecer os princípios de solidariedade: o tratamento igualitário a todos e que a mensalidade represente o mesmo percentual sobre o salário ou aposentadoria de todos; Conquistar credenciamentos de qualidade e a ampliação de unidades próprias e melhor aparelhadas da Cassi;

16 24º CNFBB 2013 Retomar um efetivo Programa de Estratégia de Saúde do Trabalhador, promovido pela Cassi, acompanhado pelas Cipas, delegados e entidades sindicais; Os funcionários oriundos de bancos incorporados deverão ser assistidos pelo Programa de Estratégia de Saúde da Família, assim como pelos demais programas promovidos pela Cassi;

17 Fontes das informações e dados -Relatórios anuais e site da Cassi - Ministério da Saúde - Reportagem da revista Carta Capital nº 762 de 21/8/13 - Resoluções do 24º Congresso Nacional dos Funcionários do BB (CNFBB)


Carregar ppt "Sustentabilidade da Cassi setembro/2013. Planos de Saúde no Brasil 48,7 milhões de usuários Cooperativa Médica (Unimed) – 17,4 milhões Medicina de Grupo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google