A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TRATAMENTO DE PISOS. DINÂMICA 2 Grupos Como fazer tratamento de pisos? Passo a passo Diagnóstico Processo Porque fazer.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TRATAMENTO DE PISOS. DINÂMICA 2 Grupos Como fazer tratamento de pisos? Passo a passo Diagnóstico Processo Porque fazer."— Transcrição da apresentação:

1 TRATAMENTO DE PISOS

2 DINÂMICA 2 Grupos Como fazer tratamento de pisos? Passo a passo Diagnóstico Processo Porque fazer

3 DINÂMICA 2 Grupos Como fazer tratamento de pisos? Passo a passo Diagnóstico (tipo de piso – tráfego – área...) Processo Porque fazer

4 Tipos de Pisos FrioFrio QuenteQuente TratavélTratavél Não tratavélNão tratavél PorosoPoroso Pouco porosoPouco poroso VinicoVinico EsmaltadoEsmaltado Substratos naturaisSubstratos naturais

5

6 O que são mármores e granitos Rochas são agregados de um ou mais tipos de minerais. O tamanho e a disposição deles (aspecto) dependem de sua formação. O termo rochas ornamentais é um nome comercial para designar as rochas passíveis de polimento, sendo assim, granitos são todas as rochas não carbonáticas e mármores são as carbonáticas. Os outros materiais como: ardósia, pedra mineira e pedra miracema são conhecidos simplesmente por pedras. Os mármores são rochas metamórficas constituídas principalmente por minerais de calcita. Já os granitos são rochas ígneas constituídas principalmente por minerais de quartzo, feldspato e mica. Os minerais de calcita são facilmente atacados por soluções ácidas, além de serem mais frágeis e de dureza menor do que os minerais constituintes dos granitos. O quartzo e o feldspato são aproximadamente duas vezes mais "duro" (resistência relativa ao risco) do que a calcita.

7

8

9 Trafego BAIXOMÉDIOALTO Área m2 – consumo Grau de obstrução AbertaFechada Clima UmidadeTemperatura Tipos de sujidade Solta Impregnada etc. Ex: Areia, terra, poeira..

10 Impermeabilização -aplicação de base seladora – fecha os poros -Aplicação de acabamento – aplicação de impermeabilizantes Tratamento Termo-Plástico -Sistema H.S ou U.H.S após cura total -Utiliza-se disco champanhe ou pêlo de porco

11 QUANTAS CAMADAS DEVO UTILIZAR? Pisos porosos e pouco porosos Todo tratamento de pisos tem de ter no mínimo 100% de sólidos Base seladora – 14% Impermeabilizantes – 18% - 21,5% e 27%

12

13

14 MANUTENÇÃO DE PISOS FRIOS TRATADOS

15 MANUTENÇÃO DO PISO DETERMINARÁ A DURABILIDADE DO TRATAMENTO: MANUTENÇÃO DO PISO DETERMINARÁ A DURABILIDADE DO TRATAMENTO: Manutenção preventiva: Aplicação de mop pó diariamente – a frequência dependerá do fluxo de pessoas (não existe uma determinação para número de pessoas determinando se o tráfego e alto, baixo ou médio) Barreira de contenção de sujidades em tamanho adequado Limpeza de sujidades aderida - este processo deve ser feito através de limpeza com sistema mop líquido e detergente neutro e quando necessário lavação com disco vermelho ou bege (neste caso pode haver pequena baixa no nível de brilho sendo necessário a queima do filme)

16 MANUTENÇÃO DO PISO DETERMINARÁ A DURABILIDADE DO TRATAMENTO: MANUTENÇÃO DO PISO DETERMINARÁ A DURABILIDADE DO TRATAMENTO: Manutenção restaurativa: Lavação do piso com detergente neutro com disco vermelho ou verde (a decisão será feita devido ao grau de sujidade impregnada no piso) Aplicação de enceradeira HS ou UHS restaurando o brilho – este procedimento deve intercalar o procedimento de recamada, este procedimento economiza produto e também evita sobrecamadas em excesso dificultando a remoção. Nos casos de não se ter a HS ou UHS o procedimento deverá a recamada.

17 NOSSOS PRODUTOS

18


Carregar ppt "TRATAMENTO DE PISOS. DINÂMICA 2 Grupos Como fazer tratamento de pisos? Passo a passo Diagnóstico Processo Porque fazer."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google